Colaboração em software de
código aberto: um framework
para análise em redes sociais
Aluno: William Horta Rufino da Si...
Introdução
2
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes sociais
William Rufino
Introdução
• Repositórios de software não são utilizados para
tomadas de decisão. (HASSAN,2008)
• Um problema que atinge o...
Introdução – Análise em Redes
Sociais
• Descobrir padrões e comunidades
• Detectar anormalidades
• Prever tendências
Willi...
Problema
• Diante dessa situação, surge a seguinte
pergunta: quais são os componentes de
um arcabouço conceitual que p...
Objetivo Geral
• O objetivo geral do trabalho é propor um
arcabouço conceitual para análise de
redes sociais sobre base...
Objetivos Específicos
1. Identificar os componentes necessários
para construção do arcabouço conceitual.
2. Propor um ...
Web Semântica
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes sociais
8
Exemplo de tripla RDF
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes soci...
Redes
Uma rede, em sua forma mais
simples, é uma coleção de pontos
ligados em par por linhas
(NEWMAN, 2010).
William Ru...
Redes Sociais
Uma rede social acontece quando
há interação social entre
indivíduos, como em uma amizade,
casamento ou ...
Métricas
• Intermediação (Betweeness)
• Autovetor (Eigenvector)
• Aglomeração (Cluster)
William Rufino
Colaboração em so...
Aplicações de ARS na engenharia de
software
Fonte de dados para ARS
0
1
2
3
4
5
6
7
8
9
Bug Controle de
Versão
Lista de E-...
Metodologia
Abordagem Qualitativa
Tipo Explicativa
Método Experimental
Natureza Pesquisa Aplicada
Validação Avaliação - Pr...
Origem dos Dados
SeCold
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes so...
Origem dos Dados
Projeto Chromium
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise e...
Arcabouço Conceitual
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes socia...
Implementação
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes sociais
18
Validação
• Dados sobre bugs.
• Segundo tipo mais utilizado segundo
revisão sistemática da literatura.
William Rufino
Cola...
Validação – Caso 1
Um usuário está conectado a outro
usuário caso os dois tenham feito
algum comentário em um bug
comum.
W...
Validação – Caso 2
Combinação de comentários por
palavras-chave através da API
AlchemyAPI.
Dois comentários com a mesma
pa...
Rede gerada – Caso 1
willchan@chromium.org
wtc@chromium.org
mbel...@chromium.org
brycesto...@gmail.com
or...@chromium.org
...
Comunidades da Rede
willchan@chromium.org
wtc@chromium.org
mbel...@chromium.org
brycesto...@gmail.com
or...@chromium.org
b...
Nós com maior relevância
willchan@chromium.org
wtc@chromium.org
mbel...@chromium.org
brycesto...@gmail.com
or...@chromium....
Por que Autovetor e não grau?
• Nós que tenham conexão a nós mais
relevantes são mais relevantes que nós
que tenham conexõ...
Intermediação
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes sociais
26
Por que Intermediação?
• Um ator com alta intermediação pode
controlar o fluxo de colaboração.
• Alta intermediação signif...
Intermediação por Autovetor
Quem serve de ponto e é relevante...
0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0
050010001500
Eigenvector Centrali...
Intermediação por Autovetor
Quem serve de ponto e é relevante...
0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0
050010001500
Eigenvector Centrali...
Rede Gerada – Caso 2
j...@chromium.org
niran...@chromium.org
gwil...@chromium.org
dglazkov@chromium.org
johnbeav...@gmail....
Comunidades da Rede
j...@chromium.org
niran...@chromium.org
gwil...@chromium.org
dglazkov@chromium.org
johnbeav...@gmail.c...
Nós com maior relevância
willchan@chromium.org
wtc@chromium.org
mbel...@chromium.org
brycesto...@gmail.com
or...@chromium....
Intermediação
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework para análise em
redes sociais
33
Intermediação por Autovetor
Quem serve de ponto e é relevante...
0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0
0100200300
Eigenvector Centrality...
Intermediação por Autovetor
Quem serve de ponto e é relevante...
0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0
0100200300
Eigenvector Centrality...
Estudo da Colaboração
• Identificação de principais atores.
• Identificação de comunidades dentro da
rede.
• Identificação...
