SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Arquipélago Engenharia Ambiental




      Mapeamento através de medições nos drenos
         existentes e ensaio piloto de extração


                     Prefeitura Municipal de Campinas

                                  Aterro Delta A

                                  Campinas - SP




Ref.: Serviços Nov/2007


NOTA DE CONFIDENCIALIDADE: Este documento e seu(s) anexo(s) possuem
confidencialidade protegida por lei. As informações aqui contidas são de uso restrito
ao destinatário identificado. Qualquer cópia, distribuição ou uso do conteúdo para
quaisquer fins, exceto aquele contratado, é estritamente proibido.
P451/R01/V00/08                                                                    i
Arquipélago Engenharia Ambiental



                                                      ÍNDICE

1   INTRODUÇÃO..................................................................................................................1
2   AVALIAÇÃO PASSIVA DOS DRENOS EXISTENTES ................................................2
3   ENSAIO PILOTO DE EXTRAÇÃO ATIVA DE BIOGÁS..............................................3
4   AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ................................................................................5




                                                    TABELAS

1   – Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo
2   – Medições nos Drenos de Gás no Ensaio de Extração Ativa




P451/R01/V00/08                                                                                                               ii
Arquipélago Engenharia Ambiental



1      INTRODUÇÃO

O presente relatório parcial de dados apresenta os resultados obtidos no mapeamento
semi-quantitativo da qualidade do gás e ensaio de extração de biogás em escala piloto
nos drenos existentes no Aterro Sanitário Delta A, de acordo com contrato no. 053/07
firmado entre a Prefeitura Municipal de Campinas e Arquipélago Engenharia
Ambiental Ltda..




P 451/R01/V00/08                                                                   1
Arquipélago Engenharia Ambiental



2        AVALIAÇÃO PASSIVA DOS DRENOS EXISTENTES

A avaliação passiva dos drenos existentes consistiu na medição dos seguintes
parâmetros:

    −   Velocidade máxima gás (m/s);
    −   Temperatura gás (ºC);
    −   Concentração de CH4 (vol. %);
    −   Concentração de O2 (vol. %);
    −   Concentração de H2S (ppm); e
    −   Concentração de CO2 (vol. %).

Os resultados obtidos estão apresentados na Tabela 1 (Anexo I). Foi possível realizar
medições em 97 dos 110 drenos existentes.

Para as medições de velocidade e temperatura, foi utilizado um termo-anemômetro
Marca Testo 425.

Para a medição das concentrações de metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), gás
sulfídrico (H2S) e oxigênio (O2), foi utilizado o analisador de gases portátil da Marca
Landtec Modelo GEM2000 com célula de H2S acoplada, com faixa de medição de
CH4 de 0 a 100%, CO2 de 0 a 100%, O2 de 0 a 25% e H2S de 0 a 50 ppm.

O método adotado consistiu em:
1) Extinção da chama algumas horas antes da medição, com água de reuso do próprio
aterro;
2) Identificação do dreno de acordo com a nomenclatura descrita em planta de
localização;
3) Colocação da tampa metálica e vedação com filme plástico e/ou lona plástica,
dependendo das características construtivas e condição de conservação do dreno;
4) Medição da concentração, velocidade e temperatura dos gases oriundos de cada
dreno, com os instrumentos descritos; e
5) Restabelecimento da queima no dreno.




P 451/R01/V00/08                                                                     2
Arquipélago Engenharia Ambiental


3       ENSAIO PILOTO DE EXTRAÇÃO ATIVA DE BIOGÁS

O ensaio piloto de extração ativa de biogás foi realizado no dreno DG 97 e consistiu na
medição dos seguintes parâmetros:

    − Vácuo no dreno ensaiado (mmca);
    − Pressão na saída do compressor radial (mbar);
    − Velocidade no tubo (m/s);
    − Concentração de CH4 (vol. %);
    − Concentração de O2 (vol. %);
    − Concentração de H2S (ppm);
    − Concentração de CO2 (vol. %);
    − Vácuos nas três hastes cravadas, nas                     imediações   do   dreno
      ensaiado (mmca); e
    − Temperatura n saída do compressor (ºC).

Os resultados obtidos estão apresentados na Tabela 2(Anexo I).

Para as medições de velocidade foi utilizado um anemômetro Marca Testo 416.

Para a medição das concentrações de metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), gás
sulfídrico (H2S) e oxigênio (O2), foi utilizado o analisador de gases portátil da Marca
Landtec Modelo GEM2000 com célula de H2S acoplada, com faixa de medição de
CH4 de 0 a 100%, CO2 de 0 a 100%, O2 de 0 a 25% e H2S de 0 a 200 ppm.

O processo utilizado no ensaio ativo de extração e o arranjo montado é descrito a
seguir.

Uma tubulação de PVC foi conectada a uma tampa de aço carbono adaptada no anel
de concreto do dreno, que foi coberto por uma lona plástica e solo argiloso. A
tubulação de PVC foi conectada a um separador de umidade (TQ-01), que, por sua
vez, foi acoplado a um compressor radial (CR01). No trecho entre o dreno e o
separador de umidade, foi instalado um ponto de medição de vácuo. O vácuo pode ser
medido com uma mangueira de água graduada. No trecho entre o separador de
umidade e o compressor radial foi instalado um ponto baixo com dreno, para proteção
do compressor radial contra a entrada de líquidos, e instalada uma válvula gaveta, para
permitir a regulagem da vazão extraída de gás.

