O slideshow foi denunciado.

Arte nova 2_-2

269 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Arte nova 2_-2

  1. 1. Arte Nova |História e Cultura das Artes 11º Ano Carla Favinha | Nº8 Diana Lobinho |Nº10
  2. 2. Arte Nova |Introdução • Surgiu nos finais do século XIX (1880-090) e entrou em declínio no século XX (1905-14). • Ficou marcado pela rotura da tradição. • Foi influenciada pelo Modernismo, então ficou integrada no movimento cultural e atingiu todas as artes. • Era uma arte com um significado bastante controverso e diferente. • Conseguiu dispersar-se por vários países como a Inglaterra, a França, Alemanha, Bélgica, Áustria, Itália, Espanha, entre outros. Linhas sinuosas e o uso do ferro fundido
  3. 3. Arte Nova | Belle Époque • Belle Époque signicava um momento feliz com grandezas e desenvolvimentos • Existência de melhores condições de vida • Maior preocupação com a Cultura e com a Arte. • Altura em que a industria atingiu o seu apogeu. • Europa produziu uma enorme riqueza. • As classes média e alta investiam em pequenos objectos decorativos para poderem afirmar a sua posição social. • Devido às exposições mundiais que ocurreram nesta época, a arte nova conseguiu dispersar-se por vários pontos da europa. • A arte nova trouxe-nos melhoria nas vias de transporte, comunicação e trocas comerciais entre os países. Vidros excessivamente decorados Linhas sinuosas
  4. 4. Arte Nova | Modernismo • Modernismo foi integrado na Arte Nova. • Modernismo atingiu todas as artes e ficou marcado pela rotura da tradição na procura de novas expressões sejam elas formais, técnicas ou estéticas. • Modernismo oponha-se às artes académicas tradicionas, procurava a inovação e a criação descomprometida. • Acompanhou o desenvolvimento cientifico e tecnologico desta época. Alphonse Mucha, calendario La Plume
  5. 5. Arte Nova | Designações • A arte nova foi uma grande de grande expressão, era bastante controversa. • Uniu-se a difererntes cunhas individuais, ou seja, uniu-se a artistas por conta propria, a diferentes escolas e diferentes designações. • Designações: - Inglaterra: modern style; - França e na Bélgica: art nouveau; - Alemanha: jugendstile; - Austria: sezession; -Italia: floreale - EUA: liberty -Espanha simplesmente modernismo. • Esta arte trabalhou sempre sob 3 princípios unificadores. Varandas com ferro fundido e motivos vegetalistas Painéis vegetalistas e naturalistas Grandes janelões modernos
  6. 6. Grande eclectismo de estilos Arte Nova em França Linhas sinuosas com grandes varandões Arte nova em Portugal
  7. 7. Arte Nova | Principios Unificadores • A arte nova esteve sobre 3 princípios unificadores. • Primeiro unificador: - inovação formal: - trabalhava-se uma grande criatividade e originalidade; - rejeitava-se os estilos históricos, académicas e revivalistas desta época; - usava-se formas inspiradas na Natureza (fauna e flora) e no homem; - usava-se estruturas e texturas orgânicas e movimentos sinuosos e encadeados; - usava-se linhas e formas estilizadas, sintetizadas ou geometrizadas. Formas inspiradas na Natureza Criatividade originalidade
  8. 8. Arte Nova | Principios Unificadores • A arte nova esteve sobre 3 princípios unificadores. • Segundo unificador: - processo: - integrava-se novas técnicas; - integrava-se novos materiais: ladrilho, ferro, cozido, betão e outros; - retirava-se as qualidades dos materiais como a sua maleabilidade, resistência, eficácia e o seu sentido plástico;
  9. 9. Arte Nova | Principios Unificadores • A arte nova esteve sobre 3 princípios unificadores. • Terceiro unificador: - nova estética: -expressava-se através da linha sinuosa, flexível, estilizada, elástica ou geométrica; - procurava-se movimento, ritmo, expressão e simbolismo poético; - apelava-se à sensibilidade estética e à fantasia do espectador; Linha sinuosa Linha estilizada e geométrica
  10. 10. Arte Nova | Características • Exprimi-a a modernidade da época onde a estética, a técnica, a tradição e a inovação se misturavam. • Deu menos valor às tradições históricas e eclécticas da arquitectura académica, da antiga; • Foi o primeiro estilo a juntar as técnicas construtivas da engenharia da sua época, com as exigências formais e estéticas dos arquitectos. • Foram usados os mesmos sistemas, técnicas e materiais que utilizaram os engenheiros pois fáceis de moldar e maleáveis. • Era constituída por plantas amplas livres e amplas dando uma noção de continuidade, volumes irregulares e assimétricos, superfícies sinuosas e fachadas com vidro.
  11. 11. Arte Nova | Características • A nível estético reforçou o império ornamental, quer no interior como no exterior; • A exuberância, volumetria, estilização e expressividade dependiam muito dos arquitectos e ‘‘escolas’’; • Não existiu qualquer tipo de inferência em relação à estrutura edificativa, tendo sido aproveitada pela aliança entre a função e a forma.
