Apresentação Ministra Tereza Campello na FACCAT - Taquara - RS

278 visualizações

Publicada em

Slide apresentado pela ministra Tereza Campello em sua palestra na FACCAT, em Taquara - RS, em evento promovido no mês de outubro de 2015, pelo curso de Mestrado em Desenvolvimento Regional.

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
278
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Aumento de
  • BRASIL FORA DO MAPA DA FOME
  • Apresentação Ministra Tereza Campello na FACCAT - Taquara - RS

    1. 1. Redução da Fome, da Pobreza e da Desigualdade Taquara/RS 16/10/2015
    2. 2. BRASIL - POPULAÇÃO EM SUBALIMENTAÇÃO (%) Fonte: FAO, 2014 – elaboração SAGI/MDS. Terceira maior redução do número de pessoas subalimentadas no mundo – 2002/2014 82% de redução 82% de redução 1,7%
    3. 3.  Prioridade política da agenda de erradicação da fome e da desnutrição  Aumento de 10% na disponibilidade de calorias em 10 anos  Aumento da renda dos mais pobres  Geração de 21 milhões de empregos formais (2003/14)  Crescimento real de 71,5% do Salário Mínimo (2003/14)  14 milhões de famílias no Bolsa Família  Merenda escolar – 43 milhões de crianças e jovens com refeições/dia  Governança, transparência e participação da sociedade, com a recriação do CONSEA – Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional Relatório FAO 2014 destaca estratégia de combate à fome
    4. 4. 43 milhões de crianças e adolescentes recebendo merenda escolar diariamente
    5. 5. PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA
    6. 6. Programa Bolsa Família: Principais Objetivos 1. Aliviar a pobreza e a fome 2. Incluir as crianças na educação e reduzir o abandono escolar 3. Ampliar o acesso dos beneficiários à saúde, principalmente para crianças e gestantes
    7. 7. Bolsa Família mantêm 36 milhões de pessoas fora da extrema pobreza 22 milhões superaram a extrema pobreza durante o governo Dilma, destes: 8,1 milhões são crianças e adolescentes
    8. 8. 50% mais consultas de pré-natal Diminuição em 14% do índice de crianças que nascem prematuras Menor prevalência de baixo peso ao nascer Vacinação de 99,1% das crianças
    9. 9. Bolsa Família Programa Saúde da Família 58% de redução da mortalidade por desnutrição 46% de diminuição da mortalidade por diarréia
    10. 10. Prevalência de Déficit de Estatura Desnutrição Crônica (%) Painel longitudinal com cerca de 360 mil crianças Fonte: Ministério da Saúde, elaboração MDS
    11. 11. % de estudantes de 15 anos da rede pública na série/ano esperado 20% mais pobres Restante 80% Fonte PNAD, elaboração MDS 32.1 63.1 54.8 73.1 31.031.0 18.318.3 -41% Redução da desigualdade educacional % de estudantes de 15 anos da Rede Pública, na série/ano esperada 201320062002
    12. 12. Efeito multiplicador no Produto Interno Bruto (PIB) = R$ 1,78 R$ 1.00 O Bolsa Família custa apenas 0,5% do PIB
    13. 13. MAPA DA POBREZA MAPA DA POBREZA Melhoria da renda Aumento do bem-estar Melhoria da renda Aumento do bem-estar Garantia de rendaGarantia de renda Inclusão Produtiva Urbana e Rural Inclusão Produtiva Urbana e Rural Acesso a serviçosAcesso a serviços Aumento de capacidades e oportunidades Aumento de capacidades e oportunidades Eixos do Plano Brasil sem Miséria
    14. 14. Inclusão Produtiva Urbana • PRONATEC : 628 tipos de cursos oferecidos; 1,7 milhão de matrículas • CRESCER – Microcrédito Produtivo Orientado: 3,9 milhões de operações para beneficiários do Bolsa Família • Economia Solidária: 11 mil cooperativas apoiadas, em 2.358 municípios; 242 mil trabalhadores envolvidos em programas de capacitação e assistência técnica.
