SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
BRUNA BRINGHENTTI DALMAGRO


APRESENTAÇÃO

BOA NOITE, NOSSO AGRODEBATE DE HOJE TRARÁ COMO TEMA A SEMENTE
PIRATA. TEREMOS A PRESENÇA DOS AGRONOMOS...

PRIMEIRO BLOCO

AS SEMENTES AO LONGO DOS TEMPOS É PRECURSORA DE TODA ATIVIDADE
AGRÍCOLA. É INSUMO INDISPENSÁVEL , E COMO TAL, OS PAISES AGRÍCOLAS
SEMPRE SE PREOCUPARAM EM DESENVOLVER SISTEMAS AVANÇADOS DE
PRODUÇÃO DE SEMENTES.

NO BRASIL, A PARTIR DA DECADA DE SESSENTA (60) HOUVE UMA EVOLUÇÃO NA
ORGANIZAÇÃO E OFICIALIZAÇÃO DE UM SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES,
ESTABELECENDO-SE NORMAS E PADRÕES QUE GARANTISSEM A QUALIDADE E A
CERTEZA DOS ATRIBUTOS GENÉTICOS DAS SEMENTES.

ESSA AGREGAÇAO DE VALOR GENÉTICO E QUALIDADE SOMENTE PODE SER
ACESSADA PELO AGRICULTOR ATRAVÉS DA COMPRA DE SEMENTES
CERTIFICADAS PELO SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES E FISCALIZADA PELO
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, QUE ASSEGURA A
PRODUÇÃO.

PARA ESCLARECER MAIS SOBRE O ASSUNTO TEMOS AQUI O AGRONOMO .... –
QUAIS OS TIPOS DE SEMENTES QUE PODEMOS CITAR. (PIRATA, SALVA,
CERTIFICADA)
 - VOCÊ PODERIA EXEMPLIFICAR CADA UMA DELAS...
– HÁ PESSOAS QUE CONFUNDEM A SEMENTE PIRATA COM A SALVA. HÁ UMA LEI
QUE REGULAMENTE ESSA PRÁTICA (Lei de Proteção de Cultivares (9.456/97) prevê a
possibilidade da reserva de parte da produção pelo agricultor para uso na safra seguinte,
a chamada semente para uso próprio (designada por alguns de semente salva). A Lei de
Sementes (10.711/03) e seu decreto regulamentador e normas complementares
regulamentam esta prática.)
- E QUAL O PROCESSO AUTORIZADO PARA O PLANTIO.

CONTINUE CONOSCO, NO SEGUNDO BLOCO TEREMOS O AGRONOMO ...
FALANDO MAIS SOBRE SEMENTE PIRATA. VOLTAMOS JÁ.

SEGUNDO BLOCO

NO AGRODEBATE DE HOJE SOBRE SEMENTES PIRATAS TEMOS A PRESENÇA
DOS AGRONOMOS ... FALANDO SOBRE AS COMPLICAÇOES DO USO DESSAS
SEMENTES NÃO CERTIFICADAS.

AS SEMENTES ILEGAIS ( OU PIRATAS): SÃO QUALQUER SEMENTE PRODUZIDA E
COMERCIALIZADA FORA DO SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES. ESTAS
SEMENTES NÃO POSSUEM NENHUM DOS DOCUMENTOS QUE A IDENTIFICAM NA
FORMA PRECONIZADA PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. SÃO CONHECIDAS
POR SEMENTES "BOLSA BRANCA", POR NÃO TEREM NENHUMA IDENTIFICAÇÃO,
OU ESTAR EM EMBALAGEM FALSIFICADA. GERALMENTE SÃO VENDIDAS A
PREÇOS MENORES QUE O MERCADO E NÃO OFERECEM NENHUMA GARANTIA
OFICIAL DE SUA IDENTIDADE E QUALIDADE, TORNANDO-SE UMA ARMADILHA
AOS AGRICULTORES DESAVISADOS.

TEMOS UMA MATÉRIA FEITA PELA JORNALISTA ROSELAINE CANCI COM UM
PRODUTOR QUE UTILIZA A SEMENTE PIRATA.