A jusante do soprador foi instalado um corta chamas constituído por um tanque, o qual
foi preenchido com água, para a formação de um selo hidráulico. O corta chamas teve
P 451/R01/V00/08                                                                     3
Arquipélago Engenharia Ambiental


a função de proteger o compressor radial contra eventual retorno de chama ou
explosão. No trecho entre o compressor radial e o corta chamas, foi instalado um ponto
de medição de vazão, um ponto de medição de pressão e um ponto de medição de
concentração do gás. A pressão pode ser medida com uma mangueira de água
graduada.

O corta chamas foi então conectado a uma tubulação de concreto, que teve a função de
queimador. Em função da elevada temperatura neste trecho, a tubulação empregada foi
de aço carbono.

O sistema funcionou da seguinte maneira: o compressor radial (CR-01) promoveu a
sucção do biogás gerado no dreno ensaiado. O biogás, saturado em água e contendo
gotículas líquidas, passou pelo separador de umidade (TQ-01), no qual gotículas de
água e eventual líquido condensado foram separados. O biogás foi então comprimido
no compressor radial, onde sofreu um aumento de pressão, sendo encaminhado a
seguir para o corta chamas, onde foi borbulhado em uma delgada camada de líquido,
com função de selo hidráulico, seguindo então para um tubo de concreto aceso, que
teve a função de queimador. Em vários pontos do sistema, foram tomadas medições,
para acompanhamento e ajustes do processo.




P 451/R01/V00/08                                                                    4
Arquipélago Engenharia Ambiental


4      AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS

Os dados aqui apresentados serão comparados àqueles obtidos nas demais etapas do
trabalho (avaliação da cobertura do aterro, comparação com a geração teórica), de
forma a resultar em uma melhor avaliação do Aterro Sanitário Delta A.

Assim sendo, a análise final dos dados coletados em campo, juntamente com os
resultados obtidos, serão apresentados no relatório final conclusivo.




 Amauri Rodrigues Junior                                      Maria José Neves
  Engenheiro Químico                                          Engenheiro Civil
   ARQUIPÉLAGO                                                ARQUIPÉLAGO




P 451/R01/V00/08                                                                 5
Arquipélago Engenharia Ambiental




                          ANEXO I


                          TABELAS




P451/R01/V00/08
Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo


            Velocidade do
Número do                    Temperatura
            Gás Máxima                         CO2 %       CH4 em vol. % O2 em vol. %    H2S em ppm
  dreno                       do gás (ºC)
                (m/s)

   1            0,87             32,20           10,90          15,40            15,10      9,00
   2            1,39             30,10           12,40          17,40            14,00      3,00
   3            2,75             35,40           36,10          47,90            3,10      25,00
   4            0,66             32,70           2,80            5,10            18,90      2,00
   5            1,30             31,90           2,70            4,20            18,60      2,00
   6            0,81             31,20           0,20            0,60            20,30      2,00
   7            1,10             42,10           0,00            0,60            20,20      0,00
   8            0,89             32,10           0,00            0,20            20,60      2,00
   9            0,68             29,30           6,60           10,10            17,30      3,00
   10           0,06             33,40           0,20            0,80            20,40      2,00
   11           2,67             41,40           36,00          53,40            1,80      15,00
   12           0,89             32,70           0,10            0,80            20,50      1,00
   13           1,02             34,40           0,00            0,20            20,60      2,00
   14           3,44             42,90           11,10          18,60            14,30      4,00
   15           1,34             25,40           0,10            0,40            20,90      1,00
   16           1,53             24,90           0,00            0,10            20,60      2,00
   17           1,10             24,60           0,00            0,20            21,00      2,00
   18           1,80             25,10           11,40          19,80            14,10      3,00
   19           1,35             34,50           0,10            0,60            20,50      0,00
   20           2,47             23,50           0,00            0,10            20,90      2,00
   21           1,86             24,10           0,20            0,50            20,80      2,00
Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo


            Velocidade do
Número do                    Temperatura
            Gás Máxima                         CO2 %       CH4 em vol. % O2 em vol. %    H2S em ppm
  dreno                       do gás (ºC)
                (m/s)

   22           1,11             31,40           6,20           10,40            16,30      2,00
   23           1,96             36,40           40,90          51,10            0,40      21,00
   24           2,64             40,20           26,60          38,10            6,40       6,00
   25           1,88             32,60           10,50          15,60            14,90      1,00
   26           1,94             32,90           24,20          31,00            8,50       5,00
  27(*)           -                -               -              -                -         -
   28           1,79             40,30           5,60           11,10            18,80      3,00
   29           0,71             31,40           5,30           12,20            16,70      1,00
   30           1,91             28,00           30,80          43,80            4,70       3,00
   31           2,86             26,10           35,20          50,30            2,90       2,00
   32           2,56             37,80           33,80          50,00            4,00      13,00
  33(*)           -                -               -              -                -         -
   34           2,11             37,80           41,00          58,50            0,30      27,00
   35           0,14             41,90           19,80          27,60            10,20      4,00
   36           1,84             27,70           2,90            4,70            19,00      2,00
   37           0,87             38,70           21,30          30,00            9,10       8,00
  38(*)           -                -               -              -                -         -
  39(*)           -                -               -              -                -         -
   40           1,38             33,10           36,70          48,70            0,60       6,00
  41 (+)          -                -               -              -                -         -
   42           1,35             26,20           0,50            0,40            20,40      2,00
Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo


            Velocidade do
Número do                    Temperatura
            Gás Máxima                         CO2 %       CH4 em vol. % O2 em vol. %    H2S em ppm
  dreno                       do gás (ºC)
                (m/s)

