02                                                                       “DESTAQUE                                        ...
Dadores da Póvoa recolhem sangue                                                                        A Associação de Da...
04                                                                                     “SOCIEDADE                         ...
Progr                                                                                     iv                              ...
06                                                                                                               “ TODOS C...
07                                                                     Inquérito em vozribatejana.blogspot.com. Particpe t...
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011

1.081 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.081
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO 9 NOV 2011

  1. 1. 02 “DESTAQUE voz ribatejana #24Quatro salas inundadasna EB 2.3 de VialongaAs inundações na Escola Básica dos 2º. e 3º. Ciclos de Vialonga e na Biblioteca de Vila Franca foram as consequências maisgraves das chuvas fortes da semana passada, que obrigaram também a cortar algumas estradas.Jorge TalixaQuatro salas da Escola Básicados 2º. e 3º. Ciclos (EB 2.3) deVialonga ficaram inundadas,na passada quarta-feira, obri-gando a direcção do estabelec- Inundação corta ligaçãoimento a mandar para casa 112alunos de quatro turmas, pornão dispor de qualquer espaço da Nacional 1 à Pontealternativo para leccionar. Estaescola de Vialonga estava de Vila Francaintegrada na terceira fase de A acumulação de água na pas- muitas vezes em períodos deobras de reabilitação/ampli- sagem sob a Auto-estrada do maior pluviosidade, causandoação programadas pela empre- Norte que faz a ligação entre a muitos transtornos ao trânsitosa pública Parque Escolar (PE), Nacional 1 (sentido Norte-Sul) numa zona já habitualmentemas foi uma das que viu o seu e a Ponte congestiona-projecto de intervenção sus- Marechal da. As medi-penso, já por decisão do actual Carmona de Comentários das nece-Governo.O adiamento da obra tem gera- Vila Franca de Xira no Facebook ssárias para melhorar odo muitas críticas de pais, pro- obrigou, na Carlos Baptista: "Na saída da sistema defessores e autarcas da região, quarta-feira ponte Marechal Carmona, escoamentoque recordam que a EB 2.3 tem de manhã, ao sentido Nascente-Poente tam- de águas plu-24 anos de existência, nunca salas. A Associação de Pais cimento. A Junta de Vialonga Passos Coelho criticou o facto decidiu, em Outubro, lançar promete tentar colocar tubos de projectos como o desta corte da cir- bém existe uma situação de viais é quebeneficiou de obras de reabili- c u l a ç ã o acumulação de água na faixa nunca foramtação e já no Inverno passado um abaixo-assinado, onde sub- que drenem a água para o exte- escola contemplarem linha que a escola está num rior das salas, mas diz que os auditórios de 7 milhões de naquela área, da direita desde que foram tomadas, desofreu problemas graves com gerando filas colocados os separadores em acordo com ainfiltrações de águas em várias “completo estado de furos na placa são necessários, euros. Armandina Soares su- degradação” e que, se não para evitar que a água escorra blinha, porém, que não se pode de trânsito e betão a criar o corredor mesma fonte, forem tomadas rapidamente pelos buracos dos fios eléctri- esquecer que esta escola tem muita con- pedonal e a sujidade imper- criando fre- medidas, “está em causa a con- cos e possa gerar problemas no seu projecto educativo o fusão entre meabilizou a parte inferior quentemente Ministério tinuidade de um ensino para os perigosos de curto-circuito. curso de música (dinamiza os que pre- dos mesmos, acumulação essa cisaram de que em ocasiões de chuvadas lençóis água. de nossos jovens, em condições A EB 2.3 de Vialonga tem um uma orquestra juvenil), promete mínimas de dignidade”. Ontem projecto de aprovado pelo Ministério da p r o c u r a r intensas ganha uma altura c a m i n h o s considerável e que por isso se O problema manteve-se ao fim da tarde, organizou uma remodelação/ampliação elabo- Educação e equiparado a curso atender reunião geral de pais para rado pela Parque Escolar orça- de conservatório, que justifica alternativos torna perigosíssima para até à noite, decidir novas acções a realizar do em cerca de 15 milhões de alguns dos investimentos pre- para chegar à quem venha desprevenido. Eu com elemen- situações para exigir melhorias na esco- euros. Em Maio, o então can- vistos na modernização das ponte. Duas já lá apanhei um valente tos da PSP a v i a t u r a s susto e não fora vir de jipe, regularem o mais la. Para além da entrada de água didato a primeiro-ministro instalações. f i c a r a m que é bastante mais pesado trânsito, acon- mesmo blo- que um automóvel comum, selhando a urgentes da chuva em diversas salas, os queadas pela não sei o que me teria aconte- p a s s a g e m O Voz Ribatejana solici- pais apontam os “disparos” fre- quentes dos quadros eléctricos Preocupação na Câmara água que cido. Certamente assim con- apenas de via- (já sem capacidade para as chegou a tinuará até que lá haja um turas pesadas tou esclarecimentos ao necessidades), a degradação O problema da EB 2.3 de Vialonga foi também abordado atingir cerca acidente grave, daqueles que com rodados Ministério da Educação das instalações sanitárias e a na sessão camarária de quarta-feira, com a vereadora Ana de 1, 2 met- vêm nas capas dos jornais, mais altos. O sobre a falta de condições falta de salas para os cerca de Lídia Cardoso a salientar que o estabelecimento “precisa ros na parte pois só dessa forma se faz Voz Riba- desta escola e as medidas 1200 alunos. Armandina urgentemente de obras de grande vulto”, porque algumas mais baixa alguma coisa” tejana pro- que poderão ser tomadas Soares, presidente do salas chegaram a ter, na manhã desse dia, mais de meio da passagem curou esclare- no curto prazo, no âmbito Agrupamento de Vialonga e do metro de altura de água no seu interior. “Devia ter sido e precisaram cimentos da Parque Escolar ou conselho executivo da EB 2.3, alvo de uma requalificação por parte da Parque Escolar, do auxílio de reboques para junto da Estradas de Portugal directamente pela sublinha que escola está atendendo á gravidade das situações que apresenta”, acres- sair do