Objetivos Alcançados
Identificar os componentes
necessários para construção do
arcabouço conceitual.
Revisão da litera...
Considerações Finais
A construção do arcabouço para esse experimento mostra
que as bases de dados em linked data podem ser...
Obrigado!
William Rufino
williamhrs@gmail.com
William Rufino
Colaboração em software de código
aberto: um framework par...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais

401 visualizações

Publicada em

Apresentação da defesa de dissertação do projeto "Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais "

Publicada em: Software
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
401
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • No mundo dos softwares de código aberto, são criados dados sobre os artefatos de software, que incluem de código fonte até documentação. Esses dados geram um valor agregado ao ecossistema em que estão incorporados, envolvendo dos desenvolvedores, testadores e analistas até os usuários e empresas que fazem o uso desses sistemas (HASSAN, 2008).
  • A Análise em Redes Rociais (ARS) está sendo amplamente utilizada em diversos tipos de redes mundo afora.
    Com base em um modelo de grafo, pode-se desencadear uma variedade de técnicas para descobrir padrões e comunidades, detectar anormalidades e valores discrepantes ou prever tendências (BHATTACHARYA et al., 2012).
  • Web de dados, também conhecida como Web Semântica (HEATH; BIZER, 2011), é uma forma para gerar conhecimento e valor a partir de dados. A Web Semântica não é uma web separada, e sim uma extensão da Web atual, na qual as informações estão em um formato bem definido, habilitando computadores e pessoas a colaborarem (BERNERS-LEE; HENDLER; LASSILA, 2001). A proposta é trazer estrutura e significado para as páginas Web, criando um ambiente em que agentes de software, passando de página, em página possam executar tarefas sofisticadas para os usuários (BERNERS-LEE; HENDLER; LASSILA, 2001).

    URI (Uniform Resource Description Framework ): É um endereço único da internet para identificação de cada recurso disponível, como, por exemplo, uma página Web ou uma pessoa.
    UNICODE: É o conjunto de caracteres utilizado, que permite a representação e manipu- lação de várias línguas. A Web Semântica também pode utilizar várias línguas humanas.
    XML: Linguagem de marcação que permite a criação de documentos que contêm dados estruturados.
    RDF: É um modelo de dados para criar declarações. Ela permite representar informações de recursos no formato de triplas.
    RDFS: É um vocabulário básico para RDF que permite a criação de hierarquia entre classes e propriedades.
    Ontologia/OWL: Uma extensão do RDFS permitindo a criação de construtos avançados para descrever semântica de declarações RDFS. É baseado em lógicas descritivas e traz o poder de raciocínio para a Web Semântica.
    Consulta/SPARQL: É a linguagem de busca para RDF. Pode ser utilizada para busca em qualquer dado RDF. Seu uso é necessário para recuperação de informação em aplicações da Web Semântica.
    Criptografia: Para garantir que as declarações estão vindo de uma fonte confiável, pode ser conseguida por meio de assinaturas digitais ou declarações RDF.
    Regras/RIF:Trarásuportearegras.Estacamadaéimportanteporexemploparadescrever relações que não podem ser representadas diretamente com OWL.
    Lógica: É a camada responsável pelo raciocínio e inferência a partir de semântica.
    Confiança/Prova: É a camada em que acontece a avaliação de confiabilidade dos dados providos.
    Interface: É a camada final em que acontece a interação entre as pessoas e a Web Semân- tica por meio de aplicações.
  • Definir arcabouço.
  • Aglomerização
  • Cores mais vivas. Mudanças de cores.
  • Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais

    1. 1. Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais Aluno: William Horta Rufino da Silva Orientador: Prof. Dr. Orlando Abreu Gomes Coorientador: Prof. Dr. Fernando Silva Parreiras Linha de Pesquisa: Sistemas de Informação.
