Aula 03 pós moderno

2.649 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design, Tecnologia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.649
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 03 pós moderno

  1. 1. OFICINA DEDESIGNGRÁFICOProfª Venise Melo/UFMSEXPERIMENTAÇÃO PÓS MODERNISMO
  2. 2. Design Pós-Moderno Inclusão de práticas contemporâneas que não estão inseridas em uma prática dos dogmas da Bauhaus
  3. 3. As características do pós-modernismo se refere a uma estética que rompe com a previsibilidade do modernismo.Nenhuma preocupação com a legibilidade. Uso de formas livres e flutuantes diferentes das formas básicas geométricas.
  4. 4. Características Tendência de fragmentação e multiplicidade. Uso da aleatoriedade, mistura de tipografias em peso e estilos dentro da mesma palavra. Opção por colagens, inclusão do ruído(sujeiras, imperfeições, rompimento com o acabamento “limpo”)Rejeição da funcionalidade e neutralidade em favor da experiência pessoal
  5. 5. Push Pin Studio, 1954
  6. 6. Push Pin Studio Milton Glaser
  7. 7. Herb Lubalin, 1960Utilização de tipografia característica, com estilo com serifas definidas e ligaduras entre as letras, como movimento caligráfico. Resgate deestilos decorativos inserindo-se como movimento “Retrô”no design.
  8. 8. Psicoldelismo,1960 Estilo gráfico aplicado em peças desenvolvidas para concertos,capas de discos debandas de rock.
  9. 9. Os anos 60 explosão de juventude idéias de liberdade movimento hippieutilização de alucinógenos
  10. 10. Cartazes, capas de discospsicodélicos eram criados para uma platéia bem exclusiva, com letreirospraticamente ilegíveis, carregando a mensagem implícita: “Se você não consegue ler, não é para você.”
  11. 11. Wes WilsonEscolhas de tipografia e cores a partir deexperiências visuais com o uso de LSD.
  12. 12. Victor Moscoso Efeito de vibração óptica
  13. 13. UndergroundTermo utilizado para descrever a atitude de oposição de muitos jovens na década de 60, com valores culturais e políticos alternativos, fora dos padrões convencionais.
  14. 14. Utilizavam a tecnologia faça você mesmo, utlizando máquina de escrever,impressão em off-set barato e de má qualidade.
  15. 15. Anos 70 New Wave Wolfgang WeingartDesign menos regrado, mais intuitivo, sem a preocupação com clareza e legibilidade. Layout com menos clareza, sem a forma hierárquica, mais solto e não linear. As linhas, “fios”, bases são abandonados. Mais expressividade
  16. 16. Movimento PUNK Assimilação do ruído, do feio e do não- design. “Se o dadaísmo foi contra a arte, o Punk foi contra o design”O principal veículo de comunicação do Punk é o fanzine. Letras recortadas de jornais, máquinas de escrever e feita à mão.Colagem sem a preocupação com ordem ou acabamento.
  17. 17. Jamie Reid
  18. 18. A desconstrução do Grupo GrapusFinal década de 1970, uma cooperativade designers que se identificava com o Partido Comunista Francês, possui um visual amador e irônico. Inserção de rabiscos de lápis, pincel, ilustração e que remetem à garatujas infantis, fotografias desconstruídas,satirização do design limpo e funcional.
  19. 19. Neville Brody estética pós-modernadenominada New Bauhaus.
  20. 20. Década de 80. Pluralismo, ecletismo, texturas e desconstrução. O design dos anos 80 não inserehegemonia de uma escola ou estilo, mas muitas tendências transitam comopossibilidades, gerando o design híbrido, por vez funcional, por vez contestação.
  21. 21. A revolução digital. Em meados de 1980 a prática dacomputação gráfica se insere no design. A partir de 1984 O computadorMacintosh, da Apple oferece as primeira possibilidades de criação digital.
  22. 22. Neville Brody
  23. 23. April GreimanUtilização das novas tecnologias como ferramenta principal do design gráfico A estética do pixel e do bitmap são valorizadas.
  24. 24. Emigre Magazine 1984 Estética pós-moderna, experimental. A revista que ignora fronteiras.
  25. 25. Edward Fella União de idéias desconstrutivistas,desintegração de formas e intervalos espaciais irregulares nas tipografias aleatórias.
  26. 26. 1990Progresso acelerado dos computadores, dos seus softwares e das máquinas de impressão geram novas possibilidades devido às poderosas capacidades das novas tecnologias.
  27. 27. O Photoshop, inicialmente desenvolvido para o tratamento e retoque de imagem, passa a permitir uma manipulação ecriação de imagens nunca antes desenvolvida.
  28. 28. David Carson Nos remete ao dadaísmo: a mesma despreocupação com a leitura einformação. A atitude é o princípio maior.Consegue romper com qualquer princípio de legibilidade e ordem. Destruição, desconstrução. Fotografias desfocadas, recortadas. Um design totalmente incompreensivel O leitor precisa traduzir, pensar, refletir.
  29. 29. A Nova simplicidade Ao mesmo tempo que temos a plena desconstrução e expressividade devido aos novos meios tecnológicos, “ more is more” em oposição ao “less is more” modernista, o retorno então da simplicidade é vista como uma solução, um movimento contrário. Uma simplicidade diferente da modernistaBauhaus, menos dogmática, estética simples quase minimalista, com a utilização do ruído e acabamento mal feito.
  30. 30. O design de hoje o hibridismo de linguagens

×