local. mas ainda não teve resposta. Direcção-Regional de sobrelotada e que as salas de centou a eleita da CDU, considerando que o executivo deve Segundo fonte policial, esta é Educação de Lisboa e que dispõe são manifestamente pressionar mais o Ministério da Educação para que avance uma situação que se repete J.T. Vale do Tejo (DRELVT). A assessoria de imprensa do insuficientes para os 1200 com obras e para que a intervenção nesta EB 2.3 seja con- ministro Nuno Crato alunos. “Estamos com muitas siderada uma prioridade, “sob pena destas crianças não garantiu que o Ministério turmas acima do máximo de 28 conseguirem completar o ano lectivo”, alertou. “está a trabalhar para alunos. Não temos espaços. Maria da Luz Rosinha estranhou, contudo, que antes do que seja possível começar Temos a escola a funcionar assunto chegar ao conhecimento da Câmara e da DRELVT a atender, de forma fasea- numa situação muito grave”, tenha sido comunicado à estação televisiva SIC, que fez da, aos casos mais alerta. um directo da escola. “Quem informou a DREL fomos nós, urgentes” de escolas Certo é que, na quarta-feira, quando fomos informados faltavam 2 minutos para a degradadas, mas não quatro salas do Bloco B da transmissão da reportagem. Às vezes são caminhos que especificou se a escola de Escola de Vialonga ficaram não são dos mais correctos”, criticou a presidente da edili- Vialonga está nesse rol de completamente inundadas, dade de Vila Franca, considerando também que não foi estabelecimentos prio- porque as telhas de fibrocimen- correcto o presidente da Junta ter dito que as crianças ritários. Procurámos tam- to estão partidas e deixam podiam correr perigo de vida. A edil diz que a secretária de bém mais esclarecimentos entrar água, que se espalha Estado dos Assuntos Educativos foi alertada para situação junto da DRELVT, mas sobre a placa. Nesta foram na semana anterior e que a Câmara tem feito sentir ao ainda não tivemos respos- feitos alguns furos, para evitar Ministério e ao ministro, por várias vias, a necessidade de ta. os riscos de acumulação de intervir na escola vialonguense. água e de queda das placas de
  2. 2. Dadores da Póvoa recolhem sangue A Associação de Dadores Benévolos de Sangue da Póvoa de Santa Iria organiza, na manhã do próximo 03 domingo, mais uma acção de recolha de sangue. A ini- ciativa realiza-se na sede da associação (Avenida Antero 9 de Novembro de 2011 de Quental, no Bairro da Chepsi), a partir das 8h30.Água volta a invadirbiblioteca de Vila FrancaAs fortes chuvadas da semana problema atingiu contornos ir uma nova biblioteca, orçada dado cabo de muito equipa-passada causaram inundações mais graves no dia 2 de em cerca de 5, 5 milhões de mento”, lamenta.graves no interior da Novembro, com a água a atin- euros, mas não tem dinheiro Em Outubro, o edil disse, aoBiblioteca Municipal de Vila gir também o centro de docu- para avançar se não obtiver Voz Ribatejana, que tudo indi-Franca de Xira. Não é a mentação onde está guardado uma comparticipação comu- ca que será “um problemaprimeira vez que o equipamen- boa parte do acervo da bib- nitária. estrutural e da construção ini-to, construído há cerca de 20 lioteca. A Câmara de Vila O problema das infiltrações já cial. O ano passado aindaanos, é invadido pela água, Franca de Xira diz que não há se revelara em Agosto, mas fiquei convencido que poderiaconforme noticiou o Voz muito mais a fazer para desta vez causou bastantes estar a entrar água pelas con-Ribatejana na sua edição de 12 impedir estas infiltrações e que mais danos e transtornos ao dutas do ar condicionado, masde Outubro, mas desta vez o a solução será mesmo constru- funcionamento da Biblioteca acabámos por descobrir que de Vila Franca de Xira, instal- entra em tal quantidade que ada num edifício de 3 pisos da tem que ser um problema da Obras na estrada de Santa Travessa do Curral construído de raiz. “A água entrou tam- construção inicial”, aponta. Maria da Luz Rosinha, presi- Sofia andam à chuva bém no centro de documen- tação, que é a área mais pre- dente da Câmara, acrescenta que a chuva foi de tal modo ciosa da biblioteca”, admitiu forte no dia 2 que até nas As obras de beneficiação da Estrada de Santa Sofia, João de Carvalho, vereador escadas do edifício dos Paços aguardadas há anos, arrancaram na última semana de com o pelouro da cultura na do Concelho caiu alguma Outubro. Uma empreitada orçada em 137 mil euros que já Câmara de Vila Franca, expli- água, através das clarabóias ali deu um tapete novo a esta via que liga Vila Franca de Xira cando que, a exemplo das situ- existentes. “Chovendo tanto, às zonas das Cachoeiras e da Loja Nova. A obra prolongou- ações anteriores, as infil- houve milhares de situações”, se até à zona do palácio do Farrobo e ficou concluída no trações de água atingiram tam- constata. fim da primeira semana de Novembro. Depois de vários adi- bém a sala infantil e a sala de Certo é que o Município tem amentos acabou, todavia, por coincidir com um período de leitura de periódicos. um projecto para a construção forte pluviosidade. A estrada estava muito degradada, Em resposta a questões dos de uma nova biblioteca de seis gerando frequentes reclamações dos que a usam regular- mente como escapatória à congestionada EN 248 na entra- vereadores da CDU, o autarca pisos na parte dos silos da anti- T a s q u i n h a do PSD diz que os técnicos da ga fábrica de descasque de da de Vila Franca. A obra foi apoiada pelo chamado Fundo de Emergência, no âmbito de um protocolo celebrado no fim autarquia têm tentado tudo arroz da sede de concelho e d a S . F. R . A . para resolver este problema de tem acordo da empresa propri- de 2010 entre a Câmara de Vila Franca e a Secretaria de infiltrações, que até já foi etária do imóvel para esse fim. • Cozido à Portuguesa Estado da Administração Local. inspeccionado o sistema de ar Só que os estudos já delinead- condicionado, mas que tudo os pelo arquitecto Miguel (aos domingos e terças) indica que terá origem nas Arruda apontam para uma obra • Refeições e petiscos próprias paredes do edifício. de 5, 5 milhões de euros. “Era Nuno Libório quis saber se essencial, nesta altura, termos diversos estão previstas obras. João de um concurso para que uma Rua Brigadeiro Fernando A. Oliveira Carvalho adiantou que se tem candidatura a fundos comu- Telem.: 964 230 731 - Alverca tentado tudo para definir por nitários que nos desse apoio, onde