SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
Retículo endoplasmático

-presente em todas as células eucariontes
          (animais e vegetais)
            -Visível ao ME

     Sistema de sáculos e canalículos
              membranosos
   -Composição química: lipoprotéico
  (proteínas estruturais e fosfolipídeos)

 -Biogênese – proteínas originam-se dos
  ribossomos; fosfolipídeos sintetizados
   pelas enzimas da própria membrana
Tipos de retículo:

- retículo endoplasmático liso (ou agranular)
        não tem ribossomos aderidos;
 - retículo endoplasmático rugoso (granular
    ou ergastoplasma) : tem ribossomos
                  aderidos.
Funções do retículo endoplasmático

- Transporte e distribuição de substâncias
           no meio intracelular;
         - síntese de proteínas - RER
   - síntese de lipídeos e de esteróides
- Armazenamento de proteínas
provenientes do LEC e de substâncias da
             própria célula

          -detoxificação - REL

  Síntese de glicoproteínas : enzimas
    lisossômicas e imunoglobulinas
Sistema golgiense
           (Complexo de Golgi)
     - presente nas células eucarióticas




    - constituída por pilhas de vesículas
achatadas e circulares e outras menores e
esféricas, que brotam a partir das primeiras
- aparecem sempre ao lado do núcleo
nas células animais; nas células vegetais
 apresentam-se difusas no citoplasma,
       formando os dictiossomos
   Composição química – membranas
             lipoproteicas
Biogênese: forma-se a partir do retículo
           endoplasmático
Funções
   -secreção
     celular
    proteínas
sintetizadas no
     retículo
endoplasmático
   rugoso são
concentradas e
eliminadas pela
  célula sob a
    forma de
   secreção.
- Formação do acrossomo da cabeça do
           espermatozóide




          -síntese de glicoproteínas
-Polissacarídeos + proteínas – revestimento
      de órgãos internos (ex. intestino)
• Síntese de glicolipídeos – formadores do
       glicocálix (revestimento celular)




      • Dar origem dos lisossomos
Lisossomos

    - presentes em células eucariontes de
         animais – exceção: hemácias

               - visível ao ME

- corpúsculos esféricos formados por uma
membrana com revestimento glicoprotéico
     que envolve enzimas hidrolíticas
Composição química: membrana
    lipoprotéica, com revestimento de
    glicoprotéico; enzimas: proteases,
  amilases, lipases e nucleases, além de
          fosfatases e sulfatases


Biogênese: a partir
   do Complexo
    golgiense
Funções :
- Função heterofágica: digestão de estruturas
        provenientes do meio externo
Função autofágica: digestão de
estruturas celulares – formação de vacúolo
autofagossômico – renovação de estruturas
                  celulares


Função autolítica (autólise): ruptura da
membrana lisossômica com liberação das
   enzimas hidrolíticas – digestão e
    desintegração de toda a célula
Doenças lisossômicas:
     -silicose ou asbestose – afecções
                pulmonares;
-Partículas de sílica ou amianto acumulam-
  se nas células dos alvéolos pulmonares,
   induzindo os lisossomos a realizarem
autólise, destruindo as células alveolares –
     redução da capacidade pulmonar.
Peroxissomos
- presentes nas células eucariontes (fungos,
      vegetais e maioria dos animais)

  - estruturas esféricas delimitadas por
 membranas, contendo a enzima catalase
              em seu interior

      Biogênese: a partir do retículo
         endoplasmático granular




     Micrografia eletrônica de 03 peroxissomos
Funções
    - degradação da água oxigenada (H2O2)
       produzida no metabolismo celular;
-fotorrespiração nos vegetais – conversão de
           ácido glicolítico em glicina
   -Glioxissomos – transformam lipídeos em
                açúcares – ATP;
 - quebra de moléculas de ácidos graxos, em
   um processo denominado beta oxidação.


