Digital storytelling

34.701 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado no decorrer da unidade curricular As Tecnologias Telemáticas e a Aprendizagem, do Mestrado em Comunicação Multimédia, Leccionado pelo ISCIA.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
34.701
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
29.979
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
121
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Digital storytelling

  1. 1. DigitalStorytellingum trabalho deLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada
  2. 2. Mestrado em Comunicação MultimédiaAS TECNOLOGIAS TELEMÁTICAS E A APRENDIZAGEM DOCENTES Professor Doutor Arnaldo Santos Professora Dra. Lúcia Moreira Aveiro - 2011
  3. 3. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling • Introdução • Estado da arte • Descrição técnica • Case studies • ConclusãoDIGITAL STORYTELLING | • Referências bibliográficas
  4. 4. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Introdução Contar histórias – storytelling – é uma arte antiga, tão antiga quanto a história das imagens desenhadas nas paredes das cavernas ou as antigas tradições orais do contador de histórias (Frazel, 2010).DIGITAL STORYTELLING |
  5. 5. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Introdução O Digital Storytelling é um processo que combina os diversos tipos de media, com vista a enriquecer e melhorar a palavra escrita ou falada. A história digital pode ter uma sobreposição de narração e, por vezes, música de fundo, que pode combinar qualquer número de formas, imagens, áudio e vídeo para contar uma história ou fazer uma apresentação factual (Frazel, 2010).DIGITAL STORYTELLING |
  6. 6. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Introdução Embora o Digital Storytelling permita em determinados casos, a possibilidade de interacção e portanto um efeito profundo sobre a narrativa, esta não altera a essência do que a história é: uma narrativa que retracta personagens de uma série de acontecimentos dramáticos, seguindo a acção desde o início do drama para a conclusão (Miller 2004).DIGITAL STORYTELLING |
  7. 7. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Estado da Arte Ao contrário do que eventualmente poderá parecer, este não está condicionado a nenhum contexto em concreto, sendo transversal a todas as áreas que integrem o digital, seja offline ou online. Nos jogos, na arte, na publicidade, na formação, na educação, nas redes sociais, na medicina, e noutras áreas a aplicação do digital storytelling está presente. Contudo, existe uma área em que os estudos, trabalhos e conferências se destacam: O digital storytelling integrado na educação e na formação.DIGITAL STORYTELLING | É nesta área e contexto que a comunidade que estuda, debate e produz material científico se destaca.
  8. 8. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Descrição Técnica Os projectos de digital storytelling têm um duplo focos: A história e a aplicação tecnológica (Frazel 2010). A sucesso de uma boa história, independentemente . ser digital, está no contexto e na simplicidade dos de Elementos objectivos a alcançar, bem como do público-alvo, à qual se destina História Identifiquemos agora, os componentes de base, Meios Processo que intervêm numa história digital.DIGITAL STORYTELLING |
  9. 9. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Descrição Técnica – Elementos Lambert (2004) identifica sete elementos para a construção de histórias digitais, baseando-se em mais de uma década de trabalho neste meio. A sua experiência tem sustentado muito as investigações e trabalhos em ambientes escolares. Emoção; Sentimentos Ponto de vista Drama, Suspense Voz e MemóriasDIGITAL STORYTELLING | Musica Economia de recursos Tempo
  10. 10. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Descrição Técnica – Meios A implementação de uma história, no contexto digital, faz-se com recurso a equipamentos de captura de imagem e vídeo (câmaras fotográficas digitais; câmaras de vídeo e scanners) e a aplicações de edição de som e imagem. iMovie Movie MakerDIGITAL STORYTELLING | Kino
  11. 11. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Descrição técnica – Processo O processo de criação do digital storytelling é composto, de uma forma genérica, pelas seguintes fases: 1 • Redacção do guião; 2 • Recolha e selecção dos recursos; 3 • Concepção do storyboard;DIGITAL STORYTELLING | 4 • Criação da história digital; 5 • Publicação e partilha.
  12. 12. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Descrição Técnica – O Humor O Humor é uma elemento importante, na essência de uma história. No entanto, torna-se complexo criar um argumento humorístico transversal, pois o que provoca este comportamento numa criança é normalmente diferente num adulto. De acordo com o que Carolyn Handler Miller, apresenta na sua obra “Digital Storytelling: A Creators Guide to Interactive Entertainment”, aqui ficam os pontos que consideremos aplicáveis de uma forma global: • Moderar a quantidade de humor; • Construir uma interactividade significativa;DIGITAL STORYTELLING | • Respeitar o público. Esta autora, afirma ainda que em geral, o humor visual resulta melhor do que o humor verbal.
  13. 13. Luísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital Storytelling Descrição Técnica – Tipos de Narrativas O processo narrativo é um factor indiscutivelmente essencial, para a concepção de uma história Digital coesa e apelativa. Eis os vários tipos de narrativa existentes: • Pessoais; • Experiências vivenciadas; • Atividade pessoal; • Temáticas ou Acontecimentos históricos; •DIGITAL STORYTELLING | Instrução / (in)formação.
