UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO       FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITO           Paulo Felix da Cruz - 202805       ...
2012
UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO       FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITOHQ... E as variantes linguísticas presentes na...
Resumo      A leitura de HQs do Chico Bento promove uma interação da fala da roça,típica do interior de São Paulo, com a f...
SumárioIntrodução............................................................................................................
Lista de ilustraçõesIntrodução...............................................................................................
Introdução   Este trabalho visa ampliar o repertório sociolinguístico mostrando os caminhosentre as variantes diamésica e ...
Capítulo Teórico      Focando a fonética e a fonologia neste trabalho, observamos marcas gráficasque indicam uma sonoridad...
(Sousa, Maurício de. Chico Bento em... Problema de Acento – HQ nº 450, pág. 29)              Quando as diferenças são nume...
MÃE DE CHICO: TABÉM, FIO!MÃE DE CHICO: TADINHO! TÃO ISTUDIOSO!Ações: (Chico saindo, observando a árvore e o passarinho, ti...
Metodologia      O aporte teórico escolhido para estudo são as variações diastrática e adiamésica, porque faz referência à...
**Anhé?            Ah é?                           ***Miora           Melhora                           *Disconcentrar    ...
Análise do corpus      Baseando-se nas análises anteriores, pressupomos que há um embate entreos falantes da comunidade do...
Dessa forma, partimos da análise que o desempenho linguístico e ocomportamento social estão relacionados de forma dialétic...
Considerações Finais         Comparando os resultados das análises das HQs, constata-se que asociolingüística realmente dá...
Anexos    Figura 1 – Chico Bento em... Problema de Acento
Figura 2 - Chico Bento em... Problema de Acento
Figura 3 - Chico Bento em... Problema de Acento
Figura 4 - Chico Bento em... Problema de Acento
Figura 5 – Chico Bento em... Um tema pra redação
Figura 6 - Chico Bento em... Um tema pra redação
Figura 7 - Chico Bento em... Um tema pra redação
Figura 8 - Chico Bento em... Um tema pra redaçãoReferências Bibliográficas
SINTAXE. In: Nova Minigramática da Língua Portuguesa. São Paulo: DomingosPaschoal Cegalla. Companhia Editora Nacional, 1ª ...
Trabalho de Sociolinguistica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho de Sociolinguistica

2.424 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.424
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
30
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de Sociolinguistica

  1. 1. UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITO Paulo Felix da Cruz - 202805 Rosa Ferreira da Silva Santos - 193816 Vinícius da Silva Fini - 202808HQ... E as variantes linguísticas presentes na fala do Chico Bento Guaianazes
  2. 2. 2012
  3. 3. UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE HUMANIDADES E DIREITOHQ... E as variantes linguísticas presentes na fala do Chico Bento Trabalho apresentado ao Curso de Letras – Português/Espanhol como parte integrante da nota do módulo Língua, arte e literatura sob orientação da Prof a Camila Santiago. Guaianazes 2012
  4. 4. Resumo A leitura de HQs do Chico Bento promove uma interação da fala da roça,típica do interior de São Paulo, com a fala urbana. O repertório cultural se apresentaem vários contextos. O cotidiano da roça é retratado de forma simples, mostrando ariqueza do senso comum, o cuidado com a natureza e os animais, o culto à religião,assiduidade na escola, o respeito e crença nos ditos populares, a amizade presentenos textos, e principalmente a valorização da família na qual está inserido. Os personagens permitem que haja interação com eles com bastantenaturalidade, porque a forma de se expressar prende o leitor de tal modo, levando-oa observar cada vez mais, relacionando-se com o personagem. O ambiente da roça é acolhedor, divertido, porém exige trabalho e cuidadopara a sobrevivência das pessoas em comunidade e não podemos deixar de citar osensinamentos hereditários. A linguagem do texto é marcada com as variantes: “pra, ocê, num, uai, faiz,mermo, pruque, prantação, chegô, pegá, aminhã, ara, dexá di sê bobo, procê, firmede fiquição, óia, baõ e fio”. Estes são alguns exemplos de expressão linguísticadeste trabalho.Palavras-chave: HQs, roça, Chico Bento, animais, amizade e variantes.