entra a água, mas é difí- porque não conseguimos (em frente ao Pingo Doce) cil. “O que sabemos é que avançar sozinhos”, conclui escorre pelas paredes e tem João de Carvalho. NOVA EDITAL Nº 562/2011 A. EQUIP MARIA DA LUZ GAMEIRO BEJA FERREIRA ROSI- AMOS ESPER I! NHA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE PO RS VILA FRANCA DE XIRA Faz saber que, por despacho de 2011/10/03, do Sr. Vice- NOVA IMAGEM Presidente, proferido ao abrigo do Despacho nº 2/2011, de 10 de Janeiro, que remete para o despacho nº 32/2009, de 4 de Cabeleireiro unisexo Novembro de delegação de competências, ambos da signatária: - Estética e cosmetologista Promoções: 1. Ficam notificados os proprietários das construções abarra- 2ª feira - desconto em corte, cadas sitas nas traseiras da Vivenda Soares, na Rua 1º de Maio, - Manicure brushing e estética Santa Cruz, em Vialonga, a que corresponde o processo camarário nº 58470/11, para estarem presentes no local, no dia - Pedicure 5ª feira - desconto em coloração, 2011/11/22, pelas 10,00 horas, com vista à sua identificação - Massagista brushing e estética pelo Serviço de Fiscalização desta Câmara municipal. Rua Palha Blanco, 74A, Castanheira do Ribatejo 2. Procede-se à notificação por Edital nos termos da alínea d), do nº 1, do artigo 70º do CPA – Código do Procedimento Tel: 263 270 355 - 963 242 964 - email: cacuaco@gmail.com Administrativo, por se desconhecer a identidade dos propri- etários.FORMIGUINHA DO ASSEIO Lda. ANA RODRIGUES Para constar se publica o presente edital e outros de igual teor vão ser afixados nos locais do costume, na morada a que o EMPRESA DE LIMPEZAS 961 863 946 mesmo alude e publicado nos jornais locais. - Manutenção e pinturas - E eu, Maria Paula Cordeiro Ascensão, Directora do - Lavandaria - R. Bento Jesus Departamento de Administração Geral, o subscrevi. Limpezas gerais e - Engomadoria - domésticas | Escritórios, Caraça Paços do Município de Vila Franca de Xira, 26 de Outubro de - (recolhas e entregas grátis ao domicílo) - condomínios | Limpezas Lt. 48 - 4ºDto 2011 Rua José Ferreira Tarré nº 7 Loja 1 ALVERCA industriais e comerciais | Vila F. de Xira A Presidente da Câmara Municipal, Tel: 219 577 809 - 916 438 041 Gestão de condomínios formiguinhadoasseio@hotmail.com - Maria da Luz Rosinha - brunovieira-bv@live.com.pt
  3. 3. 04 “SOCIEDADE voz ribatejana #24Libertação dos terrenos volta Alenquer parece tera atrasar obras no Rio da Pipa solução para terrenosA empreitada de limpeza e reg- Região Hidrográfica. preocupado com o problema,ularização do rio Grande da António Ventura Reis, presi- questionando se a Câmara de Depois de negociaçõesPipa, na zona da Vala do dente da Junta da Castanheira, Alenquer terá “esgotado todas muito demoradas e deCarregado, só deverá avançar foi o primeiro a colocar o prob- as possibilidades ao seu dificuldades parana próxima Primavera. O lema, disponibilizando-se para alcance para negociar e encon- avançar com os proces-arranque dos trabalhos, já adju- pressionar os autarcas de trar soluções para os terrenos” sos de expropriação, adicados, foi adiado por demor- Alenquer, se necessário for. necessários. “É uma obra que Câmara de Alenqueras na libertação de terrenos do “Sabemos que as coisas estão beneficia os dois lados. Temos pode ter encontrado umalado do Município de paradas, ouvi a senhora presi- a informação de que a Câmara saída para o problema daAlenquer. Esses problemas dente dizer que são problemas de Alenquer tem algumas difi- libertação dos terrenosparecem, agora, ultrapassados, de terrenos do lado de culdades financeiras, mas necessário para a obramas a aproximação do inverno Alenquer, que ainda não ninguém pode ficar indiferente do rio Grande da Pipa. Anão recomenda que se iniciem estavam disponibilizados. Se a esta situação de protelamento questão foi colocada naas obras nesta altura. A CDU não há habitantes do lado de de obras que estava previsto penúltima reuniãoquis saber, na última reunião Alenquer, na parte de Vila iniciar logo a seguir ao Verão camarária pelo vereadorcamarária, se haverá, entretan- Franca há”, sublinhou o eleito de 2011. Até que ponto não se social-democrata Pedroto, alguns trabalhos de limpeza da CDU, alertando para as pode avançar com algumas Afonso e o presidente dae a presidente da Câmara de muitas árvores tombadas que pequenas obras no sentido de edilidade, Jorge Riso,Vila Franca prometeu avançar ameaçam cair para o leito do acautelar a instabilidade e a avançou que, afinal, nãocom uma limpeza na zona da rio, contribuindo para a sua insegurança das margens que já haverá necessidade deponte da Refer e tentar articular obstrução. existem há muito tempo?”, expropriações. É que,a retirada de árvores tombadas Também Nuno Libório, interrogou. numa última reunião, acom a Administração da vereador da CDU, se mostrou Maria da Luz Rosinha explicou ARH (Administração da Região Hidrográfica) Lesados de Fevereiro de 2010 explicou que a legislação já prevê que se possa ainda não receberam usar uma área de 10 metros de largura a par- EDITAL Nº 541/2011 tir da linha de água para As inundações originadas pelo transbordo do rio Grande da a realização de obras MARIA DA LUZ GAMEIRO BEJA FERREIRA ROSINHA, PRESIDENTE DA CÂMARA MUNICIPAL DE VILA Pipa são frequentes na Vala do Carregado e causam, muitas sem qualquer compen- FRANCA DE XIRA vezes, danos aos habitantes. Dois deles estiveram na penúl- sação para os respectivos Faz saber que, por despacho da Srª Vereadora Maria da Conceição dos Santos, datado de 19/04/2011, proferi- tima reunião camarária, porque alegam que ainda não rece- proprietários. “Nos 10 do ao abrigo das competências delegadas pela signatária, por despacho nº 34/2009, de 4 de Novembro, e para beram indemnizações prometidas pela autarquia. Mário metros adjacentes a Lei o disposto na alínea h), do nº 2, do artigo 68º, da Lei nº 169/99, de 18 de Setembro, alterada pela Lei nº 5-A/2002, Faria viu a carrinha com que habitualmente se deslocava o prevê que, para obras, de 11 de Janeiro, e Declaração de Rectificação nº 4/2002, de 6 de Fevereiro: grupo musical a que pertencia seriamente danificada nas não seja necessário inundações de Fevereiro de 2010. “Sinto-me enganado por expropriar. Toda a obra - É intenção do Município de Vila Franca de Xira, na qualidade de entidade proprietária da fracção municipal sita no Rua Casa de S. José, nº 5, 1º Dto, 2600 Castanheira do