SlideShare uma empresa Scribd logo

Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua

Linguagem - O uso da palavra articulada ou escrita como meio de expressão e de comunicação entre pessoas. A forma de expressão pela linguagem própria de um indivíduo, grupo, classe, etc. O vocabulário específico usual. Numa ciência, numa arte, numa profissão, etc. Vocabulário; palavreado. Tudo quanto serve para expressar ideias, sentimentos, modos de comportamento, etc. Todo sistema de signos que serve de meio de comunicação entre indivíduos e pode ser percebido pelos diversos órgãos dos sentidos, o que leva a distinguir-se uma linguagem visual, uma linguagem auditiva, uma linguagem táctil, enquanto que, Língua é conjunto das palavras e expressões usadas por um povo, por uma nação, e o conjunto de regras da sua gramática; idioma. Modo de expressão escrita ou verbal de um autor, de uma escola, de uma época; estilo; linguagem. A linguagem própria de uma pessoa ou de um grupo. Sistema de signos que permite a comunicação entre os indivíduos de uma comunidade linguística. Qualquer dos sons emitidos por um animal e que imitam a voz humana que é a fala. Falar da linguagem, estamos nos referindo dos sinais linguísticos e não linguísticos que usamos para transmitir uma mensagem, quer isto que, utiliza-se a palavra linguagem num sentido amplo para designar qualquer meio que os humanos utilizam para comunicarem-se no seu quotidiano, porem, a maioria das pessoas tem entendido ou definido a linguagem como um acto de comunicação oral ou escrita, que os humanos expressão de uma forma oral ou escrita para transmitir os seus sentimentos ou emoções, por esta razão, o autor vem neste sentido fazer saber ou informar ao caro leitor que a linguagem não é somente dos humanos mas sim, os animais também usam a linguagem só que, eles não usam de uma forma lógica para transmitirem a mensagem, como acontece nos seres humanos e o autor acrescenta que, a articulação é uma das características da linguagem humana. Gomes Álvaro, gramática pedagógica e cultural da língua portuguesa; p.58, porto editora, 2008.