  5. 5. SumárioIntrodução...................................................................................................................................7Capítulo Teórico.........................................................................................................................8Metodologia..............................................................................................................................11Análise do corpus......................................................................................................................14Considerações Finais.................................................................................................................16Anexos......................................................................................................................................17Referências Bibliográficas........................................................................................................24
  6. 6. Lista de ilustraçõesIntrodução...................................................................................................................................7Capítulo Teórico.........................................................................................................................8Metodologia..............................................................................................................................11Análise do corpus......................................................................................................................14Considerações Finais.................................................................................................................16Anexos......................................................................................................................................17Referências Bibliográficas........................................................................................................24Introdução...................................................................................................................................7Capítulo Teórico.........................................................................................................................8Metodologia..............................................................................................................................11Análise do corpus......................................................................................................................14Considerações Finais.................................................................................................................16Anexos......................................................................................................................................17Referências Bibliográficas........................................................................................................24Introdução...................................................................................................................................7Capítulo Teórico.........................................................................................................................8Metodologia..............................................................................................................................11Análise do corpus......................................................................................................................14Considerações Finais.................................................................................................................16Anexos......................................................................................................................................17Referências Bibliográficas........................................................................................................24Introdução...................................................................................................................................7Capítulo Teórico.........................................................................................................................8Metodologia..............................................................................................................................11Análise do corpus......................................................................................................................14Considerações Finais.................................................................................................................16Anexos......................................................................................................................................17Referências Bibliográficas........................................................................................................24Introdução...................................................................................................................................7Capítulo Teórico.........................................................................................................................8Metodologia..............................................................................................................................11Análise do corpus......................................................................................................................14Considerações Finais.................................................................................................................16Anexos......................................................................................................................................17Referências Bibliográficas........................................................................................................24
  7. 7. Introdução Este trabalho visa ampliar o repertório sociolinguístico mostrando os caminhosentre as variantes diamésica e a diastrática, apontando as diferenças da fala e daescrita no HQ do Chico Bento, contextualizando as ações do cotidiano. Justifica-se a escolha deste tema pela riqueza cultural brasileira e asdiversidades da fala no sentido regional e na forma culta e popular. Quando Chico Bento se reporta a alguém com um conhecimento mais culto,chega até coçar a cabeça tentando entender a mensagem de seu interlocutor. Noentanto, mesmo com toda a sua simplicidade, ele não deixa de buscar maisconhecimento, acrescentando ainda mais saberes. Pode-se encontrar neste trabalho como aporte teórico a fala típica e imagens queilustram as ações do cotidiano: lazer, estudo, trabalho, amizade e convivênciafamiliar e social.
  8. 8. Capítulo Teórico Focando a fonética e a fonologia neste trabalho, observamos marcas gráficasque indicam uma sonoridade fortemente peculiar da fala interiorana. Veja o exemploa seguir com algumas falas de Chico Bento e sua professora: Chico Bento em... Problema de AcentoPROFESSORA: BEM, CRIANÇAS... HOJE VAMOS TREINAR O PORTUGUÊS!CHICO BENTO: QUAR, FESSORA? SEU MANUER, DA VENDA OU SEUJOAQUIM, DO AÇOGUE?PROFESSORA: NENHUM DOS DOIS, CHICO!CHICO BENTO: ENTÃO, TEM PORTUGUEIS NOVO NA CIDADE!PRFESSORA: NÃO! EU ESTOU ME REFERINDO À NOSSA LÍNGUA.CHICO BENTO: AH, BÃO!ZÉ LELÉ: HUM!PROFESSORA: OH!!ZÉ LELÉ: BLÉÉÉ LÉÉÉÉ!!! (mostrando a língua)PROFESSORA: ZÉ LELÉ!! OQ EU SIGNIFICA ISSO?!ZÉ LELÉ: ARA, FESSORA! SÓ TAVA TRENANDO A LÍNGUA, COMO A SINHORAMANDÔ!PROFESSORA: A LÍNGUA A QUE ME REFIRO É O NOSSO IDIOMA, A LÍNGUAPORTUGUESA.ZÉ LELÉ: AH, BÃO!PROFESSORA: BEM, VAMOS LÁ! QUEM SOLETRA A PALAVRA “MÃE”?CHICO BENTO: ESSA É FÁCIR! EME, A, E! MÃE!PROFESSORA: MUITO BEM, CHICO! E O ACENTO?CHICO BENTO: AHM, FESSORA! JÁ TÁ BEM MIOR, BRIGADO! (com vergonha)CHICO BENTO: SÓ QUIRIA SABÊ QUEM FOI O FOFOQUERO QUI CONTÔ QUIEU LEVEI UM COICE NO BUM... NO ASSENTO!ZÉ DA ROÇA: CALMA, CHICO! A PROFESSORA TÁ FALANDO É DO “TIL”!CHICO BENTO: ANHÉ?...
