SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE

       Ao se pensar no tema da avaliação é fundamental a compreensão de todas as
questões teóricas, concepções, visões de mundo, da escola, da aprendizagem e do ensino,
assim como dos valores, da ética e da política, por se tratar de uma prática social, que
acima de tudo, serve para melhorar a vida profissional dos professores. Este é o cenário
geral que deve ser considerado ao se falar em sistemas de avaliação que tenham sentido
real e significado para todos os envolvidos no processo.

       A avaliação é uma prática social, cada vez mais, utilizada para compreender,
demonstrar e melhorar diversos problemas que atualmente afetam as sociedades. Um dos
grandes desafios à avaliação em geral é o de contribuir com a verificação, discussão,
reconhecimento e busca entre diferentes abordagens para uma reflexão crítica e não
apenas uma visão técnica ou formal dos propósitos avaliados.

       Os propósitos de uma avaliação podem ser variados, no caso da avaliação de
professores podemos citar a melhoria no desempenho, responsabilidade com apresentação
de contas, progressão na carreira e com a profissionalização ou até com o próprio acesso a
profissão.

       A avaliação de professores é um processo difícil de conceber e de se por em prática.
Não se trata somente de um processo burocrático para verificar o cumprimento de normas e
procedimentos. Trata-se de uma complexa construção social, onde fazem parte do processo
diferentes visões de ensino, de escola, de educação e sociedade. É muito mais do que uma
questão técnica. Segundo Fernandes (2006):




       [...] a avaliação de professores (...) poderá ser um meio importante de regulação, de
       amadurecimento, de credibilidade e de reconhecimento de uma classe profissional que,
       evidentemente, está perante um dos dilemas mais desafiadores com que se viu confrontada
       nos últimos 30 anos. (FERNANDES, 2006, p. 21).



       É importante que a avaliação de professores passe a ser pensada além de uma
rotina burocrática e administrativa com pouca ou nenhuma influência no desempenho dos
professores, para ser concebida como um eficiente instrumento na melhoria da qualidade de
ensino e desenvolvimento profissional dos professores.

       Os modelos de avaliação podem estar focados em avaliar: a qualidade dos
professores, ou seja, a sua competência enquanto a um sistema de saberes diversificados e
específicos que o professor domina. Pode estar interessado em avaliar a qualidade do
ensino, analisando o desempenho dos professores, ou seja, àquilo que o professor faz
efetivamente em seu trabalho. Pode também estar mais voltado para avaliar a eficácia dos
professores, tudo aquilo que o professor faz sobre os alunos.

          Outro fator importante no que se refere a um sistema de avaliação são as
concepções de ensino consideradas, assim para cada concepção de ensino teremos uma
concepção de avaliação.

          No ensino como trabalho temos uma visão racionalista e burocrática da tarefa de
ensinar. O papel do professor é a aplicação de orientações metodológicas e de natureza
prática. Nesse caso a avaliação é realizada com a análise dos resultados dos alunos,
observação direta do trabalho do professor e o seu desempenho nas aulas.

          No ensino como oficio há um conjunto de regras e técnicas que podem ser
aprendidos e desenvolvidos pelos professores. Ensinar se baseia em utilizar e aplicar essas
regras e técnicas. A avaliação é para verificar se os professores possuem as competências
exigidas.

          No ensino como profissão os professores se desenvolvem com mais autonomia em
cooperação e colaboração com seus pares, ensinam com grande conhecimento científico,
pedagógico e prática profissional. Neste caso predomina a autoavaliação e a avaliação
pelos pares.

          No ensino como arte as práticas dificilmente são orientadas por regras, consistem
em dramatizações, improvisações e na criatividade. A avaliação valoriza a pessoa que o
professor é, o que pensa e o que sente sobre sua profissão.

          Partindo dessas quatro concepções de ensino temos os modelos de avaliação de
produto e de processo na avaliação de professores. Nos modelos de produto da avaliação
são recolhidas e analisadas informações sobre a competência, desempenho e eficácia do
professor. Sua preocupação é garantir que sejam mínimas as diferenças entre o currículo
oficial, o currículo ensinado pelos professores e o currículo aprendido pelos alunos. Este
modelo apresenta-se mais próximo as concepções de ensino como trabalho e ensino como
ofício.