1 de 4
Baixar para ler offline
1
Universidade Pedagógica de Moçambique- Delegação de Quelimane
Licenciatura em Ensino de Inglês com Habilitações em Ensino de Português
Velasco Carneiro Francisco
Cadeira: Didáctica do Português
Dr. Marlene Jamal
Ficha de Leitura
Tema Conteúdo Bibliografia
Linguageme
língua
Linguagem - O uso da palavra articulada ou
escrita como meio de expressão e de
comunicação entre pessoas. A forma de
expressão pela linguagem própria de um
indivíduo, grupo, classe, etc. O vocabulário
específico usual. Numa ciência, numa arte,
numa profissão, etc. Vocabulário; palavreado.
Tudo quanto serve para expressar ideias,
sentimentos, modos de comportamento, etc.
Todo sistema de signos que serve de meio de
comunicação entre indivíduos e pode ser
percebido pelos diversos órgãos dos sentidos, o
que leva a distinguir-se uma linguagem visual,
uma linguagem auditiva, uma linguagem táctil,
enquanto que, Língua é conjunto das palavras e
expressões usadas por um povo, por uma nação,
e o conjunto de regras da sua gramática;
idioma. Modo de expressão escrita ou verbal de
um autor, de uma escola, de uma época; estilo;
linguagem. A linguagem própria de uma pessoa
ou de um grupo. Sistema de signos que permite
a comunicação entre os indivíduos de uma
comunidade linguística. Qualquer dos sons
Gomes Álvaro,
gramática
pedagógica e
cultural da língua
portuguesa; p.58,
porto editora, 2008.
Oliveira, L. P.
(2000). Escolhas
pedagógicas do
educador e
identidade cultural
dos aprendizes.
Linguagem e
Ensino. Vol. 3, n°
2, pp. 49-59.
2
emitidos por um animal e que imitam a voz
humana que é a fala.
Linguagem e
linguagens
Falar da linguagem, estamos nos referindo dos
sinais linguísticos e não linguísticos que usamos
para transmitir uma mensagem, quer isto que,
utiliza-se a palavra linguagem num sentido
amplo para designar qualquer meio que os
humanos utilizam para comunicarem-se no seu
quotidiano, porem, a maioria das pessoas tem
entendido ou definido a linguagem como um
acto de comunicação oral ou escrita, que os
humanos expressão de uma forma oral ou
escrita para transmitir os seus sentimentos ou
emoções, por esta razão, o autor vem neste
sentido fazer saber ou informar ao caro leitor
que a linguagem não é somente dos humanos
mas sim, os animais também usam a linguagem
só que, eles não usam de uma forma lógica para
transmitirem a mensagem, como acontece nos
seres humanos e o autor acrescenta que, a
articulação é uma das características da
linguagem humana.
Gomes Álvaro,
gramática
pedagógica e
cultural da língua
portuguesa; p.58,
porto editora, 2008.
Tipos de
linguagem
No aspecto a comunicação humano, o autor faz,
uma breve descrição dos tipos de linguagem,
primeiro o autor destaca a linguagem verbal,
cuja unidade básica é a palavra (falada ou
escrita) e temos em seguida, a linguagem não-
verbal, como a música, a dança, a mimica, a
pintura, a fotografia, a escultura e também, fala
da linguagem mista, como as histórias em
quadradinhos, o cinema, o teatro, e os
programas de TV que podemos podem conter
3
diferentes linguagens: como o desenho, a
palavra, o figurino, a música, etc. ou seja verbal
(sem palavras e com imagens, mista (com
palavras e imagens).
Conceito de língua
e fala
Quando nos referimos à língua, restringimo-nos
a uma actividade colectiva realizada por meio
de um código formado por palavras regidas por
leis combinatórias às quais pertencem a um
grupo específico. Como é o caso da língua
inglesa, o E’tchuabo e muitas outras. Em razão
de seu carácter social, a língua não permite
mudanças arbitrárias, tornando-se necessário
obedecer a certas regras para que a
comunicação se realize de maneira aplausível.
Enquanto a fala, é algum padrão das diversas
línguas que existem no mundo. Para falar ou
cantar, por outras palavras é um processo que
exige a movimentação de certos músculos para
tentarmos transmitir a nossa mensagem, e a fala
só acontece com os seres humanos.
Oliveira, L. P.
(2000). Escolhas
pedagógicas do
educador e
identidade cultural
dos aprendizes.
Linguagem e
Ensino. Vol. 3, n°
2, pp. 49-59.
Perspectivas
sociológicas
A perspectiva pedagógica ou sociológica da
linguagem admite a existência de uma
influência mútua, tendo estabelecido entre elas
uma relação de causa-efeito esta perspectiva
admite que é a sociedade que determina a
linguagem; assim o estudo das variantes
linguísticas permitem identificar as variantes
sociológicas que as produziram. Por exemplo,
em Portugal podemos dirigir-nos a alguém
Gomes Álvaro,
gramática
pedagógica e
cultural da língua
portuguesa; p.58,
porto editora, 2008.
4
utilizando “tu, vos, você, “João”, etc. a analise
de cada uma destas formas de tratamento
permitem-nos esclarecer certos factores que
comandam o acto da comunicação da
sociedade.
Perspectiva
Linguística
Esta perspectiva, trata de descobrir e
sistematizar as regras que informam as línguas
e geral e cada língua em particular. O
estabelecimento destas regras torna-se
necessário para se poder transformar uma
língua num meio de comunicação para uma
sociedade e tem os seguintes aspectos; o
primeiro aspecto que é fazer a descrição e a
história de todas as línguas que ela possa
atingir, o que leva a constituir a história da
família das línguas e a identificar as línguas
mãe de cada família e procurar as forcas que
estão presentes de uma forma permanente e
universal em toda as línguas e delimitar-se e
definir a si próprio.
Gomes Álvaro,
gramática
pedagógica e
cultural da língua
portuguesa; p.58,
porto editora, 2008.
Perspectiva
Didáctica
Nesta perspectiva a linguística é encarada como
uma ciência que nos permite conhecer e estudar
os diferentes aspectos da organização e do
funcionamento de uma língua. Ela faz o estudo
da fonética e fonologia, a semântica.
Gomes Álvaro,
gramática
pedagógica e
cultural da língua
portuguesa; p.58,
porto editora, 2008.

