Sócrates e platão prec. espiritismo

9.696 visualizações

Publicada em

Palestra proferida na União Fraternal Espírita em Campina grande-Pb. Item IV da Introdução do Evangelho Segundo o Espiritismo . "Sócrates e Platão Precursores da Ideia Cristã e do Espiritismo."

  • Seja o primeiro a comentar

Sócrates e platão prec. espiritismo

  1. 2. “ Abre as portas do espírito à luz do amor para que o amor te auxilie a entender a linguagem da vida”
  2. 3. SÓCRATES E PLATÃO , PRECURSORES DA IDÉIA CRISTÃ E DO ESPIRITISMO Evangelho Segundo o Espiritismo Introdução – Item IV
  3. 4. Ciência Indagar, conhecer. Filosofia Compreensão e apreensão da realidade.Razão, sabedoria. Religião Ética, moral, Evangelho <ul><ul><li>BASE DE SUSTENTAÇÃO DO ESPIRITISMO </li></ul></ul>O Espiritismo é apoiado em uma base de conhecimento, sustentação teórica e experimentação constituída de três “pilares” :
  4. 5. CAMINHO do conhecimento Caminho, Verdade e Vida Aspecto Tríplice da Doutrina Espírita Busca da VERDADE Iluminação,amor,consolo VIDA Ciência Filosofia Religião
  5. 6. A separação dos “pilares” da Doutrina Espírita em três segmentos é mais didática do que prática, pois seus fundamentos se interpenetram e interagem entre si.
  6. 7. <ul><li>CAP.X- A GRÉCIA E A MISSÃO DE SÓCRATES </li></ul><ul><li>NAS VÉSPERAS DA MAIORIDADE TERRESTRE </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Examinando a maioridade espiritual das criaturas humanas, enviou-lhes o Cristo, antes de sua vinda ao mundo, numerosa coorte de Espíritos sábios e benevolentes, aptos a consolidar, de modo definitivo, essa maturação do pensamento terrestre. </li></ul><ul><li>As cidades populosas do globo enchem-se, então, de homens cultos e generosos, de filósofos e de artistas, que renovam, para melhor, todas as tendências da Humanidade.Grandes mestres do cérebro e do coração formam escolas numerosas na Grécia que assumia a direção intelectual do orbe inteiro. </li></ul>
  8. 9. <ul><li>A maioria desses pensadores, que eram os enviados do Cristo às coletividades terrestres, trazem, do círculo retraído e isolado dos templos,os ensinamentos dos grandes iniciados para as praças públicas, pregando a verdade às multidões. </li></ul><ul><li>Assim como a organização do homem físico exigira as mais amplas experiências da natureza, antes de se fixarem os seus caracteres biológicos definitivos, a lição de Jesus, que representa o roteiro seguro para a edificação do homem espiritual, deveria ser precedida pelas experiências mais vastas no campo social. </li></ul>
  9. 10. <ul><li>É por essa razão que observamos, nos cinco séculos anteriores à vinda do Cordeiro, uma aglomeração de inúmeras escolas políticas,religiosas e filosóficas dos mais diversos matizes,em todos os ambientes do mundo. </li></ul><ul><li>Muitas teorias científicas,que provocam o sensacionalismo dos vossos dias como inovações ultramodernas, foram conhecidas da Grécia,em cujos mestres têm o legítimos fundamentos. </li></ul>
  10. 11. <ul><li>Lá começou o verdadeiro regime de consulta à vontade do povo, que decidia, em assembléias numerosas, todos os problemas da cidade venerável. E é fácil reconhecer aí o início das democracias modernas, que agora se organizam, nas transições do século XX, para a repressão de todas as doutrinas nefastas da força e da violência. </li></ul><ul><li>Semelhantes experiências,no campo sociológico,foram </li></ul><ul><li>incentivadas e acompanhadas de perto pelos prepostos de Jesus,respeitadas as grandes leis da liberdade individual e coletiva. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Ao influxo do coração misericordioso do Cristo, toda a Grécia se povoa de artistas e pensadores eminentes, no quadro das filosofias e das ciências. </li></ul><ul><li>O Salvador contempla,das Alturas, essa época de elevadas conquistas morais, cheio de amor e de esperança. </li></ul>
  12. 13. O planeta terrestre aproximava-se da sua maioridade espiritual quando, então, poderia Ele nutrir o coração humano com a sementeira bendita da sua palavra.
  13. 14. <ul><li>Envia,então, às sociedades do globo o esforço de auxiliares valorosos, nas figuras de Ésquilo,Eurípedes, Heródoto e Tucídides, e por fim a extraordinária personalidade de Sócrates, no intuito de realizar o </li></ul><ul><li>coroamento do esforço decidido de tantos mensageiros. </li></ul><ul><li>É por isso que, de todas as grandes figuras daqueles tempos longínquos, somos compelidos a destacar a grandiosa figura de Sócrates ,na Atenas antiga. </li></ul>