Ribatejo, determinar a cessação da licença de utiliza- parte da Câmara”, afirmou, resumindo um largo historial vai ser feita sem expro- ção do referido fogo, atribuído a Júlia Fernanda Lourenço Martins Homem e respectivo agregado familiar, segun- de contactos com autarquia, desde que entregou, em Junho priações, porque pode-se do o regime da renda apoiada, e proceder ao eventual despejo administrativo. de 2010, as facturas do arranjo da carrinha. intervir naquela faixa de “A Rodocargo num primeiro momento disse que pagava, 10 metros. Uma soluça Tal decisão, fundamenta-se nos seguintes factos: O agregado familiar não tem residência própria e permanente na fracção há mais de dois meses, pelo menos agora coloca algumas questões e não só em relação a si”, que já podíamos ter desde Março de 2011. explicou Maria da Luz Rosinha, referindo que há também arranjado há 1 ano e casos de pessoas que alegam ter perdido mobílias, mas que escusávamos de ter tido A moradora apresenta rendas em dívida há mais de três meses. Concretamente, actualmente, a moradora apre- não apresentam facturas. Depois, a edil acrescenta que tem todo este trabalho de senta 13 rendas em dívida, compreendidas entre Março de 2010 e a actualidade, no valor de 62,55 €, as quais na sua mesa de trabalho uma carta em que a Administração negociação”, reconheceu depois de acrescidas da indemnização moratória devida pela falta de pagamento das mesmas, no valor de 29,64 €, perfazem uma dívida de 92,19 €. da Região Hidrográfica diz não ter detectado nenhuma o presidente da Câmara anormalidade na zona do aterro que a Rodocargo ali reali- de Alenquer, acrescen- À moradora já foram dadas diversas oportunidades para proceder ao pagamento da quantia em dívida, a última zou. “Fizemos tudo o que podíamos”, afiançou a presidente tando que o gabinete das quais em 25/09/2009, através de um acordo para pagamento em 36 prestações mensais de 46,08 € cada da Câmara, prometendo tentar alcançar um entendimento uma, da quantia global de 1 659,02 €, correspondentes a rendas em dívida até essa data, estando actualmente jurídico da ARH está, em dívida com 15 prestações do referido acordo, no valor de 691,20 €. com os responsáveis da empresa transportadora. agora, a elaborar um Luísa Guerra também mora na Vala do Carregado e tem um documento sobre este O presente projecto de decisão é tomado com base no disposto nas alíneas d) e f), do nº 1, do artigo 3º, da Lei problema semelhante. “Tive que arranjar as casas que acordo e esta possibili- 21/2009, de 20 de Maio, do nº 3, do artigo 3º, da Lei nº 21/2009, de 20 de Maio, e dos nºs 7, 9, 10, e 11, do arti- ficaram uma lástima. O meu marido esteve diversos meses go 9º, no nº 6, do artigo 12º, no nº 2, do artigo 13º, e no nº 14, do artigo 9º, todos do Regulamento de Habitação dade de acesso a estes Municipal. sem receber e quando ele conseguiu o fundo de desemprego terrenos. é que fomos comprando algumas coisas que estavam estra- O autarca do PS lembrou Mais fica a moradora e demais interessados notificados, de que nos termos do disposto nos nºs 6 e 7, do artigo gadas. Não temos culpa daquela terra lá estar, se não que nunca houve acordo 3º, da Lei nº 21/2009, de 20 de Maio, e no nº 6, do artigo 12º, do Regulamento de Habitação Municipal, caso a estivesse não tinha acontecido o que aconteceu”, frisou. “a bem” com estes dois decisão se torne definitiva, dispõem de um prazo de 90 dias para desocupar a referida fracção, sendo que se não Maria da Luz Rosinha prometeu abordar tamb´m esta situ- o fizerem até ao final do prazo que lhes é facultado, será imediatamente efectuado o despejo com recurso à autori- proprietários que, ulti- dade policial, sendo removidos todos os bens que se encontrem na fracção, os quais serão depositados em local ação coma Rodocargo. mamente, contestaram designado para o efeito, onde poderão ser levantados pelos proprietários, dentro do prazo de um ano a contar da até a possibilidade de presente notificação, data a partir da qual serão declarados perdidos a favor do Município, nos termos do artigo expropriação, alegando 1323º do Código Civil. que dois proprietários do lado o que se vai fazer é a de Alenquer nunca se demolição da ponte que ligava que o estudo de impacte Os interessados poderão, querendo, nos termos do artº 101º, do Código do Procedimento Administrativo, no mostraram disponíveis para antigamente à Termoeléctrica e ambiental referia que prazo máximo de 10 dias, pronunciar-se por escrito sobre esta proposta de decisão. Findo este prazo, sem que vender os terrenos necessários. fazer a limpeza do que são não haveria lugar a haja pronúncia ou no caso de a mesma não ser atendível, a decisão tornar-se-á definitiva. expropriações. “Já perdemos mais de 1 anos áreas de passagem da ponte da O processo que conduziu à tomada desta proposta de decisão encontra-se disponível para consulta no de tentativas de negociação da Refer, o que vai permitir escoar Departamento de Habitação Saúde e Acção Social da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, sito na Rua Alves Câmara de Alenquer com esses com mais facilidade se houver Redol, nº 16, 1º, 2600 Vila Franca de Xira, das 9h às 12:30h e das 14h às 17:30h. proprietários. O Município um grande caudal de água”, domínio hídrico da respons- Para constar se publica o presente Edital e outros de igual teor que vão ser afixados nos locais de costume e pub- decidiu avançar com outra sustentou. Quanto ao resto, a abilidade da Administração da licados nos jornais locais. solução que permitirá dar edil vila-franquense acha que região Hidrográfica. “Tem que andamento à obra. No entanto, os trabalhos de fundo só ser a ARH a tirar ou então a E eu, Maria Paula Cordeiro Ascensão, Directora do Departamento de Administração Geral, o subscrevi. estamos em Novembro e os poderão arrancar Fevereiro ou dar-nos autorização para que a Paços do Município de Vila Franca de Xira, 14 de Outubro de 2011 meses seguintes não serão, Março. Câmara solicite ao consórcio seguramente, momento indica- Já sobre as árvores tombadas, que vai fazer as obras que retire A Presidente da Câmara Municipal, dos para começar a mexer nos Maria da Luz Rosinha diz que as árvores que possam estar a terrenos. O contrato da obra foi a Câmara não pode intervir, estrangular mais o escoamento - Maria da Luz Rosinha - assinado na semana passada e porque estão numa área de da água”, concluiu.