Recomendados

Introdução à didáctica do português recensão
Introdução à didáctica do português recensãoIntrodução à didáctica do português recensão
Introdução à didáctica do português recensãoascotas
 
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português ana andreia
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português   ana andreiaSíntese dos conceitos básicos da didáctica do português   ana andreia
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português ana andreia'Ines Tavares
 
Fundamentos metodologia língua portuguesa
Fundamentos metodologia língua portuguesaFundamentos metodologia língua portuguesa
Fundamentos metodologia língua portuguesaGlacemi Loch
 
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguisticaA formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguistica
A formação-do-professor-alfabetizador-e-a-linguisticaFernanda Moliterno
 
Introdução à didáctica do português
Introdução à didáctica do portuguêsIntrodução à didáctica do português
Introdução à didáctica do portuguêsascotas
 
Ensino da lingua portuguesa
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesaGerdian Teixeira
 
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
 fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto) fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)
fundamentos e metodologia da lingua portuguesa (pronto)Taty Cruz
 
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04Lygia Souza
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...Luna Karoline
 
Leitura e producao textual fmb
Leitura e producao textual fmbLeitura e producao textual fmb
Leitura e producao textual fmbWellington Alves
 
Metodologia de ensino de língua
Metodologia de ensino de línguaMetodologia de ensino de língua
Metodologia de ensino de línguaKelly Moraes
 
O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...
O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...
O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...myrianlaste
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)Wellington Alves
 
Apostila leitura & produção textual
Apostila   leitura & produção textualApostila   leitura & produção textual
Apostila leitura & produção textualWellington Alves
 
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamentalTeoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamentalFatinha Bretas
 
Ensaio - Gramática e variação na sala de aula
Ensaio - Gramática e variação na sala de aulaEnsaio - Gramática e variação na sala de aula
Ensaio - Gramática e variação na sala de aulaAnderson Moreira Duarte
 
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e ContradiçõesSeminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradiçõeslagunaedu
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramáticaSlide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramáticaWellington Alves
 
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inês
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inêsSíntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inês
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inês'Ines Tavares
 
Professor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a LínguisticaProfessor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a LínguisticaFernanda Moliterno
 
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao MestradoProjeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao MestradoJose Arnaldo Silva
 
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de LibrasLIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Librasprofamiriamnavarro
 
Os papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusiva
Os papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusivaOs papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusiva
Os papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusivaThemeni Caroline
 
Apresentação língua texto e ensino
Apresentação  língua texto e ensino Apresentação  língua texto e ensino
Apresentação língua texto e ensino proflena1
 
Leitura e producao_de_texto
Leitura e producao_de_textoLeitura e producao_de_texto
Leitura e producao_de_textoWellington Alves
 

Mais procurados (20)

CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
CONHECIMENTOS LINGUÍSTICOS E A ORALIDADE NO 8º ANO DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UMA AN...
 
Leitura e producao textual fmb
Leitura e producao textual fmbLeitura e producao textual fmb
Leitura e producao textual fmb
 
Metodologia de ensino de língua
Metodologia de ensino de línguaMetodologia de ensino de língua
Metodologia de ensino de língua
 
O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...
O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...
O ensino da língua portuguesa seminário diana bovi_emanuelecomim_julianabonot...
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática (2)
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática (2)
 
Apostila leitura & produção textual
Apostila   leitura & produção textualApostila   leitura & produção textual
Apostila leitura & produção textual
 
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamentalTeoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
Teoria e prática da Língua Portuguesa – Ensino fundamental
 
Ensaio - Gramática e variação na sala de aula
Ensaio - Gramática e variação na sala de aulaEnsaio - Gramática e variação na sala de aula
Ensaio - Gramática e variação na sala de aula
 
