Propostas de Campanha

2.005 visualizações

Publicada em

Proposta de Campanha do Pastor Israel Alves Ferreira

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.005
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
307
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Propostas de Campanha

  1. 1. OBREIRO NOSSO MAIOR PATRIMÖNIO!
  2. 2. PROPOSTAS
  3. 3. Propostas de trabalho p I – Tratamento dos Ministros II – Centros Sociais III – Evangelismo e Missões g IV – Treinamento de Obreiros V – Criação de uma Faculdade ç VI – Secretaria VII – Financeiro VIII – CEADEB PREV IX – Criação da Ouvidoria
  4. 4. I - Tratar os ministros e igrejas com mais amor, respeito, equidade, desenvolvendo o senso de justiça e misericórdia. Restaurando a comunhão, comunhão amizade e unidade, lançando fora o medo a ameaça velada e medo, a perseguição premeditada.
  5. 5. II - ATENDER MELHOR os Pastores no aspecto p social: 1. Atendimento médico através de consultas e exames particulares usando a tabela da AMB (Associação Médica Brasileira) Brasileira).
  6. 6. 2. 2 Reativar a Procuradoria Jurídica para assessorar os ministros e igrejas naquilo que for f necessário e não usá‐la contra os ministros ái ã ál i i – a razão de ser da CEADEB; 3. Contábil: Criação de um escritório contábil para trazer orientação a todos os campos.
  7. 7. 4. Reativar o Seguro de Vida Coletivo para todos os ministros pagos pela CEADEB. 5. 5 Instalação da Mesa Diretora a cada 03 meses nas regiões do Estado. 6. Dar liberdade aos conselhos para cumprir seus papeis e objetivos sem interferência da presidência. 7. Deliberar o Conselho Consultivo da CEADEB para visitar p os campos e dar apoio aos pastores e igrejas.
  8. 8. 8. 8 Orientação e criação de associações ligadas as igrejas com objetivo de desenvolver projetos sociais, profissionais e educacionais através da captação de recursos públicos e de empresas privadas; 9. Retorno de ABONO NATALINO para os jubilados e pensionistas
  9. 9. II ‐ Implantação de 04 Centros Sociais – CS no CS, Estado, através da criação de uma Associação de i i d Ministros.
  10. 10. FINALIDADE: • Nestes CENTRO SOCIAIS teremos apartamentos para hospedagem dos pastores da região em férias ou em repouso, bem como atendimento social e apoio aos filhos de ministros que estejam ou precisem estudar na do CS ou nas cidades circunvizinhas. • Funcionamento da Casa do Estudante com assistência de d qualidade e viabilidades ( f ld d bld d (Infocentro, Biblioteca, bl Central de Apoio Educacional e Profissional, Governança) para atender tanto rapazes quanto moças; • Ampliação da Casa do Estudante buscando apoio das Prefeituras de origem dos estudantes e convênio p educacional com empresas; ;
  11. 11. III – Evangelismo e Missões • Motivar a criação de novos campos com o apoio dos Presidentes de Campos possibilitando o crescimento da Obra de Deus e oportunizando a i di ã e l Ob d D t i d indicação levantamento t t de novas lideranças; • Realização de Seminários por Região sobre Estratégia de ç p g g Crescimento, Fortalecimento e Expansão de Igrejas; • Fornecimento de material evangelístico (folhetos, livretos e outros) via parceria com a CPAD e outras editoras; • Apoio à aquisição de carros de som (mini‐trios) para realização de trabalhos evangelísticos e outros; ç g • Incentivar e organizar pool de Igrejas, através do CEEM, para enviar, manter e assistir obreiros em regiões ainda não evangelizadas e/ou carentes; • Integrar, organizar, apoiar, visitar e criar trabalhos missionários no exterior.
  12. 12. IV INV STIM NTO CU TURA T O ÓGICO IV – INVESTIMENTO CULTURAL E TEOLÓGICO • Reciclagem e Treinamento dos Obreiros através de cursos, seminários e simpósios regionais ministrados pelo CEECRE e CEEM ‐ Evangelismo, Missões, Doutrinas Bíblicas, Família, Administração Eclesiástica, Finanças e Fé, Jurídicos, Contábeis e outros; • Divulgação, apoio e incentivo à participação de seminários, simpósios e congressos nacionais – SEPAL, SEPAL CAPED e outros; t • Manutenção de convênios com instituições i tit i õ teológicas e educacionais para t ló i d i i ministração de cursos em áreas afins do Ministério Pastoral;
