Visão Psiquiátrica sobre os Medicamentos Catecolaminérgicos Anti-obesidade Fato ou Mito?

802 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
802
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Visão Psiquiátrica sobre os Medicamentos Catecolaminérgicos Anti-obesidade Fato ou Mito?

  1. 1. VISÃO PSIQUIÁTRICA SOBRE OS MEDICAMENTOS CATECOLAMINÉRGICOS ANTI-OBESIDADE: FATO OU MITO? Hewdy Lobo RibeiroHewdy Lobo Ribeiro Nutrólogo ABRANNutrólogo ABRAN ProMulher – IPq-HCFMUSPProMulher – IPq-HCFMUSP
  2. 2. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  Problemas ConceituaisProblemas Conceituais  Anfetaminas?Anfetaminas?  Derivados Anfetamínicos?Derivados Anfetamínicos?  Estimulantes ?Estimulantes ?  ““Bolinhas”!!!Bolinhas”!!!  CATECOLAMINÉRGICOSCATECOLAMINÉRGICOS
  3. 3. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  AnorexígenosAnorexígenos  Promovem liberação dePromovem liberação de neurotransmissoresneurotransmissores  Noradrenalina e DopaminaNoradrenalina e Dopamina  Aumentam a neurotransmissãoAumentam a neurotransmissão catecolaminérgica no SNCcatecolaminérgica no SNC  FDA – EUA - grupo 4 menor poder paraFDA – EUA - grupo 4 menor poder para induzir dependênciainduzir dependência Repetto e FerreiraRepetto e Ferreira
  4. 4. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  Aumento da liberação deAumento da liberação de dopaminadopamina  Efeito estimulanteEfeito estimulante  Explica o seu potencialExplica o seu potencial  Abuso e Dependência QuímicaAbuso e Dependência Química Repetto e FerreiraRepetto e Ferreira
  5. 5. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  Femproporex – Desobesi M – 25Femproporex – Desobesi M – 25 mgmg  Anfepramona – Dualid S – 25, 50 eAnfepramona – Dualid S – 25, 50 e 75 mg75 mg  Mazindol – Fagolipo – 2 mgMazindol – Fagolipo – 2 mg
  6. 6. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  Dietilpropiona / Anfepramona eDietilpropiona / Anfepramona e Mazindol são eficazesMazindol são eficazes  Estudos na maioria antigos (30 ouEstudos na maioria antigos (30 ou mais anos) e de curto prazomais anos) e de curto prazo  Poucos estudos clínicosPoucos estudos clínicos publicados com o Femproporexpublicados com o Femproporex Brandão e Simão, 2006Brandão e Simão, 2006
  7. 7. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  FEMPROPOREX 25 – 50 mgFEMPROPOREX 25 – 50 mg  1 – 2 tomadas1 – 2 tomadas  Irritabilidade, insônia, ansiedade eIrritabilidade, insônia, ansiedade e euforiaeuforia Brandão e Simão, 2006Brandão e Simão, 2006
  8. 8. FEMPROPOREXFEMPROPOREX Contra indicações:Contra indicações:  Distúrbios psiquiátricosDistúrbios psiquiátricos  EpilepsiaEpilepsia  Alcoolismo crônicoAlcoolismo crônico AchéAché
  9. 9. FEMPROPOREXFEMPROPOREX  Precauções e advertênciasPrecauções e advertências  Sistema nervoso centralSistema nervoso central  Irritabilidade, tensão, insônia, confusãoIrritabilidade, tensão, insônia, confusão e ansiedadee ansiedade  Vertigem, tremor, reflexos hiperativos,Vertigem, tremor, reflexos hiperativos, fraqueza e dor de cabeçafraqueza e dor de cabeça AchéAché
