SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 3
Baixar para ler offline
MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem
Acadêmico: R.A.
Curso: Tecnólogo Em gestão Ambiental
Disciplina: Gestão de Projetos Ambientais
Valor da atividade: 3,0 Prazo:
13/11 até 08/12 23h 59 min
Horário Brasília
Instruções para Realização da Atividade
Olá estudante, chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem
consolidada ao longo desta disciplina e propor com uma identidade única uma nova solução
para uma problemática real da sua futura profissão.
Nesta atividade M.A.P.A. iremos executar um escopo de um projeto ambiental. Isso
mesmo, iremos aqui iniciar uma das práticas mais comuns aos gestores ambientais, à realização
de projetos das mais variadas naturezas.
Para tanto, inicialmente, realize a leitura do texto apresentado a seguir, para na
sequência conhecer os comandos necessários para a realização da atividade.
Texto 1:
Um projeto surge a partir de um problema, de uma necessidade, como uma resposta a
ele. Quando elaboramos um projeto, estamos buscando a solução desse problema, obtendo um
resultado único, na forma de um produto, de uma ação ou serviço. Antes da elaboração do
projeto, é necessário o planejamento, para que este seja a ferramenta para a transformação de
ideias em ações.
O papel do gerente de projetos é garantir que as ações planejadas sejam executadas conforme
o contratado, obedecendo a prazo e custo estipulado, independentemente do tipo de projeto.
Fonte: FURLANETO, S. et al. Gestão de Projetos Ambientais. Maringá: UniCesumar, 2017.
Texto 2:
Segundo a Associação Brasileira para Sensibilização, Coleta e Reciclagem de Resíduos
de Óleo Comestível (Ecóleo), o Brasil produz 9 bilhões de litros de óleos vegetais por ano, e a
terça parte corresponde a óleos comestíveis, configurando um consumo per capita de 19 litros
ao ano, o que resulta em uma produção de 3 bilhões de litros de óleo por ano no país.
Estimativas apontam que o montante coletado de óleos vegetais usados no Brasil corresponde
a menos de 1% do total produzido, ou seja, 6 milhões e meio de litros de óleos usados.
Fonte: https://ecoleo.org.br/reciclagem.htm. Acesso em: 29 set. 2023.
Texto 3:
“A falta de informação e de consciência da população urbana tem resultado no
lançamento diário de um volume de óleo de cozinha frequentemente desconhecido. Obstrução
de tubulações são problemas associados ao óleo de cozinha, quando despejado na pia ou no
vaso sanitário. E mais: quando alcança os sistemas de tratamento de água das cidades, além de
dificultar o tratamento, aumenta em até 45% seus custos. Além disso, ao atingir esgotos e águas
pluviais, esse óleo pode servir de nutriente para insetos e roedores, estimulando o aumento de
suas populações.
Outra forma de descarte incorreto é o lançamento diretamente em corpos hídricos, como
em lagos e rios, pois o óleo em contato com a água, por ser menos denso, acaba sobrenadando,
impedindo a entrada da luz solar e o processo de aeração, comprometendo as formas de vidas
aeróbicas do ambiente, além de agravar o problema de higiene e do mau cheiro. Em meio
aquoso, esse óleo irá se dissipar de uma forma difusa, dificultando seu controle. Outro modo
de se desfazer do óleo tem sido dispô-lo juntamente com o lixo, cujo destino provável são os
aterros sanitários. Sua decomposição, associada à de outras substâncias, resulta num conjunto
de subprodutos e em gás metano, contribuindo para o aquecimento global.
Além disso, representa um desperdício, pois esse material poderia, por exemplo, ser
