Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara

13.722 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
14 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.722
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
30
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
500
Comentários
0
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila de cálculo técnico têxtil escrita por marco fuziwara

  1. 1. MARCO FUZIWARA 1
  2. 2. ÍNDICE. PÁGINAS 03 - 04 INTRODUÇÃO / CONHECIMENTOS SOBRE FIAÇÃO. 05 - 06 PRINCIPAIS MAQUINAS UTILIZADAS NA FIAÇÃO DE FIBRAS CURTAS. 07 - 12 TITULAÇÃO DE FIOS SINGELOS, SISTEMA DIRETO E INDIRETO. 13 - 15 NUMERAÇÃO DE FIOS RETORCIDOS. 15 - 17 CONVERSÃO DE TÍTULOS. 18 FORMULÁRIO DE TITULAÇÃO. 19 - 20 TECELAGEM, INTRODUÇÃO / HISTÓRICO. 21 - 25 CONTRAÇÃO DE FIOS / CÁLCULO, PESO DE URDUME E TRAMA, DENSIDADE E LARGURA / CÁLCULO DO NÚMERO DO PENTE. 26 - 32 ANÁLISE DE TECIDO ARTIGO CRU OU COR ÚNICA. 33 - 44 ANÁLISE DE TECIDO PARA ARTIGOS DE FIO TINTO. 44 - 49 RESUMO DE FORMULAS PRATICAS PARA ANÁLISE DE TECIDOS. 50 FATOR DE CONVERSÃO PARA TROCA DE TÍTULOS. 50 - 51 FORMULAS GERAIS PARA CÁLCULOS DE PRODUÇÃOMARCO FUZIWARA 2
  3. 3. INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE CÁLCULO TÉCNICO TÊXTIL Um produto têxtil de boa qualidade depende, dentre outros aspectos, de cálculos precisosreferentes a cada um dos elementos empregados no processo de tecelagem. Este fascículotem por objetivo contribuir para o aperfeiçoamento do técnico têxtil por meio de informaçõessobre “ fios “ e “ cálculos de tecidos “, alem de exercícios práticos. CONHECIMENTOS NECESSÁRIOS SOBRE FIAÇÃO 1 – ALGUNS CONCEITOS IMPORTANTES Fibra têxtil : é a unidade de matéria prima têxtil, caracterizada por ser uma macromolécula linear, isto é, tem elevada proporção entre comprimento e finura. Filamento têxtil : tem praticamente todas as características das fibras têxteis, diferindoapenas no comprimento. O filamento têxtil tem comprimento infinito. Classificação das fibras têxteis : a grosso modo, podemos classificar as fibras têxteis emtrês grupos, que são fibras têxteis naturais, artificiais e sintéticas. Fibras têxteis naturais são aquelas fornecidas praticamente prontas pela natureza,bastando ao homem apenas limpa-las de impurezas. Ex.: lã, algodão, etc. Fibras têxteis artificiais são fornecidas pela natureza, porém não estão prontas paraaplicações têxteis, devendo passar por artifícios que lhes dêem características de fibrastêxteis. Ex.: a madeira em estado de tora ou um pedaço de bambu. Ambos podem, através deartifícios, dar origem a fibra têxtil chamada “ viscose “. Fibras têxteis sintéticas são aquelas cujas macro-moléculas são obtidas pelo homem,através de reações químicas. Ex.: com a matéria prima petróleo, pode-se através de reaçõesquímicas, chegar a fibra têxtil poliester , poliamida. As fibras têxteis também podem ser classificadas em curtas ou longas, de acordo com ocomprimento. O algodão e uma fibra curta ( 20 a 60 mm ). A lã e uma fibra longa ( 50 a 250mm ). Fios : são materiais constituídos de fibras têxteis naturais, artificiais ou sintéticas e quetem grande comprimento e também forma aproximadamente cilíndrica, de pequeno diâmetro. MARCO FUZIWARA 3
  4. 4. São três características importante de um fio : regularidade, diâmetro e massa. Odiâmetro e a massa são responsáveis por uma grandeza física chamada titulo, de importânciafundamental na industria têxtil. Fiação : e um conjunto de operações que permite obter um fio, a partir de materiaisfibrosos. Pode-se dizer que o processo de fiação se divide em quatro fases distintas, a saber :abertura, limpeza, estiragem e torção. Na fase de abertura, as fibras são separadas o máximo possível. A limpeza é uma fase que elimina ao máximo as impurezas das fibras. Na fase deabertura, há um inicio de limpeza. A estiragem consiste em orientar as macro-moléculas num único sentido, afinando amassa do produto. É a paralelização das fibras. A torção é a operação que das as fibras paralelizadas um certo número de voltas, emtorno do seu próprio eixo do fio que se quer obter. Da ao fio resistência a ruptura. Vale que seja feita a citação aqui, que as máquinas utilizadas para fibras curtas (algodão),não são todas as mesmas para fibras longas ( lã ), embora tenham todas os mesmosprincípios de funcionamento. Produto têxtil : é todo aquele que é composto de fibras ou filamentos têxteis. Todos os produtos que possuam 80% de fibras ou filamentos têxteis, são chamados deassemelhados aos produtos têxteis. 2 – TITULO Titulo é a relação entre a massa e o comprimento de um fio. Titulação são os sistemas adotados para determinar o titulo. Titulagem são os métodos aplicados para a obtenção do titulo. MARCO FUZIWARA 4
  5. 5. PRINCIPAIS MAQUINAS UTILIZADAS NA FIAÇÃO DE FIBRAS CURTAS 1. Batedor Fardo Manta BATEDOR O objetivo do batedor é abrir, limpar, misturar e uniformizar por unidade decomprimento, a massa das fibras que, a partir do fardo, vão constituir a manta. 2. Carda Manta Fita CARDA A carda transforma a manta numa fita, abrindo, limpando e destacando as fibras. 3. Reunideira Várias fitas Rolo de manta REUNIDEIRA A reunideira transforma várias fitas, num rolo de manta compactado. 4. Laminadeira Várias mantas Rolo de manta LAMINADEIRA A laminadeira reúne várias mantas e produz um rolo de manta. 5. Penteadeira Vários rolos Fita PENTEADEIRA A penteadeira da um paralelismo maior as fibras, retira fibras curtas e elimina eventuaisembaraçamentos de fibras ( neps ). MARCO FUZIWARA 5
  6. 6. 6. Passadeira Várias fitas Fita compactada PASSADEIRA Duplicar significa juntar duas ou mais fitas. A duplicação provoca a compensação entreas rarefações e as concentrações de fibras nas fitas. A passadeira da uniformidade a fita de saída, por meio da duplicação e da continuidadeao processo de estiragem. Na operação de duplicação, pode haver a mistura de fitas de matérias primasdiferentes. 7. Maçaroqueira Fita Mecha MAÇAROQUEIRA A Maçaroqueira transforma a fita em mecha, dando nesta ultima, uma ligeira torção econtinuando com o processo de estiragem. 8. Filatório Mecha Fio FILÁTORIO O filátorio finaliza as operações de estiragem e torção do fio, dando a ele aspecto etitulo finais. 9. Conicaleira Fio Cone CONICALEIRA A conicaleira acondiciona o fio em cone, retirando do fio imperfeições, tais como pontosfinos e pontos grossos, isto quando a maquina for dotada de uster. 10. Retorcedeira Dois ou mais fios Fio retorcido RETORCEDEIRA A retorcedeiras retorce dois ou mais fios singelos, formando um fio retorcido, que temmaior resistência e maior uniformidade. MARCO FUZIWARA 6
