S.I.D.A

6.576 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.576
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.200
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
372
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

S.I.D.A

  1. 1. S.I.D.A Síndrome da ImunoDeficiência Adquirida
  2. 2. Introdução Neste trabalho vamos abordar um tema dos nossos dias, S.I.D.A. Uma doença sem cura que a cada ano que passa mata muitas pessoas.
  3. 3. •A SIDA é provocada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH), que penetra no organismo por contacto com uma pessoa infectada.
  4. 4. • Ao entrar no organismo, dirige-se ao sistema sanguíneo, onde começa de imediato a multiplicar, atacando o sistema imunológico destruindo as células defensoras do organismo e deixando a pessoa infectada.
  5. 5. A transmissão pode acontecer de três formas:
  6. 6. •Relações sexuais;
  7. 7. •Contacto com sangue infectado;
  8. 8. •De mãe para filho, durante a gravidez ou o parto e pela amamentação.
  9. 9. • As doenças a que a pessoa infectada, pode estar sujeita são infecções oportunistas que são provocadas por micróbios. Também podem surgir alguns tipos de tumores (cancros).
  10. 10. • A SIDA provoca ainda perturbações como perda de peso, tumores no cérebro e outros problemas de saúde que, sem tratamento, podem levar à morte. Esta síndrome manifesta-se e evolui de modo diferente de pessoa para pessoa.
  11. 11. Entres essas doenças encontram-se: tuberculose; pneumonia; candidose, que pode causar infecções na garganta e na vagina;
  12. 12. citomegalovirus um vírus que afecta os olhos e os intestinos; criptosporidiose, uma doença intestinal;
  13. 13. toxoplasmose que pode causar lesões graves no cérebro; o sarcoma de Kaposi (uma forma de cancro que provoca o aparecimento de pequenos tumores na pele e em várias zonas do corpo e pode, também, afectar o sistema gastrointestinal e os pulmões).
  14. 14. Quatro semanas após a infecção algumas pessoas apresentam sintomas semelhantes aos de uma gripe como febre, suores, dor de cabeça, de estômago, nos músculos e nas articulações, fadiga, dificuldades em engolir, gânglios linfáticos inchados e um leve prurido.
  15. 15. Calcula-se que pelo menos 50 por cento dos infectados tenham estes sintomas. Algumas pessoas também perdem peso e outras, ocasionalmente, podem perder a mobilidade dos braços e pernas, mas com o tempo irão recuperá-la.
  16. 16. Diagnóstico O diagnóstico faz-se a partir de análises sanguíneas para detectar a presença de anticorpos ao VIH. Estes anticorpos são detectados, normalmente, apenas três a quatro semanas após a fase em que o vírus se começa a manifestar, não podendo haver uma certeza absoluta sobre os resultados nos primeiros três meses após o contágio.
  17. 17. As primeiras análises a um infectado podem dar um resultado negativo se o contágio for recente, por isso, os testes devem ser repetidos quatro a seis semanas, e três meses após a primeira análise.
  18. 18. O período em que a pessoa está infectada, mas não lhe são detectados anticorpos, chama-se “período de janela”. Com os testes actualmente disponíveis é possível detectar a infecção mais cedo e reduzir este “período de janela” para 3 a 4 semanas.
  19. 19. Usar sempre preservativo nas relações sexuais, não partilhar agulhas, seringas, material usado na preparação de drogas injectáveis e objectos cortantes Usar sempre preservativo nas relações sexuais, (agulhas de acupunctura, instrumentos para fazer não partilhar agulhas, seringas, material usado tatuagens e piercings, de cabeleireiro,injectáveis e objectos na preparação de drogas manicura). cortantes (agulhas de acupunctura, instrumentos para fazer tatuagens e piercings, de cabeleireiro, manicura).
  20. 20. Comportamentos de risco •Toxicodependentes que se injectam e partilham agulhas, seringas e outro material usado na preparação da droga para injecção.
  21. 21. •Pessoas que não praticam sexo seguro, isto é, que não usam preservativos e têm mais do que um parceiro sexual.
  22. 22. •Profissionais de saúde - acidentes com contacto com objectos cortantes contaminados (agulhas) ou com sangue, ou outros líquidos orgânicos, contaminados.
  23. 23. Estáticas 2 número de vírus VIH existentes: •éo VIH-1 e VIH-2.
  24. 24. 10 é o número de subtipos do vírus VIH-1 do grupo M.
  25. 25. 14 000 pessoas • foram infectadas diariamente com o VIH (em 2005).
  26. 26. 50 por cento das infecções adquiridas em 2005 ocorreram em pessoas entre 15 e 24 anos.
  27. 27. 95 por cento dos novos casos de infecção em 2005 ocorreram em países em desenvolvimento, sobretudo África.
  28. 28. 1984 foi o ano em que o VIH foi identificado.
  29. 29. 3,1 milhões • é o número de seropositivos que morreram em 2005.
  30. 30. 4,9 milhões •é o número de novas infecções em 2005.
  31. 31. 23milhões de pessoas Cerca de • morreram vítimas de SIDA em todo o Mundo desde o início da epidemia.
  32. 32. 28milhões de crianças africanas terão •em 2010, perdido pelo menos um dos pais, em consequência da SIDA. No total dos países em desenvolvimento, estima-se que esse número seja de 44 milhões (relatório agência americana para desenvolvimento internacional, 2000).
  33. 33. •40,3mi lhões de pessoas estão infectadas em todo o mundo, no final de 2005.
  34. 34. Conclusão Neste trabalho concluímos que a sida não mata, apenas enfraquece o nosso organismo, sendo assim mais fácil de ser atacado por uma doença.
  35. 35. Fontes • http://www.roche.pt/sida/ • http://pt.wikipedia.org/wiki/Sida
  36. 36. ANEXOS Aprenda mais em: http://www.roche.pt/sida/virus/life.cfm
  37. 37. Trabalho realizado por: •Carlos Teixeira nº3 9ºC •José Neves nº11 9ºC •José Rocha nº12 9ºC •Pedro Menezes nº17 9ºC •Ricardo Machado nº21 9ºC

×