SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia
2ª Câmara Cível
0010028-84.2013.8.22.0001 - Apelação
Origem: 0010028-84.2013.8.22.0001 Porto Velho - Fórum Cível / 1ª Vara Cível
Apelante: Claro S/A
Advogado: Israel Augusto Alves Freitas da Cunha (OAB/RO 2913)
Advogada: Ana Flávia Pereira Guimarães (OAB/MG 105287)
Advogada: Ana Paula Arantes de Freitas Linhares (OAB/DF 13166)
Advogado: Felipe Gazola Vieira Marques (OAB/MG 76696)
Apelado: Raimundo Caetano Soares
Advogada: Maria Nazarete Pereira da Silva (OAB/RO 1073)
Advogado: Carlos Alberto Troncoso Justo (OAB/RO 535A)
Relator(a) : Des. Kiyochi Mori
Revisor(a): Des. Marcos Alaor Diniz Grangeia
Vistos.
Trata-se de recurso de apelação interposto por Claro S.A. em face da
decisão do juízo da 1ª Vara Cível, que julgou procedente o pedido inicial da ação de
indenização por danos morais ajuizada por Raimundo Caetano Soares, condenando-
a ao pagamento do valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais) a título de indenização por
danos morais, sendo R$ 30.000,00 (trinta mil reais) destinados ao autor e R$
70.000,00 (setenta mil reais) ao Hospital Santa Marcelina a título de dano social.
Recorre alegando inexistência de fato ensejador à reparação por danos
morais ante a ausência de comprovação do dano concreto sofrido pelo autor e de
nexo de causalidade entre o suposto dano e a ação da empresa, tratando-se o caso
de mero aborrecimento.
Tece considerações a respeito do enriquecimento ilícito e da indústria
do dano moral.
Sustenta que condenação ao pagamento de indenização por dano
social tem natureza extra petita e não possui fundamentos legais ou doutrinários, pelo
que requer seja afastada.
Ao final, pugna seja julgado improcedente o pedido incial ou minorado o
quantum indenizatório.
Contrarrazões às fls. 152/168 requerendo seja negado provimento ao
recurso.
Examinados.
Decido.
Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do recurso.
Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001.
Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059
Número Verificador: 500100288420138220001280433
Folha n.: 1
Insurge-se a Claro S.A. quanto à condenação ao pagamento de
indenização por danos morais argumentando que os fatos narrados na inicial não
demonstram abalo emocional ou constrangimento sofrido pelo autor apenas meros
aborrecimentos do cotidiano.
Consta dos autos, às fls. 30/33, que o nome do apelado foi inserido nos
cadastros restritivos em decorrência do inadimplemento de débitos supostamente
devidos à recorrente, os quais seriam indevidos, visto que o requerente afirma nunca
ter utilizado os serviços da apelante na modalidade de pós-pago.
A apelante não colacionou aos autos qualquer documento capaz de
comprovar a mudança de plano pelo apelado, ônus que lhe incumbia nos termos do
artigo 333, inciso II, do Código de Processo Civil (CPC).
Portanto, inexistindo comprovação da relação jurídica, o débito é
inexigível e a inscrição indevida, presumindo-se o dano moral e configurando-se o
dever de indenizar.
Nesse sentido é entendimento desta Corte:
APELAÇÃO CÍVEL. INSCRIÇÃO INDEVIDA. DÍVIDA PAGA. QUANTUM
REPARATÓRIO. ADEQUADO. A inscrição indevida, ou mesmo sua
manutenção, do nome do consumidor nos cadastros de restrição ao crédito
constitui in re ipsa o dano moral. O quantum da compensação deve
compreender, dentro do possível, a compensação pelo dano infligido à vitima,
ao mesmo tempo servindo de elemento inibidor e de sanção ao autor do ato
ilícito. (Apelação Cível n. 0244615- 90.2009.8.22.0001, Relator Juiz Osny
Claro de O. Junior, j. 26/10/2010). [sublinhou-se]
DANO MORAL. INSCRIÇÃO INDEVIDA. CADASTRO DE INADIMPLENTES.
EXCLUDENTE DA RESPONSABILIDADE. AFASTAMENTO. INDENIZAÇÃO.
A cobrança indevida e a inscrição do nome do consumidor nos cadastros de
proteção ao crédito geram danos morais e devem ser ressarcidos quando não
demonstrada nenhuma das causas de excludente de responsabilidade. Tendo
a sentença fixado o valor dos danos morais em um patamar proporcional à
lesão decorrente da conduta do ofensor, atendendo à capacidade financeira do
devedor, não há motivos para minorá-lo, ainda mais quando observados os
critérios legais ao caso concreto. (Apelação Cível N. 00028565720108220014,
Rel. Des. Sansão Saldanha, J. 21/06/2011). [sublinhou-se]
Assim, sem respaldo as alegações da apelante, uma vez que a
inscrição indevida no cadastro do serviço de proteção ao crédito, por si só, autoriza o
deferimento de indenização por dano moral, porquanto, nestes casos, o dano é