(MATÉRIA)
ENTÃO, ROSELAINE, COMO FOI O PROCESSO DESSA ENTREVISTA.
ROSE - (Diversas são as motivações para o uso crescente dessas sementes por parte dos
agricultores, entre elas a busca de redução de custos, principalmente em anos de crise e preços
baixos. É necessário alertar para o fato de que uma economia pequena no custo de implantação
de uma lavoura através de uso de semente "mais barata" pode representar uma diferença grande
de receita no final da colheita com a redução de produtividade e com o aumento de custos em
outros itens da lavoura devidos a problemas ocasionados por uma semente de qualidade não
garantida.)

- Matéria da Loidi Ferst
O AGRONOMO, ..., NOS EXPLICA MAIS SOBRE AS IMPLICAÇOES DO USO DA
SEMENTE NÃO CERTIFICADA. (O PRODUTOR PODE SER MULTADO/ PODE
PERDER TODA PRODUÇAO/ TEM RISCO DE PRAGAS)

NO ÚLTIMO BLOCO TEREMOS UM ALERTA DA EMBRAPA SOBRE O USO DAS
SEMENTES PIRATAS.

TERCEIRO BLOCO

VOLTAMOS COM O AGRODEBATE.

- Matéria do Luciano Barfknecht
A VENDA DE SEMENTES CERTIFICADAS NO BRASIL MOVIMENTOU R$ 8 BILHÕES
NA SAFRA 2007/2008 (Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem)). O
VOLUME PRODUZIDO PASSOU DE 2,1 MILHÕES DE TONELADAS. PORÉM, A
SEMENTE PIRATA, PRODUZIDA E VENDIDA SEM ORIGEM E SEM GARANTIAS
TAMBÉM OCUPOU MUITAS LAVOURAS.

TEMOS AQUI UMA MATÉRIA DO SITE portaldoagronegocio (de 6 de julho de 2009)
ONDE A EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária )E COODETEC
(Cooperativa Central de Pesquisa Agrícola)ALERTAM SOBRE A SEMENTE PIRATA NO
BRASIL.

Embrapa e Coodetec alertam: semente pirata é um risco para a produção brasileira
Em nota técnica divulgada no último dia 4 de julho, a Embrata e a Coodetec alertam para as
conseqüências do uso das sementes sem origem conhecida, também conhecidas como sementes
piratas. Segundo nota assinada pelos pesquisadores Ivo Marcos Carraro, diretor executivo da
Coodetec, e Luiz Carlos Miranda, gerente adjunto de Sementes e Mudas da Embrapa, a semente
sem origem conhecida produz “efeitos negativos imediatos, inicialmente imperceptíveis, mas que
são cumulativos e muito maiores que uma eventual economia feita na hora do plantio de uma
semente pirata ou salva, geralmente mais barata”.

GOSTARIAMOS DE UM PARECER DOS AGRONOMOS AQUI PRESENTES SOBRE A
SITUAÇAO DO USO DA SEMENTE PIRATA E QUAIS SERIAM AS ORIENTAÇOES
PARA OS AGRICULTORES QUE UTILIZAM SEMENTE PIRATA, QUE QUEREM
UTILIZAR A SEMENTE CERTIFICADA.
AGRADECEMOS AOS NOSSOS CONVIDADOS PELAS OBSERVAÇOES. O
AGRODEBATE DE HOJE FICA POR AQUI. BOA NOITE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biossegurança ogm 2012 paulo
Biossegurança ogm   2012 pauloBiossegurança ogm   2012 paulo
Biossegurança ogm 2012 pauloSofia Iba
 
Fundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da Soja
Fundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da SojaFundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da Soja
Fundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da SojaGustavo Avila
 
A Soja No Brasil e No Mundo
A Soja No Brasil e No MundoA Soja No Brasil e No Mundo
A Soja No Brasil e No Mundoftsemenntes
 
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do MilhoMelhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do MilhoGeagra UFG
 
Melhoramento (1)
Melhoramento (1)Melhoramento (1)
Melhoramento (1)Aline Ellen
 
Cultivares de soja
Cultivares de sojaCultivares de soja
Cultivares de sojaGeagra UFG
 
