SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 5
Baixar para ler offline
1
UNIDADE: _____________
DATA: 03 / 12 / 2012
III ETAPA – AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA – 4.º ANO/EF
ALUNO(A): N.º: TURMA:
PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: %
TEXTO I
Todo mundo tem um sonho, ou às vezes diz que tem. Meu sonho é ter uma
vida igual a de mais ninguém.
Mas, que vida será que eu quero ter? Um dia comecei a tentar responder.
No começo, achava que eu queria ter vida de caracol. Viver enrolado e
andar sem pressa. Essa deve ser uma vida tranquila à beça. É, mas a minha mãe
já me disse que caracol é pequeno um bocado e pode ser esmigalhado. Então
pensei: “Não quero ter vida de caracol, não.”
Ah, eu queria mesmo é ter vida de peixe. Nadar e mergulhar sem parar,
ficar molhado sem precisar me enxugar, ver as belezas do fundo do mar. Mas se
eu for pescado, posso acabar frito na panela.
Ah, pensando bem, quero mesmo é ter vida de planta. Viver parado, sem
ter que fazer nada. Ser alimentado pela chuva e balançado pelo vento.
Embelezar jardins e apartamentos. Mas, e se chover demais, a planta pode
morrer afogada e se o verão for muito forte, ela morre ressecada.
Ah, na verdade, de verdade mesmo eu queria ter vida de cascavel, dar o
bote nas pessoas. Mas, viver rastejando é ruim e chocalho de cascavel faz todo
mundo morrer de pavor.
Ah, ainda mais que tudo, o que eu quero é ter vida de gaivota. Entrar nas
nuvens, cair no mar, andar na areia... caminhar, mergulhar, decolar. Mas, não
quero dormir em pé e nem ficar preso em redes de pescadores.
Então, pensei: “Não quero ter vida de gaivota, não.” Mas, afinal, que vida
que eu quero ter? Estava difícil decidir.
Pensei e pensei. Não posso fazer tudo que
eu quero. Mas descobri que posso fazer umas
coisas de que eu gosto tanto: me enrolar num
edredom, feito caracol, numa noite inteira,
mergulhar fundo, mas dar um bote num pote
de brigadeiro, ficar parado o tempo que me der
vontade, feito bananeira, dar um monte de
beijos na minha mãe e, feito uma gaivota ligeira,
voar para dentro de uma piscina.
Não sei ainda que vida vou ter, quando
crescer. E posso até escutar o que cada pessoa pensa e diz. Mas, já sei que eu
quero ter uma vida minha, muito minha, que me deixe assim: feliz todos os dias.
FERNANDES, Susana Maria. Que vida eu quero ter? Abacate, Belo Horizonte . 2012. (Adaptação)
SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA
Mantenedora da PUC Minas e do
COLÉGIO SANTA MARIA
2
01. Leia as frases abaixo e observe as palavras em destaque.
 Todo mundo tem um sonho. O meu é ter uma vida igual a de mais ninguém.
 Queria ter vida de caracol: viver enrolado e andar sem pressa.
Risque, no quadro de verbetes, o melhor significado para essas palavras.
Sonho Enrolado
 conjunto de imagens e ideias que
surgem durante o sono;
 o que se quer alcançar ou
realizar;
 bolo com recheio de creme
coberto com açúcar e canela.
 embrulhado, envolto, que se
enrolou em forma de rolo;
 confuso, complicado;
 que engana.
02. Dê o significado das expressões sublinhadas nas frases, observando a numeração.
Vida de caracol deve ser uma vida tranquila à beça. Caracol é pequeno e pode ser esmigalhado.
1 2
Se o verão for forte, a planta morre ressecada.
3
1
2
3
03. O personagem do texto tem um sonho.  Qual é esse sonho?
O personagem, mais que tudo, queria ter vida de gaivota.
 O que ele poderia fazer sendo essa ave? Copie, do parágrafo que traz essa
informação, quatro verbos que respondem à essa pergunta.
04. a) Assinale a opção correta:
O personagem enfim descobriu que:
( ) quanto mais se tem sonho, mais tempo se vive.
( ) o melhor é viver um sonho de tempos em tempos.
( ) o melhor sonho seria ser peixe.
( ) para ser feliz não precisaria ter um sonho realizado, bastaria fazer tudo o que ele
mais gostasse.
0,4
0,6