presumido, decorrendo da mera inclusão irregular.
No que tange ao quantum indenizatório, o entendimento pacificado no
Superior Tribunal de Justiça é no sentido de que é cabível ao Tribunal revisar o valor
fixado a título de indenização por danos morais quando este se revelar irrisório ou
exorbitante, que é o caso em tela, e que “o arbitramento da verba indenizatória deve
Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001.
Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059
Número Verificador: 500100288420138220001280433
Folha n.: 2
sempre observar o princípio da razoabilidade considerando-se diversos elementos,
tais como: a gravidade do ato praticado, a culpabilidade e capacidade econômica do
agente, os efeitos sofridos pela vítima, assim como a sua condição social. Em suma,
deve ser sopesado o alcance do dano objeto de ressarcimento, a fim de se evitar o
enriquecimento ilícito da vítima” (REsp n. 1.034.434 – MA, Relator Min. José
Delgado, 1ª Turma, j. 06/05/2008).
À luz do exposto, a verba deferida na origem se mostra acima do
parâmetro, devendo ser reduzida para R$ 8.000,00 (oito mil reais), ajustando-se,
desse modo, aos parâmetros comumente utilizados por esta Corte em casos
análogos.
No que tange ao dano moral social, merecem ser acolhidas as
argumentações do apelante.
A referida condenação em danos sociais não encontra respaldo nos
artigos 186, 187, 404, parágrafo único e 927 do Código Civil, sendo a ação civil
pública o meio processual adequado para se defender direitos da coletividade e não
ações individuais, conforme dispõe o artigo 1º da Lei n. 7.347/1985.
Nesse sentido, transcrevo excerto de decisão proferida em caso
análogo pelo Ministro Marco Buzzi nos autos da Reclamação n. 14.524 - GO
(2013/0325163-0):
1. Com efeito, o juízo processante, ao impor condenação daquele requerida
pelo autor da demanda, excedeu os limites do provimento jurisdicional e
desrespeitou o princípio do dispositivo da jurisdição, julgando extra petita, o
que é vedado pelo Código de Processo Civil.
Assim, conforme restou consignado pelo Ministro RAUL ARAÚJO, no
julgamento da Rcl n.º 12.062/GO, que, frise-se, trata de caso igual ao dos
autos, "a referida condenação em danos sociais, data venia, não parece
encontrar respaldo nos artigos 186, 187, 404, parágrafo único e 927 do Código
Civil, ao contrário do que assentado pelo v. aresto atacado. Desse modo,
evidencia-se a plausibilidade do direito invocado e o fundado receio de dano
de difícil reparação, que motiva o deferimento da liminar requerida para
determinar a suspensão do processo originário, até o julgamento final da
presente reclamação".
Tem-se, assim, que o acórdão reclamado, ao manter a sentença extra petita
que condenou a casa bancária por danos sociais ao pagamento de R$
20.000,00 (vinte mil reais), claramente excedeu os limites do pedido formulado
pelo titular da ação, da razoabilidade e da equidade em relação ao evento
danoso. Trata-se, ademais, de indenização sem respaldo em lei e não
constante do pedido, configurando teratologia apta à correção na via
excepcional da reclamação.
Nesse sentido, confira-se, ainda: Rcl n.º 15.135/GO, rel. Min. MARIA ISABEL
GALLOTTI, DJ de 07/04/2014; Rcl n.º 16.453/GO, rel. Min. MARIA ISABEL
GALLOTTI, DJ de 31/03/2014; Rcl n.º 15.590/GO, rel. Min. MARIA ISABEL
GALLOTTI, DJ de 31/03/2014.
2. Ante o exposto, julgo procedente o pedido para tão somente excluir da
condenação os danos sociais, ficando mantida a condenação por danos
morais fixada na sentença, com a incidência da multa por descumprimento
Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001.
Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059
Número Verificador: 500100288420138220001280433
Folha n.: 3
nela prevista. (sublinhou-se)
Posto isso, com fundamento no art. 557, § 1º-A, do CPC, dou
provimento ao recurso para minorar o valor da condenação para R$ 8.000,00 (oito
mil reais) e afastar a condenação ao pagamento de indenização por dano social,
mantendo-se inalterada a sentença em seu restante.
Publique-se.
Porto Velho/RO, 17 de julho de 2014.
Desembargador Kiyochi Mori
Relator
Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001.
Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059
Número Verificador: 500100288420138220001280433
Folha n.: 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...
Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...
Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...Informa Jurídico
 
