Disciplina: Perícia Ambiental
Judicial e Securitária
Aula 2
Prof. Vitor Vieira Vasconcelos
CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA
DIRETO...
ESCOPO DA PERÍCIA
AMBIENTAL
Conceito de Meio Ambiente
Interpretação
Imanente
Transcendente
Conferência de
Estocolmo, de 1972
meio ambiente como “o conjunto de
componentes físicos, químicos,
biológicos e sociais ca...
Édis Milaré
Meio ambiente:
“o conjunto de elementos físico-químicos,
ecossistemas naturais e sociais em que se
insere o ho...
Constituição Federal
Art. 225
• “todos têm direito ao meio ambiente
ecologicamente equilibrado, bem de uso
comum do povo e...
• Indivisibilidade
• Inalienabilidade
• Transindividualidade
• Transgeracionalidade
Constituição Federal
Política Nacional de
Meio Ambiente
Lei 6.938/1981:
“Art. 3º - Para os fins previstos nesta Lei, entende-se por:
I - meio a...
Lei Estadual de
Meio Ambiente
Lei Estadual nº 7.772, de 1980:
Art. 1º - (...)
Parágrafo único - Para os fins desta
Lei, en...
Meio Ambiente em
acepção ampla ou
estrita
• Teoria Restrita
• Teoria Ampla
1) natural;
2) cultural;
3) artificial e
4) do ...
Conceitos
Auxiliares
Desenvolvimento
Sustentável
• “o atendimento das necessidades
do presente sem comprometer a
possibilidade de as gerações
f...
• ECO-92 e RIO+10 (em 2002):
o Desenvolvimento Sustentável
deve ser ecologicamente
equilibrado, socialmente justo e
econom...
“O Futuro que
Queremos”,Rio+20 em
2012:
• Afirmamos, portanto, a necessidade de
uma melhor integração dos aspectos
econômi...
Poluição
• Lei 6.938/1981:
“Art. 3º - Para os fins previstos nesta Lei, entende-se por:
II - degradação da qualidade ambie...
Impacto
socioambiental
• Artigo 1º - Para efeito desta Resolução, considera-se
impacto ambiental qualquer alteração das propriedades
físicas, quí...
Resolução Conama nº 1, de
1986
Art. 6o O estudo de impacto ambiental desenvolverá, no mínimo, as
seguintes atividades técn...
• O princípio do “reconhecimento da relação
entre os direitos humanos e meio
ambiente”, constante na “Declaração
Rio+20 so...
Código Civil
Art. 98. São públicos os bens do domínio nacional
pertencentes às pessoas jurídicas de direito público intern...
Constituição Federal
Art. 20. São bens da União:
(...)
III - os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de s...
Constituição Federal
• Art. 225
“todos têm direito ao meio ambiente
ecologicamente equilibrado, bem de uso
comum do povo e...
Lei nº 12,651, de 2012
Art. 2o As florestas existentes no território
nacional e as demais formas de vegetação
nativa, reco...
Função Social da
Propriedade
Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do
trabalho humano e na livre iniciativa,...
• Art. 182. (…)
§ 2º - A propriedade urbana cumpre sua
função social quando atende às exigências
fundamentais de ordenação...
Art. 186. A função social é cumprida quando a
propriedade rural atende, simultaneamente,
segundo critérios e graus de exig...
Responsabilidade
• Capacidade e dever de responder por
seus próprios atos
• Responsabilidade
– Justiça
– Compaixão
Risco
• Perigo é uma circunstância
potencialmente capaz de acarretar algum
tipo de perda, dano ou prejuízo ambiental,
mate...
• RISCO = FREQUÊNCIA X CONSEQUÊNCIA
RISCO = FREQUÊNCIA
X CONSEQUÊNCIA
X VULNERABILIDADE
RISCO = FREQUÊNCIA
X CONSEQUÊNCIA
X VULNERABILIDADE
_________
RESILIÊNCIA
Princípio da Precaução
• Princípio 15 da Declaração do Rio de
Janeiro sobre Meio Ambiente e
Desenvolvimento, de 1992:
“Com...