  7. 7. TITULAÇÃO DE FIOS SINGELOS Para construir um tecido, é preciso designar os tipos de fios a serem empregados,tendo-se como base uma norma que permita indicar a espessura do fio que se pretendeusar. Não é possível medir o diâmetro de um fio por meio de calibradores; essa medida éobtida com base no peso que o fio apresenta em relação a determinado comprimento. Os sistemas de titulação que vamos estudar são: 1. SISTEMA DIRETO No sistema direto tem-se: Titulo alto - fios grossos Titulo baixo - fios finos SISTEMA DIRETO Comprimento fixo Peso variavel Exemplo: Tomando-se por base um metro de fio 75 denier, o peso será igual a “ X “, mas amedida que se eleva o titulo do fio, seu peso será aumentado. Portanto, um metro de fio150 denier pesara o dobro do primeiro e assim sucessivamente. Sistema direto Sistema denier Unidade de comprimento 450 metros ( fixa ) Unidade de massa ( peso ) 0,05 gramas ( variável ) MARCO FUZIWARA 7
  8. 8. Foi tomada por base esta unidade de comprimento como sendo fixa e a unidade depeso, variável. Portanto, no sistema denier, pode-se partir desta base para obter o titulo dofio. Exemplo: 450 metros pesando 1 x 0,05 gramas: titulo = 1 450 metros pesando 2 x 0,05 gramas: titulo = 2 450 metros pesando 3 x 0,05 gramas: titulo = 3 450 metros pesando 150 x 0,05 gramas: titulo = 150 Calculo para identificar a constante: C = comprimento em metros P = peso em gramas K = constante C 450 = K = 9000 constante = 9000 P 0,05 Essa constante será usada para cálculos em sistema denier. Sistema tex Unidade de comprimento fixa: 1000 metros Unidade de peso variável inicial: 1 grama Exemplo: 1000 metros pesando 1 grama : titulo = 1 1000 metros pesando 2 gramas : titulo = 2 1000 metros pesando 3 gramas : titulo = 20 Calculo para achar a constante: C 1000 = K = 1000 constante = 1000 P 1 Essa constante será usada para cálculos em sistema tex. Sistema decitex Unidade de comprimento fixa: 10000 metros Unidade de peso variável inicial: 1 grama MARCO FUZIWARA 8
  9. 9. Calculo para achar a constante:C 10000 = K = 10000 constante = 10000P 1Essa constante será usada para cálculos em sistema decitex.2. SISTEMA INDIRETONo sistema direto tem-se: Titulo alto - fios finos Titulo baixo - fios grossos SISTEMA INDIRETO Comprimento variavel Peso fixoNo sistema indireto, ocorre o inverso do sistema direto.Exemplo:Um metro de titulo 10/1 pesa “ X “; dois metros de fio titulo 20/1 ou três metros de fiotitulo 30/1 devem ter o mesmo peso do primeiro fio. Assim toda vez que se altera otitulo do fio, ocorre variação do comprimento e o peso é mantido.Sistema indiretoSistema inglês de algodão ( Ne ) ou ( Ni )Ne ( number English ) Ni ( número Inglês )Unidade de peso fixo - 453,6 gramasUnidade de comprimento variável inicial - 768 metrosMARCO FUZIWARA 9
  10. 10. Base do sistema1 x 768 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 12 x 768 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 23 x 768 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 310 x 768 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 10Calculo para achar a constante:P 453,6 = K = 0,591 constante = 0,591C 768Essa constante será usada para cálculos em sistema inglês de algodão.Sistema métrico ( Nm )Nm ( numero métrico )Unidade de peso fixo - 1000 gramasUnidade de comprimento variável inicial - 1000 metrosBase do sistema1 x 1000 metros pesando 1000 gramas : titulo = 12 x 1000 metros pesando 1000 gramas : titulo = 23 x 1000 metros pesando 1000 gramas : titulo = 310 x 1000 metros pesando 1000 gramas : titulo = 10Calculo para achar a constante:P 1000 = K = 1 constante = 1C 1000Essa constante será usada para cálculos em sistema métrico ( Nm ).Sistema inglês para lã cardadaUnidade de peso fixo - 453,6 gramasUnidade de comprimento variável inicial - 329,18 metrosMARCO FUZIWARA 10
  11. 11. Base do sistema1 x 329,18 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 12 x 329,18 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 23 x 329,18 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 310 x 329,18 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 10Calculo para achar a constante:P 453,6 = K = 1,378 constante = 1,378C 329,18Essa constante será usada para cálculos em sistema inglês para lã.Sistema inglês para linho, rami, juta, etc.Unidade de peso fixo - 453,6 gramasUnidade de comprimento variável inicial - 274,32 metrosBase do sistema1 x 274,32 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 12 x 274,32 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 23 x 274,32 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 310 x 274,32 metros pesando 453,6 gramas : titulo = 10Calculo para achar a constante:P 453,6 = K = 1,653 constante = 1,653C 274,32Essa constante será usada para cálculos em sistema inglês para linho, rami, juta, etc.MARCO FUZIWARA 11
  12. 12. ResumoSistema de titulaçãoPode se direto ou indireto1. Direto - comprimento fixo - peso variávelFórmula geral : K x P = C x T ( ou N )Legenda:K = ConstanteP = PesoC = ComprimentoT ou N = Titulo ou NumeroSistema DENIER ( DEN )Constante ( K ) = 9000Sistema TEX ( TEX )Constante ( K ) = 1000Sistema DECITEX ( DTEX )Constante ( K ) = 10000O sistema direto é usado para cálculos de fios compostos de filamentos, principalmenteos sintéticos e os artificiais, natural podemos incluir a seda.2. Indireto - comprimento variável - peso fixoFórmula geral : C x K = P x T ( ou N ) ( a legenda é a mesma do sistema direto )Sistema INGLES para algodão ( NE )Constante ( K ) = 0,591Sistema METRICO ( NM )Constante ( K ) = 1Sistema INGLES de lã cardada ( NE )Constante ( K ) = 1,378Sistema INGLES de fibras duras ( NE )Constante ( K ) = 1,653O sistema indireto normalmente são usados em cálculos de fios fiados em fiaçãoconvencional, fibras naturais e algumas artificiais.MARCO FUZIWARA 12
  13. 13. Numeração de fios retorcidos Os fios retorcidos são fios de cores iguais ou diferentes retorcidos entre si. Indicação do título. A indicação do título de um fio retrós ( fio retorcido ) é convencional e varia segundo otipo do fio, a matéria prima e o método de trabalho. Em fios retrós, compostos de cabos do mesmo numero tem-se: Lã ( Nm ) - Número de cabos / título do fio singelo. Ex.: retorcendo dois cabos de fio Nm 40 obtém-se Nm 2/40 Algodão - Retorcendo-se dois cabos do fio Ne 30 obtém-se Ne 30/2 Se os cabos que compõem o retrós tiverem títulos diferentes indicam-se os fioscolocando-os em ordem crescente, separados por uma barra inclinada, no caso de algodãoe lã. Exemplo: a. Retorcendo-se Ne 20 com Ne 40 : 20/40 b. Retorcendo-se Nm 36 com Nm 24 : 24/36 c. Retorcendo-se Den 200 com Den 100 : 100/200 No sistema denier costuma-se indicar o título do fio singelo repetido, tantas vezesquantos forem os cabos componentes, separando-os por um pequeno traço horizontal. Nos casos comuns, o número de cabos nunca é superior a 4. Exemplos: a. Den 50 retorcido com Den 50 indica-se Den 50 – 50 b. Den 25 retorcido com Den 50 indica-se Den 25 – 50 Outro processo consiste em indicar o numero de cabos que compõem o retrós, antesdos títulos dos fios, devidamente separados por barras inclinadas e em ordem crescente. Exemplo: Retorcendo-se Nm 24 com Nm 16 temos: Nm 2/16/24 Título resultante de um fio retorcido Nos sistemas diretos ( DEN, TEX, etc. ), a formula geral é: N1 + N2 + N3 + N4 + N.. = NR N1 = Número do primeiro título N2 = Número do segundo título N3 = Número do terceiro título N4 = Número do quarto título NR = Número do título resultante MARCO FUZIWARA 13