          Nos modelos de processo da avaliação de professores o desenvolvimento
profissional está relacionado com a reflexão, com o objetivo principal de melhoria na
qualidade do ensino. As informações recolhidas durante o processo de avaliação são
utilizadas como estímulo e incentivo no desenvolvimento profissional dos professores. Este
modelo aproxima-se mais das concepções de ensino como profissão e de ensino como arte.
É importante também aqui ressaltar que esses dois modelos de avaliação são
legítimos e coexistem nos sistemas educativos. São complementares e apresentam
diferentes visões de um processo.

       Ainda dentro desta linha de discussão temos três paradigmas de avaliação do
desempenho do professor: o racionalismo burocrático, onde a avaliação é hierárquica, com
uma relação autoritária, fiscalizadora e controladora. O personalismo individualista onde a
avaliação privilegia a liberdade e a responsabilidade individual do professor. No paradigma
sócio-crítico a avaliação é vista como um processo de desenvolvimento individual e coletivo.

       As escolas precisam pensar na avaliação como um processo que só terá um real
significado se todos os envolvidos estiverem participando e interessados em analisar e
avaliar o trabalho que fazem, buscando-se ao contrário do clima de ameaça, que muitas
vezes é cercado o processo de avaliação, que seja possível se desenvolver a idéia de
colaboração, apoio e melhoria.

       A avaliação feita pelos pares apresenta-se como uma proposta de grande potencial
com o seu sucesso, entre outros fatores, relacionado com o maior nível de participação e
envolvimento de todos os interessados. Não está livre de críticas, mas apresenta-se com
uma alternativa de qualidade para todo esse processo.

       Considerando todos os fatores que permeiam um processo de avaliação conclui-se
que alguns elementos apresentam-se como fundamentais para um processo de avaliação. A
transparência com a definição de critérios claros e simples, construídos e debatidos por
todos; o objetivo com a melhoria na qualidade do ensino; os avaliadores que devem ser
pessoas respeitadas e de confiança; a simplicidade avaliando-se o que é realmente
importante; a credibilidade baseada em critérios claros para a coleta das informações que
devem ser diversificadas; a utilidade que permitirá a melhora no desempenho e na
qualidade do ensino; a participação de todos os interessados no processo e a ética para um
processo onde todos se sintam bem com os resultados da avaliação.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazer
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazerA avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazer
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazerDaniel Santos
 
Slide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliaçãoSlide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliaçãoGisele Lopes
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorInstituto Consciência GO
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuPROIDDBahiana
 
Papel Da AvaliaçãO
Papel Da AvaliaçãOPapel Da AvaliaçãO
Papel Da AvaliaçãOguest1c37d0
 
Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015
Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015
Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015Ana Marilin
 
Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e Métodos
Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e MétodosAvaliação de Desempenho Docente: Teorias e Métodos
Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e Métodosviviprof
 
A avaliação no contexto da formação inicial do professor
A avaliação no contexto da formação inicial do professorA avaliação no contexto da formação inicial do professor
A avaliação no contexto da formação inicial do professorUEA
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoUESPI - PI
 
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010Paulinha2011
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiormariamoura1788lulu
 
Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)
Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)
Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)Mario Amorim
 
REVISTA
REVISTAREVISTA
REVISTAPed55
 
Repensando a avaliação
Repensando a avaliaçãoRepensando a avaliação
Repensando a avaliaçãoEdson Mamprin
 
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃOAVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃOjpsales
 
Avaliação em EAD
Avaliação em EADAvaliação em EAD
Avaliação em EADVania Leitao
 
Conselho 02
Conselho 02Conselho 02
Conselho 02eecejar
 
A avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagemA avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagemRoberto Costa
 

Mais procurados (19)

A avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazer
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazerA avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazer
A avaliação da aprendizagem como processo construtivo de um novo fazer
 
Slide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliaçãoSlide tipos de avaliação
Slide tipos de avaliação
 
O processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino SuperiorO processo de Avaliação no Ensino Superior
O processo de Avaliação no Ensino Superior
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
 
Papel Da AvaliaçãO
Papel Da AvaliaçãOPapel Da AvaliaçãO
Papel Da AvaliaçãO
 
Artigo clenilson
Artigo clenilsonArtigo clenilson
Artigo clenilson
 
Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015
Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015
Síntese sobre o Processo Avaliativo no Ensino Superior - PUCRS 2015
 
Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e Métodos
Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e MétodosAvaliação de Desempenho Docente: Teorias e Métodos
Avaliação de Desempenho Docente: Teorias e Métodos
 
A avaliação no contexto da formação inicial do professor
A avaliação no contexto da formação inicial do professorA avaliação no contexto da formação inicial do professor
A avaliação no contexto da formação inicial do professor
 
A avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processoA avaliação da aprendizagem como processo
A avaliação da aprendizagem como processo
 
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
Seminário sobre Avaliação - UFGD - 2010
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
 
Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)
Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)
Avaliação Escolar - Texto de Libâneo (1994)
 
REVISTA
REVISTAREVISTA
REVISTA
 
Repensando a avaliação
Repensando a avaliaçãoRepensando a avaliação
Repensando a avaliação
 
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃOAVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM DOS ESTUDANTES: RESULTADOS DE PESQUISA-AÇÃO
 
Avaliação em EAD
Avaliação em EADAvaliação em EAD
Avaliação em EAD
 
Conselho 02
Conselho 02Conselho 02
Conselho 02
 
A avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagemA avaliação deve orientar a aprendizagem
A avaliação deve orientar a aprendizagem
 

Semelhante a Avaliação do desempenho docente

Avaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAvaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho Docenteviviprof
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuPROIDDBahiana
 
Artigo avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticas
Artigo  avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticasArtigo  avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticas
Artigo avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticasAdelaideAssuncaoFahe
 
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samyTecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samyPROIDDBahiana
 
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorginobetejorgino
 
Avaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAvaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAlan Ciriaco
 
Avaliação pedagógica digital em contextos de e learning
Avaliação pedagógica digital em contextos de e learningAvaliação pedagógica digital em contextos de e learning
Avaliação pedagógica digital em contextos de e learningSofia Nogueira
 
Concepções e Práticas de Avaliação de Professores de Ciências Físico-Química...
Concepções e Práticas de Avaliação de  Professores de Ciências Físico-Química...Concepções e Práticas de Avaliação de  Professores de Ciências Físico-Química...
Concepções e Práticas de Avaliação de Professores de Ciências Físico-Química...Marisa Correia
 
Avaliação docente
Avaliação docenteAvaliação docente
Avaliação docenteangelafrc
 
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdfFlavio de Souza
 
A eficácia das escolas não se mede
A eficácia das escolas não se medeA eficácia das escolas não se mede
A eficácia das escolas não se medeUNICEP
 
Apresentação para slideshare
Apresentação para slideshareApresentação para slideshare
Apresentação para slideshareneiva valadares
 
Avaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpiAvaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpiRobson Eugênio
 
Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)
Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)
Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)aline totti
 
Avaliações Hoffmann
Avaliações    HoffmannAvaliações    Hoffmann
Avaliações HoffmannClaudia Ramos
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...aninhaw2
 

Semelhante a Avaliação do desempenho docente (20)

Avaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAvaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho Docente
 
Addtm
AddtmAddtm
Addtm
 
Avaliacao formativa
Avaliacao formativaAvaliacao formativa
Avaliacao formativa
 
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreuA avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
A avaliacao-da-aprendizagem-no-ensino-superior-adriana-lima-abreu
 
Artigo avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticas
Artigo  avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticasArtigo  avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticas
Artigo avaliacao das-aprendizagens_-_concecoes_e_praticas
 
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samyTecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
Tecnicas de-avaliacao-adequadas-ao-ensino-superior-guilherme-samy
 
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
 
Avaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho DocenteAvaliação do Desempenho Docente
Avaliação do Desempenho Docente
 
Avaliação pedagógica digital em contextos de e learning
Avaliação pedagógica digital em contextos de e learningAvaliação pedagógica digital em contextos de e learning
Avaliação pedagógica digital em contextos de e learning
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Concepções e Práticas de Avaliação de Professores de Ciências Físico-Química...
Concepções e Práticas de Avaliação de  Professores de Ciências Físico-Química...Concepções e Práticas de Avaliação de  Professores de Ciências Físico-Química...
Concepções e Práticas de Avaliação de Professores de Ciências Físico-Química...
 
