Portfólio

8.591 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.591
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portfólio

  1. 1. Chamo-me Patrícia Chabeli Vieira Fortes, tenho 21 anos, nasci em 25/02/1990,sou natural daqui de São Vicente. Sou Solteira, moro na zona de campim, mas gosto que me chamem Paty. Eu sinto-me prazer em estudar para ter boas notas, e não só como também para ter muitos conhecimentos sobre as diversas disciplinas e as matérias, e aumentar o meu vocabulário para que no futuro, eu seja um profissional competente. E também ter um bom emprego, é claro acompanhado de um bom salário. O que eu mais gosto em mim é a minha solidariedade com as outras pessoas, porque eu gosto de ajudar os outros em relação a qualquer assunto. Desde que esteja ao meu alcance. Quando eu não consigo ajudar uma pessoa eu sinto-me triste e incapaz palavra que me descreve é atrasada, porque eu atraso-me em quase todos os meus compromissos, sou solidária, amiga e sensível, porque choro por tudo o que não me agrade. Sinto-me realmente bem quando vou a lugares como praia de mar, festas, passear nos campos livres, escola etc. Detesto quando alguém desconfia de mim, fala mentira, grita com mingo, e quando me bate. Mas adoro quando me elogiam, é carinhoso comigo, convida-me para passear, jantar ou mesmo almoçar juntos, diz que gosta de mim desde que seja sincero. Nas horas vagas gosto de estudar, brincar, divertir, rir muito, passear, ler, namorar, comer, e conviver com os outros. Jogar rinque é o meu desporto preferido. Eu estou a fazer este curso porque desde criança o meu maior sonho é ser professora, gosto de ensinar, e educar as pessoas. Espero que tudo de bom corra comigo, para que o meu sonho torna realidade. Espero ter um bom emprego, com um bom salário, um bom casamento e uma família muito feliz, mas para isso preciso estudar muito.
  2. 2. Expectativas em relação a disciplina e a professora: As minhas expectativas em relação a disciplina sociologia de educação são razoáveis, porque eu já estudei a disciplina de sociologia por si só, onde aprendi que é uma ciência que estuda a realidade social. Eu acho que sociologia de educação desrespeita ao sistema educativo, estuda as relações no ambiente educativo. Espero que a professora consiga transmitir e despertar os alunos o gosto por essa disciplina, porque parece ser uma disciplina muito interessante e parece ser bastante difícil. Tendo em conta que eu já conheço essa professora porque ela foi nossa professora no 1º semestre, espero que ela faça essa disciplina mais interessante (fazer debates em rodas…) para que todos possam entender e que haja bons resultados. É claro que isso tudo não vai depender somente da professora mas também da intervenção e força de vontade por parte dos alunos.
  3. 3. 29/03/20011 Sumário: contexto Histórico do Surgimento da Sociologia Na aula de hoje introduzimos o estudo da sociologia no geral, nomeadamente o conceito da sociologia que é uma ciência social e humana que reflecte a sociedade e a forma como as pessoas se comportam em função do seu meio e da interacção do grupo da qual faz parte. O objecto de estudo que é a (vida social) estuda as unidades que formam a sociedade e a forma como as pessoas se comportam em função do seu meio e da interacção do grupo da qual faz parte. A sociologia tem como objectivo entender a sociedade procurando resposta na própria sociedade. Métodos e instrumentos específicos (entender as mudanças sociais e como interagimos com os outros). O contexto histórico: a sociologia terá surgido no séc. XVIII e XIX como uma necessidade de compreender as grandes transformações, económicas e sociais daquela época devido á 3 grandes acontecimentos: Revolução Industrial, Revolução Francesa e o Movimento Iluminista (o iluminismo mudança de pensamento filosófico). Essas mudanças levaram com que vários estudiosos começassem a reflectir, sobre a realidade social e daí terá surgido a sociologia.
  4. 4. 31/03/2011 Sumário: os clássicos do surgimento da sociologia. Hoje vimos dois grandes pensadores da sociologia clássica, são os verdadeiros precursores da sociologia: Conde de Saint-Simon e Auguste Comte. Ambos franceses, acreditavam na restauração da ordem, numa sociedade francesa marcada pela instabilidade, desordem e problemas sociais decorrentes do período pós- revolucionário. Conde de Saint-Simon (1760-1825) Viveu em plena revolução Francesa, era considerado um socialista utópico. Ele era a favor da igualdade entre os homens e acreditava que só era possível a ordem na sociedade se houvesse uma harmonia social, sem lutas de classes, eliminando o individualismo e a competição exagerada. Para ele precisa regular o capitalismo e concebia uma sociedade futura dominada por cientistas e industriais. Acreditava que era possível tornar a sociedade mais justa para a Revolução Industrial era a solução para os problemas da sociedade.
  5. 5. Auguste comte(1798-1857) Foi considerado o pai da sociologia e, fundador do positivismo. Era um intelectual conservador e ao contrário de Saint-Simon que achava que era preciso um pacto social e uma sociedade justa, para ele a criação dessa sociedade justa e igualitária não era possível, e cada deve conquistar a sua posição social e prestígio de acordo com o seu trabalho e a sua capacidade. Comte era defensor da sociedade capitalista e acreditava que para restabelecer a ordem era preciso uma ciência positiva, que mais tarde viria a dar o nome de sociologia. Achava que esta ciência deveria ser considerara da uma ciência naturalista. É por causa disso que ele fundou «as leis dos três estágios» (teológico, metafísico, e positivo), pelo qual segundo ele, todas as sociedades passam. Segundo Comte as sociedades devem atingir o estado positivo, onde as coisas são explicadas de uma forma coerente e científica. Achava também que seria a sociologia a ajudar-nos a alcançar esse estado. A sociedade precisa de um estudo científico e organizacional científica da sociedade, cada um deveria ocupar o seu devido lugar que lhe cabe na sociedade, era possível harmonizar a ordem ao progresso.
  6. 6. Émile Durkheim(1858-1917) Fundador da Sociologia moderna, francês, segundo ele «devemos olhar para os factos sociais como coisas». Deu um grande contributo a sociologia, pois se preocupava muito com a ordem social. Para ele a sociologia poderia ser utilizada para entender a ordem social. Enquanto para Comte e Saint-Simon os problemas da sociedade, deviam a economia, para Durkheim esses problemas tinham a ver, com os valores sociais, ou a falta deles. Ele criou o termo Anomia onde dizia que a sociedade não possuía objectivos morais, ou seja, tinha falta de valores. Identificou os problemas sociais como um desequilíbrio de valores. Para ele a escola tinha um papel importante para o desequilíbrio social, pois cabia-lhe transmitir esses valores a sociedade. Ele levou a sociologia para leccionar nas universidades. Ele também defendia a sociologia positivista para restabelecer a ordem na sociedade. Durkheim ficou famoso por ter considerado o suicídio um acto social. Para ele os factos sócias possuem características próprias e distintas entre si, por isso devem ser vistos como coisas.
  7. 7. 05/04/2011 Sumário: continuação da aula anterior. Hoje na aula falamos sobre os outros pensadores da sociologia com, Karl Marx e Marx weber Karl Max (1818-1883) Grande filósofo, cientista social, revolucionária e activista social alemão e fundador da sociologia moderna. Karl Marx idealizava uma sociedade com distribuição de renda justa e equilibrada. Ele tornou-se comunista e escreveu varias obras como «O manifesto Comunista» onde não poupa criticas ao capitalismo. Para ele o capitalismo era o principal responsável pela desorientação humana. Para Marx a sociologia não tinha, fronteiras, e recorria a todas as áreas para estudar a sociologia. Segundo ele os cientistas tinham um papel importante para a reconstrução da sociedade, e a ciência devia estar disponível para os interesses das classes sociais, nomeadamente o proletariado, que para ele eram explorados pelos capitalistas. Marx Fundou uma área da sociologia que ficou conhecida por sociologia critica. Fundou também a teoria materialista (materialismo histórico).