  10. 10. CatecolaminérgicosCatecolaminérgicos  ANFEPRAMONA - Noradrenérgicos*ANFEPRAMONA - Noradrenérgicos*  * Contraindicados em diabéticos com* Contraindicados em diabéticos com arritmia ou insuficiência cardíacaarritmia ou insuficiência cardíaca  40 – 120 mg40 – 120 mg  1 – 2 tomadas por dia1 – 2 tomadas por dia  Boca seca, turvação visual e arritmiasBoca seca, turvação visual e arritmias Brandão e Simão, 2006Brandão e Simão, 2006
  11. 11. ANFEPRAMONAANFEPRAMONA Contra indicações:Contra indicações:  Antecedentes de distúrbiosAntecedentes de distúrbios psiquiátricospsiquiátricos  EpilepsiaEpilepsia  Alcoolismo crônicoAlcoolismo crônico  Propensão ao abuso de medicamentos,Propensão ao abuso de medicamentos, álcool ou tabacoálcool ou tabaco AchéAché
  12. 12. ANFEPRAMONAANFEPRAMONA Precauções e advertências:Precauções e advertências:  Insônia, nervosismo, irritabilidade eInsônia, nervosismo, irritabilidade e manifestações depressivasmanifestações depressivas  Utilização prolongada: farmacodependência,Utilização prolongada: farmacodependência, diminuição da concentração e modificaçõesdiminuição da concentração e modificações da personalidadeda personalidade  Mais severo - intoxicação crônica -Mais severo - intoxicação crônica - distúrbios psicóticos semelhantes àdistúrbios psicóticos semelhantes à EsquizofreniaEsquizofrenia  Alterações graves: diminuição daAlterações graves: diminuição da concentração e modificações daconcentração e modificações da personalidadepersonalidade AchéAché
  13. 13. ANFEPRAMONAANFEPRAMONA  Precauções e advertênciasPrecauções e advertências  Prescrever de forma descontinuadaPrescrever de forma descontinuada  Períodos de 4 semanasPeríodos de 4 semanas  Tratamento prolongadoTratamento prolongado  Poderá acarretar farmacodependênciaPoderá acarretar farmacodependência e distúrbios psicóticos gravese distúrbios psicóticos graves AchéAché
  14. 14. MAZINDOLMAZINDOL  1 – 3 mg1 – 3 mg  1 – 2 tomadas por dia1 – 2 tomadas por dia  Hipertensão e ConstipaçãoHipertensão e Constipação Brandão e Simão, 2006Brandão e Simão, 2006  Não é derivado da feniletilaminaNão é derivado da feniletilamina Nonino-Borges, Borges e Santos, 2006Nonino-Borges, Borges e Santos, 2006
  15. 15. MAZINDOLMAZINDOL  Contraindicações:Contraindicações:  Estados de agitaçãoEstados de agitação  História pregressa de abuso deHistória pregressa de abuso de drogasdrogas  Isquemia cerebralIsquemia cerebral LibbsLibbs
  16. 16. MAZINDOLMAZINDOL  PrecauçõesPrecauções  Pacientes psicóticosPacientes psicóticos  Devem ser observados com rigorDevem ser observados com rigor LibbsLibbs
  17. 17. Artigo AMBULIMArtigo AMBULIM Drogas utilizadas para tratamentoDrogas utilizadas para tratamento em curto prazoem curto prazo Medicamentos anorexígenos de ação central,Medicamentos anorexígenos de ação central, geralmente hipotalâmica nos sistemasgeralmente hipotalâmica nos sistemas catecolaminérgicos (noradrenalina e/ou dopamina),catecolaminérgicos (noradrenalina e/ou dopamina), são conhecidos por seremsão conhecidos por serem derivados quimicamentederivados quimicamente das anfetaminasdas anfetaminas. São drogas que devem ser. São drogas que devem ser utilizadas por curto prazo tanto por seus potenciaisutilizadas por curto prazo tanto por seus potenciais efeitos colaterais como por seu elevado potencialefeitos colaterais como por seu elevado potencial para abuso e dependência, além da possibilidade depara abuso e dependência, além da possibilidade de desencadear sintomas e síndromes psiquiátricas,desencadear sintomas e síndromes psiquiátricas, como surtos psicóticos, síndromes depressivas oucomo surtos psicóticos, síndromes depressivas ou de mania.de mania. Vasques, Martins e Azevedo, 2004Vasques, Martins e Azevedo, 2004