                               Anticorpo
                               contendo
                             peroxissomos
Ribossomos
Presentes em células procariontes e
             eucariontes
Partículas globulares, formados por
  duas subunidades de tamanhos
              diferentes
Ocorrência: aparecem livres no citoplasma
  ou aderidos às membranas do retículo
          endoplasmático – RER

 Filamentos de ribossomos ligados entre si
       pelo RNAm = polissomos ou
             polirribossomos




     Composição química: RNAr +
             proteínas
Biogênese: originam-se do
        nucléolo

 Função: síntese de proteínas
mitocôndria
     organela membranosa responsável pela
  respiração celular (obtenção de energia para
          realização de trabalho celular)
Toda a atividade da célula requer energia, e esta,
é obtida através da mitocôndria. Esta organela é
 a responsável pela produção de energia através
   de um processo conhecido como respiração
                      celular.

                             Quanto maior a
                        atividade celular, maior
                             é o número de
                        mitocôndrias na célula
• Há dois tipos básicos de respiração:
           aeróbia e anaeróbia.
   • A respiração aeróbia ocorre em
       presença de oxigênio e são
   produzidos 30 ATPs e depende da
     existência e funcionamento das
              mitocôndrias.
  • A respiração anaeróbia ocorre na
    ausência de oxigênio e recebe o
       nome de fermentação e são
         formados 2 ATP. Não há
     participação das mitocôndrias
RESPIRAÇÃO CELULAR
Glicólise - Ocorre no citoplasma e consiste na
  degradação da glicose em ácido pirúvico;

    Ciclo de Krebs - Ocorre na matriz da
                mitocôndria

  Cadeia respiratória - Ocorre na membrana
interna da mitocôndria (cristas mitocondriais) e
   consiste na transferência de 12 átomos de
  hidrogênio, liberados durante a oxidação da
  glicose, para o oxigênio. Esta transferência
 forma água e libera energia na forma de ATP.
• Alguns organismos, como as leveduras
   (tipos de fungos), algumas espécies de
      bactérias, uns poucos moluscos e
 anelídeos são chamados de anaeróbios
  facultativos, pois podem viver tanto na
     presença quanto na ausência de O2.
   • Algumas células humanas (fibras
  musculares estriadas esqueléticas)
 também podem obter sua energia sem a
            utilização de O2.




 leveduras       Bactérias     Fibras musculares
Se o produto da fermentação é o
     ácido láctico, fala-se em
  fermentação láctica; se for o
 etanol, fala-se em fermentação
             alcoólica.




Fermentação láctica   Fermentação alcoólica
Citoesqueleto
    - complexa rede de finíssimos tubos
   (microtúbulos) e filamentos das células
                eucariontes
        - visíveis apenas ao ME

Composição química – formado por
uma hélice de moléculas globosas da
         proteína tubulina
Biogênese: tubulinas são sintetizadas ,
  quando necessárias, nos ribossomos

             Funções:
-formação do áster e do fuso mitótico
           -Citoesqueleto
          -Cílios e flagelos
        -Vacúolos digestivos
Centro celular ou centríolo
  Apresenta-se perto do núcleo na
           centrosfera
          Visível ao ME
  Cilíndro formado por 27
microtúbulos dispostos em 9
 feixes, cada um com três
   microtúbulos paralelos
- ocorre
       em células eucariontes de
animais, algas e fungos; não são
 observados em células vegetais

- Composição   química: proteínas,
carboidratos, lipídeos, DNA e RNA
Biogênese: por autoduplicação

                Funções:
-orientação do fuso mitótico - reprodução
                  celular
-Formação de cílios e flagelos a partir dos
            corpúsculos basais
    Cílios: pequenos e numerosos
Flagelos : longos e em número reduzido
Função dos cílios e flagelos:
               -locomoção,
     -Movimento do líquido extracelular
      -Limpeza das vias respiratórias


 Estrutura dos cílios e flagelos: eixo de
  sustentação – axonema – envolvido por
          membrana lipoprotéica
Axonema = 9 pares de microtúbulos ao redor
             de um par central
Retículo endoplasmático e organelas celulares