  8. 8. Max Weber (1864-1929) Achava que o conhecimento científico não podia servir para as práticas políticas. Escreveu várias obras como «economia e sociedade». Ele achava que o capitalismo veio para ficar e que ia espalhar-se por toda a parte, e teria um impacto muito grande no mundo. Inventou a palavra burocracia como sendo uma metodologia da organização do trabalho. Criou uma área da sociologia chamada sociologia compreensiva, e deu um grande contributo a sociologia das religiões.
  9. 9. 07/04/2011 Sumário: A Natureza Social da Educação. Hoje na aula a professora falou sobre a origem da palavra escola que é palavra de origem grega SKOLÉ - significa recreio (tempo livre). Fez um paralelo entre a educação e social, disse que as práticas educativas são práticas são também práticas sociais e cada sociedade possui um sistema educativo. Nas sociedades pré- industriais o conhecimento baseava-se nas práticas sociais, ou seja, as pessoas aprendiam com a realidade social, com o trabalho, com o fazer. Somente as religiões sabiam ler e escrever e só ia para as escolas as pessoas que tinham dinheiro e tempo livre. Essa situação só veio a mudar com a invenção da impressão por parte dos chineses. A partir daí sucede-se a instalação de textos de impressa na Europa e consequentemente a instrução começa a ter início quando se começa a conceber os sistemas escolares na Europa e na América no séc. XIX. E é no séc. XX que surge a educação institucionalizada. Após a industrialização inicia-se maior desenvolvimento da instrução, devido a necessidade da criação de novos empregos. Muda a maneira de encarar a aprendizagem, que deixa de estar baseada na realidade social e passa a estar baseado no conhecimento abstracto.
  10. 10. 14/04/2011 Sumário: a educação e a socialização Hoje a aula foi sobre o estudo da educação como processo de socialização. Associalização é o processo de adaptação e de pertença do indivíduo a uma determinada sociedade, a educação permite o indivíduo a assimilação dos elementos que precisa para se adaptar a Sociedade á qual pertence que vai pertencer. A Socialização implica interacção que vai condicionar o nosso comportamento ao longo da vida. Com a socialização adquirimos valores e normas de comportamento o que permite a formação da nossa identidade própria. O processo de socialização não termina nunca visto que o indivíduo tem sempre que adaptar a todas as mudanças que podem ocorrer na sua vida. A socialização é um processo pelo qual o ser humano vai tendo acesso á várias etapas que nos leva a uma autonomia. Ela é marcada pela cultura da sociedade que o indivíduo faz parte e cada contexto social tem as suas particularidades. Tipos de Socialização:  Socialização primária - é o processo de socialização que se realiza na primeira infância e que nas sociedades modernas ou industrializadas se prolonga cada vez mais. Ex: grupo familiar (aprendemos coisas básicas como falar, comer, rituais identificar pessoas e ter afectos).  Socialização secundaria – processo de socialização que surge quando o individuo que insere em grupos mais específicos como a esfera da produção, a mudança do estado civil, etc. Ex: acontece na igreja, escola, trabalho, grupos de pares, grupos militares, grupos de amigos, grupos de futebol etc. Dentro sociologia a diferentes correntes teóricos que vêm a sociologia da sua forma: Funcionalistas: Segundo eles cada um tem a sua função, incutir nas crianças regras da sociedade, para que ela se adapta. Max: Segundo ele cada um vai ser incutido as regras de acordo com a sua classe social.
  11. 11. Weber: Segundo ele há que haver a construção social da realidade, ou seja quando passamos regras para as pessoas elas vão adaptar-se e construir para se passar para outras pessoas. 15/04/2011 Sumário: Debate sobre a escola Hoje na aula fizemos um debate sobre a escola, a professora pediu-nos para escrever um conceito a nossa escolha sobre a escola. Cada aluno deu o seu conceito da escola, eu defini a escola como sendo um estabelecimento ou instituição educativo onde os alunos adquirem conhecimentos, valores, atitudes e comportamentos que acaba por complementar a educação transmitida no seio familiar, e no ensino pré-escolar. A escola é o segundo espaço de socialização. É na escola que o indivíduo desenvolve as suas potencialidades físicas e psicológicas. A escola é formada por diferentes pessoas, sendo o director aquele que dirige, o professor quem ensina e dá as aulas, e o aluno aprende e estuda os conhecimentos transmitidos pelo professor. A professora pediu uma reflexão nos nossos diários sobre o seguinte «A escola responde as expectativas que temos dela» sim ou não ?
  12. 12. 19/04/2011 Sumario: O sistema escolar e a socialização Hoje na aula a professora falou-nos sobre o sistema escolar e a socialização. Sendo a escola uma invenção da historia contemporânea que resulta da dupla revolução industrial e liberal que apresenta a escola como uma instancia educativa, separa o aprender e o fazer a partir da industrialização (saber do saber fazer ). Com a mudança da maneira de encarar a aprendizagem, muda também a relação pedagógica, e há uma nova forma de socialização escolar. A escola passa a ser analisada em três aspectos: a forma, a organização e a instituição. Forma – Surge uma nova organização da aprendizagem que passa a ser baseada em três dimensões pedagógicas: A revelação (os conhecimentos transmitidos pelo professor ao aluno); A cumulatividade (agora a acumulação dos conhecimentos adquiridos pelos alunos); A exterioridade (o que se aprende na escola é exterior a vida real). Organização – Transita-se do ensino individualizado para o ensino simultâneo (ou seja de aulas individuais para uma classe cheia de alunos). A Instituição - A escola adquire valores intrínsecos e estáveis e passa a funcionar como factor de integração social e de inserção do indivíduo no meio social e no sistema de trabalho.
  13. 13. 26/04/2011 Sumario: A construção social da realidade A aula de hoje esteve em volto na construção social de realidade, segundo a perspectiva de Berger e Luckman. A professora falou sobre o que é a sociedade é um agrupamento de indivíduos / seres humanos entre os quais partilham os mesmos aspectos comuns, língua, tradição, valores e também partilham o mesmo território. Pressupõe sem um contexto de relações humanas ocorrem não só interacção e interdependência. É neste contexto que nós socializamos uns com os outros. Segundo eles a sociedade e o homem produzem-se mutuamente. A sociedade seria um fenómeno dialéctico porque há sempre interacção, tensão entre os opostos e o homem reage sobre o que produz. Peter Berger e Thomas Luckman desenvolveram uma ideia em disseram que a construção da sociedade ocorre em três momentos específicos, e que para entendermos eles temos que saber o que é a dialéctica. Exteriorização – É quando o ser humano se projecta num mundo (pensa, age num mundo) através da realização mental ou física e chega a conclusão que a sociedade é produto humano. Objectivação -Em que os próprios produtos da actividade humana impõem ao criador (sociedade como realidade sui generis) Interiorização - Em que o homem apropria da realidade e a transforma numa estrutura consciente (o homem é produto da sociedade. O homem torna membro da dessa realidade social. Eles introduziram os conceitos de socialização primária e secundária. É no processo de interiorização que se dá o processo de socialização.
  14. 14. Índice I- Introdução……………………………………………………………………. II- Apresentação ………………………………………………………………… III- Resume das aulas …………………………………………………………… IV- Diários Critico………………………………………………………………... V- Glossário ……………………………………………………………………... VI- Avaliação ……………………………………………………………………. VII- Considerações Finais ………………………………………………………… VIII- Anexos ……………………………………………………………………….
