Homenagem surpresa nos                                                 75 anos de Mário CoelhoEm frente aos correios de Al...
02                                                                        “ABERTURAComandante da Divisão Policial de Vila ...
311 efectivos                                                    A Divisão Policial de Vila Franca tem 311 efectivos. A un...
04                                                                                                       “  TODOS COM VOZ ...
Falta de apoio nos centros de emprego                                                                              À pergu...
06                                                                             “  SOCIEDADE                               ...
a tejana a                                                                                        Voz Rib ok              ...
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011

1.523 visualizações

Publicada em

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.523
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jornal Voz Ribatejana 30 Março 2011

  1. 1. Homenagem surpresa nos 75 anos de Mário CoelhoEm frente aos correios de Alvercatel: 21 958 45 37 Web: www.audiovital.pt O matador de toiros, Mário Coelho, completou 75 anos na sexta-feira. Um grupo de amigos organizou uma homenagem surpresa no auditório da Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira. O toureiro afirmou que tem muito orgulho em ser natural da cidade vila-franquense . Na gale- ria da autarquia local está patente uma exposição dedicada aos 50 anos de carreira de Mário Coelho. Pág. 24 ““ crimes Voz Ribatejana:: número 9 :: ano 1 :: 30 de Março de 2011 :: quinzenário regional :: director Jorge Talixa :: preço 0,50 cêntimos ::Vila Franca de Xira - Comandante da Divisão Policial em entrevistaMenose mais roubosA criminalidade baixou 7,6 por cento nas seis freguesias da responsabilidade da Divisão Policial de Vila Franca.Depois de um aumento significativo em 2009, impulsionado por mais casos de violência doméstica, notou-se, em 2010,uma descida generalizada. 89 ofertas de emprego Central de para quase 10 mil Cervejas dá 130 desempregados mil para ajudarEs carenciados pe págs.: 4 e 5 c ia pág.:10Am l bi Mais nove escolas en pá gs .: ameaçadas de fecho te 11 a 15 pág.: 6 Rua José Ferreira Tarré 10 B loja 2615-112 Alverca www.ourinvest.pt e-mail: alverca@ourinvest.pt Tel./Fax: +351 219 571 734 (Perpendicular à Avenida Capitão Meleças)
  2. 2. 02 “ABERTURAComandante da Divisão Policial de Vila Franca de Xira em entrevista“Criminalidade baixou7, 6 % em 2010”Criada em Fevereiro de 2008 aquando da reestruturação do dispositivo de segurança no município, aDivisão Policial de Vila Franca de Xira é responsável por seis das mais populosas freguesias do concelho,onde residem perto de 110 mil habitantes. Com 311 efectivos, distribuídos por três instalações, a PSP temapostado numa estratégia de policiamento de proximidade e no patrulhamento automóvel. AntónioPinto Aires assumiu exactamente há 1 ano o comando da Divisão Policial sedeada em Alverca. Ementrevista ao Voz Ribatejana faz um balanço bastante positivo do trabalho da polícia, sublinha que acriminalidade registada baixou 7, 6% em 2010, mas admite que o crime considerado mais violento temcrescido aqui como em muitas zonas do País. A esquadra da Póvoa ainda não tem data marcada paraabrir e, em Vila Franca, a PSP admite transferir-se para o antigo edifício da GNR se lhe forem intro-duzidas algumas melhoriasVoz Ribatejana – Como é que mais e mais e dar ênfase sobre- que tem ao seu dispor. Euavalia a realidade que encon- tudo ao trabalho que tem sido gostaria de ter muito maistrou quando, há 1 ano, desenvolvido no âmbito do meios, mas uma coisa é certa “Se contarmos com todos esses elemen-assumiu esta responsabili- Programa Integrado de também: temos que trabalhar tos que vão fazer serviço à área dadade e quais foram as suas Policiamento de Proximidade com aquilo que temos. E, se esquadra de Vila Franca, a esquadraprioridades em termos de junto das populações, procu- soubermos aproveitar os que não perdeu efectivos, se calhar até gan- hou, porque tem gente que vai e até, secomando? rando puxar também as popu- temos, dinamizá-los, dar-lhes necessário, em maior número do queSub-intendente António lações a participarem na segu- confiança, responsabilizá-los, aquele que tinha antes de 2008”Pinto Aires – Encontrei uma rança da zona. creio que conseguimos obterdivisão muito bem organizada. resultados satisfatórios. autóno-A minha preocupação foi dar Mas é voz comum que a ma que tinhacontinuidade ao trabalho que “manta” colocada ao dispor Vila Franca de Xira é uma um efectivo de cerca de 80tinha sido iniciado e, depois, da divisão é curta e que é difí- das localidades da vossa zona e poucos elementos e que tinha públi- todas as valências, desde a ca, do patrul- com todos esses ele-com alguns retoques, porque cil, no dia-a-dia, aplicar esses que se queixa da limitação do investigação criminal ao trânsi- hamento. As outras valências, mentos que vão fazer serviço àcada um tem o seu cunho pes- objectivos de policiamento de número de efectivos. É fre- to e todos os outros serviços. O sedeadas em Alverca, também área da esquadra de Vilasoal, fazer pequenos acertos e proximidade e de ter um quente ouvirmos que a deslocar de alguns efectivos fazem serviço em Vila Franca. Franca, a esquadra não perdeutentar dinamizar mais e melhor número mais significativo de cidade de Vila Franca ficou para a sede da divisão, aqui em Quando se diz que a esquadra efectivos, se calhar até ganhou,o nosso serviço. efectivos na rua. É mesmo prejudicada com a instalação Alverca, digamos que de Vila Franca tem 43 ou 44 porque tem gente que vai e até, assim ou as pessoas nem sem- do comando da divisão em restringiu o número de efec- elementos, não se conta com as se necessário, em maiorUma das apostas iniciais pre se apercebem da pre- Alverca… tivos na esquadra de Vila equipas de intervenção rápida número do que aquele quedesta divisão foi a do sença da polícia? Acho que é uma falsa questão. Franca. Mas a realidade não é que vão fazer serviço lá, nem tinha antes de 2008.Policiamento de Possivelmente será esse tam- Não há dúvida que, enquantoProximidade. Essa estratégia bém um dos factores. Não há dependeu da Divisão de tanto assim, porque a esquadra se conta com os elementos da de Vila Franca em si, agora, só investigação criminal ou do E esse número base de 43mantém-se? dúvida que ninguém, acho eu, Loures, a esquadra de Vila