Aula III - CP

248 visualizações

Publicada em

Terceira aula de criação publicitária da uniron

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
248
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • “Talento é 1% inspiração e 99% transpiração” Thomas Edison
    Criatividade não se aprende. Ou você é, ou não é criativo - Pensar assim, evita ter que transpirar
    Criatividade é um dom da espécie humana.

    Mitos sobre a criatividade
    Para ser criativo é necessário ser um rebelde, louco, gênio ou artista. As pessoas nascem criativas, ou não. A criatividade não pode ser aprendida. Criatividade requer um elevado nível de inteligência.
  • Criatividade e Inovação. Criatividade: processo mental de geração de novas ideias por indivíduos ou grupos. Inovação: implementação de ideias criativas com a finalidade de gerar valor. Criatividade é pensar coisas novas; inovação é fazer coisas novas e valiosas
  • Diferentes modos de pensar a criatividade:
    criatividade enquanto atitude
    a pessoa criativa
    criatividade enquanto processo
    o processo criador
    criatividade enquanto produto
    o produto criado
  • A criatividade desenvolve-se e promove-se através do desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes.
  • Não há uma só definição para a criatividade.
    No senso comum - capacidade do ser humano em exprimir-se de uma forma original.
    Autores - a criatividade é o processo de gerar ideias novas e manifestá-las, criando algo como resultado.
    a criatividade depende da inteligência, porque ser inteligente é ser capaz de interligar e, que em latim significa a capacidade de relacionar ou associar conceitos, proporções e/ou coisas .
    A criatividade é uma condição do ser humano, que se manifesta de diversas maneiras e que produz diversos efeitos
  • É a capacidade de combinar sons e imagens de forma subjetivamente nova, independentemente de qualquer conexão lógica como mundo exterior.
    Criações não têm necessariamente que servir para alguma coisa, como solucionar um problema, dar retorno financeiro, etc.
    Ex: Combinar letras para inventar uma palavra;
    Combinar duas ou mais imagens para formar uma nova (imagine um jacaré comendo um tomate);


    Já a criatividade aplicada consiste tipicamente em elaborar operações que conduzem de uma situação a outra (de uma situação-problema para uma solução).
    A criatividade aplicada em geral está associada à observação de regras, padrões e limites, como:
    construir frases com significado e estrutura;
    construir melodias harmônicas e rítmicas;
    observar valores éticos e morais;
    usar recursos disponíveis.
  • Confiança no seu potencial criativo
    Curiosidade
    Ceticismo saudável
    Descontentamento construtivo
    Disposição para enfrentar desafios
    Disposição para experimentar
    Perseverança
    Eterno aprendiz
  • São atitudes e pensamentos que atrapalham o desenvolvimento de atitudes criativas e a quebra de paradigmas.
    Normalmente estão relacionados a velhos paradigmas.
    Faz-se importante largar o freio de mão para evitar paralisia de paradigmas.

    Alguns bloqueios são criados por nós mesmos: temores, percepções, preconceitos, experiências, emoções, etc. Outros são criados pelo ambiente: tradição, valores, regras, falta de apoio, conformismo, entre outros.
  • Segundo Jairo Siqueira
  • Ex.: Nós não pensamos ou agimos desta forma.
    Nossa forma de pensar é o certo.
    Respeitamos nossas tradições.
    Não se mexe em equipa que está ganhando.
  • Distrações no ambiente de trabalho, reais ou imaginárias.
    Ambiente de trabalho opressivo, inseguro, desagradável.
    Atitudes inibidoras à expressão de sentimentos, emoções, humor e fantasia.
    Autoritarismo, estilos de liderança inibidores.
    Falta de apoio, cooperação e confiança.
    Rotina estressante.
  • Podem resultar de vários fatores:
    Falta de informação e pouco conhecimento sobre o problema ou situação analisada.
    Informação incorreta ou incompleta.
    Fixação profissional ou funcional, isto é, procurar soluções unicamente dentro dos limites de sua especialização ou campo de atividade.
    Crença de que para todo problema só há uma única solução válida.
    Uso inadequado ou inflexível de métodos para solução de problemas.
    Inabilidade para formular e expressar com clareza problemas e ideias.