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e ContradiçõesSeminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
Seminário academico. O Ensino da Língua Portuguesa: Perspectivas e Contradições
 
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen  aula_2_09_09_2015 gramáticaSlide carmen  aula_2_09_09_2015 gramática
Slide carmen aula_2_09_09_2015 gramática
 
CONTEXTUALIZAÇÃO
CONTEXTUALIZAÇÃOCONTEXTUALIZAÇÃO
CONTEXTUALIZAÇÃO
 
Proposta o-ensino-da-gramatica-em-lingua-portuguesa
Proposta o-ensino-da-gramatica-em-lingua-portuguesaProposta o-ensino-da-gramatica-em-lingua-portuguesa
Proposta o-ensino-da-gramatica-em-lingua-portuguesa
 
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inês
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inêsSíntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inês
Síntese dos conceitos básicos da didáctica do português cátia e inês
 
Professor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a LínguisticaProfessor alfabetizador e a Línguistica
Professor alfabetizador e a Línguistica
 
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao MestradoProjeto de pesquia para seleção ao Mestrado
Projeto de pesquia para seleção ao Mestrado
 
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de LibrasLIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
LIBRAS AULA 5: Tradutor Intérprete de Libras
 
Os papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusiva
Os papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusivaOs papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusiva
Os papeis-do-interprete-na-sala-de-aula-inclusiva
 
Apresentação língua texto e ensino
Apresentação  língua texto e ensino Apresentação  língua texto e ensino
Apresentação língua texto e ensino
 
português instrumental
  português instrumental  português instrumental
português instrumental
 
Leitura e producao_de_texto
Leitura e producao_de_textoLeitura e producao_de_texto
Leitura e producao_de_texto
 

Destaque

Guia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médio
Guia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médioGuia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médio
Guia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médioLinTrab
 
Otm normal médio núcleo de formação prática
Otm normal médio   núcleo de formação práticaOtm normal médio   núcleo de formação prática
Otm normal médio núcleo de formação práticaFlávia Maria
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantilroessencia
 

Destaque (6)

Plano de aula do magistério
Plano de aula do magistérioPlano de aula do magistério
Plano de aula do magistério
 
Guia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médio
Guia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médioGuia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médio
Guia de livros didáticos - PNLD/2015 - Português - Ensino médio
 
Apostila de didatica
 Apostila de didatica Apostila de didatica
Apostila de didatica
 
Manual do professor editora do brasil 2012
Manual do professor editora do brasil 2012Manual do professor editora do brasil 2012
Manual do professor editora do brasil 2012
 
Otm normal médio núcleo de formação prática
Otm normal médio   núcleo de formação práticaOtm normal médio   núcleo de formação prática
Otm normal médio núcleo de formação prática
 
Aula De Literatura Infantil
Aula De Literatura InfantilAula De Literatura Infantil
Aula De Literatura Infantil
 

Semelhante a Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua

Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniSâmara Lopes
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Turma Olímpica
 
Variações linguísticas
Variações linguísticas Variações linguísticas
Variações linguísticas LOCIMAR MASSALAI
 
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e falaAula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e falaStela Cabral de Andrade
 
Os caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em Moçambique
Os caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em MoçambiqueOs caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em Moçambique
Os caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em MoçambiqueAlexandre António Timbane
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01Jordano Santos Cerqueira
 
Comunicação e expressão
Comunicação e expressão Comunicação e expressão
Comunicação e expressão Karen Costa
 
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdfAula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdfsandralopes1561
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012Mariana Correia
 

Semelhante a Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua (20)

Capitulo 1
Capitulo 1Capitulo 1
Capitulo 1
 
Prevenção iliteracia
Prevenção iliteraciaPrevenção iliteracia
Prevenção iliteracia
 
Lingua e linguagem perini
Lingua e linguagem periniLingua e linguagem perini
Lingua e linguagem perini
 
9649 aula 3
9649 aula 39649 aula 3
9649 aula 3
 
Linguagem_lingua
Linguagem_linguaLinguagem_lingua
Linguagem_lingua
 
Linguagem E Sociedade
Linguagem E SociedadeLinguagem E Sociedade
Linguagem E Sociedade
 
Aula 1 linguística
Aula 1   linguísticaAula 1   linguística
Aula 1 linguística
 
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
Slides da aula de Filosofia (João Luís) sobre O que é Linguagem?
 