   43           1,41             42,60           22,10          32,40            9,10       5,00
   44           1,83             30,40           5,50           10,80            17,20      2,00
   45           0,29             26,60           5,90            7,10            16,20      3,00
   46           2,23             33,80           19,70          28,70            9,90       1,00
   47           1,56             35,60           26,00          37,80            7,80       2,00
   48           0,32             31,80           0,10            0,30            20,30      1,00
   49           1,27             32,10           12,10          18,90            13,80      2,00
   50           2,04             35,90           3,20            6,40            18,60      1,00
  51(*)           -                -               -              -                -         -
   52           3,17             32,90           36,20          48,80            2,90       1,00
  53(*)           -                -               -              -                -         -
   54           1,48             25,70           0,10            0,20            20,90      1,00
   55           3,58             37,10           42,70          56,70            0,00      43,00
   56           2,05             23,60           3,70            6,30            18,80      7,00
   57           3,43             42,20           37,70          53,00            2,80      23,00
   58           2,59             27,50           16,80          27,80            12,10      6,00
   59           2,08             25,50           6,20            9,60            17,40      2,00
   60           2,61             31,00           40,90          54,00            1,00      >>50
   61           1,38             27,60           25,60          35,70            8,90       3,00
   62           0,62             27,40           1,10            2,10            20,50      2,00
 63 (**)          -                -               -              -                -         -
Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo


            Velocidade do
Número do                    Temperatura
            Gás Máxima                         CO2 %       CH4 em vol. % O2 em vol. %    H2S em ppm
  dreno                       do gás (ºC)
                (m/s)

 64 (**)          -                -               -              -                -         -
   65           0,31             40,10           24,30          32,70            10,10     33,00
   66           3,38             33,60           33,30          42,80            5,20      23,00
 67 (**)          -                -               -              -                -         -
   68           0,11             45,40           35,00          44,10            3,50      31,00
  69 (+)          -                -               -              -                -         -
   70           0,45             34,60           30,10          44,10            7,00      12,00
   71           2,15             33,90           37,40          50,20            2,00      45,00
   72           0,95             35,80           41,20          56,50            0,50      29,00
  73 (+)          -                -               -              -                -         -
   74           3,60             39,50           40,60          55,30            1,40      21,00
   75           3,73             36,70           40,80          54,50            0,80      20,00
  76(-)           -                -               -              -                -         -
   77           0,35             31,50           41,90          58,90            0,00      25,00
   78           3,16             35,80           41,00          56,90            0,50      30,00
   79           0,35             35,50           42,10          57,70            0,00      31,00
   80           1,86             31,00           3,60            7,70            18,50      1,00
   81           1,84             13,70           21,50          27,70            9,60       3,00
   82           3,13             39,00           38,80          49,40            2,20      >>50
   83           2,52             19,50           6,60            9,60            17,60      2,00
   84           1,01             44,30           41,00          57,00            0,20      48,00
Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo


            Velocidade do
Número do                    Temperatura
            Gás Máxima                         CO2 %       CH4 em vol. % O2 em vol. %    H2S em ppm
  dreno                       do gás (ºC)
                (m/s)

   85           4,04             39,60           35,10          46,50            3,40      21,00
   86           4,36             39,00           40,80          57,30            0,40      >>50
   87           0,14             37,80           42,60          58,70            0,20      >>50
   88           1,13             24,10           1,20            1,80            20,70      2,00
   89           4,12             30,20           13,50          16,10            13,40      4,00
   90           2,52             25,20           6,20            8,40            17,40      2,00
   91           2,77             27,30           15,50          20,60            13,20      2,00
   92           3,18             31,40           13,20          16,80            14,40      3,00
   93           1,47             25,10           0,00            0,20            21,10      2,00
   94           3,68             34,50           41,80          57,50            0,20      >>50
   95           0,37             37,60           39,00          53,50            1,80      32,00
   96           2,75             53,30           21,80          30,60            9,10      23,00
   97           4,51             36,70           41,40          56,80            0,30      47,00
   98           1,56             34,20           25,80          34,80            10,10      5,00
   99           0,67             30,70           8,20           12,60            16,00     25,00
  100           1,86             53,70           40,00          54,30            1,60      >>50
  101           2,48             22,00           0,70            0,80            20,40      1,00
  102           2,40             28,20           9,10           11,80            15,70     16,00
  103           3,78             30,70           39,10          52,20            2,70      47,00
  104           2,78             35,90           41,20          57,50            0,60      >>50
  105           2,38             25,10           22,10          22,00            11,80     17,00
Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo


              Velocidade do
 Número do                     Temperatura
              Gás Máxima                         CO2 %       CH4 em vol. % O2 em vol. %    H2S em ppm
   dreno                        do gás (ºC)
                  (m/s)

    106           3,11             28,40           37,10          39,50            5,00       5,00
    107           5,40             30,80           38,10          38,20            5,40      57,00
    108           2,33             26,10           22,40          29,50            11,10      8,00
    109           3,27             25,40           18,80          26,10            11,40     23,00
    110           2,35             43,70           14,60          20,70            12,60      6,00



LEGENDA:
(*) DRENO SOTERRADO
(**) DRENO COM TUBO METÁLICO ALTO (>3m)
 (-) DRENO NA ÁREA DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS
(+) DRENO COM FOGO
Tabela 2 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaios de Extração Ativa