tem a valência da segurança trânsito que vão para lá fazer o efectivos será suficiente paraTemos procurado dinamizar está satisfeito com os meios Franca era uma esquadra serviço também. Se contarmos uma cidade que não é maiorDesce a criminalidade e Evolução total do crime 2673 2704 2658 Legenda: Fonte: Divisão Policial de Vilaaumentam os roubos 2008 2009 2010 Franca de XiraOs dado estatísticos permitem concluirque, de 2009 para 2010, o número de Vila Franca de Xira Alvercacrimes registados nestas seis freguesiasbaixou 7,6%. A descida foi mais notória roubos furto de furto em tráfico de furto em outros furto em roubos furto de furto em tráfico de furto em outros furto emem Alverca (redução de 50%) e menos veículos veículo droga residência furtos estabelec- veículos veículo droga residência furtos estabelec-sensível na da Póvoa de Santa Iria imentos imentos(menos 2%).Na maioria das freguesias à respons- 109 76 283abilidade da PSP desceram quase todos 57 47 63 45 53 39 47 78 62 55 95os tipos de crime e subiram apenas os 40 54 34 20 38roubos, a excepção é Alverca onde tam- 29 25 29 2 4 26bém o número de roubos (casos mais 14 10 11violentos e com recurso a armas) desceude forma significativa. “A evolução dotipo de crime também nos obrigou a Forte da Casaadaptar as formas de combater a crimi- Alhandranalidade. Hoje isso não se compadececom um polícia na rua a enfrentar um 28 20grupo de meliantes, quando sabemos 17 18 18 19 17que muitos desses crimes são perpetra- 16 15 13 13 14dos por grupos. Moldámos a nossa 13 12 3 4 6 7 12 11 10 3acção, de forma a combater esses gru- 2 0 3 9 2 1pos”, esclareceu, admitindo que háalgum acréscimo da chamada “crimi-nalidade violenta”, porque aumenta o Sobralinho Póvoa de Sta Iriauso de armas.Em 2009, a violência doméstica deu umforte contributo para o aumento do 33 32 39 39 30 59 48 33 55número total de crimes, mas em 2010 as 16 14 52 14 19participações deste tipo de casos já 9 4 7 3 9 15 2 8diminuíram de forma significativa. 0 2 6 1 0 0
  3. 3. 311 efectivos A Divisão Policial de Vila Franca tem 311 efectivos. A unidade arrancou, em 2008, com cerca de 210 elementos, mas reconheceu-se, depois, que eram insuficientes. Estes 311 efectivos estão distribuídos por Alverca, Alhandra e 03 Vila Franca. “Quando foi criada a divisão, as valências foram cobertas, nomeadamente na investigação e no trânsito, com os efectivos que já estavam em Vila Franca. Ao aumentar a área à responsabilidade da PSP, con- cluiu-se que eram insuficientes e houve um reforço de cerca de 100 efectivos”, explicou Pinto Aires.do concelho mas será a maismovimentada?Nunca estamos satisfeitos com PSP admite mudar para a antiga GNR Póvoa sem datao que temos, temos sim é que Em 2008, quando foi reestrutura- ao Voz Ribatejana, que teve difi- cio da GNR.aproveitar os meios que temos do o dispositivo de segurança no culdade em entender essa posição “Toda a gente sabe que o actual Polémica, no início de 2008, foi também adisponíveis. Acho que se bem concelho, previa-se que a da polícia e que o assunto novas espaço não tem condições para decisão de não instalar desde logo umaaproveitados serão suficientes esquadra de Vila Franca, instala- instalações para a PSP em Vila albergar uma esquadra da polícia. esquadra da PSP na cidade da Póvoa de Santapara policiar a área de Vila da num espaço cedido pela Franca teria que ser, assim, Quanto a alterações ou mudanças, Iria. O antigo quartel da GNR também foiFranca. Câmara há mais de 30 anos sem resolvido por outras instâncias. não nos compete, mas estaremos considerado sem condições para receber aPor outro lado, os dados que condições para as necessidades O sub-intendente Pinto Aires acha abertos a todas as propostas, PSP e a opção foi projectar uma esquadratemos demonstram que tem actuais, fosse transferida para o que, em 2009, a este propósito, desde que seja para dignificar o para a Póvoa, ficando a segurança destahavido uma redução da crimi- edifício da Rua Luís de Camões terá havido “um mal entendido espaço e as pessoas que ali trabal- freguesia e do vizinho Forte da Casa, transi-nalidade na área da esquadra libertado pela GNR. Para surpre- entre o poder local e as estruturas ham”, refere, em declarações ao toriamente, a cargo de efectivos baseados emde Vila Franca. Não há razão sa dos autarcas locais, a PSP da PSP” e que a posição da polícia Voz Ribatejana, frisando que o Alverca.para dizer que há menos poli- acabou por rejeitar essa mudança não terá ficado bem esclarecida. comando da Divisão Policial está A obra avançou, prevendo-se a sua conclusãociamento e a criminalidade alegando que o imóvel não tinha No seu entender, com algumas “receptivo” a dialogar e que, “se em Setembro de 2010. Nessa altura surgiramnesta área desceu. as condições necessárias. Maria beneficiações, a esquadra vila- houver interesse de quem de dire- algumas dificuldades, com a necessidade de da Luz Rosinha, presidente da franquense só terá a ganhar com ito em alterar essa situação estare- fazer algumas alterações no edifício e deMas nos últimos meses surgi- Câmara de Vila Franca, já disse, uma mudança para o antigo edifí- mos receptivos a qualquer conver- fazer as obras de arranjos exteriores. Aram primeiro algumas críti- sa para esclarecer a situação. Câmara de Vila Franca adiantou que o com-cas na Assembleia de Desde que seja para melhor esta- promisso do Ministério da AdministraçãoFreguesia por alegada falta mos receptivos a qualquer tipo de Interna era de que a esquadra povoensede policiamento e, mais negociação”, vincou. abriria no início de 2011. O mês de Março járecentemente, uma série de Pinto Aires diz que já transmitiu lá vai e não há sinais de inauguração ou aber-pequenos assaltos a estab- esta posição aos responsáveis tura da esquadra. Pelo meio um dos sindi-elecimentos comerciais do autárquicos locais e que o resto catos do sector diz que não abre porque nãocentro da cidade. Quer num são situações que ultrapassam o há efectivos.momento quer noutro, a PSP comando local. “Desde que haja António Pinto Aires acha que o problema dosreforçou a vigilância, adop- uma melhoria nas condições de efectivos é, aqui, “uma falsa questão” e que,tou alguma estratégia para habitabilidade, ficaria muito mais quando se vai utilizar um novo espaço, étentar minimizar esses prob- à vontade a própria PSP (no anti- importante que reúna as melhores condições.lemas? go espaço da GNR) e o próprio “As coisas estão feitas, agora são apenasTemos os nossos meios, somos edifício da Câmara ficaria com pequenos retoques”, sustenta o comandanteversáteis e, consequentemente, Antigo