utilizado como matéria-prima energética e para produtos destinados à nutrição animal. Outro
aspecto relevante é que, uma vez disposto no solo, entra em contato diretamente com a água,
que percola ou escoa superficialmente, podendo migrar e até mesmo atingir mananciais
hídricos e eventualmente o lençol freático, dependendo das características físico-químicas do
solo, do relevo e do regime climático.”
Fonte: TOMAZI, K. et al. PERFIL DE CONSUMO E DESCARTE DE ÓLEO COMESTÍVEL NO MUNICÍPIO DE IJUÍ-
RS. Revista Contexto & Saúde, v. 14, n. 27, p. 54-64, 2015.
Dessa forma, imagine que você foi contratado para elaborar um projeto de coleta de
ÓLEO DE COZINHA usado em um município de 30 mil habitantes. Esse projeto será
enviado à câmara de vereadores para ser debatida em plenário a viabilidade de
implantação no município.
Para a elaboração deste projeto, o município já repassou algumas informações para facilitá-la:
INFORMAÇÕES:
POPULAÇÃO: 30 mil habitantes.
QUANTIDADE DE ÓLEO DESCARTADO POR MÊS: 1,5 litro por habitante/mês.
Dessa forma, podemos começar o nosso projeto ambiental para coleta e destinação final de
óleo de cozinha usado.
QUESTÕES:
1- Como gestor ambiental contratado para elaboração do projeto de coleta e destinação final
de óleo de cozinha usado de todo o município, descreva em até 8 linhas qual a justificativa para
implementação do projeto.
2- Levando em conta a população do município e a quantidade de resíduos produzidos
diariamente, aponte as possíveis soluções para os problemas apresentados:
2.1- Qual a quantidade aproximada de óleo gerada por mês no município de 30 mil habitantes?
2.2- De que forma os moradores da cidade armazenarão corretamente o óleo de cozinha para o
descarte?
2.3- A coleta destes materiais será realizada quantas vezes na semana?
2.4- Será coletado pelo próprio município, ou empresa terceirizada?
2.5- Cite e descreva qual o destino ambientalmente correto que o óleo de cozinha usado pode
ter? (Cite e descreva pelo menos um exemplo).
3- Na etapa de execução do projeto devem ser avaliados alguns fatores, como:
TREINAMENTO: etapa em que deve ser capacitada e treinada a equipe que realizará a coleta
e separação dos materiais.
COMUNICAÇÃO: etapa em que será feita a divulgação do projeto para haver participação e
engajamento da população.
LANÇAMENTO DO PROJETO: etapa em que efetivamente o projeto passa do teórico para
o prático.
Assim, como profissional responsável pela elaboração do projeto, cite e descreva pelo menos
uma ação proposta para execução do projeto.
3.1- Treinamento.
3.2- Comunicação e Lançamento do projeto.
4- A etapa de monitoramento do projeto é uma das principais etapas, pois a responsável por
transformar o projeto em um programa contínuo. Assim, devem ser previstas ações de
conscientização da população, avaliações da efetividade do projeto e a tomada de ações para o
ajuste e bom funcionamento do projeto.
Sabe-se que uma das maiores dificuldades na implantação de projetos de coleta seletiva é a
participação da população, visto que muitas pessoas não tomam consciência sobre a
importância de separar os materiais recicláveis dos resíduos de origem orgânica e os rejeitos.
4.1- Dessa forma, cite e descreva uma ação proposta para aumentar a participação da população
ao projeto de coleta seletiva.
5- Após a finalização do projeto de coleta seletiva dos resíduos do município, como gestor
ambiental, você deve dar o seu parecer sobre a viabilidade do projeto de coleta de óleo no seu
município.
5.1- Descreva pelo menos dois pontos positivos sobre a viabilidade de um sistema de coleta de
óleo no município.