                      Vácuo no Pressão saída
 Dreno      Tempo                            Velocidade
                     dreno de gás compressor               CH4 (%)     O2     (%)   H2S (ppm)   CO2 (%)   Temp. (ºC)
ensaiado:    (hrs)                             (m/s)
                       (mmca)       (mmca)
            00:00        0           0           0,0         51,6           2,4        27        35,7        33
            00:10       236         380         28,9         46,0           4,1        49        32,8        50
            00:20       236         380         28,6         45,3           4,1        47        32,5        52
            00:30       225         375         29,0         45,5           4,3        48        32,5        53
            00:40       214         370         28,7         44,9           4,5        48        31,9        54
            00:50       210         360         27,2         44,9           4,5        45        32,0        55
            01:00       210         360         28,7         45,0           4,7        44        31,4        55
            01:20       210         355         28,4         43,9           4,5        45        31,1        55
 DG 97
            01:40       210         355         28,8         44,0           4,7        45        30,3        55
            02:00       210         355         28,6         43,8           4,9        49        31,2        55
            02:30       210         355         28,9         43,0           5,0        42        31,1        55
            03:00       210         345         28,7         43,0           5,0        41        30,9        55
            04:00       210         320         29,1         43,6           4,8        49        31,3        53
            05:00       210         330         30,1         43,6           4,9        48        31,3        53
            06:00       210         320         29,3         43,5           4,9        45        31,6        55
            07:00       210         315         28,4         43,7           4,8        47        32,2        55

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (8)

Pratica de Medição em Instrumentos de Higiene Industrial
Pratica de Medição em Instrumentos de Higiene IndustrialPratica de Medição em Instrumentos de Higiene Industrial
Pratica de Medição em Instrumentos de Higiene Industrial
 
Ensaio e Modelação de Comportamento Térmico de Betões de Elevado Desempenho n...
Ensaio e Modelação de Comportamento Térmico de Betões de Elevado Desempenho n...Ensaio e Modelação de Comportamento Térmico de Betões de Elevado Desempenho n...
Ensaio e Modelação de Comportamento Térmico de Betões de Elevado Desempenho n...
 
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de ProcessoWorkshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
Workshop - Estudo de Tratabilidade para Definição de Processo
 
Referências Projetos - EP Engenharia
Referências Projetos - EP EngenhariaReferências Projetos - EP Engenharia
Referências Projetos - EP Engenharia
 
Ciu 13 010
Ciu 13 010Ciu 13 010
Ciu 13 010
 
avaliacaoiii
avaliacaoiiiavaliacaoiii
avaliacaoiii
 
Etar
EtarEtar
Etar
 
Pop determinação do p h
Pop   determinação do p hPop   determinação do p h
Pop determinação do p h
 

Destaque

La Cultura De La Covnergencia
La Cultura De La CovnergenciaLa Cultura De La Covnergencia
La Cultura De La CovnergenciaIndio210
 
14456237 Diagramas De Fases
14456237 Diagramas De Fases14456237 Diagramas De Fases
14456237 Diagramas De Fasesguest7c3e50a
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacaonilcenia
 
Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009
Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009
Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009FESABID
 
bace de información
bace de informaciónbace de información
bace de informaciónmillergarcia
 
Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.
Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.
Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.Junior Campos
 
Thd Ct3 19juin2009 Kc
Thd Ct3 19juin2009 KcThd Ct3 19juin2009 Kc
Thd Ct3 19juin2009 Kcremy3131
 
Aula 1 - Linguagem III
Aula 1 - Linguagem IIIAula 1 - Linguagem III
Aula 1 - Linguagem IIIJuliano Weber
 
2 Fesabid 2009 Rebiun
2   Fesabid 2009 Rebiun2   Fesabid 2009 Rebiun
2 Fesabid 2009 RebiunFESABID
 
Examen Computacion Educacion Virtual
Examen Computacion Educacion VirtualExamen Computacion Educacion Virtual
Examen Computacion Educacion Virtualdomi9309
 
Tcc Felipe Grilli Real Options Theory
Tcc Felipe Grilli Real Options TheoryTcc Felipe Grilli Real Options Theory
Tcc Felipe Grilli Real Options Theoryfelipegrilli
 
Pablo De Castro Metrica De Repositorios
Pablo De Castro Metrica De RepositoriosPablo De Castro Metrica De Repositorios
Pablo De Castro Metrica De RepositoriosFESABID
 
trabajo de computacion
trabajo de computaciontrabajo de computacion
trabajo de computacionLeonardo Rojas
 
1ºZaragoza 2009
1ºZaragoza 20091ºZaragoza 2009
1ºZaragoza 2009FESABID
 
Sistema concursal peruano
Sistema concursal peruanoSistema concursal peruano
Sistema concursal peruanoNAYDA23
 

Destaque (20)

La Cultura De La Covnergencia
La Cultura De La CovnergenciaLa Cultura De La Covnergencia
La Cultura De La Covnergencia
 
14456237 Diagramas De Fases
14456237 Diagramas De Fases14456237 Diagramas De Fases
14456237 Diagramas De Fases
 
Apresentacao
ApresentacaoApresentacao
Apresentacao
 
Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009
Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009
Koha Biblioteca Hospital Fesabid 2009
 
bace de información
bace de informaciónbace de información
bace de información
 
12112010 fpm pe[1]
12112010 fpm pe[1]12112010 fpm pe[1]
12112010 fpm pe[1]
 
Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.
Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.
Ministerio publico denuncia policial civil por sequestro no sertão.
 
deber
deberdeber
deber
 
Thd Ct3 19juin2009 Kc
Thd Ct3 19juin2009 KcThd Ct3 19juin2009 Kc
Thd Ct3 19juin2009 Kc
 
El Barco
El BarcoEl Barco
El Barco
 
Aula 1 - Linguagem III
Aula 1 - Linguagem IIIAula 1 - Linguagem III
Aula 1 - Linguagem III
 
2 Fesabid 2009 Rebiun
2   Fesabid 2009 Rebiun2   Fesabid 2009 Rebiun
2 Fesabid 2009 Rebiun
 
Examen Computacion Educacion Virtual
Examen Computacion Educacion VirtualExamen Computacion Educacion Virtual
Examen Computacion Educacion Virtual
 