Variações linguísticas
Variações linguísticas Variações linguísticas
Variações linguísticas
 
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e falaAula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
Aula 24 abril concepção de língua e linguagem, signo e fala
 
B praticas deleitura
B praticas deleituraB praticas deleitura
B praticas deleitura
 
Os caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em Moçambique
Os caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em MoçambiqueOs caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em Moçambique
Os caminhos da variação léxico‑semântica no Brasil, em Portugal e em Moçambique
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 01
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 01
 
Comunicação e expressão
Comunicação e expressão Comunicação e expressão
Comunicação e expressão
 
Modelo de material.luc
Modelo de material.lucModelo de material.luc
Modelo de material.luc
 
Modelo de material.luc
Modelo de material.lucModelo de material.luc
Modelo de material.luc
 
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdfAula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
Aula 1 Morfologia- Fonética - Fonologia.pdf
 
Portugues lucas
Portugues lucasPortugues lucas
Portugues lucas
 
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
Parte 1   linguística geral  apresentação 2012Parte 1   linguística geral  apresentação 2012
Parte 1 linguística geral apresentação 2012
 
Ipt resumo
Ipt   resumoIpt   resumo
Ipt resumo
 

Último

1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...azulassessoriaacadem3
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...apoioacademicoead
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...azulassessoriaacadem3
 
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...azulassessoriaacadem3
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...excellenceeducaciona
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...excellenceeducaciona
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...apoioacademicoead
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...assessoriaff01
 

Último (20)

1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
 
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptxSlides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
Slides Lição 9, BETEL, Família, primeiro ministério e maior patrimônio.pptx
 
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
Com base no exposto, sua ação nessa atividade consiste em elaborar um texto d...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
Com base nas informações apresentadas, responda: a. Qual o Índice de Massa Co...
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
 

