Glicocorticoides
Vanessa Cunha
Vanessa Cunha

Revisão histológica do córtex da suprarrenal
CÓRTEX ADRENAL

Mais externo para mais interno:
• Cápsula
• Zo...
Vanessa Cunha

Cortisol: glicocorticoide endógeno
A estimulação da produção deste hormônio está
relacionada a diversos fat...
Vanessa Cunha

Como o cortisol é liberado para a corrente sanguínea?
Observe o esquema abaixo:
Córtex cerebral: recebe afe...
Vanessa Cunha

Principais funções dos glicocorticoides
• Regulação da homeostase
• Regulação eletrolítica
• Regulação do m...
Vanessa Cunha

Mecanismo de ação dos glicocorticoides
1) Os glicocorticoides são derivados do colesterol; portanto,
capaze...
Vanessa Cunha

Efeitos dos glicocorticoides
• Nas células inflamatórias:
No caso de células inflamatórias, os glicocortico...
Vanessa Cunha

Efeitos dos glicocorticoides
• No metabolismo intermediário (metabolismo de
carboidratos e proteínas):
1)
2...
Vanessa Cunha

Efeitos dos glicocorticoides
• No metabolismo do cálcio:
1)
2)
3)
4)
5)
6)

AUMENTA a ação dos osteoclastos...
Vanessa Cunha

Síndrome de Cushing
• O que é? Resultado da exposição
excessiva a glicocorticoides.
• Causas: administração...
Vanessa Cunha

Principais indicações dos glicocorticoides
•
•
•
•
•
•

Transplante de órgãos
Reações alérgicas
Anemia hemo...
Vanessa Cunha

Principais glicocorticoides no mercado
• Prednisolona (ação curta a média)
• Betametasona (ação prolongada)...
Antiinflamatórios Não-esteroidais
(AINES)
Vanessa Cunha
Vanessa Cunha

Processo inflamatório
1) Estimulação das
células inflamatórias
2) Síntese de
Fosfolipase A2
3) Liberação de...
Vanessa Cunha

Mecanismo de ação dos AINES

COX-1

• Possui efeitos na homeostase renal,
função plaquetária e proteção
gás...
Vanessa Cunha

O bloqueio das ciclooxigenases interferem na síntese
de prostaglandinas, prostaciclinas e tromboxano a2.
As...
Vanessa Cunha

No que estão envolvidas as prostaciclinas e
tromboxano a2 ?
Prostaciclinas:
• Vasodilatação
• Inibição da a...
Vanessa Cunha

Inibição seletiva da COX-1 e COX-2
COX-1

• AUMENTA o risco de
sangramentos
• AUMENTAM os danos do
trato ga...
Vanessa Cunha

Inibição não-seletiva COX-1 e COX-2
Exemplos

Diclofenaco

Ácido mefenâmico

Ibuprofeno

Piroxicam
Vanessa Cunha

Indicações dos AINES
•
•
•
•

Alívio da dor leve e moderada
Atrite reumatóide
Antipirético (febre)
Antiagre...
Vanessa Cunha

Paracetamol e dipirona: mecanismo não elucidado
Dipirona

• Indicações:
Antitérmico e analgésico.
• Efeitos...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)

70.054 visualizações

Publicada em

Resumo sobre a farmacologia dos glicocorticoides e AINES (antiinflamatórios não esteroidais)

Publicada em: Saúde e medicina
2 comentários
44 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
70.054
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
64
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.217
Comentários
2
Gostaram
44
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Glicocorticoides (AIES) e Antiinflamatórios não esteroidais (AINES)