Introdução a cotonicultura
Introdução a cotoniculturaIntrodução a cotonicultura
Introdução a cotoniculturaGeagra UFG
 
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantioManejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantioAM Placas Ltda. Placas
 
Fenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaFenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaGeagra UFG
 
Jornal Valor Econômico APTA - Banana
Jornal Valor Econômico APTA - BananaJornal Valor Econômico APTA - Banana
Jornal Valor Econômico APTA - BananaAgricultura Sao Paulo
 
Tecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigadoTecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigadoGeagra UFG
 
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAINTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAGeagra UFG
 
Colheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e MilhetoColheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e MilhetoGeagra UFG
 
Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014
Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014
Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014AzizGalvao
 
A Cultura do Arroz
A Cultura do ArrozA Cultura do Arroz
A Cultura do ArrozGeagra UFG
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIROMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIROGeagra UFG
 

Mais procurados (19)

Biossegurança ogm 2012 paulo
Biossegurança ogm   2012 pauloBiossegurança ogm   2012 paulo
Biossegurança ogm 2012 paulo
 
Fundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da Soja
Fundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da SojaFundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da Soja
Fundamentos SituaçãO Atual E Perspectiva Da Soja
 
A Soja No Brasil e No Mundo
A Soja No Brasil e No MundoA Soja No Brasil e No Mundo
A Soja No Brasil e No Mundo
 
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do MilhoMelhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
Melhoramento genético e produção de semente para a cultura do Milho
 
Melhoramento (1)
Melhoramento (1)Melhoramento (1)
Melhoramento (1)
 
Cultivares de soja
Cultivares de sojaCultivares de soja
Cultivares de soja
 
Introdução a cotonicultura
Introdução a cotoniculturaIntrodução a cotonicultura
Introdução a cotonicultura
 
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantioManejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
Manejo de Milho: Tratamento de sementes e plantio
 
Fenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da sojaFenologia e Fisiologia da soja
Fenologia e Fisiologia da soja
 
Jornal Valor Econômico APTA - Banana
Jornal Valor Econômico APTA - BananaJornal Valor Econômico APTA - Banana
Jornal Valor Econômico APTA - Banana
 
Tecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigadoTecnologia utilizada no feijão irrigado
Tecnologia utilizada no feijão irrigado
 
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURAINTRODUÇÃO A COTONICULTURA
INTRODUÇÃO A COTONICULTURA
 
Colheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e MilhetoColheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
Colheita e Comercialização de Sorgo e Milheto
 
Algodão
AlgodãoAlgodão
Algodão
 
Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014
Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014
Soja plusmg fitotecniaapresentacao2014
 
Mip soja
Mip sojaMip soja
Mip soja
 
A Cultura do Arroz
A Cultura do ArrozA Cultura do Arroz
A Cultura do Arroz
 
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIROMANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NO ALGODOEIRO
 
Técnica do inseto estéril
Técnica do inseto estérilTécnica do inseto estéril
Técnica do inseto estéril
 

Destaque

Unidade 03 composição química e maturação das sementes
Unidade 03 composição química e maturação das sementesUnidade 03 composição química e maturação das sementes
Unidade 03 composição química e maturação das sementesBruno Rodrigues
 
Unidade 04 germinação das sementes
Unidade 04 germinação das sementesUnidade 04 germinação das sementes
Unidade 04 germinação das sementesBruno Rodrigues
 
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementesUnidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementesBruno Rodrigues
 
Aula 8 – fruto e semente Prof. Guth Berger
Aula 8 – fruto e semente Prof. Guth BergerAula 8 – fruto e semente Prof. Guth Berger
Aula 8 – fruto e semente Prof. Guth BergerMatheus Yuri
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementesUERGS
 

Destaque (8)

Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
 
Unidade 03 composição química e maturação das sementes
Unidade 03 composição química e maturação das sementesUnidade 03 composição química e maturação das sementes
Unidade 03 composição química e maturação das sementes
 
Unidade 04 germinação das sementes
Unidade 04 germinação das sementesUnidade 04 germinação das sementes
Unidade 04 germinação das sementes
 
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementesUnidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
Unidade 02 formação e desenvolvimento das sementes
 