  9. 9. (Sousa, Maurício de. Chico Bento em... Problema de Acento – HQ nº 450, pág. 29) Quando as diferenças são numerosas e sistemáticas, e atingem não só a pronúncia e o léxico, mas também a gramática, podemos chamar as variedades regionais "dialetos". Quando um dialeto começa a ter autonomia (na imaginação popular), ele deixa de ser um dialeto e começa a ser considerado uma língua. Do ponto de vista lingüístico, todas as variedades de uma língua têm o mesmo valor; não existe uma variedade "melhor" que outra. Mas do ponto de vista político e social, uma variedade é considerada a melhor: a variedade padrão. (McCleary, Leland. Sociolonguistica. 2007. Curso de Licenciatura em letras-Libras.Professor da USP. Acesso do link: http://ecs.futuro.usp.br/docs/Sociolinguistica.pdf no dia 23 de outubro de 2012). Analisando uma situação diacrônica, onde as partes estão em conflito, aleitura imagética retrata a situação em que a mãe do Chico Bento se preocupa aover seu filho tão aflito, concernente à relação da produção de sentido. Observe aseguir a história: Chico Bento em... Um tema pra redaçãoCHICO BENTO: AH! HUM! UI!MÃE DE CHICO: O QUI FOI, FIO?MÃE DE CHICO: ARGUM PROBREMA?CHICO BENTO: PIÓ MÃE... É UMA REDAÇÃO! EU É QUI TENHO QUI ISCOIÉ OTEMA!MÃE DE CHICO: PUXA!CHICO BENTO: PENSO, PENSO, PENSO... I NUM SEI O QUE ISCRIVINHÁ!CHICO BENTO: VÔ DÁ UMA VORTINHA! QUEM SABE AS IDÉIA MIORA!
  10. 10. MÃE DE CHICO: TABÉM, FIO!MÃE DE CHICO: TADINHO! TÃO ISTUDIOSO!Ações: (Chico saindo, observando a árvore e o passarinho, tirando a roupa paranadar no riacho, banhando-se na cascata, veste-se e vai comer framboesa, andamais um pouco, deita-se para descansar e contempla as borboletas e o coelho, sobea colina, anda e quando cansa, senta-se para descansar e percebe que a noitechegou. Volta para casa.)MÃE DE CHICO: MÃE, JÁ SEI O QUE ISCRIVINHÁ NA MINHA REDAÇÃO!(Chico escreve, escreve, escreve...)CHICO BENTO: CABEI!(No outro dia vai para a escola).PROFESSORA: PARABÉNS, CHICO! GOSTEI MUITO DO TEMA QUE VOCÊESCOLHEU PARA A REDAÇÃO!PROFESSORA: A NATUREZA!(Fim) (Sousa, Maurício de. Chico Bento em... Um tema pra Redação – HQ Turma da Mônica, Coleção Coca Cola, pág. 14)
  11. 11. Metodologia O aporte teórico escolhido para estudo são as variações diastrática e adiamésica, porque faz referência às diferenças entre o falar e o escrever. Nesta análise do HQ citado anteriormente, a morfologia se apresenta emcada cena dos quadros. O embasamento teórico gerou discussões positivas entre ospesquisadores, acerca da fala interiorana de Chico Bento e demais personagens emseus diversos saberes. Recorremos às seguintes palavras para análise com abertura para osignificado das mesmas: Interiorana Léxico *Antis Antes *Pru quê Porque **Bão Bom *Ocê Você *I E **Ara Ora *Oia Olha **Facir Fácil *Drumindo Dormindo *Finar Final ***Vô Vou *Ti Te **Mandô Mandou *Orguiá Orgulhar *Prantação Plantação *Drento Dentro ***Iscrivinhá Escrever ***Iscoié Escolher **Pobrema Problema *Argum Algum **Contô Contou *Dexá Deixar *Im Paiz Em Paz *Tamém Também *Bunito Bonito ***Vortinha Voltinha **Memo Mesmo *Qué sabê? Quer saber? *Perparado Preparado *Ansim Assim
  12. 12. **Anhé? Ah é? ***Miora Melhora *Disconcentrar Desconcentrar *Pexe Peixe **Im riba Em cima ***Cabei Acabei *Anzor Anzol *Arma Alma *Qui Que ***Tadinho Coitadinho *Craro Claro *Passá Passar *Quarqué Qualquer *Mi Me **Mior Melhor *As veiz Às vezes *Faiz Faz *Cocê Com você *Intendi Entendi *Incontrá Encontrar *Si Se *Apanhá Apanhar **Quar Qual **Intão EntãoFonte:* Formas variantes aleatórias que fazem parte do repertório do HQ de Chico Bento.** Formas variantes encontradas no episódio de Chico Bento em... Um problema de acento.*** Formas variantes encontradas no episódio de Chico Bento em... Um tema pra redação. A pesquisa resultou em análise de algumas palavras que envolvem a sintaxe,porque a palavra, ora está de forma desenvolvida, ora está de forma reduzida. Comopodemos visualizar nos exemplos abaixo: Forma Forma reduzida desenvolvid a Cocê Com você Anhé? Ah é? Ocê Você Cabei Acabei Vô Vou