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributárioTribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributárioRondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Réplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação IndenizatóriaRéplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação IndenizatóriaConsultor JRSantana
 
6 - Contestação Cc Contraposto
6 - Contestação Cc Contraposto6 - Contestação Cc Contraposto
6 - Contestação Cc ContrapostoConsultor JRSantana
 
Contestação caso 12
Contestação caso 12Contestação caso 12
Contestação caso 12Estudante
 
Civel ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazer
Civel   ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazerCivel   ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazer
Civel ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazerConsultor JRSantana
 
5- Embargos Declaratórios de Acordão
5- Embargos Declaratórios de Acordão5- Embargos Declaratórios de Acordão
5- Embargos Declaratórios de AcordãoConsultor JRSantana
 
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...Fabio Motta
 
Processo civil e direito civil. ação de indenização por
Processo civil e direito civil. ação de indenização porProcesso civil e direito civil. ação de indenização por
Processo civil e direito civil. ação de indenização porallaymer
 
Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...
Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...
Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...allaymer
 
MERCANTE DISTRIBUIDORA
MERCANTE DISTRIBUIDORAMERCANTE DISTRIBUIDORA
MERCANTE DISTRIBUIDORARobson Suzart
 
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativaRondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativaRondoniadinamica Jornal Eletrônico
 
Recurso Especial - Consumidor - STJ
Recurso Especial - Consumidor - STJRecurso Especial - Consumidor - STJ
Recurso Especial - Consumidor - STJConsultor JRSantana
 
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RSDecisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RSFabio Motta
 
Plano verão banco do brasil sentença - interrupção do prazo
Plano verão banco do brasil   sentença - interrupção do prazoPlano verão banco do brasil   sentença - interrupção do prazo
Plano verão banco do brasil sentença - interrupção do prazoFabio Motta
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1Fabio Motta
 

Mais procurados (20)

Processo joseph-11-09
Processo joseph-11-09Processo joseph-11-09
Processo joseph-11-09
 
Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...
Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...
Apelação cível. ação de obrigação de fazer cc indenização por danos morais e ...
 
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributárioTribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
Tribunal mantém demissão de ex-prefeito de Vilhena do cargo de fiscal tributário
 
Réplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação IndenizatóriaRéplica em Ação Indenizatória
Réplica em Ação Indenizatória
 
6 - Contestação Cc Contraposto
6 - Contestação Cc Contraposto6 - Contestação Cc Contraposto
6 - Contestação Cc Contraposto
 
Contestação caso 12
Contestação caso 12Contestação caso 12
Contestação caso 12
 
Civel ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazer
Civel   ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazerCivel   ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazer
Civel ação ordinária de cumprimento de contrato cc obrigação de fazer
 
5- Embargos Declaratórios de Acordão
5- Embargos Declaratórios de Acordão5- Embargos Declaratórios de Acordão
5- Embargos Declaratórios de Acordão
 
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO APELAÇÃO CÍVEL ...
 
