Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTORES AMBIENTAIS

539 visualizações

Publicada em

Catálogo da Exposição Fotográfica: O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTORES .AMBIENTAIS.

Curadoria e organização: Viegas Fernandes da Costa
Instituto Federal de Santa Catarina.
Garopaba, 2015

Publicada em: Arte e fotografia
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
539
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Catálogo da Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTORES AMBIENTAIS

  1. 1. O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTORES AMBIENTAIS Exposição fotográfica Viegas Fernandes da Costa (org.) 2015
  2. 2. Exposição Fotográfica O PATRIMÔNIO CULTURAL NO OLHAR DOS CONDUTORES AMBIENTAIS Viegas Fernandes da Costa Prof. De História do IFSC – Campus Garopaba O patrimônio cultural de uma cidade constitui-se de pedra, de cal, do óleo de baleia utilizado para assentar lares, templos e vendas. Constitui-se desta matéria bruta, mas também da sensível. Dos saberes, dos fazeres, das crenças e lendas que costuram medos, conferem sentidos. O patrimônio cultural de uma cidade constitui-se de pessoas e paisagens. É no seu patrimônio bruto e sensível, material e imaterial, que se organiza a identidade do local. Identidade de encontros e desencontros, dinâmica, viva. O patrimônio cultural não é algo dado e estático. Emerge e resiste como resultado das forças políticas, dos interesses econômicos, das disputas simbólicas. Reconhecê-lo e ressignificá- lo torna-se, assim, necessidade permanente, exercício de cidadania, fundamento para qualquer discussão de desenvolvimento sustentável. Porque não há sustentabilidade sem identidade. Não há sustentabilidade sem reconhecimento. Território inventado sobre civilizações antigas, sambaquieiras, itararés e guaraníticas, antiga vila de pescadores e africanos escravizados, mais tarde refundada por açorianos, italianos e gentes de todos os matizes, e descoberta por surfistas e hippies no último quartel do século XX, em Garopaba as transformações urbanas e demográficas das últimas décadas conferiram à vila a cara e o ritmo da urbe. E nesta espiral moderna, qual o lugar do patrimônio cultural, da identidade? Pergunta importante para uma cidade que promove o contato do local com o universal a partir do turismo. Olhar para o patrimônio cultural de Garopaba, reconhecê-lo, apropriar-se dele, é condição para que a cidade permaneça viva, criativa, significada. É desafio para que Garopaba não se reduza à fachada, como tantos lugares espalhados por aí. É assegurar que o
  3. 3. discurso do crescimento econômico não se sobreponha ao do desenvolvimento com sustentabilidade, que se pratica ouvindo as pessoas e valorizando suas tradições. A exposição fotográfica intitulada “O Patrimônio Cultural de Garopaba no olhar dos Condutores Ambientais” foi organizada primeiramente para integrar a 13ª Semana de Museus, cujo tema é “Museus para uma sociedade sustentável”, e apresenta doze fotografias 30X40 cm em preto e branco produzidas pelos alunos da turma de 2014 do curso de Condutor Ambiental Local de Garopaba, ofertado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – Campus Garopaba. As fotografias foram produzidas a partir de uma saída de campo da Unidade Curricular de História Local. O objetivo foi retratar as particularidades do patrimônio cultural no olhar de cada um dos alunos. A fé no monumento da igreja, nas mãos de sua guardiã mais antiga ou no detalhe da canoa. Os pescadores que tecem tradição em suas redes. Os detalhes do engenho de farinha operado por muitas gerações, da roda na velha serraria, nos utensílios de café de uma família de agricultores. A história no rosto de seu Bino, falecido em 2015, o pescador que viu a história acontecer. O patrimônio que tomba, o patrimônio tombado. Os caminhos entre o novo e o antigo. Esta seleção de olhares pretende promover o interesse e o debate a respeito da identidade de Garopaba. Alunos Fotógrafos que participam da exposição: Alexandre de Souza Martins Júnior, André Leonardo Bortolon, Angela Sabrina Rodrigues Theophilo, Bernadete Scolaro, Claudete Medeiros, Kelly Cristian Vieira, Lara de Lara, Letícia Toniolo, Maiara Leonel Pereira, Mariana Israel, Paulo Emílio Ruediger de Souza. Curadoria: Viegas Fernandes da Costa Equipe técnica: Antenor Otávio dos Santos, Fernanda Denise Satler, Paula Ramos de Mello.
  4. 4. Título: Fé Autor: Alexandre de Souza Martins Junior
  5. 5. Título: Que Deus te abençoe Autor: Angela Sabrina Rodrigues Theophilo
  6. 6. Título: Trabalho artesanal Autor: André Leonardo Bortolon
  7. 7. Título: 98 anos de história Autor: Lara de Lara
  8. 8. Título: Guardiã da fé Autor: Bernadete Scolaro
  9. 9. Título: Caminhos entre o novo e o antigo Autor: Maiara Leonel Pereira
  10. 10. Título: O abandono do passado Autor: Claudete Medeiros
  11. 11. Título: Casa antiga Autor: Letícia Toniolo
  12. 12. Título: Imigração italiana Autor: Paulo Emílio Ruediger de Souza
  13. 13. Título: Vai um café? Autor: Kelly Cristian Vieira
  14. 14. Título: Moedor de mandioca Autor: Alexandre de Souza Martins Junior
  15. 15. Título: Canga de boi Autor: Mariana Israel

×