    1 –A RESPOSTA CERTA
    Nada é mais perigoso do que uma ideia quando ela é a única que você tem.
    Para pensar melhor, precisamos de diferentes pontos de vista.
    Muita gente para de procurar respostas alternativas depois que encontra a primeira.
    Um bom jeito de ser mais criativo é procurar a segunda resposta certa.
    As respostas que você encontra dependem das perguntas que faz.
  • Medo de correr riscos
    Receio de parecer tolo ou ridículo.
    Dificuldade em isolar o problema.
    Desconforto com incertezas e ambiguidades. Negativismo: procura prematura de razões para o fracasso, por que não vai dar certo. Inabilidade para distinguir entre realidade e fantasia.
  • Exemplos:
    Estereótipos: ignorar que um objeto pode ter outras aplicações além de sua função usual.
    Fronteiras imaginárias: projetamos fronteiras no problema ou na solução que não existem na realidade.
    Sobrecarga de informação: excesso de informações e de detalhes que restringem a solução que pode ser considerada.
  • Dinâmica do copo com água no de percepção
  • Aula III - CP

    1. 1. CRIATIVIDADE COMO PROCESSO
    2. 2. NA ÚLTIMA AULA…
    3. 3. De onde vêm as GRANDES IDEIAS? Inspiração divina? Dom pessoal? Talento natural? Elas estão no Google? Eu posso ter uma? Isso não é coisa pra GÊNIOS?
    4. 4. Criatividade x Inovação INOVAÇÃO ≠ CRIATIVIDADE processo ≠ capacidade
    5. 5. A importância da criatividade encontrar maneiras de fazer mais com menos; reduzir custos; simplificar processos e sistemas; aumentar a lucratividade; encontrar novos usos para produtos antigos; encontrar novos segmentos de mercado; diferenciar seu currículo; desenvolver novos produtos.
    6. 6. Humm! Quem é criativo? a criatividade faz parte de um processo de aprendizagem, a partir de um ambiente propício ao seu desenvolvimento e de um estímulo constante a geração de novas ideias.
    7. 7. E declínio da criatividade 0 20 40 60 80 100 5 anos 10 anos 15 anos "+25 anos 98 30 12 2 Percentagem de pessoas muito criativas Fonte: Ponto de Ruptura e Transformação, George Land
    8. 8. TRISTE CONCLUSÃO! Criatividade Idade Ao longo da nossa Vida, desaprendemos a ser criativo
    9. 9. O que é criatividade? 1. A capacidade de produzir coisas novas e valiosas; 2. O ato de unir duas coisas que nunca haviam estado unidas e tirar daí uma terceira coisa; 3. A capacidade de desestruturar a realidade e reestruturá-la de outras maneiras; 4. Uma técnica de resolver problemas; 5. Uma capacidade inata (?) que é bloqueada por influências culturais e ambientais.
    10. 10. Tipos de criatividade Pura = Involuntária - Insight criativo (a criatividade pura vem antes da aplicada). Aplicada = Voluntária (Resolver um problema específico)
    11. 11. Criatividade Aplicada • Já a criatividade aplicada consiste tipicamente em elaborar operações que conduzem de uma situação a outra (de uma situação-problema para uma solução). • A criatividade aplicada em geral está associada à observação de regras, padrões e limites, como: • construir frases com significado e estrutura; • construir melodias harmônicas e rítmicas; • observar valores éticos e morais; • usar recursos disponíveis.
    12. 12. ATIVIDADE Ler o capitulo I do livro Do Caos à Criação Publicitária – João Carrascoza
    13. 13. O QUE DESTACAR DO QUE LEMOS?
    14. 14. O Reino das Ideias Bricoleur, do francês, significa uma pessoa que faz todo o tipo de trabalho, trabalhos manuais. Bricoler, um verbo, tem o sentido de ziguezaguear, fazer de forma provisória, falsificar, traficar. Ou, jogar por tabela, utilizar meios indiretos, tortuosos e rodeios . Publicitário = Bricoleur
    15. 15. O Reino das Ideias “O bricoleur é aquele que trabalha com suas mãos, utilizando meios indiretos e comparados com os do artista” (Lévi-Strauss, 1989) Publicitário = Bricoleur