Processo civil e direito civil. ação de indenização por
Processo civil e direito civil. ação de indenização porProcesso civil e direito civil. ação de indenização por
Processo civil e direito civil. ação de indenização por
 
Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...
Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...
Responsabilidade civil – indenização – danos morais e materiais – acidente de...
 
Modelo contestação guarda curadora
Modelo contestação guarda curadoraModelo contestação guarda curadora
Modelo contestação guarda curadora
 
MERCANTE DISTRIBUIDORA
MERCANTE DISTRIBUIDORAMERCANTE DISTRIBUIDORA
MERCANTE DISTRIBUIDORA
 
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativaRondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
Rondônia – Servidores de Ji-Paraná são condenados por improbidade administrativa
 
Modelo petição execução açao de alimentos
Modelo petição execução açao de alimentosModelo petição execução açao de alimentos
Modelo petição execução açao de alimentos
 
Recurso Especial - Consumidor - STJ
Recurso Especial - Consumidor - STJRecurso Especial - Consumidor - STJ
Recurso Especial - Consumidor - STJ
 
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RSDecisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
Decisão Melhor Benefício afastando a decadência - Turma Recursal - RS
 
Plano verão banco do brasil sentença - interrupção do prazo
Plano verão banco do brasil   sentença - interrupção do prazoPlano verão banco do brasil   sentença - interrupção do prazo
Plano verão banco do brasil sentença - interrupção do prazo
 
Bemol
BemolBemol
Bemol
 
Desaposentação Acórdão TRF1
Desaposentação  Acórdão TRF1Desaposentação  Acórdão TRF1
Desaposentação Acórdão TRF1
 

Destaque

MARG-OPENACCESS-INVESTOR
MARG-OPENACCESS-INVESTORMARG-OPENACCESS-INVESTOR
MARG-OPENACCESS-INVESTORRanbir Ghosh
 
1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진
1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진 1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진
1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진 ouo28
 
Marketing_Services_TLP
Marketing_Services_TLPMarketing_Services_TLP
Marketing_Services_TLPMarta Rebelo
 
Ley de 8 de junio de 1957 sobre el Registro Civil
Ley de 8 de junio de 1957 sobre el Registro CivilLey de 8 de junio de 1957 sobre el Registro Civil
Ley de 8 de junio de 1957 sobre el Registro CivilChrysallis Afmt
 
Projeto tarefa final
Projeto tarefa finalProjeto tarefa final
Projeto tarefa finalGpsocram
 
Gestion del conocimiento 08 02-14
Gestion del conocimiento 08 02-14Gestion del conocimiento 08 02-14
Gestion del conocimiento 08 02-14MadeleinB
 
fibra optica. Wilmer Herrera
fibra optica. Wilmer Herrerafibra optica. Wilmer Herrera
fibra optica. Wilmer HerreraWilmer Herrera
 
Actividad2 jose walterrengifo
Actividad2 jose walterrengifoActividad2 jose walterrengifo
Actividad2 jose walterrengifoedwin1802
 
Universidad tecnica de machala
Universidad tecnica de machalaUniversidad tecnica de machala
Universidad tecnica de machalaandres95-10
 

Destaque (19)

Practica 7
Practica 7Practica 7
Practica 7
 
MARG-OPENACCESS-INVESTOR
MARG-OPENACCESS-INVESTORMARG-OPENACCESS-INVESTOR
MARG-OPENACCESS-INVESTOR
 
1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진
1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진 1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진
1109 페이스북 댓글을 통한 9.12지진
 
En que ayuda hoy su credo religioso
En que ayuda hoy su credo religiosoEn que ayuda hoy su credo religioso
En que ayuda hoy su credo religioso
 
Marketing_Services_TLP
Marketing_Services_TLPMarketing_Services_TLP
Marketing_Services_TLP
 
Ley de 8 de junio de 1957 sobre el Registro Civil
Ley de 8 de junio de 1957 sobre el Registro CivilLey de 8 de junio de 1957 sobre el Registro Civil
Ley de 8 de junio de 1957 sobre el Registro Civil
 
Projeto tarefa final
Projeto tarefa finalProjeto tarefa final
Projeto tarefa final
 
Computadora y sus partes
Computadora y sus partesComputadora y sus partes
Computadora y sus partes
 
