Farm School20

375 visualizações

Publicada em

MAC, Programa Doutoral em Multimédia em Educação da UA, 5 de Março de 2010.

Publicada em: Educação, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Farm School20

  1. 1. farmschool2.0<br />Multimédia e Arquitecturas Cognitivas<br />PDMEDU – Universidade de Aveiro<br />Carlota Lemos|HélderCaixinha|LilianaAlmeida|Vânia Carlos <br />MARÇO 2010<br />
  2. 2. 2<br />Conteúdos a abordar…<br /><ul><li>Introdução
  3. 3. Enquadramento
  4. 4. Situação problema
  5. 5. Contexto
  6. 6. Objectivos, prioridades e impactes
  7. 7. Proposta de intervenção</li></li></ul><li>3<br />Introdução<br /><ul><li>Com a proposta de intervenção farmschool 2.0 pretende-se fomentar uma Concepção Holística do Conhecimento nos elementos da comunidade educativa da Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos (EPADRV), através de processos de ensino e aprendizagem com abordagens centradas na Transdisciplinaridade.
  8. 8. Para tal será desenvolvido um projecto, composto por múltiplas actividades focadas no tema da Educação para o Desenvolvimento Sustentável (EDS) onde se promoverá o Trabalho colaborativo e a Cultura participativa. </li></li></ul><li>EPADRV <br />4<br />Enquadramento<br />Educação para o Desenvolvimento Sustentável <br />Proposta farmschool 2.0<br />Concepção holística do conhecimento<br />Transdisciplinaridade<br />Trabalho colaborativo<br />Cultura participativa<br />
  9. 9. 5<br />Situação problema: diagnóstico e formulação<br /><ul><li> Diagnóstico
  10. 10. Ensino</li></ul>Uma ausência de abordagens, nos processos de ensino e aprendizagem, centradas na Transdisciplinaridade.<br /><ul><li>Aprendizagem</li></ul>Uma reduzida Concepção holística do conhecimento por parte dos elementos da comunidade educativa da EPADRV.<br /><ul><li>Tecnologia</li></ul>Uma ausência ou uma fraca utilização de tecnologias, ferramentas e serviços, que promovam e suportem o Trabalho colaborativo e uma Cultura participativa<br /><ul><li>Situação problema</li></ul>Uma reduzida Concepção holística do conhecimento nos elementos da comunidade educativa da EPADRV, fruto da ausência nos processos de ensino e aprendizagem, de abordagens centradas na Transdisciplinaridade.<br />
  11. 11. 6<br />Contexto de intervenção<br /><ul><li>Comunidade educativa Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Vagos
  12. 12. Análise SWOT
  13. 13. Diagnosticar a situação problema
  14. 14. Delinear estratégia de intervenção a propor à comunidade educativa da escola
  15. 15. Desenvolver um projecto que abarque toda a comunidade educativa da EPADRV: os alunos de todos os cursos ministrados pela escola; os respectivos professores e encarregados de educação; e os funcionários da escola</li></li></ul><li>7<br />Objectivos, prioridades e impactes<br /><ul><li>Objectivos
  16. 16. Desenvolver numa abordagem centrada na Transdisciplinaridade, actividades subordinadas ao tema - Educação para o desenvolvimento sustentável
  17. 17. Promover o Trabalho colaborativo e uma Cultura participativa entre os elementos da comunidade educativa
  18. 18. Prioridades
  19. 19. Oenvolvimento e responsabilização da comunidade educativa, nos processos de ensino e aprendizagem
  20. 20. O desenvolvimento de processos de ensino e aprendizagem transdisciplinares
  21. 21. A diversificação das metodologias pela introdução de tecnologias de pesquisa, tratamento e produção de informação
  22. 22. A dinamização na comunidade educativa, do uso das plataformas, ferramentas e serviços baseados na web
  23. 23. O fomento da partilha de conhecimento (e de aprendizagens) o seio da comunidade educativa</li></li></ul><li>8<br />Objectivos, prioridades e impactes<br /><ul><li>Impactes esperados</li></ul>Nas comunidades educativa e local<br /><ul><li>envolver os encarregados de educação (e famílias)
  24. 24. desenvolver as competências necessárias para o desempenho de uma actividade profissional
  25. 25. proporcionar formação profissional aos jovens
  26. 26. dinamizar o tecido económico local (e tradicional)
  27. 27. envolver a comunidade local (agricultores, comerciantes, empresas e associações) nas actividades da comunidade educativa da escola
  28. 28. sensibilizar para as questões ambientais</li></li></ul><li>9<br />Objectivos, prioridades e impactes<br /><ul><li>Impactes esperados</li></ul>Na organização do processo educativo<br /><ul><li>dinamizar o trabalho colaborativo entre professores/professores, professores/alunos e alunos/alunos;
  29. 29. aumentar a reflexão e a partilha de conhecimento, estimulando acções e abordagens transdisciplinares;
  30. 30. consolidar e desenvolver a utilização das TIC no suporte ao trabalho colaborativo e à cultura participativa;
