SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS 
Aula 01/04 
AVALIAÇÃO DE CENA DE AGRAVO 
PSIQUIÁTRICO
Objetivos 
Ao final da aula o participante deverá ser capaz de: 
 Identificar as fases da avaliação da cena de 
agravo psiquiátrico; 
 Realizar a avaliação da cena de agravo 
psiquiátrico de forma sistematizada.
Estudo de Caso 
1
Estudo de Caso (1) 
Motivo do chamado: 
Paciente mantém companheira refém com 
arma branca. 
Solicitante relata que o Sr. J.P.S. 35 anos, 
morador de uma comunidade: 
 Ameaça companheira com arma branca; 
 Apresenta comportamento hostil; 
 Quebrou vidros e revirou a casa.
Estudo de Caso (2) 
Descrição da cena: 
 Moradia no centro de uma comunidade 
considerada insegura; 
 Acesso difícil para aproximação da ambulância; 
 Informação de vizinhos: paciente mantém 
companheira refém sob ameaça com arma 
branca.
Estudo de Caso (3) 
Conduta da equipe na cena: 
 Solicitado apoio à regulação médica 
(acionamento da Polícia Militar); 
 Equipe permanece dentro da ambulância; 
 Condutor posiciona a AM em local seguro; 
 Policiais desarmam o paciente; 
 Escoltam a equipe até a casa; 
 Paciente desarmado pela PM, passa a colaborar.
Estudo de Caso (4) 
Abordagem da equipe 
 Realiza a Avaliação Primária; 
 Realiza a Avaliação secundária; 
 Elabora o registro escrito das ações (ficha de 
atendimento); 
 Efetua o contato com a regulação médica, passa o 
caso; 
 Transporta a vítima com segurança para hospital 
indicado pela regulação.
Reflexão 
Vamos olhar para a cena desse caso 
de modo sistematizado e 
organizado?
Cena Psiquiátrica 
 A cena de um agravo em saúde mental é diferente 
e mais complexa que outros tipos de agravos; 
 Nenhuma cena é estática; 
 O simples fato de você estar presente na cena, já 
a modifica.
Avaliação de Cena 
Elementos 
Ambientais 
e Materiais Relações 
Humanas 
Comportamento 
s envolvidos na 
cena
Avaliação de Cena 
Elementos Ambientais e 
Materiais 
Ambientais: casa revirada, local seguro?, rota de 
fuga? (porta aberta); 
Materiais: vidros quebrados, faca, garrafa de 
cerveja, sangue, artefatos de drogas?;
Avaliação de Cena 
Relações Humanas 
 Nossas percepções quanto ao relacionamento 
com a esposa; 
 Impressões colhidas sobre o relacionamento 
do casal com familiares, vizinhos e 
circundantes.
Avaliação de Cena 
Comportamentos envolvidos na cena 
1. Nossas observações: postura inadequada 
agressividade, hostilidade, vínculo, sofrimento da 
esposa, medo, aceita o tratamento? 
2. Observações da rede de relacionamento, rotina 
do casal (agressões frequentes). 
Pouco contato com vizinhos e familiares.
Objetivos da Avaliação 
Riscos e 
vulnerabilidades 
Paciente 
Familiares 
Equipe
Priorize a Integridade da Equipe 
Peça apoio à 
Central de 
Regulação 
Policiais 
Bombeiros 
SBV / SAV
Avaliação de Cena 
Arredores. A casa. Armas. Artefatos de 
drogas. Aparência. 
Conflito e Crise na rede social e familiar. 
Equipe na cena: Expectativas e 
receptividade da rede social e do paciente. 
Nível de consciência, adequação a 
realidade, capacidade de escolha e Nível 
de sofrimento. 
Álcool, Agressividade, Auto-agressão.
A Arredores 
Há artefatos de drogas 
ou desorganização? 
É ambiente seguro? 
Há porta de saída aberta? 
( Rota de fuga)
C Conflitos 
Há sinais de agressões físicas? 
4
E Equipe na cena: 
Expectativas e receptividade da rede social e 
do paciente 
5
N Nível de consciência 
A pessoa mostra-se adequada a realidade?
A Álcool, agressividade 
7
Aspectos Gerais da Atuação 
 Treinamento é fundamental; 
 Sistematização da avaliação da cena:ACENA; 
 Mantenha boa comunicação; 
 Seja profissional acolhedor.
Revisão dos Objetivos 
Ao final da aula o participante deverá ser capaz de: 
 Identificar as fases da avaliação da cena nas 
emergências psiquiátricas; 
 Realizar a avaliação da cena na emergência 
psiquiátrica de forma sistematizada.
Bibliografia 
• A contenção física do paciente: uma abordagem terapêutica. Autor:João Fernando 
Marcolan; 
• Capacitação para profissionais de APH Movel (SAMU 192) e APH fixo; EAD parceria 
do Ministério da Saúde e Hospital Osvaldo Cruz; 
• Protocolo SAMU 192 São Paulo – SP; 
• Conceitos Básicos em Enfermagem Psiquiátrica. Autores:Joan J.Kyes e Charles K. 
Hofling. 
• Curso capacitação SAMU 192 do HAOC; 
• Elaboração:Enf. Cláudio Viegas 2014; 
• Imagens ilustrativas: 1- Rede Globo;2 Blog prentice;3Marcos Santos/USP Imagens;4 Getty 
Images;5 activision;6 filhosdamisericordia.blogspot.com; 7site.suamente.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Abordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de traumaAbordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de traumaNilton Goulart
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Will Nunes
 
Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Leila Daniele
 
Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptx
Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptxAssistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptx
Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptxEnfermagemUniavan
 
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.pptEMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.pptRafaela Amanso
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Will Nunes
 
Analgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTIAnalgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTINatália Oliveira
 
Tipos de anestesia
Tipos de anestesiaTipos de anestesia
Tipos de anestesiaGarrote Leal
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroJuliana Maciel
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasivaMateus Camargo
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalRodrigo Abreu
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoEnayad
 

Mais procurados (20)

Abordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de traumaAbordagem da vitima de trauma
Abordagem da vitima de trauma
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 2)
 
Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória Parada cardiorrespiratória
Parada cardiorrespiratória
 
Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptx
Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptxAssistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptx
Assistência de enfermagem ao paciente cirúrgico.pptx
 
Monitorização UTI
Monitorização UTIMonitorização UTI
Monitorização UTI
 
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.pptEMERGÊNCIAS  PSIQUIÁTRICAS.ppt
EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS.ppt
 
Parada cardiaca
Parada cardiacaParada cardiaca
Parada cardiaca
 
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
Unidade de Terapia Intensiva (parte 1)
 
Analgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTIAnalgesia e Sedação na UTI
Analgesia e Sedação na UTI
 
Uti
UtiUti
Uti
 
Alimentação do paciente - Nutrição enteral
Alimentação do paciente - Nutrição enteralAlimentação do paciente - Nutrição enteral
Alimentação do paciente - Nutrição enteral
 
Tipos de anestesia
Tipos de anestesiaTipos de anestesia
Tipos de anestesia
 
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuroAssistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
Assistência de enfermagem ao recém nascido prematuro
 
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
15118905 monitorizacao-invasiva-e-nao-invasiva
 
Sondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinalSondagem gastrointestinal
Sondagem gastrointestinal
 
Ovace
OvaceOvace
Ovace
 
Uti
UtiUti
Uti
 
Imobilização
ImobilizaçãoImobilização
Imobilização
 
Intoxicação exógena
Intoxicação exógenaIntoxicação exógena
Intoxicação exógena
 
Exame do Recém-Nascido
Exame do Recém-NascidoExame do Recém-Nascido
Exame do Recém-Nascido
 

Destaque

Aula 02
Aula 02Aula 02
Aula 02Lampsi
 
Apresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUS
Apresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUSApresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUS
Apresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUSMinistério da Saúde
 
Evaluación psiquiátrica
Evaluación psiquiátricaEvaluación psiquiátrica
Evaluación psiquiátricaGLORIABOBADILLAA
 
Componentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção àsComponentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção àsJosé Carlos Pereira
 
Sistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgênciasSistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgênciasbiblisaocamilo
 