Esquema del romanticismo
Esquema del romanticismoEsquema del romanticismo
Esquema del romanticismo
 
Orientación
OrientaciónOrientación
Orientación
 
Gestion del conocimiento 08 02-14
Gestion del conocimiento 08 02-14Gestion del conocimiento 08 02-14
Gestion del conocimiento 08 02-14
 
Integra penal
Integra penalIntegra penal
Integra penal
 
Ref Letter Pierre Hurel
Ref Letter Pierre HurelRef Letter Pierre Hurel
Ref Letter Pierre Hurel
 
fibra optica. Wilmer Herrera
fibra optica. Wilmer Herrerafibra optica. Wilmer Herrera
fibra optica. Wilmer Herrera
 
Actividad2 jose walterrengifo
Actividad2 jose walterrengifoActividad2 jose walterrengifo
Actividad2 jose walterrengifo
 
Apsche logo
Apsche logoApsche logo
Apsche logo
 
1078
10781078
1078
 
Universidad tecnica de machala
Universidad tecnica de machalaUniversidad tecnica de machala
Universidad tecnica de machala
 
Processo Vs Sucesso
Processo Vs SucessoProcesso Vs Sucesso
Processo Vs Sucesso
 

Semelhante a Recurso

Apelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacao
Apelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacaoApelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacao
Apelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacaoInforma Jurídico
 
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...Luiz F T Siqueira
 
Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.
Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.
Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.Engel e Rubel Advocacia
 
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasDívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasromeromelosilva
 
Jurisprudência stj resp
Jurisprudência stj respJurisprudência stj resp
Jurisprudência stj respMarcioAdv
 
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)Fabio Motta
 
Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...
Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...
Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...Adriano Monteiro
 
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...Luiz F T Siqueira
 
Princípio da moralidade improbidade - atestado médico para si próprio
Princípio da moralidade   improbidade - atestado médico para si próprioPrincípio da moralidade   improbidade - atestado médico para si próprio
Princípio da moralidade improbidade - atestado médico para si próprioJosé Rogério de Sousa Mendes Júnior
 

Semelhante a Recurso (20)

Eletrobras
EletrobrasEletrobras
Eletrobras
 
Tim 02
Tim 02Tim 02
Tim 02
 
Telecom
TelecomTelecom
Telecom
 
Apelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacao
Apelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacaoApelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacao
Apelação cível e recurso adesivo. ação de indenizacao
 
Claro 01
Claro 01Claro 01
Claro 01
 
Tj mg JURISPRUDENCIA
Tj   mg JURISPRUDENCIATj   mg JURISPRUDENCIA
Tj mg JURISPRUDENCIA
 
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
Dano moral presumido - Multa de trânsito cobrada indevidamente - Repetição de...
 
Condenacao cnh
Condenacao cnhCondenacao cnh
Condenacao cnh
 
Brito do Incra
Brito do IncraBrito do Incra
Brito do Incra
 
Parecer Tribunal
Parecer TribunalParecer Tribunal
Parecer Tribunal
 
Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.
Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.
Santander indeniza cliente por devolução de cheque indevida.
 
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 diasDívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
Dívida quitada autoriza credor pedir exclusão da negativação em 5 dias
 
Jurisprudência stj resp
Jurisprudência stj respJurisprudência stj resp
Jurisprudência stj resp
 
15092014 cassia mendes x cemeru
15092014   cassia mendes x cemeru15092014   cassia mendes x cemeru
15092014 cassia mendes x cemeru
 
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
1308ec22b2e54b21a8fc592157d4f9a0 (1)
 
Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...
Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...
Recurso Especial no Recurso Contra Expedição de Diploma nº 37-93.2013.6.17.00...
 
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
Dano moral presumido - Deficiência na prestação de serviço bancário - Inclusã...
 
