Unifraslides

957 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
957
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Unifraslides

  1. 1. DIAGNÓSTICO POR IMAGENS vaniafontanella.blogspot.com OU IMAGENS PARA O DIAGNÓSTICO?
  2. 2. Critérios de Indicação e Critérios de Interpretação
  3. 3. Radiografias Quando, como e porque indicar?
  4. 4. http://ec.europa.eu/energy/nuclear/radioprotection/publication/doc/136_en.pdf
  5. 5. Dose efetiva e risco de câncer (por milhão) 120 1500 Tomo Comp. 7 95 Tomo Conv. 0,21 3,85 Panorâmica 0,02 – 0,06 1 a 8,3 Intra-bucal Risco Dose uSv Técnica
  6. 6. RISCO DE 1:2 milhões <ul><ul><li>32 km em bicicleta </li></ul></ul><ul><ul><li>965 km em carro </li></ul></ul><ul><ul><li>3200 km em vôo comercial </li></ul></ul>
  7. 7. EFEITOS TARDIOS SÃO ESTOCÁSTICOS: PROBABILIDADE DE DANO SEM DOSE LIMIAR
  8. 8. EFEITOS PRECOCES SÃO DETERMINÍSTICOS: AUMENTAM EM GRAVIDADE COM O AUMENTO DA DOSE
  9. 9. TODA RADIOGRAFIA DEVE SER JUSTIFICADA E INDICADA... - Com base na individualidade do paciente - Se o benefício superar o risco - Quando trouxer resposta específica a uma dúvida gerada do exame clínico
  10. 10. Tecnologias Digitais <ul><li>CCD </li></ul><ul><li>PSP </li></ul><ul><li>DIGITALIZAÇÃO </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Posicionadores </li></ul><ul><li>Biossegurança </li></ul><ul><li>Dose </li></ul>
  12. 13. Não está isenta de erros...
  13. 15. <ul><li>Cinza homogêneo: imagens coincidentes. </li></ul><ul><li>Áreas claras: ganho de densidade </li></ul><ul><li>Áreas escuras: perda de densidade. </li></ul>Subtração Digital
  14. 18. RADIOGRAFIA PANORÂMICA
  15. 20. DOSE: 4 IB
  16. 21. TOPO x OCLUSÃO
  17. 23. P A L M P A M L
  18. 33. IMAGEM REAL IMAGEM FANTASMA
  19. 35. ?
  20. 41. LINFONODOS: TUBERCULOSE?
  21. 42. ATEROMAS
  22. 43. CÁLCULO SALIVAR
  23. 44. AMÍGDALAS
  24. 50. TOMOGRAFIA CONVENCIONAL
  25. 54. TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
  26. 64. TOMOGRAFIA VOLUMÉTRICA
  27. 65. Dental Vertical Root Fractures: Value of CT in Detection Youssefzadeh et al., Radiology. 1999;210:545-549.
  28. 74. MICROTOMOGRAFIA
  29. 77. RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
  30. 78. SE(T1) FSE(T2) GRE
  31. 79. Côndilo – osso medular Côndilo – osso cortical Conduto Auditivo Externo Eminência Articular Disco Articular Músculo Pterigoideo Lateral Cavidade Articular
  32. 80. POSIÇÃO DO DISCO
  33. 81. POSIÇÃO DO DISCO
  34. 82. MOBILIDADE ARTICULAR <ul><li>TETO DA CAVIDADE ARTICULAR </li></ul><ul><li>CENTRO DA EMINÊNCIA ARTICULAR </li></ul>POSIÇÃO DO CÔNDILO
  35. 83. HIPO  90 ° NORMAL 90 ° a 120° HIPER > 120°
  36. 84. ESTUDO DINÂMICO POR RM
  37. 85. ARTEFATO <ul><li>SUBSTÂNCIAS FERROMAGNÉTICAS </li></ul><ul><li>APARELHOS ORTODÔNTICOS ? </li></ul>
  38. 87. COMPARAÇÃO ENTRE EXAMES
  39. 90. CRITÉRIOS DE INDICAÇÃO E INTERPRETAÇÃO

×