Rede denoticiasjulho

550 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Rede denoticiasjulho

  1. 1. Ano 1 | Edição 2 | Junho 2010 rede de notícias A linhA, o Anzol e A rede e sta é a segunda edição do Rede de Notícias, boletim que trará periodicamente informações atualizadas sobre o pro- cesso de implementação dos Projetos do Programa de Educação Ambiental (PEA) da OGX Petróleo e Gás Ltda. O Rede de Notícias foi criado especialmente para manter uma linha direta de comunicação com as comunidades pesqueiras que estão na área de influência das atividades de exploração de petróleo e gás da OGX, no Litoral Norte do Estado do Rio de Janeiro e Sul do Espírito Santo. O PEA é uma medida compensatória exigida pelo Instituto Bra- sileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), dentro do processo de licenciamento ambiental que está sob a responsabilidade da Coordenação Geral de Petróleo e Gás (CGPEG). Com foco na pesca artesanal, o PEA busca formas de viabilizar iniciativas que contribuam para a melhoria da qualidade de vida das comunidades pesqueiras de oito municípios no entorno da Bacia de Campos. Desde o início de sua implementação, no ano passado, o PEA OGX já promoveu uma série de reuniões com a participação de representantes das comunidades de Armação de Búzios, Arraial do Cabo, Cabo Frio, Campos de Goytacazes, Macaé, São João da Barra e São Francisco de Itabapoana, todos no Estado do Rio de Janeiro, e Itapemirim, no Espírito Santo. Os projetos escolhidos pelas comunidades vêm sendo desenvolvidos com o acompanhamento das comissões formadas por voluntários de cada um dos oito municípios. Esta edição mostra como a comunidade, munida com alguns “petrechos” que vêm sendo proporcionados pelo PEA OGX – a “linha” direta do debate, o “anzol” da mobilização e a “rede” do voluntariado – vem avançando nessa jornada. Boa leitura! Acompanhe a evolução dos projetos na sua comunidade pelo Faça notícia, seja notícia... blog Pesca Artesanal, criado especialmente para o PEA! Dê notícias você também! www.pesca-artesanal-campos.blogspot.com Projetos em Experiência que andamento deu certo! As comunidades se mobilizam Uma entrevista com Chico Mandira, e começam a consolidar seus da Cooperostra, de Cananeia (SP), que projetos, dentro das atividades participou de reunião da comissão de desenvolvidas pelo PEA OGX. Cabo Frio. Págs. 2, 3 e 4 Pág. 3 Ano 1 | Edição 2 | Junho 2010 Rede de Notícias | 1
  2. 2. Projetos em andamento Saiba um pouco mais sobre o que está acontecendo na sua região Armação dos Búzios (RJ) Gelo é fundamental O Píer da Praia de Armação foi o local escolhi- durante reunião realizada em maio. Mas, é do para a instalação de uma fabriqueta de bom lembrar que a elaboração da planta final gelo, considerada fundamental para apoiar a ainda depende das especificações da fabrique- cadeia produtiva do pescado na comunidade ta de gelo, ainda a ser definidas, assim como de Búzios. Este empreendimento será realiza- das licenças necessárias para a construção da do pelo PEA OGX, de forma a complementar fabriqueta. A mobilização é importante, pois um projeto de entreposto local. são os próprios pescadores que estão nego- A planta do projeto, elaborada por um arqui- ciando junto à prefeitura a extensão da licença teto, foi brevemente analisada pela comissão, para a instalação da fábrica no local. Campos de Goytacazes (RJ) São João da Barra (RJ) São Fco. de Itabapoana (RJ) estrutura Avança projeto Capacitação reforçada de miniestaleiro profissional “Precisamos ter uma colônia forte para O projeto do miniestaleiro na área da sermos fortes também.” Esse desejo ex- Colônia Z-02, com uma rampa que fun- presso pela comunidade pesqueira de ciona com o auxílio de um guincho para Campos de Goytacazes começa a se tornar a puxada de barcos, está avançando em realidade. As obras da reforma e apare- São João da Barra. lhamento da sede da Colônia Z-19 terão A comissão está fazendo o levantamento início em breve, uma vez que a LLX, em- das licenças necessárias junto aos órgãos presa do Grupo EBX (assim como a OGX), e instituições competentes, como a Se- já efetuou a compra do imóvel onde a cretaria de Patrimônio da União (SPU), entidade está instalada desde 1982. a prefeitura e o Instituto Estadual do Localizado em frente ao desembarque Ambiente (INEA). Também está sendo pesqueiro, na praia do Farol de São Tomé, feito um levantamento de custos e mão o imóvel será entregue à Colônia no de obra necessária para as obras. dia 29 de junho, Dia da Pesca no A construção do miniestaleiro na estado do Rio de Janeiro. A comis- área da Colônia reforça a institui- Para definir qual o projeto de