Princípio da moralidade improbidade - atestado médico para si próprio
Princípio da moralidade   improbidade - atestado médico para si próprioPrincípio da moralidade   improbidade - atestado médico para si próprio
Princípio da moralidade improbidade - atestado médico para si próprio
 
Info 579-stj-resumido1
Info 579-stj-resumido1Info 579-stj-resumido1
Info 579-stj-resumido1
 
Hc 326.355
Hc 326.355Hc 326.355
Hc 326.355
 

Mais de Vinicius Canova Pires (20)

Veja
VejaVeja
Veja
 
DESEQUILÍBRIO DOS PODERES E A INEFETIVIDADE CONSTITUCIONAL
DESEQUILÍBRIO DOS PODERES E A INEFETIVIDADE CONSTITUCIONALDESEQUILÍBRIO DOS PODERES E A INEFETIVIDADE CONSTITUCIONAL
DESEQUILÍBRIO DOS PODERES E A INEFETIVIDADE CONSTITUCIONAL
 
Prefeitura de Porto Velho convoca servidores para esclarecimentos sobre a tra...
Prefeitura de Porto Velho convoca servidores para esclarecimentos sobre a tra...Prefeitura de Porto Velho convoca servidores para esclarecimentos sobre a tra...
Prefeitura de Porto Velho convoca servidores para esclarecimentos sobre a tra...
 
Deputada
DeputadaDeputada
Deputada
 
TRANSPOSIÇÃO
TRANSPOSIÇÃOTRANSPOSIÇÃO
TRANSPOSIÇÃO
 
LEI Nº 13.121, DE 8 DE MAIO DE 2015
LEI Nº 13.121, DE 8 DE MAIO DE 2015LEI Nº 13.121, DE 8 DE MAIO DE 2015
LEI Nº 13.121, DE 8 DE MAIO DE 2015
 
Nota Oficial do Município de Cacoal
Nota Oficial do Município de CacoalNota Oficial do Município de Cacoal
Nota Oficial do Município de Cacoal
 
Confucio tse ac 18947 - liminar -
Confucio   tse ac 18947 - liminar -Confucio   tse ac 18947 - liminar -
Confucio tse ac 18947 - liminar -
 
PRE Rondônia
PRE RondôniaPRE Rondônia
PRE Rondônia
 
374454
374454374454
374454
 
Lei
LeiLei
Lei
 
Associacao
AssociacaoAssociacao
Associacao
 
Integra
IntegraIntegra
Integra
 
Slide
SlideSlide
Slide
 
Aumento
AumentoAumento
Aumento
 
STJ - HABEAS CORPUS - OPERAÇÃO LUDUS
STJ - HABEAS CORPUS - OPERAÇÃO LUDUSSTJ - HABEAS CORPUS - OPERAÇÃO LUDUS
STJ - HABEAS CORPUS - OPERAÇÃO LUDUS
 
Liminar prefeito de Cacoal
Liminar prefeito de CacoalLiminar prefeito de Cacoal
Liminar prefeito de Cacoal
 
Ellis Regina e Roberto Sobrinho
Ellis Regina e Roberto SobrinhoEllis Regina e Roberto Sobrinho
Ellis Regina e Roberto Sobrinho
 
Neodi
NeodiNeodi
Neodi
 
Parecer Aélcio da TV (PP)
Parecer Aélcio da TV (PP)Parecer Aélcio da TV (PP)
Parecer Aélcio da TV (PP)
 