Mais conteúdo relacionado

Último

Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...DL assessoria 31
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxAssimoIovahale
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfAroldoMenezes1
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024excellenceeducaciona
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGuilhermeLucio9
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024Consultoria Acadêmica
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxConsultoria Acadêmica
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna deGleuciane Rocha
 

Último (8)

Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
Para iniciarmos nossa atividade, imagine a seguinte situação: Uma jovem chama...
 
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptxPatrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
Patrimonio Edificado da Ilha de Moçambique.pptx
 
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdfCondutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
Condutos forçados disciplina de hidráulica.pdf
 
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024MAPA   –   DESENHO TÉCNICO  –  51 / 2024
MAPA – DESENHO TÉCNICO – 51 / 2024
 
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais PrivadosGestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
Gestão de obras e projetos - Associação Nacional de Hospitais Privados
 
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
AE03 - TEORIAS DA ADMINISTRACAO UNICESUMAR 51/2024
 
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docxAE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
AE03 - VIBRACOES MECANICAS E ACUSTICAS.docx
 
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna decipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
cipa_assedio (2).pdf_comissão_inetrna de
 

Projeto coleta óleo cozinha

  • 1. MAPA – Material de Avaliação Prática da Aprendizagem Acadêmico: R.A. Curso: Tecnólogo Em gestão Ambiental Disciplina: Gestão de Projetos Ambientais Valor da atividade: 3,0 Prazo: 13/11 até 08/12 23h 59 min Horário Brasília Instruções para Realização da Atividade Olá estudante, chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem consolidada ao longo desta disciplina e propor com uma identidade única uma nova solução para uma problemática real da sua futura profissão. Nesta atividade M.A.P.A. iremos executar um escopo de um projeto ambiental. Isso mesmo, iremos aqui iniciar uma das práticas mais comuns aos gestores ambientais, à realização de projetos das mais variadas naturezas. Para tanto, inicialmente, realize a leitura do texto apresentado a seguir, para na sequência conhecer os comandos necessários para a realização da atividade. Texto 1: Um projeto surge a partir de um problema, de uma necessidade, como uma resposta a ele. Quando elaboramos um projeto, estamos buscando a solução desse problema, obtendo um resultado único, na forma de um produto, de uma ação ou serviço. Antes da elaboração do projeto, é necessário o planejamento, para que este seja a ferramenta para a transformação de ideias em ações. O papel do gerente de projetos é garantir que as ações planejadas sejam executadas conforme o contratado, obedecendo a prazo e custo estipulado, independentemente do tipo de projeto. Fonte: FURLANETO, S. et al. Gestão de Projetos Ambientais. Maringá: UniCesumar, 2017. Texto 2: Segundo a Associação Brasileira para Sensibilização, Coleta e Reciclagem de Resíduos de Óleo Comestível (Ecóleo), o Brasil produz 9 bilhões de litros de óleos vegetais por ano, e a terça parte corresponde a óleos comestíveis, configurando um consumo per capita de 19 litros ao ano, o que resulta em uma produção de 3 bilhões de litros de óleo por ano no país.
  • 2. Estimativas apontam que o montante coletado de óleos vegetais usados no Brasil corresponde a menos de 1% do total produzido, ou seja, 6 milhões e meio de litros de óleos usados. Fonte: https://ecoleo.org.br/reciclagem.htm. Acesso em: 29 set. 2023. Texto 3: “A falta de informação e de consciência da população urbana tem resultado no lançamento diário de um volume de óleo de cozinha frequentemente desconhecido. Obstrução de tubulações são problemas associados ao óleo de cozinha, quando despejado na pia ou no vaso sanitário. E mais: quando alcança os sistemas de tratamento de água das cidades, além de dificultar o tratamento, aumenta em até 45% seus custos. Além disso, ao atingir esgotos e águas pluviais, esse óleo