  14. 14. Nos sistemas diretos, o título resultante de um retrós é igual a soma dos títuloscomponentes.Exemplo:Retorcendo-se fios de títulos 75 Den, 100 e 125 Den, tem-se titulo 300 Den75 + 100 + 125 Den = 300 DenNo sistema indireto ( métrico, inglês ) a formula é a seguinte:Divide-se o título de maior valor por ele mesmo e por cada um dos outros, somam-se os quocientes obtidos e divide-se o título maior por este valor. O resultado seráo título do retrós.Exemplo:Retorcendo-se fios de título Nm 20 / 30 / 60, qual seria o Nm resultante?Resolução:60 / 60 = 160 / 30 = 2 + 60 = 1060 / 20 = 3 6 6Resposta: Nm = 10Quando todos os cabos forem iguais, divide-se o título pelo número de cabos.Exemplo:Retorcendo dois cabos de título Ne 40, o resultante será: 40Nr = = 20 2Número resultante = 20 NeOu ainda podemos utilizar a seguinte formulação:Para dois cabos N1 x N2Nr = N1 + N2Para três cabos N1 x N2 x N3Nr = (N1 x N2) + ( N1 x N3) + (N2 x N3)MARCO FUZIWARA 14
  15. 15. Para quatro cabos N1 x N2 x N3 x N4 Nr = (N1 x N2 x N3) + ( N1 x N2 x N4) + (N1 x N3 x N4) + (N2 x N3 x N4) Conversão de títulos Um mesmo fio recebe títulos diferentes de acordo com o sistema usado para asua titulação. Exemplo: Um fio pesa 0,05 gr / m, independentemente do tipo de matéria prima que oconstitui, este fio pode receber os seguintes títulos. 1 ( um metro) x 0,591 Ne = = 11,8 ( sistema inglês para algodão ) 0,05 1 ( um metro) x 1 Nm = = 20 ( sistema métrico ) 0,05 0,05 x 1000 Tex = = 50 ( sistema tex ) 1 ( um metro ) 0,05 x 9000 Den = = 450 ( sistema denier ) 1 ( um metro ) Calcula-se com muita freqüência, o título equivalente de um fio ao de outro sistema. Exemplo: Qual o número métrico de um fio de lã penteado que tem o mesmo peso por metro de um fio de algodão Ne 30 ? Resolução: Primeiramente calcula-se o peso, por metro, do fio 30. MARCO FUZIWARA 15
  16. 16. C x K = 1 x 0,591P = = 0,019667 g / m N 30Sabendo-se o peso por g / m do fio de algodão, calcula-se o número métrico da lã. C x K = 1 x 1N = = 50,8 Nm P 0,019667Resultado:50,8 Nm é equivalente a 30 NeFórmula para conversão de títulos:Primeiro caso: ambos diretos, ou ambos indiretos. T KFormula = = T1 K1Sendo:T = Título conhecidoK = Constante do título conhecidoT1 = Título procuradoK1 = Constante do título procuradoExemplo:Transformar o titulo 643 denier em título tex.Resolvendo: Ambos diretos T KFormula = = T1 K1643 den 9000 643 x 1000 T1 = 1000 T1 = = 71,4 tex 9000Resultado:O título 643 denier é equivalente ao título 71,4 texTransformar 83,3 tex para título denier.Resolvendo:83,3 tex 1000 83,3 x 9000 T1 = 9000 T1 = = 749 den 1000Resultado: o título 83,3 tex é equivalente ao título 749 denier.MARCO FUZIWARA 16
  17. 17. Segundo caso: um título direto e outro título indireto, ou vice-versa.Fórmula - T x T1 = K x K1Exemplo: Transformar o título 225 denier em título NeResolvendo:T x T1 = K x K1 9000 x 0,591225 x T1 = 9000 x 0,591 = = 23,6 225Resultado: O título 225 denier é equivalente ao título 23,6 Ne.Transformar o título 100 denier em título métrico.Resolvendo:T x T1 = K x K1 9000 x 1100 x T1 = 9000 x 1 = = 90 Nm 100Resultado: O título 100 denier é equivalente ao título 90 Nm.Transformar o título 200 denier em título inglês.Resolvendo:T x T1 = K x K1 9000 x 0,591200 x T1 = 9000 x 0,591 = = 26,55 Nm 200Resultado: O título 200 denier é equivalente ao título 26,55 Ne.MARCO FUZIWARA 17
  18. 18. FORMULARIO DE TITULAÇÃO FORMULAS E CONSTANTES TITULAÇÃO DE FIOS RETORCIDOS DIRETO INDIRETO SISTEMA DIRETO KxP=CxN CxK=PxN Tr = T1 + T2 + T3 + .. + Tnfor C.N P.K C.K P.N SISTEMA INDIRETOm P= C= P= C=ul K N N K 2 cabosas T1 x T2 Tr = P.K C.N C.K P.N T1 + T2 N= K= N= K= C P P C 3 cabos T1 x T2 x T3co Tr =nst Nden = 9000 Ni (T1xT2)+(T1xT3)+(T2xT3)antes Dtex = 10000 m/g = 0,591 4 cabos(K) Tex = 1000 jd/g = 0,540 T1 x T2 x T3 x T4 Tr = Ktex = 1 Nm = 1 (T1xT2xT3)+(T1xT2xT4)+(T1xT3xT4)+(T2xT3xT4) CONVERSÃO DE TITULOS DIRETO DIRETO INDIRETO DIRETO INDIRETO INDIRETO DIRETO INDIRETO N1 K1 N1 x N2 = K1 x K2 N2 K2 FATORES DE CONVERSÃO PARA Ktex Tex Dtex Nden Nm Ni DE 1 0,591 Ktex Ktex x 1000 Ktex x 10000 Ktex x 9000 Ktex Ktex Tex 1000 591 Tex Tex x 10 Tex x 9 1000 Tex Tex Dtex Dtex 10000 5910 Dtex Dtex x 0,9 10000 10 Dtex Dtex Nden Nden 9000 5319 Nden Nden x 1,11 9000 9 Nden Nden 1 1000 10000 9000 Nm Nm x 0,591 Nm Nm Nm Nm 0,591 591 5910 5319 Ni Ni Ni Ni Ni Ni 0,591 MARCO FUZIWARA 18
  19. 19. TECELAGEM1. INTRODUÇÃO Já foi visto que são inúmeras as utilidades dos tecidos. Viu-se também que os tecidospodem ser divididos em tecidos planos e tecidos de malha. Dentre as utilidades dos tecidos, a mais evidente e do vestuário. Supõe-se que foijustamente para esse fim que a tecelagem( fabricação de tecidos planos ) fixou-se comotécnica, mas apesar disso, supõe-se ainda que as primeiras manifestações de tecelagem,tenham ocorrido para a confecção de esteiras. Com este texto vamos conhecer como se deu início a técnica de tecer, e o significadodas palavras técnicas que são aplicadas no processo de fabricação de tecidos.2. HISTÓRICO Ilustrações egípcias de aproximadamente 3000 a.C., mostram homens e mulheresocupados em tarefas de fiar e tecer. Das tumbas faraônicas foram retiradas múmiasenvoltas em tecidos confeccionados com fios finíssimos. Pode-se dizer então que a indústria têxtil teve suas sementes lançadas com oaparecimento do ser humano na terra. Isto mostra como seria trabalhoso e extenso, senãoimpossível, contar com os mínimos detalhes da história da indústria têxtil. É indiscutível a importância da vestimenta na vida humana, por causa de uma série defatores. Destaquemos alguns: existem fatores morais, sociais e de higiene, envolvidos nouso da roupa; a vestimenta ajuda a fazer um controle de temperatura do corpo; a roupaprotege o corpo de agressões leves provenientes de quedas, ataques de pequenos animaise insetos. Uma análise mais apurada poderia aumentar esta lista de fatores. Vale destacar algumas matérias primas envolvidas diretamente no aparecimento edesenvolvimento da indústria têxtil. A lã foi introduzida na vestimenta muitos anos antes da história ser escrita. Egípcios,babilônios, gregos e hebreus antigos, faziam suas vestimentas artesanalmente, em casa.Isto acontecia até mesmo nas classes sociais mais altas. A indústria da lã em todo o mundo, teve uma base doméstica, bem antes dos primeirose primitivos sistemas industriais. Na Roma antiga, os dois sistemas (doméstico e“industrial”), parecem ter coexistido. Nos primórdios da Era Cristã, as roupas de lã mais sofisticadas eram feitas em Bagdá,Damasco e outras cidades do Império Turco. Na Idade Média, a indústria de lã floresceu nas cidades italianas de Veneza e Florença,de onde se expandiu para a Holanda, para a Bélgica e mais tarde, para a Inglaterra. MARCO FUZIWARA 19
