Top Planejamento - Planejamento Mão na Massa

2.619 visualizações

Publicada em

Apresentação do Aloísio Pinto, VP de Planejamento da McCann, no Top de Planejamento 2008.

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
19 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
19
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • FALAR DO OBJETIVO Meu objetivo aqui é dividir algumas discussões sobre o tema “saturação” que temos tido com nossos clientes na McCann Mas antes de entrar nos detalhes dessa discussão interna, gostaria de listar algumas poucas razões, entre as muitas que existem, porque todos nós deveríamos estar sintonizados, dar atenção a esse tema, enfim, por que a saturação deve entrar em nossa pauta! E a primeira delas têm muito a ver com o trecho de uma música que vamos ouvir agora...
  • Top Planejamento - Planejamento Mão na Massa

    1. 1. As coisas mudaram… E daí? Aloísio Pinto
    2. 2. VÍDEO PRA DIZER O QUE NÃO PRECISA SER MAIS DITO
    3. 4. Inovar Boca a Boca Experiências Conteúdo Entreter Dialogar Engajar O que todos Qualidade da decisão Quantidade de Informação já sabemos
    4. 5. E daí? NA MASSA HORA DE POR A MÃO
    5. 6. <ul><li>princípios... </li></ul>alguns
    6. 7. CÉREBROS METODOLOGIAS NÃO SUBSTITUEM
    7. 8. O RACIOCÍNIO FORMA E REFERÊNCIAS NÃO DISPENSAM
    8. 9. NÃO É PRIVILÉGIO DAS BUTIQUES
    9. 10. <ul><li>‘ mão na massa’ </li></ul>Visão sobre o planejamento
    10. 11. <ul><li>Abandona </li></ul>Planejamento mão na massa o divã
    11. 12. Qual meu valor agregado? Tenho que saber de tudo? Tenho que fazer tudo? Tenho razão de existir nesse contexto de complexidade? Não fica se perguntando...
    12. 13. <ul><li>bem claro: </li></ul>O que tem
    13. 14. Caso Contigo: o enredo das intimidades
    14. 15. Objetivo de negócio: Aumentar vendas em banca Missão da Comunicação: Re-posicionar “Caras”
    15. 16. <ul><li>Algumas intimidades são mais interessantes que as outras </li></ul>Televisão Internet Agências Centros comerciais Aeroportos Ruas Super mercados
    16. 18. protagonista Planejamento mão na massa II. Assume o risco de ser
    17. 19. O papel que extrapola:
    18. 20. O papel que assume
    19. 21. uma resposta sem medo de ser feliz Case
    20. 22. Objetivo de negócio: Tornar a marca mais jovem através da variante “Sensitive” Missão da Comunicação: Ampliar o significado de ‘sensibilidade’
    21. 23. <ul><li>Quanto mais o cara consegue se ‘fazer’ de sensível mais se dá bem </li></ul>Revistas Clube de Vantagens Abordagens Postais “ Treinamento on-line” Promoção PDV
    22. 25. III. Favorece a inovação relevante Planejamento mão na massa
    23. 26. Fabricação de notícias Presença vazia num mundo paralelo Celebridades sem propósito Vídeos grotescos só com o objetivo de se tornarem “viral” Entrega pensamentos que dispensam:
    24. 27. O que seus pensamentos estimulam: Inovações que fazem a marca brilhar; E que não nascem só para ofuscar a ausência de brilho estratégico
    25. 28. Caso Vectra GT: o pensamento por trás do primeiro ‘produto-teaser ’
    26. 29. Objetivo de negócio: ‘ Desencaretar’ o Vectra e a Chevrolet Missão da Comunicação: Retratar a crença de que romper com o estabelecido é um talento cobiçado
    27. 30. <ul><li>Feito para </li></ul><ul><li>desafiar </li></ul><ul><li>padrões </li></ul>Produto teaser Invasões Festas Concessionárias Test Drive Promoção Música
    28. 33. <ul><li>IV. É fluente em </li></ul>Planejamento mão na massa ‘ esperanto’
    29. 34. <ul><li>Não se fecha num círculo de iguais </li></ul><ul><li>Convida e convive com talentos complementares </li></ul><ul><li>Abomina o ‘se não domino, não é importante’ </li></ul>
    30. 35. Antigas e novas faces: Planner Planners Disciplinas Acadêmicos Agentes culturais Consumidores Interaction Designer Redator Diretor de Arte Líder de tecnologia Criativos Disciplinas Outras áreas
    31. 36. Caso Viajante MasterCard: o esperanto praticado na primeira ‘reality-campaign’
    32. 37. Missão da Comunicação: Colocar a aceitação de MasterCard sob tortura Objetivo de negócio: P/ Todos: “MasterCard é aceito e ponto final”
    33. 38. <ul><li>Aceitação </li></ul><ul><li>sem preço </li></ul><ul><li>num Brasil </li></ul><ul><li>sem preço </li></ul>Bancos Estabelecimentos CRM Parceiros Interatividade Cidades Promoção
    34. 40. <ul><li>V.Conhece a pessoa </li></ul>Planejamento mão na massa analógica e digital
    35. 41. Também o comportamento real x virtual Os interesses em ambos mundos A interação desses mundos na compra Observa valores e percepções...
    36. 42. <ul><li>Sua análise inclui uma espécie de Etnografia Digital </li></ul>Hábitos on-line Redes de Influência Assuntos que se envolve Recursos mais usados Pesquisas Aparelhos mais comuns
    37. 43. Caso Meriva: etnografia digital vendendo um câmbio
    38. 44. Objetivo de negócio: Promover a rápida aceitação da nova tecnologia Missão da Comunicação: Seduzir para educar
    39. 45. <ul><li>Possibilidade de escolher como na moda </li></ul>TV Loja Revista Catálogos Test Drive Desfiles Web
    40. 49. Comunidades Planejamento mão na massa Catalisa VI. .
    41. 50. Não pensa s ó em benef í cios Em promessas estanques Em posicionamentos restritos ao mundo dos produtos
    42. 51. Catalisa comunidades Através de um ‘gatilho de conversação’ no centro do brief
    43. 52. que abre uma conversação Caso Fruttare: uma idéia
    44. 53. Objetivo de negócio: Aumentar consumo através do benefício 100% Natural Missão da Comunicação: Transformar benefício em causa
    45. 54. <ul><li>O que é e o </li></ul><ul><li>que não </li></ul><ul><li>é natural </li></ul>TV Promoção Revista Geladeiras Abordagem Supermercados Reality na Web
    46. 56. 1.Uma conclusão 2.Um agradecimento Três ‘cositas’ para terminar
    47. 57. Debora Paulinha Werner Cláudio Paula Rica Ramiro Victor Equipe Patrícia Vinícius Kaká Kiko
    48. 58. 1.Uma conclusão 2.Um agradecimento 3.Um pouco de diversão Três ‘cositas’ para terminar
    49. 72. OBRIGADO Aloísio Pinto DISPONÍVEL NO: WWW.ESTALO.ORG
    50. 73. McCann

    ×