Grupo 2 no aeroporto

333 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
115
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Grupo 2 no aeroporto

  1. 1. NoAeroportoCarlosDrummond deAndrade
  2. 2. Viajou meu amigo Pedro. Fui levá lo ao Galeão, onde esperamos três horas o‐seu quadrimotor. Durante esse tempo, não faltou assunto para nos entretermos,embora não falássemos da vã e numerosa matéria atual. Sempre tivemos muitoassunto, e não deixamos de explorá lo a fundo.‐Embora Pedro seja extremamente parco de palavras, e, a bem dizer, não sedigne de pronunciar nenhuma. Quando muito, emite sílabas; o mais é conversa degestos e expressões pelos quais se faz entender admiravelmente. É o seu sistema.Era a sua arma, não direi secreta, porque ostensiva. A vista da pessoahumana lhe dá prazer. Seu sorriso foi logo considerado sorriso especial, reveladorde suas boas intenções para com o mundo ocidental e oriental, e em particular onosso trecho de rua. Fornecedores, vizinhos e desconhecidos, gratificados com essesorriso (encantador, apesar da falta de dentes), abonam a classificação.Devo dizer que Pedro, como visitante, nos deu trabalho; tinha horáriosespeciais, comidas especiais, roupas especiais, sabonetes especiais, criadosespeciais. Mas sua simples presença e seu sorriso compensariam providências eprivilégios maiores.Recebia tudo com naturalidade, sabendo se merecedor das‐distinções, e ninguém se lembraria de achá lo egoísta ou importuno.‐
  3. 3. Suas horas de sono e lhe apraz dormir não só à noite como principalmente‐de dia eram respeitadas como ritos sagrados, a ponto de não ousarmos erguer a‐voz para não acordá-lo.Acordaria sorrindo, como de costume, e não se zangaria com agente, porém nós mesmos é que não nos perdoaríamos o corte de seus sonhos.Assim, por conta de Pedro, deixamos de ouvir muito concerto para violino eorquestra, de Bach, mas também nossos olhos e ouvidos se forraram à tortura datevê. Andando na ponta dos pés, ou descalços, levamos tropeções no escuro, massendo poramor de Pedro não tinha importância.Objetos que visse em nossa mão, requisitava os. Gosta de óculos alheio (e‐não os usa), relógios de pulso, copos, xícaras e vidros em geral, artigos deescritório, botões simples ou de punho.Não é colecionador; gosta das coisas para pegá las, na boca.‐Passou dois meses e meio em nossa casa, e foi hóspede ameno. Sorria paraos moradores, com ou sem motivo plausível. Quem não o conhecer dirá que épéssimo costume, porém duvido que mantenha este juízo diante de Pedro, de seusorriso sem malícia e de suas pupilas azuis porque me esquecia de dizer que tem‐olhos azuis, cor que afasta qualquer suspeita ou acusação apressada, sobre a razãoíntima de seus atos.
  4. 4. Poderia acusá lo de incontinência, porque não sabia distinguir entre os‐cômodos, e o que lhe ocorria fazer, fazia em qualquer parte? Zangar me com ele‐porque destruiu a lâmpada do escritório? Não. Jamais me voltei para Pedro que elenão me sorrisse; tivesse eu um impulso de irritação, e me sentiria desarmado com asua azul maneira de olhar me. Eu sabia que essas coisas eram indiferentes à nossa‐amizade – e, até, que a nossa amizade lhe conferia caráter necessário de prova; ougratuito, de poesia e jogo.Viajou meu amigo Pedro. Ficou refletindo na falta que faz um amigode um ano de idade a seu companheiro já vivido e puído. De repente o aeroportoficou vazio.
  5. 5. Objetivos Gerais:.Levar o aluno a discutir a amizade(relacionamento) entre pessoas de idadesdiferentes. Trabalhar a amizade x respeito xcompanheirismo.. Carinho e encantamento do adulto pela criança..Conhecimento de mundo: Quem já viajou deavião? Quem conhece um aeroporto?.Que meio de transporte utilizam em suas viagens?
  6. 6. Estratégias:.Fazer a leitura do texto;.Conhecimento do vocabulário;.Abrir espaço para que os alunos façam relatospessoais;.Interpretação textual.1) O texto No aeroporto trata-se de qual gênero?2) Por que Pedro se comunicava através de gestose expressões?
  7. 7. 3) Caracterize o amigo “Pedro”.4) O que o autor quis dizer com a frase: “de repenteo aeroporto ficou vazio”?5) Que relação podemos estabelecer entre o títulodo texto (No aeroporto) com o texto?Depois de abrir uma discussão sobre otexto,podemos trabalhar a intertextualidade comas músicas: Encontros e despedidas (MiltonNascimento) e Madrid (Fernando e Sorocaba)
  8. 8. Para finalizar: Assistir ao filme ‘O terminal’ (TomHanks).Dicas de músicas:http://www.vagalume.com.br/maria-rita/encontros-e-despedidas.htmlhttp://www.vagalume.com.br/fernando-e-sorocaba/madrid.htmlFilme:O terminalhttp://www.adorocinema.com/filmes/filme-40882/
  9. 9.  Autora: Gisleidy
  10. 10.  Autora: Gisleidy

×