    2. 2. Introdução 2 Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais William Rufino
    3. 3. Introdução • Repositórios de software não são utilizados para tomadas de decisão. (HASSAN,2008) • Um problema que atinge o desenvolvimento de software como um todo é a quantidade de projetos que falham ou são entregues fora do prazo, causando prejuízos na escala de bilhões no mundo todo. (CHARETTE, 2005) William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 3
    4. 4. Introdução – Análise em Redes Sociais • Descobrir padrões e comunidades • Detectar anormalidades • Prever tendências William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 4
    5. 5. Problema • Diante dessa situação, surge a seguinte pergunta: quais são os componentes de um arcabouço conceitual que permitem a criação e análise de redes sociais em linked data sobre engenharia de software? William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 5
    6. 6. Objetivo Geral • O objetivo geral do trabalho é propor um arcabouço conceitual para análise de redes sociais sobre bases de dados abertos e vinculados de engenharia de software. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 6
    7. 7. Objetivos Específicos 1. Identificar os componentes necessários para construção do arcabouço conceitual. 2. Propor um arcabouço conceitual. 3. Construir consultas a fim de extrair os dados e montar a(s) rede(s) a ser(em) analisada(s). 4. Testar o arcabouço conceitual proposto. 5. Executar análise de redes sociais sobre os resultados. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 7
    8. 8. Web Semântica William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 8
    9. 9. Exemplo de tripla RDF William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 9
    10. 10. Redes Uma rede, em sua forma mais simples, é uma coleção de pontos ligados em par por linhas (NEWMAN, 2010). William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 10
    11. 11. Redes Sociais Uma rede social acontece quando há interação social entre indivíduos, como em uma amizade, casamento ou comunicação. (XU; CHRISTLEY; MADEY, 2006) William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 11
    12. 12. Métricas • Intermediação (Betweeness) • Autovetor (Eigenvector) • Aglomeração (Cluster) William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 12
    13. 13. Aplicações de ARS na engenharia de software Fonte de dados para ARS 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Bug Controle de Versão Lista de E- mail / Forum Outro Repositório Survey Todos Ar gos por Categoria William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 13
    14. 14. Metodologia Abordagem Qualitativa Tipo Explicativa Método Experimental Natureza Pesquisa Aplicada Validação Avaliação - Prova de Conceito William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 14
    15. 15. Origem dos Dados SeCold William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 15 As of September 2011 Music Brainz (zitgist) P20 Turismo de Zaragoza yovisto Yahoo! Geo Planet YAGO World Fact- book El Viajero Tourism WordNet (W3C) WordNet (VUA) VIVO UF VIVO Indiana VIVO Cornell VIAF URI Burner Sussex Reading Lists Plymouth Reading Lists UniRef UniProt UMBEL UK Post- codes legislation data.gov.uk Uberblic UB Mann- heim TWC LOGD Twarql transport data.gov. uk theses. fr Thesau- rus W totl.net Tele- graphis TCM Gene DIT Taxon Concept Open Library (Talis) tags2con delicious t4gm info Swedish Open Cultural Heritage Surge Radio Sudoc STW RAMEAU SH statistics data.gov. uk St. Andrews Resource Lists ECS South- ampton EPrints SSW Thesaur us Smart Link Slideshare 2RDF semantic web.org Semantic Tweet Semantic XBRL SW Dog Food Source Code Ecosystem Linked Data US SEC (rdfabout) Sears Scotland Geo- graphy Scotland Pupils & Exams Scholaro- meter WordNet (RKB Explorer) Wiki UN/ LOCODE Ulm ECS (RKB Explorer) Roma RISKS RESEX RAE2001 Pisa OS OAI NSF New- castle LAAS KISTI JISC IRIT IEEE IBM Eurécom ERA ePrints dotAC DEPLOY DBLP (RKB Explorer) Crime