  13. 13. V  Criação da Faculdade da CEADEB.  V – Criação da Faculdade da CEADEB VI – SECRETARIA • Atualizar o site semanalmente Atualizar o site semanalmente • Criação da rádio e TV online  • Atualização das mudanças dos ministros no nosso  sistema • Acessibilidade dos ministros à Secretaria
  14. 14. • Criação de uma intranet (link da secretaria e Criação de uma intranet (link da secretaria e  igrejas) • Motivar, criar e treinar secretarias em todos os  campos da Bahia • Efetivar o Memorial da CEADEB
  15. 15. • Criação do Arquivo online Criação do Arquivo online VII – VII FINANCEIRO • Apresentar um relatório financeiro sem maquiagem, claro e compreensivo a todos os ministros; • Disponibilizar os balancetes e o Balanço Patrimonial no site da CEADEB; • Levantamento Patrimonial da Instituição; • Destinação d percentual d Fundo Convencional i ã do l do d i l para a CEADEBPREV, como patrocinadora dos ministros; • Conscientização e motivação á fidelidade dos ministros nas contribuições do FC e dos Dízimos;
  16. 16. VIII  CEADEB PREV  VIII – CEADEB PREV • Restituição da autonomia deliberativa e administrativa • Retorno dos 70% dos dízimos dos ministros para sua Previdência Complementar • Motivar e incentivar os Ministros a contribuições individuais para sua conta previdenciária; • Desvinculação da CEADEBPREV da Mesa Diretora da CEADEB e de seu corpo administrativo‐funcional e de outros que tenha cargo eletivo, respondendo à q g , p Assembléia Geral que escolherá o seu Conselho Deliberativo; • Apoio e incentivo as ações de investimentos e financiamentos para geração de lucros, dividendos e aumento d capital; t de it l
  17. 17. IX ‐ Criação da Ouvidoria IX C i ã d O id i Órgão democrático para receber informações, críticas g p ç e dá sugestões ao trabalho da Mesa e demais órgãos da CEADEB, visando o bem, a harmonia, a paz e o , , , p desenvolvimento da obra de Deus em todo estado e onde mais houver trabalhos ligados à CEADEB. g • O direito do obreiro de se manifestar e indagar acerca das ações da Mesa Diretora e dos demais órgãos.
  18. 18. AGRADECIMENTOS/CONCLUSÃO • Tendo em vista que nos dias atuais existem muitas ações que, judiciais movidas por obreiros contra a nossa Convenção, devido as atitudes tomadas pela nossa Mesa Diretora que priorizou a intransigência ou invés do diálogo e a compreensão; • Tendo em vista que a maioria das propostas de campanha da atual gestão não tem sido cumpridas; • Tendo em vista que a comunicação e o relacionamento da atual gestão não somente com os ministros da CEADEB gestão, mas também com as demais convenções estaduais e p principalmente com a CGADB, demonstrado em p , confrontos desrespeitosos com a UMADENE e CGADB; p
  19. 19. • Tendo em vista que o tratamento da atual gestão com os ministros q que fizeram e fazem a história de nossa denominação no Estado da Bahia e fora dele é o de apagar suas memórias, como se a história destes homens pudessem ser apagadas, como se estes nunca tivessem feito nada por esta Magna Convenção. Esquecida, atual gestão, ainda de que está colhendo o que não semeou mas sim o que foi semeado semeou, por estes que hoje são menosprezados e tratados como inimigos; g ; • Convidamos você, Ministro de Deus, a fazer parte desta frente de Restauração da Dignidade Ministerial, do Apreço, Carinho, Amor, Amizade, Respeito e Comunhão sincera, visto que não valorizamos apenas a aquisição de bens materiais, que são corrosíveis e que as t í i traças e as f ferrugens hã d comer (MT hão de 6.19) mas acima de tudo a valorização do bem maior e mais precioso que é a imagem semelhança de Deus – o homem, isto é o obreiro e a sua família;
  20. 20. • Pedimos o seu apoio suas orações e o seu voto para apoio, que, querendo Deus, se eleitos formos possamos colocar em prática todas estas propostas e muitas outras que pela exigüidade de tempo e espaço aqui não estão relatadas num ambiente de paz relatadas, paz, comunhão e desenvolvimento espiritual e material;

×