Apresentação Estratégia de Comunicação da Perdigao e Sadia

8.481 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.481
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
59
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Estratégia de Comunicação da Perdigao e Sadia

  1. 1. Estratégia de Comunicação: Para os Fornecedores da Sadia e Perdigão.
  2. 2. Apresentação <ul><li>Após meses de negociações e muitas idas e vindas dos advogados das empresas Sadia e Perdigão. É assinado o contrato da fusão entre duas das maiores empresas de alimentos do Brasil, ficando na colocação da décima maior empresa das Américas, segunda maior empresa alimentícia do Brasil com uma previsão de ganhos de mais de 23 bilhões </li></ul><ul><li>O Brasil Foods (novo nome da fusão entre as duas empresas), passa a ser a maior produtora e exportadora mundial de carne de frango e uma das principais processadoras de carne de porco. Pelo acordo, 68% do capital da nova empresa ficará com acionistas da Perdigão e 32% com acionistas da Sadia. O presidente da Sociedade Rural Brasileira, Cesário Ramalho, avalia que os produtores não podem ser manipulados pelo mercado. </li></ul><ul><li>As empresas brasileiras estão entrando para valer no jogo global, o qual requer um esforço dos concorrentes para competir com esta globalização. Sindicatos, clientes e fornecedores comentam as fusões com preocupação, avaliando os possíveis impactos nos públicos de interesse e na sociedade como um todo. </li></ul>
  3. 3. Fornecedores <ul><li>Para fornecedores da Sadia e da Perdigão, a criação de um gigante do setor de alimentos aumenta a expectativa do crescimento da produção com a compra de mais matéria-prima e contratação de mais funcionários entre os produtores integrados. </li></ul><ul><li>Na opinião do coordenador de comercialização de leite da cooperativa Castrolanda, Rogério Marcus Wolf, que fornece cerca de 4 milhões de litros de leite por mês para a Perdigão, em Carambeí, nos Campos Gerais, a fusão mostra a consolidação da marca. Ele acredita que o negócio não trará impactos negativos para o setor. </li></ul><ul><li>Já o presidente da Associação de Avicultores da região de Piraí do Sul, Jurandi Kravutschke Marcondes, analisa que a fusão não surtirá efeito entre os integrados no curto prazo. “Alguma coisa deve mudar, mas, por enquanto, para nós será muito bom porque as empresas vão se fortalecer”, acrescenta. Na região dos Campos Gerais, a Perdigão possui cerca de 600 fornecedores de frangos e perus e 40 granjas de suínos. </li></ul>
  4. 4. Fornecedor Céu azul Alimentos <ul><li>A Céu Azul Alimentos, com sede em Sorocaba (SP), abatia 1 milhão de frangos por semana até a Sadia S.A. avisar que não compraria mais a produção da empresa, segundo conta Franke Pavan, diretor-operacional da Céu Azul. &quot;Prestávamos serviço há cinco anos para a Sadia que ocupava 20% da nossa capacidade de abate e agora reduzimos em 15% e demitimos 20 funcionários&quot;, relata Pavan. A empresa, que tem produção e abate de frangos, tem 3 mil colaboradores e, de acordo com Pavan, está &quot;tentando suportar esse cenário, sem dispensar mais gente&quot;. Ele afirma não ter recebido nenhuma sinalização da Sadia sobre quando retornaria a comprar animais. &quot;Mas agora nós é que não temos mais interesse. Na época mais difícil, a empresa nos abandona&quot;, reclama Pavan. Ele conta que na época da gripe aviária, em 2005, a Sadia apenas reduziu compras da Céu Azul, diferentemente do que está ocorrendo agora. </li></ul><ul><li>A Sadia informou que não possui contrato com a Céu Azul, que é apenas um fornecedor temporário da companhia. De acordo com a assessoria da Sadia, em 2008 a empresa tinha cinco parceiros em abates de animais, ou seja, com a prestação de serviço prevista em contrato. Com o fim do contrato de dois anos com a Globoaves, a empresa tem agora quatro parceiros. A assessoria da companhia informou que não está previsto nenhum rompimento, mas sim, renegociação dos contratos visando à redução da produção. </li></ul>