Reports UK Course- ware CORDIS (RKB Explorer) CiteSeer Budapest ACM riese Revyu research data.gov. uk y a- reference data.gov. uk Recht- spraak. nl RDF ohloh Last.FM (rdfize) RDF Book Mashup Rådata nå! PSH Product Types Ontology Product DB PBAC Poké- pédia patents data.go v.uk Ox Points Ord- nance Survey Openly Local Open Library Open Cyc Open Corpo- rates Open Calais OpenEI Open Data Thesau- rus Ontos News Portal OGOLOD Janus AMP Ocean Drilling Codices New York Times NVD ntnusc NTU Resource Lists Norwe- gian MeSH NDL subjects ndlna my Experi- ment Italian Museums medu- cator MARC Codes List Man- chester Reading Lists Lotico Weather Stations London Gazette LOIUS Linked Open Colors lobid Resources lobid Organi- sations LEM Linked MDB LinkedL CCN Linked GeoData LinkedCT Linked User Feedback LOV Linked Open Numbers LODE Eurostat (Ontology Central) Linked EDGAR (Ontology Central) Linked Crunch- base lingvoj LIBRIS Lexvo LCSH DBLP (L3S) Linked Sensor Data (Kno.e.sis) Klapp- stuhl- club Good- win Family National Radio- activity JP Jamendo (DBtune) Italian public schools iServe IdRef Sudoc NSZL Catalog Hellenic PD Hellenic FBD Piedmont Accomo- dations GovTrack Google Art wrapper gnoss GESIS GeoWord Net Geo Species Geo Names Geo Linked Data GEMET GTAA STITCH SIDER Project Guten- berg Medi Care Euro- stat (FUB) Drug Bank Disea- some DBLP (FU Berlin) Daily Med Freebase flickr wrappr Fishes of Texas Finnish Munici- palities ChEMBL FanHubz Event Media EUTC Produc- tions Eurostat Europeana EUNIS ESD stan- dards EARTh Enipedia Popula- tion (En- AKTing) NHS (En- AKTing) Mortality (En- AKTing) Energy (En- AKTing) Crime (En- AKTing) CO2 Emission (En- AKTing) SISVU educatio n.data.g ov.uk ECS South- ampton ECCO- TCP GND Didactal ia DDC Deutsche Bio- graphie data dcs Music Brainz (DBTune) Magna- tune John Peel (DBTune) Classical (DB Tune) Audio Scrobbler (DBTune) Last.FM artists (DBTune) DB Tropes Portu- guese DBpedia dbpedia lite Greek DBpedia DBpedia data- open- ac-uk SMC Journals Pokedex Airports NASA (Data Incu- bator) Music Brainz (Data Incubator) Moseley Folk Metoffice Weather Forecasts Discogs (Data Incubator) Climbing data.gov.uk intervals data bnf.fr Cornetto reegle Chronic- ling America Chem2 Bio2RDF Calames business data.gov. uk Bricklink BNB UniSTS UniPath way UniParc Taxono my UniProt (Bio2RDF) SGD Reactome PubMed Pub Chem PRO- SITE ProDom Pfam PDB OMIM MGI KEGG Reaction KEGG Pathway KEGG Glycan KEGG Enzyme KEGG Drug KEGG Com- pound InterPro Homolo Gene HGNC Gene Ontology GeneID Affy- metrix bible ontology BibBase BBC Wildlife Finder BBC Program mes BBC Music Alpine Ski Austria LOCAH Amster- dam Museum AGROV OC AEMET US Census (rdfabout) • Primeira base online em linked data sobre artefatos de software. • Criado na universidade de Concordia, CA. • Disponível na nuvem LOD. Fatos
    16. 16. Origem dos Dados Projeto Chromium William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 16 • Código aberto • Grande número de colaboradores • Muito ativo
    17. 17. Arcabouço Conceitual William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 17
    18. 18. Implementação William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 18
    19. 19. Validação • Dados sobre bugs. • Segundo tipo mais utilizado segundo revisão sistemática da literatura. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 19
    20. 20. Validação – Caso 1 Um usuário está conectado a outro usuário caso os dois tenham feito algum comentário em um bug comum. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 20
    21. 21. Validação – Caso 2 Combinação de comentários por palavras-chave através da API AlchemyAPI. Dois comentários com a mesma palavra-chave estão conectados entre si. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 21