Didatica da Lingua Portuguesa. Linguagem e língua

  • 1. 1 Universidade Pedagógica de Moçambique- Delegação de Quelimane Licenciatura em Ensino de Inglês com Habilitações em Ensino de Português Velasco Carneiro Francisco Cadeira: Didáctica do Português Dr. Marlene Jamal Ficha de Leitura Tema Conteúdo Bibliografia Linguageme língua Linguagem - O uso da palavra articulada ou escrita como meio de expressão e de comunicação entre pessoas. A forma de expressão pela linguagem própria de um indivíduo, grupo, classe, etc. O vocabulário específico usual. Numa ciência, numa arte, numa profissão, etc. Vocabulário; palavreado. Tudo quanto serve para expressar ideias, sentimentos, modos de comportamento, etc. Todo sistema de signos que serve de meio de comunicação entre indivíduos e pode ser percebido pelos diversos órgãos dos sentidos, o que leva a distinguir-se uma linguagem visual, uma linguagem auditiva, uma linguagem táctil, enquanto que, Língua é conjunto das palavras e expressões usadas por um povo, por uma nação, e o conjunto de regras da sua gramática; idioma. Modo de expressão escrita ou verbal de um autor, de uma escola, de uma época; estilo; linguagem. A linguagem própria de uma pessoa ou de um grupo. Sistema de signos que permite a comunicação entre os indivíduos de uma comunidade linguística. Qualquer dos sons Gomes Álvaro, gramática pedagógica e cultural da língua portuguesa; p.58, porto editora, 2008. Oliveira, L. P. (2000). Escolhas pedagógicas do educador e identidade cultural dos aprendizes. Linguagem e Ensino. Vol. 3, n° 2, pp. 49-59.
  • 2. 2 emitidos por um animal e que imitam a voz humana que é a fala. Linguagem e linguagens Falar da linguagem, estamos nos referindo dos sinais linguísticos e não linguísticos que usamos para transmitir uma mensagem, quer isto que, utiliza-se a palavra linguagem num sentido amplo para designar qualquer meio que os humanos utilizam para comunicarem-se no seu quotidiano, porem, a maioria das pessoas tem entendido ou definido a linguagem como um acto de comunicação oral ou escrita, que os humanos expressão de uma forma oral ou escrita para transmitir os seus sentimentos ou emoções, por esta razão, o autor vem neste sentido fazer saber ou informar ao caro leitor que a linguagem não é somente dos humanos mas sim, os animais também usam a linguagem só que, eles não usam de uma forma lógica para transmitirem a mensagem, como acontece nos seres humanos e o autor acrescenta que, a articulação é uma das características da linguagem humana. Gomes Álvaro, gramática pedagógica e cultural da língua portuguesa; p.58, porto editora, 2008. Tipos de linguagem No aspecto a comunicação humano, o autor faz, uma breve descrição dos tipos de linguagem, primeiro o autor destaca a linguagem verbal, cuja unidade básica é a palavra (falada ou escrita) e temos em seguida, a linguagem não- verbal, como a música, a dança, a mimica, a pintura, a fotografia, a escultura e também, fala da linguagem mista, como as histórias em quadradinhos, o cinema, o teatro, e os programas de TV que podemos podem conter
  • 3. 3 diferentes linguagens: como o desenho, a palavra, o figurino, a música, etc. ou seja verbal (sem palavras e com imagens, mista (com palavras e imagens). Conceito de língua e fala Quando nos referimos à língua, restringimo-nos a uma actividade colectiva realizada por meio de um código formado por palavras regidas por leis combinatórias às quais pertencem a um grupo específico. Como é o caso da língua inglesa, o E’tchuabo e muitas outras. Em razão de seu carácter social, a língua não permite mudanças arbitrárias, tornando-se necessário obedecer a certas regras para que a comunicação se realize de maneira aplausível. Enquanto a fala, é algum padrão das diversas línguas que existem no mundo. Para falar ou cantar, por outras palavras é um processo que exige a movimentação de certos músculos para tentarmos transmitir a nossa mensagem, e a fala só acontece com os seres humanos. Oliveira, L. P. (2000). Escolhas pedagógicas do educador e identidade cultural dos aprendizes. Linguagem e Ensino. Vol. 3, n° 2, pp. 49-59. Perspectivas sociológicas A perspectiva pedagógica ou sociológica da linguagem admite a existência de uma influência mútua, tendo estabelecido entre elas uma relação de causa-efeito esta perspectiva admite que é a sociedade que determina a linguagem; assim o estudo das variantes linguísticas permitem identificar as variantes sociológicas que as produziram. Por exemplo, em Portugal podemos dirigir-nos a alguém Gomes Álvaro, gramática pedagógica e cultural da língua portuguesa; p.58, porto editora, 2008.
  • 4. 4 utilizando “tu, vos, você, “João”, etc. a analise de cada uma destas formas de tratamento permitem-nos esclarecer certos factores que comandam o acto da comunicação da sociedade. Perspectiva Linguística Esta perspectiva, trata de descobrir e sistematizar as regras que informam as línguas e geral e cada língua em particular. O estabelecimento destas regras torna-se necessário para se poder transformar uma língua num meio de comunicação para uma sociedade e tem os seguintes aspectos; o primeiro aspecto que é fazer a descrição e a história de todas as línguas que ela possa atingir, o que leva a constituir a história da família das línguas e a identificar as línguas mãe de cada família e procurar as forcas que estão presentes de uma forma permanente e universal em toda as línguas e delimitar-se e definir a si próprio. Gomes Álvaro, gramática pedagógica e cultural da língua portuguesa; p.58, porto editora, 2008. Perspectiva Didáctica Nesta perspectiva a linguística é encarada como uma ciência que nos permite conhecer e estudar os diferentes aspectos da organização e do funcionamento de uma língua. Ela faz o estudo da fonética e fonologia, a semântica. Gomes Álvaro, gramática pedagógica e cultural da língua portuguesa; p.58, porto editora, 2008.