espaço da GNR de outra disponibilidade. Ficaríamos da Divisão Policial vila-franquense, frisandoonde quer que surjam focos de Vila Franca de Xira todos muito melhor”, sublinha. que ainda não tem nenhuma indicaçãoinstabilidade nós direc- superior quanto a datas para a aberturacionamos os nossos meios. É da esquadra da Póvoa e que ainda nãoverdade que surgiram algumas está esclarecido se haverá algumsituações em Vila Franca e de reforço de meios para assegurar o fun-imediato direccionámos os Fluidez do trânsito é prioridade cionamento desta nova unidade.nossos esforços e acho que “Quando houver a vontade de quem deestá debelada essa situação. O comando da Divisão Policial de Vila Franca decidiu concentrar todos os meios da esquadra de direito de abrir vamos pôr a esquadra aHouve algumas detenções, trânsito e mais alguns efectivos, nas chamadas horas de ponta, em acções que visem assegurar a funcionar com aquilo que temos. Se hou-foram identificados alguns dos fluidez da circulação nos principais eixos do concelho. Entre as 8h00 e as 9h30 e das 17h00 às ver a boa vontade de quem de direito deindivíduos e, logicamente, 19h30, essa é a grande preocupação de algumas dezenas de efectivos que, diz o sub-intendente dizer: são necessários mais meios nós rece-essas pessoas quando sabem Pinto Aires, nesses períodos também não descuram a fiscalização e actuam se detectarem beremos de braços abertos aquilo que vier.que estão referenciadas ou de algum abuso. “A orientação é no sentido de concentrar esforços para que a circulação se faça Mas se a vontade for de que funcione comalguma maneira a ser vigiadas com a máxima fluidez. É uma preocupação que a todos diz respeito”, afirma. aquilo que temos, faremos o melhor que pu-tomam uma postura menos Mas, muitas vezes, ouvem-se críticas dos que acham que elementos policiais, supostamente ligados ao trân- dermos para a pôr a esquadra a funcionar”,activa. sito, aparecem mais em situações de acompanhamento de obras do que propriamente a regular o trânsito. sustenta o sub-intendente. Pinto Aires assegura que essa é uma ideia errada, porque os elementos policiais que estão a vigiar obras Há alguns meses, o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP disse, ao Voz Ribatejana, Pequeno fazem-no fora das horas normais de serviço, no âmbito dos chamados “remunerados” ou “gratificados”, em que uma dada empresa ou entidade paga para ter um elemento da polícia a assegurar o ordenamento do que se estava a equacionar a possibilidade de transferir as sedes das esquadras de investi- tráfico em trânsito em casos de obra na via pública. gação criminal e de intervenção rápida de Alverca para a Póvoa. Ao mesmo tempo seria escolas uma forma de garantir a presença de mais A vigilância das escolas é uma das preocupações. Beirão aficionado meios nas instalações da Póvoa. Pinto Aires concorda com essa ideia, salientando que as instalações de Alverca foram construídas para Pinto Aires sublinha que um destacamento da GNR (normalmente António Pinto Aires nasceu em 1981, com 24 anos, resolveu ingres- Pequeno, na Moita. Corria aqui esta com cerca de 100 efectivos) e que, actual- os elementos da Escola Nave de Haver, no concelho de sar na PSP, fez a escola de alistados região toda. Onde há toiros tento Segura andam em con- mente, estão ali baseados mais de 200 efe- Almeida, distrito da Guarda, há 54 e seguiu para Lisboa, onde esteve 3 acompanhar”, confessa. ctivos da PSP, com o comando da divisão e as stante circulação e efec- anos. Uma aldeia raiana que lhe anos na Polícia Municipal. Decidiu, Sobre o presente e o futuro da tauro- tuam inúmeras acções de esquadras de Alverca, de investigação, de moldou a personalidade e lhe incu- então, concorrer à Escola Superior maquia em Vila Franca, Pinto Aires intervenção rápida e de trânsito. A ideia será, sensibilização. “Quando tiu, também, uma forte paixão pela de Polícia, onde ingressou no sente alguma dificuldade e pronun- temos notícia de algum então, mudar as esquadras de investigação e tauromaquia ou não tivesse Nave de primeiro curso e fez a sua formação ciar-se. “Não estou por dentro dos de intervenção rápida para a Póvoa. “Vamos caso de pequeno tráfico Haver a mais antiga como oficial de polícia. Seguiu-se meios empresariais e sei que é difí- ou de algum pequeno gerir esse novo espaço instalando também (inaugurada um percurso intenso, com passagens cil, hoje em dia, a organização de uma ou duas das esquadras que estão em incidente de violência em 1958) a pelo Porto, Lisboa, Matosinhos, uma corrida de toiros. Os cartéis são entre alunos acorremos Alverca. Cria-se mais espaço para a divisão e mais anti- Loures, Cascais e Guiné-Bissau. caros, os toiros são caros, o público essas esquadras ficam com muito mais de imediato e temos feito ga praça Em Março de 2010, assumiu o não acorre tanto quanto as empresas algumas detenções pre- espaço para funcionarem”, defende. de toiros Comando da Divisão Policial desejariam e este mundo está um Mas a população de Vila Franca não dirá, cisamente por pequeno fixa da de Vila Franca. bocado complicado”, reconhece, à tráfico, quer dentro, quer depois, que as esquadras de investigação e de z o n a Para além de tudo o mais, conversa com o Voz Ribatejana, intervenção rápida ficam ainda mais longe. fora de escolas”, reco- raiana António Pinto Aires é também considerando que, na praça de Vila nhece o comandante “Posso tranquilizar as pessoas e garantir que d a s um grande aficionado e tenta Franca, “ou se é ambicioso e se Vila Franca não vai ser descurada na investi- esclarecendo que nor- Beiras. não perder os principais eventos arrisca ou, então, perde-se o tal malmente são jovens que gação, nem no apoio do trânsito, nem da E m taurinos da região. “Desde há estatuto de ser capital da tauro- intervenção rápida, porque os nossos meios ambicionam ter dinheiro muitos anos, mesmo antes de ser um maquia. Acho que a empresa que e deixam-se levar por deslocam-se com brevidade e estarão no te- elemento da Divisão de Loures, já está actualmente tem investido um rreno sempre que necessários para resolver os outros, actuando como vinha às largadas de toiros a bocadinho e pode, com um bocado “veículos” que intro- problemas”, afiança o comandante da PSP, Vila Franca e assistia a mais de apoio de quem de direito, salientando que estes elementos andam nor- duzem droga nas escolas, algumas corridas em Vila fazer coisas muito engraçadas”, para partilharem ou malmente na rua e em circulação, prontos a Franca, no Campo conclui. acorrer a qualquer necessidade. venderem a colegas.