Recurso

  • 1. Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia 2ª Câmara Cível 0010028-84.2013.8.22.0001 - Apelação Origem: 0010028-84.2013.8.22.0001 Porto Velho - Fórum Cível / 1ª Vara Cível Apelante: Claro S/A Advogado: Israel Augusto Alves Freitas da Cunha (OAB/RO 2913) Advogada: Ana Flávia Pereira Guimarães (OAB/MG 105287) Advogada: Ana Paula Arantes de Freitas Linhares (OAB/DF 13166) Advogado: Felipe Gazola Vieira Marques (OAB/MG 76696) Apelado: Raimundo Caetano Soares Advogada: Maria Nazarete Pereira da Silva (OAB/RO 1073) Advogado: Carlos Alberto Troncoso Justo (OAB/RO 535A) Relator(a) : Des. Kiyochi Mori Revisor(a): Des. Marcos Alaor Diniz Grangeia Vistos. Trata-se de recurso de apelação interposto por Claro S.A. em face da decisão do juízo da 1ª Vara Cível, que julgou procedente o pedido inicial da ação de indenização por danos morais ajuizada por Raimundo Caetano Soares, condenando- a ao pagamento do valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais) a título de indenização por danos morais, sendo R$ 30.000,00 (trinta mil reais) destinados ao autor e R$ 70.000,00 (setenta mil reais) ao Hospital Santa Marcelina a título de dano social. Recorre alegando inexistência de fato ensejador à reparação por danos morais ante a ausência de comprovação do dano concreto sofrido pelo autor e de nexo de causalidade entre o suposto dano e a ação da empresa, tratando-se o caso de mero aborrecimento. Tece considerações a respeito do enriquecimento ilícito e da indústria do dano moral. Sustenta que condenação ao pagamento de indenização por dano social tem natureza extra petita e não possui fundamentos legais ou doutrinários, pelo que requer seja afastada. Ao final, pugna seja julgado improcedente o pedido incial ou minorado o quantum indenizatório. Contrarrazões às fls. 152/168 requerendo seja negado provimento ao recurso. Examinados. Decido. Presentes os pressupostos de admissibilidade, conheço do recurso. Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001. Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059 Número Verificador: 500100288420138220001280433 Folha n.: 1
  • 2. Insurge-se a Claro S.A. quanto à condenação ao pagamento de indenização por danos morais argumentando que os fatos narrados na inicial não demonstram abalo emocional ou constrangimento sofrido pelo autor apenas meros aborrecimentos do cotidiano. Consta dos autos, às fls. 30/33, que o nome do apelado foi inserido nos cadastros restritivos em decorrência do inadimplemento de débitos supostamente devidos à recorrente, os quais seriam indevidos, visto que o requerente afirma nunca ter utilizado os serviços da apelante na modalidade de pós-pago. A apelante não colacionou aos autos qualquer documento capaz de comprovar a mudança de plano pelo apelado, ônus que lhe incumbia nos termos do artigo 333, inciso II, do Código de Processo Civil (CPC). Portanto, inexistindo comprovação da relação jurídica, o débito é inexigível e a inscrição indevida, presumindo-se o dano moral e configurando-se o dever de indenizar. Nesse sentido é entendimento desta Corte: APELAÇÃO CÍVEL. INSCRIÇÃO INDEVIDA. DÍVIDA PAGA. QUANTUM REPARATÓRIO. ADEQUADO. A inscrição indevida, ou mesmo sua manutenção, do nome do consumidor nos cadastros de restrição ao crédito constitui in re ipsa o dano moral. O quantum da compensação deve compreender, dentro do possível, a compensação pelo dano infligido à vitima, ao mesmo tempo servindo de elemento inibidor e de sanção ao autor do ato ilícito. (Apelação Cível n. 0244615- 90.2009.8.22.0001, Relator Juiz Osny Claro de O. Junior, j. 26/10/2010). [sublinhou-se] DANO MORAL. INSCRIÇÃO INDEVIDA. CADASTRO DE INADIMPLENTES. EXCLUDENTE DA RESPONSABILIDADE. AFASTAMENTO. INDENIZAÇÃO. A cobrança indevida e a inscrição do nome do consumidor nos cadastros de proteção ao crédito geram danos morais e devem ser ressarcidos quando não demonstrada nenhuma das causas de excludente de responsabilidade. Tendo a sentença fixado o valor dos danos morais em um patamar proporcional à lesão decorrente da conduta do ofensor, atendendo à capacidade financeira do devedor, não há motivos para minorá-lo, ainda mais quando observados os critérios legais ao caso concreto. (Apelação Cível N. 00028565720108220014, Rel. Des. Sansão Saldanha, J. 21/06/2011). [sublinhou-se] Assim, sem respaldo as alegações da apelante, uma vez que a inscrição indevida no cadastro do serviço de proteção ao crédito, por si só, autoriza o deferimento de indenização por dano moral, porquanto, nestes casos, o dano é presumido, decorrendo da mera inclusão irregular. No que tange ao quantum indenizatório, o entendimento pacificado no Superior Tribunal de Justiça é no sentido de que é cabível ao Tribunal revisar o valor fixado a título de indenização por danos morais quando este se revelar irrisório ou exorbitante, que é o caso em tela, e que “o arbitramento da verba indenizatória deve Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001. Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059 Número Verificador: 500100288420138220001280433 Folha n.: 2