  14. 15. <ul><li>As grandes idéias jamais irrompem de súbito. As que assentam sobre a verdade sempre têm precursores que lhes preparam parcialmente os caminhos. Depois, em chegando o tempo, envia Deus um homem com a missão de resumir, coordenar e completar os elementos esparsos, de reuni-los em corpo de doutrina. </li></ul><ul><li>Desse modo, não surgindo bruscamente, a idéia, ao aparecer, encontra espíritos dispostos a aceitá-la. Tal o que se deu com a idéia cristã, que foi pressentida muitos séculos antes de Jesus e dos essênios, tendo por principais precursores SÓCRATES E PLATÃO . </li></ul><ul><li>- Evang. Seg. Espiritismo - </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Filósofo grego, ateniense </li></ul><ul><li>Nasceu em 470 a.C. </li></ul><ul><li>Desencarnou em 399 a.C. </li></ul><ul><li>filho de uma parteira chamada Fenarete, e de um escultor, chamado Sofronisco. </li></ul><ul><li>Foi casado com Xantipa, Teve três filhos. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>Sócrates Conhecia o pensamento anterior e contemporâneo dos filósofos gregos e interessava-se pela conversa em locais públicos. Fazia muitas andanças conversando nas praças e mercados. Participou do movimento de renovação da cultura e foi um educador popular. </li></ul>
  17. 18. <ul><li>Sócrates usava nas suas conversas com os cidadãos um método chamado maiêutica, que consiste em forçar o interlocutor a desenvolver seu pensamento sobre uma questão que ele pensa conhecer, e po-lo em contradição. </li></ul>
  18. 19. &quot;Só sei que nada sei&quot;. Frase famosa de Sócrates. O verdadeiro filósofo sabe que sabe muito pouco, e ele se autodenominava assim.
  19. 20. <ul><li>Para Sócrates a sabedoria dependia do conhecimento e do controle dos seus próprios limites, o reconhecimento de sua própria ignorância, </li></ul><ul><li>Defendia que existem valores e virtudes permanentes e que precisavam ser conhecidos para serem seguidos em defesa do bem de todos. </li></ul>
  20. 21. <ul><li>Sócrates é o grande filósofo do auto-conhecimento. A frase &quot;Conhece-te a ti mesmo&quot;, apesar de muitas vezes a ele atribuída, era um dos pilares da sabedoria grega, sendo por isso inscrita no pórtico do Oráculo de Delfos. </li></ul>
  21. 22. Sócrates não se preocupava com os costumes e cultura de cada povo. Apontava a importância que há dentro dos homens, a sua alma.
  22. 23. Aos setenta e tantos anos foi Sócrates condenado à morte, embora inocente. Enquanto aguardava no cárcere o dia da execução, seus amigos e discípulos moviam céus e terra para o preservar da morte. O filósofo, porém não moveu um dedo para esse fim; com perfeita tranqüilidade e paz de espírito aguardou o dia em que ia beber o veneno mortífero.   Prisão de Sócrates
  23. 24. Na véspera da execução, conseguiram seus amigos subornar o carcereiro (desde daquela época já existia essa prática...), que abriu a porta da prisão. Críton, o mais ardente dos discípulos de Sócrates, entrou na cadeia e disse ao mestre: - Foge depressa, Sócrates! - Fugir, por que? - perguntou o preso. - Ora, não sabes que amanhã te vão matar? - Matar-me? A mim? Ninguém me pode matar! - Sim, amanhã terás de beber a taça de cicuta mortal - insistiu Críton. - Vamos, mestre, foge depressa para escapares à morte!
  24. 25. - Meu caro amigo Críton - respondeu o condenado - que mau filósofo és tu! Pensar que um pouco de veneno possa dar cabo de mim ...   Depois puxando com os dedos a pele da mão, Sócrates perguntou:   Críton, achas que isto aqui é Sócrates? E, batendo com o punho no osso do crânio, acrescentou: - Achas que isto aqui é Sócrates? ... Pois é isto que eles vão matar, este invólucro material; mas não a mim. EU SOU A MINHA ALMA. Ninguém pode matar Sócrates! ...
  25. 26. E ficou sentado na cadeia aberta, enquanto Críton se retirava, chorando, sem compreender o que ele considerava teimosia ou estranho idealismo do mestre. No dia seguinte, quando o sentenciado já bebera o veneno mortal e seu corpo ia perdendo aos poucos a sensibilidade, Críton perguntou-lhe, entre soluços:  - Sócrates, onde queres que te enterremos?
  26. 27. Ao que o filósofo, semiconsciente, murmurou: - Já te disse, amigo, ninguém pode enterrar Sócrates ... Quanto a esse invólucro, enterrai-o onde quiserdes. Não sou eu... EU SOU MINHA ALMA...