pode servir de nutriente para insetos e roedores, estimulando o aumento de suas populações. Outra forma de descarte incorreto é o lançamento diretamente em corpos hídricos, como em lagos e rios, pois o óleo em contato com a água, por ser menos denso, acaba sobrenadando, impedindo a entrada da luz solar e o processo de aeração, comprometendo as formas de vidas aeróbicas do ambiente, além de agravar o problema de higiene e do mau cheiro. Em meio aquoso, esse óleo irá se dissipar de uma forma difusa, dificultando seu controle. Outro modo de se desfazer do óleo tem sido dispô-lo juntamente com o lixo, cujo destino provável são os aterros sanitários. Sua decomposição, associada à de outras substâncias, resulta num conjunto de subprodutos e em gás metano, contribuindo para o aquecimento global. Além disso, representa um desperdício, pois esse material poderia, por exemplo, ser utilizado como matéria-prima energética e para produtos destinados à nutrição animal. Outro aspecto relevante é que, uma vez disposto no solo, entra em contato diretamente com a água, que percola ou escoa superficialmente, podendo migrar e até mesmo atingir mananciais hídricos e eventualmente o lençol freático, dependendo das características físico-químicas do solo, do relevo e do regime climático.” Fonte: TOMAZI, K. et al. PERFIL DE CONSUMO E DESCARTE DE ÓLEO COMESTÍVEL NO MUNICÍPIO DE IJUÍ- RS. Revista Contexto & Saúde, v. 14, n. 27, p. 54-64, 2015. Dessa forma, imagine que você foi contratado para elaborar um projeto de coleta de ÓLEO DE COZINHA usado em um município de 30 mil habitantes. Esse projeto será enviado à câmara de vereadores para ser debatida em plenário a viabilidade de implantação no município. Para a elaboração deste projeto, o município já repassou algumas informações para facilitá-la: INFORMAÇÕES: POPULAÇÃO: 30 mil habitantes. QUANTIDADE DE ÓLEO DESCARTADO POR MÊS: 1,5 litro por habitante/mês. Dessa forma, podemos começar o nosso projeto ambiental para coleta e destinação final de óleo de cozinha usado. QUESTÕES:
  • 3. 1- Como gestor ambiental contratado para elaboração do projeto de coleta e destinação final de óleo de cozinha usado de todo o município, descreva em até 8 linhas qual a justificativa para implementação do projeto. 2- Levando em conta a população do município e a quantidade de resíduos produzidos diariamente, aponte as possíveis soluções para os problemas apresentados: 2.1- Qual a quantidade aproximada de óleo gerada por mês no município de 30 mil habitantes? 2.2- De que forma os moradores da cidade armazenarão corretamente o óleo de cozinha para o descarte? 2.3- A coleta destes materiais será realizada quantas vezes na semana? 2.4- Será coletado pelo próprio município, ou empresa terceirizada? 2.5- Cite e descreva qual o destino ambientalmente correto que o óleo de cozinha usado pode ter? (Cite e descreva pelo menos um exemplo). 3- Na etapa de execução do projeto devem ser avaliados alguns fatores, como: TREINAMENTO: etapa em que deve ser capacitada e treinada a equipe que realizará a coleta e separação dos materiais. COMUNICAÇÃO: etapa em que será feita a divulgação do projeto para haver participação e engajamento da população. LANÇAMENTO DO PROJETO: etapa em que efetivamente o projeto passa do teórico para o prático. Assim, como profissional responsável pela elaboração do projeto, cite e descreva pelo menos uma ação proposta para execução do projeto. 3.1- Treinamento. 3.2- Comunicação e Lançamento do projeto. 4- A etapa de monitoramento do projeto é uma das principais etapas, pois a responsável por transformar o projeto em um programa contínuo. Assim, devem ser previstas ações de conscientização da população, avaliações da efetividade do projeto e a tomada de ações para o ajuste e bom funcionamento do projeto. Sabe-se que uma das maiores dificuldades na implantação de projetos de coleta seletiva é a participação da população, visto que muitas pessoas não tomam consciência sobre a importância de separar os materiais recicláveis dos resíduos de origem orgânica e os rejeitos. 4.1- Dessa forma, cite e descreva uma ação proposta para aumentar a participação da população ao projeto de coleta seletiva. 5- Após a finalização do projeto de coleta seletiva dos resíduos do município, como gestor ambiental, você deve dar o seu parecer sobre a viabilidade do projeto de coleta de óleo no seu município. 5.1- Descreva pelo menos dois pontos positivos sobre a viabilidade de um sistema de coleta de óleo no município.