  13. 13. Análise do corpus Baseando-se nas análises anteriores, pressupomos que há um embate entreos falantes da comunidade do HQ do Chico Bento para que a comunicaçãoaconteça. Isto acontece de modo corriqueiro, porque até mesmo durante as aulas aprofessora pratica e incentiva os alunos a usarem a norma culta. Já os moradoresfalam um linguajar coloquial, no entanto, todos eles se entendem, pois a língua éflexível e mutável, sendo assim, estão presentes nas cenas do HQ as cenas queexplicitam a forte presença do regionalismo, onde a comunidade preserva seu modopeculiar de falar, estabelecendo assim na escola, por meio do estudo, que é a normaculta, a uniformalização da língua. [...] nos eixos diatópico e diastrático. No primeiro, as alternâncias se expressam regionalmente, considerando-se os limites físico- geográficos; No segundo, ela se manifesta de acordo com os diferentes estratos sociais, levando-se em conta fronteiras sociais. (REVISTA PHILOLOGUS, Ano 15, Nº 44 apud SOUSA, ALEXANDRE MELO DE. UFAC. Mona paródica... dá mais pinta, bonita: análise léxico-semântica da gíria dos homossexuais de fortaleza). O HQ do Chico Bento exalta a região interiorana com todas as suas belezas,riquezas, tradições, costumes, cultura, crenças e linguagem numa simplicidadecomovente e apaixonante para enredar o leitor a querer mais e mais se aproximardo mesmo. Seu formato é de fácil manuseio e objetiva alcançar o público infantil einfanto-juvenil, contudo, o público juvenil também é atingido porque seu linguajar éde fácil compreensão. Vemos também que neste gênero literário há uma grandepreocupação em conscientizar a preservação da natureza e a linguística não fica aparte, visto que a presença da escola, a produção da redação e os resultadosobtidos dessa educação formal e não formal repercutem na produção do sentido.
  14. 14. Dessa forma, partimos da análise que o desempenho linguístico e ocomportamento social estão relacionados de forma dialética, semântico, léxico esintática.
  15. 15. Considerações Finais Comparando os resultados das análises das HQs, constata-se que asociolingüística realmente dá margem para variações linguísticas e estas, por suavez, refletem as variações diastrática e diamésica. De um modo geral, comprovamos que a forma de comportamento lingüísticomuda seu ritmo quando há mudança de posição social, exemplificando com arelação entre professora – aluno, padre – fieis e moradores de zona urbana – zonarural. Em suma, o trabalho de análise da HQ nos revelou que a conduta de umgrupo social de uma região interiorana de São Paulo, possui certas característicasde sua região que assim, naturalmente, expressam seu dialeto.
  16. 16. Anexos Figura 1 – Chico Bento em... Problema de Acento
  17. 17. Figura 2 - Chico Bento em... Problema de Acento
  18. 18. Figura 3 - Chico Bento em... Problema de Acento
  19. 19. Figura 4 - Chico Bento em... Problema de Acento
  20. 20. Figura 5 – Chico Bento em... Um tema pra redação
  21. 21. Figura 6 - Chico Bento em... Um tema pra redação
  22. 22. Figura 7 - Chico Bento em... Um tema pra redação
  23. 23. Figura 8 - Chico Bento em... Um tema pra redaçãoReferências Bibliográficas
  24. 24. SINTAXE. In: Nova Minigramática da Língua Portuguesa. São Paulo: DomingosPaschoal Cegalla. Companhia Editora Nacional, 1ª edição, 1ª Reimpressão, 2005.SOUSA, Maurício de. Histórias em quadrinhos. Turma da Mônica: Chico Bento. S.d. Nº 450 – Editora GloboSOUSA, Maurício de. Histórias em quadrinhos. Turma da Mônica: Chico Bento, o Rio as Vida. S.d. Nº 59 – Editora PaniniComicsSOUSA, Maurício de. Histórias em quadrinhos. Turma da Mônica, Coleção CocaCola. S.d. Editora Globo.SOUSA, Maurício de. Histórias em quadrinhos. Almanaque Chico Bento. S.d. Nº 87 – Editora GloboSOUSA, Maurício de. Histórias em quadrinhos. Turma da Mônica: Chico Bento, almas gêmeas. S.d. Nº 25 – Editora PaniniComics

×