Tema 8 treball i energia
Tema 8 treball i energiaTema 8 treball i energia
Tema 8 treball i energiaXavier Roura
 
Apresentação do samu para alunos
Apresentação do samu para alunosApresentação do samu para alunos
Apresentação do samu para alunosBolivar Saldaña
 
exploracion clinica del paciente psiquiatrico
 exploracion clinica del paciente psiquiatrico exploracion clinica del paciente psiquiatrico
exploracion clinica del paciente psiquiatricoAriely E Josué
 
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula emergencia psiquiatrica SilvioProf Silvio Rosa
 
1 ValoracióN Psiquiatrica
1 ValoracióN Psiquiatrica1 ValoracióN Psiquiatrica
1 ValoracióN Psiquiatricadrbobe
 
Anamnese e entrevista psiquiátrica dra. ana maria
Anamnese e entrevista psiquiátrica   dra. ana mariaAnamnese e entrevista psiquiátrica   dra. ana maria
Anamnese e entrevista psiquiátrica dra. ana mariaLeandro Batista
 
Estudo de caso SAE
Estudo de caso SAEEstudo de caso SAE
Estudo de caso SAELuana Santos
 
Examen mental, entrevista y observaciónn
Examen mental, entrevista y observaciónnExamen mental, entrevista y observaciónn
Examen mental, entrevista y observaciónnketrijes
 
Aula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátricaAula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátricaAroldo Gavioli
 
Valoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatria
Valoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatriaValoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatria
Valoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatriamiguel hilario
 

Destaque (20)

Aula 02
Aula 02Aula 02
Aula 02
 
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesm
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesmAtendimento pré hospitalar aula 01 iesm
Atendimento pré hospitalar aula 01 iesm
 
Apresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUS
Apresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUSApresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUS
Apresentação I Atendimento com qualidade nas urgências do SUS
 
Evaluación psiquiátrica
Evaluación psiquiátricaEvaluación psiquiátrica
Evaluación psiquiátrica
 
Constatação de óbito
Constatação de óbitoConstatação de óbito
Constatação de óbito
 
Componentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção àsComponentes e interfaces da rede de atenção às
Componentes e interfaces da rede de atenção às
 
fabrício Aula 1
fabrício Aula 1fabrício Aula 1
fabrício Aula 1
 
Sistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgênciasSistema nacional de urgências
Sistema nacional de urgências
 
Tema 8 treball i energia
Tema 8 treball i energiaTema 8 treball i energia
Tema 8 treball i energia
 
Apresentação do samu para alunos
Apresentação do samu para alunosApresentação do samu para alunos
Apresentação do samu para alunos
 
Samu
Samu Samu
Samu
 
exploracion clinica del paciente psiquiatrico
 exploracion clinica del paciente psiquiatrico exploracion clinica del paciente psiquiatrico
exploracion clinica del paciente psiquiatrico
 
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio15ª aula   emergencia psiquiatrica Silvio
15ª aula emergencia psiquiatrica Silvio
 
Anamnese eraldo2014.pptj
Anamnese eraldo2014.pptjAnamnese eraldo2014.pptj
Anamnese eraldo2014.pptj
 
1 ValoracióN Psiquiatrica
1 ValoracióN Psiquiatrica1 ValoracióN Psiquiatrica
1 ValoracióN Psiquiatrica
 
Anamnese e entrevista psiquiátrica dra. ana maria
Anamnese e entrevista psiquiátrica   dra. ana mariaAnamnese e entrevista psiquiátrica   dra. ana maria
Anamnese e entrevista psiquiátrica dra. ana maria
 
Estudo de caso SAE
Estudo de caso SAEEstudo de caso SAE
Estudo de caso SAE
 
Examen mental, entrevista y observaciónn
Examen mental, entrevista y observaciónnExamen mental, entrevista y observaciónn
Examen mental, entrevista y observaciónn
 
Aula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátricaAula reforma psiquiátrica
Aula reforma psiquiátrica
 
Valoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatria
Valoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatriaValoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatria
Valoracion de Enfermeria en el paciente de Salud mental y psiquiatria
 

Mais de Claudio Viegas

Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátricaAula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátricaClaudio Viegas
 
