Carta Capital

746 visualizações

Publicada em

Trabalho apresentado no V CICFAI (Congresso de Iniciação Científica das Faculdades de Adamantinenses Integradas)

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
746
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
50
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Carta Capital

  1. 2. O que é a revista Carta Capital  <ul><li>Foi fundada em agosto de 1994 pelo jornalista brasileiro Mino Carta. </li></ul><ul><li>Com apenas 16 anos de existência. </li></ul><ul><li>Foi criada para falar de política, economia e cultura. </li></ul><ul><li>Vantagens da Carta Capital em relação as outras revista. </li></ul>
  2. 4. Censura. Um fantasma apenas <ul><li>A liberdade de imprensa corre riscos hoje? </li></ul><ul><li>A competição cada vez mais crescente no universo midiático </li></ul><ul><li>A censura judicial </li></ul>
  3. 6. Anistia aos torturados, arquivos da ditadura <ul><li>A reportagem revela documentos inéditos e a atitude de alguns militares, que ainda insistem em comemorar o golpe realizado em 1964 e que durou até 1985. A revista também faz uma homenagem ao ex-vice-presidente do Brasil, José de Alencar </li></ul>
  4. 7. Anistia aos torturados, arquivos da ditadura <ul><li>A Ditadura Militar no Brasil durou exatos 21 anos, de 1º de Abril de 1964 </li></ul><ul><li>Durante este período de grande repressão política, 380 pessoas foram, entre as quais 147 continuam desaparecidos e nada se sabe sobre o destino de seus corpos. </li></ul>
  5. 10. Alfredo Bosi – Um pensador contra a Ideologia Dominante <ul><li>Capítulo “Ideias – Entrevista” </li></ul><ul><li>Morador de uma casa em Cotia, que no passado foi reunião do Partido dos Trabalhadores </li></ul><ul><li>Livro: “Ideologia e Contraideologia” </li></ul><ul><li>Qual a distinção de Ideologia e Contraideologia? </li></ul>
  6. 11. Anistia aos torturados, arquivos da ditadura <ul><li>Lei da anistia  é o nome popular da lei n° 6.683, que foi promulgada pelo presidente Figueiredo em de 28 de agosto de 1979, </li></ul><ul><li>&quot;Direito à Memória e à Verdade&quot; </li></ul>
  7. 13. Nomeação do Celso Amorim como ministro da Defesa <ul><li>Nelson Jobim que pertence ao partido PMDB, foi demitido após varias entrevistas bombásticas difamando o governo de Dilma e sua equipe. </li></ul><ul><li>Foi através das mídias alternativas, como a revista Piauí onde classificou a ministra Ideli Sahatti como “fraquinha” e declarou que Geise Hoffman “nem conhecia Brasília”. </li></ul>
  8. 14. Nomeação do Celso Amorim como ministro da Defesa <ul><li>A presidente sustenta que o novo ministro vai manter os projetos em andamento e, em alguns casos, Dilma disse ainda:O convoquei porque tenho convicção de que ele é o homem certo para o lugar certo </li></ul><ul><li>A revista tratou esse caso de forma clara e objetiva, apoiando sempre as decisões da presidente Dilma Rousseff . </li></ul>
  9. 16. Direitos humanos - Esquecer nunca  <ul><li>Ditadura militar 1964-1985 </li></ul><ul><li>O passado não consegue passar </li></ul><ul><li>Comissão da verdade </li></ul>
  10. 17. Direitos humanos - Esquecer nunca  <ul><li>‘’ É essencial que os Direitos Humanos sejam protegidos pelo Estado de Direito, para que o homem não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e opressão. ’’ </li></ul>
  11. 18. Direitos humanos - Esquecer nunca  <ul><li>A declaração dos Direitos Humanos ‘’imaginou’’ que a igualdade e a diferença seriam indissociáveis (não haveriam como serem disfarçadas) na sociedade moderna e deveriam substituir reconciliadas, sob as leis de um Estado Ético </li></ul>

×