  4. 4. 04 “ TODOS COM VOZ voz ribatejana #9Editorial Desemprego Maria do Carmo, 43 anos, VilaUnir esforços Franca de Xirae capacidades “Está complicado e Através do Centro de Emprego não consegui nada. Estou desem- pregada desde Janeiro. Acabei um curso de cozinha há 1 ano,A crise que se abateu sobre o nosso País prometeagravar-se e, sobretudo, sente-se uma evidentefalta de perspectivas e de confiança no futuro. Osportugueses estão, na generalidade, muito preocu- cada vez será pior” consegui colocação por duas vezes e, da última, ainda estou à espera que me paguem o segun- do mês. Hoje venho aqui parapados e vão procurando “sobreviver” perante os ver se me arranjam algumaproblemas que se avolumam todos os dias. Se não coisa. Tenho estado semprebastassem as sucessivas medidas de austeridade, inscrita desde que acabou oos cortes nos apoios sociais e os aumentos incom- curso. Directamente através dopreensíveis dos combustíveis, eis que é chegada a Centro de Emprego nunca mehora de ir novamente a votos. Exercer o direito de surgiu nada. Gostava de tirarescolher os nossos representantes é a base do sis- Centenas de pessoas afluem um curso de pastelaria, mas nãotema democrático em que felizmente vivemos há diariamente ao Centro de me deram essa possibilidade, só37 anos. Recear que das próximas eleições resulte Emprego de Vila Franca de para Lisboa e teria que ser eu auma nova “invasão” do aparelho do Estado e de Xira, que serve quatro concel- pagar. O atendimento dependetudo o que rodeia por mais alguns milhares de hos da região, com um total da de quem atende. Por vezes man-“especialistas” que gravitam à volta dos principais ordem dos 210 mil habitantes. dam as pessoas a entrevistas,partidos e que vão esperando a sua oportunidade Com um novo edifício mais mas chegamos lá e o lugar já estápara “sugar” o que resta é, no entanto, a nossa desafogado, o serviço do ocupado.maior preocupação. Porque, sinceramente, de Instituto do Emprego e da Acho que o Centro de Empregopolíticas não podemos esperar grandes alterações. Formação Profissional tem evi- podia fazer mais com um boca-Mas de entradas e saídas mais ou menos mi- dentes dificuldades em respon- dinho mais de fiscalização,lionárias nos organismos do Estado e no universo der à crescente procura. porque há muita gente a receberdas grandes empresas de capitais públicos, as últi- Soluções quase não há para os subsídio de desemprego e a tra-mas décadas ensinaram-nos que nada de bom se perto de 10 mil desempregados balhar por turnos de noite.pode esperar. Vamos esperar que impere o bom inscritos e a descrença instala-senso e que alguém com poder consiga travar se. À porta, fazendo fila, algunsesses abusos. Sente-se, por isso, que os portugue- criticam o sistema, outros reco- Rui Moutinho, 51 anos, Vila Franca de Xirases confiam cada vez menos na sua classe política. nhecem que o centro deÀs portas de um centro de emprego como o de Vila emprego tem falta de meios. Estou desempregado há 1 ano. Na altura propuseram-me uma formação, masFranca de Xira, com quase 10 mil desempregados depois apareceu-me um trabalho para 15 dias e tive que aproveitar. Não me apare-inscritos e 61!? novas ofertas de emprego entradas ceu mais nada. Aqui ajudam-nos a ver como é que devemos ir às empresas procu-em Fevereiro, o sentimento é de pura descrença. rar trabalho e meter carimbos. José Estrela Neves, 57 anos, Castanheira do RibatejoCada um vai procurando sobreviver como pode, Sou soldador, a minha profissão era muito procurada, mas agora está numa fasepercebendo que nos próximos anos se adivinham muito má. Vila Franca era o concelho da zona que tinha mais metalomecânica, Já não estou à procura de emprego, estou naquelatempos ainda mais difíceis. No meio de tudo isto, era a Mague, as Construções Técnicas, a Mevil, a Argibay e tudo fechou. fase da pré-reforma. Estou no desemprego durante 3o País tende a parar, as grandes obras públicas Ultimamente estava a trabalhar na Alston em Setúbal, que fazia parte da Mague. anos e irei passar à reforma. Não me têm propostoescasseiam, os fundos comunitários não são Não me têm proposto outras coisas e eu também, enquanto puder trabalhar no nada, uma vez que estou nesta situação, é só vir aquiaproveitados, boa parte da indústria atravessa meu ramo, prefiro. Em termos monetários e de experiência é diferente e já tenho às apresentações trimestrais. Hoje esperei meia-hora,graves dificuldades, o mercado imobiliário esta- 51 anos. Nesta zona não ofertas nenhumas de trabalho. Não sei se o Centro de mas já tenho estado 2 e 3 horas, é conforme. Ouvignou. Emprego podia fazer mais. Isto está complicado e cada vez será pior porque o agora uma funcionária a dizer que têm pouca genteHá, todavia, que ter esperança e unir esforços e mercado de trabalho está-se a degradar muito. No meu ramo, há 10/15 anos havia para funcionarem.capacidades para tentar dar a volta ao problema e muita obra, agora não, não há obras, não há nada. Está muito complicado”.minorar as dificuldades dos mais atingidos. É ocaso e o exemplo do protocolo agora assinadoentre a Sociedade Central de Cervejas e Bebidas ea Câmara de Vila Franca de Xira, que vai permitirapoiar 400 famílias e cerca de 2000 das pessoas O MELHOR E O PIOR DA QUINZENAmais carenciadas do concelho. Exemplos destes O protocolo assinadosão sempre de louvar e de tentar repetir com ou- entre a Sociedadetras entidades. Ao mesmo tempo a edilidade de Central de Cervejas eVila Franca de Xira quer lançar um projecto dife- Bebidas e a Câmara derente e tentar envolver muitos dos beneficiários Vila Franca de Xira vaidestes apoios em pequenas tarefas a favor da permitir apoiar comcomunidade. Quer dizer, não aceitar que sejam bens alimentares deapenas receptores passivos desta ajuda mas tentar primeira necessidadefazer-lhes perceber que também devem contribuir cerca de 2000 habi-para auxiliar a comunidade que os ajuda. Este é o tantes do concelho.espírito mais correcto da intervenção social, quepode fazer caminho incutindo algum sentimentode responsabilidade e de envolvimento no bem Os depósitos de entulhos ecomum. Vamos esperar que resulte, porque pode restos de obras continuam aser uma forma importante de