1
0,3
3
b) Complete o quadro sobre as descobertas da personagem do texto.
O personagem descobriu que:
Não poderia se enrolar como um caracol,
mas poderia enrolar....
Não poderia mergulhar como peixe no
fundo do mar,
mas poderia mergulhar...
Como uma cascavel ligeira, não poderia
dar o bote nas pessoas,
mas poderia dar um bote...
05. Já sei. Quero ter uma vida só minha, que me deixe assim: muito feliz.
O que deixa sua vida muito mais feliz? Escreva contando o motivo dessa felicidade.
Leia o texto e resolva as questões 06 e 07.
TEXTO II
Zé Francisco chegou em casa correndo e imediatamente assentou-se à mesa. Tinha
uma tarefa super legal. Uma produção de texto e sabe qual era o título?
Se eu fosse...
Mal conseguiu almoçar e começou a escrever:
Se eu fosse um príncipe, teria um grande e belo cavalo branco, roupas elegantes, salvaria
uma princesa do encantamento da bruxa má, casaria com ela e seria... feliz para sempre.
Mas aí ele ficou pensando, pensando:
— “Bom, não sei se eu seria feliz para sempre. Ser feliz para sempre é complicado.”
O Zé Francisco, então, mudou de página, pensou, pensou e começou de novo... e
foi escrevendo e pensando... Se eu fosse invisível... (Ninguém poderia me ver, nem eu
mesmo. Não poderia ser ouvido pelos amigos. Que coisa esquisita!) Se eu fosse um
pássaro... (Ah! Poderia estar preso e seria muito chato!) Se eu fosse um professor... (Até que
poderia ser. Mas e os alunos que não são responsáveis? E se eles fossem mal-educados?
Desisto.) Se eu fosse um super-herói... (Sempre quis ser Homem-Aranha, subir nos prédios,
caçar bandidos, até voar. Mas se alguém dissesse que estava com fome? Ah! Alguém
com fome? Como poderia ajudá-lo?)
Estava difícil! E o Zé continuou pensando... Se eu fosse... Se eu fosse... Se eu fosse...
— Viva! É isso! SE EU FOSSE EU. Claro, por que não?
Então o Zé Francisco, foi de novo a uma folha, limpinha, todas as linhas em branco,
desenhou novos contornos, estufou o peito, ajeitou a caneta, respirou fundo e...
Se eu fosse o Zé Francisco
1
1,2
4
Se eu fosse o Zé Francisco, seria eu mesmo, assim mesmo, gente parecida com
outras gentes de verdade. Não seria nenhum super-herói. Teria muitos amigos na escola,
e na vizinhança. Não brigaria com as meninas da minha classe, mas morreria de vontade
de saber o que elas tanto escrevem nos seus diários.
Se eu fosse o Zé Francisco, dormiria tarde todas as
noites e sonharia todos os sonhos possíveis com super-
heróis, com fantasmas, com monstros e não sentiria medo.
Eu seria sempre muito valente. Eu não ia querer ser feliz
para sempre, mas ia querer ser feliz todo dia, um dia de
cada vez.
Ah! Se eu fosse o Zé Francisco, não ia querer ser
ninguém mais!
O Zé Francisco fechou o caderno, imensamente
aliviado, de bem com a vida. Afinal, no dia seguinte, outras
tantas histórias estariam esperando por ele.
GARCIA, Edson Gabriel. Tantas histórias no outro lado do espelho, Ed. FTD, São Paulo, 1999.
06. a) Responda.
 Existe relação entre os TEXTOS I e II? Justifique.
 De acordo com o texto, essa informação é verdadeira? Por quê?
 Escreva qual é esse desejo.
Ao começar a sua tarefa de casa, Zé Francisco já sabia quem ele
seria e o que escreveria sobre esse personagem.
Ao final dos TEXTOS I e II podemos concluir que os personagens
têm o mesmo desejo.
1,5
5
 Como devemos tratar nossos amigos para preservar a amizade? Escreva um
parágrafo.
07. — “Bom, não sei se eu seria feliz para sempre. Ser feliz para sempre é
complicado.” — Disse Zé Francisco.
a) Você concorda com Zé Francisco? Por quê?
b) Imagine que você tenha recebido o mesmo dever de casa de Zé Francisco. O que
você deseja ser quando crescer ou que tipo de vida você gostaria de ter? Como seria?
O que você faria? Escreva um texto.
Se eu fosse...
ZICS/gmf
Zé Francisco escreve: “Teria muitos amigos na escola e na
vizinhança.”
1
0,5
2,5