    15. 15. Inclusão Produtiva Rural ATER Famílias pobres Meta: 250 mil Resultado: 358 mil Água Para Todos Luz Para Todos PAA Fomento Insumos Compras Institucionais Crédito
    16. 16. Semiarid
    17. 17. - 2011 a ago/2015 Fotos: Ana Nascimento ASCOM/MDS 867,7 mil cisternas entregues 1,19 milhão cisternas entregues 2003 a agosto/2015
    18. 18. 122,9 mil cisternas de produção entregues Água para Produção Cisterna calçadão
    19. 19. Caráter Produtivo
    20. 20. Cisternas nas Escolas 88 mil cisternas até 2018
    21. 21. Análise multidimensional da pobreza
    22. 22. Entre os mais pobres cresceu em 138% o número de pessoas com ensino fundamental completo Pessoas de referência dos domicílios com nível fundamental completo (%) 138% 42% Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
    23. 23. A frequência à escola das crianças entre 6 e 14 anos foi quase o dobro entre os 5% mais pobres População de 6 a 14 anos que frequenta escola (%) 5,5% 2,8% Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS
    24. 24. O avanço no acesso à água em geral foi 5 vezes mais rápido entre os mais 5% mais pobres Domicílios com acesso à água por rede geral, cisterna, poço ou nascente com canalização (%) Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 33,8% 6,8%
    25. 25. Foi 3 vezes mais rápido o avanço no acesso ao escoamento sanitário entre os 5% mais pobres Domicílios com escoamento sanitário adequado (%) Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 53,4% 11,9%
    26. 26. O acesso à energia elétrica avançou 5 vezes mais rápido entre os 5% mais pobres Domicílios com energia elétrica (%) Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 16,1% 3,0%
    27. 27. Domicílios dos 5% mais pobres com geladeira ou freezer Domicílios com geladeira ou freezer (%) Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 68,0% 11,9%
    28. 28. O avanço no acesso ao telefone celular de quase 700% no período para a população 5% mais pobre Pessoas de referência dos domicílios com posse de telefone celular (%) Fonte: PNAD/IBGE. Elaboração: MDS 709% 159%
    29. 29. Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: MDS e Banco Mundial EVOLUÇÃO DA POBREZA CRÔNICA
    30. 30. INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA POR REGIÃO Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: MDS
    31. 31. INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA URBANA E RURAL Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: SAGI/MDS
    32. 32. Anexos
    33. 33. Indicador Considera-se que o domicílio sofre privação nas seguintes situações Frequência escolar das crianças Se alguma criança em idade escolar (7-17 anos) não está matriculada na escola Anos de escolaridade Se nenhum dos membros da família tem 8 anos de estudo ou mais Saneamento básico Se o domicílio não tem acesso à rede de esgoto ou fossa séptica Acesso à agua Se o domicílio não tem acesso a água encanada fornecida pela rede geral de abastecimento, poço ou nascente Eletricidade Se o domicílio não tem acesso à eletricidade Habitação Se o domicílio não foi construído com material de alvenaria (como tijolos e pedras) Ativos Se a família não possuir pelo menos dois dos seguintes bens: i) refrigerador/freezer; ii) telefone fixo/celular; iii) fogão que utiliza combustível “limpo” (elétrico ou a gás) Indicadores e critérios de privação (Banco Mundial) Pobreza crônica: Renda domiciliar per capita abaixo de R$ 140 e simultânea privação em 3 ou mais dimensões
    34. 34. Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: MDS INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA POR TIPO DE FAMÍLIA
    35. 35. Fonte: PNAD/IBGE 2013. Elaboração: MDS INDICADOR DE POBREZA MULTIDIMENSIONAL CRÔNICA POR RAÇA/COR

    ×