  15. 15. UNIVERSIDADE DE CABO VERDE DEPARTAMENTO DAS CIENCIAS SOCIAIS E HUMANAS Ciências de Educação – 1ºano Portfólio Unidade Curricular: Sociologia da Educação Docente: Maria Miguel Estrela Discente: Patrícia Fortes Junho 2011
  16. 16. 28/04/2011 Sumário: As teorias da educação. Hoje a aula foi destinada a analise de fotocopias que falam das teorias da educação, segundo alguns sociólogos como Bernstein,Illich,Bowles Gintis e Willis. A professora dividiu esses trabalhos por grupos, o meu grupo falou sobre sociólogo Bernstein no seu estudo sobre os códigos linguísticos, constata que há uma diferença sistemática no uso da linguagem entre as crianças mais pobres e as crianças mais ricas. Segundo ele as crianças mais pobres utilizam um código linguístico restrito, supondo sempre que o que dizem é do conhecimento dos outros, enquanto as crianças de alto status utilizam um código mais elaborado onde os significados das palavras são mais individualizadas á cada situação de comunicação. Com isso se podia concluir que as crianças das classes favorecidas se adaptam melhor ao mundo escolar e tem mais oportunidades de sucesso. Outros sociólogos como Browles e Gintis preocupavam precisamente com o desenvolvimento do sistema escolar moderno. Eles sugerem que a educação moderna deveria ser e entendida como resposta a necessidades económicas do capitalismo industrial. Relacionaram a escola com o capitalismo industrial, dizendo que embora a escola tenha alcançado o nº maior de pessoas, graças a massificação do ensino que se verificou sobretudo nos anos 40, ela não tem contribuído para a diminuição das desigualdades económicas, e que a acção escolar tem sido no sentido de dar respostas as necessidades económicas do capitalismo, incutindo com isso regras no mundo laboral. As escolas têm duas funções: Fornecer as capacidades técnicas e sociais requeridas pela organização industrial, incutir o respeito pela autoridade e pela disciplinada força de trabalho. De acordo com Browles os ideais de desenvolvimento pessoal fundamentais na educação apenas podem ser alcançados se as pessoas puderem controlar a sua própria vida e desenvolver talentos e aptidões de expressão pessoal. Eles argumentam que se existesse mais democracia no trabalho e igualdade no seio da sociedade, poderia desenvolver-se um sistema educativo que contribuísse para uma maior realização pessoal. Illich fala do currículo oculto onde diz que os alunos aprendem na escola muitas coisas que não estão presentes no currículo explícito e que a escola tende a mostrar a cada aluno o seu lugar o seu, enquanto pessoa, a ocupar na sociedade. Ele fez uma proposta no sentido de deixar a forma de aquisição do conhecimento a escola das pessoas e durante toda a vida podendo assim a qualquer momento aprender o que quiserem e como quiserem.
  17. 17. Defende a desescolarização diz que a escola não promova igualdades, nem o desenvolvimento das potencialidades criativas individuais. Diz que o conceito de educação e reprodução social mostra-nos como a escola e as outras instituições sociais contribuem para perpetuar as desigualdades económicas e sociais ao longo das gerações. Utilizando vários mecanismos, como a violência simbólica e baseia também na desigualdade de língua e de vivencia das diferentes crianças que constituem o sistema escolar. Willis faz uma análise de reprodução cultural num estudo feito pelos alunos oriundos das classes populares, onde eles estão conscientes do acto que fazem para perturbar as aulas e como dissimulem essas atitudes. Eles sabem que se abandonarem a escola terão menores possibilidades de terem um trabalho bem remunerado mas estão mais interessados em ganhar dinheiro mais cedo, do que ganhar muito dinheiro mais tarde.
  18. 18. 03/05/2011 Sumário: A reprodução cultural e a educação Hoje na aula vimos a reprodução cultural e a educação, a professora deu um conceito sobre o que é a reprodução cultural que é a transmissão de normas e valores que uma geração mais velha transmite para uma geração mais nova (para manter a sua forma de funcionar). Falamos sobre as teorias reproducionistas. Essas teorias nasceram após a massificação do ensino e o percursor desta teoria foi Althusser. Segundo ele a estado possui muitos aparelhos para assegurar a boa manutenção da sociedade, e uma delas é a escola. Cada sociedade se serve desse aparelho para uma reprodução cultural e social transmitindo regras e normas de conduta ao indivíduo, de modo que a sociedade se mantêm ordenada. Outros sociólogos que fizeram essa mesma abordagem foram Bourdieu e Passeron. Eles escreveram um livro intitulado “A reprodução” onde descreveram a escola como um dispositivo de reprodução social. Segundo eles a escola contribui para que a escola faça copias a si mesma permitindo deste modo a sua continuação. A escola reproduz quilo que acontece na sociedade mas com mecanismos próprios (mecanismos de ocultação, de controlo e de funcionamento). Eles utilizam termos para explicar melhor a reprodução social como violência simbólica (o sistema educativo impõe significações como se fossem legitimas, por exemplo, a linguagem utilizada. Essas significações dissimulam as relações de força, logo quem manda é quem se encontra no controlo da escola), acção pedagógica (exercício da violência simbólica) e dupla arbitrariedade (a função de inculcar conhecimento e de reproduzir as mesmas). Eles acabam por concluir que a escola serve para ensinar onde é o lugar de cada um, cumprindo horários, regras, normas de estabelecimento e também que a escola funciona como uma pirâmide onde os alunos do meio urbano tem mais acesso a escola e mais probabilidade de sucesso do que os do meio rural.
  19. 19. Os procedimentos normativos valorizam mais os valores e saberes dos alunos da classe média/ alta, o que faz com que a escola reproduza as desigualdades sociais. Bourdieu e Passerom também criaram o conceito de habitus para explicar os mecanismos pela qual aprendemos a fazer parte de uma sociedade e a reproduzi-la através das nossas acções
  20. 20. 05/05/2011 Sumario: A massificação do ensino Hoje falamos sobre a massificação do ensino. Vimos que após a segunda guerra mundial, a escola deixa de ser gerida pela igreja e passa a ser gerida pelo Estado. O Estado vai precisar formar cidadãos capazes para se adaptar e integrar nas funções da sociedade. A escola servia de socialização permitindo transmitir os conhecimentos necessários aos indivíduos. No inicio do século XX, nos anos 30, o modelo da escola começa a consolidar-se, comportando as seguintes variantes: a classe, a ordem espacial, a ordem temporal, a compartimentação disciplinar e a divisão de trabalho. Essa maneira de organização da escola vai facilitar a massificação do ensino, baseando na reprodução do modelo da escola. Após a 2ª guerra mundial, nos anos 40, essa democratização do acesso ao ensino verifica-se ainda mais, devido a dois factores: com a criação da ONU e consequentemente da declaração dos direitos humanos, na qual dizia que “ todos têm direito a educação”, e também, com a guerra, os países vão apostar no desenvolvimento espelhando-se nos E.U.A que nessa altura se anunciava como uma grande potência. Todos esses países vão apostar na educação como forma de desenvolvimento, porque acreditavam que ele permitia a ascensão social. Com essa massificação do ensino diminui, o analfabetismo, e a escola deixa de ser elitista. Contudo, nos inícios dos anos 60, há uma grande crise económica resultante do grande aumento do preço do petróleo, e que fez com que esse optimismo, essa visão de desenvolvimento e prestígio fosse abalada. Nos anos 70, são vários os sociólogos que começam a dizer que a situação da escola já não garantia nenhum prestígio social. Muitos sociólogos defenderam também que a escola aumenta a diferença entre as classes sociais. Com as críticas a massificação do ensino, começa um desencantamento em relação escolar, que se verifica sobretudo no seio dos jovens.