Livro do aluno_oncologia
Livro do aluno_oncologiaLivro do aluno_oncologia
Livro do aluno_oncologiaClaudio Viegas
 
001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...
001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...
001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...Claudio Viegas
 
manual-pre-natal-2012
 manual-pre-natal-2012 manual-pre-natal-2012
manual-pre-natal-2012Claudio Viegas
 
Tec saude -_urgencia_e_emergencia
Tec saude -_urgencia_e_emergenciaTec saude -_urgencia_e_emergencia
Tec saude -_urgencia_e_emergenciaClaudio Viegas
 
Texto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hsl
Texto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hslTexto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hsl
Texto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hslClaudio Viegas
 
Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01
Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01
Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01Claudio Viegas
 
Emergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamento
Emergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamentoEmergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamento
Emergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamentoClaudio Viegas
 

Mais de Claudio Viegas (19)

Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátricaAula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
Aula 2 comunicação terapêutica na emerg. psiquiátrica
 
Livro do aluno_oncologia
Livro do aluno_oncologiaLivro do aluno_oncologia
Livro do aluno_oncologia
 
001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...
001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...
001 atendimento ao_paciente_vitima_de_traumatismo_cranioencefalico_leve_tce_l...
 
manual-pre-natal-2012
 manual-pre-natal-2012 manual-pre-natal-2012
manual-pre-natal-2012
 
Tec saude -_urgencia_e_emergencia
Tec saude -_urgencia_e_emergenciaTec saude -_urgencia_e_emergencia
Tec saude -_urgencia_e_emergencia
 
Algoritmo sbv 2010
Algoritmo sbv 2010Algoritmo sbv 2010
Algoritmo sbv 2010
 
5 emergcardenf1
5 emergcardenf15 emergcardenf1
5 emergcardenf1
 
Texto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hsl
Texto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hslTexto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hsl
Texto abordagem diagnósticaeterapêuticadoavc-isquêmicoagudo-hsl
 
Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01
Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01
Cursoaphsamusaopaulo 100723171105-phpapp01
 
Enfcardio05
Enfcardio05Enfcardio05
Enfcardio05
 
Enfcardio04
Enfcardio04Enfcardio04
Enfcardio04
 
Enfcardio03
Enfcardio03Enfcardio03
Enfcardio03
 
Enfcardio03
Enfcardio03Enfcardio03
Enfcardio03
 
Enfcardio02
Enfcardio02Enfcardio02
Enfcardio02
 
Enfcardio01
Enfcardio01Enfcardio01
Enfcardio01
 
Currents
CurrentsCurrents
Currents
 
Currents
CurrentsCurrents
Currents
 
Tce
TceTce
Tce
 
Emergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamento
Emergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamentoEmergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamento
Emergéncias psiquiatricas e de alterações de comportamento
 