  5. 5. Notas Para a Imprensa <ul><li>Pouco foi divulgado para imprensa em relação à fusão, não ouve uma comunicação estratégica de nenhuma das empresas, todos públicos envolvidos foram informados ao mesmo tempo através da imprensa em notas divulgadas pelas empresas. Uma das notas divulgadas pela empresa foi esta: </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Nota </li></ul><ul><li>Por: Rafael de Souza Ribeiro 19/05/09 - 08h49 InfoMoney </li></ul><ul><li>SÃO PAULO - Em comunicado conjunto, Perdigão (PRGA3) e Sadia (SDIA4) informaram que haverá nesta terça-feira (19), às 10h30, horário de Brasília, uma coletiva para detalhar &quot;o negócio realizado entre as duas empresas&quot;. Na ocasião, estarão presentes os presidentes dos conselhos de administração dos dois conglomerados, Nildemar Secches, da Perdigão, e Luiz Fernando Furlan, representante da Sadia. EM todos os jornais a única noticia dada pela assessoria das empresa era: </li></ul><ul><li>Segundo publicado pela mídia brasileira nesta manhã, a fusão entre as duas empresas já é certa. A nova companhia deverá chamar Brasil Foods e resultará da compra da Sadia pela Perdigão por meio da troca de ações. </li></ul>
  7. 7. Compromisso da Perdigão com novos fornecedores <ul><li>As duas empresas ainda estão se ajustando para atuar, mas já assumiram a aquisição dos animais. A equipe da Sadia na unidade em Várzea Grande, no Mato Grosso, ficou responsável pela formação de uma lista de fornecedores. A Perdigão, por sua vez, organizou um departamento para cuidar exclusivamente da compra dos bois e da comercialização da carne. &quot;A idéia é selecionar criadores principalmente em confinamentos&quot;, diz Nildemar Secches, presidente da Perdigão. Duas preocupações são prioritárias para ambas empresas: garantir a sanidade dos animais e a qualidade da carne. &quot;Sanidade e qualidade são os grandes trunfos do Brasil e precisamos preservá-los&quot;, diz Alfredo Felipe da Luz Sobrinho, diretor de relações institucionais da Sadia. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Público Alvo : Fornecedores da área alimentícia. </li></ul><ul><li>Objetivo </li></ul><ul><li>Para que os impactos desta fusão não seja devastador, faremos uma estratégia de comunicação para os fornecedores das duas empresas. Explicando a eles através de comunicação dirigida. Ou seja,a correspondência para os fornecedores no intuito de tranqüilizá-los quanto aos objetivos da fusão das empresas.Esperamos com isto informa-los que somos vencedores também por causa dos esforços deles. </li></ul><ul><li>Release da correspondência </li></ul><ul><li>Caro (nome do fornecedor) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>Como já é de conhecimento de todos,a Perdigão e a Sadia se uniram recentemente com a particularidade de imediato a ampliar mercados,por isso,neste momento de união,queremos deixar claro que não pretendemos excluir nenhum contrato com nossos fornecedores. </li></ul><ul><li>Atenciosamente (nome do remetente) </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Desenvolvimento </li></ul><ul><li>A comunicação entre este público será feita sempre que tiverem novas noticias pertinentes a eles, e as correspondências serão enviadas se o assunto em questão não for urgente, se for usaremos mala direta para que a informação chegue rapidamente e o feed back seja de imediato, assim não poderá haver falhas na comunicação e nem vazamentos de informações. </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul><ul><li>Com base em toda a comunicação dirigida, a imagem desta associação tem que ser a melhor possível, usando uma comunicação estratégica pára cada um de seus públicos , mantendo a transparência e os assuntos atualizados com a finalidade de tranqüilizar seus públicos que são: fornecedores, funcionários, clientes, acionistas e governo. </li></ul>

×