  20. 20. Há algumas centenas de anos, observando a natureza, o homem descobriu quealgumas plantas podiam ser utilizadas na elaboração de fios e tecidos. As provas históricasdessas descobertas datam do século VI a.C. O algodão é conhecido desde 3000 a.C. quinze séculos antes da Era Cristã, já secultivava o algodão na Índia e se fabricavam tecidos com suas fibras. Mil anos mais tarde,os chineses teciam roupas de algodão. Nessa época, o algodão não era conhecido naEuropa, que usava a lã como fibra têxtil comum. A introdução do algodoeiro na Europa édevida a Alexandre da Macedônia ( século IV a . C.) e seu uso durante muito tempo foibastante restrito. Quando os espanhóis colonizaram a América, encontraram o algodão emuso, pelo nativos do continente. Na idade média, os tecidos de seda eram usados nas cortes européias como valiosospresentes. “Apesar de não existirem relatos referentes a origem da tecelagem. Há fortes indíciosde que o homem da época paleolítica ( idade da pedra lascada) tenha desenvolvidotécnicas de torcer cordões, trançar e costurar. No período neolítico (idade da pedra polida)apareceu o cultivo do linho e o uso de suas fibras para confeccionar tecidos trançados. Emantigas habilitações lacustres suíças, foram encontrados restos de fios de linho, rocas defiar, pesos de tecelão e vestígios de roupas feitas com tecidos trançados, evidenciando queno fim da Idade da Pedra a humanidade selecionava fibras têxteis e tinha adquiridohabilidades de fiar e tecer. As técnicas de tecelagem foram desenvolvidas em grau muitoavançados pelos antigos egípcios, conforme atestam certas peças de linho de excelentequalidade, descobertas em seus túmulos, e pinturas de teares encontradas em murais”. Para entender como se desenvolveu a técnica de tecer, é necessário o conhecimentode como é composto um tecido plano, campo de estudo de Tecelagem. O TECIDO PLANO é resultante do entrelaçamento de dois conjuntos de fios emângulo reto ( 90 graus). O conjunto de fios que se encontra no sentido longitudinal é chamado de URDUME. Oconjunto de fios que cruza o URDUME, entrelaçando-o no sentido transversal é conhecidocomo TRAMA. A evolução dos fios no entrelaçamento chamamos de LIGAMENTO, que varia deacordo com uma programação preestabelecida conforme será estudado emPADRONAGEM. MARCO FUZIWARA 20
  21. 21. CONTRAÇÃO DE FIOSOs fios podem contrair-se devido ao tecimento. Neste caso, deve-se calcular acontração do urdume e da trama.Para calcular a contração do urdume, pega-se uma amostra de tecido, recorta-se umquadrado de 10 X 10 cm, retiram-se no mínimo 10 fios de urdume e desmancha-se aondulação formada devido ao tecimento ou ligamento. Mede-se o comprimento real decada um dos fios e calcula-se a media aritmética.Exemplo:Amostra de tecido de algodão 10 cm quadradoLigamento telaDensidade de urdume e trama iguaisComprimento dos fios de urdume:10,4cm – 10,5cm – 10,3cm – 10,6cm – 10,5cm10,4cm – 10,5cm – 10,6cm – 10,5cm – 10,3cmResolvendo:10,4+10,5+10,3+10,6+10,5+10,4+10,5+10,6+10,5+10,3 = 104,6104,6 = 10,46 cm contração 10,46 – 10 = 0,46 cm 10Para transformar este resultado em porcentagem, aplica-se a seguinte formula:10 cm 100 % 0,46 x 100 % X= = 4,6 %0,46 cm X % 10Resultado = 4,6 %Para calcular o encolhimento da trama repete-se as mesmas operações, que foramexecutadas no urdume.Nos próximos exemplos será mantido o valor de 4,6 % de contração de urdume etrama para melhor entendimento.MARCO FUZIWARA 21
  22. 22. Aplicação:Título Ne 20 - urdume e tramaLargura do tecido cru - 80 cmOurelas 0,5 cm cada lado, tendo 22 fios cada ourelaBatidas / cm - 18 fios / cmDensidade do urdume - 22 fios / cmProcedimentos1. Calcular o peso de urdume e trama em cada metro linear do tecido.Para resolver este problema, calcula-se o comprimento do fio de urdume e de tramapor metro de tecido; em seguida aplica-se a formula de titulação do sistema Ne( sistema inglês ) que é C x K = P x N.a) Comprimento real dos fios de urdume.Total de fios = 79 cm x 22 fios/cm = 1738 fios + 44 ourela = 1782 fios totaisCada fio mede 100 cm depois do entrelaçamento com as tramas, portanto, há 1782metros de fios contraídos.O comprimento real pode ser calculado da seguinte forma:1782 x 104,6 Na unidade de medida comprimento, sempre utilizare = 1864,0 metros 100 mos uma casa após a virgula.ou1782 x 1,046 = 1864,0 metrosPeso do urdume - conhecendo-se o comprimento real calcula-se o peso C x K 1864,0 x 0,591CxK=PxT P= P= = 55,08 gramas / metro T 20Na unidade de medida de peso ou massa, utilizaremos duas casas após a virgula.b) Comprimento real dos fios de tramaComprimento = 100 cm x 18 bat./cm x 80 cm = 144000 cm ou 1440 metrosMARCO FUZIWARA 22
  23. 23. 1440 x 104,6 = 1506,2 metros ou 1440 x 1,046 = 1506,2 metros 100 Peso da trama - conhecendo-se o comprimento real calcula-se o peso C x K 1506,2 x 0,591 CxK=PxT P= P= = 44,51 gramas / metro T 20 Na unidade de medida de peso ou massa, utilizaremos duas casas após a virgula. 2. Calcular a densidade dos elementos no tear. a. Urdume – o tecido cru tem a densidade de 22 fios/cm. No tear, os mesmos 22 fios ocupam uma largura maior que 1 cm que pode ser calculada pela contração da trama. 22 x 100 Cálculo da largura = = 21,03 fios/cm = 21,0 fios/cm ( 100 + 4,6 ) Ou 22 / 1,046 = 21,0 fios/cm b. Trama – o número de batidas por centímetro no tear é sempre igual ao número de batidas por centímetro no tecido cru. 3. Calcular a largura do urdume no pente A largura do urdume no pente é sempre maior que a largura do tecido. No exemplo,tem-se 80 cm de largura em tecido cru, no pente essa largura seria maior que 80 cm, emfunção da contração da trama, a largura pode ser calculada da seguinte forma: 80 x ( 100 + 4,6 ) Largura em # = =83,7 cm ou Largura em # = 80 x 1,046 = 83,7 cm 100 Portanto 83,7 cm seria a largura do urdume no pente ( # ) MARCO FUZIWARA 23
  24. 24. Cálculo do número do penteDados a considerar:. Total de fios de urdume. Passamento ( fios por pua ). Largura do urdume no pente. Fios por centímetro no penteExemplo:Sabendo-se que um artigo deve apresentar 38 fios/cm no pente, quais seriam osnúmeros do pente a serem empregados para se trabalhar com 2 ou 4 fios/pua?Resolvendo:Passando 2 fios por pua. 38Num. do pente = = 19 puas/cm - pente 19 2Passando 4 fio por pua. 38Num. do pente = = 9,5 puas/cm - pente 9,5 4Exemplo:Tem-se um urdume com 2200 fios de fundo que devem ser passados a 2 fios/pua. Alargura com ourela é igual a 120 cm – ourela = 0,5 + 0,5. Calcular o numero do pente.Resolvendo:120 cm – 1 cm = 119 cm ( largura do fundo )119 + 10% ( contração ) = 130,9 cm2200 =1100 puas de fundo 2 1100 x 1X= = 8,4 puas / cm - Pente num. 8,5 130,9MARCO FUZIWARA 24