  1. 1. Glicocorticoides Vanessa Cunha
  2. 2. Vanessa Cunha Revisão histológica do córtex da suprarrenal CÓRTEX ADRENAL Mais externo para mais interno: • Cápsula • Zona glomerulosa: síntese de mineralocorticoides • Zona fasciculada: síntese de glicocorticoides • Zona reticularis: síntese de andrógenos
  3. 3. Vanessa Cunha Cortisol: glicocorticoide endógeno A estimulação da produção deste hormônio está relacionada a diversos fatores, são estes: HIPOGLICEMIA ESTRESSE SONO EMOÇÕES FRIO
  4. 4. Vanessa Cunha Como o cortisol é liberado para a corrente sanguínea? Observe o esquema abaixo: Córtex cerebral: recebe aferências do meio externo, percebendo alterações. É responsável por estimular o hipotálamo. Hipotálamo: quando estimulado pelo córtex cerebral, libera o CRF (fator liberador da corticotrofina) - que atua na adenohipófise. Adenohipófise: ao ser estimulada pelo CRF, permite a estimulação da produção e liberação do hormônio adenocorticotrófico (Acth) na corrente sanguínea. Córtex da adrenal: o Acth é liberado e atua no córtex da adrenal permitindo a liberação do cortisol na corrente sanguínea. A partir daí, o cortisol atuará nas células-alvo espalhadas por todo o corpo. Ou seja, o aumento do cortisol plasmático controla negativamente sua produção e vice-versa.
  5. 5. Vanessa Cunha Principais funções dos glicocorticoides • Regulação da homeostase • Regulação eletrolítica • Regulação do metabolismo intermediário Ciclo circadiano Elevada concentração plasmática de cortisol pela manhã Baixa concentração plasmática de cortisol à noite
  6. 6. Vanessa Cunha Mecanismo de ação dos glicocorticoides 1) Os glicocorticoides são derivados do colesterol; portanto, capazes de atravessar livremente a membrana plasmática. 2) Após adentrar na célula, os glicocorticoides se ligarão aos receptores de glicocorticoides e, depois, se encaminharão para o núcleo celular. 3) No DNA, o complexo (glicocorticoide+receptor de glicocorticoide) afetará a expressão gênica. 4) Com isso, ocorrerá a inibição da transcrição de proteínas inflamatórias, como interleucinas (IL-2, IL-3, IL-4, IL-6, IL8 e IL-12), interferon γ e TGF-α. 5) Além disso, são capazes de inibir a produção de bradicinina, tromboxano a2 e prostaglandinas.
  7. 7. Vanessa Cunha Efeitos dos glicocorticoides • Nas células inflamatórias: No caso de células inflamatórias, os glicocorticoides interagem com outro receptor que expressa citocinas próinflamatórias: NF-kB. A ligação do glicocorticoide com o NF-kB promove a perda da função deste – desestimulando, portanto, os mediadores inflamatórios. 1) 2) 3) 4) DIMINUIÇÃO do número de linfócitos B e T, monócitos e eosinófilos INDUÇÃO da apoptose de células linfoides DIMINUIÇÃO da liberação de histamina INIBIÇÃO a ação da APC (célula apresentadora de antígeno)
  8. 8. Vanessa Cunha Efeitos dos glicocorticoides • No metabolismo intermediário (metabolismo de carboidratos e proteínas): 1) 2) 3) 4) 5) REDUÇÃO da captura e utilização da glicose AUMENTO da proteólise AUMENTO do armazenamento de glicose (glicogênio) AUMENTO do metabolismo lipídico, resultará: AUMENTO de ácidos graxos livres
  9. 9. Vanessa Cunha Efeitos dos glicocorticoides • No metabolismo do cálcio: 1) 2) 3) 4) 5) 6) AUMENTA a ação dos osteoclastos DIMINUI a ação dos osteoblastos DIMINUI a absorção intestinal de cálcio AUMENTA a excreção renal de cálcio, resultará: DIMINUIÇÃO do cálcio plasmático AUMENTO do paratormônio (PTH)
  10. 10. Vanessa Cunha Síndrome de Cushing • O que é? Resultado da exposição excessiva a glicocorticoides. • Causas: administração prolongada de fármacos glicocorticoides ou doenças. • Sintomatologia: braços e pernas finos (atrofia muscular), má redistribuição da gordura corporal (aumento da gordura abdominal), hipertensão, corcova de búfalo, equimoses e cicatrização deficiente de feridas.