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasVal Silva
 
Citoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticasCitoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticasEstude Mais
 
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara BittencourtOrganelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara BittencourtMonara Bittencourt
 
Citoplasma e algumas de suas organelas
Citoplasma  e  algumas  de suas organelasCitoplasma  e  algumas  de suas organelas
Citoplasma e algumas de suas organelasAdrianne Mendonça
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasmarinadapieve
 
Citoplásma aula 02 de luzia
Citoplásma aula 02 de luziaCitoplásma aula 02 de luzia
Citoplásma aula 02 de luzialuziabiologa2010
 
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasCitoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasSauro Bacelar Martins
 
Peroxissomos, cg
Peroxissomos, cgPeroxissomos, cg
Peroxissomos, cgJoyce Wadna
 
Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011
Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011
Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011larissahaas
 
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasCitoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasGuilhardo Martins
 
Organelas Celulares
Organelas CelularesOrganelas Celulares
Organelas CelularesVictor Hugo
 

Mais procurados (20)

Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticas
 
Citoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticasCitoplasma e organelas citoplasmáticas
Citoplasma e organelas citoplasmáticas
 
Citoplasma
Citoplasma Citoplasma
Citoplasma
 
Organelas CITOPLASMATICAS
Organelas CITOPLASMATICASOrganelas CITOPLASMATICAS
Organelas CITOPLASMATICAS
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara BittencourtOrganelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
Organelas citoplasmáticas Profª Monara Bittencourt
 
Aula 06 citoplasma
Aula 06   citoplasmaAula 06   citoplasma
Aula 06 citoplasma
 
Citoplasma e algumas de suas organelas
Citoplasma  e  algumas  de suas organelasCitoplasma  e  algumas  de suas organelas
Citoplasma e algumas de suas organelas
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Organelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticasOrganelas citoplasmáticas
Organelas citoplasmáticas
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Citoplásma aula 02 de luzia
Citoplásma aula 02 de luziaCitoplásma aula 02 de luzia
Citoplásma aula 02 de luzia
 
Endomembranas famed 2014.2
Endomembranas famed 2014.2Endomembranas famed 2014.2
Endomembranas famed 2014.2
 
O citoplasma
O citoplasmaO citoplasma
O citoplasma
 
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasCitoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
 
Peroxissomos, cg
Peroxissomos, cgPeroxissomos, cg
Peroxissomos, cg
 
Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011
Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011
Biologia - Organelas e citoplasma (módulo 2 - frente A) 18.04.2011
 
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticasCitoplasma e organelas citoplasmaticas
Citoplasma e organelas citoplasmaticas
 
Organelas Celulares
Organelas CelularesOrganelas Celulares
Organelas Celulares
 

Destaque

Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologiabradok157
 
Roteiro de anatomia do crânio
Roteiro de anatomia do crânioRoteiro de anatomia do crânio
Roteiro de anatomia do crânioDaniel araújo
 
Roteiro De Anatomia Humana Ufmg
Roteiro De Anatomia Humana  UfmgRoteiro De Anatomia Humana  Ufmg
Roteiro De Anatomia Humana Ufmgfernando
 
Celular prcariontes e eucariontes
Celular prcariontes e eucariontesCelular prcariontes e eucariontes
Celular prcariontes e eucariontesPedro Lopes
 
Compostos organicos e inorganicos - Biologia
Compostos organicos e inorganicos - BiologiaCompostos organicos e inorganicos - Biologia
Compostos organicos e inorganicos - BiologiaMatheus César
 
Componentes químicos da célula
Componentes químicos da célulaComponentes químicos da célula
Componentes químicos da célulaFatima Comiotto
 
Células procariontes e eucariontes
Células procariontes e eucariontesCélulas procariontes e eucariontes
Células procariontes e eucariontesNaiiane Da Motta
 