Semente e germinação
Semente e germinaçãoSemente e germinação
Semente e germinação
 
Sementes - Morfologia Vegetal
Sementes - Morfologia VegetalSementes - Morfologia Vegetal
Sementes - Morfologia Vegetal
 
Aula 8 – fruto e semente Prof. Guth Berger
Aula 8 – fruto e semente Prof. Guth BergerAula 8 – fruto e semente Prof. Guth Berger
Aula 8 – fruto e semente Prof. Guth Berger
 
Frutos e sementes
Frutos e sementesFrutos e sementes
Frutos e sementes
 

Semelhante a Sementes

Introducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdf
Introducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdfIntroducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdf
Introducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdfHERBERTMORAESMOREIRA1
 
Anuário abrasem 2014
Anuário abrasem 2014Anuário abrasem 2014
Anuário abrasem 2014Dalber Silva
 
ogm_leg_br_abril_2002.ppt
ogm_leg_br_abril_2002.pptogm_leg_br_abril_2002.ppt
ogm_leg_br_abril_2002.pptBrunoaguiar97
 
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasilO intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasilRenato Ferraz de Arruda Veiga
 
Prestação de Contas do Vereador Val Advogado Web
Prestação de Contas do Vereador Val Advogado WebPrestação de Contas do Vereador Val Advogado Web
Prestação de Contas do Vereador Val Advogado WebValdemir Batista Santana
 
Instrução Normativa Amaranthus palmieri
Instrução Normativa Amaranthus palmieriInstrução Normativa Amaranthus palmieri
Instrução Normativa Amaranthus palmieriPortal Canal Rural
 
Fiscalização em campo de produção de sementes
Fiscalização em campo de produção de sementesFiscalização em campo de produção de sementes
Fiscalização em campo de produção de sementesGeraldo Henrique
 
1 4908969734667502104
1 49089697346675021041 4908969734667502104
1 4908969734667502104wlsoberta
 

Semelhante a Sementes (11)

Introducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdf
Introducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdfIntroducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdf
Introducao_a_Protecao_de_Cultivares_e_Aspectos_Legais-artigo.pdf
 
Anuário abrasem 2014
Anuário abrasem 2014Anuário abrasem 2014
Anuário abrasem 2014
 
ogm_leg_br_abril_2002.ppt
ogm_leg_br_abril_2002.pptogm_leg_br_abril_2002.ppt
ogm_leg_br_abril_2002.ppt
 
Proteção Sui Generis 2.pptx
Proteção Sui Generis 2.pptxProteção Sui Generis 2.pptx
Proteção Sui Generis 2.pptx
 
Adriano riesemberg
Adriano riesembergAdriano riesemberg
Adriano riesemberg
 
Original abag
Original abagOriginal abag
Original abag
 
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasilO intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
O intercâmbio e a quarentena de germoplasma vegetal no brasil
 
Prestação de Contas do Vereador Val Advogado Web
Prestação de Contas do Vereador Val Advogado WebPrestação de Contas do Vereador Val Advogado Web
Prestação de Contas do Vereador Val Advogado Web
 
Instrução Normativa Amaranthus palmieri
Instrução Normativa Amaranthus palmieriInstrução Normativa Amaranthus palmieri
Instrução Normativa Amaranthus palmieri
 
Fiscalização em campo de produção de sementes
Fiscalização em campo de produção de sementesFiscalização em campo de produção de sementes
Fiscalização em campo de produção de sementes
 
1 4908969734667502104
1 49089697346675021041 4908969734667502104
1 4908969734667502104
 

Mais de Bruna Dalmagro (20)

Web tv
Web tvWeb tv
Web tv
 
Higiene bucal
Higiene bucalHigiene bucal
Higiene bucal
 
Pauta nutriçao
Pauta   nutriçaoPauta   nutriçao
Pauta nutriçao
 
Amor
AmorAmor
Amor
 
Palestra sobre comunicaçao
Palestra sobre comunicaçaoPalestra sobre comunicaçao
Palestra sobre comunicaçao
 
Eu, a empresa e a aquipe
Eu, a empresa e a aquipeEu, a empresa e a aquipe
Eu, a empresa e a aquipe
 