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doc 11 resumo do principezinho
Doc 11  resumo do principezinhoDoc 11  resumo do principezinho
Doc 11 resumo do principezinhohelena frança
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromãoLenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromãoNuno Cunha
 
Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015Olivier Fausti Olivier
 
Inês , mariana, diana, rafael e carlos
Inês , mariana, diana, rafael e carlosInês , mariana, diana, rafael e carlos
Inês , mariana, diana, rafael e carlosCristina Oliveira
 
O principezinho rodrigo cordeiro
O principezinho   rodrigo cordeiroO principezinho   rodrigo cordeiro
O principezinho rodrigo cordeirofantas45
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumosofiasimao
 
Seq. didática 2 (marcela)
Seq. didática 2 (marcela)Seq. didática 2 (marcela)
Seq. didática 2 (marcela)Mar_Siq_Lim
 
O pequeno principe antoine de saint-exupery
O pequeno principe   antoine de saint-exuperyO pequeno principe   antoine de saint-exupery
O pequeno principe antoine de saint-exuperyAtelidaFotoAtelidaFo
 
Sequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboSequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboJosianne Lacerda
 
Historia do principezinho_isabel_d
Historia do principezinho_isabel_dHistoria do principezinho_isabel_d
Historia do principezinho_isabel_ddidimartins
 

Mais procurados (16)

Doc 11 resumo do principezinho
Doc 11  resumo do principezinhoDoc 11  resumo do principezinho
Doc 11 resumo do principezinho
 
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromãoLenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
Lenda e ladainhas de torre de moncorvo luis e carromão
 
Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015Exercicios elementos da narratica 2015
Exercicios elementos da narratica 2015
 
Principezinho Joana 6ºE
Principezinho Joana 6ºEPrincipezinho Joana 6ºE
Principezinho Joana 6ºE
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 
O lobo e o leão
O lobo e o leãoO lobo e o leão
O lobo e o leão
 
Inês , mariana, diana, rafael e carlos
Inês , mariana, diana, rafael e carlosInês , mariana, diana, rafael e carlos
Inês , mariana, diana, rafael e carlos
 
O principezinho rodrigo cordeiro
O principezinho   rodrigo cordeiroO principezinho   rodrigo cordeiro
O principezinho rodrigo cordeiro
 
O principezinho - resumo
O principezinho - resumoO principezinho - resumo
O principezinho - resumo
 
Seq. didática 2 (marcela)
Seq. didática 2 (marcela)Seq. didática 2 (marcela)
Seq. didática 2 (marcela)
 
Historia do principezinho
Historia do principezinhoHistoria do principezinho
Historia do principezinho
 