  21. 21. Introdução Este portefólio enquadra na disciplina de Sociologia de Educação. Tem como objectivo relatar todos os conhecimentos adquiridos durante as aulas desse semestre. Encontre-se dividido tendo em conta os seguintes pontos: A minha apresentação, expectativas em relação a disciplina, resume das aulas, diários críticos, avaliação, considerações finais e alguns anexos. A sua realização foi de estrema importância porque permitiu-nos organizar os nossos apontamentos e telas como auxilio no nosso estudo e aprendizagem para o teste.
  22. 22. 10/05/2011 Sumário: sistemas educativos e desenvolvimento Quando chegamos ao período pós revolução industrial encontramos uma Europa devastada que quer se construir através da industrialização. Todos os países vão apostar na educação para esse desenvolvimento. O modelo de escola foi criado para servir o capitalismo. Contudo, nos inícios dos anos 60, há uma grande crise económica resultante do grande aumento do preço do petróleo, e que fez com que esse optimismo, essa visão de desenvolvimento e prestígio fosse abalada. Nos anos 70, são vários os sociólogos que começam a dizer que a situação da escola já não garantia nenhum prestígio social. Muitos sociólogos defenderam também que a escola aumenta a diferença entre as classes sociais. As desigualdades sociais movimentam para o nível superior. A expansão dos sistemas educativos e as mutações no mundo de trabalho resulta numa discrepância entre o nº de diplomas e precariedade de emprego o que leva com que haja uma frustração, mais predisposição e criatividade. As desigualdades sociais movimentam para o nível superior (desvalorização dos diplomas); desencantamento escolar; nome do curso (propaganda /publicidade universitária); diferenciação nos estabelecimentos de ensino (diminuição de investimentos nas coisas publicas). As políticas de desenvolvimento de alguns países eram muitos assentes no desenvolvimento económico que trouxe problemas ambientais e não se generalizou o bem-estar, levou a uma desilusão no contexto escolar, sempre que um país tem problemas económicos afecta os outros. A escola foi construída em consonância com um mundo que já não existe neste momento, existem empresas que precisam de pessoas criativas. Tínhamos um modelo de selecção e competição baseado no social, mas agora é a escola quem determina o sucesso isso faz com que as pessoas invistam num percurso escolar cada vez mais longo.
  23. 23. 12/05/2011 Sumário: Debate «A escola está em crise?» Hoje na aula fez um debate sobre a escola onde tentamos responder a pergunta «a escola está em crise?» Foram vários alunos que intervieram no debate, e ficou a ideia tal como eu e a maioria dos alunos acham que a escola está em crise mesmo, apesar que muitos discordam com essa ideia. A professora pediu para que todos os alunos, colocassem essa reflexão nos diários críticos.
  24. 24. 19/05/2011 Sumário: O papel do(a) professor(a) Hoje na aula a professora falou sobre o papel do professor. Segundo a professora ficamos a saber que o professor desempenha um papel muito importante na sociedade. É uma profissão muito exigente, onde o professor tem que ser: competente, dedicado, saber interagir com cuidado, ser um agente de mudança, de atitude, educado, simpático, amigo, orientador, interessado, atento, ter domínio do conteúdo das disciplinas que vai leccionar, ter conhecimento, e qualidades pessoais. A sociedade deposita no professor muitas expectativas quer a nível do conhecimento cientifico e das qualidades pessoais e da ética profissional. A profissão docente deve ter em conta as três dimensões:  Corpo de saberes profissionais adequadas a matéria que vai leccionar;  Dimensões deontológicas (atitudes, ética profissional, e comportamentos adequados.)  Qualidades pessoais Essa profissão está sujeito a vários constrangimentos (como a historia individual da pessoa; a classe social; condições de emprego e de trabalho; o contexto sócio politico, se tem liberdade de expressão e espírito crítico…; a opinião dos pais e dos alunos…) com aspectos contraditórios e complexos. Ao mesmo tempo que a sociedade exige do professor ela também permite que entra para a docência pessoas que não estão preparadas para exercer o cargo de professor. A professora escreveu a seguinte frase no quadro para todos os alunos trabalharem em grupo de dois. «Os docentes querem crer-se livres sabendo que são manipuladores manipulados» Ida Berger. Os professores pensam que são livres porque querem ser livres mas não podem porque em alguns casos é contra os seus princípios ou também devido a pressão do sistema educativo, que diz como devem agir de acordo com o currículo implantado pelo
  25. 25. sistema, e se não agirem de acordo com tal, são penalizados eles são manipuladores porque eles é que ditam as regras dentro da sala de aula.
  26. 26. 26/05/2011 Sumário: morfologia e características do corpo docente. Hoje a nossa aula foi sobre a morfologia do corpo docente. Ficamos a saber que a profissão do corpo docente tem muitas segmentações e diversidades que está assente na origem social, no sexo, nível de instrução salário prestígio e poder.  Segmentação – o corpo docente está tudo segmentado ou seja dividido em vários grupos (ensino pré-escolar, básico, secundário, médio, superior, modalidades especiais do ensino e educação extra escolar.  Diversidades – um corpo que envolve milhões de pessoas do mundo todo e em varias áreas com características diferentes (qualificação dos profissionais, politica educativa e formação dos professores).  Sexo / género – Ensino pré-escolar e primário – encontramos mais mulheres ,a ideia é porque esse nível exige mais das mulheres e elas são educadas para cuidar , e é tarefa feminino. Esta ideia ainda prevalece isto devido as desigualdades de género e os estereótipos que condicionam a escolha das profissões das mulheres. Eram os níveis mais mal pagos, mas quando se criou condicoes melhorou os salários e assim foi criado o escalão do s homens e assim passaram a interessar- se pela profissão. Ensino secundário – é mais equilibrado, encontramos tanto mulher como homem. Ensino superior – encontramos mais homens do que mulheres porque ser professor do ensino superior exige mais dedicação e tempo, o que leva com que muitas mulheres não conseguem conciliar os trabalhos domésticos com a carreira universitária.  Origem social – há estudos que mostram que a distribuição é desigual , e que a classe média e alta fornecem mais professores porque as pessoas tinham mais acesso a escolaridade e as formações e tambem sendo de origem social alta havia mais interesse ,apoio familiar, apoio financeiro, oportunidade de estudar, dedicação e estimulo.
  27. 27. Enquanto a classe popular não era muito comum encontrar filho de pescador a fazer formação de professor porque não tinham acesso a escolarização. Mas com a massificaçao de ensino todos tem oportunidade a escolarização e a escolha de profissões. O lugar que o professor ocupa na hierarquia social e a origem social.  Nível de instrução – varia muito porque as modalidades de recrutamento estaria assentes nas competências pedagógicas e cientificas e muitas vezes não exige, varia também de acordo com o nível que estão a leccionar e estimula muito o acesso as profissões, o sistema de recrutamento não é homogéneo não exige uma titularidade específica. Encontramos qualificações diferentes a nível de ensino, é determinado pelas condições do país.  Salário – há desnível por causa da hierarquia, porque um professor licenciado ganha mais do que um que não é licenciado.  Prestigio e poder – é conferido pelo próprio sistema, tem o poder de violência simbólica o professor é respeitado de acordo coma sua atitude, e comportamento social e moral, o professor exerce influencia sobre o aluno de forma positivo ou negativo. E é estudado em 2 ramos da sociologia: micro sociologia (interacção dentro da sala de aula, o professor é respeitado pelos alunos devido a sua autoria). Macro sociologia (a sociedade influencia o professor sobre o aluno fora da sala de aula /da escola). A escola une na instrução, as aulas são iguais, a ordem moral é igual, o nível de conhecimento é igual, cria identidade escolar, o conteúdo ensinado é igual. E ao mesmo tempo ela divide porque tem um sistema de competência, hierarquiza os indivíduos, o sistema de nota e avaliação é desigual. A profissão docente continua a ser atraente devido ao salário, e a carreira profissional. A escola desempenha um papel fundamental na sociedade, (socializa os alunos, transmite valores, comportamentos, atitudes, normas…) e isso contribui para o prestígio do professor.
