SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS PROFº WAGNER FERRARI
MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Os métodos contraceptivos são classificados em cinco grupos:  • Métodos comportamentais; • Métodos de barreira; • Dispositivos intra-uterinos; • Contracepção hormonal; • Contracepção cirúrgica.
ANEL VAGINAL São anéis de material plástico, também contendo hormônio. São inseridos dentro da vagina, onde devem ser deixados por três semanas. A mulher faz uma pausa de uma semana e reinicia o uso. Não atrapalha a relação sexual, nem causa incômodo. É bastante eficaz.
TABELINHA 1. Tabelinha, Ritmo, OginoKnaus A famosa tabelinha é bastante utilizada, ainda hoje. Consiste no cálculo do provável dia da ovulação e na abstinência sexual por 7 dias, nessa época. Esse método, porém, só deve ser utilizado por mulheres que tenham os ciclos menstruais regulares e que ovulem sempre no 14º dia do ciclo. Para sua aplicação, devem ser observados os ciclos por pelo menos 6 meses, antes do início.  O modo de usar é bastante simples. Você pega a data provável da próxima menstruação e subtrai dela o número 14. O resultado é o dia provável da ovulação. Agora basta contar 4 dias antes e 4 dias depois. Durante esse tempo, o casal não deve ter relações sexuais. Vamos dar um exemplo: Vamos supor que o primeiro dia de sua próxima menstruação será no dia 20. Bom, agora subtraímos 14 de 20 (20-14=6). A data provável da menstruação é dia 6. Subtraímos 4 dias e somamos 4 dias a essa data. Assim, a abstinência deve ser feita do dia 2 ao dia 10.
CAMISINHA . Condom, Camisinha Existem modelos masculino e feminino (raramente usado). A camisinha masculina é um método bastante utilizado, mas depende de uso correto. A grande vantagem é que, além de proteger contra uma gravidez indesejada, protege contra doenças sexualmente transmissíveis/AIDS. A principal desvantagem da camisinha masculina é a necessidade de colocação durante o ato sexual, antes de qualquer tipo de penetração. Além disso, requer motivação do casal. Algumas pessoas podem apresentar alergia. A camisinha feminina pode ser colocada bem antes da relação sexual e é mais resistente que a masculina; porém, não é muito estética.
DIAFRAGMA Diafragma É um dispositivo de borracha ou silicone que recobre o colo uterino. A eficácia desse método aumenta quando a mulher utiliza espermaticida associado. Pode ser reutilizado, desde que seja bem lavado após o uso, e conservado com um pouco de amido (maisena) polvilhado. Ele deve ser colocado pelo menos 15 minutos antes da relação sexual, e deve ser retirado até 6 a 8 horas depois. Existem algumas alterações anatômicas que impedem seu uso.
ESPERMICIDAS São substâncias que matam os espermatozóides. Quando usados sozinhos não conferem proteção adequada. Os principais são: nonoxinol-9, octoxinol-9, menfegol.
DIU O DIU é o método contraceptivo mais utilizado no mundo. É um dispositivo geralmente feito de cobre, que é colocado dentro do útero e leva a várias modificações do útero e da tuba uterina, além de provocar reações que matam os espermatozóides.  Existem dois tipos principais: 1) o DIU de cobre, largamente utilizado, disponível no sistema único de saúde; e 2) o DIU com hormônio (um tipo de progesterona), de alta eficácia e que apresenta uma ação especial de alterar o muco do colo uterino, impedindo que os espermatozóides cheguem ao útero. O DIU é colocado pelo médico, de preferência durante o período menstrual, e apresenta durabilidade de alguns anos (depende do tipo). É extremamente eficaz, sendo que o risco de gravidez é bastante pequeno.
Contracepção Hormonal São constituídos de hormônios sintéticos, geralmente a associação de um tipo de estrogênio e um tipo de progesterona. Esses métodos atuam no centro regulador do ciclo menstrual, levando a um estado em que a mulher não ovula. São bastante eficazes, com uma taxa de gravidez muito baixa.  Durante seu uso, podem ocorrer sangramentos irregulares, aparecimento de manchas no rosto e leve ganho de peso.  Esses contraceptivos apresentam alguns efeitos benéficos, além de impedirem a gravidez: • Regularizam os ciclos menstruais;• Promovem alívio da tensão pré-menstrual (TPM);• Reduzem o risco de câncer de ovário e de endométrio (útero);• Reduzem a incidência de dismenorréia (cólicas menstruais) e diminuem o fluxo menstrual;• Levam à regressão de cistos de ovário que produzem hormônios.
PILULAS Contraceptivos Orais São as famosas pílulas. Elas devem ser iniciadas no primeiro dia da menstruação e continuadas por 21 dias consecutivos, sem falhar. Após o término da cartela, a mulher faz uma pausa de sete dias e reinicia o uso no oitavo dia. É importante tomar a pílula sempre no mesmo horário, recomendação especialmente válida para as mini-pílulas.  Os mais utilizados são os combinados, estrogênio + progesterona. Entretanto existe a mini-pílula, que contem apenas progesterona, e é utilizada principalmente em mulheres que estão amamentando e naquelas que apresentam contra-indicações ao uso de estrogênio, como mulheres com enxaqueca. A mini-pílula deve ser usada de forma contínua, sem pausas. Devemos ressaltar que os contraceptivos orais atuais não aumentam muito o risco de trombose, devido a uma dose mais baixa de estrogênio. Porém esse risco ainda existe, o que não impede seu uso em mulheres saudáveis e não-tabagistas.
INJETÁVEIS Existem duas modalidades: mensal e trimestral. Apresenta excelente eficácia e é de fácil uso, pois a mulher não precisa ficar lembrando todos os dias de tomar a pílula. Após a interrupção do uso, a mulher pode demorar algum tempo (até 9 meses) para conseguir engravidar.
ADESIVOS São semelhantes aos utilizados na terapia de reposição hormonal, em mulheres menopausadas. Os adesivos são "colados" na pele, e utilizados por três semanas, com pausa de uma semana. São bastante eficazes e de fácil utilização.
PILULA DO DIA SEGUINTE Faz com que o útero fique desfavorável à gravidez. Existem dois métodos. O primeiro consiste no uso de pílula própria, em duas doses: a primeira até 72 horas após o ato sexual e a segunda 12 horas após a primeira. O outro método consiste no uso da pílula comum, de forma que a mulher ingere duas pílulas até 72 horas após o ato sexual e mais duas 12 horas depois. Esse método só deve ser utilizado esporadicamente, devido ao esquecimento da pílula ou ao fato de a camisinha ter estourado. Também é indicada em casos de estupro. Uma informação de extrema importância: o uso freqüente leva à redução de sua eficácia. Como no Brasil, legalmente a gestação só começa após a aderência do ovo à parede do útero, a pílula do dia seguinte pode ser utilizada (já que ela impede essa ligação).
Contracepção Cirúrgica É o único método de contracepção definitiva, sendo utilizada por muitos casais. A esterilização feminina consiste na ligadura tubária, ou laqueadura. A masculina é a vasectomia. Devemos ressaltar que a vasectomia é um procedimento ambulatorial, que não requer hospitalização, é feita sob anestesia local e não causa nenhum tipo de disfunção sexual (como impotência). Esses métodos são de altíssima eficácia, mas suas indicações são bastante específicas. Assim, o casal deve procurar se informar com o ginecologista sobre a possibilidade de sua realização.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

metodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraismetodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraisineslilin
 
Anticoncepcionais aula
Anticoncepcionais aulaAnticoncepcionais aula
Anticoncepcionais aulalesartori
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivosRazvan Balaci
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosGerson Melo
 
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionaisMétodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionaisLiany Avila
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosturbokira
 
Metodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicosMetodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicosgracindabento
 
Métodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisMétodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisGonçalo Gonçalves
 
METODOS CONTRACEPTIVEIS
METODOS CONTRACEPTIVEISMETODOS CONTRACEPTIVEIS
METODOS CONTRACEPTIVEISmatheuspatrick
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisjoao11batista
 
métodos contracetivos
 métodos contracetivos métodos contracetivos
métodos contracetivosIsabel Lopes
 
Metodos Químicos
Metodos QuímicosMetodos Químicos
Metodos QuímicosDarkWolf
 
Métodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoMétodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoSofia Ribeiro
 
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]gggg7777
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosjluis505
 

Mais procurados (20)

metodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos oraismetodos contraceptivos orais
metodos contraceptivos orais
 
Pílula
PílulaPílula
Pílula
 
Anticoncepcionais aula
Anticoncepcionais aulaAnticoncepcionais aula
Anticoncepcionais aula
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionaisMétodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
Métodos anticonceptivos ou anticoncepcionais
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Metodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicosMetodos contracetivos quimicos
Metodos contracetivos quimicos
 
Metodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos speMetodos contraceptivos spe
Metodos contraceptivos spe
 
Métodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturaisMétodos naturais e métodos não naturais
Métodos naturais e métodos não naturais
 
METODOS CONTRACEPTIVEIS
METODOS CONTRACEPTIVEISMETODOS CONTRACEPTIVEIS
METODOS CONTRACEPTIVEIS
 
Apresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionaisApresentação metodos anticoncepcionais
Apresentação metodos anticoncepcionais
 
métodos contracetivos
 métodos contracetivos métodos contracetivos
métodos contracetivos
 
Metodos Químicos
Metodos QuímicosMetodos Químicos
Metodos Químicos
 
Métodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º anoMétodos contraceptivos 9º ano
Métodos contraceptivos 9º ano
 
Diu
DiuDiu
Diu
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivos Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
Metodos Contraceptivos [Guardado Automaticamente]
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 

Destaque

Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaispedropereiraeu
 
Aula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivosAula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivosMarcos Franco
 
Quadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
Quadro comparativo dos Métodos ContraceptivosQuadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
Quadro comparativo dos Métodos ContraceptivosAtuaescola
 
Estrogênio e progesterona
Estrogênio e progesteronaEstrogênio e progesterona
Estrogênio e progesteronaPhydel Carvalho
 
Embriologia 1ª e 2ª semana
Embriologia 1ª e 2ª semanaEmbriologia 1ª e 2ª semana
Embriologia 1ª e 2ª semanaMaíra Escobar
 
Aula de Patologia do Sistema Genital Feminino
Aula de Patologia do Sistema Genital FemininoAula de Patologia do Sistema Genital Feminino
Aula de Patologia do Sistema Genital FemininoRaimundo Tostes
 

Destaque (8)

Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionais
 
úTero
úTeroúTero
úTero
 
Aula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivosAula métodos contraceptivos
Aula métodos contraceptivos
 
Anais SIMPRA
Anais SIMPRAAnais SIMPRA
Anais SIMPRA
 
Quadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
Quadro comparativo dos Métodos ContraceptivosQuadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
Quadro comparativo dos Métodos Contraceptivos
 
Estrogênio e progesterona
Estrogênio e progesteronaEstrogênio e progesterona
Estrogênio e progesterona
 
Embriologia 1ª e 2ª semana
Embriologia 1ª e 2ª semanaEmbriologia 1ª e 2ª semana
Embriologia 1ª e 2ª semana
 
Aula de Patologia do Sistema Genital Feminino
Aula de Patologia do Sistema Genital FemininoAula de Patologia do Sistema Genital Feminino
Aula de Patologia do Sistema Genital Feminino
 

Semelhante a Métodos contraceptivos em

Ciências métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressa
Ciências   métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressaCiências   métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressa
Ciências métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressaRodrigo Exteca
 
Métodos contaceptivos
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivosURCA
 
Métodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTMétodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTclara.abegao
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosPeses Ourique
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaBruno
 
Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065Pelo Siro
 
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitorjluis505
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaAna Paula Silva
 
Aula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivoAula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivoGustavo Henrique
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosemrcja
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3Pelo Siro
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosDaniela Filipa Sousa
 
Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02
Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02
Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02Pelo Siro
 
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24Cláudia Bonifácio
 

Semelhante a Métodos contraceptivos em (20)

Ciências métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressa
Ciências   métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressaCiências   métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressa
Ciências métodos anticoncepcionais-jose dorileo de pina-gisele e andressa
 
Métodos contaceptivos
Métodos contaceptivosMétodos contaceptivos
Métodos contaceptivos
 
Métodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPTMétodos Cotraceptivos.PPT
Métodos Cotraceptivos.PPT
 
Trab Higiene Contrac 97 2003
Trab Higiene Contrac   97 2003Trab Higiene Contrac   97 2003
Trab Higiene Contrac 97 2003
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Apresentaçao importante
Apresentaçao importanteApresentaçao importante
Apresentaçao importante
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos Química
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
229
229229
229
 
Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065Mtodos cotraceptivosppt-1065
Mtodos cotraceptivosppt-1065
 
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, VitorMétodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
Métodos contracetivos - Eduardo, José Luís, Filipe, Vitor
 
Sexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescênciaSexualidade na adolescência
Sexualidade na adolescência
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Aula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivoAula 1 -_planejamento_reprodutivo
Aula 1 -_planejamento_reprodutivo
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-35 mtodos-contracep-1233068264563111-3
5 mtodos-contracep-1233068264563111-3
 
biologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivosbiologia 12º - Metodos contracetivos
biologia 12º - Metodos contracetivos
 
Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02
Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02
Mtodoscontraceptivos7c 110628063301-phpapp02
 
Métodos Contracetivos
Métodos ContracetivosMétodos Contracetivos
Métodos Contracetivos
 
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
Rita martins metodos_contraceptivos_16_21_22_24
 

Mais de wagneripo

CADERNO DE PROVA ENEM 2000
CADERNO DE PROVA ENEM 2000CADERNO DE PROVA ENEM 2000
CADERNO DE PROVA ENEM 2000wagneripo
 
GABARITO 2º DIA ENEM 2009
GABARITO 2º DIA ENEM 2009GABARITO 2º DIA ENEM 2009
GABARITO 2º DIA ENEM 2009wagneripo
 
GABARITO 1º DIA ENEM 2009
GABARITO 1º DIA ENEM 2009GABARITO 1º DIA ENEM 2009
GABARITO 1º DIA ENEM 2009wagneripo
 
PROVA ENEM 2010 1º DIA
PROVA ENEM 2010 1º DIAPROVA ENEM 2010 1º DIA
PROVA ENEM 2010 1º DIAwagneripo
 
PROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIAPROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIAwagneripo
 
PROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIAPROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIAwagneripo
 
PROVA ENEM 2012 1º DIA
PROVA ENEM 2012 1º DIAPROVA ENEM 2012 1º DIA
PROVA ENEM 2012 1º DIAwagneripo
 
DICAS DE REDAÇÃO
DICAS DE REDAÇÃODICAS DE REDAÇÃO
DICAS DE REDAÇÃOwagneripo
 
GABARITO ENEM 2013
GABARITO ENEM 2013GABARITO ENEM 2013
GABARITO ENEM 2013wagneripo
 
GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013
GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013
GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013wagneripo
 
Dia2 amarelo
Dia2 amareloDia2 amarelo
Dia2 amarelowagneripo
 
CADERNO AMARELO 2º DIA
CADERNO AMARELO 2º DIACADERNO AMARELO 2º DIA
CADERNO AMARELO 2º DIAwagneripo
 
CADERNO BRANCO 1º DIA.
CADERNO BRANCO 1º DIA.CADERNO BRANCO 1º DIA.
CADERNO BRANCO 1º DIA.wagneripo
 
Magnetismo no Cotidiano
Magnetismo no CotidianoMagnetismo no Cotidiano
Magnetismo no Cotidianowagneripo
 
O magnetismo no cotidiano
O magnetismo no cotidianoO magnetismo no cotidiano
O magnetismo no cotidianowagneripo
 

Mais de wagneripo (20)

CADERNO DE PROVA ENEM 2000
CADERNO DE PROVA ENEM 2000CADERNO DE PROVA ENEM 2000
CADERNO DE PROVA ENEM 2000
 
GABARITO 2º DIA ENEM 2009
GABARITO 2º DIA ENEM 2009GABARITO 2º DIA ENEM 2009
GABARITO 2º DIA ENEM 2009
 
GABARITO 1º DIA ENEM 2009
GABARITO 1º DIA ENEM 2009GABARITO 1º DIA ENEM 2009
GABARITO 1º DIA ENEM 2009
 
PROVA ENEM 2010 1º DIA
PROVA ENEM 2010 1º DIAPROVA ENEM 2010 1º DIA
PROVA ENEM 2010 1º DIA
 
PROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIAPROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIA
 
PROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIAPROVA ENEM 2012 2º DIA
PROVA ENEM 2012 2º DIA
 
PROVA ENEM 2012 1º DIA
PROVA ENEM 2012 1º DIAPROVA ENEM 2012 1º DIA
PROVA ENEM 2012 1º DIA
 
DICAS DE REDAÇÃO
DICAS DE REDAÇÃODICAS DE REDAÇÃO
DICAS DE REDAÇÃO
 
GABARITO ENEM 2013
GABARITO ENEM 2013GABARITO ENEM 2013
GABARITO ENEM 2013
 
GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013
GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013
GABARITOS DAS PROVAS ENEM 2013
 
Dia2 amarelo
Dia2 amareloDia2 amarelo
Dia2 amarelo
 
CADERNO AMARELO 2º DIA
CADERNO AMARELO 2º DIACADERNO AMARELO 2º DIA
CADERNO AMARELO 2º DIA
 
CADERNO BRANCO 1º DIA.
CADERNO BRANCO 1º DIA.CADERNO BRANCO 1º DIA.
CADERNO BRANCO 1º DIA.
 