capacita- são está analisando o projeto da reforma ção e a classe pesqueira local, que ção profissional mais adequado para os da sede, feito por um arquiteto, que irá vem demonstrando seu poder de articu- pescadores da região e seus filhos, a própria beneficiar os mais de 1.200 associados lação: as reuniões do projeto PEA OGX já comissão responsável pela implementação da Colônia. foram prestigiadas por representantes de do projeto PEA OGX em São Francisco de A nova estrutura representará um avanço órgãos públicos. Itabapoana conduziu uma pesquisa junto à para a comunidade pesqueira, uma vez comunidade pesqueira: questionários foram que a sede física é uma referência insti- aplicados aos potenciais interessados, com o tucional importante para a conquista de intuito de avaliar o nível de escolaridade, as benefícios para os pescadores. áreas de interesse, entre outros aspectos. Os resultados ainda não estão consolidados, mas já foram mapeadas algumas das princi- pais demandas dos pescadores e seus filhos. Como exemplos estão os cursos de mecânica de motor a diesel e informática. No caso es- pecífico do curso de informática foi decidido pela comissão que o mesmo será dividido em dois níveis: básico e intermediário. A comissão, a SOMA e a OGX estão se arti- culando para entrar em contato com institui- ções que podem ofertar os dois cursos. Ano 1 | Edição 2 | Junho 2010 Rede de Notícias | 2
  3. 3. Veja como está o andamento de todos os projetos no blog Pesca Artesanal www.pesca-artesanal-campos.blogspot.com Arraial do Cabo (RJ) É importante proteger a pesca artesanal O projeto de Qual o balanço que o senhor criação de re- faz dessas reuniões? cifes artificiais Qualquer projeto que envolva o mar demanda vem mobilizando um estudo aprofundado, daí a importância a comunidade de dessas discussões, do suporte técnico que vem pescadores de Ar- sendo dado pela SOMA e OGX. Também é raial do Cabo que, fundamental que tenhamos todos os esclare- através da comis- cimentos possíveis por parte do IBAMA, dos são de pescadores, órgãos ambientais. juntamente com Quais os maiores desafios para a SOMA e a OGX, vem realizando diversas realizar esse projeto? reuniões, algumas delas com a presença de Um projeto como esse não é feito de uma hora representantes de órgãos ambientais. “Essas para outra. Demora um pouco. O mais impor- discussões são muito importantes. Sem elas, tante é que estamos discutindo como tornar não vamos avançar”, destaca José Araújo, realidade um antigo anseio da comunidade. pescador e membro da Comissão de Arraial do Há mais de 20, 30 anos, estamos discutindo próximo, pois já começávamos a sentir esse Cabo, lembrando que este empreendimento a necessidade de ter um abrigo para os car- declínio do pescado. Agora chegou a hora de não pode ser feito de um dia para o outro. dumes, algo que mantivesse o pescado mais realizar esse sonho. Cabo Frio (RJ) Só a união constrói Sétima geração da Comunidade Quilombola de Mandira, em Cananeia (SP), seu Chico Man- dira, como é conhecido Brasil afora, participou, em abril, de uma reunião com representantes da comunidade pesqueira de Cabo Frio, para falar sobre a organização da Cooperostra, que completou 13 anos de atividades. Como surgiu a Cooperostra? Ela surgiu da necessidade de valorização do produtor de ostra e do produto, que era com- prado a preços baixos pelos atravessadores. Não existia nenhuma cooperativa como essa na região. Erramos, acertamos, mas continuamos, que haver muito diálogo e boa vontade, bom E o que o senhor diz para aqueles porque sabíamos que sem organização não senso para não sabotar algo só porque não que não tiveram uma experiência íamos sair das mãos dos outros. Hoje traba- concorda. Tem que pensar na comunidade. bem-sucedida? lhamos com ostra, pescado e marisco, e temos É importante trocar ideias, ouvir, tentar fa- O que eu mais ouço hoje em dia é que não vários clientes na região da Baixada Santista zer as coisas. Se não der certo, a gente busca vai dar certo. Que isso já foi feito e não deu e também em São Paulo. outro caminho. Não pode é desistir. Até as certo. Que cooperativa nunca dá certo. E O senhor já fez palestra sobre a Cooperos- experiências ruins que tivemos – de gente quando mostramos que conseguimos, que tra até no exterior. O que é necessário pa- que administrou errado nossa cooperativa, aprendemos com nossos erros e acertos, e ra formar uma cooperativa de sucesso? que roubou a gente – nos ensinaram algo. hoje trabalhamos para nós mesmos, ven- O pescador artesanal tem que se organizar Que nós mesmos temos que cuidar do dendo nossa produção diretamente para para dar o primeiro passo. A organização que é nosso, que temos de formar gente da o mercado, eles percebem que tem coisa é o primeiro passo. E isso não é fácil. Tem comunidade para cuidar da cooperativa. que dá certo sim. LInhA DIREtA: FALE COnOSCO Sua ParticiPação é fundamEntal Para mElhorar cada vEz maiS a comunicação EntrE a oGX E a co- munidadE dE PESca artESanal da Bacia dE camPoS. EnviE Sua oPinião, críticaS E SuGEStõES Para o E-mail: faleconosco@ogx.com.br ou EntrE Em contato PElo tElEfonE 0800-722-0742. Ano 1 | Edição 2 | Junho 2010 Rede de Notícias | 3
