ProfªVivianTrombini
O PRÉ-MODERNISMO
O que você deverá saber ao final deste
estudo.
1. O que foi o Pré-Modernismo.
Por que o Pré-Modernismo não é considerado
u...
3. Que retrato da sociedade brasileira é feito
por Lima Barreto.
Como a interação entre acontecimentos
históricos e person...
5. Quais são as características da
obra de Augusto dos Anjos.
De que modo sua poesia associa a
crença na ciência e indagaç...
CONTEXTO HISTÓRICO:
*1896 – Primeira expedição contra
Canudos;
*1897 – Destruição de Canudos;
*1903 – Greves por melhores ...
*1904 – Revolta da Vacina, no Rio
de Janeiro;
*1907 – Aprovada a lei que permitia
a expulsão de operários estrangeiros
acu...
*1912 – Paralisações – greves
operárias;
*1913 – Decretado estado de sítio para
controlar as greves;
*1913 – Henry Ford im...
*A REFORMA DAS CIDADES
- Deslocamento de muitas famílias
pobres para os grandes centros;
- Favelas criadas para abrigar ex...
*OS CONFLITOS NO NORDESTE
- Seca;
- Antônio Conselheiro;
- Guerra de Canudos – cerca de 25 mil
mortos;
- O cangaço.
*A RIQUEZA DA BORRACHA E DO CAFÉ
- Amazônia – extração de borracha;
- São Paulo – café – industrialização –
imigração;
- A...
PROJETO LITERÁRIO
- Representar o país (mostrar o Brasil aos
brasileiros);
- Ausência de idealização (crítica à realidade
...
OS AGENTES DO DISCURSO
- Interesse por notícias;
- Literatura da diversidade;
- Telégrafo (ajudando na divulgação
de notíc...
LINGUAGEM
- Torna-se mais objetiva, direta,
precisa (texto jornalístico);
- Utilização de um português mais
“brasileiro”.
EUCLIDES DA CUNHAEUCLIDES DA CUNHA
1902 – “Os Sertões”
*Visão determinista – homem é fruto do ambiente;
*Tratado científic...
ESTRUTURA DO LIVRO
*A Terra
* O Homem
* A Luta
- Linguagem: barroco científico –
expressões que sugerem conflito interior
...
LIMA BARRETOLIMA BARRETO
*Retrata os subúrbios cariocas;
* Subúrbios – compostos pela classe
média (funcionários públicos,...
* RECORDAÇÕES DO ESCRIVÃO
ISAÍAS CAMINHA
*CLARA DOS ANJOS
*TRISTE FIM DE POLICARPO
QUARESMA
MONTEIRO LOBATOMONTEIRO LOBATO
*Carreira jornalística e,
posteriormente, literária;
*Conhecimento do interior
(região do V...
* URUPÊS – Jeca Tatu;
*CIDADES MORTAS;
*O PRESIDENTE NEGRO;
*SITIO DO PICAPAU AMARELO
AUGUSTO DOS ANJOSAUGUSTO DOS ANJOS
* Paraíba;
* Professor de literatura;
* “Eu”
* Influências simbolistas
* Gosto por imag...
*Divagações metafísicas;
*Angústia existencial;
O DEUS VERME
Fator universal do transformismo.
Filho da teleológica matéria,
Na superabundância ou na miséria,
Verme - é o...
Almoça a podridão das drupas
agras, 
Janta hidrôpicos, rói vísceras magras 
E dos defuntos novos incha a mão...
Ah! Para e...
BUDISMO MODERNO
Tome, Dr., essa tesoura, e... corte
Minha singularíssima pessoa.
Que importa a mim que a bicharia roa
Todo...
Dissolva-se, portanto, minha vida
Igualmente a uma célula caída
Na aberração de um óvulo infecundo;
Mas o agregado abstrac...
O Pré - Modernismo - Professora Vivian Trombini
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Pré - Modernismo - Professora Vivian Trombini