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica   componentes inorgânicos e orgânicosBioquímica   componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicoscarreiralopes
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIALeonardo Delgado
 

Destaque (16)

Aula Citologia
Aula CitologiaAula Citologia
Aula Citologia
 
Roteiro de anatomia do crânio
Roteiro de anatomia do crânioRoteiro de anatomia do crânio
Roteiro de anatomia do crânio
 
Celula
CelulaCelula
Celula
 
Roteiro de estudo anatomia pdf
Roteiro de estudo   anatomia pdfRoteiro de estudo   anatomia pdf
Roteiro de estudo anatomia pdf
 
Roteiro De Anatomia Humana Ufmg
Roteiro De Anatomia Humana  UfmgRoteiro De Anatomia Humana  Ufmg
Roteiro De Anatomia Humana Ufmg
 
Celproeumembra
CelproeumembraCelproeumembra
Celproeumembra
 
A CéLula
A CéLulaA CéLula
A CéLula
 
Celular prcariontes e eucariontes
Celular prcariontes e eucariontesCelular prcariontes e eucariontes
Celular prcariontes e eucariontes
 
Compostos organicos e inorganicos - Biologia
Compostos organicos e inorganicos - BiologiaCompostos organicos e inorganicos - Biologia
Compostos organicos e inorganicos - Biologia
 
Componentes químicos da célula
Componentes químicos da célulaComponentes químicos da célula
Componentes químicos da célula
 
Células procariontes e eucariontes
Células procariontes e eucariontesCélulas procariontes e eucariontes
Células procariontes e eucariontes
 
A Célula
A CélulaA Célula
A Célula
 
Vírus Biologia
Vírus BiologiaVírus Biologia
Vírus Biologia
 
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica   componentes inorgânicos e orgânicosBioquímica   componentes inorgânicos e orgânicos
Bioquímica componentes inorgânicos e orgânicos
 
Biologia- Virus
Biologia- VirusBiologia- Virus
Biologia- Virus
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
 

Semelhante a Retículo endoplasmático e organelas celulares

Semelhante a Retículo endoplasmático e organelas celulares (20)

Estruturas Celulares
Estruturas CelularesEstruturas Celulares
Estruturas Celulares
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
A CéLula
A CéLulaA CéLula
A CéLula
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Resumo - Organelas
Resumo - OrganelasResumo - Organelas
Resumo - Organelas
 
Organelas eucariontes fij_ef
Organelas eucariontes fij_efOrganelas eucariontes fij_ef
Organelas eucariontes fij_ef
 
Célula Vegetal
Célula VegetalCélula Vegetal
Célula Vegetal
 
Citologia2
Citologia2Citologia2
Citologia2
 
Aula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pdf
Aula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pdfAula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pdf
Aula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pdf
 
Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas (1).pdf
 Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas (1).pdf Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas (1).pdf
Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas (1).pdf
 
Citologia parte III
Citologia parte IIICitologia parte III
Citologia parte III
 
Citoplasma unidade 6
Citoplasma unidade 6Citoplasma unidade 6
Citoplasma unidade 6
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Aula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pptx
Aula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pptxAula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pptx
Aula 1.1 - Citoplasma e Organelas Citoplasmáticas.pptx
 
Evolução celular
Evolução celularEvolução celular
Evolução celular
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
Biologia Celular
Biologia CelularBiologia Celular
Biologia Celular
 

Mais de wagnermaximo (18)

Mitcondria e cloroplasto
Mitcondria e cloroplastoMitcondria e cloroplasto
Mitcondria e cloroplasto
 
Fotossintese ii
Fotossintese iiFotossintese ii
Fotossintese ii
 
Fotossintese
FotossinteseFotossintese
Fotossintese
 
3.2
3.23.2
3.2
 
3.3
3.33.3
3.3
 
3.1
3.13.1
3.1
 
2.5
2.52.5
2.5
 
2.4
2.42.4
2.4
 
2.3
2.32.3
2.3
 
Evolucao i
Evolucao iEvolucao i
Evolucao i
 
2.1
2.12.1
2.1
 
Plano de curso fundamentos de biologia.
Plano de curso fundamentos de biologia.Plano de curso fundamentos de biologia.
Plano de curso fundamentos de biologia.
 