  11. 11. Vanessa Cunha Principais indicações dos glicocorticoides • • • • • • Transplante de órgãos Reações alérgicas Anemia hemolítica Lúpus eritematoso Edema cerebral Síndrome da angústia respiratória do lactente
  12. 12. Vanessa Cunha Principais glicocorticoides no mercado • Prednisolona (ação curta a média) • Betametasona (ação prolongada) • Dexametasona (ação prolongada) Vias de administração • • • • • Oral Parenteral Oftálmica Inalatória Tópica
  13. 13. Antiinflamatórios Não-esteroidais (AINES) Vanessa Cunha
  14. 14. Vanessa Cunha Processo inflamatório 1) Estimulação das células inflamatórias 2) Síntese de Fosfolipase A2 3) Liberação de ácido araquidônico através dos ativação dos fosfolipídeos da membrana plasmática pela Fosfolipase A2 4) Metabolização do ácido araquidônico pelas ciclooxigenases
  15. 15. Vanessa Cunha Mecanismo de ação dos AINES COX-1 • Possui efeitos na homeostase renal, função plaquetária e proteção gástrica. • Sua inibição pode ocasionar: aumento do risco de sangramentos e aumento de danos ao trato gastrointestinal (lesões na mucosa e úlceras). COX-2 • Apresenta efeitos inflamatórios, como: febre, dor e inflamação. • Ao ser inibida, pode provocar maiores riscos cardiovasculare (hipertensão arterial sistêmica e trombose) e de edema pela retenção de sódio e água – apesar de possuir menores efeitos no trato gastrointestinal.
  16. 16. Vanessa Cunha O bloqueio das ciclooxigenases interferem na síntese de prostaglandinas, prostaciclinas e tromboxano a2. Assim, no que estão envolvidas as prostaglandinas? • Mediadores de sensibilização das terminações nervosas nociceptivas – causam dor. • Interferem no hipotálamo, centro nervoso que regula a termogênese do organismo, elevando a temperatura corpórea para combater uma infecção. • Recrutam uma série de leucócitos e promovem o processo inflamatório no local.
  17. 17. Vanessa Cunha No que estão envolvidas as prostaciclinas e tromboxano a2 ? Prostaciclinas: • Vasodilatação • Inibição da agregação plaquetária Tromboxano a2: • Potente fator de agregação plaquetária Obs: Devido a sua ação sobre o tromboxano a2, pacientes que sofreram infarto agudo do miocárdio devem tomar o AAS infantil. Este AINES evitará a formação de trombos ao inibir o tromboxano a2.
  18. 18. Vanessa Cunha Inibição seletiva da COX-1 e COX-2 COX-1 • AUMENTA o risco de sangramentos • AUMENTAM os danos do trato gastrointestinal COX-2 • AUMENTO dos riscos cardiovasculares, como hipertensão e trombose • MENORES efeitos sobre o trato gastrointestinal Exemplos: Celecoxib Meloxican
  19. 19. Vanessa Cunha Inibição não-seletiva COX-1 e COX-2 Exemplos Diclofenaco Ácido mefenâmico Ibuprofeno Piroxicam
  20. 20. Vanessa Cunha Indicações dos AINES • • • • Alívio da dor leve e moderada Atrite reumatóide Antipirético (febre) Antiagregante plaquetário (exceto seletivos COX-2) Efeitos adversos dos AINES • • • • Gastrites e ulcerações (exceto seletivos COX-2) Insuficiência renal aguda Broncoconstrição Zumbido, vertigem e diminuição da audição (doses elevadas)
  21. 21. Vanessa Cunha Paracetamol e dipirona: mecanismo não elucidado Dipirona • Indicações: Antitérmico e analgésico. • Efeitos adversos: Sono, boca seca, reações dermatológicas e, raramente, discrasias sanguíneas. Paracetamol • Indicações: Antitérmico e analgésico, broncoespasmo precipitado por aspirina, pacientes com história de úlcera péptica e hemofílicos. • Efeitos adversos: Hepatoxicidade em doses elevadas (sua eliminação hepática é saturável). • Precauções: uso em idosos e alcoolistas.

×