• Princípio da Precaução
– Risco desconhecido
• Princípio da Prevenção
– Conhecer os riscos para planejar
Constituição Federal
Art. 225. (...)
§ 1º - Para assegurar a efetividade desse
direito, incumbe ao Poder Público:
(...)
V ...
Lei nº 9.605, de 1998
Art. 54. Causar poluição de qualquer natureza em
níveis tais que resultem ou possam resultar em
dano...
Riscos Ambientais no
Ambiente de Trabalho
• Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais – PPRA (NR 9)
– Identificação, miti...
Obrigado
Vitor Vieira Vasconcelos
vitor.v.v@gmail.com
http://br.linkedin.com/pub/vitor-vieira-vasconcelos/29/338/574
http:...
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária

377 visualizações

Publicada em

Conceitos de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável, Impacto Ambiental, Degradação Ambiental, Poluição, Risco Ambiental

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
377
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 2 - Perícia Ambiental Judicial e Securitária

  1. 1. Disciplina: Perícia Ambiental Judicial e Securitária Aula 2 Prof. Vitor Vieira Vasconcelos CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, PESQUISA E EXTENSÃO CURSO Pós-Graduação em Perícia, Auditoria e Análise Ambiental DISCIPLINA (20 h/a )
  2. 2. ESCOPO DA PERÍCIA AMBIENTAL
  3. 3. Conceito de Meio Ambiente Interpretação Imanente Transcendente
  4. 4. Conferência de Estocolmo, de 1972 meio ambiente como “o conjunto de componentes físicos, químicos, biológicos e sociais capazes de causar efeitos diretos ou indiretos, em um prazo curto ou longo, sobre os seres vivos e as atividades humanas”
  5. 5. Édis Milaré Meio ambiente: “o conjunto de elementos físico-químicos, ecossistemas naturais e sociais em que se insere o homem, individual e socialmente, num processo de interação que atenda ao desenvolvimento das atividades humanas, à preservação dos recursos naturais e das características essenciais do entorno, dentro de padrões de qualidade definidos”
  6. 6. Constituição Federal Art. 225 • “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para às presentes e futuras gerações.”
  7. 7. • Indivisibilidade • Inalienabilidade • Transindividualidade • Transgeracionalidade Constituição Federal
  8. 8. Política Nacional de Meio Ambiente Lei 6.938/1981: “Art. 3º - Para os fins previstos nesta Lei, entende-se por: I - meio ambiente, o conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas; [...] V - recursos ambientais: a atmosfera, as águas interiores, superficiais e subterrâneas, os estuários, o mar territorial, o solo, o subsolo, os elementos da biosfera, a fauna e a flora.”
  9. 9. Lei Estadual de Meio Ambiente Lei Estadual nº 7.772, de 1980: Art. 1º - (...) Parágrafo único - Para os fins desta Lei, entende-se por meio ambiente o espaço onde se desenvolvem as atividades humanas e a vida dos animais e vegetais.
  10. 10. Meio Ambiente em acepção ampla ou estrita • Teoria Restrita • Teoria Ampla 1) natural; 2) cultural; 3) artificial e 4) do trabalho.
  11. 11. Conceitos Auxiliares
  12. 12. Desenvolvimento Sustentável • “o atendimento das necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras atenderem as suas próprias necessidades” (Relatório da ONU “Nosso Futuro Comum”, 1987)
  13. 13. • ECO-92 e RIO+10 (em 2002): o Desenvolvimento Sustentável deve ser ecologicamente equilibrado, socialmente justo e economicamente viável.
  14. 14. “O Futuro que Queremos”,Rio+20 em 2012: • Afirmamos, portanto, a necessidade de uma melhor integração dos aspectos econômicos, sociais e ambientais do desenvolvimento sustentável em todos os níveis, e reconhecemos as relações existentes entre esses diversos aspectos para se alcançar o desenvolvimento sustentável em todas as suas dimensões.