003
003003
003
 
001
001001
001
 
005
005005
005
 
004
004004
004
 
002
002002
002
 
007
007007
007
 

Retículo endoplasmático e organelas celulares

  • 1.
  • 2. Retículo endoplasmático -presente em todas as células eucariontes (animais e vegetais) -Visível ao ME Sistema de sáculos e canalículos membranosos -Composição química: lipoprotéico (proteínas estruturais e fosfolipídeos) -Biogênese – proteínas originam-se dos ribossomos; fosfolipídeos sintetizados pelas enzimas da própria membrana
  • 3. Tipos de retículo: - retículo endoplasmático liso (ou agranular) não tem ribossomos aderidos; - retículo endoplasmático rugoso (granular ou ergastoplasma) : tem ribossomos aderidos.
  • 4. Funções do retículo endoplasmático - Transporte e distribuição de substâncias no meio intracelular; - síntese de proteínas - RER - síntese de lipídeos e de esteróides
  • 5. - Armazenamento de proteínas provenientes do LEC e de substâncias da própria célula -detoxificação - REL Síntese de glicoproteínas : enzimas lisossômicas e imunoglobulinas
  • 6. Sistema golgiense (Complexo de Golgi) - presente nas células eucarióticas - constituída por pilhas de vesículas achatadas e circulares e outras menores e esféricas, que brotam a partir das primeiras
  • 7. - aparecem sempre ao lado do núcleo nas células animais; nas células vegetais apresentam-se difusas no citoplasma, formando os dictiossomos Composição química – membranas lipoproteicas Biogênese: forma-se a partir do retículo endoplasmático
  • 8. Funções -secreção celular proteínas sintetizadas no retículo endoplasmático rugoso são concentradas e eliminadas pela célula sob a forma de secreção.
  • 9.
  • 10. - Formação do acrossomo da cabeça do espermatozóide -síntese de glicoproteínas -Polissacarídeos + proteínas – revestimento de órgãos internos (ex. intestino)
  • 11. • Síntese de glicolipídeos – formadores do glicocálix (revestimento celular) • Dar origem dos lisossomos
  • 12. Lisossomos - presentes em células eucariontes de animais – exceção: hemácias - visível ao ME - corpúsculos esféricos formados por uma membrana com revestimento glicoprotéico que envolve enzimas hidrolíticas
  • 13. Composição química: membrana lipoprotéica, com revestimento de glicoprotéico; enzimas: proteases, amilases, lipases e nucleases, além de fosfatases e sulfatases Biogênese: a partir do Complexo golgiense
  • 14. Funções : - Função heterofágica: digestão de estruturas provenientes do meio externo
  • 15.
  • 16. Função autofágica: digestão de estruturas celulares – formação de vacúolo autofagossômico – renovação de estruturas celulares Função autolítica (autólise): ruptura da membrana lisossômica com liberação das enzimas hidrolíticas – digestão e desintegração de toda a célula
  • 17. Doenças lisossômicas: -silicose ou asbestose – afecções pulmonares; -Partículas de sílica ou amianto acumulam- se nas células dos alvéolos pulmonares, induzindo os lisossomos a realizarem autólise, destruindo as células alveolares – redução da capacidade pulmonar.
  • 18. Peroxissomos - presentes nas células eucariontes (fungos, vegetais e maioria dos animais) - estruturas esféricas delimitadas por membranas, contendo a enzima catalase em seu interior Biogênese: a partir do retículo endoplasmático granular Micrografia eletrônica de 03 peroxissomos
  • 19. Funções - degradação da água oxigenada (H2O2) produzida no metabolismo celular; -fotorrespiração nos vegetais – conversão de ácido glicolítico em glicina -Glioxissomos – transformam lipídeos em açúcares – ATP; - quebra de moléculas de ácidos graxos, em um processo denominado beta oxidação. Anticorpo contendo peroxissomos
