Secreção - Sistema Gastrointestinal

64.349 visualizações

Publicada em

Descrição das secreções salivar, gástrica e pancreática.

1 comentário
17 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Só uma observação que só agora eu vi: a imunoglobulina A está presente na saliva, mas é um anticorpo, não uma enzima, apesar de ter composição proteica. Ela faz parte do sistema imunológico, participando da primeira linha de defesa contra agentes infecciosos (vírus e bactérias).
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
64.349
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
497
Comentários
1
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Secreção - Sistema Gastrointestinal

  1. 1. Fisiologia do Sistema Gastrointestinal Secreções salivar, gástrica e pancreáticaVanessa Cunha
  2. 2. Secreção Salivar Componentes: proteínas de ação enzimática e sais minerais. Secreção proteica:1) Secreção serosa: pouca mucina, rica em alfa- amilase salivar e lipase (glândulas parótida e submandibular).2) Secreção mucosa: rica em mucina, função de proteção e lubrificação da mucosa (glândulas sublingual e submandibular).3) Secreção de íons.
  3. 3. Glândulas salivares - Adenômeros Funções:1) Muco: gustação (solubilização dos alimentos estimula as papilas gustativas), limpeza (remove restos de alimentos que se alojam entre os dentes), ação tamponante (devido ao seu pH básico, protege a mucosa contra alimentos ácidos e os dentes contra os produtos ácidos da fermentação bacteriana), entre outros.2) Enzimas:Enzimas FunçãoLisozima Promove a lise das paredes das bactériasLactoferrina Substância quelante de ferro, impede a proliferação de bactérias dependente desse íonImunoglobulina A Ativa contra vírus e bactériasAlfa-amilase salivar Inicia a digestão de carboidratosLipase lingual Inicia a digestão de gorduras
  4. 4. Composição Eletrolítica Os ácinos, células epiteliais glandulares, produzem a saliva que, ao ser produzida, possui composição de íons igual ao do plasma sanguíneo. Entretanto, ao passar pelos ductos, sofre alterações: reabsorvem sódio e secretam potássio ao passo que reabsorvem cloreto e secretam bicabornato. Assim, a saliva torna-se hipotônica em relação ao plasma sanguíneo.
  5. 5. Tipos de Glândulas Salivares Acinosas: poucos ductos, rica em enzimas. Exemplo: parótida. Tuboacinosas: presença de ductos e ácidos. Exemplos: sublingual e submandibular.Obs: A glândula submandibular é responsável por maior parte da produção de saliva.
  6. 6. Controle da Secreção Salivar É realizada pelo sistema nervoso autônomo, através da acetilcolina, norepinefrina, VIP, ATP e substância P, aumentando a secreção das enzimas e o fluxo da saliva. Esses mediadores podem se ligar aos seus respectivos receptores, ativando-os, o que induz o PKC a estimular o IP3 que se liga aos estoques de cálcio, esvaziando-os. Ao fazer isso, há um excesso de cálcio na célula, o que provoca a exocitose de vesículas contendo a lipase e alfa- amilase salivar.
  7. 7. Secreção Gástrica Secreções: HCl, pepsinogênio, fator intrínseco e muco. Pepsinogênio: é a enzima (pepsina) na forma inativa; em pH ácido, a pepsina cliva o pepsinogênio, ativando-o. Fator intrínseco: ajuda na absorção de vitamina B12, pois se liga a essa vitamina e permite que ela seja absorvida no epitélio intestinal – já que seus receptores encontram-se no íleo.
  8. 8. Células responsáveis pela secreção gástricaTipos de células FunçãoParietais ou oxínticas Produzem HClCélulas mucosas cervicais Produzem muco. São células mais superficiais.Células principais ou zimogênicas Produzem pepsinogênio no antroou pépticas e no corpo.Células pilóricas Secretam gastrina, pepsinogênio e pouco muco.Obs: A parede gástrica é protegida por um “gel” que contém mucinae bicarbonato, chamada barreira mucosa gástrica.
  9. 9. Secreção de HCl O H+ provém da reação: CO2+H2O – HCO3- + H+ que é catalisada pela anidrase carbônica. O H+ é secretado para a luz gástrica em troca de K+ através da H+/K+ ATPase. O HCO3- resultante é absorvido pelo plasma em troca de Cl-. Dessa forma, o H+ pode reagir com o Cl- na luz gástrica.