  4. 4. Veja como está o andamento de todos os projetos no blog Pesca Artesanal www.pesca-artesanal-campos.blogspot.com Itapemirim (ES) Sede própria beneficiará pescadores A comissão que representa os pescadores da materiais necessários, empresas que poderiam Colônia Z-10, em Itapemirim, escolheu o pro- elaborar o projeto estrutural, assim como o jeto da nova sede, após analisar três opções cadastro da Colônia Z-10 no grupo EBX – todos existentes. Na avaliação foi observada a dis- os gestores de projetos do PEA OGX têm que posição dos espaços físicos, tendo a comissão fazer esse cadastro. Agora, as reuniões entre optado pela planta do projeto na qual tiveram comissão de pescadores, SOMA e OGX têm de fazer apenas uma modificação. A comis- tratado de aspectos da gestão da sede e da são já havia feito o levantamento das licenças capacitação técnica dos pescadores que necessárias para o empreendimento, lista de ficarão à frente da administração. Macaé (RJ) Caminhão de pescado Qual caminhão atende melhor pio já participou de quatro reuniões de às necessidades dos pescadores detalhamento do projeto e agora está de Macaé? Essa pergunta está sendo buscando modelos disponíveis no mer- respondida pela própria comunidade cado que atendem às suas necessidades. pesqueira, com o suporte da SOMA e da A pesquisa, que está sendo feita pela in- OGX, a partir da análise de alguns fatores: ternet, em lojas da região e contatos com histórico da produção local, produção outras pessoas, também engloba os ma- diária, custo e tamanhos de caminhão, teriais, balança e tabuleiro. A OGX orçará capacidade de transporte, proximidade os veículos, além do seguro e IPvA, após da assistência técnica, entre outros itens. receber em detalhes as especificações de A comissão de pescadores deste municí- cada um desses itens. Comunicação PCS: Conheça mais sobre a oGX preventiva A OGX é uma empresa brasileira que atua na exploração e produção de pe- tróleo e gás natural. Criada em 2007, ela Para buscar uma relação mais respeitosa e mi- integra o Grupo EBX, que possui empreen- nimizar conflitos entre as atividades de pesca dimentos nas áreas de energia, logística e e a operação da OGX na Bacia de Campos, foi mineração. criada, em outubro de 2009, a Central de Com cinco sondas de perfuração em ativida- Comunicação Preventiva (CCP). de, a OGX contratou uma sexta unidade que Trata-se de uma ferramenta de comuni- começa a operar até o final deste ano, período cação direta entre os pescadores e as em que pretende perfurar um total de 27 poços embarcações de apoio que atuam na área: a em diversas bacias. A produção do primeiro informação prévia das rotas das embarcações óleo, mediante obtenção de licença ambiental, visa evitar colisões e perdas de petrechos. Com está prevista para o início de 2011. este objetivo, foi estabelecido um convênio com a A OGX possui 29 blocos de exploração de Rádio Costeira Controle Atalaia, de Cabo Frio, que petróleo em cinco bacias no país: Campos, possui grande amplitude de frequência do sinal, Santos, Espírito Santo, Pará-Maranhão e podendo ser acessada pelo Canal 3 vHF. Parnaíba. Em setembro de 2009, a empre- As embarcações da OGX que possuem este recur- sa iniciou a primeira perfuração, na Bacia so são Campos Captain e Thor Supplier. A CCP é de Campos, onde, até agora, já foram per- mediada pela Abaeté Estudos Socioambientais, furados dez poços. Atualmente estão em empresa responsável pelo Projeto de Comunica- andamento quatro poços: dois em Campos ção Social da OGX na Bacia de Campos. e dois em Santos. Pesca Artesanal – Rede de Notícias. COORDENAçãO: OGX // GERêNCIA dE MEIO AMBIENtE: Glória Marins. JORNALIStA RESPONSávEL: Camila Manfredini (SC 01146 JP). COMItê EdItORIAL: Camila Manfredini, Fátima Ribeiro, Luciana Mota e Vanessa Guerra (OGX); Priscila Cordts, Hugo Diogo e Marcos Ortiz (SOMA). EdIçãO E PROdUçãO: Lettera Brasil. FOtOGRAFIAS: Banco de Imagens OGX, Lettera Brasil e SOMA. PROGRAMAçãO vISUAL: Trama Criações e Traço Certo (Cabeçalho). REvISãO: Mariflor Rocha. tIRAGEM: 1.500 exemplares. Ano 1 | Edição 2 | Junho 2010 Rede de Notícias | 4

×