  31. 31. fomentar a autonomia dos indivíduos nos processos de ensino e aprendizagem.</li></li></ul><li>10<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Metodologia</li></ul>Dinamização da Quinta Pedagógica da escola em 3 vertentes - Exploração Agrícola, Comercialização de produtos, Restaurante Biológico, através de:<br /><ul><li> estratégias para os processos de ensino e aprendizagem baseadas na resolução de problemas, por equipas multidisciplinares e com vista à criação de soluções criativas e sustentáveis;
  32. 32. actividades de reflexão que promovam a uma execução consciente do projecto e eventuais reajustes;
  33. 33. actividades de trabalho colaborativo fomentado/agilizado por um conjunto de plataformas, serviços e ferramentas baseado na Web.</li></li></ul><li>11<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Plano de acção</li></ul>Tema do projecto “grow local, buy local, cook local”.<br /><ul><li> De modo a fomentar uma concepção holística do conhecimento na comunidade educativa da EPADRV através duma abordagem centrada na Transdisciplinaridade
  34. 34. A estratégia subjacente ao projecto será a ampliação e beneficiação da Quinta Pedagógica, com novas valências, aberta ao exterior, para que esta seja sustentável do ponto de vista económico, ambiental e social
  35. 35. [grow local] Acompanhamento e dinamização de uma exploração agrícola, com uma área destinada à agricultura biológica e outra à produção animal ecologicamente correcta;
  36. 36. [buy local] Desenvolvimento de parcerias com empresas/comércio local e disponibilização de acesso a instalações e equipamento da escola;
  37. 37. [cook local] Promoção de um espaço de Restauração (com cozinha biológica e ementas sazonais).</li></li></ul><li>12<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Recursos humanos</li></li></ul><li>13<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Recursos tecnológicos</li></ul>Utilização das diferentes plataformas, ferramentas e serviços para: <br /><ul><li> Troca de informações entre os diferentes sectoresque concorrem para a execução do projecto
  38. 38. Divulgação e dinamização dos 3 áreas (social, ambiental e económico)
  39. 39. Partilha e reflexão de ideias/práticas nos diferentes sectores
  40. 40. Balanço das actividades: momentos de reflexão crítica sobre o seu desenvolvimento
  41. 41. Reajustes, sempre que necessários, ao projecto</li></li></ul><li>14<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Plano de actividades</li></ul>Início do projecto: Setembro de 2010 <br />Concepção: Setembro a Dezembro de 2010<br /><ul><li> Definição dos grupos de trabalho pelos coordenadores (atendendo às valências dos diferentes cursos no projecto, para cada um dos 3 sectores)
  42. 42. Planeamento das actividades a desenvolver
  43. 43. Estabelecimento de contactos com entidades do meio envolvente
  44. 44. Dinamização das plataformas, ferramenta e serviços de suporte ao trabalho colaborativo</li></ul>Execução<br /><ul><li>Exploração Agrícola - a partir de Janeiro de 2011;
  45. 45. Comercialização de produtos - a partir de Janeiro de 2011 (Março de 2011 80% dos produtos comercializados são produzidos na quinta);
  46. 46. Restaurante Biológico - a partir de Janeiro de 2011.</li></li></ul><li>15<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Acompanhamento
  47. 47. Semanalmente, reunião de cada equipa coordenadora de cada área (ambiental, económica e social) e sector (grow local, cook local e buy local) com a sua equipa alargada (os alunos que a constituem, funcionários e Encarregados de Educação), para distribuir tarefas e partilha de opiniões;
  48. 48. Quinzenalmente, reunião por sector das equipas coordenadoras das áreas para efectuar o balanço do processo e avaliar a necessidade de desenvolver novas actividades;
  49. 49. Mensalmente, reunião das equipas coordenadoras de cada área, partilhando experiências que ajudem a garantir a sustentabilidade ambiental, social e económica nos três sectores de actividades;
  50. 50. Mensalmente, reunião "online” de todas as equipas coordenadoras em Assembleia Geral, constituindo este um importante momento de reflexão e decisão acerca dos grandes momentos do projecto .</li></li></ul><li>16<br />Proposta de intervenção<br /><ul><li>Auto-avaliação do projecto</li></ul>A auto-avaliação do projecto será realizada por todos os agentes , com periodicidade definida como os explanados anteriormente, constituindo-se como uma ferramenta de ajuste/reajuste do projecto e de reflexão, podendo essa gestão de trabalho reflexiva ser realizada na plataforma da quinta pedagógica.<br /><ul><li>Avaliação do projecto e dos seus resultados</li></ul>Anualmente, uma equipa que integre elementos do conselho pedagógico e representantes locais que façam parte do conselho geral da escola, avaliará o projecto tendo em atenção os balanços mensais das equipas coordenadoras dos três grandes sectores atendendo à sustentabilidade do projecto a nível económico, ambiental e social.<br />

×