  15. 15. Poluição • Lei 6.938/1981: “Art. 3º - Para os fins previstos nesta Lei, entende-se por: II - degradação da qualidade ambiental, a alteração adversa das características do meio ambiente; III - poluição, a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou indiretamente: a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população; b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas; c) afetem desfavoravelmente a biota; d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente; e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos; IV - poluidor, a pessoa física ou jurídica, de direito público ou privado, responsável, direta ou indiretamente, por atividade causadora de degradação ambiental;”
  16. 16. Impacto socioambiental
  17. 17. • Artigo 1º - Para efeito desta Resolução, considera-se impacto ambiental qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam: • I - a saúde, a segurança e o bem-estar da população; • II - as atividades sociais e econômicas; • III - a biota; • IV - as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; • V - a qualidade dos recursos ambientais. • (…) Resolução nº 1, de 1986, do Conselho Nacional de Meio Ambiente – Conama –, a qual dispõe sobre as diretrizes gerais para o Estudo e o Relatório de Impacto Ambiental, no âmbito do licenciamento ambiental
  18. 18. Resolução Conama nº 1, de 1986 Art. 6o O estudo de impacto ambiental desenvolverá, no mínimo, as seguintes atividades técnicas: I - Diagnóstico ambiental da área de influência do projeto completa descrição e análise dos recursos ambientais e suas interações, tal como existem, de modo a caracterizar a situação ambiental da área, antes da implantação do projeto, considerando: (...) c) o meio sócio-econômico - o uso e ocupação do solo, os usos da água e a socioeconomia, destacando os sítios e monumentos arqueológicos, históricos e culturais da comunidade, as relações de dependência entre a sociedade local, os recursos ambientais e a potencial utilização futura desses recursos. II - Análise dos impactos ambientais do projeto e de suas alternativas, através de identificação, previsão da magnitude e interpretação da importância dos prováveis impactos relevantes, discriminando: os impactos positivos e negativos (benéficos e adversos), diretos e indiretos, imediatos e a médio e longo prazos, temporários e permanentes; seu grau de reversibilidade; suas propriedades cumulativas e sinérgicas; a distribuição dos ônus e benefícios sociais.
  19. 19. • O princípio do “reconhecimento da relação entre os direitos humanos e meio ambiente”, constante na “Declaração Rio+20 sobre Justiça, Governança e Direito para o Desenvolvimento Sustentável”
  20. 20. Código Civil Art. 98. São públicos os bens do domínio nacional pertencentes às pessoas jurídicas de direito público interno; todos os outros são particulares, seja qual for a pessoa a que pertencerem. Art. 99. São bens públicos: I - os de uso comum do povo, tais como rios, mares, estradas, ruas e praças; II - os de uso especial, tais como edifícios ou terrenos destinados a serviço ou estabelecimento da administração federal, estadual, territorial ou municipal, inclusive os de suas autarquias; III - os dominicais, que constituem o patrimônio das pessoas jurídicas de direito público, como objeto de direito pessoal, ou real, de cada uma dessas entidades.
  21. 21. Constituição Federal Art. 20. São bens da União: (...) III - os lagos, rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seu domínio, ou que banhem mais de um Estado, sirvam de limites com outros países, ou se estendam a território estrangeiro ou dele provenham, bem como os terrenos marginais e as praias fluviais; (...) V - os recursos naturais da plataforma continental e da zona econômica exclusiva; VI - o mar territorial; (...) VIII - os potenciais de energia hidráulica; (...) X - as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos e pré-históricos; (...) Art. 26. Incluem-se entre os bens dos Estados: I - as águas superficiais ou subterrâneas, fluentes, emergentes e em depósito, ressalvadas, neste caso, na forma da lei, as decorrentes de obras da União;
  22. 22. Constituição Federal • Art. 225 “todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê- lo e preservá-lo para às presentes e futuras gerações.”
