Conflitos nos balcãs

512 visualizações

Publicada em

Conflitos nos balcãs

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Conflitos nos balcãs

  1. 1. Região dos Balcãs (BALCÃS: Em turco, significa montanhas ou zona montanhosa) Nos tempos antigos, a partir do século IV, a região balcânica serviu como zona limítrofe entre o Império Romano Ocidental, com capital em Roma, e o Império Bizantino, com capital em Constantinopla. Quando a Igreja cristã dividiu-se em duas, uma parte católica, outra greco-ortodoxa, no séc. XI, os habitantes da região também foram obrigados a optar, por uma ou por outra religião. No século XV a região foi invadida pelos turcos otomanos, vindo do Sul, depois de terem ocupado Constantinopla em 1453. No intuito de assegurar-se da fidelidade das suas áreas ocupadas, obrigaram a população local, especialmente os moradores da Albânia e da Bósnia, à conversão ao islamismo.
  2. 2. REGIÃO DOS BALCÃS Eslovênia Capital: Liubliana Bósnia- Herzegovina Capital: Sarajevo Croácia Capital: Zagreb Iugoslávia Capital: Belgrado (Kosovo – Pristina; Voivodina – Novi Macedônia Sad) Capital:Skopje Montenegro Capital: Podgorica Albânia Capital:Tirana Grécia Capital:Atenas Bulgária Capital:Sofia Romênia Capital:Bucareste Moldávia Capital:Chisinau
  3. 3. O caldeirão balcã
  4. 4. Parte norte Iugoslávia, as regiões da Eslovênia e da Croácia: governo de imperadores austríacos, de cultura alemã e religião católica. Centro-sul: controle dos turcos muçulmanos até o início do século XX. Cristãos Ortodoxos e muçulmanos (Catedral de Sarajevo e mesquita em Banja Luka)
  5. 5. Iugoslávia No início do século XX, a Sérvia encabeçou um projeto "pan-eslavista" com o intuito de formar a Grande Sérvia, reunindo os povos eslavos dos Bálcãs e dominando as outras etnias da região. No final da I Guerra Mundial, a derrota e decomposição dos impérios Turco-Otomano e Austro-Hungaro permitiram a formação da Polônia, Thecoslováquia, Hungria e Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, que mais tarde se tornaria a República da Iugoslávia. 1918 – 1941
  6. 6. Iugoslávia
  7. 7. Iugoslávia ocupada Em março de 1941, Pavel, o príncipe regente da Iugoslávia, cedendo à pressão dos nazistas e dos fascistas italianos, foi constrangido a assinar um tratado com o Eixo, o que colocava os Bálcãs subordinados às potências fascistas acirrando o ódio na região. Benito Mussolini e Adolph Hitler em vista a Iugoslávia
  8. 8. Tito e a resistência iugoslava A Liga Comunista da Iugoslávia, comandada pelo guerrilheiro Josef Broz, conhecido pelo codinome de Tito, assumiu o controle das montanhas, com os chamados partisans, tornando a vida dos ocupantes alemães um inferno. Perto do fim da guerra, os guerrilheiros de Tito haviam derrotado a maioria das divisões que os nazistas enviaram, o mesmo ocorrendo na vizinha Albânia, com os partisans comandados por Enver Hoxa. Tito e o alto comando da Resistência
  9. 9. República Socialista Federativa da Iugoslávia Југославија 1945 – 1992 Com a forma de governo de uma república comunista, o país era constituído pela união federal de seis repúblicas: Sérvia, com as regiões autônomas de Kosovo e Voivodina, Croácia, Montenegro, Eslovênia Bósnia-Herzegovina e Macedônia.
  10. 10. A pacificação de Tito O ódio entre as diversa etnias, reestruturadas como estados dentro da República Socialista Federada da Iugoslávia, proclamada em 1945, foi contido devido à política hábil de Tito e, também, pelo clima de exaustão geral pela guerra. Doutrina comunista com apelo internacionalista; Diminuição de influência dos grupos maiores; Não alinhamento com Socialismo Soviético;
  11. 11. Iugoslávia após a morte de Tito Quando Tito veio a falecer, em 4 de maio de 1980, entrou em efetiva prática uma constituição, anteriormente preparada, que tinha por objetivo alcançar a rotatividade de etnias no poder executivo. Os pontos fracos desse sistema eram a não possibilidade de eleição por voto direto e a fragilidade do poder do presidente. Além do sistema frágil, a derrocada socialista no continente contribuiu para o desmembramento iugoslavo.