  14. 14. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Case Studies Educação e Formação The National Storytelling Network define o Storytelling como: “Contar histórias também é um antigo método de ensino. “ Antes dos livros, leitura e escrita tornaram-se amplamente difundidos e disponíveis, contar histórias orais foi a única forma de transmissão de sabedoria e conhecimento. Actualmente, a tecnologia, deu uma nova reviravolta à arte anciã de contar histórias. O Storytelling digital dá-nos a capacidade de atingir e divulgar asDIGITAL STORYTELLING | nossas histórias melhor do que nunca. Contar histórias, independente do media utilizado, é uma ferramenta poderosa para transmitir conhecimento, cultura, perspectivas e pontos de vista. (http://www.storynet.org/)
  15. 15. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Case Studies Educação e Formação Smories.com Original stories for kids, read by kids A ideia base do projecto Smories é proporcionar um lugar às crianças para visionar a leitura de histórias e servir como inspiração para a prática de leitura em voz alta.DIGITAL STORYTELLING | http://www.smories.com/
  16. 16. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Case Studies Corporate Storytelling Segundo as palavras de António Núnez, autor de “Sera mejor que la cuentes!”, as empresas, os políticos e as marcas redescobrem a milenar arte de contar histórias para superar a saturação e cepticismo do cidadão da era Web 2.0. A nova economia de atenção, onde uns oferecem o seu tempo de atenção e outros o procuram, a melhor história ganha.DIGITAL STORYTELLING |
  17. 17. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Case Studies Corporate Storytelling Coca-Cola – Happiness Factory A campanha “Happiness Factory” utiliza técnicas do storytelling para estabelecer novas conexões com os consumidores. Criou um mundo imaginário que vive dentro de uma máquina Coca-Cola de venda automática.DIGITAL STORYTELLING | Links: http://www.youtube.com/watch?v=yGjBV9roQhA http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=FEpFlymH6RQ
  18. 18. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Case Studies Causas sociais Movimento The Girl Effect Campanha “The Clock is Ticking” Este campanha pretende alertar para as questões da pobreza e gravidez na adolescência. Através de uma história pede-se aos espectadores, que se tornem parte deste movimento, e que ajudem a mudar o mundo.DIGITAL STORYTELLING | Links: http://www.girleffect.org/ http://www.youtube.com/user/girleffect
  19. 19. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Conclusão O Storytelling na forma original era uma narrativa oral, com um único contador de histórias (reais ou ficcionadas), apresentando-se geralmente, perante um grande público de pessoas. Esses contadores de histórias têm sido chamados de bardos, trovadores, historiadores orais, e muitos outros nomes. Carolyn Handler Miller ,“The New Frontier of Web Based Stories.DIGITAL STORYTELLING | “Storytelling, in short, is well worth saving and upgrading.”
  20. 20. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Conclusão Nos últimos anos, as narrativas digitais têm sido aplicadas em variados contextos: • Educação Um nova técnica de ensino e de aprendizagem; • Corporate Storytelling Desenvolve narrativas que contam as histórias de uma organização, é uma maneira simples e muito eficaz de anular a distância que separa a maior parte das empresas dos seus públicos; • Marketing e PublicidadeDIGITAL STORYTELLING | As marcas vencedoras são aquelas que conseguem criar boas histórias, e através destas, captam e envolvem audiências.
  21. 21. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Conclusão De “Emissores” a “Criadores de Histórias” E de ”Receptores” a “Utilizadores de Histórias” Devido à web 2.0 as anteriormente chamadas “audiências cativas” foram libertadas. Os receptores transformaram-se em utilizadores de histórias. Falamos de soberanos independentes e pró-activos, munidos de comandos a distância, software P2P, telemóveis, PDA e uma atitude crítica face aos Media.DIGITAL STORYTELLING | António Núnez, autor de “Sera mejor que la cuentes!”.
  22. 22. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Conclusão Actualmente, estão a surgir grandes mudanças, na forma, como as histórias digitais são contadas. A comunicação está a transformar o público em storytellers. E torna possível a criação de novas histórias: • Interactive Storytelling • User-Generated Stories • Collaborative Storytelling • Transmedia StorytellingDIGITAL STORYTELLING |
  23. 23. Mestrado em Comunicação Multimédia As tecnologias telemáticas e a aprendizagem Digital StorytellingLuísa Pinheiro | Vítor Graça | Luís Espada Referências Bibliográficas FRAZEL M, DST- A Guide for Educators, Washington, DC ISTE, (2010) LAMBERT Joe, STD Cookbook , Digital Diner Press (2010) MILLER Carolyn H, DST A Creators Guide to Interactive Entertainment (2004) TOLISANO, Silvia Rosenthal, Digital Storytelling Tools for Educators (2010) LOPEZ, Antonio Núnez, Sera Mejor que Lo Cuentes (2007) Digitais http://digitalstorytelling.coe.uh.edu/DIGITAL STORYTELLING | http://www.jasonohler.com/storytelling/index.cfm http://www.inms.umn.edu/elements/ http://www.storycenter.org/index1.html http://www.digitales.us/ http://www.storynet.org/

×