Hospedagem Mobile Marketing - FGV Paulista T1

229 visualizações

Publicada em

Trabalho do módulo de mobile marketing, FGV, Paulista T1

Publicada em: Marketing
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hospedagem Mobile Marketing - FGV Paulista T1

  1. 1. Hospitalidade Paulista 01 – Marketing Digital Adriane Rocha Ana Elisa Teixeira Elisa Klabunde Giselli Souza Raquel Garcia Viviane Santos
  2. 2. Cenário pré-mobile  O mercado de hospedagem antes da internet exigia a intermediação de um agente de viagem ou contato direto com os hotéis o que levava uma concentração maior em poucos players;  Com a chegada da internet houve uma multiplicação desses players e, consequentemente, um aumento da concorrência;  A internet trouxe, ainda, a possibilidade do contato direto com os hotéis e de “reviews” de avaliação dos usuários;  Os novos players foram além das agências, operadoras e hotéis. A web possibilitou a entrada de um novo modelo de negócios: aluguel de apartamentos e casas por pessoas físicas, ex. Airbnb, além do compartilhamento de experiência em sites de reservas de diárias, ex. Booking;
  3. 3. *Baseado em uma pesquisa americana da Mary Meeker, extraímos alguns dados de 2013, que apontam as principais tendências da internet global para o ano de 2014. Veja os principais pontos abaixo.  Houve um crescimento considerável de mais de 20% de smartphones em países como Brasil, China, Indonésia e Índia;  O acesso à internet móvel deve acelerar ainda mais esse ano, influenciado pelo consumo de vídeos em smartphones e tablets;  A internet móvel cresceu globalmente 14% a mais do que no ano anterior;  Para acompanhar, a publicidade on-line cresceu 16% globalmente de um ano ao outro;  A adoção de computadores desktop está estagnando ano após ano;  Mas a adoção de tablets acelera, com produção 52% maior que no ano anterior;  68% do faturamento total de tecnologia móvel vem de aplicativos; o restante é de publicidade;  Especialistas não estão prevendo uma “bolha na internet”, como a que aconteceu no ano 2000; o mercado está bastante estável;  A internet está reestruturando indústrias sólidas como a hoteleira, de transporte e comércio. As pessoas tomam a maior parte das decisões online e muitos sites/aplicativos vem redefinindo esses comportamentos. Por exemplo, a indústria hoteleira foi impactada pelo Airbnb, no comércio eletrônico mundial o impacto veio do Alibaba, nos transportes tem aplicativos como o Uber, o 99taxi e o Waze; *fonte site www.nibo.com.br A disruptura
  4. 4. A disruptura Dados de 2012 http://blog.funsherpa.com/2012/07/travel- infographic/?utm_source=House&utm_mediu m=Social&utm_campaign=Twitter
  5. 5. A disruptura  O crescimento do uso de smartphones e tablets impactou diretamente o mercado de hotelaria;  A criação de blogs especializados em viagens também ajudou a acelerar o processo. Segundo uma pesquisa elaborada pela ABBV (Associação Brasileira dos Blogs de Viagem), que reúne os 40 blogs mais relevantes do país, 70% dos leitores utilizam os blogs como fonte de consulta de informação;  O mobile aproximou o cliente ainda mais do serviço de hospedagem;  Criou a possibilidade de se efetuar reservas, check-in ou check-out, ou até mesmo fazer um tour virtual pelo empreendimento;  Empresas de viagem viram-se obrigadas a criarem aplicativos móveis;  Maior comunicação entre empreendimento e o cliente com a facilidade de chat on-line, comentários e avaliações de serviços no aplicativo;  Compartilhamento de informações e dúvidas entre os próprios hóspedes;  Facilidade de encontrar uma hospedagem caso prefira localização, preço ou algum serviço específico;  Compras coletivas: em 2011, o mercado de compras coletivas no Brasil passou a oferecer venda de hospedagem e passagem aérea aproveitando o momento de grandes investimentos no setor.
  6. 6. A disruptura  Airbnb – Possibilidade de ter uma experiência de viagem local, segura, barata e inovadora. Antigamente esse serviço só era possível no boca a boca ou via anúncios em sites e e-mails.  Trivago, booking, hoteis.com, decolar.com , entre outras- Pesquisa de hotéis do jeito que o hóspede quer com apenas um clique. Facilidade, segurança e comodismo na hora da reserva.  Trippics– Rede social de compartilhamento de experiências de viagem.  TripAdvisor- Maior site de experiência de viagens do mundo, conta também com aplicativo, com conteúdo feito exclusivamente por pessas que tiveram a experiência. Opção de debates, colocar notas, fotos, sugestões, críticas, vídeos e busca para atividades próximas a você.
  7. 7. A disruptura As mídias sociais ocupam lugar de destaque na disruptura no segmento de hospedagem, ao permitir o compartilhamento das experiências do usuário em tempo real, sendo uma fonte de informações e canal de marketing de agências de viagem e profissionais especializados. Após o boom do facebook, o instagram (mídia social totalmente mobile) cresce vertiginosamente no segmento, por aliar a fotografia como item obrigatório em qualquer viagem.
  8. 8. A disruptura Após o boom do facebook, o instagram (mídia social totalmente mobile) cresce vertiginosamente no segmento, por aliar a fotografia como item obrigatório em qualquer viagem. Há espaço, inclusive, para o surgimento de uma nova profissão, a de “instagrammer profissional”.
  9. 9. A ubiquidade  Busca e cotação a qualquer hora: com o aumento do acesso à internet, aplicativos, e de uso de smartphones a busca, negociação, locação etc passou a ser possível a qualquer hora em qualquer lugar.  Já é tão natural, quanto rotineiro: hoje com uma simples busca pela internet ou no aplicativo você pode selecionar a casa, apartamento, pousada, que deseja, em qualquer lugar do mundo.  Pagamentos on-line, a qualquer hora: você compara preços e efetua pagamentos sem sair da comodidade da sua casa, trabalho etc, sem necessidade de usar o telefone e ligar para confirmar com a pessoa.  Planeja toda sua viagem: As pessoas cada vez mais usam o celular para planejar suas atividades futuras, isso incluí as viagens e hospedagens.  Utilização das mídias sociais: O compartilhamento da experiência da viagem é automática nas mídias sociais, especialmente Facebook e IG É estar presente ao mesmo tempo em todos os lugares. É natural, tornou-se invisível, já foi absorvido no nosso cotidiano. Já não é uma tecnologia.
  10. 10. Novos Modelos de Negócios  Os aplicativos e os sites de viagem estabeleceram um novo de modelo de negócios.  Obrigaram os demais players a atualizarem-se, além de criarem canais de comunicação similares, como o app próprio da redes de hotéis Accor.  São obrigados a fornecer canais mais diretos de atendimento, sem a intermediação do passado.  Passaram a ser obrigados à dar uma nova experiência para esse consumidor, similar a dos concorrentes.
  11. 11. Mudança na Proposta de Valor  Com o aumento no uso de tablets e smartphones, o usuário do setor de hospedagem ganhou tempo e, principalmente, autonomia;  Por não existir a necessidade de um intermediário (agência de turismo, por exemplo), o internauta passa a ter controle sobre preços e a busca por melhores vantagens ganha destaque;  O processo de negociação acontece apenas no meio virtual, sendo o celular a “ponte” com a realidade. .

×