  18. 18. Artigo AMBULIMArtigo AMBULIM Conclusão:Conclusão: As drogas anorexígenas, apesar deAs drogas anorexígenas, apesar de eficazes, devem ser usadas comeficazes, devem ser usadas com cautela e por curto período de tempo.cautela e por curto período de tempo. Vasques, Martins e Azevedo, 2004Vasques, Martins e Azevedo, 2004
  19. 19. Tratamento dos Efeitos PsíquicosTratamento dos Efeitos Psíquicos dos Catecolaminérgicosdos Catecolaminérgicos  Imprevisibilidade das ReaçõesImprevisibilidade das Reações AdversasAdversas  Abordagem Sintomática eAbordagem Sintomática e SuportivaSuportiva  Tratar Sintomas / SíndromesTratar Sintomas / Síndromes  Manutenção de Funções VitaisManutenção de Funções Vitais Ribeiro, Laranjeira e Dunn, 2006Ribeiro, Laranjeira e Dunn, 2006
  20. 20. PrevençãoPrevenção  Histórias clínica e psiquiátricaHistórias clínica e psiquiátrica minuciosasminuciosas  Antecedentes pessoaisAntecedentes pessoais  História psiquiátrica detalhadaHistória psiquiátrica detalhada  Exclusão de possíveis TranstornosExclusão de possíveis Transtornos Mentais presentes e passadosMentais presentes e passados  Perguntas direcionadasPerguntas direcionadas
  21. 21. OverdoseOverdose  DeliriumDelirium  ConvulsãoConvulsão  NistagmoNistagmo  Crises HipertensivasCrises Hipertensivas  PrecordialgiasPrecordialgias  Arritmias CardíacasArritmias Cardíacas  Hepatite TóxicaHepatite Tóxica  HipertermiaHipertermia  ComaComa Burgess, O’Donohoe, Gill, 2000; Gowing e cols, 2002Burgess, O’Donohoe, Gill, 2000; Gowing e cols, 2002
  22. 22. Tratamento dos Efeitos ColateraisTratamento dos Efeitos Colaterais  Suporte clínicoSuporte clínico  AntipsicóticosAntipsicóticos  BenzodiazepínicosBenzodiazepínicos Ribeiro e Marques, 2002Ribeiro e Marques, 2002
  23. 23. ConclusõesConclusões FatosFatos Medicações ‘’antigas’’Medicações ‘’antigas’’ Poucos trabalhos científicos rigorososPoucos trabalhos científicos rigorosos Necessidade de história psiquiátrica atual eNecessidade de história psiquiátrica atual e prévia detalhadasprévia detalhadas Necessidade de rigor na prescrição – NANecessidade de rigor na prescrição – NA POSSIBILIDADE DE USO - legislativa ePOSSIBILIDADE DE USO - legislativa e farmacológicafarmacológica Tempo de prescrição limitadoTempo de prescrição limitado Não há tratamentos específicos dos possíveisNão há tratamentos específicos dos possíveis efeitos colateraisefeitos colaterais
  24. 24. ConclusõesConclusões MitosMitos São anfetaminas e a maioria dosSão anfetaminas e a maioria dos pacientes sofrem danos psíquicospacientes sofrem danos psíquicos Efeitos colaterais psiquiátricos sãoEfeitos colaterais psiquiátricos são irreversíveisirreversíveis Causam dependênciaCausam dependência Falta de pesquisa clínica invalidaFalta de pesquisa clínica invalida eficáciaeficácia
  25. 25. Muito Obrigado!Muito Obrigado! lobo@vidamental.com.brlobo@vidamental.com.br

×