O pequeno principe antoine de saint-exupery
O pequeno principe   antoine de saint-exuperyO pequeno principe   antoine de saint-exupery
O pequeno principe antoine de saint-exupery
 
O principezinho
O principezinhoO principezinho
O principezinho
 
Sequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumboSequência didática soldado de chumbo
Sequência didática soldado de chumbo
 
Avalport9 pip prova (2)
Avalport9 pip prova (2)Avalport9 pip prova (2)
Avalport9 pip prova (2)
 
Historia do principezinho_isabel_d
Historia do principezinho_isabel_dHistoria do principezinho_isabel_d
Historia do principezinho_isabel_d
 

Destaque

250 exercícios análise sintática
250 exercícios análise sintática 250 exercícios análise sintática
250 exercícios análise sintática Curso Malba Tahan
 
Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)
Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)
Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)Prof Barbosa
 
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011Adriana Mello
 
Avaliação bimestral II Língua Portuguesa 2º Bimestre - 4º Ano
Avaliação bimestral II Língua Portuguesa   2º Bimestre - 4º AnoAvaliação bimestral II Língua Portuguesa   2º Bimestre - 4º Ano
Avaliação bimestral II Língua Portuguesa 2º Bimestre - 4º AnoCristhianeGuimaraes
 
Prova Brasil 4ª série-português e matemática
Prova Brasil 4ª série-português e matemáticaProva Brasil 4ª série-português e matemática
Prova Brasil 4ª série-português e matemáticaConstruindo Futuros
 
Av Língua Portuguesa e Matemática 4º ano
Av Língua Portuguesa e Matemática 4º anoAv Língua Portuguesa e Matemática 4º ano
Av Língua Portuguesa e Matemática 4º anoSusana Felix
 
Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1
Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1
Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1Crislaine Mota
 
Modelo de teste português
Modelo de teste portuguêsModelo de teste português
Modelo de teste portuguêsMafalda Portas
 

Destaque (17)

Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
 
avaliação 1 ano português
avaliação 1 ano portuguêsavaliação 1 ano português
avaliação 1 ano português
 
067
067067
067
 
BANCO DE QUESTÕES MATEMÁTICAS - 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 2º CICLO
BANCO DE QUESTÕES MATEMÁTICAS - 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL  1 - 2º CICLOBANCO DE QUESTÕES MATEMÁTICAS - 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL  1 - 2º CICLO
BANCO DE QUESTÕES MATEMÁTICAS - 4º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 - 2º CICLO
 
250 exercícios análise sintática
250 exercícios análise sintática 250 exercícios análise sintática
250 exercícios análise sintática
 
Nivel 2
Nivel 2Nivel 2
Nivel 2
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
 
Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)
Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)
Descritores da Língua Portuguesa 5º ano (Teoria)
 
Prova de historia 2 ano 4 bimestre
Prova de historia 2  ano 4 bimestreProva de historia 2  ano 4 bimestre
Prova de historia 2 ano 4 bimestre
 
Português 4º ano
Português 4º anoPortuguês 4º ano
Português 4º ano
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011Apostila do 1° ano 5° ano 2011
Apostila do 1° ano 5° ano 2011
 
Avaliação bimestral II Língua Portuguesa 2º Bimestre - 4º Ano
Avaliação bimestral II Língua Portuguesa   2º Bimestre - 4º AnoAvaliação bimestral II Língua Portuguesa   2º Bimestre - 4º Ano
Avaliação bimestral II Língua Portuguesa 2º Bimestre - 4º Ano
 
Prova Brasil 4ª série-português e matemática
Prova Brasil 4ª série-português e matemáticaProva Brasil 4ª série-português e matemática
Prova Brasil 4ª série-português e matemática
 
Av Língua Portuguesa e Matemática 4º ano
Av Língua Portuguesa e Matemática 4º anoAv Língua Portuguesa e Matemática 4º ano
Av Língua Portuguesa e Matemática 4º ano
 
Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1
Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1
Prova.pb.linguaportuguesa.4ano.manha.3bim1
 
Modelo de teste português
Modelo de teste portuguêsModelo de teste português
Modelo de teste português
 

Semelhante a avaliação 4 ano

Leitura e interpretacao_de_textos
Leitura e interpretacao_de_textosLeitura e interpretacao_de_textos
Leitura e interpretacao_de_textosMarcos Ataide
 
Leitura e interpretação de texto
Leitura e interpretação de textoLeitura e interpretação de texto
Leitura e interpretação de textoAugusto Bertotto
 
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02mariacarmcorreia
 
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02Sonia Ramos
 
Crônicas para jovens, Clarice Lispector.pptx
Crônicas para jovens,  Clarice Lispector.pptxCrônicas para jovens,  Clarice Lispector.pptx
Crônicas para jovens, Clarice Lispector.pptxCrisBiagio
 
Se eu fosse ...
Se eu fosse ...Se eu fosse ...
Se eu fosse ...O Ciclista
 
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalapresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalLindalvaAlves2
 
Manuel antóniopina1
Manuel antóniopina1Manuel antóniopina1
Manuel antóniopina1Zulmira Lima
 
EEI 8 - Aula 8 o retorno da vida corporal à vida material
EEI 8 - Aula 8   o retorno da vida corporal à vida materialEEI 8 - Aula 8   o retorno da vida corporal à vida material
EEI 8 - Aula 8 o retorno da vida corporal à vida materialFatoze
 
Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)
Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)
Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)Rosemari Teodoro
 
O meu primeiro álbum de poesias
O meu primeiro álbum de poesiasO meu primeiro álbum de poesias
O meu primeiro álbum de poesiasMaria Catarina
 
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)Paula Meyer Piagentini
 
Carlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortais
Carlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortaisCarlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortais
Carlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortaisCarlos Henrique Pereira
 
Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa
Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa
Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa MLURBANO
 
Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015
Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015
Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015Débora Kikuti
 
Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...
Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...
Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...Colgiopice
 

Semelhante a avaliação 4 ano (20)

Leitura e interpretacao_de_textos
Leitura e interpretacao_de_textosLeitura e interpretacao_de_textos
Leitura e interpretacao_de_textos
 
Leitura e interpretação de texto
Leitura e interpretação de textoLeitura e interpretação de texto
Leitura e interpretação de texto
 
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
 
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
Leituraeinterpretacaodetextos 140507190836-phpapp02
 
Crônicas para jovens, Clarice Lispector.pptx
Crônicas para jovens,  Clarice Lispector.pptxCrônicas para jovens,  Clarice Lispector.pptx
Crônicas para jovens, Clarice Lispector.pptx
 
Se eu fosse ...
Se eu fosse ...Se eu fosse ...
Se eu fosse ...
 
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamentalapresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
apresentação de slides para simulados de portugues 5º ano do ensino fundamental
 
Manuel antóniopina1
Manuel antóniopina1Manuel antóniopina1
Manuel antóniopina1
 
EEI 8 - Aula 8 o retorno da vida corporal à vida material
EEI 8 - Aula 8   o retorno da vida corporal à vida materialEEI 8 - Aula 8   o retorno da vida corporal à vida material
EEI 8 - Aula 8 o retorno da vida corporal à vida material
 
Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)
Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)
Textos para ciclo complementar ( quarto e quinto anos)
 
D 11.pptx
D 11.pptxD 11.pptx
D 11.pptx
 
O meu primeiro álbum de poesias
O meu primeiro álbum de poesiasO meu primeiro álbum de poesias
O meu primeiro álbum de poesias
 
Oficinas de escrita
Oficinas de escritaOficinas de escrita
Oficinas de escrita
 
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
"Se Eu Fosse Eu" - Clarice Lispector (Questões)
 
Carlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortais
Carlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortaisCarlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortais
Carlos henrique pereira_livro_voxifera_o_sonho_sem_dos_mortais
 