  4. 4. Progr iv 2 imo dia 0 ra dia 2 inalam o seu ama pa0, os BVA assnto de inicia- 9 conju 85º. an arrancam às -se romagem são e e stear No próx ersário com um h00 com o ha ao s 05 tivas qu deiras. Segu entidades, se n s das ba , recepção da rativo. io o cemitér almoço comem 9 de Novembro de 2011 solene eBombeiros de Alvercacelebram 85 anosOs Bombeiros Voluntários de da corporação alverquense (verAlverca (BVA) celebram, este caixa). No passado sábadomês, o seu 85º. aniversário. Em foram muitos os que quiseramépoca de dificuldades, o pro- conhecer melhor a actividadegrama comemorativo é algo dos BVA e os mais novoscontido, mas ainda assim a cor- mostravam-se particularmenteporação alverquense quis prin- interessados em ver o interiorcipalmente afirmar a sua li- do carro de combate a incên-gação à comunidade que servee organizou, no passado sába- dios ou da ambulância. Aproveitando o desafogo da Vila Franca temdo, uma jornada de contactocom a população que reuniu Praça de S. Pedro, a corpo- ração instalou painéis sobre a nova associaçãoefectivos e equipamentos juntoà feira semanal de Alverca. sua actividade operativa e sobre a Brigada 1130 (jovens de protecção civilO ponto alto das comemo- bombeiros em fase de for- Nasceu em Vila Franca de Xira em Fevereiro de 2009 e mação), mas também uma organizou, no passado dia 29, um seminário sobre as pers- banca para distribuição de pectivas das associações de protecção civil em Portugal, informação e para fazer novos explicou, ao Voz Ribatejana, empresa da nossa área nos que serviu também para uma apresentação pública dos seus associados e vários equipa- Rui Ferreira, vice-presidente ofereceu qualquer equipamen- objectivos. A Safety-Associação para a Prevenção e mentos das diversas facetas de da direcção dos BVA, frisando to significativo. Há uns anos Segurança tem sede nas antigas instalações da escola intervenção da associação. que outro objecto desta acção fazíamos uma campanha para primária do Monte Gordo (Vila Franca) e delegações em “No âmbito das comemorações que trouxe o quartel para a rua nos ajudarem em equipamen- Constância e Ponte de Sôr, reunindo já mais de 40 associa- do 85º. Aniversário decidimos foi mostrar à população a tos e conseguíamos algumas dos. fazer esta amostragem à popu- importância destes meios de ajudas que valia a pena, hoje o No dia 29, num debate moderado pelo comandante da lação dos nossos equipamentos Associação de Bombeiros Voluntários de Vila Franca, socorro. que recebemos de uma cam- António Pedro Lopes, estiveram, sobretudo, em foco as Alberto Fernandes e e de alguns contactos. Actualmente, os Bombeiros de panha dessas é residual”, condições de formação e a capacidade de intervenção das Rui Ferreira Aproveitamos para divulgar Alverca são a corporação do lamenta. unidades especiais de protecção civil. junto dos jovens a possibili- concelho de Vila Franca com E esta constatação torna-se João Faria, antigo comandante da corporação vila-fran-rações (o 85º. aniversário dade de poderem virem a fazer mais associados. Um número mais preocupante quando se quense, é o presidente da assembleia-geral da Safety e expli-cumpre-se no próximo dia 15) parte da nossa corporação de que ultrapassa os 5000, mas conhecem as dificuldades gen- cou que esta associação resulta de uma ideia que foi gan-está, contudo, marcado para a bombeiros e de algumas pe- que tem descido ligeiramente eralizadas das corporações de hando corpo nas sessões do observatório para a inovação emanhã de dia 20, com um con- ssoas que não são sócias numa freguesia que continua bombeiros, confrontadas com desenvolvimento organizadas no auditório da Junta de Vilajunto de actividades no quartel poderem vir a inscrever-se”, em franco crescimento popula- aumentos de custos significa- Franca. “A Safety é um associação de cariz humanitário cional. Rui Ferreira julga que tivos, sobretudo de com- que tem como principal objectivo prestar ajuda às popu- “as novas pessoas que vão bustíveis e com quebras nas lações em situações de risco e/ou em estados de calami- chegando a Alverca não estão receitas, quer de serviços de dade”, explicou, frisando que os associados têm formação Substituir ambulância e muito integradas no sentido de transporte de doentes, quer dos muito diferenciada e vão de engenheiros a especialistas de protecção civil. “Temos tido toda uma série de acções de atrair mais jovens se fazerem sócias das nossas instituições” e que alguma mais variados apoios. “As associações de bombeiros formação, muito em particular ligadas à indústria e elabo- ramos planos de emergência e simulacros”, observou acres- Alberto Fernandes, comandante dos Bombeiros Voluntário de descida se deve a mudanças de do nosso país estão a viver a centando que outro dos objectivo da Safety é desenvolver o Alverca, sublinha que, nesta altura, a maior necessidade da residência, a alguns falecimen- pior fase que lhes conheci. E as chamado Projecto 1, 2, 3-Gestos Responsáveis de infor- corporação passa pela substituição de uma ambulância de tos e nalguns casos também a perspectivas não são nada ani- mação e sensibilização de crianças com idades entre os 5 e socorro. Consciente das dificuldades generalizadas, Alberto razões económicas. madoras. Ou há aqui alguma os 12 anos. Fernandes reconhece que “é a necessidade mais premente”, Em termos gerais, a comu- inversão ou então isto vai ser Depois, a Safety tem pólos em Constância e Ponte de Sôr mas que nesta fase difícil não será fácil concretizar esse nidade continua bastante sen- muito complicado nos próxi- onde estão instaladas equipas cinotécnicas (com cães treina- objectivo no curto prazo. “É aquilo de que necessitamos mais sível ao papel da corporação de mos tempos. Neste momento já dos para acções de busca e salvamento), que participam no imediato. Depois temos projectos futuros, a longo prazo, regularmente em acções de socorro em território nacional e bombeiros, mas os apoios, há situações de ruptura e os que passarão por um equipamento de salvamento em altura, no estrangeiro. Conforme explicou a vice-presidente da não aquilo normalmente referenciado como auto-escadas, sobretudo das empresas, têm próximos meses vão ser muito vindo a decair. “Há de tudo, há complicados”, avisa Rui associação, este seminário serviu também para escalpelizar mas um projecto que tem que ser a muito longo prazo, porque os objectivos da Safety e apresentá-la à comunidade local. está tudo muito complicado e é prematuro falar o que quer pessoas que estão perfeita- Ferreira, que é também diri- Entre os objectivos próximos da associação está a melhoria que seja sobre o futuro dos corpos de bombeiros”, sustenta. mente conscientes da gente da Federação de das instalações da antiga escola do Monte Gordo. Outra preocupação de Alberto Fernandes é continuar a atrair importância que os bombeiros Bombeiros do distrito de mais jovens para os bombeiros. Também por isso foi apresen- têm na prevenção e no socorro Lisboa. tado na Praça de S. Pedro o trabalhão desenvolvido com a às populações para melhorar a Brigada 1130, que reúne actualmente 12 jovens. “Tentamos sua segurança, há outras que também trazer mais jovens para junto dos bombeiros, porque não estão”, admite Rui quanto mais novos começarem maior e melhor vai ser a sua Ferreira, lembrando que ao té formação. Infelizmente o voluntariado já não tem a adesão tos a que gostaríamos que tivesse e tem que se ir recorrendo a longo