Magnetismo no Cotidiano
Magnetismo no CotidianoMagnetismo no Cotidiano
Magnetismo no Cotidiano
 
O magnetismo no cotidiano
O magnetismo no cotidianoO magnetismo no cotidiano
O magnetismo no cotidiano
 
Animais
AnimaisAnimais
Animais
 
7ª série
7ª série7ª série
7ª série
 
7ª série
7ª série7ª série
7ª série
 
7ª série
7ª série7ª série
7ª série
 
7ª série
7ª série7ª série
7ª série
 

Último

TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...DominiqueFaria2
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 

Último (20)

TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
A FORMAÇÃO DO SÍMBOLO NA CRIANÇA -- JEAN PIAGET -- 2013 -- 6ced7f10b1a00cd395...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 

Métodos contraceptivos em

  • 2. MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Os métodos contraceptivos são classificados em cinco grupos: • Métodos comportamentais; • Métodos de barreira; • Dispositivos intra-uterinos; • Contracepção hormonal; • Contracepção cirúrgica.
  • 3. ANEL VAGINAL São anéis de material plástico, também contendo hormônio. São inseridos dentro da vagina, onde devem ser deixados por três semanas. A mulher faz uma pausa de uma semana e reinicia o uso. Não atrapalha a relação sexual, nem causa incômodo. É bastante eficaz.
  • 4. TABELINHA 1. Tabelinha, Ritmo, OginoKnaus A famosa tabelinha é bastante utilizada, ainda hoje. Consiste no cálculo do provável dia da ovulação e na abstinência sexual por 7 dias, nessa época. Esse método, porém, só deve ser utilizado por mulheres que tenham os ciclos menstruais regulares e que ovulem sempre no 14º dia do ciclo. Para sua aplicação, devem ser observados os ciclos por pelo menos 6 meses, antes do início. O modo de usar é bastante simples. Você pega a data provável da próxima menstruação e subtrai dela o número 14. O resultado é o dia provável da ovulação. Agora basta contar 4 dias antes e 4 dias depois. Durante esse tempo, o casal não deve ter relações sexuais. Vamos dar um exemplo: Vamos supor que o primeiro dia de sua próxima menstruação será no dia 20. Bom, agora subtraímos 14 de 20 (20-14=6). A data provável da menstruação é dia 6. Subtraímos 4 dias e somamos 4 dias a essa data. Assim, a abstinência deve ser feita do dia 2 ao dia 10.
  • 5. CAMISINHA . Condom, Camisinha Existem modelos masculino e feminino (raramente usado). A camisinha masculina é um método bastante utilizado, mas depende de uso correto. A grande vantagem é que, além de proteger contra uma gravidez indesejada, protege contra doenças sexualmente transmissíveis/AIDS. A principal desvantagem da camisinha masculina é a necessidade de colocação durante o ato sexual, antes de qualquer tipo de penetração. Além disso, requer motivação do casal. Algumas pessoas podem apresentar alergia. A camisinha feminina pode ser colocada bem antes da relação sexual e é mais resistente que a masculina; porém, não é muito estética.
  • 6. DIAFRAGMA Diafragma É um dispositivo de borracha ou silicone que recobre o colo uterino. A eficácia desse método aumenta quando a mulher utiliza espermaticida associado. Pode ser reutilizado, desde que seja bem lavado após o uso, e conservado com um pouco de amido (maisena) polvilhado. Ele deve ser colocado pelo menos 15 minutos antes da relação sexual, e deve ser retirado até 6 a 8 horas depois. Existem algumas alterações anatômicas que impedem seu uso.
  • 7. ESPERMICIDAS São substâncias que matam os espermatozóides. Quando usados sozinhos não conferem proteção adequada. Os principais são: nonoxinol-9, octoxinol-9, menfegol.
  • 8. DIU O DIU é o método contraceptivo mais utilizado no mundo. É um dispositivo geralmente feito de cobre, que é colocado dentro do útero e leva a várias modificações do útero e da tuba uterina, além de provocar reações que matam os espermatozóides. Existem dois tipos principais: 1) o DIU de cobre, largamente utilizado, disponível no sistema único de saúde; e 2) o DIU com hormônio (um tipo de progesterona), de alta eficácia e que apresenta uma ação especial de alterar o muco do colo uterino, impedindo que os espermatozóides cheguem ao útero. O DIU é colocado pelo médico, de preferência durante o período menstrual, e apresenta durabilidade de alguns anos (depende do tipo). É extremamente eficaz, sendo que o risco de gravidez é bastante pequeno.