  28. 28. 27/05/2011 Sumário: consolidação de conhecimentos. Na aula de hoje a professora fez uma pequena preparação para o teste, onde deu algumas perguntas para que nós respondêssemos em casa . 31/05/2011 Sumário: teste sumátivo. A aula de hoje foi dedicada para a realização do teste sumátivo. O teste foi um pouco extenso .
  29. 29. 02/06/2011 Sumário: educação e justiça social. Hoje na aula falamos sobre a educação e a justiça social, tivemos a definir a justiça como disposição constante para dar cada um o que é devido, (suum cuique tribuere) A justiça social tem a ver com o bem comum, fazer o que é necessário para o bem comum. Temos que satisfazer as nossas necessidades, mas temos de sair dos círculos dos interesses pessoais e pensar nos interesses comuns. A justiça agrega vários temas tais como : a educação, saúde, ambiente, deficiência, grupos veneráveis, pessoas em situação de risco, etnias… Educação /justiça social A educação é muito importante para as questões relacionadas com a justiça social porque prepara os i indivíduos para cumprirem os dirteitos e deveres. Tem sido criado sistemas educativos para resolver o problema da justiça através da formação profissional. Articulação entre a educação e a justiça social: Inclusão; diversidade; igualdade; garantir os direitos sociais, políticos, económicas e culturais; universalidade; justiça social e cidadania; e os direitos humanos. Todos os estados democráticos têm de reconhecer todos os direitos do cidadão (justiça social), tem que haver orientações politicas claras com o objectivo de eliminar as desigualdades. A educação é fundamental para garantir que justiça social seja um eixo existente em qualquer política social.
  30. 30. Temos de garantir o comprimento desses olhos no nosso meio laboral, e tratar as diferenças de forma ética e democrática para promover a justiça social, a escola tem que promover práticas pedagógicas inclusiva como fazer jogos onde todos possam participar. A nossa prática pedagógica tem de permitir construir um código de conduta ética. A teorização sobre a justiça social é algo recente, foi introduzida em 1990 por westel wilboughby (social justice). Em que segundo ele a sociedade tem sempre de criar arranjos para que se sintam incluídos.
  31. 31. 07/06/2011 Sumário: orientação dos trabalhos de grupo. A professora dedicou a aula de hoje para orientação dos trabalhos de grupo, ela deu atenção também para os portfolios de alguns alunos 09/06/2011 Sumário: continuação da aula anterior. 15/06/2011 Sumário: Na aula de hoje a professora colocou um filme para vermos, e depois fazer uma reflexão sobre tal. O titulo do filme é «pro dia nascer feliz» o autor é João Jardim, feito em 2007,é baseado em entrevistas feitas aos professores e alunos para saber como se relacionam no ambiente escolar. Foi filmado nos três estados do Brasil (Pernambuco, Rio de Janeiro, e São Paulo. 16/06/2011 Sumário: discussão da temática do filme «pro dia nascer feliz» A professora pediu para reflectirmos em grupo sobre os aspectos que nos despertaram mais, a situação que chamou-nos mais atenção e o que há de comum. O filme «pro dia nascer feliz» do autor João Jardim, do ano 2007 fala sobre uma entrevista feita aos alunos para saber como os alunos se relacionam no ambiente escolar. Filmado em três estados do Brasil (Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo).
  32. 32. Pernambuco (cidade Manari) uma das cidades mais pobres do Brasil. Escolas sem condições (falta de saneamento, falta de produtos de higiene e materiais didácticos como carteiras, cadeiras, mesas, quadros, secretarias…) Em relação aos meios de transportes (alunos que não vão a escola devido a falta de transporte). Absentismo por parte dos alunos e do corpo docente. Rio de Janeiro (duque de Caxias) perto das favelas onde há um grande trafico de drogas. Na reunião de notas as professoras estavam discutindo a situação de um aluno que tinha mudado de comportamento e estavam a pensar na possibilidade de não reprovação desse aluno. Esse aluno tinha muitas dificuldades e estava a precisar de acompanhamentos de professores, psicólogos e pessoas formadas nessa área. A escola cria algumas actividades para integrar alunos problemáticos no núcleo da cultura e uma banda de musical. Professores que envolvem nos assuntos dos alunos com objectivo de lhes ajudar. São Paulo (itaquacetula) Professores eventuais que vão cobrir falta de outros professores que faltaram, dizem que a escola deveria ser pensada porque o professor é preparado para dar aulas mas não para ser ofendido. Faz relação professor/ aluno/sociedade, havia professor que davam alguns alunos notas para passar e livrar deles ou então nem preocupavam com os problemas dos alunos, não estavam nem aí se iam ou não passar de ano. Bairro do alto do pinheiro Escola de classe média com um aspecto mais agradável, salas bem arrumadas, alunos que dedicam muito aos estudos, esqueçam até de divertimento, alunos que acham difícil abrir mão do conforto que têm para ajudar os mais necessitados, sentem satisfação em aprovar em todas as disciplinas.
  33. 33. Alguns dividam essa alegria com os seus pais e outros reclamam que os seus pais não importam muito com as suas vidas somente com o dinheiro e o trabalho, pais que não dizem «filha eu te amo, que dão carinho» e sentem essa falta dos pais. Reformatório Lugar onde colocam os alunos para continuarem a estudar porque não tem idade para ir preso, quando cometem algum crime, é um lugar chocante e triste. Depoimento de uma aluna que esfaqueou um colega na escola porque essa não a deixou entrar numa festa de aniversario. Ao nosso ver esse filme faz uma referência em relação aos códigos linguísticos, porque tendo em conta a teoria de Bernstein, a linguagem é usada de acordo com a classe social de cada indivíduo. No filme os alunos das classes médias utilizam um código mais eldorado, não usam nem um tipo de palavrão «calão» em relação aos alunos das favelas, enquanto que os alunos das favelas usam muito calão. Expressam totalmente diferente.
  34. 34. Porquê a educação possui uma natureza social? Sendo a educação um processo evolutivo de aprendizagem que abrange não só a escolarização, como também é uma aprendizagem geral que engloba tudo (normas, regras de conduta, modelos comportamentais…). Há muito tempo existe a tentativa de intervir na acção do indivíduo na sociedade do qual faz parte através da educação. A educação é dada dentro da sociedade em que cada sociedade tem o seu sistema educativo de acordo com a sua realidade social. A educação tem como fim, tornar o indivíduo num ser social. Sem o processo de socialização o sistema social é incapaz de manter-se integrado o que dificulta a comunicação durante o processo educativo, visto que é pelo processo de socialização que lhes são transmitidos a educação. É através da educação que o indivíduo assimila essas regras. É uma acção que os adultos, os familiares e professores exercem sobre os mais jovens que ainda não estão maduros no sentido de forma-los para atingirem e adaptar a vida em sociedade e formar a sua personalidade. A educação é um processo de ensino - aprendizagem. A escola é considerada um dos agentes mais poderosos da socialização, visto que a criança passa a maior parte do tempo na mesma, onde encontram um ambiente diferente. É na escola que a criança toma consciência do mundo social em toda a sua multiplicidade de significados éticas e morais. Com isso, se desenvolve na criança uma visão crítica que a permite conhecer e transformar a realidade. A escola transmite as crianças cultura e transforma-a para uma completa integração na sociedade A dimensão social da educação, e toda a evolução de uma sociedade está ligada a educação.
