Estágio docente na formação

984 visualizações

Publicada em

slide defesa dissertação de mestrado UEA/ENS 2009

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
984
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estágio docente na formação

  1. 1. ESTÁGIO DOCENTE NA FORMAÇÃODE PROFESSORES PARA OENSINO DE CIÊNCIAS NA AMAZÔNIAMestranda Waldiléia do S. Cardoso PereiraOrientador Prof. Dr. Evandro Ghedin MANAUS 2009
  2. 2. ProblemaComo, a partir das relações entre oselementos que compõe o processoformativo dos Pós-graduandos noestágio docente, constitui-se novagama de conhecimentos que irãoorientar a prática pedagógicauniversitária dos mestrandos, futurosprofessores ?
  3. 3. Objetivo Objetivos geral específicos 1. Conhecer o processo histórico Analisar o do desenvolvimento daprocesso de universidade, da pós-graduação em Ciências e Ensino de Ciências estágio no Brasil e na Amazôniadocente no curso de 2. Discutir a pedagogia Mestrado universitária como horizonteProfissional do processo de estágio em Ensino docente lançando um olhar sobre a legislação dede Ciências estágio na Amazônia 3. Discutir a concepção dos sujeitos da pesquisa sobre estágio, pós-graduação, docência e universidade como contribuintes para sua profissionalização
  4. 4. Os Sujeitos foram mestrandos estagiários 2006/2007, orientadores, coordenadores e idealizadores do curso de MECA Aporte Abordagem hermenêutico, qualitativa com bibliográfico,suporte dialético Desenho documental e de metodológico campo Os recursos utilizados foram caderno de campo, gravador digital, documentos, relatórios de estágio
  5. 5. 1. Discutindo a universidade no Brasil A universidade no âmbito mundial A primeira No Sec. XIX universidade surge Humboldt na no sec. XI em Alemanha moderniza Bolonha atrelada a univ. articulando aos ditames da Ciência, pesquisa e igreja os problemas sociais
  6. 6. A universidade no Brasil O ensino superior inicia Se organiza segundoem 1808 com cadeiras de modelo europeu a partir Anatomia e Cirurgia de1931 com Estatuto da Univ. Brasileira Em 1909 é criada Universidade Livre de Manaós A partir de 1968 a reforma universitária estabelece o ensino e a pesquisa em um processo de modernização sob controle do regime militar
  7. 7. 1.1 A pós-graduação no BrasilÉ introduzida noestatuto da univ. Se desenvolve com a criaçãobrasileira em 1931 do INEP em 1938 articulando pesquisa e ensino A criação da SBPC divulga as pesquisas realizadas1950 criação do CNPq e CAPES 1951 criação da FAPESP, BNDE e FUNTEC
  8. 8. parecer 677/65 estabelece regrasprimeiro mestrado em educaçãona PUC- RIO 1973 criação do Conselho Nacional de Pós-Graduação 1975 Grupo Técnico de Coordenação que organiza o I Plano Nacional de Pós- Graduação Criação das Pró-Reitorias de Pesquisa e Pós-Graduação1995 a CAPES estabelece oMestrado Profissional
  9. 9. 1.2 A pós-graduação em Ciênciasno Brasillinhas de pesquisa sobre ensino de Ciências criação do IBCCE e FUNDEC 1946 1960/70 são desenvolvidas Pesquisas voltadas para área de Física na UFRG e USP1975 PREMEM na UNICAMP Criação Grupo de Trabalho na CAPES pra avaliar os PPGEC 2000 criação da área de Ensino de Ciências na CAPES
  10. 10. 1.3 A pós-graduação em Ciências na Amazônia 1945 INPAMuseu Emilio Goeldi no Pára 1944 Institutoestudos em Ecologia, Etnografia Zoologia e Botânica Sociologia da Amazônia 1984 Mestrado em Ciências do Alimento (UFAM) Mestrado em doenças tropicais UEA 2002
  11. 11. A pós-graduação em Ensino de Ciências na Amazônia A criação, em 2005, do Identifica-se naPPGEEC/ENS/UEA proposta 3217 da CAPES 2006 Mestrado Profissional em Ensino de Ciências na Decorrente dos Amazônia (UEA) desdobramentos de pesquisas realizadas nos projetos de Iniciação Científica na ENS
  12. 12. O estágio no MECA: objetivo e legitimaçãoResolução 002/08:Aprimoramento em alto nível deprofissionais comprometidos com oavanço do conhecimento científico e daprática de ensino Tem sua aprovação na portaria 47/1995 na CAPES tem como característica profissionalização, identificação e resolução de problemas Encontra legitimação na portaria normativa 7 de 22/07/09 da CAPES
  13. 13. Atividade curricularprática de ensinorealizada em curso deGraduação soborientação de prof. As disciplinas paraorientador realização do estágio são definidas pelo mestrando e seu orientador Artigo 5 da resolução 002/2008 desobriga o estágio para os mestrandos com experiência docente no ensino superior
  14. 14. 2. Formação docente na pós-graduação Segundo Cobe e Knowles (2002) aprender a ensinar é um processo complexo que envolve fatores afetivos, cognitivos, éticos, de desempenho, entre outros Para Gadotti (2006) é preciso substituir o homem unilateral, especializado, e alienado por um homem om-nilateral, não especializado e sobretudo, livre da exploração e da alienação de seu trabalho
  15. 15. Para Paquay e Wagner (2001) Realiza as tarefas Reflete e analisa Produz ferramentas atribuídas a suas práticas inovadoras,Utilizar esquemas de ação seu oficio pesquisadorcontextualizados problematizador Prático Prático artesão reflexivoSaberes disciplinares e Ser eminterdisciplinares desenvolvimentoSaberes didáticos e Ser um Ser em evoluçãoepistemológicos Culto profissional Pessoa profissionalSaberes pedagógicos, do ensino Ser em relação epsicológicos e comunicaçãofisiológicos Técnico Ator social Engajar-se em projetos coletivosUtilizar técnicas Por em prática o Analisar desafios(audiovisuais e outras) saber-fazer técnico e antropossociais das aplicar as regras situações cotidianas formalizadas
