A Revolução Francesa

949 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
949
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Revolução Francesa

  1. 1. A Revolução Francesa
  2. 2. Antecedentes da revolução • O Antigo Regime. • O Iluminismo.
  3. 3. O Antigo Regime
  4. 4. Características do Antigo Regime • Centralização política e monetária nas mãos do rei (Absolutismo monárquico). • Hierarquização da sociedade em estamentos.
  5. 5. Absolutismo • Fortalecimento de governos ilimitados e plenos. • Fonte suprema dos poderes do Estado: Autoridade do rei. • Estados absolutistas: Portugal, Espanha, Inglaterra e França. • “Todo poder, toda autoridade estão nas mãos do rei e não pode haver outra no reino que aquela por ele estabelecida (...). A vontade de Deus é que todo aquele que nasceu súdito obedeça cegamente. (...) É somente à cabeça que compete deliberar e resolver, e todas as funções dos outros membros consistem apenas na execução das ordens que lhes são dadas.”
  6. 6. Os Estados franceses 1º Estado: Clero 3º Estado: Camponeses, artesãos, comerciantes, profissionais liberais, burguesia. 2º Estado: Nobreza
  7. 7. As defesas e as soluções do absolutismo • Thomas Hobbes: Leviatã e o contrato social. • Jacques Bossuet: “Um rei, uma fé, uma lei.”
  8. 8. O Iluminismo
  9. 9. A crítica ao Antigo Regime • Desenvolvimento e ascensão da burguesia. • Desenvolvimento do Iluminismo. • Não-intervenção econômica do Estado. • Igualdade jurídica ente os homens. • Liberdade religiosa e de expressão.
  10. 10. O combate ao Antigo Regime • Absolutismo monárquico. • Mercantilismo. • Poder eclesiástico.
  11. 11. O Iluminismo e suas defesas • Difusão do liberalismo (França e Inglaterra). • Iluminismo, Ilustração, Filosofia das Luzes. • Iluminismo: Confiança na razão e nas ciências como motores do progresso especialmente a que foi característica de um movimento filosófico e político do século XVIII, em países europeus e nas suas colônias. • Educação. • Divisão de poderes no Estado.
  12. 12. As algemas da sociedade • Tradicionalismo religioso medieval. • Práticas supersticiosas e o poder da magia. • Divisão social hierarquizada desde o nascer.
  13. 13. Os pensadores Iluministas e suas defesas • John Locke: O empirismo e o liberalismo político. • Voltaire: Crítica à Igreja e liberdade de pensamento. • Montesquieu: A separação dos poderes. • Diderot e D’Alembert: A Enciclopédia que iluminava. • Rousseau: O bom selvagem e o contrato social.
  14. 14. Deus: O Grande relojoeiro • Universo = Engrenagem. • Deus: Expressão da razão e lei universal.
  15. 15. O Despotismo esclarecido ou o Absolutismo Ilustrado • Princípios do Iluminismo e princípios do Absolutismo. • Reformas públicas: • Incentivo à educação pública. • Aperfeiçoamento do sistema de arrecadação tributária.
  16. 16. A Revolução Francesa
  17. 17. Crise social e econômica da França • Guerras na Europa e na América  Crise econômica. • Produção agrícola insatisfatória. • Catástrofes climáticas. • Despesas do Estado.
  18. 18. Fases revolucionárias (1789-1799) • Revolta aristocrática. • Assembleia Constituinte. • Monarquia. • República e Convenção Nacional. • Diretório.
  19. 19. Revolta aristocrática • Criação de novos tributos para o terceiro estado, e, ocasionalmente para a nobreza e para o clero. • Reativação da Assembleia dos Estados Gerais. • Derrota da Nobreza.
  20. 20. Assembleia Nacional Constituinte e Tomada da Bastilha • Princípio do conflito: Ordens privilegiadas x Terceiro Estado. • Criação de uma nova Constituição para a França. • Liberdade, igualdade e fraternidade. • 14 de julho de 1789.
  21. 21. Fim dos privilégios feudais e eclesiásticos • Noite do Grande Medo. • Promulgação da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. • Constituição Civil do Clero.
  22. 22. Monarquia Constitucional • Perda dos poderes absolutos. • Governo Burguês. • Contrarrevolução e prisão de Luís XVI. • Batalha de Valmy: Expulsão das tropas austro-prussianas.
  23. 23. República e Convenção Nacional • Proclamação em 22 de setembro de 1792. • Substituição da Assembleia Constituinte e elaboração de uma nova Constituição. • Forças políticas: • Girondinos: Alta burguesia. • Jacobinos: Pequena e média burguesia e proletariado de Paris. • Planície: Burguesia financeira.
  24. 24. • Julgamento e condenação de Luís XVI. • Exaltação da ditadura jacobina. • Comitê da Salvação Pública e Tribunal Revolucionário. • A Era do Terror, liderança de Robespierre e firmação da nova Constituição. • União contra Robespierre e execução.
  25. 25. O Diretório e o fim da Revolução • Governo dos Girondinos e nova Constituição. • Diretório  Cinco membros do Legislativo. • Governo de Napoleão Bonaparte. • Golpe 18 Brumário e fim do ciclo revolucionário.
  26. 26. “Todo o homem luta com mais bravura pelos seus interesses do que pelos seus direitos.” - Napoleão Bonaparte

×