  27. 28. E assim expirou esse homem, que tinha descoberto o segredo da FELICIDADE, que nem a morte lhe pôde roubar. CONHECIA-SE A SI MESMO, O SEU VERDADEIRO EU DIVINO. ETERNO. IMORTAL...&quot;
  28. 29. <ul><li>A filosofia de Sócrates mostra que Kardec tinha absoluta razão quando o enquadrou na condição de precursor, da idéia Cristã e do Espiritismo. </li></ul><ul><li>Kardec diz que a base da Doutrina Espírita não é a manifestação mediúnica. Ele coloca que a base, a força da Doutrina espírita é justamente a força da sua filosofia. A força do seu apelo é a razão. E faz com que cada pessoa através dessa filosofia encontre a Deus. </li></ul>
  29. 30. RESUMO DA DOUTRINA DE SÓCRATES E DE PLATÃO SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA DEUS : Inteligente, onipresente, onisciente, invisível ao homem e a existência do mundo é a prova de sua existência. Inteligência suprema, causa primária de todas as coisas Eterno, imutável, imaterial e outros atributos. ALMA: Participa da natureza Divina, é dada por Deus ao homem e a vida não depende do corpo, mas da alma. O homem é a união da alma e do corpo; é a essência do Corpo; é imortal. É o espírito encarnado; une-se ao corpo; é a sede da inteligência; é imortal O homem é a alma encarnada, antes da sua encarnação, ela existia. É a doutrina da preexistência da alma, de sua saída do mundo espiritual para se encarnar, e de sua reentrada no mesmo mundo depois da morte.
  30. 31. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA A alma se extravia e se perturba, porque se liga as coisas que estão sujeitas a mudanças; ao passo que, quando contempla sua essência, ela se dirige para o que é puro, eterno, imortal. Assim se ilude o homem que considera as coisas do ponto de vista apenas material; para apreciá-las com justeza, é preciso vê-las de cima, ou seja, do ponto de vista espiritual. Enquanto a alma se encontre mergulhada no corpo físico, jamais possuiremos o objeto dos nossos desejos: a verdade. O corpo suscita em nós os cuidados diários, ele nos enche de desejos, apetites e temores, com ele é impossível ser sábio um instante.Livres do corpoconheceremos a essência das coisas. Eis aí o princípio das faculdaes da alma obscurecidas por intermédio dos órgão corporais, e da expansão dessas faculdades depois da morte. As almas impuras que são as almas dos maus erram ao redor dos mausoléus e dos túmulos(...) são conduzidas de novo a um novo corpo, no mundo visível. E então elas retornam aos mesmos costumes que, durante a primeira vida. O princípio da reencarnação , claramente exposto. O estado das almas ainda sob o império da matéria, está descrito tal como no espiritismo .
  31. 32. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA Após a nossa morte, o gênio (daimon, demônio), que nos fora designado durante a vida, leva-nos a um lugar onde se reúnem todos os que têm de ser conduzidas ao Hades, para serem julgados. As almas,depois de haverem estado no Hades o tempo necessário, são reconduzidas a esta vida em múltiplos e longos períodos É a doutrina dos Anjos guardiães, ou Espíritos protetores, e das reencarnações sucessivas, em seguida a intervalos mais ou menos longos de erraticidade. Os demônios ocupam o espaço que separa o céu da Terra; constituem o laço que une o Grande Todo a si mesmo. Não entrando nunca a divindade em comunicação direta com o homem, é por intermédio dos demônios que os deuses entram em comércio e se entretêm com ele, quer durante a vigília, quer durante o sono A palavra daimon, da qual fizeram o termo demônio, não era, na antigüidade, tomada à má parte, como nos tempos modernos. Não designava exclusivamente seres malfazejos, mas todos os Espíritos, dentre os quais os Espíritos superiores, chamados deuses, e os menos elevados, ou demônios propriamente ditos, que comunicavam com os homens. Também o Espiritismo diz que os Espíritos povoam o espaço; que Deus só se comunica com os homens por intermédio dos Espíritos puros.