Avaliação docente
Avaliação docenteAvaliação docente
Avaliação docente
 
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
4.2 EM_Volume 4_ Gestão do Ensino e da Aprendizagem.pdf
 
A eficácia das escolas não se mede
A eficácia das escolas não se medeA eficácia das escolas não se mede
A eficácia das escolas não se mede
 
Avaliacao como-processo-de-construcao
Avaliacao como-processo-de-construcaoAvaliacao como-processo-de-construcao
Avaliacao como-processo-de-construcao
 
Apresentação para slideshare
Apresentação para slideshareApresentação para slideshare
Apresentação para slideshare
 
Avaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpiAvaliação artigo da ufpi
Avaliação artigo da ufpi
 
Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)
Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)
Pedagogia avaliação em ea d(atv 07)
 
Avaliações Hoffmann
Avaliações    HoffmannAvaliações    Hoffmann
Avaliações Hoffmann
 
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
Uma releitura dos indicadores da qualidade na educação no contexto de na esco...
 

Mais de viviprof

A metamorfose do aprender na sociedade da informação
A metamorfose do aprender na sociedade da informaçãoA metamorfose do aprender na sociedade da informação
A metamorfose do aprender na sociedade da informaçãoviviprof
 
Hipertexto
HipertextoHipertexto
Hipertextoviviprof
 
Dispositivo de Avaliação
Dispositivo de AvaliaçãoDispositivo de Avaliação
Dispositivo de Avaliaçãoviviprof
 
Reflexão final
Reflexão finalReflexão final
Reflexão finalviviprof
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisaviviprof
 
Portfólio de aprendizagem
Portfólio de aprendizagemPortfólio de aprendizagem
Portfólio de aprendizagemviviprof
 
Formação moral
Formação moralFormação moral
Formação moralviviprof
 
Comunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologiasComunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologiasviviprof
 
Escola participativa
Escola participativaEscola participativa
Escola participativaviviprof
 
Comunicação e Tecnologias na Formação de Formadores
Comunicação e Tecnologias na Formação de FormadoresComunicação e Tecnologias na Formação de Formadores
Comunicação e Tecnologias na Formação de Formadoresviviprof
 
15 outubro
15 outubro15 outubro
15 outubroviviprof
 
Mod. e prát. de formação de profs. aula 2
Mod. e prát. de formação de  profs.   aula 2Mod. e prát. de formação de  profs.   aula 2
Mod. e prát. de formação de profs. aula 2viviprof
 
Portfólio
PortfólioPortfólio
Portfólioviviprof
 
K. Zeichner Entrevista
K. Zeichner EntrevistaK. Zeichner Entrevista
K. Zeichner Entrevistaviviprof
 
A organização Escola
A organização EscolaA organização Escola
A organização Escolaviviprof
 
O educador e a formação ética introdução
O educador e a formação ética introduçãoO educador e a formação ética introdução
O educador e a formação ética introduçãoviviprof
 
A supervisão escolar no município de esteio
A supervisão escolar no município de esteioA supervisão escolar no município de esteio
A supervisão escolar no município de esteioviviprof
 
Métodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita CientíficaMétodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita Científicaviviprof
 
Método de Investigação e Escrita Científica
Método de Investigação e Escrita CientíficaMétodo de Investigação e Escrita Científica
Método de Investigação e Escrita Científicaviviprof
 
Projeto de Pesquisa
Projeto de PesquisaProjeto de Pesquisa
Projeto de Pesquisaviviprof
 

Mais de viviprof (20)

A metamorfose do aprender na sociedade da informação
A metamorfose do aprender na sociedade da informaçãoA metamorfose do aprender na sociedade da informação
A metamorfose do aprender na sociedade da informação
 
Hipertexto
HipertextoHipertexto
Hipertexto
 
Dispositivo de Avaliação
Dispositivo de AvaliaçãoDispositivo de Avaliação
Dispositivo de Avaliação
 
Reflexão final
Reflexão finalReflexão final
Reflexão final
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Portfólio de aprendizagem
Portfólio de aprendizagemPortfólio de aprendizagem
Portfólio de aprendizagem
 
Formação moral
Formação moralFormação moral
Formação moral
 
Comunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologiasComunicação e tecnologias
Comunicação e tecnologias
 