  25. 25. Exemplo: Um urdume com 3920 fios deve ser remetido sobre uma largura de 140 cm; o tecidoserá formado em listras alternadas na seguinte ordem: 80 fio a 2 por pua e 60 fios a 3 por pua. Determinar o num. do pente a ser usado. Resolvendo: Calcular o total de puas necessários numa repetição 80 fios a 2 por pua = 40 puas + 60 fios a 3 por pua = + 20 puas 140 fios 60 puas 3920 fios divididos por 140 fios = 28 repetições. Multiplicando-se as 28 repetições por 60 puas, obtém-se um total de 1680 puas. Dividindo-se o total de puas pela largura do tecido em pente, obtém-se o num. do pente 1680 puas = 12 - pente num. 12 140 Exemplo: Querendo saber o total de fios já conhecendo o pente ( # ): Repetição : a a a a a a 2 2 3 3 2 2 usar pente num. 15 8 fios a 2 por pua = 4 puas 6 fios a 3 por pua = 2 puas 14 6 puas Largura em pente = 94 cm Multiplicando-se o pente pela largura: 15 x 94 = 1410 puas. Dividindo-se as 1410 puas por 6 que é o total de puas numa repetição, tem-se um totalde 235 repetições. Multiplica-se o total de cada repetição para obter-se o total de fios deurdume. Resolvendo: 235 repetições x 14 fios = 3290 fios. MARCO FUZIWARA 25
  26. 26. Análise de tecido para artigos cru ou de cor única no roloFórmulas práticas de análise.Dados:Urdume . Fios por cm do urdume = 50 Título do urdume 2 / 60 Nm Contração 12,3 % Perda 3 % Ourela = 80 fios cada lado 2 fios / pua no # do tear e condensadorTrama . Batidas por cm = 30 Título da trama 2 / 200 Den Contração 16 % Perda 5% Largura do tecido cru com ourela = 160 cmCalcular: Quantidade de fios de urdume Número do pente Quantidade de fios de urdume real Peso liquido do urdume Peso bruto do urdume Peso liquido dos fios de trama Peso bruto dos fios de trama Peso do tecido por metro quadrado Porcentagem de trama Porcentagem de urdume Desperdício Cálculo das portadas Largura do rolo no tambor Largura do rolete ( abertura entre as flanges ) Número do pente condensador Largura das portadas Altura das facasMARCO FUZIWARA 26
  27. 27. Resolvendo:Cálculo dos fios de urdume 50 fios x 160 cm = 8000 fiosCálculo do numero do pente ( # )a. largura em pente 160 cm x 1,16 = 185,6 cmou 160 x ( 100 + 16 )Largura em # = = 185,6 cm 100b. número do pente 8000 fiosNúmero do # = = # 21,6 = # 21,5 185,6 cm x 2Cálculo do total de fios de urdume real 21,5 x 185,6 x 2 = 7980,8 fios = 7980 fios + 80 fios de ourela = 8060 fiosObs.: só acrescentamos metade da ourela, porque a outra metade já se encontra nosfios de fundo, visto que não diminuímos a largura da ourela da largura do fundo.Peso líquido do urdume 8060 fios x 1 x 1,123Peso liq. = = 301,71 g / m 30 NmResultado: peso líquido do urdume = 301,71 gramas / metros linearPeso bruto do urdume 301,71 g x 1,03 = 310,76 g / mResultado: peso bruto do urdume = 310,76 gramas / metro linearMARCO FUZIWARA 27
  28. 28. Peso líquido da trama 30 bat. x 185,6 cm x 400 denPeso liq. = = 247,47 g / m 9000Resultado: peso líquido da trama = 247,47 gramas / metro linearPeso bruto da trama 247,47 g / m x 1,05 = 259,84 g / mResultado: peso bruto da trama = 259,84 gramas / metro linearPeso do tecido por metro quadradoSoma-se o peso líquido do urdume ao peso líquido da trama; o resultado é o peso deum metro de comprimento por largura ( neste caso 1,60 m ).Querendo saber 1 m² 310,76 g/m + 247,47 g/m = 558,23 g/m linear de tecido 558,23 g/m x 100 cmPeso / m² = = 348,89 g / m² 160 cmResultado: peso / metro quadrado = 348,89 gramas / metro quadrado.Porcentagem do urdumePeso bruto do tecido ( urdume + trama ) = 310,76 g/m + 259,84 g/m = 570,6 g/m linearPeso líquido do urdume = 301,71 g/mResolvendo: 301,71 g/m x 100 %Porcentagem = = = 52,9 % 570,6 g/mResultado: porcentagem do urdume = 52,9 %MARCO FUZIWARA 28
  29. 29. OBS.: No caso de porcentagem sempre utilizaremos uma casa após a virgula,arredondada na segunda casa.Porcentagem da tramaPeso bruto do tecido ( urdume + trama ) = 310,76 g/m + 259,84 g/m = 570,6 g/m linearPeso líquido da trama = 247,47 g/mResolvendo: 247,47 g/m x 100 %Porcentagem = = = 43,4 % 570,6 g/mResultado: porcentagem da trama = 43,4 %OBS.: No caso de porcentagem sempre utilizaremos uma casa após a virgula,arredondada na segunda casa.DesperdícioPorcentagem do urdume = 52,9 %Porcentagem da trama = 43,4 %Resolvendo: 52,9 % + 43,4 % = 96,3 % 100 % - 96,3 % = 3,7 % de desperdícioResultado: o desperdício é de 3,7 %Cálculo das portadasPara achar o número de portadas a ser confeccionado, faz-se o seguinte: Identifica-se o número total de fios de urdume e a capacidade da gaiola, ou ainda a quantidade de cônicos disponíveis. Divide-se o total de fios de urdume pela capacidade da gaiola.Exemplo: 8060 total de fios de urdume 550 capacidade da gaiolaMARCO FUZIWARA 29
  30. 30. Resolvendo: 8060 = 14 portadas e sobram 360 fios 550 Neste caso, pode-se confeccionar 14 portadas de 538 fios e uma de 528 fios ou ainda10 portadas de 538 fios e 5 portadas de 536 fios. Sempre temos que aproximar o máximopossível o número de fios das primeiras portadas com a ultima(s). ou seja: 8060 = 537,3 fios aproximadamente 538 fios então teremos: 15 ( 538 x 14 ) + 528 = 8060 fios ou ( 538 x 10 ) + ( 536 x 5 ) = 8060 fios Para aumentar a produtividade, deve-se aproveitar, ao máximo, a capacidade dagaiola, levando em consideração a melhor condição de funcionamento da maquina ou sejacom qual número de cônicos carregados obtém-se a melhor eficiência e produtividade. Também procurar colocar o numero de cônicos na gaiola que de calculo exato, ou seja,evitar sobras que obriguem a fazer portadas pequenas e também evitar sobras de fio. OBS.: sempre deixar alguns cônicos de reserva em virtude do término de cônicos naelaboração do rolo. Estas alterações nas portadas só podem ser feitas quando o rolo deurdume tem apenas uma cor, pois quando este é listrado o numero de fios da portada deveser múltiplo da repetição. Largura do rolo no tambor A largura do rolo no tambor será a largura em pente ,acrescida de 1 ~ 5 cm Largura = 185,6 + 4 = 189,6 cm. Obs.: nos nossos exercícios sempreutilizaremos 4 cm a mais, sempre observar também para esta largura não ultrapassar alargura útil do tear. Deve-se verificar previamente se as flanges se fecham ate a largura desejada ( rolosestreitos ) e se abrem até a largura desejada ( rolos grandes ). Abertura das flanges no rolete A abertura das flanges deve ser igual a largura do rolo no tambor, a não ser que ocorraalgum erro na confecção das portadas. As experiências práticas facilitam a identificação da abertura ideal para as flanges. MARCO FUZIWARA 30
  31. 31. Número do pente ( # ) condensador 8060 fios Número do # = = 21,3 = # 21,5 189,6 cm x 2 fio/pua Resultado: o número do pente condensador é de 21,5 fios/cm Largura das portadas 538 fios Largura = = 12,5 cm e 21,5 fios/cm x 2 fio/pua 528 fios Largura = = 12,3 cm 21,5 fios/cm x 2 fio/pua ( 538 fios x 14 portadas ) + 528 fios = 8060 fios 1 ~ 14 = 12,5 x 14 = 175,0 cm 15 = 12,3 x 1 = 12,3 cm = 187,3 cm Obs.: podemos observar que a largura das portadas, deu menor que a largura do rolo,189,6 cm contra 187,3 cm, isto porque aumentamos o número do pente ao invés dediminui-lo, mas como está dentro do estabelecido podemos manter esta largura. Casofosse ao contrario teríamos que entortar o pente como veremos no próximo exemplo. Cálculo para achar altura das facas na urdideira Para trocar um artigo é necessário calcular a altura das facas na urdideira. As vezes énecessário alterar esta altura, para mais ou para menos. Fórmula e cálculo N x L h = Nm x V x E h = altura das facas L = comprimento da faca deitada V = distancia percorrida pelo carrinho em mm por volta do tambor E = coeficiente prático MARCO FUZIWARA 31