  12. 12. As Novas Repúblicas e a Guerra Civil Para fortalecer a Sérvia, Slobodan Milosevic suprimiu a autonomia das províncias autônomas: Voivodina e Kosovo. No primeiro caso, não se provocou problemas, pois a grande maioria da população é de origem Sérvia. Já no Kosovo, a imensa maioria da população é de nacionalidade albanesa o que provocou uma reação frente à supressão de sua autonomia, desencadeando a repressão Sérvia. Isto incentivou a separação da Eslovênia, juntamente com a Croácia, da Federação Iugoslava.
  13. 13. A limpeza étnica de Slobodan Milosevic Quando também a Bósnia declarou-se separada, agravou a situação, pois as populações sérvias dentro dessa República encontravam-se disseminadas em todo o território, convivendo entre comunidades croatas e muçulmanas. A resposta de Milosevic foi a aplicação deliberada e sistemática do terror, como via para conseguir a evacuação de espaços geográficos que pudessem ser ocupados pelos sérvios. Começava ali a "limpeza étnica". Sarajevo bombardeada
  14. 14. Kosovo Província de maioria albanesa, apoiada pelos serviços de segurança americanos e euro-ocidentais, formou um movimento de guerrilhas visando a independência e a expulsão dos sérvios da região. Como a Sérvia negou-se a outorgar o direito de autonomia aos albaneses, suprimido em 1989, intervindo pesadamente em Kosovo na repressão ao terrorismo albanês, a Otan alegando que os albaneses provavelmente seriam as futuras vítimas da política de limpeza étnica desencadeada por Milosevic, decidiu bombardear Belgrado e outros pontos considerados estratégicos da República da Sérvia e mesmo de Kosovo. Em 1999, durante a Guerra do Kosovo, a OTAN e os EUA bombardearam Belgrado, a 250km da zona de conflito, por 78 dias sem parar.
  15. 15. República Federal da Jugoslávia Estado federal formado pelas repúblicas da Sérvia e de Montenegro que existiu entre 1992 e 2003, quando foi reconstituído e renomeado para Sérvia e Montenegro. Sua capital era Belgrado. A federação surgiu da dissolução da República Socialista Federal da Iugoslávia, quando Croácia, Eslovênia, Bósnia e Herzegovina e a República da Macedônia se autodeclararam independentes.
  16. 16. Sérvia e Montenegro 2003-2006
  17. 17. Desintegração da Iugoslávia
  18. 18. Focos de Tensão nos Balcãs  1 - Kosovo pode voltar a ser palco de conflitos entre sérvios e albaneses, em caso de fracasso da operação de paz da Otan  2 - Ambições territoriais de nacionalistas sérvios, croatas e muçulmanos podem desmembrar a Bósnia  3 - Na Eslovênia Oriental (Croácia), guerrilheiros sérvios ainda sonham com a integração à Iugoslávia  4 - Vojvodina recebeu refugiados sérvios da Croácia e da Bósnia. Minoria húngara reivindica mais direitos e pode apoiar união com a Hungria  5 - A eventual independência da República de Montenegro, com sua saída da Iugoslávia, pode provocar guerra civil
  19. 19. Focos de Tensão nos Balcãs  6 - Albaneses (22,5% da população da Macedônia) reivindicam mais direitos e podem apoir a unificação do território com a Albânia  7 - Minoria húngara (99% da população na Romênia) reivindica mais direitos  8 - Chipre, símbolo da rivalidade greco-turca, é fonte de conflitos  9 - Grécia e Turquia têm disputas territoriais e de espaço aéreo  10 - Conflitos entre separatistas curdos e forças turcas já causaram mais de 30 mil mortes  11- Grécia alega que uso do nome Macedônia implica pretensões territoriais do país sobre a Macedônia grega
  20. 20. Focos de Tensão nos Balcãs
  21. 21. Referências • http://www.academia.g12.br/professores/ismael/imagens_geopolitica_mundial/imagens_conflitos_et _rel/imagem2.jpg • http://educaterra.terra.com.br/voltaire/atualidade/iugoslavia.htm • http://jhunhior.blogspot.com/2008/04/fragmentao-da-iugoslvia.html • Imagens: google.com/imagens

×