Escola participativa
Escola participativaEscola participativa
Escola participativa
 
Comunicação e Tecnologias na Formação de Formadores
Comunicação e Tecnologias na Formação de FormadoresComunicação e Tecnologias na Formação de Formadores
Comunicação e Tecnologias na Formação de Formadores
 
15 outubro
15 outubro15 outubro
15 outubro
 
Mod. e prát. de formação de profs. aula 2
Mod. e prát. de formação de  profs.   aula 2Mod. e prát. de formação de  profs.   aula 2
Mod. e prát. de formação de profs. aula 2
 
Portfólio
PortfólioPortfólio
Portfólio
 
K. Zeichner Entrevista
K. Zeichner EntrevistaK. Zeichner Entrevista
K. Zeichner Entrevista
 
A organização Escola
A organização EscolaA organização Escola
A organização Escola
 
O educador e a formação ética introdução
O educador e a formação ética introduçãoO educador e a formação ética introdução
O educador e a formação ética introdução
 
A supervisão escolar no município de esteio
A supervisão escolar no município de esteioA supervisão escolar no município de esteio
A supervisão escolar no município de esteio
 
Métodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita CientíficaMétodos de Investigação e Escrita Científica
Métodos de Investigação e Escrita Científica
 
Método de Investigação e Escrita Científica
Método de Investigação e Escrita CientíficaMétodo de Investigação e Escrita Científica
Método de Investigação e Escrita Científica
 
Projeto de Pesquisa
Projeto de PesquisaProjeto de Pesquisa
Projeto de Pesquisa
 

Último

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................mariagrave
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMary Alvarenga
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Centro Jacques Delors
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfprofesfrancleite
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioWyngDaFelyzitahLamba
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 

Último (20)

1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................Histogramas.pptx...............................
Histogramas.pptx...............................
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco LeiteReligiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
Religiosidade de Assaré - Prof. Francisco Leite
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 1)
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
Teatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundarioTeatro como estrategias de ensino secundario
Teatro como estrategias de ensino secundario
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 