dos últimos anos apenas Aber horas! por uma vez uma empresa às 2 3 algumas iniciativas deste tipo. Ao longo do ano que vem vamos também organizar iniciativas nas escolas, para tentar local resolveu ajudar a corpo- cativar os jovens para começarem a sua carreira de ração oferecendo uma viatura. bombeiros”, revela Alberto Fernandes, reconhecendo que a Aconteceu com a Henkel legislação por vezes também não ajuda e “acaba por afastar (empresa que entretanto já saiu OS MELHORES MÉDICOS E SERVIÇOS A PREÇOS MAIS BAIXOS um pouco os jovens desta vida de bombeiros, mas com algu- da freguesia), depois de um ma boa vontade e com iniciativas como as que temos no seio grande incêndio ocorrido há já - CONSULTAS DE CLÍNICA GERAL E DOMICÍLIOS do corpo de bombeiros vamos conseguindo cativá-los e que se GRATUITOS mais de 10 anos, mas em que - CONSULTAS DA ESPECIALIDADE A BAIXO mantenham activos”. os responsáveis da empresa CUSTO A Brigada 1130 é constituída por jovens com menos de 18 ficaram muito satisfeitos com a - MEDICINA DENTÁRIA A PREÇOS ACESSÍVEIS anos (idade a partir da qual podem começar a participar em - ANÁLISES CLÍNICAS eficiência da actuação dos actividades operacionais) e dali já saíram vários novos ele- - EXAMES COMPLEMENTARES mentos para o corpo activo. “Neste momento temos à volta de bombeiros. “Foi um fogo com- - ENFERMAGEM E AULAS DE PREPARAÇÃO 12 elementos, o que é significativo. Era um número mais ele- plexo que começou ás 8 da PARA O PARTO vado, mas alguns, felizmente, atingiram agora a idade dos 18 manhã e, ao meio-dia, já a - RECEITUÁRIO anos em que podem passar para a outra fase, começam já a fábrica estava a trabalhar. - E MUITO MAIS! fazer algum serviço operacional e a fazer a escola a Ficaram muito satisfeitos e bombeiros de terceira”, conclui o comandante da corporação ofereceram-nos um veículo. A VENHA CONHECER-NOS EM ALVERCA: alverquense. partir daí mais nenhuma Rua Projectada ao Choupal Edifício A Loja A
  5. 5. 06 “ TODOS COM VOZ voz ribatejana #24Editorial Correio dos LeitoresA crise e o movimento O futuro do Alhandra como será?associativo A riqueza de uma localidade está no seu povo, Alhandra não vive dos seus associados, con- seguiu comprar a sua sede fecharam. Com franqueza, logo as duas maiores com mi- drenses e os bons alhandrenses têm que lutar por uma causa foge a esta realidade. Se olhar- social, melhorando-a fisica- lhares e milhares de livros lá que nos una. Alhandra, terra doPoderíamos apontar o tema da “crise no movimento associati- mos para o passado, vimos e mente, adequando-a aos tem- dentro, onde os nossos filhos se Dr. Sousa Martins, de Afonsovo” como título deste editorial, mas preferimos uma ideia si- sentimos a riqueza do povo de pos mais modernos, para me- podem preparar para uma me- de Albuquerque, de Braz degnificativamente diferente e intitulá-lo “A crise e o movimen- Alhandra. Senão vejamos, a lhor funcionamento. Foi o lhor vida futura. Albuquerque, de Luís Ralha,to associativo”. Vão perceber porquê. construção do Teatro Salvador povo que esteve sempre pre- Nós exortamos daqui o povo de Salvador Marques, deÉ que se a “crise” da falta de voluntários interessados em Marques foi obra de alguém sente, quer também nas antigas de Alhandra, associados do Severiano Falcão, de Augustodedicar parte do seu tempo livre às associações e instituições com coração bondoso. O nosso Piscinas, que foram erguidas ASC, que não autorizem a Bértolo, de Manuela Cânciolocais já não é de agora, os problemas de sustentabilidade de Coreto, onde se dão muitos pelo povo. Como sabemos, é venda da sede, que se proponha Reis, de Silva Marques, dealgumas delas agudizaram-se de forma muito preocupante nos concertos musicais, pela nossa sempre o povo, mas oculta- uma assembleia-geral para Francisco Filipe dos Reis, deúltimos anos. Principalmente porque o Estado (central e local), querida banda da Sociedade mente há sempre alguém que inutilizar essa armadilha que Soeiro Pereira Gomes, de Josépercebendo que muitas delas o substituem no cumprimento de Euterpe Alhandrense (SEA), se intromete, com a intenção de foi feita ao nosso querido clube de Freitas, de Valada de Sousa,tarefas fundamentais, foi contribuindo, de forma muitas vezes foi construído por subscrição dividir para reinar. A nossa e ao povo de Alhandra. Não de Pedro Cavaco e de tantosdecisiva, para o seu funcionamento. Só que, em época de pública. O trabalho de tantos e SEA com este sistema já podemos consentir que se milhares de alhandrenses, onde“vacas magras” e de grande contenção financeira, muitas tantos alhandrenses, quer em tremeu. Pois alguém já estava a venda a nossa sede porque, as mulheres também têm dadodessas contribuições vão desaparecendo e a sobrevivência de bailes na antiga verbena com o arranjar compradores e, por logicamente, se ela saísse dali um contributo tão importantealgumas destas organizações começa a estar em causa. seu bufet a funcionar, foi-se consequência, para ser cons- seria o começo da destruição em todo o desenvolvimento daNesta edição, o Voz Ribatejana traz vários casos de dificul- arranjando dinheiro que, ao fim truída noutro local? O mesmo do nosso glorioso ASC nossa querida terra. Se existedades ainda geríveis vividas por diversas associações da de alguns anos, deu para sucede com a sede do nosso Não podemos esquecer o que uma cultura desportiva? Existeregião, mas que ameaçam desfechos bem mais complicados se começar a obra da sede da SEA ASC, pois parece que numa se passou com as nossas anti- na nossa terra, com os nossos que, com a ajuda sempre do assembleia-geral foi votada gas piscinas, o desmantela- grandes corações alhandrenses,não for feita a devida reflexão. Se não vejamos, a União povo, aos sábados e domingos para ser vendida. mento tem que parar, a cultura que em diversas modalidadesDesportiva Vilafranquense vive uma fase de certo modo con- dando serventia a pedreiros, colectiva não pode acabar. dão todo o seu esforço etraditória, o clube tem obtido excelentes resultados carpinteiros, pintores, O que se pretende fazer do Mulheres, homens e jovens, é empenho, na natação, no tria-desportivos e crescido significativamente em modalidades ladrilhadores e com uma nosso querido ASC? necessário que nos unamos em tlo, na vela, na canoagem, nacomo o basquetebol, o hóquei em patins e o futebol, entre ou- grande direcção que trabalhou torno da nossa querida terra, pesca, no futebol, na ginástica,tras. Os processos do campo relvado sintético e das novas arduamente na obtenção de O que se pretende fazer da de- em torno das nossas queridas nas danças, no coro, no conser-instalações da secção náutica também avançaram. Mas, a nível muita matéria-prima, con- dicação, do esforço, dos anos colectividades, que são a alma vatório. Terra de Homens edirectivo, ninguém parece interessado em presidir a uma seguiu-se construir um de trabalho desses dedicados e o sustento cultural e desporti- Mulheres que sabem o cami-colectividade emblemática que acumulou dívidas significati- património cultural que ainda alhandrenses que, ao longo de vo dos nossos filhos. Temos nho por onde vão, é um povovas ao fisco. O projecto das bombas de combustível está num hoje é admirado. As condições todos estes anos, lutaram e que nos unir, esquecendo que resiste, é um povo que dizimpasse e, dizia-nos um dirigente, as secções deveriam, para actualmente já não são as dese- lutam pelo engrandecimento querelas, esquecendo mal não.além