melhorar os nossos proliferar por toda a região.espaços públicos, de encontrar novos bons profi- Mais do que um alerta oussionais e dar rumo à vida de muitas destas uma responsabilização dasfamílias. E já agora um exemplo que devia ser entidades fiscalizadoras, cabe-seguido com programas nacionais de envolvimen- nos condenar, e muito, a com-to de beneficiários do rendimento social de pleta falta de civismo de queminserção ou do fundo de desemprego em tarefas a não respeita nada, nemfavor da comunidade. ninguém e despeja os seus lixos onde lhe dá na real Jorge Talixa gana.Ficha técnica: Voz Ribatejana Quinzenário regional Sede da Redacção e Administração – Centro Comercial da Mina, Loja 3 Apartado 10040, 2600-126 Vila Franca de Xira Telefone geral – 263 281329 Correio Electrónico – vozribatejana@gmail.com director.vozribatejana@gmail.com redaccao.vozribatejana@gmail.com comercial.vozribatejana@gmail.com Proprietário e editor – JorgeHumberto Perdigoto Talixa - Director – Jorge Talixa (carteira prof. 2126) Redacção – Miguel António Rodrigues (carteira prof. 3351), Carla Ferreira (carteira prof. 2127), Paula Gadelha (carteiraprof. 9865) e Vasco Antão (carteira de colaborador 895) Paginação - António Dias Concessionário de Publicidade – PFM – Radiodifusão Lda. Área Administrativa e Comercial – Júlio Pereira (9388 50 664) e Afonso Braz (936645773)Registo de Imprensa na ERC: 125978 Depósito Legal nº: 320246/10 Impressão CIC – Centro de Impressão Coraze Tiragem – 5000 exemplares
  5. 5. Falta de apoio nos centros de emprego À pergunta: “Acha que os centros de emprego dão todo o apoio possível aos desempregados e que os ajudam a 87% sim 13% não 05 encontrar emprego?”, a maioria dos nossos leitores acham que não. Para participar nos nossos inquéritos vá a 30 de Março de 2011 www.vozribatejana.blogspot.com.Azambuja AzambujaCentro de Emprego tem Joaquim Ramos acha quequase 10 mil inscritos não há desemprego O presidente da Câmara de Azambuja diz que não há desem- prego no concelho. O autarca refere mesmo que háO desemprego continua a um nível muito elevado nos concelhos da região e as ofertas de trabalho que chegam aos centros de empresários que se queixam da falta de mão-de-obra. Ememprego são muito escassas. No Centro de Emprego de Vila Franca, que serve quatro concelhos da região, há perto de 10 mil sessão de câmara, e após uma discussão acalorada com odesempregados inscritos e, em Fevereiro, entraram apenas 89 (!?) ofertas de emprego. vereador da Coligação Pelo Futuro da Nossa Terra AntónioJorge Talixa dois terços dos inscritos resi- Jorge Lopes, o autarca do PS salientou que “quem quer traba- dentes no Município vila-fran- lhar no concelho de Azambuja… trabalha”.Os números do desemprego quense procuram emprego há Na discussão sobre o emprego, Ramos apontou o dedo à co-tendem a estabilizar na região, menos de 1 ano e que o proble- ligação centro-direita, lembrando que “há uma coisa que vosmas o Centro de Emprego de ma afecta mais as mulheres custa muito. Numa altura em que o desemprego se tornouVila Franca de Xira, que serve (3330) do que os homens num flagelo regional e nacional, felizmente, no concelho detambém os concelhos vizinhos (3107). Azambuja, mercê da actividade deste executivo e da relaçãode Alenquer, Arruda e Maria da Luz Rosinha, presi- que conseguimos estabelecer em termos de ocupação dasAzambuja, tem, actualmente, dente da Câmara de Vila respectivas zonas industriais, o problema é ao contrário”. Operto de 10 mil inscritos. No Franca de Xira, sustenta que o presidente da câmara explica que tem reunido com osfinal de Fevereiro eram 9760 problema do desemprego sem- empresários estabelecidos em Azambuja que se queixam dapessoas registadas neste pre existiu e que nunca teve “incapacidade de arranjarem trabalhadores aqui para traba-serviço do Instituto do conhecimento de nenhum País lharem na zona industrial”.Emprego e da Formação do Mundo que o tenha con- O edil diz que tem a informação de que, embora os saláriosProfissional que serve os cerca seguido resolver por completo. não sejam “nada de especial”, estão acima da média e rondam,de 210 mil habitantes desta “Mesmo nos períodos áureos, de acordo com o autarca, os setecentos a novecentos euros.região. Já em Salvaterra de em que a economia está Ramos considera, no entanto, que os valores praticados nãoMagos, o centro de emprego, pujante, não me consta que não são muito elevados, mas são valores a ter em conta no actualque serve este e os vizinhos haja à mesma desemprego”, contexto que o país vive. “Tomara a geração à rasca de recémmunicípios de Benavente e refere. licenciados que não encontram emprego, arranjarem saláriosCoruche, contabilizava 4275 No caso do concelho, a edil com este montante”, referiu.desempregados recorda que o Contudo, para o vereador da Coligação Pela Nossa Terra ono fim do mês desemprego cenário é muito diferente. António Jorge Lopes diz que, “daspassado, perío- registado diz duas uma, ou o senhor presidente da câmara já não conhece ado em que reg-istou apenas 51 Poucas respeito pessoas que a realidade do concelho, ou mente descaradamente”. António Jorge Lopes cita os números do Instituto do Empregonovas ofertasde emprego. ofertas trabalhavam no território Concelhos da região somam mais de 13 mil desempregados para referir que, entre Setembro de 2010 e Outubro de 2010, por exemplo, a taxa de desemprego no concelho subiu doisDepois de um municipal e pontos percentuais e acrescenta que, “entre Novembro deaumento mais que perderam de postos de trabalho, é o caso rrespondem a menos 16 situ- 2010 e Janeiro de 2011, a taxa de desemprego aumentou A falta de ofertas designificativo o emprego da plataforma logística da ações por comparação com 6,4%”. Por estes motivos, António Jorge Lopes aponta o dedo emprego é um dosem 2008 e mas, tam- Castanheira ou de complexos Dezembro. Se compararmos a Joaquim Ramos, afirmando que, quando afirma, acompa- grandes problemas. Em2009, os regis- bém, a comerciais como o Fórum com Fevereiro de 2010 há uma nhado pelo seu vereador Marco Leal, responsável pelo Fevereiro, o Centro detos de desem- muitos casos Alverca. Maria da Luz Rosinha ligeira subida de 2 inscritos. pelouro