Aula 4
Aula 4Aula 4
Aula 4
 
Pop art
Pop artPop art
Pop art
 
Aula 4
Aula 4Aula 4
Aula 4
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Simple Past 1
Simple Past 1Simple Past 1
Simple Past 1
 
Simple Past
Simple PastSimple Past
Simple Past
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Aula 1
Aula 1Aula 1
Aula 1
 
Aula
Aula Aula
Aula
 
jornalismo literário
jornalismo literáriojornalismo literário
jornalismo literário
 
Projeto de arte
Projeto de arteProjeto de arte
Projeto de arte
 
Picasso e cubismo
Picasso e cubismoPicasso e cubismo
Picasso e cubismo
 
Faixas decorativas
Faixas decorativasFaixas decorativas
Faixas decorativas
 
Aula inaugural
Aula inauguralAula inaugural
Aula inaugural
 

Sementes

  • 1. BRUNA BRINGHENTTI DALMAGRO APRESENTAÇÃO BOA NOITE, NOSSO AGRODEBATE DE HOJE TRARÁ COMO TEMA A SEMENTE PIRATA. TEREMOS A PRESENÇA DOS AGRONOMOS... PRIMEIRO BLOCO AS SEMENTES AO LONGO DOS TEMPOS É PRECURSORA DE TODA ATIVIDADE AGRÍCOLA. É INSUMO INDISPENSÁVEL , E COMO TAL, OS PAISES AGRÍCOLAS SEMPRE SE PREOCUPARAM EM DESENVOLVER SISTEMAS AVANÇADOS DE PRODUÇÃO DE SEMENTES. NO BRASIL, A PARTIR DA DECADA DE SESSENTA (60) HOUVE UMA EVOLUÇÃO NA ORGANIZAÇÃO E OFICIALIZAÇÃO DE UM SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES, ESTABELECENDO-SE NORMAS E PADRÕES QUE GARANTISSEM A QUALIDADE E A CERTEZA DOS ATRIBUTOS GENÉTICOS DAS SEMENTES. ESSA AGREGAÇAO DE VALOR GENÉTICO E QUALIDADE SOMENTE PODE SER ACESSADA PELO AGRICULTOR ATRAVÉS DA COMPRA DE SEMENTES CERTIFICADAS PELO SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES E FISCALIZADA PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, QUE ASSEGURA A PRODUÇÃO. PARA ESCLARECER MAIS SOBRE O ASSUNTO TEMOS AQUI O AGRONOMO .... – QUAIS OS TIPOS DE SEMENTES QUE PODEMOS CITAR. (PIRATA, SALVA, CERTIFICADA) - VOCÊ PODERIA EXEMPLIFICAR CADA UMA DELAS... – HÁ PESSOAS QUE CONFUNDEM A SEMENTE PIRATA COM A SALVA. HÁ UMA LEI QUE REGULAMENTE ESSA PRÁTICA (Lei de Proteção de Cultivares (9.456/97) prevê a possibilidade da reserva de parte da produção pelo agricultor para uso na safra seguinte, a chamada semente para uso próprio (designada por alguns de semente salva). A Lei de Sementes (10.711/03) e seu decreto regulamentador e normas complementares regulamentam esta prática.) - E QUAL O PROCESSO AUTORIZADO PARA O PLANTIO. CONTINUE CONOSCO, NO SEGUNDO BLOCO TEREMOS O AGRONOMO ... FALANDO MAIS SOBRE SEMENTE PIRATA. VOLTAMOS JÁ. SEGUNDO BLOCO NO AGRODEBATE DE HOJE SOBRE SEMENTES PIRATAS TEMOS A PRESENÇA DOS AGRONOMOS ... FALANDO SOBRE AS COMPLICAÇOES DO USO DESSAS SEMENTES NÃO CERTIFICADAS. AS SEMENTES ILEGAIS ( OU PIRATAS): SÃO QUALQUER SEMENTE PRODUZIDA E COMERCIALIZADA FORA DO SISTEMA NACIONAL DE SEMENTES. ESTAS SEMENTES NÃO POSSUEM NENHUM DOS DOCUMENTOS QUE A IDENTIFICAM NA FORMA PRECONIZADA PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. SÃO CONHECIDAS POR SEMENTES "BOLSA BRANCA", POR NÃO TEREM NENHUMA IDENTIFICAÇÃO, OU ESTAR EM EMBALAGEM FALSIFICADA. GERALMENTE SÃO VENDIDAS A PREÇOS MENORES QUE O MERCADO E NÃO OFERECEM NENHUMA GARANTIA