  32. 33. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA A preocupação constante desses filósofos é, a do cuidado com a alma, menos pelo que respeita a esta vida, que não dura mais que um instante, do que tendo em vista a eternidade. Desde que a alma é, imortal, não será prudente viver visando a eternidade? O Cristianismo e o Espiritismo ensinam a mesma coisa. O corpo conserva bem os vestígios dos cuidados de que foi objeto e dos acidentes que sofreu. Dá-se o mesmo com a alma. Quando despida do corpo, ela guarda, evidentes, os traços do seu caráter, de suas afeições e as marcas que lhe deixaram todos os atos de sua visa. Assim, a maior desgraça que pode acontecer ao homem é ir para o outro mundo com a alma carregado de crimes. A alma não depurada conserva as idéias, as tendências, o caráter e as paixões que teve na Terra. A morte é apenas uma mudança de morada, a passagem para o lugar onde os mortos se têm de reunir, que felicidade a de encontrarmos lá aqueles a quem conhecemos! Mostra o Espiritismo que continuam as relações que entre eles se estabeleceram, de tal maneira que a morte não é nem uma interrupção, nem a cessação da vida, mas uma transformação, sem solução de continuidade.
  33. 34. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA Nunca se deve retribuir com outra uma injustiça, nem fazer mal a ninguém, seja qual for o dano que nos hajam causado. Está aí o princípio de caridade, que prescreve não s retribuir o mal com o mal e sim o perdão aos inimigos. É pelos frutos que se conhece a árvore. Toda ação deve ser qualificada pelo que produz: qualificá-la de má, quando dela provenha mal; de boa, quando dê origem ao bem. Esta máxima: &quot;Pelos frutos é que se conhece a árvore&quot;, se encontra muitas vezes repetida textualmente no Evangelho. A riqueza é um grande perigo. Todo homem que ama a riqueza não ama a si mesmo, nem ao que é seu; ama a uma coisa que lhe é ainda mais estranha do que o que lhe pertence. Cap. XVI – ESSE ( Não se pode servir a Deus e a Mamon
  34. 35. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITA É disposição natural em todos nós a de nos apercebermos muito menos dos nossos defeitos, do que dos de outrem. Diz o Evangelho: &quot;Vedes a palha que está no olho do vosso próximo e não vedes a trave que está no vosso.&quot; (Cap. X, nº 9 e nº 10.) Se os médicos são malsucedidos, tratando da maior parte das moléstias, é que tratam do corpo,sem tratarem da alma. Ora, não se achando o todo em bom estado, impossível é que uma parte dele passe bem. O Espiritismo fornece a chave das relações existentes entre a alma e o corpo e prova que um reage incessantemente sobre o outro. Abre, assim, nova senda para a Ciência.
  35. 36. Foi por haver professado esses princípios que Sócrates se viu ridicularizado, depois acusado de impiedade e condenado a beber cicuta. Tão certo é que, levantando contra si os interesses e os preconceitos que elas ferem, as grandes verdades novas não se podem firmar sem luta e sem fazer mártires.
  36. 37. Filósofo grego, ateniense Nasceu entre 427 e 428 a.C. Desencarnou em 347 a.C. Discípulo de Sócrates
  37. 38. Assim como Jesus, Sócrates não deixou nada escrito. Platão seu discípulo, foi quem documentou todo o seu pensamento. Mostrou sua semelhança ao buscar o conhecimento verdadeiro, como caminho para solução da vida humana. Mas também, Platão acredita que para esse auto-conhecimento, era preciso um trabalho árduo do homem.
  38. 39. O MITO DA CAVERNA se encontra no Livro VII de A República. Possui a forma de um diálogo imaginário,do qual participam o filósofo Sócrates e os irmãos de Platão, Glauco e Adimanto. No livro VII Sócrates conta a Glauco o famoso mito da caverna como um retrato da ignorância humana .
  39. 40. O Mito da Caverna de Platão
  40. 41. Atitude crítica, o reconhecimento da ignorância, através da Filosofia, do saber racional ( auto-conhecimento), nos possibilita tirar o véu da cegueira espiritual, libertando-nos das nossas prisões.
  41. 42. Recorda-te de que a vida é curta; esforça-te, pois, por conquistar, enquanto o podes, aquilo que vieste aqui realizar: o verdadeiro aperfeiçoamento. Possa teu espírito partir desta Terra mais puro do que quando nela entrou! Pensa que a Terra é um campo de batalha, onde a matéria e os sentidos assediam continuamente a alma; corrige teus defeitos, modifica teu caráter, reforça a tua vontade; eleva-te pelo pensamento, acima das vulgaridades da Terra e contempla o espetáculo luminoso do céu..” Léon Denis - livro  Depois da Morte .
  42. 43. <ul><li>Referências Bibliográficas: </li></ul><ul><li>O Evangelho Segundo O Espiritismo – Allan Kardec </li></ul><ul><li>A Caminho da Luz – Emmanuel – Francisco C. Xavier </li></ul><ul><li>Imagens e vídeos: Internet </li></ul>
  43. 44. MUITA PAZ E LUZ À TODOS Vera Lúcia de Souza Apolinário [email_address]

×