10 LIVROS ESSÊNCIAS PRA LER
Vinicius Augusto Sales da Silva Nº37 1EmA
O CORTIÇO - ALUÍSIO AZEVEDO
O Cortiço é um livro que foi escrito no ano de 1890,
por Aluísio de Azevedo.O Cortiço conta a ...
O URAGUAI - BASÍLIO DA GAMA
Em uma aldeia catequisada pelo padre espanhol Balda, moram
Cacambo e sua mulher Lindóia.Cacamb...
O TRONCO – BERNARDO ELIS
Resumo: No início do século passado, as disputas de
poder levam ao rompimento entre os grandes
pr...
CANAÃ - GRAÇA ARANHA
Canaã conta a história de Milkau e Lentz, dois jovens
imigrantes alemães que se estabelecem em Porto ...
O EX-MÁGICO - MURILO RUBIÃO
Um mágico desencantado, com poderes
extraordinários, mas incontroláveis, é o
protagonista dest...
ZERO - IGNÁCIO DE LOYOLA BRANDÃO
Romance de cunho grotesco, no qual Rosa e José, o
casal protagonista, nutrem um pelo outr...
ALMA ENCANTADORA DAS RUAS-JOÃO DO RIO
As crônicas de A Alma Encantadora das Ruas mostram
o significado e a própria essênci...
GABRIELA, CRAVO E CANELA-JORGE AMADO
Desde o seu lançamento, em 1958, Gabriela alcançou
notoriedade, ganhou inúmeras tradu...
O CORONEL E O LOBISOMEM-JOSÉ CÂNDIDO DE
CARVALHO
Com a figura de Ponciano de Azeredo
Furtado, coronel por trabalho de vale...
GALVEZ, IMPERADOR DO ACRE-MÁRCIO SOUZA
Esta é uma história de aventuras onde o herói , no fim ,
morre na cama de velhice. ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

10 livros essências pra ler

526 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
526
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