do emprego, que não há desemprego no concelho de Emprego de Vila Francaprego têm de pessoas acredita que vão avançar. “Os Azambuja tinha 970 desempre- Azambuja e que o desemprego está a descer, “é falso”. registou apenas 89 ofer-apresentado que traba- objectivos são esses de criação gados registados no IEFP no “Há desemprego no concelho de Azambuja e está a crescer”, tas, 61 das quais respei-variações mais l h a v a m de emprego, espero que se con- final do mês passado que re- remata o eleito do PSD. tantes ao concelho vila-ligeiras. O franquense, que con- n o u t r o s cretizem”, rematou, frisando presentam um agravamento deInstituto do municípios que não tem nenhuma infor- 52 inscritos por comparação Miguel António Rodrigues cretizou 51 colocações.Emprego e da Segundo os dados do da região, mação dde sentido contrário. com Dezembro, mas umaFormação IEFP, no mês passado caíram no grande melhoria de menos 134Profissional Alenquer teve 28 ofertas desemprego, Menos inscritos na região inscritos se comparado comtem apostado, (25 colocações), Arruda mas como Fevereiro de 2010.também, no 9 ofertas (2 colocações) e residem em No concelho de Alenquer, a Já na área do Centro deaumento das Azambuja também 9 (3 Vila Franca tendência também é para algu- Emprego de Salvaterra, o con-acções de for- colocações) têm que se ma estabilização dos números celho de Benavente tinha 1570 Manutenção e pinturasmação e nalgu- No Centro de Emprego inscrever no do desemprego. No final de desempregados inscritos no Lavandariama limpeza de concelho de Fevereiro estavam inscritos no final de Fevereiro, que repre- Engomadoria (recolhas e entregas de Salvaterra as ofertasficheiros rela- residência. IEFP 1939 residentes na área sentam mais 47 inscritos do grátis ao domicílo) foram 51. Benavente re-cionadas com No entender do Município alenquerense, que em Dezembro e mais 55 Rua José Ferreira Tarré nº 7 Loja 1 gistou 16 e teve 7 colo- Alvercainscritos de cações e Salvaterra con- da autarca do mais 11 do que dois meses por comparação com Fevereiro Tel: 219 577 809 - 961 845 169longa duração tou com 11 ofertas e 11 PS, “a pers- antes. Este registo traduz, do ano passado. Já o Município formiguinhadoasseio@hotmail.comque não reacti- colocações. pectiva é que todavia, uma redução de 212 de Salvaterra apresenta, agora,varam a haja uma inscritos por comparação com 1664 inscritos, que represen-inscrição. grande apos- Fevereiro de 2010. tam uma redução de 14 face aCerto é que, ta na for- Já em Arruda, a evolução é Dezembro e uma descida demesmo assim, o concelho de mação profissional, porque os favorável, com 414 inscritos no 125 inscritos por comparaçãoVila Franca de Xira registou, nossos níveis de formação são final do mês passado, que co- com Fevereiro de 2010.nos últimos meses, um acrésci- relativamente baixos e tambémmo significativo de inscritos, impedem o ser-se competitivopassando de 6269 no final de no Mundo do trabalho. FazerDezembro para 6437 (mais formação e concorrer a outras TUDO PARA168) no final de Fevereiro. Já perspectivas, penso que poderápor comparação com Fevereiro a ajudar a resolver”, defende, INFORMÁTICAde 2010 verifica-se uma desci- em declarações ao Voz eliminação de vírus, spyware e malware | recuperaçãoda relevante, porque há um ano Ribatejana. de dados | reparação de PC’s | configuração de redes |estavam inscritos 6668 desem- No final da década passada soluções empresariais | computadores à medidapregados. Mas só em Fevereiro começaram a desenhar-se no Sede: Loja:passado entraram 717 novos Município de Vila Franca Estrada de À-dos-Loucos, 28 - r/c A Praceta dos Carvalhais, 49 Loja A 2600-428 Alhandra 2600-776 S.João dos Montesinscritos. alguns grandes projectos que Tlf.: 969796000 - Fax:219518724 Tlf.: 219519700 - Fax: 219519709Nota-se, também, que cerca de prevêem a criação de milhares Email: geral@datatrade.net Web: www.datatrade.net
  6. 6. 06 “ SOCIEDADE voz ribatejana #9Cachoeiras ou Quintasvão ficar sem escolaCom o aproximar do novo ano lectivo volta a preocupação à volta do possível fecho de maisescolas primárias.Jorge Talixa Luz Rosinha, frisando que foi a fechar estabelecimentos com posição da autarquia contrária menos de 20 alunos. JorgeO Ministério da Educação já ao fecho de mais estas duas Riso, presidente da edilidadedisse que pretende encerrar escolas que permitiu que con- alenquerense, lembrou quemais cerca de 400 escolas tinuassem mais este ano. estavam nessa situação cincoprimárias no próximo ano lecti- “Estão a ser encontradas escolas (Bairro, Pereiro devo. Na região, autarcas de soluções que envolvem os Palhacana, Azedia, Porto daAlenquer, Azambuja e Vila agrupamentos e as juntas de Luz e Aldeia Galega), das quaisFranca já manifestaram a sua freguesia. É preciso perceber se a de Aldeia Galega já fechoupreocupação. No caso do é ou não uma boa solução em Setembro passado.Município vila-franquense, fechar. Consideramos que das “Essas escolas foram todasMaria da Luz Rosinha acha que duas (Cachoeiras e Quintas) só dadas como encerradas no anopoderá haver um consenso para uma irá fechar, não podendo passado pela quantidade deque entre as escolas vizinhas adiantar qual porque estamos, alunos, ficaram abertas a títulodas Cachoeiras e das Quintas entretanto, com os agrupamen- excepcional. O que temos que(freguesia da Castanheira) tos e as juntas, a ponderar fazer este ano é novamentefeche apenas uma. como vamos apresentar uma pedir a abertura a título exce-A questão foi colocada na últi- proposta à DREL (Direcção- pcional. Vamos ter uma reuniãoma sessão camarária pela Regional de Educação de com os presidentes de junta devereadora Ana Lídia Cardoso, Lisboa) e ainda decorrem os freguesia para analisar a situ-que quis saber qual é posição prazos para inscrições”, rema- ação”, assegurou o presidentedo executivo sobre o assunto. tou a edil. da Câmara de Alenquer, salien-“Tendo em conta que para a tando que algumas não poderãoescola das Quintas são trans- Quatro escolas em “risco” mesmo fechar porque as po-portados alunos da freguesia em Alenquer ssíveis “escolas de acolhimen-das Cachoeiras, gostaria de to” não reúnem condições nemsaber qual é a posição da O problema do fecho