  10. 10. Aspirina e Omeprazol: efeito no trato gástrico Aspirina bloqueia a secreção de bicarbonato pela célula e, por isso, não é aconselhável ingerir aspirina por longos períodos de tempo, já que diminui a solução tampão – ou seja, diminui o pH percebido pelo epitélio da mucosa, podendo causar obstrução da parede (retirada da barreira mucosa gástrica) Omeprazol é um fármaco que impede a secreção de H+, pois se liga irreversivelmente na bomba H+/K+ ATPase.
  11. 11. Estimuladores/Inibidores da secreção de HCl Acetilcolina, gastrina e histamina estimulam a secreção.1) Acetilcolina e gastrina promovem cascata de ativação que estimula o PKC que esvazia os estoques de Ca²+ fazendo com que tenha muito cálcio na célula – o que sinaliza secreção de HCl.2) Histamina: liberada através dos mastócitos, pode promover a ativação de acetilcolina, gastrina, além de gerar uma cascata de ativação ligada ao AMPC e proteína G.• Inibidores: CCK, EGF, TGF-alfa, prostaglandinas e somatostatina.
  12. 12. Conversão do Pepsinogênio em Pepsina As células que produzem o HCl estão localizadas mais centralmente, ao passo que as células principais (produtoras de pepsinogênio) localizam-se mais inferiormente. Assim, quando o pepsinogênio for liberado, possui maiores chances de encontrar HCl – o que promove a clivagem do pepsinogênio em pepsina. E essa pepsina ajuda a clivar outros pepsinogênios.
  13. 13. Regulação de Secreção Gástrica Fase cefálica: secreção de HCl a partir de estímulos como paladar (mastigação) e olfatório (cheiro do alimento); ocorre antes do alimento chegar ao estômago.Obs: A acetilcolina é liberada pelo plexo e age diretamente, aumentando a produção de HCl. Indiretamente, induzida pela acetilcolina, a gastrina é secretada, estimulando também a secreção de HCl.
  14. 14. Regulação da Secreção Gástrica Fase gástrica: a pressão do alimento na parede do estômago ativa os mecanoceptores que promovem a secreção de acetilcolina. A acetilcolina induz diretamente a secreção de HCl; A acetilcolina induz a gastrina que potencializa a secreção de HCl; A alteração do pH induz a gastrina que promove a secreção de HCl.
  15. 15. Regulação da Secreção Gástrica Fase intestinal: presença do quimo ácido no duodeno estimula a secreção de secretina que, além de contrair o piloro, inibe a secreção de HCl. A secretina:1) Inibe as células parietais que inibem a produção de HCl;2) Inibe as células G – inibindo a secreção de gastrina, impedindo a secreção de HCl;3) Estimula a secreção de somatostatina que inibe a secreção de HCl.
  16. 16. Secreção Pancreática Secreção endócrina: produzida pelas ilhotas de Langerhans, secretando insulina (células beta), glucagon (células alfa) e somatostatina. Secreção exócrina: componente aquoso e componente enzimático.Obs: O componente aquoso é estimulado pela secretina que induz a secreção do ducto para que a concentração de bicarbonato seja maior do que do plasma sanguíneo.Obs²: O componente enzimático é estimulado pela colecistocinina, que induz os ácinos a secretarem mais componentes enzimáticos. Além disso, a atividade passimpática via acetilcolina estimula a secreção enquanto a atividade simpática a inibe.
  17. 17. Composição da Secreção Pancreática Componente aquoso: concentração de sódio e potássio semelhantes as do plasma, bicarbonato (níveis elevados) e cloro. Componente enzimático:Quadro de Enzimas Substrato AçãoTripsina, quimiotripsina e Proteínas Quebra de ligaçõeselastase peptídicasCarboxipeptidases Proteínas Quebra o aminoácido terminalLipases pancreáticas Gorduras Quebra o triacilglicerolAmilase pancreática Polissacarídeos Quebra em glicose e maltoseRibonucleases e Ácidos nucleicos Quebra em nucleotídeosdesoxirribonucleases livres
  18. 18. Fases da secreção pancreática Fase cefálica: secreção com alto teor de proteína via impulsos vagais gerados por estímulos visuais, olfatórios e paladar. Fase gástrica: pequeno volume com elevada concentração de enzimas via impulsos vagovagais e gastropancreática, sendo esta última gerada pela secreção de gastrina pelo estômago que, pela circulação sanguínea, estimula a secreção pancreática. Fase intestinal: o quimo ácido estimula a secretina no duodeno, responsável por maior parte da secreção pancreática.

×