    22. 22. Rede gerada – Caso 1 willchan@chromium.org wtc@chromium.org mbel...@chromium.org brycesto...@gmail.com or...@chromium.org bugdroid1@gmail.com u...@google.com pkasting@chromium.org mberkow...@chromium.org senorbla...@chromium.org ed%and...@gtempaccount.com mal.chromium@gmail.com bre...@gmail.com de...@chromium.org j...@chromium.org kr...@chromium.orgshess@chromium.org benvai...@gmail.com jasn...@chromium.org milad.s...@gmail.com tim@chromium.org adrian.o...@gmail.com archos.a...@gmail.com HParede...@gmail.com goo...@synetech.cjb.net *...@chromium.org ian.chromium@gmail.comevan@chromium.org dglazkov@chromium.org linus%chromium.org@gtempaccount.com pinker...@gmail.com rohi...@chromium.org pinkerton@chromium.org stuartmorgan@chromium.org dhh...@gmail.com eroman@chromium.org anan...@chromium.org aoca...@chromium.org niran...@chromium.org ana...@chromium.org .@chromium.org nwilkin...@gmail.com mr.8b...@gmail.com lafo...@chromium.org venkatar...@chromium.org enrico.s...@gmail.comaxel.bru...@gmail.com iam...@gmail.com *ida...@chromium.orgkansa...@gmail.com SIMS...@gmail.com tony@chromium.org jonconr...@gmail.com arv@chromium.org CBr...@gmail.com johnbeav...@gmail.com edcr...@gmail.com darin@chromium.org micha...@chromium.org moses.masonjacob....@gmail.com andysbri...@gmail.comgradyfau...@gmail.com derek.la...@gmail.com simon.bo...@gmail.comben.b.k...@gmail.com ka...@chromium.org mrmukeshsharmakuchhal@chromium.org miroslav...@gmail.com evgeny.zislis zok...@gmail.com gwil...@chromium.org bustama...@google.com yury.semikhatsky@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 22
    23. 23. Comunidades da Rede willchan@chromium.org wtc@chromium.org mbel...@chromium.org brycesto...@gmail.com or...@chromium.org bugdroid1@gmail.com u...@google.com pkasting@chromium.orgmberkow...@chromium.org senorbla...@chromium.orgreed%and...@gtempaccount.com mal.chromium@gmail.com bre...@gmail.comde...@chromium.org j...@chromium.org kr...@chromium.org shess@chromium.org benvai...@gmail.com jasn...@chromium.org milad.s...@gmail.com tim@chromium.org adrian.o...@gmail.com archos.a...@gmail.com HParede...@gmail.comgoo...@synetech.cjb.net *...@chromium.org ian.chromium@gmail.com evan@chromium.org dglazkov@chromium.org linus%chromium.org@gtempaccount.com pinker...@gmail.com rohi...@chromium.org pinkerton@chromium.orgstuartmorgan@chromium.org dhh...@gmail.co eroman@chromium.org anan...@chromium.orgaoca...@chromium.org niran...@chromium.org @chromium.org bugdro...@chromium.org nwilkin...@gmail.com mr.8b...@gmail.com lafo...@chromium.org venkatar...@chromium.org enrico.s...@gmail.com axel.bru...@gmail.comiam...@gmail.com *ida...@chromium.org kansa...@gmail.com SIMS...@gmail.com tony@chromium.org jonconr...@gmail.com arv@chromium.org CBr...@gmail.com johnbeav...@gmail.com edcr...@gmail.com darin@chromium.orgmicha...@chromium.org moses.mason jacob....@gmail.comandysbri...@gmail.com gradyfau...@gmail.com derek.la...@gmail.com simon.bo...@gmail.com ben.b.k...@gmail.com ka...@chromium.org mrmukeshsharmakuchhal@chromium.org miroslav...@gmail.com evgeny.zislis zok...@gmail.com gwil...@chromium.org ustama...@google.com yury.semikhatsky@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 23
    24. 24. Nós com maior relevância willchan@chromium.org wtc@chromium.org mbel...@chromium.org brycesto...@gmail.com or...@chromium.org bugdroid1@gmail.com u...@google.com pkasting@chromium.org mberkow...@chromium.org senorbla...@chromium.orgreed%and...@gtempaccount.com mal.chromium@gmail.com bre...@gmail.comde...@chromium.org j...@chromium.org kr...@chromium.org shess@chromium.org benvai...@gmail.com jasn...@chromium.org milad.s...@gmail.com tim@chromium.org adrian.o...@gmail.com archos.a...@gmail.com HParede...@gmail.com goo...@synetech.cjb.net *...@chromium.org ian.chromium@gmail.com evan@chromium.org dglazkov@chromium.org linus%chromium.org@gtempaccount.com pinker...@gmail.com rohi...@chromium.org pinkerton@chromium.org stuartmorgan@chromium.org dhh...@gmail.com eroman@chromium.org anan...@chromium.orgaoca...@chromium.org niran...@chromium.org ana...@chromium.org bugdro...@chromium.org nwilkin...@gmail.com mr.8b...@gmail.com lafo...@chromium.org venkatar...@chromium.org enrico.s...@gmail.com axel.bru...@gmail.com iam...@gmail.com *ida...@chromium.org kansa...@gmail.com SIMS...@gmail.com tony@chromium.org jonconr...@gmail.com arv@chromium.org CBr...@gmail.com johnbeav...@gmail.com edcr...@gmail.com darin@chromium.orgmicha...@chromium.org moses.mason jacob....@gmail.com andysbri...@gmail.com gradyfau...@gmail.com derek.la...@gmail.com simon.bo...@gmai ben.b.k...@gmail.com ka...@chromium.org mrmukeshsharma kuchhal@chromium.org miroslav...@gmail.com evgeny.zislis .@gmail.com gwil...@chromium.org bustama...@google.com yury.semikhatsky@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 24
