Aula 9 – Componentes de um computador

1.423 visualizações

Publicada em

Aula 9 – Componentes de um computador, disciplina Organização de Computadores, do curso Técnico de Informática do Pronatec da Anhanguera

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.423
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
397
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
98
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 9 – Componentes de um computador

  1. 1. Técnico em Informática Organização de Computadores Aula 9 – Componentes de um computador Prof. Vitor Hugo Melo Araújo
  2. 2. CHIPSETS  Afinal de contas, o que é um chipset?  Quais são as suas funções?  Qual é a sua importância?  Qual é a sua influência no desempenho do Computador?
  3. 3. CHIPSETS  Chipset é o nome dado ao conjunto de chips (set significa “conjunto”, daí o seu nome) usado na placa- mãe.  Nos primeiros PCs, a placa mãe usava circuitos integrados discretos.  Após algum tempo os fabricantes de chips começaram a integrar vários chips dentro de chips maiores.  Com o lançamento do barramento PCI, um novo conceitos, que ainda hoje em dia é utilizado, pode ser empregado pela primeira vez: a ulização de pontes.
  4. 4. CHIPSETS Placa mãe de um PC XT.
  5. 5. CHIPSETS Placa mãe de um 486. Este modelo usa apenas dois chips grandes
  6. 6. CHIPSETS - FABRICANTES  Os chipsets são fabricados por diversas empresas, como:  ULi (atualmente Ali)  Intel  VIA  SiS  ATI  NVIDIA
  7. 7. PLACA MÃE X CHIPSETS  A maioria das pessoas confundem o fabricante do chipset com o fabricante da placa-mãe.  ASUS, ECS, Gigabyte, MSI, DFI, Chaintech, PCChips, Shuttle e também a Intel são alguns dos vários fabricantes de placas-mãe presentes no mercado
  8. 8. PONTE NORTE  O chip ponte norte, também chamado de MCH (Memory Controller Hub, Hub Controlador de Memória) é conectado diretamente ao processador e possui basicamente as seguintes funções:  Controlador de Memória – Exceto para processadores soquete 754, 939 e 940 (processadores da AMD, como é o caso do Athlon 64) já que o controlador de memória está localizado no próprio processador.  Controlador do barramento AGP (se disponível)  Controlador do barramento PCI Express x16 (se disponível)  Interface para transferência de dados com a ponte sul.
  9. 9. PONTE NORTE
  10. 10. PONTE NORTE  A ponte norte tem influência direta no desempenho do micro.  Este chip que limita o tipo e a quantidade máxima de memória.
  11. 11. PONTE SUL  O Chip ponte sul, também chamado ICH (I/O Controller Hub, Hub Controlador de Entrada e Saída) é conectado à ponte norte e sua função é basicamente controlar os dispositivos on-board e de entrada e saída tais como:  Discos Rígidos (Paralelo e Serial ATA)  Portas USB  Som On-Board  Rede On-Board  Barramento PCI  Barramento PCI Express (se disponível)  Barramento ISA (se disponível)  Relógio de Tempo Real (RTC)  Memória de Configuração (CMOS)
  12. 12. PONTE SUL  A ponte sul é também conectada a dois outros chips disponíveis na placa-mãe: o chip de memória ROM, mais conhecido como BIOS e o chip Super I/O, que é o responsável por controlar dispositivos antigos como portas seriais, porta paralela e unidade de disquete.
  13. 13. PONTE SUL
  14. 14. PONTE SUL  A ponte sul tem mais a ver com as funcionalidade da placa-mãe do que com o desempenho.  É a ponte sul que determina quantidade (e velocidade) das portas USB e a quantidade e tipo ( ATA ou Serial ATA) das portas do disco rígido que a sua placa-mãe possui.
  15. 15. CONEXÃO ENTRE AS PONTES  A comunicação entre a ponte norte e a ponte sul era feita através do barramento PCI
  16. 16. CONEXÃO ENTRE AS PONTES  Mas quando placas de vídeo (até então as placas de vídeo eram PCI) e discos rígidos de alto desempenho foram lançados, foi criado um “gargalo” no barramento PCI.  Para placas de vídeo de alto desempenho, a solução foi a criação de um novo barramento conectado diretamente a ponte norte, chamado AGP ( Accelerated Graphics Port, Porta Gráfica Acelerada).
  17. 17. CONEXÃO ENTRE AS PONTES
  18. 18. CONEXÃO ENTRE AS PONTES  Barramento Dedicado: Os fabricantes adotam nomes diferentes para esse barramento:  Intel: DMI (Direct Media Interface)  Uli/Ali: HyperTransport  VIA: V-Link  SiS: MuTIOL (*)  ATI: A-Link ou PCI Express  NVIDIA: HyperTransport (*) (*) Alguns chipsets da NVIDIA e da SiS são formados apenas por um único chip, ou seja, tanto as funções da ponte norte quanto as funções da ponte sul estão integradas em apenas um chip.
  19. 19. CMOS  Nos primeiros PCs os dados referentes à quantidade e velocidade das memórias, HD’s instalados, etc., eram configurados através de jumpers na placa-mãe. Isso era complicado. Para facilitar, foi criado o SETUP, que permite configurar facilmente o sistema.  A função da CMOS é armazenar os dados do SETUP pra que não sejam perdidos.