  12. 12. Arte Nova | 1º Estilo inovador do século XIX • A Arte Nova foi o 1º estilo inovador do séc. XIX porque: - foi uma arte eclesiástica, em termos formais e estéticos. - conseguiu unir as técnicas construtivas da engenharia com as exigências formais e estéticas dos arquitectos. - devido à Revolução Industrial que se gerou na Europa. • Esta arquitectura rapidamente se espalhou por outras zonas do Mundo, como a Bélgica, os EUA, Portugal, França, devido à fácil utilização e manejamento, rapidez na construção e também devido à economia dos produtos. Contudo, foi um estilo que se foi espalhando gradualmente e que se foi impondo a partir de um novo objectivo estético, na sua forma e função.
  13. 13. Arte Nova | Tipos de construções e funções • A arte nova foi utilizada principalmente em tipologias urbanas, como prédios, moradias, hotéis, bancos, lojas, teatros, museus, igrejas e estações de comboio, com função predominantemente decorativa. • Embora cada país e arquitecto tivesse a sua tendência e influência, na generalidade existiram duas tendências: - primeira: aplicação dos novos materiais e sistemas construtivos (temas naturalistas e formas curvilíneas); - segunda: utilização de uma vertente mais racionalista, apoiada na estrutura, nas formas geométricas e na ornamentação, embora com menos impacto que as outras.
  14. 14. • A Bélgica foi o país onde surgiu o primeiro foco de Arte Nova; • A sua arquitetura era simples e sóbria, as fachads tinham grandes janelões, os interiores eram funcionais e espaçosos e a decoração estava integrada na estrutura dos edificios; • Surgiram então os dois primeiros arquitectos com destaque nesta arte: Victor Horta – Casa do Povo (1897) e Henry van de Velde – Casa Bouquete de Fleurs (1895 – 96). Arte Nova | Bélgica
  15. 15. • Em França houve uma grande preocupação em relação à forma e à decoração; • As suas tendencias eram principalmente vegetalistas e estavam sempre em harmonia com o meio urbano em que se integravam; • Como exemplo de arquitectos desta arte temos o Hector Guimard – Castel Béranger (1884 – 88). Arte Nova | França
  16. 16. • O Modernismo em barcelona esteve muito associado às escolas belgas e francesas pela sua ornamentação e estrutura arquitetónica; • Esta arte destingui-se pelos sistemas técnicos, simplicidade e pelo uso de materiais locais; • Era constituida por heranças góticas e mudéjar, organicidade, decoração naturalista e pitoresca; • Os materiais utilizados eram principalmente o betão, o ferro, o vidro e a madeira; • As obras arquitetónicas earm caracterizadas por serem muito excentricas e expressivas; • Como exemplo temos os arquitectos Luís Montaner – Palácio da Música Catalã (1905 – 08) e Antoní Gaudí – Catedral da Sagrada Família (1883 – 1926). Arte Nova |Espanha - Barcelona
  17. 17. • O modernismo na Escócia foi diferente do catalão, mas de certo modo original à sua maneira; • A sua arquitectura esteve assente em estruturas ortogonais de ferro, em paredes lisas e de pedra, em superficies envidraçadas e na decoração contida; • Como exemplo da arte modena na Escócia temos o arquitecto e designer Mackintosh e a Escola de Glasgow. Arte Nova |Escócia
  18. 18. • A moderna austriaca, foi muito influenciada pelo arquitecto e designer Mackintosh pelo seu sentido estrutural; • Foi atrvés de um grupo de jovens artistas, opositores aos revivalismos das artes acdémicas e defensores da inovação, que se impos esta arte; • Os seus principios arquitéctónicos foram a simplicidade, o geometrismo das formas, a simetria, a racionalidade, a funcionalidade e a decoram contida; • Como exemplo temos o pintor Gustave Klimt, o arquitecto Joseph Hoffmann, J. Maria Ölbrich e Otto Wagner. Arte Nova |Áustria
  19. 19. • Na Alemanha a Arte Nova esteve presente na criação dos Ateliers Artesanais, situados no centro e arredores da Alemanha; • Estes ateliers artesanais serviam para albergar as obras dos artistas, sendo o Atelier Elvira um dos mais conhecidos deste país; • A Escola de Artes Plásticas de Weimar e a de Deutscher Werkbund, são obras arquitectónicas que serviram de veículo à escola de Bauhaus, que por sua vez desenvolveu o design industrial. Arte Nova |Alemanha
  20. 20. • A Arte Nova em Chicago, teve um caracter mais estruturalista; • Houve a necessidade de renovar o centro urbano e para isso foram aplicados novos sistemas de alicerçamento, cimentação, resistencia, isolamento, aperfeiçoaram as estruturas em ferro e aço, revestiram as fachadas com vidro e tornaram as plantas mais livres; • Inovaram os sistemas de acondicionamento, manutanção, canalização; • Foi atraves da modernidade dos sistemas e das técnicas, deste país, que foi possivel a construção em altura, criando assim os arranha-céus. Arte Nova |Estados Unidos – Chicago
  21. 21. • Em Nova Iorque foi fundada, por Louis Comfort Tiffany, uma empresa produtora de vidros; • Esses vidros eram e coloridos e tinham uma função decorativa; • O tema principal era as plantas, os insectos e os animais, reveladores de influencias naturalistas. Arte Nova |Estados Unidos – Nova Iorque
  22. 22. • Em Portugal a Arte Nova, foi pouco duradora e chegou tardiamente; • Foi influenciada por toda a Europa, mas com mais incidencia na França; • Não possuia um estilo proprio e inovou-se em termos de materiais, técnicas e decoração; • Foi usada nas fachads e em portões, gradeamentos, em esculturas, molduras de janelas e de portas; • Muito comum em prédios urbanos, teatros, cafés, lojas, restaurantes, entre outros. Arte Nova |Portugal

×