de mais lotação para receber mais estasCâmara nesta situação, perce- escolas também foi abordado crianças. “Há situações queber se a Câmara concorda com em recente reunião da Câmara terão mesmo que se manter ao encerramento e qual vai ser o de Alenquer. Nuno Coelho, título excepcional, outras tempapel da Câmara”, referiu. vereador da coligação Pela que se ver”, acrescentou o“É um assunto sobre o qual a Nossa Terra (PNT) quis saber autarca do PS, lembrando que aCâmara já tomou posição no se haverá mais encerramentos reunião alargada sobre a rede As pequenas freguesiasano lectivo em curso”, expli- de escolas com a perspectiva escolar concelhia está prevista ficaram sem escolascou, por seu turno, Maria da do Ministério da Educação de para o mês de Abril. Azambuja Alenquer reclama pagamento de dívidas do Ministério da Educação Benavente não Aveiras de Baixo também A Câmara de Alenquer reivindica a reg- petência assinados com o Ministério da ularização de dívidas do Ministério da Educação exactamente por incumpri- prevê fechos deve ficar sem escolas Educação e afirma que, no que diz mento das regras”. respeito à Componente de Apoio à Jorge Riso, o socialista que preside à O concelho de Benavente não Depois das freguesias da Maçussa e cabeça deu aos autarcas nas Família (prolongamento de horários), os Câmara de Alenquer, explicou que, deverá ter nenhuma escola de Vila Nova de São Pedro terem reuniões de câmara e assembleias atrasos já atingem quase um ano, uma numa recente reunião alargada promovi- encerrada no arranque do perdido as suas escolas, chegou municiais e de freguesia. vez que o último pagamento recebido da pela Associação Nacional de próximo ano lectivo. A con- agora a vez da freguesia de Aveiras A sede de freguesia, Aveiras de pela autarquia diz respeito a Maio de Municípios Portugueses (ANMP) não vicção da Câmara local é que de Baixo. Os alunos deverão ser Baixo, também deve perder a sua 2010. Em moção aprovada, no dia 20, esteve em equação essa rejeição dos a Escola de Foros de Almada transferidos para outras unidades escola. Na mesma situação estão as por unanimidade, a Câmara alen- contratos, mas que “ficou claro que há se vai manter no limiar dos 21 escolares, já que as escolas em causa aldeias de Casais dos Britos e Casais querense reclama, ainda, o pagamento uma série de incumprimentos por parte alunos e que continuará a não atingem o número mínimo de 20 de Baixo, sendo que neste caso os de outras verbas em atraso respeitantes da administração central que colocam funcionar. “A Câmara alunos. alunos serão integrados no novo cen- ao ano transacto e a indicação, por parte grandes constrangimentos aos municí- Municipal tudo fará para que A Câmara de Azambuja tinha pro- tro escolar Boavida Canada, que da tutela da Educação, de um cronogra- pios”. O autarca do PS sublinha, contu- a escola de Foros de Almada gramado um centro escolar para a abrirá no próximo ano lectivo em ma de transferência destas verbas, para do, que vários municípios aludiram tam- não venha a encerrar, tanto freguesia de Aveiras de Baixo mas, Azambuja. A vereadora Ana Maria que a autarquia consiga planear melhor bém aos benefícios destas transferências mais que, segundo os dados segundo informação da vereadora Ferreira destaca que, para já, ape- as suas receitas e agendar pagamentos. de competências que “têm é que ser de que dispõe, manterá o da educação, isso não será possível, nas tem conhecimento informal de A questão começou por ser colocada por acompanhadas do devido envelope número de alunos, acrescen- uma vez que a União Europeia (que que as escolas vão fechar, afastando Nuno Coelho, vereador da coligação financeiro”. tando o facto do concelho de financia estes projectos) não permite para já que isso não passe apenas de Pela Nossa Terra (PNT), principal força Jorge Riso diz que já colocou por diver- Benavente estar em cresci- a construção destes equipamentos uma hipótese. Todavia, a vereadora da oposição alenquerense, sugerindo sas vezes à tutela da educação a necessi- mento, contrariamente à para comunidades com menos de diz ter pressionado o Ministério da que, perante os sucessivos atrasos do dade de haver um cronograma preciso desertificação que se verifica 100 alunos, referiu Ana Maria Educação no ano lectivo anterior Ministério da Educação nas verbas para de pagamentos às autarquias. “Por vezes na maioria dos municípios”, Ferreira. para que a Escola Básica de Casais transportes escolares, refeições dos as verbas são transferidas, não há a iden- observou o vice-presidente da Depois da conhecida contestação dos de Britos não encerrasse, tendo em alunos e acção social escolar, a Câmara tificação de onde vêm e só uma semana edilidade, Carlos Coutinho, habitantes dos Casais da Lagoa, que conta que o novo centro escolar de deveria tomar uma posição. “São ou duas depois é que vem o fax a infor- em recente sessão camarária. reivindicavam uma velha promessa Azambuja ainda não estaria pronto. serviços que a Câmara está a assumir e mar da transferência”, lamentou o presi- Na oportunidade, o autarca eleitoral do PS de construção do Agora, caberá à autarquia agilizar está a subsidiar com receitas próprias. A dente da Câmara de Alenquer, propondo da CDU lamentou, contudo, centro escolar nesta aldeia, Casais da os transportes escolares, de forma a delegação de competências que foi acor- ele próprio um texto para a moção, os atrasos do Ministério da Lagoa fica definitivamente não só recolherem os alunos nas localidades dada deve ser paga atempadamente”, apelando à “regularização” das dívidas Educação na transferência de sem a escola, como sem qualquer que irão perder as suas escolas. sublinhou o eleito social-democrata, que o Ministério da Educação tem desde verbas relacionadas com os tipo de hipóteses de ver construída a lembrando que “muito se tem falado que o ano lectivo passado e à existência de transportes escolares e outras unidade escolar que tanta tinta fez inúmeras câmaras pretendem rescindir um cronograma de pagamentos para responsabilidades assumidas correr nos jornais e tantas dores de Miguel António Rodrigues os contratos de transferência de com- cada Município. pelos municípios.
