Semana de Arte Moderna - Professora Vivian Trombini

8.763 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Semana de Arte Moderna - Professora Vivian Trombini

  1. 1. SÃO PAULO, 1922. PROFª VIVIAN TROMBINI Semana de Arte Moderna
  2. 2. A Semana de Arte Moderna foi realizada entre 11 e 18 de fevereiro de 1922 no Teatro Municipal de São Paulo. Principais características
  3. 3. Principais características Foram apresentadas novas correntes artísticas que se opunham ao estilo tradicional.
  4. 4. Principais características Os artistas buscavam temas nacionalistas procurando uma identidade própria.
  5. 5. Contexto histórico  Revoltas militares – tenentismo – insatisfação no exército – descontentamento com o governo  Coluna Prestes – ideais revolucionários comunistas – contra latifundiários  Instabilidade econômica mundial afeta o Brasil – café.  Acaba a República Velha – fim da política do café com leite  1930 – 1945 – Getúlio Vargas  São Paulo – industrialização - centro cultural.
  6. 6. Antecedentes da Semana de Arte Moderna  1917 – Exposição de Anita Malfatti  Publicação de obras de Mário de Andrade, Manuel Bandeira Menotti Del Picchia e Guilherme de Almeida.
  7. 7. Principais Objetivos  Acertar os ponteiros das expressões artísticas com a modernidade da época;  Romper com os padrões clássicos;  Apresentar correntes artísticas (Futurismo, Dadaísmo, Expressionismo, Surrealismo e Cubismo);  Buscar o Antropofagismo (na arte, absorver as influências estrangeiras e recriá-las com elementos da cultura nacional);  Criar uma arte puramente brasileira.
  8. 8. Charge fazendo referência aos objetivos modernistas
  9. 9. Artistas idealizadores  Anita Catarina Malfatti;  Di Cavalcanti;  Lasar Segall;  Tarsila do Amaral;  Manuel Bandeira;  Oswald de Andrade;  Ismael Nery;  Mario de Andrade;  Heitor Vila-Lobos.
  10. 10. Projeto literário Iconoclastia Identidade nacional Quebra de paradigmas Destruição dos valores passados
  11. 11. Agentes do discurso  Encontros entre intelectuais  Ricos mecenas  1912 – Oswald de Andrade – Futurismo  1914 – Anita Malfatti – Cubismo e Expressionismo  Lançamento de revistas e manifestos  Revista Klaxon – pioneira – “a arte não é uma copia da realidade”  Outras revistas - Terra Roxa e Outras Terras
  12. 12. Manifesto Pau - Brasil  Oswald de Andrade  Provocar sentimento nacionalista  Retomar a consciência nacional  Resgatar manifestações culturais, seja da elite ou do povo
  13. 13. Manifesto do Verde-Amarelismo ou Escola da Anta Adoção de uma postura ufanista e primitivista Ideias políticas reacionárias Versão brasileira do fascismo
  14. 14. Manifesto Antropófago Uma atitude brasileira de devoração ritual dos valores europeus, a fim de superar a civilização patriarcal e capitalista, com suas normas rígidas no plano social e os seus recalques, impostos no plano psicológico.
  15. 15. Principais nomes do modernismo brasileiro  Tarsila do Amaral Artes plásticas
  16. 16. Tarsila do Amaral - Abaporu
  17. 17. Tarsila do Amaral - Operários
  18. 18. Tarsila do Amaral – São Paulo
  19. 19. Tarsila do Amaral – A Família
  20. 20. Principais nomes do modernismo brasileiro  Di Cavalcanti Artes plásticas
  21. 21. Di Cavalcanti - Mulata
  22. 22. Di Cavalcanti – Mulheres Protestando
  23. 23. Di Cavalcanti – Baile Popular
  24. 24. Principais nomes do modernismo brasileiro  Anita Malfatti Artes plásticas
  25. 25. Anita Malfatti – A boba
  26. 26. Anita Malfatti – O sanfoneiro
  27. 27. Anita Malfatti – O Samba
  28. 28. Principais nomes do modernismo brasileiro  Lasar Segall Artes plásticas
  29. 29. Lasar Segall – Cablocas montadas
  30. 30. Lasar Segall – Família judia
  31. 31. Lasar Segall –Navio de Emigrantes
  32. 32. Principais nomes do modernismo brasileiro  Manuel Bandeira Literatura (poesia)
  33. 33. Manuel Bandeira – Os Sapos Enfunando os papos, Saem da penumbra, Aos pulos, os sapos. A luz os deslumbra. Em ronco que aterra, Berra o sapo-boi: - "Meu pai foi à guerra!" - "Não foi!" - "Foi!" - "Não foi!". O sapo-tanoeiro, Parnasiano aguado, Diz: - "Meu cancioneiro É bem martelado. Longe dessa grita, Lá onde mais densa A noite infinita Veste a sombra imensa; Lá, fugido ao mundo, Sem glória, sem fé, No perau profundo E solitário, é Que soluças tu, Transido de frio, Sapo-cururu Da beira do rio...
  34. 34. Principais nomes do modernismo brasileiro  Mario de Andrade Literatura
  35. 35. Mario de Andrade – Principais obras  Poesia Há uma Gota de Sangue em Cada Poema (1917), Paulicéia Desvairada (1922), Losango Cáqui (1926), Clã do Jabuti (1927), Remate de Males (1930), Poesias (1941), Lira Paulistana (1946), O Carro da Miséria (1946), Poesias Completas (1955).  Romance Amar, Verbo Intransitivo (1927), Macunaíma (1928).  Contos Primeiro Andar (1926), Belasarte (1934), Contos Novos (1947).
  36. 36. Mario de Andrade - Macunaíma “ No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói de nossa gente. Era preto retinto e filho do medo da noite. Houve um momento em que o silêncio foi tão grande escutando o murmurejo do Uraricoera, que a índia tapanhumas pariu uma criança feia. Essa criança é que chamara de Macunaíma”.
  37. 37. Principais nomes do modernismo brasileiro  Oswald de Andrade Literatura
  38. 38. Oswald de Andrade – Principais obras  Romances Os Condenados (1922), Memórias Sentimentais de João Miramar (1924), Estrela de Absinto (1927), Serafim Ponte Grande (1933), A Escada Vermelha (1934), Os Condenados (l941) - reunindo os livros de 1922,1927 e 1934, constituindo a Trilogia do Exílio, Marco Zero I - Revolução Melancólica (1943), Marco Zero II - Chão (1946).  Poesia Pau-Brasil (1925), Primeiro Caderno de Poesia do Aluno Oswald de Andrade (1927), Poesias Reunidas (1945).  Teatro O Homem e o Cavalo (1943), A Morta, O Rei da Vela, (1937).
  39. 39. Oswald de Andrade – Serafim Ponte Grande “Fim de Serafim Fatigado Das minhas viagens pela terra De camelo e táxi Te procuro Caminho de casa Nas estrelas Costas atmosféricas do Brasil Costas sexuais Para vos fornicar Como um pai bigodudo de Portugal Nos azuis do clima Ao solem nostrum Entre raios, tiros e jaboticabas.”

×