  • 20. Ribossomos Presentes em células procariontes e eucariontes Partículas globulares, formados por duas subunidades de tamanhos diferentes
  • 21. Ocorrência: aparecem livres no citoplasma ou aderidos às membranas do retículo endoplasmático – RER Filamentos de ribossomos ligados entre si pelo RNAm = polissomos ou polirribossomos Composição química: RNAr + proteínas
  • 22. Biogênese: originam-se do nucléolo Função: síntese de proteínas
  • 23. mitocôndria organela membranosa responsável pela respiração celular (obtenção de energia para realização de trabalho celular) Toda a atividade da célula requer energia, e esta, é obtida através da mitocôndria. Esta organela é a responsável pela produção de energia através de um processo conhecido como respiração celular. Quanto maior a atividade celular, maior é o número de mitocôndrias na célula
  • 24. • Há dois tipos básicos de respiração: aeróbia e anaeróbia. • A respiração aeróbia ocorre em presença de oxigênio e são produzidos 30 ATPs e depende da existência e funcionamento das mitocôndrias. • A respiração anaeróbia ocorre na ausência de oxigênio e recebe o nome de fermentação e são formados 2 ATP. Não há participação das mitocôndrias
  • 25. RESPIRAÇÃO CELULAR Glicólise - Ocorre no citoplasma e consiste na degradação da glicose em ácido pirúvico; Ciclo de Krebs - Ocorre na matriz da mitocôndria Cadeia respiratória - Ocorre na membrana interna da mitocôndria (cristas mitocondriais) e consiste na transferência de 12 átomos de hidrogênio, liberados durante a oxidação da glicose, para o oxigênio. Esta transferência forma água e libera energia na forma de ATP.
  • 26. • Alguns organismos, como as leveduras (tipos de fungos), algumas espécies de bactérias, uns poucos moluscos e anelídeos são chamados de anaeróbios facultativos, pois podem viver tanto na presença quanto na ausência de O2. • Algumas células humanas (fibras musculares estriadas esqueléticas) também podem obter sua energia sem a utilização de O2. leveduras Bactérias Fibras musculares
  • 27. Se o produto da fermentação é o ácido láctico, fala-se em fermentação láctica; se for o etanol, fala-se em fermentação alcoólica. Fermentação láctica Fermentação alcoólica
  • 28. Citoesqueleto - complexa rede de finíssimos tubos (microtúbulos) e filamentos das células eucariontes - visíveis apenas ao ME Composição química – formado por uma hélice de moléculas globosas da proteína tubulina
  • 29. Biogênese: tubulinas são sintetizadas , quando necessárias, nos ribossomos Funções: -formação do áster e do fuso mitótico -Citoesqueleto -Cílios e flagelos -Vacúolos digestivos
  • 30. Centro celular ou centríolo Apresenta-se perto do núcleo na centrosfera Visível ao ME Cilíndro formado por 27 microtúbulos dispostos em 9 feixes, cada um com três microtúbulos paralelos
  • 31. - ocorre em células eucariontes de animais, algas e fungos; não são observados em células vegetais - Composição química: proteínas, carboidratos, lipídeos, DNA e RNA
  • 32. Biogênese: por autoduplicação Funções: -orientação do fuso mitótico - reprodução celular -Formação de cílios e flagelos a partir dos corpúsculos basais Cílios: pequenos e numerosos Flagelos : longos e em número reduzido
  • 33. Função dos cílios e flagelos: -locomoção, -Movimento do líquido extracelular -Limpeza das vias respiratórias Estrutura dos cílios e flagelos: eixo de sustentação – axonema – envolvido por membrana lipoprotéica Axonema = 9 pares de microtúbulos ao redor de um par central