Tcc Felipe Grilli Real Options Theory
Tcc Felipe Grilli Real Options TheoryTcc Felipe Grilli Real Options Theory
Tcc Felipe Grilli Real Options Theory
 
Pablo De Castro Metrica De Repositorios
Pablo De Castro Metrica De RepositoriosPablo De Castro Metrica De Repositorios
Pablo De Castro Metrica De Repositorios
 
30283
3028330283
30283
 
trabajo de computacion
trabajo de computaciontrabajo de computacion
trabajo de computacion
 
1ºZaragoza 2009
1ºZaragoza 20091ºZaragoza 2009
1ºZaragoza 2009
 
Sistema concursal peruano
Sistema concursal peruanoSistema concursal peruano
Sistema concursal peruano
 
Presentacion general-INFORMATICA-02
Presentacion general-INFORMATICA-02Presentacion general-INFORMATICA-02
Presentacion general-INFORMATICA-02
 

Semelhante a Mapeamento e ensaio de extração de biogás em aterro sanitário

CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...
CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...
CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...Marvin Dias
 
DEFESA - Método e instrumentação
DEFESA - Método e instrumentaçãoDEFESA - Método e instrumentação
DEFESA - Método e instrumentaçãoEdivagner S. Ribeiro
 
Case - Dimensionamento de Adutora Estação de Tratamento
Case - Dimensionamento de Adutora Estação de TratamentoCase - Dimensionamento de Adutora Estação de Tratamento
Case - Dimensionamento de Adutora Estação de TratamentoFabiano DT
 
Tratamento de efluentes industriais
Tratamento de efluentes industriaisTratamento de efluentes industriais
Tratamento de efluentes industriaisEdir Leite Freire
 
PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)
PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)
PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)Roger Lionel King
 
Apost405 2006 final
Apost405 2006 finalApost405 2006 final
Apost405 2006 finalgagasinho
 
Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas
 Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas
Espetros de Absorção Eletrónica de CianinasLuís Rita
 
Parte 03 distribuição vapor
Parte 03   distribuição vaporParte 03   distribuição vapor
Parte 03 distribuição vaporconfidencial
 
Producao De Nitrato De Amonio
Producao De Nitrato De AmonioProducao De Nitrato De Amonio
Producao De Nitrato De AmonioJaime Estefanía
 
17.ago ametista 15.30_418_chesf
17.ago ametista 15.30_418_chesf17.ago ametista 15.30_418_chesf
17.ago ametista 15.30_418_chesfitgfiles
 
Especificações coletor solar acqua plus
Especificações coletor solar acqua plusEspecificações coletor solar acqua plus
Especificações coletor solar acqua plusworldpiscinas
 
Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada
Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada
Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada Equilibrium Soluções
 
Metodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calor
Metodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calorMetodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calor
Metodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calorAdriano Freitas
 
estudos geotecnicos Santa Catarina2
estudos geotecnicos Santa Catarina2estudos geotecnicos Santa Catarina2
estudos geotecnicos Santa Catarina2Jary Maciel
 
Quantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimento
Quantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimentoQuantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimento
Quantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimentoLucas Wallace Sousa Alves
 

Semelhante a Mapeamento e ensaio de extração de biogás em aterro sanitário (20)

Rota
RotaRota
Rota
 
CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...
CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...
CONNEPI - Estudo do Controle analítico em avaliação de contaminantes inorgâni...
 
DEFESA - Método e instrumentação
DEFESA - Método e instrumentaçãoDEFESA - Método e instrumentação
DEFESA - Método e instrumentação
 
Case - Dimensionamento de Adutora Estação de Tratamento
Case - Dimensionamento de Adutora Estação de TratamentoCase - Dimensionamento de Adutora Estação de Tratamento
Case - Dimensionamento de Adutora Estação de Tratamento
 
Tratamento de efluentes industriais
Tratamento de efluentes industriaisTratamento de efluentes industriais
Tratamento de efluentes industriais
 
Calculos vazao
Calculos vazaoCalculos vazao
Calculos vazao
 
Qualidade agua - FIEMG
Qualidade agua - FIEMGQualidade agua - FIEMG
Qualidade agua - FIEMG
 
PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)
PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)
PROPOSTA AO TRIANON DE REDUCAO DE TAXA DE ESGOTO (1)
 
Apost405 2006 final
Apost405 2006 finalApost405 2006 final
Apost405 2006 final
 
Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas
 Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas
Espetros de Absorção Eletrónica de Cianinas
 
Parte 03 distribuição vapor
Parte 03   distribuição vaporParte 03   distribuição vapor
Parte 03 distribuição vapor
 
Producao De Nitrato De Amonio
Producao De Nitrato De AmonioProducao De Nitrato De Amonio
Producao De Nitrato De Amonio
 
17.ago ametista 15.30_418_chesf
17.ago ametista 15.30_418_chesf17.ago ametista 15.30_418_chesf
17.ago ametista 15.30_418_chesf
 
Especificações coletor solar acqua plus
Especificações coletor solar acqua plusEspecificações coletor solar acqua plus
Especificações coletor solar acqua plus
 
Consumo d'agua
Consumo d'aguaConsumo d'agua
Consumo d'agua
 
Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada
Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada
Redução do Consumo de energia elétrica para Lagoa Aerada
 
Metodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calor
Metodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calorMetodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calor
Metodologia "Pinch": Demonstração de integração de rede de trocadores de calor
 
fotometria de chama
fotometria de chamafotometria de chama
fotometria de chama
 
estudos geotecnicos Santa Catarina2
estudos geotecnicos Santa Catarina2estudos geotecnicos Santa Catarina2
estudos geotecnicos Santa Catarina2
 
Quantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimento
Quantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimentoQuantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimento
Quantificação de óxido de cálcio e magnésio em cimento
 

Mapeamento e ensaio de extração de biogás em aterro sanitário

  • 1. Arquipélago Engenharia Ambiental Mapeamento através de medições nos drenos existentes e ensaio piloto de extração Prefeitura Municipal de Campinas Aterro Delta A Campinas - SP Ref.: Serviços Nov/2007 NOTA DE CONFIDENCIALIDADE: Este documento e seu(s) anexo(s) possuem confidencialidade protegida por lei. As informações aqui contidas são de uso restrito ao destinatário identificado. Qualquer cópia, distribuição ou uso do conteúdo para quaisquer fins, exceto aquele contratado, é estritamente proibido. P451/R01/V00/08 i
  • 2. Arquipélago Engenharia Ambiental ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO..................................................................................................................1 2 AVALIAÇÃO PASSIVA DOS DRENOS EXISTENTES ................................................2 3 ENSAIO PILOTO DE EXTRAÇÃO ATIVA DE BIOGÁS..............................................3 4 AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS ................................................................................5 TABELAS 1 – Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo 2 – Medições nos Drenos de Gás no Ensaio de Extração Ativa P451/R01/V00/08 ii
  • 3. Arquipélago Engenharia Ambiental 1 INTRODUÇÃO O presente relatório parcial de dados apresenta os resultados obtidos no mapeamento semi-quantitativo da qualidade do gás e ensaio de extração de biogás em escala piloto nos drenos existentes no Aterro Sanitário Delta A, de acordo com contrato no. 053/07 firmado entre a Prefeitura Municipal de Campinas e Arquipélago Engenharia Ambiental Ltda.. P 451/R01/V00/08 1
  • 4. Arquipélago Engenharia Ambiental 2 AVALIAÇÃO PASSIVA DOS DRENOS EXISTENTES A avaliação passiva dos drenos existentes consistiu na medição dos seguintes parâmetros: − Velocidade máxima gás (m/s); − Temperatura gás (ºC); − Concentração de CH4 (vol. %); − Concentração de O2 (vol. %); − Concentração de H2S (ppm); e − Concentração de CO2 (vol. %). Os resultados obtidos estão apresentados na Tabela 1 (Anexo I). Foi possível realizar medições em 97 dos 110 drenos existentes. Para as medições de velocidade e temperatura, foi utilizado um termo-anemômetro Marca Testo 425. Para a medição das concentrações de metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), gás sulfídrico (H2S) e oxigênio (O2), foi utilizado o analisador de gases portátil da Marca Landtec Modelo GEM2000 com célula de H2S acoplada, com faixa de medição de CH4 de 0 a 100%, CO2 de 0 a 100%, O2 de 0 a 25% e H2S de 0 a 50 ppm. O método adotado consistiu em: 1) Extinção da chama algumas horas antes da medição, com água de reuso do próprio aterro; 2) Identificação do dreno de acordo com a nomenclatura descrita em planta de localização; 3) Colocação da tampa metálica e vedação com filme plástico e/ou lona plástica, dependendo das características construtivas e condição de conservação do dreno; 4) Medição da concentração, velocidade e temperatura dos gases oriundos de cada dreno, com os instrumentos descritos; e 5) Restabelecimento da queima no dreno. P 451/R01/V00/08 2
  • 5. Arquipélago Engenharia Ambiental 3 ENSAIO PILOTO DE EXTRAÇÃO ATIVA DE BIOGÁS O ensaio piloto de extração ativa de biogás foi realizado no dreno DG 97 e consistiu na medição dos seguintes parâmetros: − Vácuo no dreno ensaiado (mmca); − Pressão na saída do compressor radial (mbar); − Velocidade no tubo (m/s); − Concentração de CH4 (vol. %); − Concentração de O2 (vol. %); − Concentração de H2S (ppm); − Concentração de CO2 (vol. %); − Vácuos nas três hastes cravadas, nas imediações do dreno ensaiado (mmca); e − Temperatura n saída do compressor (ºC). Os resultados obtidos estão apresentados na Tabela 2(Anexo I). Para as medições de velocidade foi utilizado um anemômetro Marca Testo 416. Para a medição das concentrações de metano (CH4), dióxido de carbono (CO2), gás sulfídrico (H2S) e oxigênio (O2), foi utilizado o analisador de gases portátil da Marca Landtec Modelo GEM2000 com célula de H2S acoplada, com faixa de medição de CH4 de 0 a 100%, CO2 de 0 a 100%, O2 