    25. 25. Por que Autovetor e não grau? • Nós que tenham conexão a nós mais relevantes são mais relevantes que nós que tenham conexões a nós poucos relevantes. • Métricas de relevância como o Pagerank Page, Lawrence; Brin, Sergey; Motwani, Rajeev and Winograd, Terry (1998) são derivadas do Autovetor. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 25
    26. 26. Intermediação William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 26
    27. 27. Por que Intermediação? • Um ator com alta intermediação pode controlar o fluxo de colaboração. • Alta intermediação significa um caminho mais curto para conectar a outros atores. • Sua remoção pode quebrar a rede. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 27
    28. 28. Intermediação por Autovetor Quem serve de ponto e é relevante... 0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 050010001500 Eigenvector Centrality BetweenessCentrality William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 28 Intermediação Relevância
    29. 29. Intermediação por Autovetor Quem serve de ponto e é relevante... 0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 050010001500 Eigenvector Centrality BetweenessCentrality William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 29 Intermediação Relevância
    30. 30. Rede Gerada – Caso 2 j...@chromium.org niran...@chromium.org gwil...@chromium.org dglazkov@chromium.org johnbeav...@gmail.com edcr...@gmail.com *...@chromium.org goo...@synetech.cjb.net mrmukeshsharma bugdro...@chromium.org bugdroid1@gmail.com jonconr...@gmail.com jasn...@chromium.org lafo...@chromium.org dhh...@gmail.com geny.zislis mal.chromium@gmail.com reed%and...@gtempaccount.com senorbla...@chromium.org CBr...@gmail.com darin@chromium.org kuchhal@chromium.org yury.semikhatsky@gmail.com mbel...@chromium.org wtc@chromium.org *ida...@chromium.org iam...@gmail.com ana...@chromium.org evan@chromium.org de...@chromium.org arv@chromium.org pinker...@gmail.com bustama...@google.com micha...@chromium.org mberkow...@chromium.org bre...@gmail.com aoca...@chromium.org venkatar...@chromium.org eroman@chromium.orgpinkerton@chromium.org stuartmorgan@chromium.org u...@google.compkasting@chromium.org ian.chromium@gmail.com andysbri...@gmail.com jacob....@gmail.com willchan@chromium.org kansa...@gmail.com ben.b.k...@gmail.com tony@chromium.org derek.la...@gmail.com adrian.o...@gmail zok...@gmail.com mr.8b...@gmail.com benvai...@gmail.com SIMS...@gmail.com miroslav...@gmail.com gradyfau...@gmail.com moses.mason anan...@chromium.org enrico.s...@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 30
    31. 31. Comunidades da Rede j...@chromium.org niran...@chromium.org gwil...@chromium.org dglazkov@chromium.org johnbeav...@gmail.com edcr...@gmail.com *...@chromium.org goo...@synetech.cjb.net mrmukeshsharma bugdro...@chromium.orgbugdroid1@gmail.com jonconr...@gmail.com jasn...@chromium.org lafo...@chromium.org dhh...@gmail.com evgeny.zislis mal.chromium@gmail.com reed%and...@gtempaccount.com senorbla...@chromium.org CBr...@gmail.com darin@chromium.org kuchhal@chromium.org yury.semikhatsky@gmail.com mbel...@chromium.org wtc@chromium.org *ida...@chromium.org iam...@gmail.com ana...@chromium.org evan@chromium.org de...@chromium.org arv@chromium.orgpinker...@gmail.com bustama...@google.com micha...@chromium.org mberkow...@chromium.org bre...@gmail.com aoca...@chromium.org venkatar...@chromium.orgeroman@chromium.org pinkerton@chromium.org stuartmorgan@chromium.org u...@google.com pkasting@chromium.org ian.chromium@gmail.com andysbri...@gmail.com jacob....@gmail.com willchan@chromium.org kansa...@gmail.com ben.b.k...@gmail.com tony@chromium.org derek.la...@gmail.com adrian.o...@gmail.com zok...@gmail.co mr.8b...@gmail.com benvai...@gmail.com SIMS...@gmail.com v...@gmail.com fau...@gmail.com moses.mason anan...@chromium.org enrico.s...@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 31