  16. 16. Para Pimenta e Anastasiou (2008) a pedagogia universitária significa Ter dominio do conhecimento, técnicas, método Conhecer universo Autonomia e cognitivo/cultural doCapacidade de discente reflexão Valorizar a avaliação Ser capaz de como diagnóstico e não articular ensino e como controle pesquisa
  17. 17. 2.1 Conceituando estágio docenteLei orgânica doensino profissional1942 Etimologicamente Cegalla (2005) significa treinamento ou prática de aprendizado em uma profissão Pimenta(2006) trata-se de momento de integração entre teoria e prática
  18. 18. Buriolla (1995)o estágio é umaespecialização concreta da Fazenda (1991) a profissão teoria no começo do curso e a prática no final como estágio evidencia a dicotomia teoria/prática O estágio se constitui de momento significativo de compatibilização dos saberes necessários a prática docente
  19. 19. 2.2 Estágio segundo as leisLDB 4.024/61 define oestágio paraprofissionais daeducação Lei 5.540/68 prioriza o estágio no processo formativo LDB 5.692/71 torna o estágio obrigatório Lei Federal 6.494/77 dispõe o estágio nos diversos nivéis formativos LDB 9394/96 define o estágio como pré-requisito para docência
  20. 20. 3. Análise da experiência do estágio docente no MECATotal de sujeitos colaboradores 3525% dos mestrandos estagiários responderamquestionário estruturado65% do grupo foram entrevistados20% responderam as questões via web15% dos mestrandos selecionados não foramcontatados por diversas razões
  21. 21. 100% Coordenadores foramentrevistados75% idealizadores do curso MPEC81% orientadores do cursoentrevistados
  22. 22. Categorias de sujeitos entrevistados77% mestrandos estagiários 200682% mestrandos da turma 200775% idealizadores do curso 81% orientadores dos estagiários 100% coordenadores do curso
  23. 23. O perfil dos sujeitos de acordo comdocumentos da secretaria do curso
  24. 24. Os dados são indicadores da flexibilidade do curso em relação a acessibilidade no curso
  25. 25. Os dados indicam crescimento no número de estagiários
  26. 26. Os dados indicam desarticulação entre disciplinas de estágio e pesquisa
  27. 27. A concepção dos sujeitos sobre as categorias de análise ESTÁGIO91% Concebe o estágio como momento demestrandos experiência da prática ou como compatibilização entre teoria e prática87% Concebe o estágio como momento de vivência eorientadores aprendizado da docência100% Concebe o estágio como enfrentamento dacoordenadores realidade ou como evolução na formação profissional
  28. 28. UNIVERSIDADE57% Entende a universidade como espaço de desenvolvimento do conhecimento científicoMestrandos articulado com as questões sociais62% Entende a universidade como lugar deorientadores construção do conhecimento científico100% Entende a universidade como espaço decoordenadores formação e discussão, construção livre do conhecimento, lugar da Ciência
  29. 29. PÓS-GRADUAÇÃO62% Entende a pós-graduação como especialização emestrandos sistematização de conhecimentos no processo de formação superior articulado com a reflexão sobre o contexto62% Entende a pós-graduação como especialização,orientadores aprofundamento e sistematização do conhecimento100% Entende a pós-graduação como nível de formação comcoordenadores aprofundamento e humanização do conhecimento
  30. 30. DOCÊNCIA83% Entende a docência como ação dialógica sistematizada paramestrandos mediar e cumprir com o processo de construção do saber científico62% Entende como exercício profissional específico com objetivoorientadores de profissionais100% Entende docência com implicação na conscientização dacoordenadores responsabilidade ética e dos saberes docentes para formar cidadãos responsáveis
  31. 31. O discurso dos sujeitos nos relatórios de estágio
  32. 32. A importância do estágio a partir do resultado da análise Sujeitos em formação Teorias ExperiênciasDisciplinas Estágio e práticas dacientíficas Docência vida Contexto histórico- social
  33. 33. Recomendações para o curso a partir doresultado da pesquisa
  34. 34. Processo de equivalência deconhecimentos por meio do estágioMestrandos Estágio em: do campo Química, Física,da Ciência Biologia,pedagógica Matemática Estágio em: Mestrandos metodologia do campo para ensino de das Ciências, Ciências Didática, Naturais e Filosofia da Ed. exatas
  35. 35. Sugestões para o MECA1. Seja constituida uma comissão multidisciplinar paraorganizar o estágio a partir das linhas de pesquisa.2. Seja eleito um coordenador de estágio para organizar oestágio docente no curso de mestrado junto com osorientadores e mestrandos.3. Seja estabelecido um campo de ação levando em conta anecessidade dos projetos e a possibilidade de articular oestágio com a pesquisa do mestrando.4. Seja estabelecida a obrigatoriedade do estágio para todosos mestrandos articulando isto a necessidade do seu campode formação inicial.
  36. 36. Obrigada!

×