O cortiço

287 visualizações

Publicada em

O cortiço de Aluízio de Azevedo.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O cortiço

  1. 1. O cortiço Aluísio de Azevedo 1890
  2. 2. Edições
  3. 3. Escola literária Romance naturalista
  4. 4. Linguagem da obra:  Uso arcaísmo (além da gramatica normativa, ainda o uso de um português arcaico)  Capacidade descritiva  Zoomorfismo  Uso de gírias e expressões grosseiras
  5. 5. Foi inspirada por:  Em leis naturais ditas por Darwin (seleção natural e evolucionismo)  Nas ideias do filósofo historiador francês Hippolyte Taine (determinismo)  Nos princípios do positivismo de Augusto Comte (cientificismo e materialismo)  Pela situação do Brasil na época
  6. 6. Contexto histórico:  Brasil se tornando republica.  Final da escravidão.  As diferenças entre as classe sociais bem definidas.
  7. 7. Foco narrativo:  O narrador é onisciente: além de comportar-se como se tivesse observando e registrando os fatos, demostra conhecimento sobre as intenções e sentimentos dos personagens.
  8. 8. Espaço:  A narrativa se passa em dois espaços distintos, que sofrerão transformações, como se pudessem ser representados por organismos que estabelecem trocas e estão em evolução.  Espaço A: Cortiço são Romão . Espaço B: O sobrado de Miranda .
  9. 9. Tempo:  Os fatos temporais são muito confusos, mas pode-se afirmar que os fatos remetem á segunda metade do século XIX pela menção ao Jornal do comercio (1827) , pela referencia á “Lei Rio Branco” (1871) e pela presença de operários imigrantes italianos.
  10. 10. Personagens: A obra é composta por um grande numero de personagens que apenas na aparência são diferente, na essência formam uma multidão caracterizada pelo: • Trabalho • Exploração • Degradação • Brutalidade • Animalização
  11. 11.  JOÃO ROMÃO – taverneiro português, dono da pedreira e do cortiço. Representa o capitalista explorador.  BERTOLEZA – quitandeira, escrava cafuza que mora com João Romão, para quem ela trabalha como uma máquina.  MIRANDA – comerciante português. Principal opositor de João Romão. Mora num sobrado aburguesado, ao lado do cortiço.
  12. 12.  JERÔNIMO – português “cavouqueiro”, trabalhador da pedreira de João Romão, representa a disciplina do trabalho.  RITA BAIANA – mulata sensual e provocante que promove os pagodes no cortiço. Representa a mulher brasileira.  PIEDADE – portuguesa que é casada com Jerônimo. Representa a mulher européia.
  13. 13.  CAPOEIRA FIRMO – mulato e companheiro que se envolve com Rita Baiana.  ARRAIA-MIÚDA – representada por lavadeiras, caixeiros, trabalhadores da pedreira e pelo policial Alexandre.  O CORTIÇO – pode ser considerado um personagem por sua evolução durante o romance.
  14. 14. Enredo: o Estalagem de São Romão o O sobrado de Miranda o Os moradores do cortiço o O argentário sem escrúpulos o Rita Baiana, a mulata dengosa o Jerônimo, o português que se abrasileirou o O incêndio no cortiço o Léonie e Pombinha o A avenida São Romão o O abolicionista João Romão
  15. 15. Como o livro retrata: Homossexualidade É tratado como um desvio de conduta, anormal e errado. Mulher No romance a mulher é vista de 3 maneiras:  Objeto.  Sujeito.  De objeto e sujeito simultaneamente.
  16. 16. Aluísio de Azevedo Considerado o pioneiro do naturalismo no Brasil, o romancista nasceu em São Luís, Maranhão em 14 de abril de 1857 e faleceu em Buenos Aires, Argentina, no dia 21 de janeiro de 1913.
  17. 17. Aluísio de Azevedo • Quando jovem fazia caricatura e poesias para jornais e revistas, sem receber • Primeiro romance, Uma lagrima de mulher 1880 • fundador da cadeira numero quatro na Academia Brasileira de Letras • Crítico social • Não escondia seu descontentamento com a sociedade brasileira e suas regras. • Quando entrou para a vida diplomática abandonou a produção literária
  18. 18. Algumas obras de Aluísio:
  19. 19. O professor sempre se impacienta, quando tem de explicar qualquer coisa mais de uma vez; o livro não, o livro exige apenas a boa vontade de quem estuda. Aluísio Azevedo

×