Avaliação de Cena Psiquiátrica

  • 1. EMERGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS Aula 01/04 AVALIAÇÃO DE CENA DE AGRAVO PSIQUIÁTRICO
  • 2. Objetivos Ao final da aula o participante deverá ser capaz de:  Identificar as fases da avaliação da cena de agravo psiquiátrico;  Realizar a avaliação da cena de agravo psiquiátrico de forma sistematizada.
  • 4. Estudo de Caso (1) Motivo do chamado: Paciente mantém companheira refém com arma branca. Solicitante relata que o Sr. J.P.S. 35 anos, morador de uma comunidade:  Ameaça companheira com arma branca;  Apresenta comportamento hostil;  Quebrou vidros e revirou a casa.
  • 5. Estudo de Caso (2) Descrição da cena:  Moradia no centro de uma comunidade considerada insegura;  Acesso difícil para aproximação da ambulância;  Informação de vizinhos: paciente mantém companheira refém sob ameaça com arma branca.
  • 6. Estudo de Caso (3) Conduta da equipe na cena:  Solicitado apoio à regulação médica (acionamento da Polícia Militar);  Equipe permanece dentro da ambulância;  Condutor posiciona a AM em local seguro;  Policiais desarmam o paciente;  Escoltam a equipe até a casa;  Paciente desarmado pela PM, passa a colaborar.
  • 7. Estudo de Caso (4) Abordagem da equipe  Realiza a Avaliação Primária;  Realiza a Avaliação secundária;  Elabora o registro escrito das ações (ficha de atendimento);  Efetua o contato com a regulação médica, passa o caso;  Transporta a vítima com segurança para hospital indicado pela regulação.
  • 8. Reflexão Vamos olhar para a cena desse caso de modo sistematizado e organizado?
  • 9. Cena Psiquiátrica  A cena de um agravo em saúde mental é diferente e mais complexa que outros tipos de agravos;  Nenhuma cena é estática;  O simples fato de você estar presente na cena, já a modifica.
  • 10. Avaliação de Cena Elementos Ambientais e Materiais Relações Humanas Comportamento s envolvidos na cena
  • 11. Avaliação de Cena Elementos Ambientais e Materiais Ambientais: casa revirada, local seguro?, rota de fuga? (porta aberta); Materiais: vidros quebrados, faca, garrafa de cerveja, sangue, artefatos de drogas?;
  • 12. Avaliação de Cena Relações Humanas  Nossas percepções quanto ao relacionamento com a esposa;  Impressões colhidas sobre o relacionamento do casal com familiares, vizinhos e circundantes.
  • 13. Avaliação de Cena Comportamentos envolvidos na cena 1. Nossas observações: postura inadequada agressividade, hostilidade, vínculo, sofrimento da esposa, medo, aceita o tratamento? 2. Observações da rede de relacionamento, rotina do casal (agressões frequentes). Pouco contato com vizinhos e familiares.
  • 14. Objetivos da Avaliação Riscos e vulnerabilidades Paciente Familiares Equipe
  • 15. Priorize a Integridade da Equipe Peça apoio à Central de Regulação Policiais Bombeiros SBV / SAV
  • 16. Avaliação de Cena Arredores. A casa. Armas. Artefatos de drogas. Aparência. Conflito e Crise na rede social e familiar. Equipe na cena: Expectativas e receptividade da rede social e do paciente. Nível de consciência, adequação a realidade, capacidade de escolha e Nível de sofrimento. Álcool, Agressividade, Auto-agressão.
  • 17. A Arredores Há artefatos de drogas ou desorganização? É ambiente seguro? Há porta de saída aberta? ( Rota de fuga)
  • 18. C Conflitos Há sinais de agressões físicas? 4
  • 19. E Equipe na cena: Expectativas e receptividade da rede social e do paciente 5
  • 20. N Nível de consciência A pessoa mostra-se adequada a realidade?
  • 22. Aspectos Gerais da Atuação  Treinamento é fundamental;  Sistematização da avaliação da cena:ACENA;  Mantenha boa comunicação;  Seja profissional acolhedor.
  • 23. Revisão dos Objetivos Ao final da aula o participante deverá ser capaz de:  Identificar as fases da avaliação da cena nas emergências psiquiátricas;  Realizar a avaliação da cena na emergência psiquiátrica de forma sistematizada.
  • 24. Bibliografia • A contenção física do paciente: uma abordagem terapêutica. Autor:João Fernando Marcolan; • Capacitação para profissionais de APH Movel (SAMU 192) e APH fixo; EAD parceria do Ministério da Saúde e Hospital Osvaldo Cruz; • Protocolo SAMU 192 São Paulo – SP; • Conceitos Básicos em Enfermagem Psiquiátrica. Autores:Joan J.Kyes e Charles K. Hofling. • Curso capacitação SAMU 192 do HAOC; • Elaboração:Enf. Cláudio Viegas 2014; • Imagens ilustrativas: 1- Rede Globo;2 Blog prentice;3Marcos Santos/USP Imagens;4 Getty Images;5 activision;6 filhosdamisericordia.blogspot.com; 7site.suamente.com.br

Notas do Editor

  1. Foco: cena insegura.
  2. Focar na importância da equipe do SAMU em não confundir papeis. Policiais:proporcionar segurança e desarmar o paciente. Equipe do SAMU iniciar o atendimento após a PM entregar cena segura.
  3. Focar no atendimento integral e não simplesmente na abordagem psiquiátrica.