4 01 a população da europa nos séculos xvii a xviii

8.979 visualizações

Publicada em

apresentação 11º ano História A

Publicada em: Educação
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.979
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.777
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

4 01 a população da europa nos séculos xvii a xviii

  1. 1. História A - Módulo 4 A Europa nos séculos XVII e XVIII – sociedade, poder e dinâmicas coloniais Unidade 1 A população da Europa nos séculos XVII e XVIII: crises e crescimento Apresentação atualizada em http://divulgacaohistoria.wordpress.com/
  2. 2. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 2 1.1 Economia e população
  3. 3. Década de 1740-1749 Média dos 40 anos 1750- 1789 década de 1820-1829 taxa mortalidade infantil até 1 ano % 29,6 27,8 18 taxa mortalidade infantil 1-4 anos % 25,3 24 15,3 sobrevientes aos 20 anos % 42,5 46,4 62 sobreviventes aos 60 anos % 18 23 36,4 esperança de vida à nascença (anos) 24,8 28 38,8 esperança de vida aos 5 anos (anos) 40,7 44,9 50,4 Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 3
  4. 4. Década de 1740-1749 Média dos 40 anos 1750-1789 década de 1820-1829 taxa mortalidade infantil até 1 ano % 29,6 27,8 18 taxa mortalidade infantil 1-4 anos % 25,3 24 15,3 sobrevientes aos 20 anos % 42,5 46,4 62 sobreviventes aos 60 anos % 18 23 36,4 esperança de vida à nascença (anos) 24,8 28 38,8 esperança de vida aos 5 anos (anos) 40,7 44,9 50,4 Década de 1740-1749 Média dos 40 anos 1750-1789 década de 1820-1829 taxa mortalidade infantil até 1 ano ‰ 296 278 180 taxa mortalidade infantil 1-4 anos ‰ 253 240 153 sobrevientes aos 20 anos ‰ 425 464 620 sobreviventes aos 60 anos ‰ 180 230 364 esperança de vida à nascença (anos) 24,8 28 38,8 esperança de vida aos 5 anos (anos) 40,7 44,9 50,4 Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 4
  5. 5. População europeia em milhões de habitantes 68 70 72 74 76 78 80 82 84 ano 1600 ano 1650 ano 1700 Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 5
  6. 6. Região 1600 1700 1750 1800 Europa Mediterrânica 23,6 22,7 27 32,7 Europa Central 35 36,2 41,3 53,2 Europa do Norte e Oeste 12 16,1 18,3 25,9 Total 70,6 75 86,6 112 Europa Mediterrânica: Espanha, Portugal, Itália Europa Central: França, Suíça, Alemanha Europa do Norte e Oeste: Inglaterra, Escócia, Países Baixos, Escandinávia Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 6
  7. 7. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 7 Amiens, França
  8. 8. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 8
  9. 9. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 9 Quais os fatores que provocam estes ciclos de crescimento e depressão demográficas? Base económica agrícola; Deficiências tecnológicas (utensílios rudimentares, falta de fertilizantes e inseticidas); Variações climáticas; Os agricultores viviam à mercê daquilo que se pode chamar a fertilidade natural da terra.
  10. 10. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 10 Estimativa da percentagem da população agrícola em relação à força total de trabalho (+/- 1750) País % Inglaterra 65 França 76 Suécia 75 República de Veneza 75
  11. 11. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 11 Economia pré-industrial: sistema económico caracterizado pela prevalência da agricultura e por debilidades tecnológicas; A produção depende sobretudo do trabalho humano; Na Europa pré-industrial existem ciclos de crescimento demográfico que alternam com ciclos de crise; A Europa dos séculos XVI, XVII e XVIII caracteriza-se por ser uma economia pré-industrial. Quais serão as principais características?
  12. 12. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 12 Os recursos alimentares disponíveis limitam a possibilidade de crescimento demográfico; O equilíbrio entre os alimentos disponíveis e a população existente rompe-se com frequência; O preço do cereais sobe, a fome e a morte ceifa os mais pobres; Os picos de aumento de mortalidade são uma característica do modelo demográfico do Antigo Regime.
  13. 13. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 13 1.2 Evolução demográfica 1.2.1 O modelo demográfico antigo Uma característica da demografia pré-industrial é a elevada mortalidade, mesmo em tempos normais;
  14. 14. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 14 Década de 1740-1749 Média dos 40 anos 1750- 1789 década de 1820-1829 taxa mortalidade infantil até 1 ano % 29,6 27,8 18 taxa mortalidade infantil 1-4 anos % 25,3 24 15,3 sobrevientes aos 20 anos % 42,5 46,4 62 sobreviventes aos 60 anos % 18 23 36,4 esperança de vida à nascença (anos) 24,8 28 38,8 esperança de vida aos 5 anos (anos) 40,7 44,9 50,4
  15. 15. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 15 Segundo Pierre Goubert “seriam necessários dois nascimentos para produzir um adulto”. Qual o significado desta afirmação? Isto quer dizer que a mortalidade infantil era muito elevada, nesta época morria-se jovem, chegar a velho era um caso raro; A natalidade também era muito elevada; Assim em anos “normais” a população crescia, embora lentamente.
  16. 16. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 16 O crescimento populacional era frequentemente abalado por crises demográficas, no espaço de um ano ou dois, ou mesmo alguns meses, a população decrescia brutalmente.