Avaliação do desempenho docente

  • 1. AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DOCENTE Ao se pensar no tema da avaliação é fundamental a compreensão de todas as questões teóricas, concepções, visões de mundo, da escola, da aprendizagem e do ensino, assim como dos valores, da ética e da política, por se tratar de uma prática social, que acima de tudo, serve para melhorar a vida profissional dos professores. Este é o cenário geral que deve ser considerado ao se falar em sistemas de avaliação que tenham sentido real e significado para todos os envolvidos no processo. A avaliação é uma prática social, cada vez mais, utilizada para compreender, demonstrar e melhorar diversos problemas que atualmente afetam as sociedades. Um dos grandes desafios à avaliação em geral é o de contribuir com a verificação, discussão, reconhecimento e busca entre diferentes abordagens para uma reflexão crítica e não apenas uma visão técnica ou formal dos propósitos avaliados. Os propósitos de uma avaliação podem ser variados, no caso da avaliação de professores podemos citar a melhoria no desempenho, responsabilidade com apresentação de contas, progressão na carreira e com a profissionalização ou até com o próprio acesso a profissão. A avaliação de professores é um processo difícil de conceber e de se por em prática. Não se trata somente de um processo burocrático para verificar o cumprimento de normas e procedimentos. Trata-se de uma complexa construção social, onde fazem parte do processo diferentes visões de ensino, de escola, de educação e sociedade. É muito mais do que uma questão técnica. Segundo Fernandes (2006): [...] a avaliação de professores (...) poderá ser um meio importante de regulação, de amadurecimento, de credibilidade e de reconhecimento de uma classe profissional que, evidentemente, está perante um dos dilemas mais desafiadores com que se viu confrontada nos últimos 30 anos. (FERNANDES, 2006, p. 21). É importante que a avaliação de professores passe a ser pensada além de uma rotina burocrática e administrativa com pouca ou nenhuma influência no desempenho dos professores, para ser concebida como um eficiente instrumento na melhoria da qualidade de ensino e desenvolvimento profissional dos professores. Os modelos de avaliação podem estar focados em avaliar: a qualidade dos professores, ou seja, a sua competência enquanto a um sistema de saberes diversificados e específicos que o professor domina. Pode estar interessado em avaliar a qualidade do ensino, analisando o desempenho dos professores, ou seja, àquilo que o professor faz
  • 2. efetivamente em seu trabalho. Pode também estar mais voltado para avaliar a eficácia dos professores, tudo aquilo que o professor faz sobre os alunos. Outro fator importante no que se refere a um sistema de avaliação são as concepções de ensino consideradas, assim para cada concepção de ensino teremos uma concepção de avaliação. No ensino como trabalho temos uma visão racionalista e burocrática da tarefa de ensinar. O papel do professor é a aplicação de orientações metodológicas e de natureza prática. Nesse caso a avaliação é realizada com a análise dos resultados dos alunos, observação direta do trabalho do professor e o seu desempenho nas aulas. No ensino como oficio há um conjunto de regras e técnicas que podem ser aprendidos e desenvolvidos pelos professores. Ensinar se baseia em utilizar e aplicar essas regras e técnicas. A avaliação é para verificar se os professores possuem as competências exigidas. No ensino como profissão os professores se desenvolvem com mais autonomia em cooperação e colaboração com seus pares, ensinam com grande conhecimento científico, pedagógico e prática profissional. Neste caso predomina a autoavaliação e a avaliação pelos pares. No ensino como arte as práticas dificilmente são orientadas por regras, consistem em dramatizações, improvisações e na criatividade. A avaliação valoriza a pessoa que o professor é, o que pensa e o que sente sobre sua profissão. Partindo dessas quatro concepções de ensino temos os modelos de avaliação de produto e de processo na avaliação de professores. Nos modelos de produto da avaliação são recolhidas e analisadas informações sobre a competência, desempenho e eficácia do professor. Sua preocupação é garantir que sejam mínimas as diferenças entre o currículo oficial, o currículo ensinado pelos professores e o currículo aprendido pelos alunos. Este modelo apresenta-se mais próximo as concepções de ensino como trabalho e ensino como ofício. Nos modelos de processo da avaliação de professores o desenvolvimento profissional está relacionado com a reflexão, com o objetivo principal de melhoria na qualidade do ensino. As informações recolhidas durante o processo de avaliação são utilizadas como estímulo e incentivo no desenvolvimento profissional dos professores. Este modelo aproxima-se mais das concepções de ensino como profissão e de ensino como arte.
  • 3. É importante também aqui ressaltar que esses dois modelos de avaliação são legítimos e coexistem nos sistemas educativos. São complementares e apresentam diferentes visões de um processo. Ainda dentro desta linha de discussão temos três paradigmas de avaliação do desempenho do professor: o racionalismo burocrático, onde a avaliação é hierárquica, com uma relação autoritária, fiscalizadora e controladora. O personalismo individualista onde a avaliação privilegia a liberdade e a responsabilidade individual do professor. No paradigma sócio-crítico a avaliação é vista como um processo de desenvolvimento individual e coletivo. As escolas precisam pensar na avaliação como um processo que só terá um real significado se todos os envolvidos estiverem participando e interessados em analisar e avaliar o trabalho que fazem, buscando-se ao contrário do clima de ameaça, que muitas vezes é cercado o processo de avaliação, que seja possível se desenvolver a idéia de colaboração, apoio e melhoria. A avaliação feita pelos pares apresenta-se como uma proposta de grande potencial com o seu sucesso, entre outros fatores, relacionado com o maior nível de participação e envolvimento de todos os interessados. Não está livre de críticas, mas apresenta-se com uma alternativa de qualidade para todo esse processo. Considerando todos os fatores que permeiam um processo de avaliação conclui-se que alguns elementos apresentam-se como fundamentais para um processo de avaliação. A transparência com a definição de critérios claros e simples, construídos e debatidos por todos; o objetivo com a melhoria na qualidade do ensino; os avaliadores que devem ser pessoas respeitadas e de confiança; a simplicidade avaliando-se o que é realmente importante; a credibilidade baseada em critérios claros para a coleta das informações que devem ser diversificadas; a utilidade que permitirá a melhora no desempenho e na qualidade do ensino; a participação de todos os interessados no processo e a ética para um processo onde todos se sintam bem com os resultados da avaliação.