4.613 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

O Pré - Modernismo - Professora Vivian Trombini

  1. 1. ProfªVivianTrombini O PRÉ-MODERNISMO
  2. 2. O que você deverá saber ao final deste estudo. 1. O que foi o Pré-Modernismo. Por que o Pré-Modernismo não é considerado uma estética literária. 2. Como se caracterizou a obra de Euclides da Cunha. De que modo Os Sertões aproximam jornalismo e literatura e, ao mesmo tempo, conservam características do Naturalismo.
  3. 3. 3. Que retrato da sociedade brasileira é feito por Lima Barreto. Como a interação entre acontecimentos históricos e personagens ficcionais define a obra de Lima Barreto. 4. Como as cidades do interior aparecem na obra de Monteiro Lobato. Por que Jeca Tatu se tornou uma personagem “imortal” da literatura brasileira.
  4. 4. 5. Quais são as características da obra de Augusto dos Anjos. De que modo sua poesia associa a crença na ciência e indagações filosóficas.
  5. 5. CONTEXTO HISTÓRICO: *1896 – Primeira expedição contra Canudos; *1897 – Destruição de Canudos; *1903 – Greves por melhores condições de trabalho;
  6. 6. *1904 – Revolta da Vacina, no Rio de Janeiro; *1907 – Aprovada a lei que permitia a expulsão de operários estrangeiros acusados de agitação; *1910 – Revolta da Chibata no Rio de Janeiro;
  7. 7. *1912 – Paralisações – greves operárias; *1913 – Decretado estado de sítio para controlar as greves; *1913 – Henry Ford implanta a linha de montagem em suas fábricas; *1917 – Queima de milhares de sacas de café para evitar a queda do preço.
  8. 8. *A REFORMA DAS CIDADES - Deslocamento de muitas famílias pobres para os grandes centros; - Favelas criadas para abrigar ex- escravos e migrantes do interior ; - Importação de mão de obra europeia.
  9. 9. *OS CONFLITOS NO NORDESTE - Seca; - Antônio Conselheiro; - Guerra de Canudos – cerca de 25 mil mortos; - O cangaço.
  10. 10. *A RIQUEZA DA BORRACHA E DO CAFÉ - Amazônia – extração de borracha; - São Paulo – café – industrialização – imigração; - Antagonismo entre regiões urbanizadas, desenvolvidas e vastas áreas pobres.
  11. 11. PROJETO LITERÁRIO - Representar o país (mostrar o Brasil aos brasileiros); - Ausência de idealização (crítica à realidade social e econômica) - Personagens que ainda não haviam aparecido na literatura (pequeno funcionário público, imigrantes, caboclos, sertanejos sem idealização).
  12. 12. OS AGENTES DO DISCURSO - Interesse por notícias; - Literatura da diversidade; - Telégrafo (ajudando na divulgação de notícias pelo Brasil); - Fotografia; - Cinema.
  13. 13. LINGUAGEM - Torna-se mais objetiva, direta, precisa (texto jornalístico); - Utilização de um português mais “brasileiro”.
  14. 14. EUCLIDES DA CUNHAEUCLIDES DA CUNHA 1902 – “Os Sertões” *Visão determinista – homem é fruto do ambiente; *Tratado científico – características do solo; *Investigação socioantropológica – caracteriza o sertanejo; *Matéria jornalística – registra em detalhes as lutas; * Texto literário – capta em suas descrições a sinceridade da alma do sertanejo.
  15. 15. ESTRUTURA DO LIVRO *A Terra * O Homem * A Luta - Linguagem: barroco científico – expressões que sugerem conflito interior que não pode ser solucionado.
  16. 16. LIMA BARRETOLIMA BARRETO *Retrata os subúrbios cariocas; * Subúrbios – compostos pela classe média (funcionários públicos, professores, moças à espera de casamento etc.) * Verdadeiros mecanismos de interação social típicos do Brasil do início do séc. XX.
  17. 17. * RECORDAÇÕES DO ESCRIVÃO ISAÍAS CAMINHA *CLARA DOS ANJOS *TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA
  18. 18. MONTEIRO LOBATOMONTEIRO LOBATO *Carreira jornalística e, posteriormente, literária; *Conhecimento do interior (região do Vale do Paraíba); * Companhia do petróleo nacional.
  19. 19. * URUPÊS – Jeca Tatu; *CIDADES MORTAS; *O PRESIDENTE NEGRO; *SITIO DO PICAPAU AMARELO
  20. 20. AUGUSTO DOS ANJOSAUGUSTO DOS ANJOS * Paraíba; * Professor de literatura; * “Eu” * Influências simbolistas * Gosto por imagens fortes; * Construção formal do poema; *Fenômeno isolado.
  21. 21. *Divagações metafísicas; *Angústia existencial;
  22. 22. O DEUS VERME Fator universal do transformismo. Filho da teleológica matéria, Na superabundância ou na miséria, Verme - é o seu nome obscuro de batismo. Jamais emprega o acérrimo exorcismo Em sua diária ocupação funérea, E vive em contubérnio com a bactéria, Livre das roupas do antropomorfismo.
  23. 23. Almoça a podridão das drupas agras,  Janta hidrôpicos, rói vísceras magras  E dos defuntos novos incha a mão... Ah! Para ele é que a carne podre fica,  E no inventário da matéria rica  Cabe aos seus filhos a maior porção!
  24. 24. BUDISMO MODERNO Tome, Dr., essa tesoura, e... corte Minha singularíssima pessoa. Que importa a mim que a bicharia roa Todo meu coração, depois da morte?! Ah! Um urubu pousou na minha sorte! Também, das diatomáceas da lagoa A criptógama cápsula se esbroa Ao contacto de bronca dextra forte!
  25. 25. Dissolva-se, portanto, minha vida Igualmente a uma célula caída Na aberração de um óvulo infecundo; Mas o agregado abstracto das saudades Fique batendo nas perpétuas grades Do último verso que eu fizer no mundo!

×