de 0 a 25% e H2S de 0 a 200 ppm. O processo utilizado no ensaio ativo de extração e o arranjo montado é descrito a seguir. Uma tubulação de PVC foi conectada a uma tampa de aço carbono adaptada no anel de concreto do dreno, que foi coberto por uma lona plástica e solo argiloso. A tubulação de PVC foi conectada a um separador de umidade (TQ-01), que, por sua vez, foi acoplado a um compressor radial (CR01). No trecho entre o dreno e o separador de umidade, foi instalado um ponto de medição de vácuo. O vácuo pode ser medido com uma mangueira de água graduada. No trecho entre o separador de umidade e o compressor radial foi instalado um ponto baixo com dreno, para proteção do compressor radial contra a entrada de líquidos, e instalada uma válvula gaveta, para permitir a regulagem da vazão extraída de gás. A jusante do soprador foi instalado um corta chamas constituído por um tanque, o qual foi preenchido com água, para a formação de um selo hidráulico. O corta chamas teve P 451/R01/V00/08 3
  • 6. Arquipélago Engenharia Ambiental a função de proteger o compressor radial contra eventual retorno de chama ou explosão. No trecho entre o compressor radial e o corta chamas, foi instalado um ponto de medição de vazão, um ponto de medição de pressão e um ponto de medição de concentração do gás. A pressão pode ser medida com uma mangueira de água graduada. O corta chamas foi então conectado a uma tubulação de concreto, que teve a função de queimador. Em função da elevada temperatura neste trecho, a tubulação empregada foi de aço carbono. O sistema funcionou da seguinte maneira: o compressor radial (CR-01) promoveu a sucção do biogás gerado no dreno ensaiado. O biogás, saturado em água e contendo gotículas líquidas, passou pelo separador de umidade (TQ-01), no qual gotículas de água e eventual líquido condensado foram separados. O biogás foi então comprimido no compressor radial, onde sofreu um aumento de pressão, sendo encaminhado a seguir para o corta chamas, onde foi borbulhado em uma delgada camada de líquido, com função de selo hidráulico, seguindo então para um tubo de concreto aceso, que teve a função de queimador. Em vários pontos do sistema, foram tomadas medições, para acompanhamento e ajustes do processo. P 451/R01/V00/08 4
  • 7. Arquipélago Engenharia Ambiental 4 AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS Os dados aqui apresentados serão comparados àqueles obtidos nas demais etapas do trabalho (avaliação da cobertura do aterro, comparação com a geração teórica), de forma a resultar em uma melhor avaliação do Aterro Sanitário Delta A. Assim sendo, a análise final dos dados coletados em campo, juntamente com os resultados obtidos, serão apresentados no relatório final conclusivo. Amauri Rodrigues Junior Maria José Neves Engenheiro Químico Engenheiro Civil ARQUIPÉLAGO ARQUIPÉLAGO P 451/R01/V00/08 5
  • 8. Arquipélago Engenharia Ambiental ANEXO I TABELAS P451/R01/V00/08
  • 9. Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo Velocidade do Número do Temperatura Gás Máxima CO2 % CH4 em vol. % O2 em vol. % H2S em ppm dreno do gás (ºC) (m/s) 1 0,87 32,20 10,90 15,40 15,10 9,00 2 1,39 30,10 12,40 17,40 14,00 3,00 3 2,75 35,40 36,10 47,90 3,10 25,00 4 0,66 32,70 2,80 5,10 18,90 2,00 5 1,30 31,90 2,70 4,20 18,60 2,00 6 0,81 31,20 0,20 0,60 20,30 2,00 7 1,10 42,10 0,00 0,60 20,20 0,00 8 0,89 32,10 0,00 0,20 20,60 2,00 9 0,68 29,30 6,60 10,10 17,30 3,00 10 0,06 33,40 0,20 0,80 20,40 2,00 11 2,67 41,40 36,00 53,40 1,80 15,00 12 0,89 32,70 0,10 0,80 20,50 1,00 13 1,02 34,40 0,00 0,20 20,60 2,00 14 3,44 42,90 11,10 18,60 14,30 4,00 15 1,34 25,40 0,10 0,40 20,90 1,00 16 1,53 24,90 0,00 0,10 20,60 2,00 17 1,10 24,60 0,00 0,20 21,00 2,00 18 1,80 25,10 11,40 19,80 14,10 3,00 19 1,35 34,50 0,10 0,60 20,50 0,00 20 2,47 23,50 0,00 0,10 20,90 2,00 21 1,86 24,10 0,20 0,50 20,80 2,00
  • 10. Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo Velocidade do Número do Temperatura Gás Máxima CO2 % CH4 em vol. % O2 em vol. % H2S em ppm dreno do gás (ºC) (m/s) 22 1,11 31,40 6,20 10,40 16,30 2,00 23 1,96 36,40 40,90 51,10 0,40 21,00 24 2,64 40,20 26,60 38,10 6,40 6,00 25 1,88 32,60 10,50 15,60 14,90 1,00 26 1,94 32,90 24,20 31,00 8,50 5,00 27(*) - - - - - - 28 1,79 40,30 5,60 11,10 18,80 3,00 29 0,71 31,40 5,30 12,20 16,70 1,00 30 1,91 28,00 30,80 43,80 4,70 3,00 31 2,86 26,10 35,20 50,30 2,90 2,00 32 2,56 37,80 33,80 50,00 4,00 13,00 33(*) - - - - - - 34 2,11 37,80 41,00 58,50 0,30 27,00 35 0,14 41,90 19,80 27,60 10,20 4,00 36 1,84 27,70 2,90 4,70 19,00 2,00 37 0,87 38,70 21,30 30,00 9,10 8,00 38(*) - - - - - - 39(*) - - - - - - 40 1,38 33,10 36,70 48,70 0,60 6,00 41 (+) - - - - - - 42 1,35 26,20 0,50 0,40 20,40 2,00