  17. 17. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 17 Crise demográfica – É uma quebra demográfica acentuada provocada por uma subida abrupta da mortalidade que é acompanhada por uma descida da natalidade. Normalmente é de curta duração (meses ou um ou dois anos), e é provocada por epidemias ou surtos de fome.
  18. 18. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 18 No Antigo Regime estas crises eram cíclicas; A um período de crescimento seguia-se uma crise, é este o modelo demográfico do Antigo regime O Antigo Regime refere-se ao sistema social, político, económico e demográfico que entre os séculos XVI a XVIII vigorou na maior parte dos países europeus. É um regime centralizado e absolutista, em que o poder estava concentrado nas mãos do rei.
  19. 19. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 19 1.2.2 O século XVII O século XVII foi um tempo de dificuldades. A fome, a peste e a guerra assolaram a Europa. No entanto, do ponto de vista demográfico, nem toda a Europa sofreu as mesmas consequências.
  20. 20. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 20 O século começou com um arrefecimento do clima que provocou a fome; Verãos frescos e invernos rigorosos provocaram a subida de preços dos cereais; Surgem graves crises de subsistência; A fome levava ao desencadear de epidemias e as fracas condições de higiene e atraso na medicina proporcionavam uma rápida propagação.
  21. 21. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 21 As epidemias atingiam todos os grupos sociais, ricos e pobres; Quando a epidemia se declarava numa cidade os mais ricos fugiam. Muitas vezes isso contribuía para ima rápida disseminação da doença; No século XVII (sobretudo entre 1590 e 1670) a peste bubónica voltou a assolar a Europa; Viveu-se uma época de guerra: religiosas, civis, revoltas e sublevações irromperam por toda a Europa; A Guerra dos Trinta Anos (1618-1648) devastou o continente europeu, sobretudo a Alemanha;
  22. 22. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 22
  23. 23. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 23
  24. 24. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 24
  25. 25. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 25
  26. 26. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 26 Neste período a Alemanha perdeu 33% da população das cidades e 40% dos campos; A Guerra dos Trinta Anos envolveu vários países europeus como a França, Espanha, Suécia e Alemanha.
  27. 27. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 27 O século XVII foi um século conturbado e atravessado por várias crises demográficas; No entanto não atingiram de igual forma todo o continente europeu; Algumas zonas, a Europa Mediterrânica e a Europa Central sofreram perdas, Enquanto outras, como a Europa do Norte, assistiram a algum crescimento demográfico.
  28. 28. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 28 1.2.3 O século XVIII
  29. 29. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 29 A partir da década de 1730-1740 inicia-se uma fase de crescimento demográfico, a fome e a doença diminuíram; Quais os fatores que contribuíram para esse crescimento?
  30. 30. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 30 Vários fatores contribuíram para o crescimento demográfico do século XVIII: Melhorias climáticas; Inovações na agricultura; Progressos na indústria; Melhoria nos transportes; Mais higiene; Progressos na medicina: surge a vacinação (varíola), melhorias na obstetrícia, surgem mais e melhores escolas de medicina.
  31. 31. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 31 Surge uma nova mentalidade em relação à criança. Torna-se mais importante e a sua morte deixa de ser encarada como algo inevitável; A população europeia, no século XVIII, é jovem: Mais de 35% tem menos de 20 anos e têm uma esperança de vida superior à dos seus avós;
  32. 32. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 32 O crescimento populacional começa a assustar algumas pessoas; Thomas Malhus escreveu um livro denominado “Ensaios sobre o princípio da população” (1789)
  33. 33. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 33 Nesse livro predizia que o crescimento da população, em breve, iria ultrapassar a capacidade de o Homem produzir mais alimentos e a fome e a miséria iriam instalar-se novamente; Malthus preconizava a limitação voluntária de nas cimentos como a única forma de evitar a catástrofe. As previsões de Malthus não se verificaram, porquê? Os progressos técnicos vão permitir um aumento da produção permitindo alimentar o crescimento demográfico; No entanto as práticas anti natalistas vão-se difundindo, pouco a pouco, originando que os séculos XIX e XX apresentem uma demografia completamente nova.
  34. 34. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 34 Esquema in “Preparação para o Exame Nacional, História A 11, Porto Editora
  35. 35. Módulo 4, Unidade 1, Vítor Santos 35 Esta apresentação foi construída tendo por base a seguinte bibliografia: COUTO, Célia Pinto, ROSAS, Maria Antónia Monterroso, O tempo da História 11, Porto Editora, 2011 SANCHES, Mário, História A, Edições ASA, 2006

×