  35. 35. A escola responde as expectativas que temos dela? Na minha opinião a escola não responde as expectativas que temos dela porque ainda continua a reproduzir desigualdades sociais, a escola precisa ser mais democrática onde para que cada aluno dê a sua opinião sobre o que pensa ou não em relação a o que podem ou não fazer para melhorar o ambiente escolar. A massificação de ensino permitiu que todos fossem a escola, mas o sistema educativo não está a zelar para uma educação de qualidade para todos independentemente da classe social de cada um; dar mais valor aos diplomas; melhor capacitação do corpo docente, revisão do currículo escolar, evitando repetições das matérias. A escola deveria tentar ajudar os alunos a verem a educação como forma de garantia para o futuro promissor, e dar oportunidade de ensino de qualidade para todos sem distinção da sua classe social. É necessário fazer essa revisão do sistema para que a escola torna-se de boa qualidade e responder melhor suas expectativas.
  36. 36. A escola está em crise? Eu acho que a escola já não é como era antes, muitas coisas mudaram uns para melhor e outros para pior. Houve varias reformas no ensino, continuam a ser insuficientes, ainda continuam com os mesmos problemas. Ainda é preciso dizer que a escola precisa de uma grande reforma no ensino de modo a torna-lo mais democrática e com melhor qualidade. A escola está com falta de capacitação dos professores devido ao planeamento político e social. É necessário verificar os problemas relacionados com os currículos (repetição do currículo), e informações transmitidas, formação dos professores, valorizar as práticas profissionais, projectos políticos que não adapta a realidade, exclusões sociais, os uniformes de ensino imposto pela escola… Esses problemas vão levar a um descontentamento em relação a escola, por parte dos jovens, que não vêem a educação como uma garantia para se ter um futuro promissor. Muitos alunos saem da escola com um diploma, mas o mercado de trabalho não está disponível para ingressar muitos desses jovens, há menos valorização dos diplomas visto que não há emprego para todo mundo o que provoca um grande desemprego por parte dos jovens formados. A educação continua a ser um mero reprodutor das desigualdades, isto porque tem acesso a uma educação de qualidade, é quem consegue pagar para beneficiar dela. O sistema educativo tem que fornecer essas oportunidades, para um ensino de qualidade para todos os alunos. Com a massificação de ensino criaram ensino para todos mas não se deu importância a qualidade de ensino, e nem ao ensino prático. O ensino precisa também ser levado a prática, visto que em algumas disciplinas há nessa necessidade para que possa ter melhor compreensão por parte dos alunos (teória- prática).
  37. 37. Relação entre a teoria de Bernstein e a realidade cabo-verdiana Segundo Bernstein existe dois padrões de fala o código restrito e o código elaborado. O código restrito é usado, normalmente, entre as classes sociais mais baixas em que as famílias usam frases curtas e simples e oferecem poucos pormenores ou precisões de conceitos e informações. O código elaborado, usado, mais frequentemente, pela classe média, em que as famílias usam frases mais complexas, individualizadas e específicas. Eu acho que essa teoria adapta perfeitamente a realidade cabo-verdianas, porque as crianças provenientes das classes mais baixas acabam por dizer o que é de conhecimentos dos outros, enquanto que as crianças das classes altas usam frases mais individuais o que facilita a essas crianças á adaptarem ao ensino, e terem mais oportunidade de sucesso. Quando chega à escola, a criança é portadora de uma linguagem que vai ser o instrumento principal de que se servirá para se exprimir, para comunicar, para se relacionar com os outros, ou seja, para se socializar. Essa linguagem é fruto do crescimento físico e mental, e é essencialmente fruto do meio sociocultural onde a criança fez a sua impregnação. O desenvolvimento da linguagem da criança nem sempre se processa da mesma maneira há acentuadas variações na velocidade de desenvolvimento, na amplitude, na qualidade do vocabulário e na correcção da pronúncia em todas as idades. Estas variações devem-se a um certo número de factores de entre os quais se destacam as relações familiares estreitamente ligadas ao fomento da linguagem e ao meio sociocultural onde as crianças estão integradas. Tendo em vista que a linguagem é uma forma de comportamento social, a maneira pela qual é usada em casa influencia a maneira pela qual as crianças se relacionam com os pais e com o mundo circundante. As famílias que usam códigos elaborados tem mais probabilidade de serem orientadas para as pessoas e de considerarem as características individuais da criança ao contrário das exigências de um papel ,de desempenho social esperado, porque padronizado, para ela. Os utilizadores de códigos restritos são mais orientados para status e esperam que os filhos obedeçam ao progenitor mais poderoso e cumpram determinados papeis. Nestas famílias há pouca oportunidade para as características individuais da criança no que toca a influenciar o processo de decisão ou interacção pai-filho. As crianças provenientes de famílias de classes de fracos recursos económicos-culturais adquirem a linguagem mais lentamente, retêm uma pronúncia imatura por mais tempo, conhecem um menor número de palavras e falam frases mais curtas do que as crianças das classes médias. Na sociedade cabo-verdiana, onde impera uma comunicação fundamentalmente verbal, esta é uma desvantagem que faz com que haja desigualdades sociais.
  38. 38. A relação entre a educação e delinquência juvenil A delinquência juvenil é um assunto que está a preocupar bastante a população cabo- verdiana, porque cada dia tem aumentado o número cada vez mais significativo de criminalidade e agressão por parte dos jovens. Hoje mais do que nunca as pessoas estão com muito medo de circular pelas ruas com medo de serem roubadas ou mesmo agredidas, pelos grupos de «guengues». Esses jovens que pertencem a esses grupos por vezes são crianças que estão sem trabalho e que não têm nem uma ocupação. ou mesmo essa delinquência juvenil vem associado de outros problemas como as drogas e o alcoolismo. São acontecimentos que vem alargando dia por dia, e vai se agravando porque todos os dias têm transmitindo casos desses ou as vezes mais graves na televisão, radio, jornal…. Mas uma coisa é certa nesses últimos tempos as pessoas estão um pouquinho aliviado porque com a implantação dos policias de brigada anti-crime (BAC), não estão vendo muita circulação dos grupos de marginais nas ruas da cidade do Mindelo. «Dizem que o feitiço tornou contra a feiticeira» Mas mesmo assim esses problemas não terminaram, essa situação está cada vez mais insustentável. E neste sentido que a educação entra desempenhando um papel de estrema importância porque na minha opinião o governo deveria responsabilizar por esses jovens criando condições para ocupar a vida deles fornecendo-lhes oportunidade de fazerem uma formação e resolver o problema de desemprego. Porque temos que ter em conta que eles são algumas ainda crianças de 12,13,e 14 anos que estão a passar por vários tipos de dificuldade nas suas vidas, a família também tem que tentar pelo menos transmitir uma educação de boa qualidade às suas crianças, porque muitas vezes são os culpados de tudo o que esta a passar na nossa sociedade cabo-verdiana, devido aos limites que não conseguiram impor as crianças e agora ser tarde de mais para fazer isso. A escola também tem que complementar essa educação tentando dar uma boa formação aos jovens e as crianças e incentiva-los pelas coisas boas da vida.
  39. 39. A massificaçao do ensino A massificaçao do ensino surgiu nos pós 2º guerra mundial nos anos 40 devido a criação da ONU e consequentemente da declaração dos direitos humanos, no qual dizia que «todos tem direito a educação» e com isso os países vão apostar no desenvolvimento espelhando-se nos EUA que nessa altura se anunciava como maior potência mundial. Esses pais vão apostar na educação como forma de desenvolvimento, porque acreditam que ela permitia a ascensão social. Na minha opinião essa massificaçao foi bom por um lado porque antes nem todo mundo tinha acesso a educação, mas hoje já todos tem acesso a educação e isso levou a uma diminuição da taxa de analfabetismo. Mas só que não havia espaço suficiente para todos. Por outro lado a educação continua a ser um mero reprodutor de desigualdades sociais, porque tem acesso a uma educação de qualidade somente os que tem maiores recursos financeiros. É preciso pensar numa educação de qualidade, e oportunidades para todos seja qual for a classe social de cada indivíduo. Só assim podemos dizer que essa massificação trouxe vários aspectos bons e uma educação de qualidade para todos.