  32. 32. 7,5 - fios contínuos ( seda , poliester , poliamida , acetato , rayon )4,0 - fios tipo algodão ( poly/algodão, algodão puro , etc.. )3,0 - fios tipo lã ( poly/lã , rami , juta , linho , sisal , etc.. )N = fios por cm no roloNm = titulo métrico do fioExemplo:Fio 2 / 60 Nm poly / algodãoH = ?L = 60 cmV = 1 mmE = 4,0N = 538 fios / 12,5 cm = 43,0 fios / cmNm = 30 43,0 x 60 2580H= = = 23,8 cm 30 x 1 x 4 120Resultado: A altura da faca é de 23,8 cmEsta fórmula só é usada para título no sistema métrico. Em outro sistema como denier,dtex, tex, o título do fio deve ser transformado com base no sistema métrico.Obs.: Acabamos de ver um exemplo de um artigo cru, ou de apenas uma cor. Nopróximo exemplo, vamos trabalhar com um artigo de fio tinto e com isto vamosacrescentar mais alguns itens de cálculo.MARCO FUZIWARA 32
  33. 33. Análise de tecido para artigos de fio tintoFórmulas práticas de análise.Dados:Urdume . Fios por cm do urdume = 40 Título do urdume 40 / 1 Ne 100 % algodão Contração 10 % Perda 2 % Ourela = 40 fios cada lado 2 fios / pua no # do tear e condensador Capacidade da gaiola 650Trama . Batidas por cm = 28,4 Título da trama 40 / 1 Ne 50 % algodão / 50 % poliester Contração 6 % Perda 1,5% Largura do tecido cru com ourela = 165,3 cmDisposição dos fios de urdumeBranco 4 4 = 8Amarelo 2 = 2Azul 2 = 2 12 fiosDisposição dos fios de tramaBranco 4 4 = 8Amarelo 2 = 2Azul 2 = 2 12 fiosObs.: neste caso urdume e trama iguais.MARCO FUZIWARA 33
  34. 34. Calcular: Quantidade de fios de urdume Numero do pente Quantidade de fios de urdume real Simetria Peso líquido do urdume Peso bruto do urdume Peso líquido dos fios de trama Peso bruto dos fios de trama Total de fios por cor do urdume Peso por cor do urdume e trama Peso do tecido por metro quadrado Porcentagem de trama Porcentagem de urdume Desperdício Cálculo das portadas Largura do rolo no tambor Largura do rolete ( abertura entre as flanges ) Número do pente condensador Largura das portadas Altura das facas Cálculo da composição do tecidoResolvendo:Cálculo dos fios de urdume 40 fios x 165,3 cm = 6612 fiosCálculo do número do pente ( # )c. largura em pente 165,3 cm x 1,06 = 175,2 cmou 165,3 x ( 100 + 6 )Largura em # = = 175,2 cm 100d. número do pente 6612 fiosNúmero do # = = # 18,9 = # 19 175,2 cm x 2Resultado: número do # = 19MARCO FUZIWARA 34
  35. 35. Cálculo do total de fios de urdume real 19 x 175,2 x 2 = 6657,6 fios = 6658 fios + 40 fios de ourela = 6698 fiosObs.: só acrescentamos metade da ourela, porque a outra metade já se encontra nosfios de fundo, visto que não diminuímos a largura da ourela da largura do fundo.Então temos:6698 fios = 558,2 repetições12 fios de urd.( 12 x 558 ) + 2 = 6698 fios ( 2 fios que sobram é o término )6698 - 40 / 19 / 2 =175,2 cm confirmação da largura do pente através do número depuas.Resultado: total de fios reais = 6698 fiosSimetriaA simetria é formada por duas regras que são:Primeira: quando o término é maior do que a cor escolhida para centro de roloa) escolha um fio ou fios para centro de rolob) subtrai-se o termino dos fios escolhidos para centro de roloc) divide-se o resultado por 2d) inicia-se o desenho com a quantidade de fios encontrados a esquerda dos fios escolhidos para centro de rolo.Segunda: quando o término é menor do que a cor escolhida para centro de roloa) escolha um fio ou fios para centro de rolob) soma-se o término com os fios escolhidos para centro de roloc) divide-se o resultado por 2d) inicia-se o desenho com a quantidade de fios encontrados dentro dos fios escolhidos para centro de rolo.Obs.: quando o término for igual aos fios escolhidos para centro de rolo podemosutilizar qualquer uma das duas regras.Resolvendo:Primeiro : voltamos na disposição de fios de urdume e escolhemos os fios para centrode rolo, sempre devemos escolher uma cor que seja centro, ou seja, os fios do ladodireito e esquerdo sejam iguais.MARCO FUZIWARA 35
  36. 36. Regra número 1:a) 2 fios amarelob) 2 fios de término - 2 fios amarelos = 0 fiosc) 0 fios dividido por 2 = 0d) começar com 0 fios a esquerda da cor escolhida, como o resultado foi “ 0 “, iniciamos com os próprios fios escolhidos para centro.Então refazemos a disposição do urdume de forma correta. 2 TérminoBranco 4 4 = 8Amarelo 2 = 2Azul 2 = 2 12 fiosPeso líquido do urdume 6698 fios x 0,591 x 1,10Peso liq. = = 108,86 g / m 40 NeResultado: peso líquido do urdume = 108,86 gramas / metros linearPeso bruto do urdume 108,86 g x 1,02 = 111,04 g / mResultado: peso bruto do urdume = 111,04 gramas / metro linearPeso líquido da trama 28,4 bat. x 175,2 cm x 0,591Peso liq. = = 73,52 g / m 40 NeResultado: peso líquido da trama = 73,52 gramas / metro linearPeso bruto da trama 73,52 g / m x 1,015 = 74,62 g / mResultado: peso bruto da trama = 74,62 gramas / metro linearMARCO FUZIWARA 36
  37. 37. Total de fios por cor do urdumePara executarmos este cálculo utilizaremos novamente a disposição dos fios deurdume. 2 TérminoBranco 4 4 = 8 x 558 rep. = 4464 = 4464Amarelo 2 = 2 x 558 rep. = 1116 + 2 = 1118Azul 2 = 2 x 558 rep. = 1116 = 1116 12 fios 6698 fiosResolvendo:Como podemos observar acima, multiplicamos cada cor pelo raporte, somamos ate otérmino e totalizamos, tendo como somatório o total de fios de urdume.Peso por cor do urdumePara executarmos este cálculo utilizaremos também a disposição dos fios de urdume. 2 Término total de fios (K) total / corBranco 4 4 = 8 = 4464 x 0,016578 = 74,01Amarelo 2 = 2 = 1118 x 0,016578 = 18,53Azul 2 = 2 = 1116 x 0,016578 = 18,50 12 fios 6698 fios 111,04Resolvendo: 111,04 g/m = 0,016578 constante ( K ) 6698 fiosPeso por cor da tramaPara executarmos este cálculo utilizaremos a disposição dos fios de trama. (K) total / corBranco 4 4 = 8 x 6,218333 = 49,74Amarelo 2 = 2 x 6,218333 = 12,44Azul 2 = 2 x 6,218333 = 12,44 12 fios 74,62 g / mResolvendo: 74,62 g/m = 6,218333 constante ( K ) 12 fiosMARCO FUZIWARA 37
