Trabalho Tabela Periodica : Carbono

2.205 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre o elemento Carbono e a Família 4A da tabela periódica, feito para apresentação em sala de aula no segundo período do curso de Química no Centro Universitário São Camilo.

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.205
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho Tabela Periodica : Carbono

  1. 1. Tabela Periodica 2° Periodo Matricula : 207520
  2. 2.  A Família do Carbono é o décimo quarto grupo da tabela periódica. O grupo consiste dos elementos: carbono (C), silício (Si), germânio (Ge), estanho (Sn), chumbo (Pb) e ununquadio (Uuq).
  3. 3.  Os elementos químicos da Família do Carbono apresentam configuração eletrônica com quatro elétrons na camada de valência. Como regra geral, o primeiro átomo do grupo é sempre menor e mais eletronegativo, e por isso apresenta maior energia de ionização e, sendo mais covalente e menos metálico. Os raios covalentes, portanto, aumentam de cima para baixo.
  4. 4.  O carbono (C), que da nome a família, possui propriedades que o difere dos demais elementos do grupo. O principal fator diferenciador é a sua capacidade de se ligar a vários outros átomos de carbono, formando grandes cadeia. As ligações C-C são fortes, e as ligações Si-Si, Ge-Ge e Sn-Sn diminuem progressivamente de energia. Além disso, o carbono é o único capaz de formar ligações múltiplas (duplas e triplas ligações).
  5. 5.  1.1 O carbono é um não metal e pertence ao grupo 14 da tabela periódica. O elemento forma mais de um milhão de compostos e tem uma química dedicada ao seu estudo, a química orgânica. Pode ser encontrado na crosta terrestre, dissolvido nas águas e na atmosfera, como dióxido de carbono (CO2). Se apresenta em 3 formas alotrópicas na natureza - diamante, grafite e carbono amorfo - com propriedades bem distintas.
  6. 6.  1961 – A Union of Pure and Applied Chemistry (IUPAC), adotou o isótopo carbono-12 como base para o cálculo dos pesos atômicos dos elementos da tabela periódica.
  7. 7.  No início do século XIX, vários compostos contendo carbono (açúcar, álcool etílico, ácido acético) eram obtidos de fontes animais e vegetais. Pela sua ligação com organismos vivos, estas substâncias eram chamadas orgânicas e o seu estudo de química orgânica. A maior parte dos químicos da época, aceitava a "Teoria da Força Vital", que os compostos orgânicos eram oriundos de alguma forma de vida. O campo da química orgânica é vasto pois abrange além da composição de todos os organismos vivos, uma série de materiais usados no cotidiano, como: alimentos (gorduras, carbohidratos, proteínas...), combustíveis, tecidos, madeira, tintas, detergentes, cosméticos, medicamentos, explosivos.
  8. 8.  O químico alemão Friedrich Wöler fez uma experiência aquecendo cianato de amônia (NH4CNO), um composto de "origem mineral", transformando-o em uréia (H2N-CO-NH2), um composto de "origem animal". A partir daí, ficou evidente que nenhuma "força vital", além da aptidão e do conhecimento, era necessária para fabricar compostos orgânicos e substâncias orgânicas e inorgânicas podiam ser usadas como matéria prima.
  9. 9.  O carbono constitui aproximadamente 0,027 % da crosta terrestre. É o 17º mais abundante na crosta terrestre.  Atmosfera: como CO2 (pequena quantidade)  Crosta terrestre: rochas do tipo carbonatos, como a calcita CaCO3, Magnesita (MgCO3) e dolomita (MgCO3 .CaCO3).  Jazidas de carvão e petróleo.  Forma Pura: O carbono elementar (C) é encontrado em mina como grafite e diamante.