  • 9. Contracepção Hormonal São constituídos de hormônios sintéticos, geralmente a associação de um tipo de estrogênio e um tipo de progesterona. Esses métodos atuam no centro regulador do ciclo menstrual, levando a um estado em que a mulher não ovula. São bastante eficazes, com uma taxa de gravidez muito baixa. Durante seu uso, podem ocorrer sangramentos irregulares, aparecimento de manchas no rosto e leve ganho de peso. Esses contraceptivos apresentam alguns efeitos benéficos, além de impedirem a gravidez: • Regularizam os ciclos menstruais;• Promovem alívio da tensão pré-menstrual (TPM);• Reduzem o risco de câncer de ovário e de endométrio (útero);• Reduzem a incidência de dismenorréia (cólicas menstruais) e diminuem o fluxo menstrual;• Levam à regressão de cistos de ovário que produzem hormônios.
  • 10. PILULAS Contraceptivos Orais São as famosas pílulas. Elas devem ser iniciadas no primeiro dia da menstruação e continuadas por 21 dias consecutivos, sem falhar. Após o término da cartela, a mulher faz uma pausa de sete dias e reinicia o uso no oitavo dia. É importante tomar a pílula sempre no mesmo horário, recomendação especialmente válida para as mini-pílulas. Os mais utilizados são os combinados, estrogênio + progesterona. Entretanto existe a mini-pílula, que contem apenas progesterona, e é utilizada principalmente em mulheres que estão amamentando e naquelas que apresentam contra-indicações ao uso de estrogênio, como mulheres com enxaqueca. A mini-pílula deve ser usada de forma contínua, sem pausas. Devemos ressaltar que os contraceptivos orais atuais não aumentam muito o risco de trombose, devido a uma dose mais baixa de estrogênio. Porém esse risco ainda existe, o que não impede seu uso em mulheres saudáveis e não-tabagistas.
  • 11. INJETÁVEIS Existem duas modalidades: mensal e trimestral. Apresenta excelente eficácia e é de fácil uso, pois a mulher não precisa ficar lembrando todos os dias de tomar a pílula. Após a interrupção do uso, a mulher pode demorar algum tempo (até 9 meses) para conseguir engravidar.
  • 12. ADESIVOS São semelhantes aos utilizados na terapia de reposição hormonal, em mulheres menopausadas. Os adesivos são "colados" na pele, e utilizados por três semanas, com pausa de uma semana. São bastante eficazes e de fácil utilização.
  • 13. PILULA DO DIA SEGUINTE Faz com que o útero fique desfavorável à gravidez. Existem dois métodos. O primeiro consiste no uso de pílula própria, em duas doses: a primeira até 72 horas após o ato sexual e a segunda 12 horas após a primeira. O outro método consiste no uso da pílula comum, de forma que a mulher ingere duas pílulas até 72 horas após o ato sexual e mais duas 12 horas depois. Esse método só deve ser utilizado esporadicamente, devido ao esquecimento da pílula ou ao fato de a camisinha ter estourado. Também é indicada em casos de estupro. Uma informação de extrema importância: o uso freqüente leva à redução de sua eficácia. Como no Brasil, legalmente a gestação só começa após a aderência do ovo à parede do útero, a pílula do dia seguinte pode ser utilizada (já que ela impede essa ligação).
  • 14. Contracepção Cirúrgica É o único método de contracepção definitiva, sendo utilizada por muitos casais. A esterilização feminina consiste na ligadura tubária, ou laqueadura. A masculina é a vasectomia. Devemos ressaltar que a vasectomia é um procedimento ambulatorial, que não requer hospitalização, é feita sob anestesia local e não causa nenhum tipo de disfunção sexual (como impotência). Esses métodos são de altíssima eficácia, mas suas indicações são bastante específicas. Assim, o casal deve procurar se informar com o ginecologista sobre a possibilidade de sua realização.