Intertextualidade arroz do céu

427 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Intertextualidade arroz do céu

  1. 1. Oiça com atenção as músicas que se seguem.Pedro Abrunhosa - Quem Me Leva Os Meus FantasmasAquele era o tempoEm que as mãos se fechavamE nas noites brilhantes as palavras voavam,E eu via que o céu me nascia dos dedosEa Ursa Maior eram ferros acessos.Marinheiros perdidos em portos distantesEm bares escondidos, em sonhos gigantes.E a cidade vazia, da cor do asfalto,E alguém me pedia que cantasse mais altoQuem me leva os meus fantasmasQuem me salva desta espada,Quem me diz onde é a estrada?Quem me leva os meus fantasmasQuem me leva os meus fantasmasQuem me salva desta espada,Quem me diz onde é a estrada?Aquele era o tempoEm que as sombras se abriam, em que os homens negavamO que outros erguiam.E eu bebia da vida em goles pequenos,Tropeçava no riso, abraçava venenos.De costas voltadas não se vê o futuroNem o rumo da bala, nem a falha no muro.E alguém me gritava, com voz de profeta.Que o caminho se faz, entre o alvo e a seta.Quem me leva os meus fantasmasQuem me salva desta espada,Quem me diz onde é a estrada?Quem me leva os meus fantasmasQuem me leva os meus fantasmasQuem me salva desta espada,Quem me diz onde é a estrada?De que serve ter o mapaSe o fim está traçado,De que serve a terra à vistaSe o barco está parado,De que serve ter a chaveSe a porta está aberta,De que servem as palavrasSe a casa está deserta?Quem me leva os meus fantasmasQuem me salva desta espada,Quem me diz onde é a estrada?Quem me leva os meus fantasmasQuem me leva os meus fantasmasQuem me salva desta espada,Quem me diz onde é a estrada?
  2. 2. QUE FORÇA É ESSA ?Vi-te a trabalhar o dia inteiroconstruir as cidades para os outroscarregar pedras desperdiçarmuita força para pouco dinheiroVi-te a trabalhar o dia inteiromuita força para pouco dinheiroQue força é essaque força é essaque trazes nos braçosque só te serve para obedecerque só te manda obedecerque força é essa amigoque força é essa amigoque te põe de bem com outrose de mal contigoque força é essa amigoque força é essa amigoNão me digas que não me compreendesquando os dias se tornam azedosnão me digas que nunca sentisteuma força a crescer-te nos dedose uma raiva a crescer-te nos dentesnão me digas que não me compreendesLetra e música de Sérgio GodinhoTerra, (d o álbum Os Sobreviventes, 1971)Agora, tente comentar o que acabou de ouvir, relacionando as canções com avida/condição social do limpa-vias do conto “Arroz do céu” de José Rodrigues Miguéis.
  3. 3. EXPRESSÃO ESCRITAEscolha uma das seguintes hipóteses: 1. Continue o conto “Arroz do céu”, imaginando uma reviravolta positiva na vida do limpa- vias. Valores como a persistência, a amizade, a partilha, a coragem, entre outros devem de estar presentes no seu texto. (150-200palavras) 2. Imagine que o limpa-vias escreve uma carta a um familiar no seu país de origem descrevendo a sua vida em Nova York. (150-200palavras)________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

×