Literatura do século XVII

470 visualizações

Publicada em

Síntese das ideias de Luiz Roncari em seu livro Literatura Brasileira. Para aulas sobre o Barroco.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
470
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Literatura do século XVII

  1. 1. Roncari
  2. 2. UM SÉCULO CATÓLICO  Roncari fala preferencialmente em literatura do século XVII, e não em Barroco  Conhecer a vida social e cultural para compreender a literatura do período  Obra literária possui independência, mas seus detalhes remetem ao contexto  Contexto também ajuda a compreender o que a obra expressa além de sua intenção.
  3. 3.  Leitura ingênua: compreensão imanente do sentido do texto  Leitura genérica: compreensão apenas contextual do sentido do texto  Na leitura genérica, texto vira exemplo de fatos exteriores a ele  Compreender produção e recepção no Brasil do século XVII
  4. 4. A ÉPOCA  Século XVI foi Renascentista  Século XVII será inteiramente cristão, principalmente em Portugal e Espanha  Visão da Península Ibérica é católica, influenciada pelo Concílio de Trento  Igreja Católica muita ligada às Monarquias
  5. 5.  Combate ao Protestantismo e difusão de doutrina oficial católica  Empenho doutrinador com a expansão marítima  Doutrinação dificultada porque realizada por missionários em terras distantes  Colonos ou eram degredados ou queriam enriquecimento rápido
  6. 6.  Suspensão da moral católica como compensação pelos sacrifícios enfrentados  Ao mesmo tempo, fixação na terra por meio de família e prole (mazombos)  Vida dupla dos colonos  Subordinação de índios e negros estimula afrouxamento da moral católica
  7. 7.  Diferenças de costumes também afrouxa  Ao mesmo tempo, empenho de viver vida familiar e social nos moldes portugueses  Um tipo de relação com escravos e agregados e outro com os iguais
  8. 8. VIDA LITERÁRIA  Literatura era exercício das formas clássicas e tradicionais  Circunscrita ao mundo dos brancos  Marcada pelas tensões na Europa, guerras dentro do cristianismo  Política da Igreja: literatura para expressão dos valores religiosos  Livros passavam pelo crivo da Santa Sé
  9. 9. UMA VIDA SOCIAL ACANHADA  Obra literária depende da vida social: escritores e leitores  Reconhecimento do valor literário associa-se a acomodação social e prestígio  Brasil do Século XVII tinha vida social acanhada e incipiente  Nesse contexto, a vida literária também era restrita e pouco rica
  10. 10.  Século XVII: força econômica nos engenhos e grandes propriedades rurais  Família brasileira é patriarcal  O pai é o centro, com mando doméstico e domínio social sobre trabalhadores  Domínio sobre escravos e homens livres  Domínio representa proteção social numa sociedade de parco policiamento
  11. 11.  Pai determinava casamentos dos filhos sem consultar-lhes  Determinava profissão dos filhos  Determinava, dentro da propriedade, onde filhos iriam morar  Igreja incentivava a piedade filial  Direito de vida e morte sobre os escravos
  12. 12.  Estrutura de relações pouco propícia à literatura  Escolas apenas para meninos, com leitura e escrita  Latim apenas para os que seguiriam vocação religiosa  Ensinavam-se às meninas costura e serviços de casa  Mulheres raramente sabiam ler; maioria dos livros era religiosa
  13. 13.  Cidades litorâneas tinham vida social mais intensa  Trocas comerciais, presença de comerciantes, funcionários e autoridades da Coroa  Grandes proprietários rurais negociavam com outros trabalhadores  Mestiços com ofícios, serviçais e escravos domésticos  Salvador era a principal dessas cidades
  14. 14.  Principalmente em Salvador se desenvolveram as práticas literárias  Práticas literárias eram mormente orais  Faziam parte do cotidiano poesia, trovas, glosas  Romances em verso, encômios, versos maledicentes, cartas, sermões  Maioria do que era escrito servia para ser lido, e não publicado
  15. 15.  Havia mestres de improviso e desafios  Formas poéticas eram regidas por convenções e manuais  Bons poetas eram os que bem executavam as normas  Poucos registros e publicações nos Seiscentos  Destaque apenas para Gregório e Vieira

×