Sua Melhor Versao.pdf
Sua Melhor Versao.pdfSua Melhor Versao.pdf
Sua Melhor Versao.pdf
 
Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa
Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa
Trabalho do Gestar II de Língua Portuguesa
 
Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015
Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015
Ensaio PIÁ - Débora Kikuti - 2015
 
Historinhas de Mãe Natureza
Historinhas de Mãe Natureza   Historinhas de Mãe Natureza
Historinhas de Mãe Natureza
 
Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...
Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...
Gêneros textuais fábula, tira, História em Quadrinhos (HQ), textos expositivo...
 

Mais de Vinicius O Resiliente (20)

0a04b41489a1434a01ebb737645b9666
0a04b41489a1434a01ebb737645b96660a04b41489a1434a01ebb737645b9666
0a04b41489a1434a01ebb737645b9666
 
Banco de-questões-língua-portuguesa4
Banco de-questões-língua-portuguesa4Banco de-questões-língua-portuguesa4
Banco de-questões-língua-portuguesa4
 
Banco de-questões-língua-portuguesa3
Banco de-questões-língua-portuguesa3Banco de-questões-língua-portuguesa3
Banco de-questões-língua-portuguesa3
 
050
050050
050
 
prova 1 ano
prova 1 anoprova 1 ano
prova 1 ano
 
avaliação 1 ano português
avaliação 1 ano portuguêsavaliação 1 ano português
avaliação 1 ano português
 
Banco de-questões-língua-portuguesa5
Banco de-questões-língua-portuguesa5Banco de-questões-língua-portuguesa5
Banco de-questões-língua-portuguesa5
 
003
003003
003
 
Sport
SportSport
Sport
 
Vegetasbles
VegetasblesVegetasbles
Vegetasbles
 
Job
JobJob
Job
 
Ifeel2
Ifeel2Ifeel2
Ifeel2
 
Fastfood
FastfoodFastfood
Fastfood
 
Face2
Face2Face2
Face2
 
Ana2
Ana2Ana2
Ana2
 
CaÇa palavras 31
CaÇa palavras 31CaÇa palavras 31
CaÇa palavras 31
 
Caca barquinho
Caca barquinhoCaca barquinho
Caca barquinho
 
Caça+palavras
Caça+palavrasCaça+palavras
Caça+palavras
 
Caca palavras nova ortografia
Caca palavras nova ortografiaCaca palavras nova ortografia
Caca palavras nova ortografia
 
Dislexia
DislexiaDislexia
Dislexia
 

Último

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxMartin M Flynn
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEblogdoelvis
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na Áfricajuekfuek
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptorlando dias da silva
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 

Último (20)

4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja Poema - Maio Laranja
Poema - Maio Laranja
 
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptxSanta Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
Santa Gemma Galgani, Flor de Lucca, mística italiana 1887-1903 (Portugués).pptx
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na ÁfricaPeriodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
Periodo da escravidAo O Brasil tem seu corpo na América e sua alma na África
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 