10 livros essências pra ler

  1. 1. 10 LIVROS ESSÊNCIAS PRA LER Vinicius Augusto Sales da Silva Nº37 1EmA
  2. 2. O CORTIÇO - ALUÍSIO AZEVEDO O Cortiço é um livro que foi escrito no ano de 1890, por Aluísio de Azevedo.O Cortiço conta a história do caminho que João Romão percorre para ficar rico. Para conseguir atingir esse objetivo, ele, que é o dono do cortiço, explora os seus empregados e até comete furtos. A sua amante, Bertoleza, trabalha continuamente, sem folgas ou descansos. Ao lado do cortiço mora Miranda, um comerciante bem sucedido, que entra em disputa com João Romão por uma braça de terra que quer comprar para aumentar o seu quintal. João começa uma amizade com Miranda e pede a mão de sua filha em casamento, mas tem Bertoleza atrapalhando os seus planos. Dessa forma, João a denuncia como escrava fugida, e em um ato de desespero, ela acaba cometendo o suicídio. Assim, ele fica livre para se casar e se encerra O Cortiço.
  3. 3. O URAGUAI - BASÍLIO DA GAMA Em uma aldeia catequisada pelo padre espanhol Balda, moram Cacambo e sua mulher Lindóia.Cacambo representa força e coragem enquanto sua mulher representa beleza e delixadeza. O Padre, desleal ecorrupto, engravidou uma índia que teve um filho chamado Baldeta, um homem mal visto por todos.Para melhorar a situação do filho, Padre Balda resolve casa-lo com a mulher de Cacambo. Oíndio é mandado para missões impossíveis e sempre retorna vitorioso. Finalmente é capturado pelosportugueses liderados pelo General Gomes Freire. Descobre em seu cativeiro que o vilão é na realidade opadre jesuíta e os portugueses premitem sua volta para aldeia para alertar os perigos dos jesuítas.Ao vê-lo de volta, a aldeia se alegra. Percebendo as suas intenções de desmascarar os jesuítas, PadreBalda invenena Cacambo, matando-o. Convencida de que o padre havia matado seu marido, Lindóia aceita secasar com Baldeta apenas para se matar por uma picada de cobra no dia do casamento. A cena conhecidacomo a morte de Lindóia é a mais reconhecida do livro pois a morte é fantasiosa e descreve uma cena típicado arcadismo: bucólica e de morte sem dor
  4. 4. O TRONCO – BERNARDO ELIS Resumo: No início do século passado, as disputas de poder levam ao rompimento entre os grandes proprietários de terra - os coronéis do sul de Goiás, que comandam o governo, e os do norte do estado. Um homem idealista, o coletor de impostos Vicente Lemes, luta para impedir a guerra, sonhando com uma sociedade de justiça e respeito às leis, como funcionário de um governo de coronéis, vai para o norte do estado de Goiás controlar os coronéis inimigos do governo, os Melo, justamente seus parentes. Por achá-los violentos, tenta impor seus ideais e acaba acirrando o conflito. Vendo-se derrotado, apela para a força do governo, que vem para agir de acordo com os seus interesses e não os de Vicente. Ele se vê, então, em meio a uma luta sangrenta, absolutamente selvagem. O personagem Vicente perde sua fugaz capacidade dirigente, de personagem principal. Será um mero coadjuvante em meio à barbárie.
  5. 5. CANAÃ - GRAÇA ARANHA Canaã conta a história de Milkau e Lentz, dois jovens imigrantes alemães que se estabelecem em Porto do Cachoeiro, ES. Amigos e antagônicos ao mesmo tempo, Milkau é a integração e a paz, admirando o Novo Mundo, Lentz é a conquista e a guerra, pensando no dia que a Alemanha invadirá e conquistará aquela terra. Ainda assim, ambos se unem e trabalham juntos na terra e prosperam. Mais tarde aparece Maria, filha de imigrantes pobres, que é abandonada ao léu quando morre seu protetor e lhe abandona o amante, que pensava ser seu futuro marido.
  6. 6. O EX-MÁGICO - MURILO RUBIÃO Um mágico desencantado, com poderes extraordinários, mas incontroláveis, é o protagonista desta história. Sem que ele queira, à sua volta vão aparecendo coisas estranhas e absurdas. Mas seus prodígios servem apenas para torná-lo ainda mais entediado. Conto mais famoso de Murilo Rubião, 'O ex-mágico da taberna Minhota' colocará o leitor em contato com o mundo fantástico e cheio de inquietações desse autor, que é um dos pioneiros do gênero no Brasil
  7. 7. ZERO - IGNÁCIO DE LOYOLA BRANDÃO Romance de cunho grotesco, no qual Rosa e José, o casal protagonista, nutrem um pelo outro um sentimento de desdém, no qual, ao mesmo tempo em que se enojam, são fisgados por um desejo descomunal em suas noites de prazer. Em meio a um cenário social recheado de aberrações (que trabalham no circo da cidade), entregam-se a uma rotina de tapas e beijos que só pode entreter a eles.
  8. 8. ALMA ENCANTADORA DAS RUAS-JOÃO DO RIO As crônicas de A Alma Encantadora das Ruas mostram o significado e a própria essência da rua na modernidade. O homem não é qualquer um, mas o que vive no espaço urbano. Numa relação dupla, a sociedade faz a rua e esta faz o indivíduo: "Há suor humano na argamassa do seu calçamento." "Oh! Sim, a rua faz o indivíduo, nós bem o sentimos." (A rua) A essência da identidade carioca já está presente nas linhas críticas e bem-humoradas deste João: a capacidade de criar soluções de sobrevivência, a paixão pela música, a riqueza do imaginário social, a espontaneidade da mistura cultural que constitui hoje a maior riqueza não apenas do Rio, mas de todo o Brasil.
  9. 9. GABRIELA, CRAVO E CANELA-JORGE AMADO Desde o seu lançamento, em 1958, Gabriela alcançou notoriedade, ganhou inúmeras traduções mundo afora e teve seu enredo adaptado para novelas, minissérie e filme, que sempre repetiram o sucesso do romance. Trata-se de uma história de amor entre Gabriela, a morena feita de cravo e canela, que conquista o amor do árabe Nacib e desafia os costumes de sua época. O romance é ambientado na Ilhéus dos anos 1920, uma cidade do interior baiano que passa por súbitas transformações graças à riqueza que a cultura do cacau está trazendo para a região.
  10. 10. O CORONEL E O LOBISOMEM-JOSÉ CÂNDIDO DE CARVALHO Com a figura de Ponciano de Azeredo Furtado, coronel por trabalho de valentia e senhor de pasto por direito de herança, destemido caçador de onça- pintada, lobisomem e, sobretudo, de rabo- de-saia, José Cândido de Carvalho conseguiu a proeza máxima reservada a um romancista: a de criar um ser literário dotado de vida própria e perene. Um personagem síntese que resume e corporifica em seus quase dois metros de inútil valentia o heróico e o patético dos últimos senhores rurais da região canavieira do norte fluminense, destronados pelo incoercível processo de urbanização da sociedade brasileira
  11. 11. GALVEZ, IMPERADOR DO ACRE-MÁRCIO SOUZA Esta é uma história de aventuras onde o herói , no fim , morre na cama de velhice. E quanto ao estilo o leitor há de dizer que finalmente o Amazonas chegou em 1922. Não importa, não se faz mais histórias de aventuras como antigamente . Em 1922 do gregoriano calendário o Amazonas ainda sublimava o latifoliado parnasianismo que deu dores de cabeça a uma palmeira de Euclides da Cunha . Agora estamos fartos de aventuras exóticas e mesmo de adjetivos clássicos e é possível dizer que este foi o último aventureiro exótico da planície . Um aventureiro que assistiu às notas de mil-réis acenderem os charutos e confirmou de cabeça o que a lenda requentou. Depois dele: o turismo multinacional

×