  20. 20. CMOS  CMOS é uma pequena quantidade de memória RAM, cerda de 128 bytes, geralmente embutida no chip da BIOS. Como a memória RAM é volátil, a CMOS é alimentada por uma bateria, o que evita a perda dos dados. Como uma bateria não dura pra sempre, de tempos em tempos ela fica fraca e é necessário trocá-la.
  21. 21. BIOS  BIOS (Basic Input/Output System – Sistema Básico de Entrada e Saída)  Um conjunto de rotinas utilizadas para acesso aos componentes do computador  São utilizados pelo sistema operacional ou por chamadas de interrupção todas as vezes em que se tornar necessário o acesso à algum circuito da placa- mãe ou de placas periféricas.  O BIOS deve ser adequado à placa-mãe na qual se encontra instalado e, por isso mesmo, é fornecido pelo fabricante da placa-mãe.
  22. 22. POST  POST (Power On Self Test – Teste automático ao ligar) é uma sequência de teste ao hardware de um computador, realizada pela BIOS.  Responsável por verificar preliminarmente se o sistema se encontra em estado operacional.  Se for detectado algum problema durante o POST a BIOS emite uma certa sequência de bips sonoros.  É o primeiro passo de um processo mais abrangente designado IPL (Initial Program Loading - carga inicial do programa), booting ou bootstrapping.
  23. 23. POST  Alguns dos testes do POST incluem:  Identifica a configuração instalada;  Inicializa todos os dispositivos periféricos de apoio da placa-mãe;  Inicializa a placa de vídeo;  Testa memória, teclado;  Carrega o sistema operacional para memória;  Entrega o controle do microprocessador ao sistema operacional.
  24. 24. POST
  25. 25. POST  Como funciona o POST • 1º - Quando ligamos o PC um sinal elétrico percorre um caminho programado até a CPU, passando pela placa-mãe. A CPU encontra e ativa o programa de inicialização na BIOS da ROM, o qual conduz o POST. • 2º - A CPU então ativa a BIOS do PC que inicia uma série de testes de verificação do sistema (POST) • 3º - A CPU, comandada pelo POST, faz um teste de si mesma e do próprio programa POST. • 4º - A CPU envia sinais através do sistema de barramento BUS, o circuito onde todos os componentes se acoplam e verifica-se estão funcionando.
  26. 26. POST  Como funciona o POST • 5º - A CPU testa então a memória da placa de vídeo e os sinais de vídeo que controlam o monitor. O BIOS da placa de vídeo passa a fazer parte do BIOS total do sistema e da configuração da memória. • 6º - Em seguida testa os chips da memória RAM. São gravados dados em cada chip e depois é lido cada byte enviado. A comparação do que é enviado e gravado na RAM e o que é lido é feito para certificar que a memória funciona corretamente.. • 7º - A CPU verifica se o teclado está conectado corretamente. Se houver algum curto-circuito ou tecla pressionada é enviada uma mensagem de erro.
  27. 27. POST  Como funciona o POST • 8º - O POST envia sinais até os discos através de barramento específicos. A resposta aos sinais indica quais drivers estão disponíveis. • 9º Os resultados obtidos nos testes são confrontados com os dados gravaos na CMOS, onde ficam armazenadas as informações oficiais dos dispositivos instalados. Quaisquer modificações devem ser atualizadas na CMOS através do programa SETUP.
  28. 28. POST  Como funciona o POST • 10º - Algumas placas de expansão, como algumas controladoras de discos, contêm suas próprias BIOS, as quais são reconhecidas e passarão a fazer parte da BIOS do sistema e da configuração da memória. O Boot passará para a fase de carregamento do Sistema Operacional. Nessa faze o hardware instalado tem o controle do microprocessador.
  29. 29. POST  Como funciona o POST • 11º - Além de detectar o hardware instalado, a função do POST é verificar se tudo está funcionando corretamente. Caso seja detectado algum problema em um componente vital para o funcionamento do sistema, como as memórias, processador ou placa de vídeo, o BIOS emitirá uma certa sequência de bips sonoros, alertando sobre o problema. Problemas menores, como conflitos de endereços, problemas com o teclado ou falhas do disco serão mostrados na forma de mensagens na tela.
  30. 30. SETUP  SETUP  Programa de configuração do hardware do computador • Está presente na memória ROM e pode ser ativado pressionando alguma tecla durante a execução do POST; • Suas Opções de configuração são, basicamente, informações sobre os dispositivos instalados, seus endereços e sua performance; • Ficam armazenados na memória chamada CMOS.
  31. 31. SETUP
  32. 32. PLUG AND PLAY Antes da existência dos dispositivos Plug and Play, para cada novo dispositivo instalado, precisávamos entrar no Setup para adicionar à CMOS informações sobre o dispositivo. Hoje em dia, graças à tecnologia Plug and Play, se um novo dispositivo for instalado no computador, ele é reconhecido e configurado automaticamente pelo BIOS durante o POST. Assim não são mais necessárias as configurações manuais de hardware.
  33. 33. Técnico em Informática Organização de Computadores Aula 9 – Componentes de um computador Prof. Vitor Hugo Melo Araújo

×