    16. 16. O Reino das Ideias Estamos, portanto, falando de: desvio dos meios costumeiros e literais, meios indiretos, trabalho manual e artesanal, “faça você mesmo”, sucata, desmontar e montar, antiguidades e artigos de segunda-mão. Comércio. Jogo e movimento incidental. Improvisos. Publicitário = Bricoleur
    17. 17. O Reino das Ideias Bricolagem é a operação intelectual por excelência da publicidade
    18. 18. CONCEITOS O Criativo é um ‘adequador’ de linguagem.” (Washington Olivetto)“
    19. 19. WAIT A MINUTE Vamos entender primeiro o pensamento no processo criativo.
    20. 20. Pensamentos Pensamentos convergente e divergente = yin-yang da criatividade
    21. 21. Pensamentos O processo criativo é formado por dois tipos distintos de pensamento que se complementam: o pensamento divergente, o yin, e o pensamento convergente, o yang.
    22. 22. Pensamentos
    23. 23. Pensamento divergente: a criação de opções O pensamento divergente tem o propósito de criar opções, abrir e explorar novos caminhos e gerar uma grande quantidade e diversidade de ideias.
    24. 24. Pensamento convergente: fazendo as escolhas O pensamento convergente é uma forma prática de decidir entre as alternativas existentes. É o momento de analisar criticamente e julgar as ideias geradas na etapa do pensamento divergente e selecionar as melhores ideias.
    25. 25. Pensamento convergente: fazendo as escolhas O sucesso de uma sessão de criatividade, está fortemente condicionado à separação rigorosa da fase de geração de ideias da fase de julgamento e seleção das ideias geradas, de tal modo que se complementem, mas cada uma agindo no seu devido momento.
    26. 26. AINDA TEMOS ASSUNTO…..
    27. 27. Atitudes da pessoa criativa A pessoa criativa tem sempre como premissas pessoais: • Otimismo • Tolerância • Questionamento aos modelos prontos • Auto exigência • Comunicabilidade • Iniciativa e persistência • Coragem para correr riscos • Capacidade de associações de ideias
    28. 28. Bloqueios Bloqueios mentais são obstáculos que nos impedem de perceber corretamente o problema ou conceber uma solução.
    29. 29. Bloqueios Os bloqueios mentais podem ser classificados em cinco categorias: • Bloqueios culturais • Bloqueios ambientais e organizacionais • Bloqueios intelectuais e de comunicação • Bloqueios emocionais • Bloqueios de percepção
    30. 30. Bloqueios culturais São barreiras que impomos a nós mesmos, geradas por pressões da sociedade, cultura ou grupo a que pertencemos. Eles nos levam à rejeição do modo de pensar de pessoas ou grupos diferentes.
    31. 31. Bloqueios ambientais e organizacionais Resultantes das condições e do ambiente de trabalho (físico e cultural):
    32. 32. Bloqueios intelectuais e de comunicação Inabilidade para formular e expressar com clareza problemas e ideias.
    33. 33. • Exercício: Na sequência abaixo, corte seis letras, de forma que as que ficarem formem uma palavra, sem alterar a ordem: B S A E N I S L A E N T R A A S
    34. 34. B S A E N I S L A E N T R A A S B S A E N I S L A E N T R A A S
    35. 35. Bloqueios emocionais Resultantes do desconforto em explorar e manipular ideias.
    36. 36. Bloqueios de percepção Obstáculos que nos impedem de perceber claramente o problema ou a informação necessária para resolvê-lo. Inabilidade para ver o problema sob diversos pontos de vista.
    37. 37. ATIVIDADE Ler uma poesia (Autor conhecido ou desconhecido) e trazer na próxima aula o poema com as palavras da atividade em sala
    38. 38. Nossos compromissos do Bimestre Ler o livro o Nome da Marca e de confirmar seu horário no portal do aluno. O plano de ensino e o cronograma estarão no portal na terça-feira.

    ×