avaliação 4 ano

  • 1. 1 UNIDADE: _____________ DATA: 03 / 12 / 2012 III ETAPA – AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA – 4.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A): VALOR: 10,0 MÉDIA: 6,0 RESULTADO: % TEXTO I Todo mundo tem um sonho, ou às vezes diz que tem. Meu sonho é ter uma vida igual a de mais ninguém. Mas, que vida será que eu quero ter? Um dia comecei a tentar responder. No começo, achava que eu queria ter vida de caracol. Viver enrolado e andar sem pressa. Essa deve ser uma vida tranquila à beça. É, mas a minha mãe já me disse que caracol é pequeno um bocado e pode ser esmigalhado. Então pensei: “Não quero ter vida de caracol, não.” Ah, eu queria mesmo é ter vida de peixe. Nadar e mergulhar sem parar, ficar molhado sem precisar me enxugar, ver as belezas do fundo do mar. Mas se eu for pescado, posso acabar frito na panela. Ah, pensando bem, quero mesmo é ter vida de planta. Viver parado, sem ter que fazer nada. Ser alimentado pela chuva e balançado pelo vento. Embelezar jardins e apartamentos. Mas, e se chover demais, a planta pode morrer afogada e se o verão for muito forte, ela morre ressecada. Ah, na verdade, de verdade mesmo eu queria ter vida de cascavel, dar o bote nas pessoas. Mas, viver rastejando é ruim e chocalho de cascavel faz todo mundo morrer de pavor. Ah, ainda mais que tudo, o que eu quero é ter vida de gaivota. Entrar nas nuvens, cair no mar, andar na areia... caminhar, mergulhar, decolar. Mas, não quero dormir em pé e nem ficar preso em redes de pescadores. Então, pensei: “Não quero ter vida de gaivota, não.” Mas, afinal, que vida que eu quero ter? Estava difícil decidir. Pensei e pensei. Não posso fazer tudo que eu quero. Mas descobri que posso fazer umas coisas de que eu gosto tanto: me enrolar num edredom, feito caracol, numa noite inteira, mergulhar fundo, mas dar um bote num pote de brigadeiro, ficar parado o tempo que me der vontade, feito bananeira, dar um monte de beijos na minha mãe e, feito uma gaivota ligeira, voar para dentro de uma piscina. Não sei ainda que vida vou ter, quando crescer. E posso até escutar o que cada pessoa pensa e diz. Mas, já sei que eu quero ter uma vida minha, muito minha, que me deixe assim: feliz todos os dias. FERNANDES, Susana Maria. Que vida eu quero ter? Abacate, Belo Horizonte . 2012. (Adaptação) SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA
  • 2. 2 01. Leia as frases abaixo e observe as palavras em destaque.  Todo mundo tem um sonho. O meu é ter uma vida igual a de mais ninguém.  Queria ter vida de caracol: viver enrolado e andar sem pressa. Risque, no quadro de verbetes, o melhor significado para essas palavras. Sonho Enrolado  conjunto de imagens e ideias que surgem durante o sono;  o que se quer alcançar ou realizar;  bolo com recheio de creme coberto com açúcar e canela.  embrulhado, envolto, que se enrolou em forma de rolo;  confuso, complicado;  que engana. 02. Dê o significado das expressões sublinhadas nas frases, observando a numeração. Vida de caracol deve ser uma vida tranquila à beça. Caracol é pequeno e pode ser esmigalhado. 1 2 Se o verão for forte, a planta morre ressecada. 3 1 2 3 03. O personagem do texto tem um sonho.  Qual é esse sonho? O personagem, mais que tudo, queria ter vida de gaivota.  O que ele poderia fazer sendo essa ave? Copie, do parágrafo que traz essa informação, quatro verbos que respondem à essa pergunta. 04. a) Assinale a opção correta: O personagem enfim descobriu que: ( ) quanto mais se tem sonho, mais tempo se vive. ( ) o melhor é viver um sonho de tempos em tempos. ( ) o melhor sonho seria ser peixe. ( ) para ser feliz não precisaria ter um sonho realizado, bastaria fazer tudo o que ele mais gostasse. 0,4 0,6 1 0,3