  23. 23. Lei nº 12,651, de 2012 Art. 2o As florestas existentes no território nacional e as demais formas de vegetação nativa, reconhecidas de utilidade às terras que revestem, são bens de interesse comum a todos os habitantes do País, exercendo-se os direitos de propriedade com as limitações que a legislação em geral e especialmente esta Lei estabelecem.
  24. 24. Função Social da Propriedade Art. 170. A ordem econômica, fundada na valorização do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existência digna, conforme os ditames da justiça social, observados os seguintes princípios: (...) III - função social da propriedade; (...) VI - defesa do meio ambiente, inclusive mediante tratamento diferenciado conforme o impacto ambiental dos produtos e serviços e de seus processos de elaboração e prestação;
  25. 25. • Art. 182. (…) § 2º - A propriedade urbana cumpre sua função social quando atende às exigências fundamentais de ordenação da cidade expressas no plano diretor.
  26. 26. Art. 186. A função social é cumprida quando a propriedade rural atende, simultaneamente, segundo critérios e graus de exigência estabelecidos em lei, aos seguintes requisitos: I - aproveitamento racional e adequado; II - utilização adequada dos recursos naturais disponíveis e preservação do meio ambiente; III - observância das disposições que regulam as relações de trabalho; IV - exploração que favoreça o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores.
  27. 27. Responsabilidade • Capacidade e dever de responder por seus próprios atos • Responsabilidade – Justiça – Compaixão
  28. 28. Risco • Perigo é uma circunstância potencialmente capaz de acarretar algum tipo de perda, dano ou prejuízo ambiental, material ou humano. • O Risco é uma medida do dano à vida humana ou ao meio ambiente, resultante da combinação da probabilidade de ocorrer um acidente e da magnitude do mesmo.
  29. 29. • RISCO = FREQUÊNCIA X CONSEQUÊNCIA
  30. 30. RISCO = FREQUÊNCIA X CONSEQUÊNCIA X VULNERABILIDADE
  31. 31. RISCO = FREQUÊNCIA X CONSEQUÊNCIA X VULNERABILIDADE _________ RESILIÊNCIA
  32. 32. Princípio da Precaução • Princípio 15 da Declaração do Rio de Janeiro sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, de 1992: “Com o fim de proteger o meio ambiente, o princípio da precaução deverá ser amplamente observado pelos Estados, de acordo com suas capacidades. Quando houver ameaça de danos graves ou irreversíveis, a ausência de certeza científica absoluta não será utilizada como razão para o adiamento de medidas economicamente viáveis para prevenir a degradação ambiental”.
  33. 33. • Princípio da Precaução – Risco desconhecido • Princípio da Prevenção – Conhecer os riscos para planejar
  34. 34. Constituição Federal Art. 225. (...) § 1º - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público: (...) V - controlar a produção, a comercialização e o emprego de técnicas, métodos e substâncias que comportem risco para a vida, a qualidade de vida e o meio ambiente;
  35. 35. Lei nº 9.605, de 1998 Art. 54. Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora: (...) § 3º Incorre nas mesmas penas previstas no parágrafo anterior quem deixar de adotar, quando assim o exigir a autoridade competente, medidas de precaução em caso de risco de dano ambiental grave ou irreversível.
  36. 36. Riscos Ambientais no Ambiente de Trabalho • Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA (NR 9) – Identificação, mitigação e controle dos riscos – Metas e cronograma de ações • Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA (NR 5) – Elaboração do Mapa de Riscos Ambientais
  37. 37. Obrigado Vitor Vieira Vasconcelos vitor.v.v@gmail.com http://br.linkedin.com/pub/vitor-vieira-vasconcelos/29/338/574 http://lattes.cnpq.br/8151243279050980 http://ufop.academia.edu/VitorVasconcelos http://pt.scribd.com/amfeadan http://scholar.google.com.br/citations?user=k8Y-3xYAAAAJ&hl=pt-BR

×