  38. 38. Peso do tecido por metro quadradoSoma-se o peso líquido do urdume ao peso líquido da trama; o resultado é o peso deum metro de comprimento por largura ( neste caso 1,60 m ).Querendo saber 1 m² 108,86 g/m + 73,52 g/m = 182,38 g/m linear de tecido 182,38 g/m x 100 cmPeso / m² = = 110,33 g / m² 165,3 cmResultado: peso / metro quadrado = 110,33 gramas / metro quadrado.Porcentagem do urdumePeso bruto do tecido ( urdume + trama ) = 111,04 g/m + 74,62 g/m = 185,66 g/m linearPeso líquido do urdume = 108,86 g/mResolvendo: 108,86 g/m x 100 %Porcentagem = = = 58,6 % 185,66 g/mResultado: porcentagem do urdume = 58,6 %OBS.: No caso de porcentagem sempre utilizaremos uma casa após a vírgula,arredondada na segunda casa.Porcentagem da tramaPeso bruto do tecido ( urdume + trama ) = 111,04 g/m + 74,62 g/m = 185,66 g/m linearPeso líquido da trama = 73,52 g/mResolvendo: 73,52 g/m x 100 %Porcentagem = = = 39,6 % 185,66 g/mResultado: porcentagem da trama = 39,6 %OBS.: No caso de porcentagem sempre utilizaremos uma casa após a vírgula,arredondada na segunda casa.MARCO FUZIWARA 38
  39. 39. DesperdícioPorcentagem do urdume = 58,6 %Porcentagem da trama = 39,6 %Resolvendo: 58,6 % + 39,6 % = 98,2 % 100 % - 98,2 % = 1,8 % de desperdícioResultado: o desperdício é de 1,8 %Cálculo das portadasPara achar o número de portadas a ser confeccionado, faz-se o seguinte: Identifica-se o número total de fios de urdume e a capacidade da gaiola. Divide-se a capacidade da gaiola pelo raporte ou padrão, com isto verificaremos a quantidade de repetições do raporte que cabe na gaiola.Exemplo: 6698 total de fios de urdume 650 capacidade da gaiola 12 fios raporteResolvendo:650 = 54,2 repetições do raporte cabe na gaiola 12 12 fios x 54 = 648 fios por portada6698 = 10,3 portadas. Então teremos: 648( 648 x 10 ) + 218 = 6698 fiosPodemos observar que a última portada ficou com uma quantidade muito pequena defios, e quando for possível temos que melhorar esta condição. Da seguinte forma:MARCO FUZIWARA 39
  40. 40. 648 fios -------- 10,3 portadas X = 648 x 10,3 = 606,8 fios = 612 fios x fios -------- 11 portadas 11 Analisando: a) A regra de três é diretamente proporcional b) De 606,8 fios tivemos que arredondar para 612 fios, isto porque o total de fios da portada tem que ser múltiplo do raporte. c) Podemos ainda ir tirando raporte da portada e calculando ate encontrar-mos o numero ideal de fios para a portada. Definido o total de fios da portada recalculamos. 612 = 51 repetições do raporte na gaiola 12 12 fios x 51 = 612 fios por portada 6698 = 10,9 portadas. Então teremos: 612 ( 612 x 10 ) + 578 = 6698 fios Para aumentar a produtividade, deve-se aproveitar, ao máximo, a capacidade dagaiola, levando em consideração a melhor condição de funcionamento da maquina ou sejacom qual número de cônicos carregados obtém-se a melhor eficiência e produtividade. Também procurar colocar o número de cônicos na gaiola que de cálculo exato, ou seja,evitar sobras que obriguem a fazer portadas pequenas e também evitar sobras de fio. OBS.: sempre deixar alguns cônicos de reserva em virtude do término de cônicos naelaboração do rolo. Estas alterações nas portadas só podem ser feitas quando o rolo deurdume tem apenas uma cor, pois quando este é listrado o numero de fios da portada deveser múltiplo da repetição. Largura do rolo no tambor A largura do rolo no tambor será a largura em pente ,acrescida de 1 ~ 5 cm Largura = 175,2 + 4 = 179,2 cm. Obs.: nos nossos exercícios sempreutilizaremos 4 cm a mais, sempre observar também para esta largura não ultrapassar alargura útil do tear. Deve-se verificar previamente se as flanges se fecham ate a largura desejada ( rolosestreitos ) e se abrem ate a largura desejada ( rolos grandes ). MARCO FUZIWARA 40
  41. 41. Abertura das flanges no rolete A abertura das flanges deve ser igual a largura do rolo no tambor, a não ser que ocorraalgum erro na confecção das portadas. As experiências praticas facilitam a identificação da abertura ideal para as flanges. Numero do pente ( # ) condensador 6698 fios Numero do # = = 18,7 = # 18,5 179,2 cm x 2 fio/pua Resultado: o número do pente condensador é de 18,5 fios/cm Largura das portadas 612 fios Largura = = 16,5 cm e 18,5 fios/cm x 2 fio/pua 578 fios Largura = = 15,6 cm 18,5 fios/cm x 2 fio/pua ( 612 fios x 10 portadas ) + 578 fios = 6698 fios 1 ~ 10 = 16,5 x 10 = 165,0 cm 11 = 15,6 x 1 = 15,6 cm = 180,6 cm Obs.: podemos observar que a largura das portadas, foi maior que a largura do rolo,180,6 cm contra 179,2 cm, isto porque diminuímos o número do pente ao invés deaumenta-lo, com isto temos que entortar o pente para chegarmos na largura desejada. Resolvendo: 180,6 cm - 179,2 cm = 1,4 cm de diferença 1,4 cm = 0,13 cm / portada 11 portadas Resultado: devemos entortar 0,1 cm por portada ( 612 fios x 10 portadas ) + 578 fios = 6698 fios 1 ~ 10 = 16,4 x 10 = 164,0 cm 11 = 15,5 x 1 = 15,5 cm = 179,5 cm MARCO FUZIWARA 41
  42. 42. Cálculo para achar altura das facas na urdideira Para trocar um artigo é necessário calcular a altura das facas na urdideira. As vezes énecessário alterar esta altura, para mais ou para menos. Fórmula e cálculo N x L h = Nm x V x E h = altura das facas L = comprimento da faca deitada V = distância percorrida pelo carrinho em mm por volta do tambor E = coeficiente prático 7,5 - fios contínuos ( seda , poliester , poliamida , acetato , rayon ) 4,0 - fios tipo algodão ( poly/algodão, algodão puro , etc.. ) 3,0 - fios tipo lã ( poly/lã , rami , juta , linho , sisal , etc.. ) N = fios por cm no rolo Nm = título métrico do fio Exemplo: Fio Ne 40/1 poly / algodão H = ? L = 60 cm V = 1 mm E = 4,0 N = 612 fios / 16.4 cm = 37,3 fios / cm Nm = 67,7 MARCO FUZIWARA 42
  43. 43. 37,3 x 60 2238 H= = = 8,3 cm 67,7 x 1 x 4 270,8 Resultado: A altura da faca é de 8,3 cm Esta formula só é usada para título no sistema métrico. Em outro sistema como denier,dtex, tex, o título do fio deve ser transformado com base no sistema métrico. Composição do tecido O nome já diz, são os materiais que compõem o tecido produzido, o resultado destecálculo é o que ira constar na etiqueta do produto final. Exemplo: Fio do urdume - Ne 40/1 100% algodão Fio da trama - Ne 40/1 50 % algodão / 50 % poliester Peso líquido do urdume - 108,86 g/m Peso líquido da trama - 73,52 g/m Resolvendo: 108,86 g/m + 73,52 g/m = 182,38 g/m a) Qual o peso de cada material dentro do urdume e da trama Urdume: 108,86 g -------- 100 % X = 108,86 x 100 =108,86 g de CO x g -------- 100 % CO 100 Obs.: no caso do urdume o peso total é de apenas um material Trama: 73,52 g -------- 100 % X = 73,52 x 50 =36,76 g de CO x g -------- 50 % CO 100 73,52 g -------- 100 % X = 73,52 x 50 =36,76 g de PES X g -------- 50 % PES 100 NO caso da trama o peso ficou divido metade CO e metade PES. MARCO FUZIWARA 43
  44. 44. Então teremos em nosso tecido: urdume tramaAlgodão 108,86 g + 36,76 = 145,62 gPoliester 36,76 = 36,76 g182,38 g -------- 100 % X = 145,62 x 100 =79,8 % de CO145,62 g -------- x % CO 182,38182,38 g -------- 100 % X = 36,76 x 100 =20,2 % de PES 36,76 g -------- x % PES 182,38Resultado: o tecido é composto de 79,8 % de CO e 20,2 % de PES.Resumo das fórmulas práticas para análise de tecidos1. Cálculo dos fios de urdume fios / cm x largura do tecido cru2. Cálculo do numero do # a ) largura em # largura do tecido cru x % de encolhimento da trama b ) número do # Total de fios Número do # = Larg. Em # x fios/pua3. Cálculo do total de fios de urdume real ( Número do # x largura em # x fios/pua ) + metade da ourela caso houver Forma de representação do total de fios: ( total de fios do raporte x numero de repetições ) + termino = total de fiosMARCO FUZIWARA 44