  • 3. sempre observar o princípio da razoabilidade considerando-se diversos elementos, tais como: a gravidade do ato praticado, a culpabilidade e capacidade econômica do agente, os efeitos sofridos pela vítima, assim como a sua condição social. Em suma, deve ser sopesado o alcance do dano objeto de ressarcimento, a fim de se evitar o enriquecimento ilícito da vítima” (REsp n. 1.034.434 – MA, Relator Min. José Delgado, 1ª Turma, j. 06/05/2008). À luz do exposto, a verba deferida na origem se mostra acima do parâmetro, devendo ser reduzida para R$ 8.000,00 (oito mil reais), ajustando-se, desse modo, aos parâmetros comumente utilizados por esta Corte em casos análogos. No que tange ao dano moral social, merecem ser acolhidas as argumentações do apelante. A referida condenação em danos sociais não encontra respaldo nos artigos 186, 187, 404, parágrafo único e 927 do Código Civil, sendo a ação civil pública o meio processual adequado para se defender direitos da coletividade e não ações individuais, conforme dispõe o artigo 1º da Lei n. 7.347/1985. Nesse sentido, transcrevo excerto de decisão proferida em caso análogo pelo Ministro Marco Buzzi nos autos da Reclamação n. 14.524 - GO (2013/0325163-0): 1. Com efeito, o juízo processante, ao impor condenação daquele requerida pelo autor da demanda, excedeu os limites do provimento jurisdicional e desrespeitou o princípio do dispositivo da jurisdição, julgando extra petita, o que é vedado pelo Código de Processo Civil. Assim, conforme restou consignado pelo Ministro RAUL ARAÚJO, no julgamento da Rcl n.º 12.062/GO, que, frise-se, trata de caso igual ao dos autos, "a referida condenação em danos sociais, data venia, não parece encontrar respaldo nos artigos 186, 187, 404, parágrafo único e 927 do Código Civil, ao contrário do que assentado pelo v. aresto atacado. Desse modo, evidencia-se a plausibilidade do direito invocado e o fundado receio de dano de difícil reparação, que motiva o deferimento da liminar requerida para determinar a suspensão do processo originário, até o julgamento final da presente reclamação". Tem-se, assim, que o acórdão reclamado, ao manter a sentença extra petita que condenou a casa bancária por danos sociais ao pagamento de R$ 20.000,00 (vinte mil reais), claramente excedeu os limites do pedido formulado pelo titular da ação, da razoabilidade e da equidade em relação ao evento danoso. Trata-se, ademais, de indenização sem respaldo em lei e não constante do pedido, configurando teratologia apta à correção na via excepcional da reclamação. Nesse sentido, confira-se, ainda: Rcl n.º 15.135/GO, rel. Min. MARIA ISABEL GALLOTTI, DJ de 07/04/2014; Rcl n.º 16.453/GO, rel. Min. MARIA ISABEL GALLOTTI, DJ de 31/03/2014; Rcl n.º 15.590/GO, rel. Min. MARIA ISABEL GALLOTTI, DJ de 31/03/2014. 2. Ante o exposto, julgo procedente o pedido para tão somente excluir da condenação os danos sociais, ficando mantida a condenação por danos morais fixada na sentença, com a incidência da multa por descumprimento Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001. Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059 Número Verificador: 500100288420138220001280433 Folha n.: 3
  • 4. nela prevista. (sublinhou-se) Posto isso, com fundamento no art. 557, § 1º-A, do CPC, dou provimento ao recurso para minorar o valor da condenação para R$ 8.000,00 (oito mil reais) e afastar a condenação ao pagamento de indenização por dano social, mantendo-se inalterada a sentença em seu restante. Publique-se. Porto Velho/RO, 17 de julho de 2014. Desembargador Kiyochi Mori Relator Documento Assinado Digitalmente em 17/07/2014 06:19:22 conforme MP nº 2.200-2/2001 de 25/06/2001. Signatário: PAULO KIYOCHI MORI:101059 Número Verificador: 500100288420138220001280433 Folha n.: 4