  • 3. 3 b) Complete o quadro sobre as descobertas da personagem do texto. O personagem descobriu que: Não poderia se enrolar como um caracol, mas poderia enrolar.... Não poderia mergulhar como peixe no fundo do mar, mas poderia mergulhar... Como uma cascavel ligeira, não poderia dar o bote nas pessoas, mas poderia dar um bote... 05. Já sei. Quero ter uma vida só minha, que me deixe assim: muito feliz. O que deixa sua vida muito mais feliz? Escreva contando o motivo dessa felicidade. Leia o texto e resolva as questões 06 e 07. TEXTO II Zé Francisco chegou em casa correndo e imediatamente assentou-se à mesa. Tinha uma tarefa super legal. Uma produção de texto e sabe qual era o título? Se eu fosse... Mal conseguiu almoçar e começou a escrever: Se eu fosse um príncipe, teria um grande e belo cavalo branco, roupas elegantes, salvaria uma princesa do encantamento da bruxa má, casaria com ela e seria... feliz para sempre. Mas aí ele ficou pensando, pensando: — “Bom, não sei se eu seria feliz para sempre. Ser feliz para sempre é complicado.” O Zé Francisco, então, mudou de página, pensou, pensou e começou de novo... e foi escrevendo e pensando... Se eu fosse invisível... (Ninguém poderia me ver, nem eu mesmo. Não poderia ser ouvido pelos amigos. Que coisa esquisita!) Se eu fosse um pássaro... (Ah! Poderia estar preso e seria muito chato!) Se eu fosse um professor... (Até que poderia ser. Mas e os alunos que não são responsáveis? E se eles fossem mal-educados? Desisto.) Se eu fosse um super-herói... (Sempre quis ser Homem-Aranha, subir nos prédios, caçar bandidos, até voar. Mas se alguém dissesse que estava com fome? Ah! Alguém com fome? Como poderia ajudá-lo?) Estava difícil! E o Zé continuou pensando... Se eu fosse... Se eu fosse... Se eu fosse... — Viva! É isso! SE EU FOSSE EU. Claro, por que não? Então o Zé Francisco, foi de novo a uma folha, limpinha, todas as linhas em branco, desenhou novos contornos, estufou o peito, ajeitou a caneta, respirou fundo e... Se eu fosse o Zé Francisco 1 1,2
  • 4. 4 Se eu fosse o Zé Francisco, seria eu mesmo, assim mesmo, gente parecida com outras gentes de verdade. Não seria nenhum super-herói. Teria muitos amigos na escola, e na vizinhança. Não brigaria com as meninas da minha classe, mas morreria de vontade de saber o que elas tanto escrevem nos seus diários. Se eu fosse o Zé Francisco, dormiria tarde todas as noites e sonharia todos os sonhos possíveis com super- heróis, com fantasmas, com monstros e não sentiria medo. Eu seria sempre muito valente. Eu não ia querer ser feliz para sempre, mas ia querer ser feliz todo dia, um dia de cada vez. Ah! Se eu fosse o Zé Francisco, não ia querer ser ninguém mais! O Zé Francisco fechou o caderno, imensamente aliviado, de bem com a vida. Afinal, no dia seguinte, outras tantas histórias estariam esperando por ele. GARCIA, Edson Gabriel. Tantas histórias no outro lado do espelho, Ed. FTD, São Paulo, 1999. 06. a) Responda.  Existe relação entre os TEXTOS I e II? Justifique.  De acordo com o texto, essa informação é verdadeira? Por quê?  Escreva qual é esse desejo. Ao começar a sua tarefa de casa, Zé Francisco já sabia quem ele seria e o que escreveria sobre esse personagem. Ao final dos TEXTOS I e II podemos concluir que os personagens têm o mesmo desejo. 1,5
  • 5. 5  Como devemos tratar nossos amigos para preservar a amizade? Escreva um parágrafo. 07. — “Bom, não sei se eu seria feliz para sempre. Ser feliz para sempre é complicado.” — Disse Zé Francisco. a) Você concorda com Zé Francisco? Por quê? b) Imagine que você tenha recebido o mesmo dever de casa de Zé Francisco. O que você deseja ser quando crescer ou que tipo de vida você gostaria de ter? Como seria? O que você faria? Escreva um texto. Se eu fosse... ZICS/gmf Zé Francisco escreve: “Teria muitos amigos na escola e na vizinhança.” 1 0,5 2,5