  7. 7. a tejana a Voz Rib ok go ra 07 ebo 30 de Março de 2011 no FacAlverca-Vila FramncaAuto-estrada em obras até SetembroA Brisa vai investir 4, 5 milhões na reparação do lanço da A 1compreendido entre Alverca e Vila Franca. Autarcas e utentessublinham que a obra já tardava e há mesmo alguns que insistemque as portagens devem ser abolidas nesta área.Jorge Talixa descontentamento pelo actual estado do pavimento nesteA Brisa vai investir cerca de 4, troço entre Alverca e Vila5 milhões de euros na Franca, frisando que quem oreparação e reforço do pavi- utiliza tem que pagar portagemmento do lanço da Auto-estra- desde que a Auto-estrada doda do Norte (A 1) compreendi- Norte existe. A Brisa, por seudo entre Alverca e Vila Franca turno, sustenta que esta em-de Xira. As más condições de preitada visa “melhorar asalguns troços, sobretudo na condições de circulação” ezona de Alhandra, já estavam a ”proporcionar benefícios signi-suscitar reclamações de utentes ficativos ao nível da melhoriadeste lanço de 10 quilómetros, da qualidade de serviço e daque é um dos mais movimenta- segurança”. A empresa acres-dos do País. A concessionária centa que, nos períodos dede auto-estradas avança que as maior incómodo, os automo-obras começaram no dia 18 e bilistas poderão optar, comovão prolongar-se até dia 17 de alternativa, pelos percursosSetembro, prometendo realizar através da Crel e da Auto-estra-os trabalhos de maior impacte da nº. 10, que fazem a ligação Comentário no blog do Voz Ribatejana “Finalmente! Transcrevo-vos uma resposta à reclamação A Brisa vai investir cerca de 4,5 que fiz à Brisa sobre este assunto, no ano passado: "Exmo. milhões de euros na reparação Senhor. Temos presente a exposição apresentada por V. da A 1 Exa. com data de 03.09.2010, cujo conteúdo mereceu a nossa melhor atenção. Informamos que esta conce- ssionária tem estado norteada pela constante necessidade problema principal continua acesso à Auto-estrada do Norte acrescenta Nuno Libório, acu- que vai servir a plataforma de garantir qualidade e segurança oferecidas aos nossos por resolver, que é acabar com no Sobralinho e nos Caniços. sando a Brisa e a Câmara de logística da Castanheira (já em clientes, sendo a nossa preocupação a manutenção e a as portagens entre Alverca e “Todas as benfeitorias são sem- não tratarem da mesma forma a obra) e as questões do conservação das nossas infra-estruturas. Sobre o assunto Vila Franca. É absolutamente pre bem vindas, mas importa questão do nó de acesso à A 1 Sobralinho e dos Caniços. exposto, informamos que, efectivamente estão devidamente injusto que ainda existam que o concelho também tenha identificadas ligeiras irregularidades no pavimento nas portagens entre Alverca e Vila outras alternativas à EN 10 e zonas referidas por V.Exa., que não configuram risco algum para a circulação automóvel. Mais se informa que Franca, quando não há outra alternativa que não seja utilizar que os nós de acesso no Sobralinho e nos caniços sejam ASSINE O VOZ RIBATEJANA tais irregularidades serão oportunamente corrigidas. a A 1", argumenta Nuno definitivamente construídos. Agradecemos a colaboração” Libório, criticando também a Temos um problema de sobre- 1º Os seus dados: forma como a Brisa tem resisti- carga da EN 10 e o problema Nome: Pedro Calisto, Vila Franca de Xira do à construção de mais nós de das portagens por outro”,na circulação em período no- entre Alverca e o Carregado.cturno (das 22h00 às 6h00) "Acho absolutamente urgente Voz dos Leitores Morada:para minimizar os transtornos esta intervenção. Já vínhamos aoriginados aos utentes. solicitar que fosse feita estaSegundo os responsáveis da reparação há bastante tempo. “Estado vergonhoso”Brisa, a obra implicará a Acho que já tarda", afirmaremoção da camada superficial Maria da Luz Rosinha, presi- “É vergonhoso o estado do piso da A1, entre Alverca e Vila Código Postal:do asfalto e a aplicação de uma dente da Câmara de Vila Franca de Xira. Quem passa por esta via, tem que pagarnova e abrangerá também o nó Franca de Xira. Já Nuno portagem, desde que esta A1 existe. Pergunto, será pura Telefone:de Alverca. Nalgumas das Libório, vereador da CDU na ladroagem dos responsáveis, será incompetência, será a políti-fases da empreitada, as vias de edilidade vila-franquense, sus- ca do deixa andar, porque os portugueses são estúpidos nãocirculação terá que ser reduzi- tenta que as más condições reclamam. Os responsáveis que tenham vergonha na cara e 2º a sua escolha:das de três para duas também deste troço da A1 "são um mandem arranjar esta desgraça, assumindo a sua pasmaceira, 6 meses 12 edições (7 euros)em período diurno. problema há muito identifica- paga a peso de ouro”.Sobretudo nas áreas das do" e lamenta que a Brisa "não 12 meses 25 edições (12 euros)freguesias de Alhandra e do crie as alternativas necessárias José Pires MilheiroSobralinho, este lanço da A 1 para a pressão do trânsito nesta 3º: O seu pagamento:apresenta vários problemas de área".depressões e irregularidades no "A Brisa, nesta perspectiva,pavimento e mesmo algumas tem uma visão mercantilista do Total a pagar:fissuras extensas. Trata-se de serviço público rodoviário",uma área atravessada diaria- afirma Nuno Libório, con- cheque dinheiro vale postalmente por milhares de viaturas siderando que, para além daspesadas que não beneficia de benfeitorias de que necessita, Recorte e envie para:uma intervenção de fundo este troço da A 1 já não deveria Jornal Voz Ribatejanadesde 2004. estar sujeito à cobrança deAlguns utentes da A 1 manifes- portagens, tal como acontece Centro Comercial da Mina Loja 3, Apartado 10040taram mesmo ao Voz com o lanço entre Lisboa e 2600-126 Vila Franca de XiraRibatejana (ver caixas) o seu Alverca. "Acima de tudo, o Tel: 263 281 329 vozribatejana@gmail.com

×