  40. 40. A Anomia - estado de falta de objectivos e perda de identidade, provocados pelas intensas transformações que ocorrem nas sociedades modernas e que não fornecem novos valores para colocar no lugar daqueles que por elas são demolidas. Este termo foi criado pelo sociólogo Emile Durkeimem seu livro “O suicídio”, ele emprega este termo para mostrar que os problemas que existem na sociedade deve-se a Anomia, ou a falta de valores morais. Acção social – é toda a maneira de pensar, sentir, e de agir cuja orientação se estrutura segundo modelos que são colectivos, partilhados pelos membros dessa colectividade. B Burocracia - organização com cargos hierarquizados, delimitados por normas, com área especifica de competência e de autoridade, dotadas tanto de poder de coerção quanto da limitação desta, onde a obediência é devido ao cargo e não à pessoa que o ocupa; as relações devem ser formais e impessoais, sem apropriação do cargo que, para ser preenchido, exige competência específica; todos os actos administrativos e decisões tem de ser formuladas por escrito. C Código – representam modelos culturais que exercem determinado constrangimento sobre a acção de indivíduos e proposição normas de conduta, cujo poder de persuasão ou de dissuasão repousa, em parte, nas sanções positivas ou negativas, de aprovação ou desaprovação que as acompanham. Código restrito – depende claramente do contexto e , particularmente ,está enquadrado no contexto de produção (material) e é usada pela classe trabalhadora.O código restrito é usado , normalmente , entre as classes sociais mais baixas , usam frases curtas e simples e oferece pouco pormenor ou precisão de conceitos e informação. Código elaborado ou feito - não depende do contexto, é universal, está enquadrada no campo do jogo (ideológica, reprodução e controle simbólico) é utilizado pela classe dominante. O código elaborado é usado mais frequentemente, pela classe média, tem mensagem mais complexa, individualizada e específica.
  41. 41. Currículo oculto - é constituído por todos aqueles aspectos do ambiente escolar que, sem fazer parte do currículo oficial, explícito, contribuem, de forma implícita para as aprendizagens sociais relevantes o que se aprende no currículo oculto são fundamentalmente atitudes, comportamentos, valores e orientações. Exprime além da transmissão de saberes previamente fixados e definitivos, os modos justos e legítimos de estar e pensar a vida e o mundo. Classe social – é um grupo de pessoas que tem lugar (status social) similar, segundo diversos critérios, especialmente o económico; conjunto de agentes sociais nas mesmas condições no processo de produção e que tem finalidades, politicas e ideológicas. Segundo a óptica marxista, em praticamente toda a sociedade, seja ela pré-capitalista ou caracterizada por um capitalismo desenvolvido, existe a classe dominante, que controla directa ou indirectamente o Estado, e as classes dominadas por aquela, reproduzida inexoravelmente por uma estrutura social implantada pela classe dominante. Segundo a mesma visão do mundo, a história da humanidade é a sucessão das lutas de classes, de forma que sempre que uma classe dominada passa a assumir o papel da classe dominante, surge em seu lugar uma nova classe dominada, e aquela impõe a sua estrutura social mais adequada para a perpetuação da exploração. Capitalismo – sistema em que os meios de produção são de propriedade privada de uma pessoa (ou grupo de pessoas) que investe o capital; o proprietário dos meios de produção (capitalista) contrata o trabalho de terceiros que, portanto, vendem a sua força de trabalho para a produção de bens. Estes depois de vendidos, permitem ao capitalista, não apenas a recuperação do capital investido, mas também a obtenção de um excedente (o lucro). Tanto a compra dos meios e factores de produção como a venda dos produtos, resultantes da actividade empresarial realizam-se no mercado de oferta e da procura de bens e serviços, existentes na sociedade capitalista. Comunismo – como o socialismo, o comunismo é mais uma doutrina económica do que politica. Consiste numa filosofia social ou sistema de organização social baseada no princípio da propriedade pública, colectiva, dos meios matérias de produção e de serviço económico; encontra-se unido a doutrinas que se preocupam em formular os procedimentos mediante os quais pode ser estabelecido e conservado.
  42. 42. D Dialéctica – é um método de diálogo cujo foco é a contraposição e contradição de ideias que leva a outras ideias e que tem sido um tema central na filosofia ocidental e oriental desde os tempos antigos. Aos poucos a dialéctica passou a ser arte de diálogo de uma tese por meio de uma argumentação capaz de definir e distinguir claramente os conceitos envolvidos na discussão. Esse conceito é utilizado por diferentes doutrinas filosóficas e de acordo com cada uma assume um significado distinto. Desescolarização- termo que engloba uma serie de exclusões de direitos que culmina no facto da criança estar fora do espaço escolar. Abandono escolar ou seja a criança fora do ambiente escolar. E Escola - é um estabelecimento ou instituição educativo onde os alunos adquirem conhecimentos, valores, atitudes e comportamentos que acaba por complementar a educação transmitida no seio familiar, e o ensino pré-escolar. A escola é o segundo espaço de socialização. É na escola que o indivíduo desenvolve as suas potencialidades. A escola é formada por diferentes pessoas, sendo o director aquele que dirige, o professor quem ensina e dá as aulas, e o aluno aprende e estuda os ensinamentos do professor. Essa palavra surgiu da filosofia dos gregos antigos scholé, onde eles se reuniam em praças públicas para praticar filosofia e trocar ideias. Educação – engloba os processos de ensinar e aprender. É um fenómeno observado em qualquer sociedade e nos grupos constitutivos destas, responsável pela sua manutenção e continuação a partir da transmissão as gerações que se seguem, dos modos culturais de ser, estar e agir necessários a convivência e ao ajustamento de um membro no seu grupo social. Estado - é uma nação politicamente organizada. É constituído, portanto, pelo povo, território e governo. Engloba todas as pessoas dentro do território delimitado – governo e governados. Estado nação - quando um território delimitado é composto por um governo e uma população de composição étnico-cultural coesa, quase homogénea, sendo esse governo produto dessa mesma composição. Isto ocorre quando as delimitações étnicas e políticas coincidem.