  10. 10.  É o principal constituinte da matéria viva.  O estudo dos compostos de carbono é chamado de química orgânica.  É sólido a temperatura ambiente.  Dependendo das condições de formação pode ser encontrado na natureza em 4 formas alotrópicas: 1. Grafite 2. Diamante 3. Fulerenos 4. Nanotubos
  11. 11.  O diamante, o grafite e o fulereno são alótropos do carbono e se diferem pelo arranjo geométrico. Estas três formas são substâncias simples formadas apenas por carbono, porém, a grande diferença entre elas é a maneira como os átomos ficam organizados nas moléculas, ou seja, o rearranjo dos átomos.
  12. 12.  O grafite, presente na ponta do lápis, é a forma mais estável do carbono, constitui um sólido macio e cinza, é um bom condutor de calor e eletricidade e possui densidade = 2,25 g/cm3. USOS: • Lubrificantes • Eletrodos • Obtenção de cadinhos • Lápis com gesso, quanto mais gesso mais duro HB
  13. 13.  O diamante, por sua vez, é um isolante elétrico e térmico, transparente e duro. Por esta última característica é utilizado para cortar blocos de granito. Sua densidade é 3,51g/cm3. USOS • Joias •Brocas ou abrasivos, • Cobertura de chips de computador.
  14. 14.  O fulereno, devido à sua forma tridimensional com ligações insaturadas, apresenta propriedades físicas e químicas únicas que podem ser exploradas em várias áreas da bioquímica e da medicina.
  15. 15.  Nome, símbolo, número : Carbono, C, 6  Série química: Não-metal  Grupo, período, bloco :14 (IVA), 2, p  Densidade, dureza: 2267 kg/m3, 0,5 (grafite) e 10,0 (diamante)
  16. 16.  uRaio atómico:(calculado)70 (67) pm  Raio covalente: 77 pm  Raio de Van der Waals: 170 pm  Configuração eletrónica: [He] 2s2 2p2  Elétrons (por nível de energia)2, 4  Estado(s) de oxidação: 4  Estrutura cristalina : hexagonal
  17. 17.  Propriedades físicas  Estado da matéria :Sólido  Entalpia de vaporização :355,8 kJ/mol  Volume molar :5,29×10−6m3/mol  Velocidade do som: 18 350 m/s a 20°C  Ponto de fusão: 3527°  Calor de fusão: 117kJ/mol  Ponto de ebulição: 4027°C  Calor de vaporização: 715kJ/mol
  18. 18.  Eletronegatividade(Pauling): 2,55  Calor específico: 710 J/(kg·K)  Condutividade elétrica 0,061 S/m  Condutividade térmica: 129 W/(m·K)1º  Potencial de ionização: 1086,5 kJ/mol  2º Potencial de ionização: 2352,6 kJ/mol  3º Potencial de ionização: 4620,5 kJ/mol  4º Potencial de ionização: 6222,7 kJ/mol  5º Potencial de ionização: 37831 kJ/mol  6º Potencial de ionização:47277,0 kJ/mol
  19. 19.  Reação com oxigênio: C + O2 →CO2. Se a quantidade de oxigênio é insuficiente, há formação do monóxido: 2C + O2 → 2CO.
  20. 20.  Reação com água: em condições usuais, não ocorre. Pode ser forçada pela aplicação de vapor d'água sobre carvão aquecido: C + H2O → CO + H2.
  21. 21.  Reação com halogênios:  C + n F2 → CF4 + C2F6 + C5F12 (ocorre em altas temperaturas. nF2 significa excesso).
  22. 22.  Uma das principais aplicações do carbono é para uso industrial, como componente de hidrocarbonetos (composto químico formado por átomos de carbono e hidrogênio) para a produção de combustíveis como o gás natural e o petróleo. Ele também pode ser utilizado para a produção de gelo seco.  Além disso, ele também pode ser utilizado para a produção de joias, com o diamante e na fabricação do grafite para o lápis.  No Brasil, o grafite é produzido na região nordeste, na Bahia, para ser utilizado nos eletrodos industriais. É utilizado em sistemas para filtragem da água/purificação e como elemento principal para a produção de ligas de ferro (aço).
  23. 23.  Uma das referências mais antigas que se tem sobre o diamante é do século IV a.C., através de Kautilya, uma princesa que viveu na corte de Candragupta-Maurya, na Índia. Ela sugeriu que essa pedra poderia ser utilizada como pedra preciosa e como objeto de taxação por especialistas.

×