do excelente trabalho que desenvolvem, deviam olhar jadas, mas no futuro têm que do nosso ASC? Chegamos à entendidos, esquecendotambém um bocadinho para as necessidades gerais do clube. ser melhoradas. O Alhandra conclusão que não é por acaso pequenos problemas mesquin- Américo Diogo FerreiraIgualmente preocupante é perceber que uma assembleia Sporting Club, que também só que as nossas bibliotecas hos. Porque nós somos alhan- Alhandraimportante para a vida do clube como a realizada na sexta-feira juntou elementos dos órgãos directivos cessantes e ape-nas mais 2 (!?) sócios.Já no Alhandra vive-se outro dilema, como reunir condiçõespara manter as Piscinas Baptista Pereira, um sonho de décadas O Melhor e o Pior da Quinzenaque o clube conseguiu pôr de pé. Os apelos ao apoio da Numa época de dificuldades,Câmara não têm dado resultados (a autarquia até vai fechar as as parcerias são sempre bempiscinas da Calhandriz para poupar dinheiro) e a ideia da vindas e foi bonito ver comovenda da antiga sede do clube tem alguns contestários. duas instituições de AlvercaMas se nos virarmos para as corporações de bombeiros, o (Misericórdia e Casa S. Pedro)cenário não é melhor. A de Arruda tenta fazer tudo ao seu se juntaram nalgumas dasalcance para angariar fundos que lhe permitam equilibrar as actividades comemorativas docontas. A de Salvaterra vive momentos deveras complicados. 9º. aniversário das novasE entre as instituições particulares de solidariedade social tam- instalações da primeira.bém começam a surgir problemas complicados. Não falando já Afinal, juntos somos maisde situações como a da CerciPóvoa que tenta, há anos, encon- fortes e mais produtivos.trar soluções para as dificuldades que foi acumulando.Tudo isto porque muitas destas estruturas e equipamentosforam desenhados noutra realidade que não é a de hoje edeparam-se agora com enormes dificuldades para se ajustaremao novo contexto financeiro. Se nalguns casos se fizeram A falta de segurança é cada vez maisobras mal ponderadas e talvez demasiado ambiciosas, é altura preocupante. Sucedem-se os assaltos àde reflectir muito sobre os próximos passos e aproveitar mel- mão-armada em vários pontos dahor o que existe, não avançando sucessivamente para novos região. Se nuns casos poderemos falarempreendimentos como acontecia há alguns anos atrás. de actos de algum “desespero” peranteDepois, a própria sociedade civil e as empresas devem reflec- as dificuldades ainda assim nuncatir muito bem sobre as suas atitudes nestes casos, percebendo aceitáveis, noutros parece haver umaque faz muito mais sentido apoiarem instituições e colectivi- cada vez Maio facilidade em cometerdades das suas áreas de residência ou de actividade do que dis- crimes e arranjar armas. As própriaspersarem meios por organizações muitas vezes de credibili- forças de segurança, com alguns sinaisdade duvidosa. Se é a corporação de bombeiros da sua zona de desmotivação, não conseguemque o socorre em caso de necessidade, se é a IPSS local que responder a tudo.acolhe a sua criança ou o seu idoso, se é o colectividade quelhe oferece condições para a prática desportiva ou de activi-dades culturais, por que é que prefere pagar as quotas dogrande clube de futebol da sua preferência ou fazer um dona-tivo para o outro lado do Mundo e ignora quem lhe está próx-imo? Façamos todos esta reflexão! Jorge TalixaFicha técnica: Voz Ribatejana Quinzenário regional Sede da Redacção e Administração – Centro Comercial da Mina, Loja 3 Apartado 10040, 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281 329Correio Electrónico – vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com Proprietário e editor – Jorge Humberto PerdigotoTalixa - Director – Jorge Talixa (carteira prof. 2126) Redacção – Miguel António Rodrigues (carteira prof. 3351), Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Paula Gadelha (carteira prof. 9865) e Vasco Antão (carteirade colaborador 895) Paginação - António Dias Colaboradores: Adriano Pires, Hipólito Cabeça, Paulo Beja Concessionário de Publicidade – PFM – Radiodifusão Lda. Área Administrativa e Comercial –Júlio Pereira (93 88 50 664) e Afonso Braz (936645773)Registo de Imprensa na ERC: 125978 Depósito Legal nº: 320246/10 Impressão CIC – Centro de Impressão Coraze Tiragem – 5000 exemplares
  6. 6. 07 Inquérito em vozribatejana.blogspot.com. Particpe também! 30% sim A maioria dos leitores do blog do Voz Ribatejana concorda com a redução do número de feriados e das chamadas “pontes”. Quarenta e cinco por cento dos par- ticipantes no inquérito promovido em vozribatejana.blogspot.com acha que devem 45% sim 25% ser reduzidos aqueles dias de paragem, mas a votação revelou-se bastante equili- N/S brada, porque outros 30% não estão de acordo com estas mexidas em estudo pelo 9 de Novembro de 2011 Governo. Já os restantes 25% não têm ainda opinião formada sobre o assunto.Sindicato alerta para saída de enfermeirosO Sindicato dos Enfermeiros extensões de saúde das áreas dos posse aos enfermeiros quePortugueses (SEP) alertou, no agrupamentos de Vila Franca e entraram no concurso, os que tin-final de Outubro, para o risco de de Torres Vedras. Essa preocu- ham ficado de fora tinham quedispensa de dezenas de enfer- pação foi, para já, adiada, mas ser imediatamente despedidos. Ameiros nos centros de saúde dos mantêm-se outras. É que, segun- ideia era tentar que a situação seconcelhos de Vila Franca, do Rui Marroni, da Direcção resolvesse e que nenhum fosseAlenquer, Arruda e Sobral de Regional de Lisboa do SEP, a despedido, porque eles têm aMonte Agraço, se não for auto- Administração Regional de noção de que estes enfermeirosrizada a renovação dos contratos Saúde, abriu, no início de 2011, fazem falta”, explica Ruicelebrados com empresas de concurso para pouco mais de 100 Marroni, frisando que terá queprestação de serviços de enfer- vagas, mas tinha perto de 200 ser o novo conselho directivo amagem. No dia 27, em Vila enfermeiros com contratos a encontrar soluções, que poderãoFranca, dirigentes sindicais aler- termo. Significa isto que cerca de passar pelos contratos sem termotaram a população para as conse- metade não foram seleccionados para os participantes no concursoquências dessa eventual redução ou não concorreram. e pela continuidade de algunsde enfermeiros em serviços já de “Os que entraram ainda não contratos com termo.si desfalcados. Antes do final do foram colocados e os que Certo é que, no entender do SEP,mês foi, entretanto, anunciado ficaram de fora não sabem qual todos estes enfermeiros sãoque a ARSLVT autorizou os vai ser a vida deles e correm o necessários nas unidades deagrupamentos a prolongarem os risco de serem despedidos”, su- cuidados de saúde primários dacontratos até final do ano. blinha Rui Marroni, frisando que região, onde já haverá um déficeSegundo o SEP, os centros de tudo isto afecta em muito os significativo. Segundo os ráciossaúde e extensões do concelho de cuidados prestados utentes nos internacionais, deveriam serVila Franca poderiam perder 12 centros de saúde e tem também cerca de 2000 enfermeiros nodos seus 55 enfermeiros mas, levado ao progressivo encerra- distrito de Lisboa mas estão colo-segundo o Agrupamento de mento de várias unidades e cados apenas 900. “Estes enfer- A denúncia pública do problema nas ruas de Vila FrancaCentros de Saúde vila-fran- serviços. meiros continuam a ser precisos.quense, em causa estavam ape- No entender do dirigente