    32. 32. Nós com maior relevância willchan@chromium.org wtc@chromium.org mbel...@chromium.org brycesto...@gmail.com or...@chromium.org bugdroid1@gmail.com u...@google.com pkasting@chromium.org mberkow...@chromium.org senorbla...@chromium.orgreed%and...@gtempaccount.com mal.chromium@gmail.com bre...@gmail.comde...@chromium.org j...@chromium.org kr...@chromium.org shess@chromium.org benvai...@gmail.com jasn...@chromium.org milad.s...@gmail.com tim@chromium.org adrian.o...@gmail.com archos.a...@gmail.com HParede...@gmail.com goo...@synetech.cjb.net *...@chromium.org ian.chromium@gmail.com evan@chromium.org dglazkov@chromium.org linus%chromium.org@gtempaccount.com pinker...@gmail.com rohi...@chromium.org pinkerton@chromium.org stuartmorgan@chromium.org dhh...@gmail.com eroman@chromium.org anan...@chromium.orgaoca...@chromium.org niran...@chromium.org ana...@chromium.org bugdro...@chromium.org nwilkin...@gmail.com mr.8b...@gmail.com lafo...@chromium.org venkatar...@chromium.org enrico.s...@gmail.com axel.bru...@gmail.com iam...@gmail.com *ida...@chromium.org kansa...@gmail.com SIMS...@gmail.com tony@chromium.org jonconr...@gmail.com arv@chromium.org CBr...@gmail.com johnbeav...@gmail.com edcr...@gmail.com darin@chromium.orgmicha...@chromium.org moses.mason jacob....@gmail.com andysbri...@gmail.com gradyfau...@gmail.com derek.la...@gmail.com simon.bo...@gmai ben.b.k...@gmail.com ka...@chromium.org mrmukeshsharma kuchhal@chromium.org miroslav...@gmail.com evgeny.zislis .@gmail.com gwil...@chromium.org bustama...@google.com yury.semikhatsky@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 32
    33. 33. Intermediação William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 33
    34. 34. Intermediação por Autovetor Quem serve de ponto e é relevante... 0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 0100200300 Eigenvector Centrality BetweenessCentrality William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 34 Intermediação Relevância
    35. 35. Intermediação por Autovetor Quem serve de ponto e é relevante... 0.0 0.2 0.4 0.6 0.8 1.0 0100200300 Eigenvector Centrality BetweenessCentrality William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 35 Intermediação Relevância
    36. 36. Estudo da Colaboração • Identificação de principais atores. • Identificação de comunidades dentro da rede. • Identificação de atores pouco eficientes. • Treinamento de equipes • Melhoria da comunicação • Identificação de papéis dentro da rede. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 36
    37. 37. Objetivos Alcançados Identificar os componentes necessários para construção do arcabouço conceitual. Revisão da literatura Propor um arcabouço conceitual. Arcabouço Conceitual Construir consultas a fim de extrair os dados e montar a(s) rede(s) a ser(em) analisada(s). Implementação – Scripts de processamento Testar o arcabouço conceitual proposto. Implementação e Validação Executar análise de redes sociais sobre os resultados. Validação William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 37
    38. 38. Considerações Finais A construção do arcabouço para esse experimento mostra que as bases de dados em linked data podem ser exploradas para estudos na engenharia software, gerando, assim, novos conhecimentos e mais dados abertos, de forma que possam ser disponibilizados para uso de outros pesquisadores. William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 38
    39. 39. Obrigado! William Rufino williamhrs@gmail.com William Rufino Colaboração em software de código aberto: um framework para análise em redes sociais 39

    ×