  • 11. Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo Velocidade do Número do Temperatura Gás Máxima CO2 % CH4 em vol. % O2 em vol. % H2S em ppm dreno do gás (ºC) (m/s) 43 1,41 42,60 22,10 32,40 9,10 5,00 44 1,83 30,40 5,50 10,80 17,20 2,00 45 0,29 26,60 5,90 7,10 16,20 3,00 46 2,23 33,80 19,70 28,70 9,90 1,00 47 1,56 35,60 26,00 37,80 7,80 2,00 48 0,32 31,80 0,10 0,30 20,30 1,00 49 1,27 32,10 12,10 18,90 13,80 2,00 50 2,04 35,90 3,20 6,40 18,60 1,00 51(*) - - - - - - 52 3,17 32,90 36,20 48,80 2,90 1,00 53(*) - - - - - - 54 1,48 25,70 0,10 0,20 20,90 1,00 55 3,58 37,10 42,70 56,70 0,00 43,00 56 2,05 23,60 3,70 6,30 18,80 7,00 57 3,43 42,20 37,70 53,00 2,80 23,00 58 2,59 27,50 16,80 27,80 12,10 6,00 59 2,08 25,50 6,20 9,60 17,40 2,00 60 2,61 31,00 40,90 54,00 1,00 >>50 61 1,38 27,60 25,60 35,70 8,90 3,00 62 0,62 27,40 1,10 2,10 20,50 2,00 63 (**) - - - - - -
  • 12. Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo Velocidade do Número do Temperatura Gás Máxima CO2 % CH4 em vol. % O2 em vol. % H2S em ppm dreno do gás (ºC) (m/s) 64 (**) - - - - - - 65 0,31 40,10 24,30 32,70 10,10 33,00 66 3,38 33,60 33,30 42,80 5,20 23,00 67 (**) - - - - - - 68 0,11 45,40 35,00 44,10 3,50 31,00 69 (+) - - - - - - 70 0,45 34,60 30,10 44,10 7,00 12,00 71 2,15 33,90 37,40 50,20 2,00 45,00 72 0,95 35,80 41,20 56,50 0,50 29,00 73 (+) - - - - - - 74 3,60 39,50 40,60 55,30 1,40 21,00 75 3,73 36,70 40,80 54,50 0,80 20,00 76(-) - - - - - - 77 0,35 31,50 41,90 58,90 0,00 25,00 78 3,16 35,80 41,00 56,90 0,50 30,00 79 0,35 35,50 42,10 57,70 0,00 31,00 80 1,86 31,00 3,60 7,70 18,50 1,00 81 1,84 13,70 21,50 27,70 9,60 3,00 82 3,13 39,00 38,80 49,40 2,20 >>50 83 2,52 19,50 6,60 9,60 17,60 2,00 84 1,01 44,30 41,00 57,00 0,20 48,00
  • 13. Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo Velocidade do Número do Temperatura Gás Máxima CO2 % CH4 em vol. % O2 em vol. % H2S em ppm dreno do gás (ºC) (m/s) 85 4,04 39,60 35,10 46,50 3,40 21,00 86 4,36 39,00 40,80 57,30 0,40 >>50 87 0,14 37,80 42,60 58,70 0,20 >>50 88 1,13 24,10 1,20 1,80 20,70 2,00 89 4,12 30,20 13,50 16,10 13,40 4,00 90 2,52 25,20 6,20 8,40 17,40 2,00 91 2,77 27,30 15,50 20,60 13,20 2,00 92 3,18 31,40 13,20 16,80 14,40 3,00 93 1,47 25,10 0,00 0,20 21,10 2,00 94 3,68 34,50 41,80 57,50 0,20 >>50 95 0,37 37,60 39,00 53,50 1,80 32,00 96 2,75 53,30 21,80 30,60 9,10 23,00 97 4,51 36,70 41,40 56,80 0,30 47,00 98 1,56 34,20 25,80 34,80 10,10 5,00 99 0,67 30,70 8,20 12,60 16,00 25,00 100 1,86 53,70 40,00 54,30 1,60 >>50 101 2,48 22,00 0,70 0,80 20,40 1,00 102 2,40 28,20 9,10 11,80 15,70 16,00 103 3,78 30,70 39,10 52,20 2,70 47,00 104 2,78 35,90 41,20 57,50 0,60 >>50 105 2,38 25,10 22,10 22,00 11,80 17,00
  • 14. Tabela 1 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaio Passivo Velocidade do Número do Temperatura Gás Máxima CO2 % CH4 em vol. % O2 em vol. % H2S em ppm dreno do gás (ºC) (m/s) 106 3,11 28,40 37,10 39,50 5,00 5,00 107 5,40 30,80 38,10 38,20 5,40 57,00 108 2,33 26,10 22,40 29,50 11,10 8,00 109 3,27 25,40 18,80 26,10 11,40 23,00 110 2,35 43,70 14,60 20,70 12,60 6,00 LEGENDA: (*) DRENO SOTERRADO (**) DRENO COM TUBO METÁLICO ALTO (>3m) (-) DRENO NA ÁREA DE DISPOSIÇÃO DE RESÍDUOS (+) DRENO COM FOGO
  • 15. Tabela 2 - Medições nos Drenos de Gás no Ensaios de Extração Ativa Vácuo no Pressão saída Dreno Tempo Velocidade dreno de gás compressor CH4 (%) O2 (%) H2S (ppm) CO2 (%) Temp. (ºC) ensaiado: (hrs) (m/s) (mmca) (mmca) 00:00 0 0 0,0 51,6 2,4 27 35,7 33 00:10 236 380 28,9 46,0 4,1 49 32,8 50 00:20 236 380 28,6 45,3 4,1 47 32,5 52 00:30 225 375 29,0 45,5 4,3 48 32,5 53 00:40 214 370 28,7 44,9 4,5 48 31,9 54 00:50 210 360 27,2 44,9 4,5 45 32,0 55 01:00 210 360 28,7 45,0 4,7 44 31,4 55 01:20 210 355 28,4 43,9 4,5 45 31,1 55 DG 97 01:40 210 355 28,8 44,0 4,7 45 30,3 55 02:00 210 355 28,6 43,8 4,9 49 31,2 55 02:30 210 355 28,9 43,0 5,0 42 31,1 55 03:00 210 345 28,7 43,0 5,0 41 30,9 55 04:00 210 320 29,1 43,6 4,8 49 31,3 53 05:00 210 330 30,1 43,6 4,9 48 31,3 53 06:00 210 320 29,3 43,5 4,9 45 31,6 55 07:00 210 315 28,4 43,7 4,8 47 32,2 55