do SEP Deveria haver cerca de 2000nas seis casos, cujos contratos esta indefinição não tem uma enfermeiros no distrito de Lisboaforam prorrogados até final doano com autorização dada nofinal de Outubro pela relação directa com o facto do conselho directivo da ARSLVT ter sido substituído esta semana e e só temos 900. Desses, há 100 que correm o risco de despedi- mento a curto prazo pela subcon- Benavente e SalvaterraAdministração Regional deSaúde de Lisboa e Vale do Tejo(ARSLVT). com a necessidade que os novos responsáveis têm de se inteirarem dos processos. tratação, alguns dos quais já foram mesmo despedidos em agrupamentos de centros de unem-se em defesa do SAP O Agrupamento de Centros de quando se sabe que pelo Santarém, o que acarretaráCerto é que, no final de “Evidentemente que o conselho saúde da cidade de Lisboa. E, Saúde da Lezíria assegurou a menos 22 500 residentes nesta maiores despesas para o SNS eSetembro, já saíram algumas directivo que saiu já poderia ter depois, há uma grande incógnita renovação, até final deste ano, área não têm médico de principalmente maior angústiadezenas de enfermeiros de resolvido a situação, mas na para outros 100 que não entraram do contrato de prestação de família. Já no dia 28, o ACES e sofrimento para os doentes”,unidades de saúde de Lisboa e o reunião que efectuámos também em concurso para contratos de serviços médicos que garante informou a Câmara de avisa a CUCB, preocupadaSEP temia que o mesmo se confrontavam com uma situ- trabalho de funções públicas”, o funcionamento do SAP Benavente que tinha autoriza- com o que poderá acontecersucedesse, agora, em centros e ação complicada: se dessem conclui Rui Marroni. (Serviço de Atendimento ção da Administração depois de 31 de Dezembro. Permanente) de Benavente em Regional de Saúde para pro- O contrato de prestação de período diurno. Esta garantia longar a contratação de médi- serviços médicos abrange Piscina da Calhandriz vai fechar está, todavia, longe de tran- cos até final do ano. No perío- também 21 horas de serviços A Câmara de Vila Franca de segundo Fernando Paulo utilizar os dois equipamentos quilizar os utentes de saúde do nocturno (das 20h00 às médicos prestadas na Xira aprovou um plano de Ferreira, vereador com o existentes nesta cidade. dos concelhos de Benavente e 8h00), a continuidade do SAP Extensão de Saúde do Porto racionalização da gestão de pelouro de gestão de equipa- “Custos de transferência de Salvaterra, que temem que está assegurada pela Alto para consultas de recurso, equipamentos desportivos que mentos municipais, as Piscinas praticamente não existem, se trate apenas de um adia- Misericórdia de Benavente, que poderão também desa- tem como medida de maior da Calhandriz são também as serão incluídos nas piscinas da mento do fecho do serviço mas os utentes temem o fecho parecer. Se assim for, os cerca impacto o encerramento das que apresentavam os maiores sua preferência. Diria que, à durante o dia, que receiam que no restante horário (das 20h00 de 3000 habitantes do Porto Piscinas da Calhandriz (uma custos energéticos. Se nos parte o custo de irem tomar aí ocorra já no início de 2012. às 8h00) em que, só no Alto “terão de recorrer ao das cinco geridas directa- casos das piscinas de Vila os seus duches, não há mais Certo é que, no passado dia primeiro semestre deste ano, Centro de Saúde de mente pela autarquia). O Franca, Alverca (2) e Póvoa de custos acrescidos nessas pisci- 28, mais de 50 pessoas partic- foram atendidas 2500 pessoas. Benavente, que já não tem Município espera poupar Santa Iria, o aquecimento é nas”, observou, frisando que iparam numa concentração “A confirmar-se esta medida, capacidade para assistir os cerca de 90 mil euros por ano assegurado por gás das redes este pacote de racionalização promovida por comissões de numa altura do ano em que as utentes que ali estão inscritos, com esta desactivação do com- de distribuição existentes, no de custos prevê também algu- utentes dos concelhos de doenças gripais ocorrem com aumentando o caos e sacrifi- plexo, que foi construído há caso da Calhandriz era pre- mas reduções de horários nas Benavente e de Salvaterra de frequência, terá como conse- cando as condições de vida cerca de 10 anos com verbas ciso transportar e instalar restantes quatro piscinas, que Magos, com o objectivo de quência o aumento de utentes dos utentes e de trabalho dos atribuídas pela Valorsul como botijas, porque não existe rede vão de 10 a 45 horas semanais, defenderem um SAP que serve que ficarão desprotegidos, profissionais”, refere a comis- compensação pelo funciona- de gás, originando custos mas aplicados apenas em os 50 mil habitantes dos dois tendo de recorrer às urgências são. mento naquela área do Aterro muito superiores. A proposta períodos do dia em que os municípios e que se revela sobrelotadas dos hospitais de Sanitário do Mato da Cruz. do executivo socialista foi complexos em causa “ou não cada vez mais importante Vila Franca de Xira ou de Jorge Talixa Agora, considerando a baixa aprovada por unanimidade, são utilizados por ninguém ou utilização do equipamento mas a CDU ainda colocou por um máximo de 4 pessoas”. (cerca de 110 utentes por sem- algumas dúvidas à decisão de As Piscinas da Calhandriz ana) e os elevados custos de funcionamento, a Câmara decidiu fechar as piscinas, encerramento destas piscinas, questionando se, mesmo encerradas, não terão custos foram construídas a pouco mais de 100 metros desta localidade, sede de uma Piscinas de Samora já reabriram tendo também em conta as fixos e de manutenção eleva- freguesia rural que é também As piscinas municipais de Samora um agente causador de infecções intesti- necessidades de contenção dos. “Estes custos e estes pre- a segunda menos populosa do Correia reabriram na manhã do passado nais e urinárias”. financeira. O encerramento juízos não se vão manter concelho (cerca de 1000 habi- dia 4, depois de quatro dias de encerra- Por isso, a autarquia decidiu encerrar o deverá ocorrer já neste mês de mesmo encerradas? E quais tantes), mas estão situadas mento motivado pelo facto de ter sido ali complexo e “proceder ao tratamento Novembro, depois da infor- serão os custos de transferên- num extremo do território da detectada a bactéria enterococos intesti- necessário para regularizar a situação mação aos utentes e o Voz cia dos 110 utilizadores para freguesia de Alverca, cidade de nais, que pode provocar infecções intesti- com o transbordo de toda a água no Ribatejana apurou que a outras piscinas?”, questionou que distam cerca de 5 nais e urinárias. Em comunicado dis- tanque grande e posterior aplicação do autarquia admite apenas Bernardino Lima. Fernando quilómetros. Tratando-se de tribuído no dia 31, a Câmara de nível de cloro indicado”. Já no dia 2, a reabrir as piscinas no período Paulo Ferreira vincou que a uma zona predominante- Benavente explica que efectua análises edilidade promoveu uma nova análise da de Verão para utentes interes- maioria dos utentes das mente rural, a afluência ao periódicas à água deste complexo de pisci- água, que concluiu que estava dentro dos sados em utilizá-la com água à Piscinas da Calhandriz já são equipamento nunca foi eleva- nas e que, na última, “foi detectada uma parâmetros recomendados e reabriu as temperatura ambiente. É que, de Alverca e poderão passar a da. bactéria no tanque grande, que pode ser piscinas na manhã da passada sexta-feira.

×