  43. 43. Nestes casos, normalmente, há pouca emigração e imigração, poucos membros de minorias étnicas e poucos membros da etnia dominante a viver além fronteiras. Estado de providência – também conhecido por estado de bem-estar social, é um tipo de organização política e económica que coloca o estado (nação) como agente da promoção (protector e defensor) social e organizador da economia. Nesta orientação, o estado é o agente regulamentador de toda a vida e saúde social, politica e económica do país em parceria com sindicatos e empresas privadas, em níveis diferentes de acordo com a nação em questão. Cabe ao estado – nação garantir serviços públicos e protecção a população. F Facto social – objecto central da sociologia de Emile Durkeim, um facto social é qualquer forma de indução sobre os indivíduos que é como uma coisa exterior a eles, tendo uma existência independente e estabelecida em toda a sociedade, que é considerada então como caracterizada pelo conjunto de factores sócias estabelecidas. Uma norma colectiva com independência e poder de coerção sobre o indivíduo. Fenómenos sociais – é todo o conjunto de acontecimentos (os factos sociais incluídos) de qualquer natureza que determinam ou tem influência na organização social, económica, jurídica, dos grupos humanos civilizados. H Hábito – forma de conduta individual, mecanizada ou automatizada pelo individuo. I Industrialização – consiste na aplicação da mecanização em larga escala à produção industrial, propiciando a emergência dos fenómenos de urbanização) e sendo por ele influenciada), o aumento rápido da população (explosão populacional) e da mobilidade (geográfica e social) dessa população, a ruptura das hierarquias tradicionais de posição, a transformação das sociedades de castas, Estados e classes sociais fechadas em sociedades abertas de classe, a alteração dos sistemas de valores e padrões de comportamento e, até, a criação de uma situação de inadaptação aguda e de alienação para o trabalhador, inicialmente estranho à indústria; também se observam alterações do status profissional, das capacidades (qualificações) dos trabalhadores (operários e
  44. 44. empregadas) da vida familiar, da situação jurídico-social das mulheres, da tradição e do hábito de consumo de bens; da mesma maneira, a oposição entre empresários e trabalhadores torna mais aguda a luta de classes. Integração social – em que o grupo ou o indivíduo se sujeita, por pressão exterior a si próprio a inserir-se no colectivo de modo a criar um todo harmonioso. No processo de socialização o principal objectivo desta é o da integração social. Imaginação sociológica – nos permite ir além das experiências e observações pessoais para compreender temas públicos de maior amplitude. Permite olhar para além de uma compreensão limitada do comportamento humano, ver o mundo e as pessoas de uma forma nova através de uma lente mais potente que o nosso olhar habitual. O elemento chave é a capacidade de uma pessoa poder ver a sua própria sociedade como uma pessoa de fora o faria, em vez de fazê-lo apenas da perspectiva das experiências pessoais e dos preconceitos culturais em uma parte do mundo, mas pouco comuns em outra. M Materialismo histórico – é uma abordagem metodológica ao estudo da sociedade, da economia e da história. Essa tese foi definida e utilizada por Karl Marx e Friederich Engels. É uma tese do marxismo segundo o qual o modo de produção da vida material determina em ultima instância o conjunto da vida social, política e espiritual. É um método de compreensão e análise da história das lutas e das evoluções económicas e políticas. O Organização social –é o conjunto de todas as acções que são realizadas pelos membros de um grupo ao desempenhar o seu papel social .a organização social é algo dinâmico e são as relações estabelecidas entre as partes. P Papéis sociais – são os comportamentos e as condutas do indivíduo no exercício das suas funções tendo em conta as expectativas da sociedade que se insere.
  45. 45. Posição social ou status social – é o lugar ou aposição , condição ou nível social que cada individuo ou grupo realmente ocupa na estrutura social , relativamente aos outros membros do grupo. R Reprodução cultural – é a renovação da cultura, ou as relações sociais sem que haja uma modificação. É frequentemente tratada no âmbito das funções de reprodução do sistema escolar. A reprodução cultural é o estudo das condições da reprodução da dominação na qual a cultura tem um lugar. São os modos como a escola a par de outras instituições, contribui para manter as desigualdades sociais e culturais, transmitindo os valores as atitudes e os hábitos da cultura dominante. Reprodução social - define-se como um processo de constante renovação da produção material e cultural dos seres humanos, processo determinado pelas necessidades de produção económicas e pelo interesse de classe dominante em manter a ordem social, por isso, a reprodução social é um modo de manter as desigualdades sociais, económicas, políticas, etc. S Socialismo – doutrina político-económica que defende que o progresso social e o advento de um mundo mais justo só podem atingir-se através da submissão dos interesses individuais à vontade colectiva, pressupõe a abolição da propriedade privada, a colectivização da economia e a igualdade sociopolítica dos cidadãos. Sociedade – estrutura formada pelos grupos principais, ligados entre si e considerados como uma unidade e participando todas de uma cultura comum. Socialização – é a assimilação de hábitos característicos do seu grupo social, todo o processo através do qual um individuo se torna membro funcional de uma comunidade, assimilando a cultura que lhe é própria. É um processo contínuo que nunca se dá por terminado, realizando-se através da comunicação, sendo inicialmente pela “imitação”para se tornar mais sociável.
  46. 46. Processo social que o ser humano aprende o modo de vida da sua sociedade, adquirindo uma personalidade ao mesmo tempo que desenvolve a capacidade de funcionar como individuo e como membro do grupo. Sociologia – é uma das ciências humanas que estuda as unidades que formam a sociedade, ou seja, estuda o comportamento humano em função ao meio e os processos que interligam os indivíduos em associações, grupos e instituições. Enquanto o indivíduo na sua singularidade é estudada pela psicologia, a sociologia tem uma base teórico-metodológica, que serve para estudar os fenómenos sociais, tentando explica- las, analisando os homens em suas relações de interdependência. Compreender as diferentes sociedades e culturas é um dos objectivos da sociologia. Status – é o lugar ou a posição que cada pessoa ocupa na estrutura social de acordo com o julgamento colectivo ou consenso de opinião do grupo. T Transformações sociais – mudanças que ocorrem muito rapidamente de uma geração para outra, tudo está relacionada com grandes descobertas, ou com as revoluções nos paradigmas urgentes. Constantes mudanças que ocorrem numa sociedade, análise de articulações, transformações que afectam todas as esferas da vida humana e relações interpessoais que dão origem a transformações sociais, (na saúde, economia, politica, no meio ambiente, e na cultura). O mundo gira e as transformações são inevitáveis, as vezes para melhor e outras nem sempre.
  47. 47. Avaliação Tendo em conta que eu já tive a disciplina de sociologia por si só no ensino secundário, eu achei que a disciplina de sociologia de educação seria muito mais abrangente e voltado a realidade escolar. As aulas da sociologia de educação foram boas, porque a professora além de transmitir os conteúdos da disciplina, ela fazia questão de motivar ainda mais com debates onde (sentávamos em rodas, ela também fez jogos com ovos chocolate de pascoa para formar grupos….). E isso tudo era bastante interessante porque reflectíamos e criticávamos sobre vários temas e assuntos relacionados com a disciplina. Durante as aulas eu adquiri muitos conhecimentos acerca dessa disciplina, e esses conhecimentos irão me ajudar bastante no meu futuro, como futuro docente, e ainda fiquei a conhecer melhor a realidade educativa . A realização deste portfólio foi muito importante para todos os alunos porque assim ficarão com as suas matérias bem organizadas e com um bom glossário para servir de auxiliar de outras disciplinas.
  48. 48. Considerações finais Quando comecei a elaborar o meu portfólio encontrei varias dificuldades porque eu nunca tinha realizado um antes. Mas com a ajuda da professora aos poucos fui conseguindo, e espero ter conseguido chegar a onde ela queria, porque dei o máximo de mim e olha que não foi muito fácil, apesar que na vida quase nada é fácil há que ter força de vontade, para chegar a onde queremos. As pesquisas feitas facilitaram muito o meu trabalho porque encontrei mais conhecimentos sobre as matérias e os conceitos. A realização deste portfolio ajudou-me a ser mais criativo, apesar que eu antes queria fazer o meu portfólio manuscrito, eu até iniciei mas depois eu acabei por desistir porque as minhas letras estavam a ficar completamente diferente. Por isso eu optei por fazer no computador mas mesmo assim fiz recorte e colagem e espero ter ficado muito mais bonito, isso depende da opinião da professora. Eu acho que posso realizar portfolios de outras disciplinas com os conhecimentos que a professora nos transmitiu.
  49. 49. Referências bibliográficas PITE.Jorge, Agosto (1997), «dicionário de sociologia», 1º edição, Lisboa. ALMEIDA.Antónia,TRANGUIL.Fernanda,BARROS.Isabela,SALES.José.Setembro(1 996),1ºediçao,editora precença. Web grafia: Pt. Wikipedia.org/wiki/socilogiawww.cesmail.com.br/orotoria-14/05/2011 20:30 Http. //Pt.wikipedia.org/wiki/classe social. 12/05/2011 22:20 Http://www.educaçao.br.monografia educação e mobilidade social.20/05/2011 09:20

×