  • 2. OFICIAL DE SUA IDENTIDADE E QUALIDADE, TORNANDO-SE UMA ARMADILHA AOS AGRICULTORES DESAVISADOS. TEMOS UMA MATÉRIA FEITA PELA JORNALISTA ROSELAINE CANCI COM UM PRODUTOR QUE UTILIZA A SEMENTE PIRATA. (MATÉRIA) ENTÃO, ROSELAINE, COMO FOI O PROCESSO DESSA ENTREVISTA. ROSE - (Diversas são as motivações para o uso crescente dessas sementes por parte dos agricultores, entre elas a busca de redução de custos, principalmente em anos de crise e preços baixos. É necessário alertar para o fato de que uma economia pequena no custo de implantação de uma lavoura através de uso de semente "mais barata" pode representar uma diferença grande de receita no final da colheita com a redução de produtividade e com o aumento de custos em outros itens da lavoura devidos a problemas ocasionados por uma semente de qualidade não garantida.) - Matéria da Loidi Ferst O AGRONOMO, ..., NOS EXPLICA MAIS SOBRE AS IMPLICAÇOES DO USO DA SEMENTE NÃO CERTIFICADA. (O PRODUTOR PODE SER MULTADO/ PODE PERDER TODA PRODUÇAO/ TEM RISCO DE PRAGAS) NO ÚLTIMO BLOCO TEREMOS UM ALERTA DA EMBRAPA SOBRE O USO DAS SEMENTES PIRATAS. TERCEIRO BLOCO VOLTAMOS COM O AGRODEBATE. - Matéria do Luciano Barfknecht A VENDA DE SEMENTES CERTIFICADAS NO BRASIL MOVIMENTOU R$ 8 BILHÕES NA SAFRA 2007/2008 (Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem)). O VOLUME PRODUZIDO PASSOU DE 2,1 MILHÕES DE TONELADAS. PORÉM, A SEMENTE PIRATA, PRODUZIDA E VENDIDA SEM ORIGEM E SEM GARANTIAS TAMBÉM OCUPOU MUITAS LAVOURAS. TEMOS AQUI UMA MATÉRIA DO SITE portaldoagronegocio (de 6 de julho de 2009) ONDE A EMBRAPA (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária )E COODETEC (Cooperativa Central de Pesquisa Agrícola)ALERTAM SOBRE A SEMENTE PIRATA NO BRASIL. Embrapa e Coodetec alertam: semente pirata é um risco para a produção brasileira Em nota técnica divulgada no último dia 4 de julho, a Embrata e a Coodetec alertam para as conseqüências do uso das sementes sem origem conhecida, também conhecidas como sementes piratas. Segundo nota assinada pelos pesquisadores Ivo Marcos Carraro, diretor executivo da Coodetec, e Luiz Carlos Miranda, gerente adjunto de Sementes e Mudas da Embrapa, a semente sem origem conhecida produz “efeitos negativos imediatos, inicialmente imperceptíveis, mas que são cumulativos e muito maiores que uma eventual economia feita na hora do plantio de uma semente pirata ou salva, geralmente mais barata”. GOSTARIAMOS DE UM PARECER DOS AGRONOMOS AQUI PRESENTES SOBRE A SITUAÇAO DO USO DA SEMENTE PIRATA E QUAIS SERIAM AS ORIENTAÇOES PARA OS AGRICULTORES QUE UTILIZAM SEMENTE PIRATA, QUE QUEREM UTILIZAR A SEMENTE CERTIFICADA.
  • 3. AGRADECEMOS AOS NOSSOS CONVIDADOS PELAS OBSERVAÇOES. O AGRODEBATE DE HOJE FICA POR AQUI. BOA NOITE