  45. 45. 4. SimetriaA simetria é formada por duas regras que são:Primeira: quando o término é maior do que a cor escolhida para centro de roloa) escolha um fio ou fios para centro de rolob) subtrai-se o termino dos fios escolhidos para centro de roloc) divide-se o resultado por 2d) inicia-se o desenho com a quantidade de fios encontrados a esquerda dos fios escolhidos para centro de rolo.Segunda: quando o término é menor do que a cor escolhida para centro de roloa) escolha um fio ou fios para centro de rolob) soma-se o término com os fios escolhidos para centro de roloc) divide-se o resultado por 2d) inicia-se o desenho com a quantidade de fios encontrados dentro dos fios escolhidos para centro de rolo.Obs.: quando o término for igual aos fios escolhidos para centro de rolo podemosutilizar qualquer uma das duas regras.5. Peso líquido do urdume a ) sistema indireto Total de fios x K x % enc. Urd. Peso liq. = Titulo do urdume b ) sistema direto Total de fios x tit.urd. x % enc. Urd. Peso liq. = K6. Peso bruto do urdume Peso bruto = peso líquido do urdume x % de perda do urdumeMARCO FUZIWARA 45
  46. 46. 7. Peso líquido da trama a ) sistema indireto Bat. / cm x larg. em # x K Peso liq. = Titulo da trama b ) sistema direto Bat. / cm x larg. em # x tit. trama. Peso liq. = K8. Peso bruto da trama Peso bruto = peso líquido da trama x % de perda da trama9. Peso do tecido por metro quadrado a ) peso líquido do tecido peso líquido do urdume + peso líquido da trama b) peso por metro quadrado Peso líquido do tecido x 100 cm Peso / m² = Largura do tecido cru10. Porcentagem do urdume Peso líquido do urdume x 100 % % = Peso bruto urdume + peso bruto tramaMARCO FUZIWARA 46
  47. 47. 11. Porcentagem da trama Peso líquido da trama x 100 % % = Peso bruto urdume + peso bruto trama 12. Desperdício 100 % - ( % do urdume + % da trama ) 13. Cálculo das portadas .a ) para fios de urdume de uma só cor Total de fios de urdume Capacidade da gaiola b) para fios de urdume de várias cores Capacidade da gaiola = número de repetições na gaiola Raporte ou padrão Raporte x resultado anterior ( parte inteira ) = total de fios da portada Total de fio de urdume = número de portadas Total de fios da portada 14. Largura do rolo no tambor Largura do tecido em # + ( 2 ~ 5 cm ) 15. Largura do rolete ( abertura entre as flanges ) A abertura das flanges deve ser igual a largura do rolo no tambor, a não ser que ocorraalgum erro na confecção das portadas. As experiências práticas facilitam a identificação da abertura ideal para as flanges. MARCO FUZIWARA 47
  48. 48. 16. Número do # condensador Total de fios Número do # = Largura do rolo no tambor x passamento em #17. Largura das portadas Número de fios da primeira portada Largura portada = Número do # condensador x fios / pua no # condensador18. Altura das facas N x L h = Nm x V x E Onde: h = altura das facas L = comprimento da faca deitada V = distância percorrida pelo carrinho em mm por volta do tambor E = coeficiente pratico 7,5 - fios contínuos ( seda , poliester , poliamida , acetato , rayon ) 4,0 - fios tipo algodão ( poly/algodão, algodão puro , etc.. ) 3,0 - fios tipo lã ( poly/lã , rami , juta , linho , sisal , etc.. ) N = fios por cm no rolo Nm = título métrico do fioMARCO FUZIWARA 48
  49. 49. 19. Composição do tecido Fio do urdume - 100% algodão Fio da trama - 50 % algodão / 50 % poliester Peso líquido do urdume - g/m Peso líquido da trama - g/mResolvendo:Peso liq. do urd. g/m + peso liq. da tr. g/m = peso do tecido g/m lineara) Qual o peso de cada material dentro do urdume e da tramaUrdume:Peso liq. urd. -------- % 100 X = Peso liq. urd. x % CO = Peso de CO x g --------% CO 100Obs.: no caso do urdume o peso total é de apenas um materialTrama:Peso liq. tr. -------- % 100 X = Peso liq. tr. x % CO = Peso de CO x g ----- % CO 100Peso liq. tr. -------- % 100 X = Peso liq. tr. x % PES = Peso de PES X g ---- % PES 100NO caso da trama o peso ficou divido metade CO e metade PES.Então teremos em nosso tecido: urdume tramaAlgodão peso de CO + peso de CO = peso total de COPoliester peso de PES = peso total de PESPeso g/m linear ------ 100 % X= Total de CO x 100 = % de COTotal peso de CO ----- x % CO Peso g/m linear do tecidoPeso g/m linear ------ 100 % X = Total de PES x 100 = % de PES Total peso PES ------ x % PES Peso g/m linear do tecidoResultado: o tecido é composto de X % de CO e X % de PESMARCO FUZIWARA 49
  50. 50. Fator de conversão para a troca de títulosExemplo:Urdume Ne 40 com densidade de 45 fios por cmTrama Ne 40 com densidade de 28 fios por cmSe fossemos utilizar fio Ne 30 quais seriam as densidades ideais?Resolvendo: 45 45 7,12 x 5,47 = 38,9 URD. = = 7,12 40 6,32 30 = 5,47 28 28 4,43 x 5,47 = 24,2 TR. = = 4,43 40 6,32Como podemos observar chegamos ao seguinte resultado:Urdume Ne 30 com densidade de 38.9 fios por cmTrama Ne 30 com densidade de 24.2 fios por cmFormulas gerais para cálculos de produção RPM x 60 x EficiênciaProd. m / h ( 1 tear ) = Trama / cm x 100Prod. mensal ( 1 tear ) = Prod. m / h ( 1 tear ) x h / dia x dias / mêsProd. mensal ( tecelagem ) = Prod. mensal ( 1 tear ) x Numero de teares RPM x 60 x Eficiência x h / dia x dias / mês x Numero de tearesProd. total = Trama / cm x 100 Prod. total x Trama / cm x 100Numero de teares = RPM x 60 x eficiência x h / dia x dias / mêsMARCO FUZIWARA 50
  51. 51. Obs.: nas formulas onde utiliza-se a eficiência, esta deve ser indicada com seu valordividido por 100. Ex.: 95 % = 0,95.Consumo de trama = RPM x largura em # ( larg. em “ m “ ) ( m / min. )Consumo da trama = RPM x largura em # ( larg. em “ m “ ) x 60 x Eficiência ( m/h)Cons. tr. Total (S. I.) RPM x larg. # ( “ m “ ) x 60 x Efic. x h/dia x dias/mês x N.º teares x K = ( KG / Mês ) Titulo x 1000Cons. tr. Total (S. D.) RPM x larg. # ( “ m “ ) x 60 x Efic. x h/dia x dias/mês x N.º teares x Tit. = ( KG / Mês ) K x 1000Consumo trama total Produção mensal x Peso / m linear da trama = ( KG / Mês ) 1000Obs.: na largura em pente para o calculo de consumo de trama, não devemosesquecer de incluir o comprimento de fio que vai ate a ourela falsa, nos teares depinça, projetil e jato de ar e água.Cons. total urdume ( S. I. ) Produção mensal x total de fios x contração x K = ( KG / Mês ) Titulo x 1000Cons. total urdume ( S. D. ) Produção mensal x total de fios x contração x Titulo = ( KG / Mês ) K x 1000Consumo total urdume Produção mensal x Peso / m linear do urdume = ( KG / Mês ) 1000Capacidade urdideira Total de fios do rolo x 0,591 x Eficiência x 60 x velocidade = ( Kg / maq. / h ) Titulo ( Ne ) x 1000Capacidade engomadeira Total de fios x 0,591 x Eficiência x 60 x velocidade = ( Kg / maq. / h ) Titulo ( Ne ) x 1000MARCO FUZIWARA 51

×