Folhetim do Estudante Digital núm. X

407 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
407
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folhetim do Estudante Digital núm. X

  1. 1. Folhetimdo estudanteNúm. X1ª quinzena - outubro/2012 que o cristianismo levou ao absolutismo papal”. O marxismo é a chave para Hobsbawm se localiza entre Folhetim do estudante é uma o entendimento e eventual aqueles que veem Marx como um publicação de cunho cultural e educacional com artigos e textos superação do capitalismo, mapa do caminho para a revolução e avalia historiador. os que o encaram simplesmente exclusivos de Professores, alunos como teoria. Mostra a ruptura dele e membros da comunidade da com os socialistas utópicos, mas Não há nenhum deus além “E.E. Miguel Maluhy”. de Karl Marx, e Eric Hobsbawm é deixa claro o tributo que Marx lhes seu profeta. Maior historiador paga na forma da ideia de que é Acesse o BLOG do folhetim “inevitável” mudança não apenas de http://folhetimdoestudante.blogspot.com.br marxista ainda em atividade, aos 94 anos, o inglês Hobsbawm dedica sua regime de governo, mas de todo o Sugestões e textos para: última obra – Como Mudar o Mundo modo de vida sobre a Terra. Nos vogvirtual@gmail.com – Marx e o Marxismo – a mostrar últimos 130 anos, diz o historiador, que o filósofo alemão, tido como Marx foi o tema central da paisagem soterrado pelos escombros do Muro intelectual e, graças à sua capacidade de Berlim, continua a ser a chave de mobilizar forças sociais, foi uma LUTOMorreu Eric Hobsbawm, para o entendimento do capitalismo e para sua superação, agora em tempos de aquecimento global. Já em seu livro A Era dos presença crucial na história. No entanto, o desgaste provocado pelo colapso da URSS expôs, nas palavras de Hobsbawm, o “fracasso das Extremos, Hobsbawm colocou a predições” das teorias marxistas.hoje, 01/10/2012, aos 95 Revolução Bolchevique como o De tempos em tempos,anos, um dos maiores principal evento do “breve século anuncia-se que o capitalismo está no 20″ – que em sua visão acaba, fim. Como a história mostra, porém,pensadores da história do justamente, na implosão da URSS. o moribundo arruma um jeito de setempo presente, para o “O mundo que se esfacelou no fim recuperar, entre outras razões porquequal prestamos uma da década de 1980 foi o mundo a classe trabalhadora, que seria o formado pelo impacto da Revolução esteio da revolução, sofreu mudançashomenagem nesse número Russa de 1917″, escreveu ele, para dramáticas no último meio século, aoreproduzindo artigo recen- elaborar a teoria segundo a qual ponto de se tornar irreconhecívelte sobre sua produção. todos os processos históricos do como “proletariado”. MasUm minuto de silêncio ao período – das alianças diplomáticas Hobsbawm, em meio à crise global aos desdobramentos econômicos deflagrada em 2008, não resistiu àgrande mestre na “arte” de globais – tiveram como eixo a tentação e escreveu que, desta vez,pensar a sociedade e instalação do comunismo na Rússia. vai: “Não podemos prever ascompreender seus paradig- Trata-se, obviamente, de um soluções dos problemas com que semas. exagero. Mas o Marx que defronta o mundo no século 21, mas Hobsbawm tenta resgatar em seu quem quiser solucioná-los deverá ____ novo livro não é o de Lenin e de fazer as perguntas de Marx, mesmo Stalin, nem o dos marxistas que não queira aceitar as respostas contemporâneos, e sim a essência de dadas por seus vários discípulos”. seu pensamento. Para ele, o futuro do marxismo e da Em Como Mudar o Mundo, humanidade estão intimamente reedição de textos escritos entre vinculados. 1956 e 2009, Hobsbawm trata de No entanto, convém relevar diferenciar Marx do marxismo e de o entusiasmo de Hobsbawm. A sua aplicação extrema, o comunismo história mostra que é prudente ler – o que é conveniente, ao se observar Marx mais como uma forma de as atrocidades cometidas em nome entender o mundo do que de mudá- _________ da igualdade. Para ele, dizer que o lo. marxismo é responsável por essas Marcos Guterman – O Estado de_______________________ tragédias “é o mesmo que afirmar S. Paulo 1
  2. 2. folhetim do estudante outubro/2012 assinalou que a existência do gaúcho A mulher no cavalo, montada de debate transcorre asiaticamente à maneira do árabe e do beduíno, “entre a correria das algaras e lado, é invenção moura. Nossas amazonas guerreiras não usavam saias. Do mulherio o repouso das cabanas”. mouro temos os leques, os guarda-sóis, os Para o Brasil inteiro, o melhor véus para o rosto, além de tinta para as documento do lastro árabe-sarraceno é o sobrancelhas e líquidos que dão brilho aos velho Luís da Câmara Cascudo com os seus olhos. 150 livros de consulta obrigatória. O aboio é canto oriental na Em Prelúdio e Fuga do Real, ele pastorícia brasileira. O pandeiro é mouro, chama Luís de Camões de mouro assim como o tamborim e o adufe. indispensável. “ Mouros! Mouras! Juntos Os mouros foram os fanáticos pelo estivemos 336 anos, e nunca ficamos açúcar, tal qual o brasileiro que não distanciados do seu fascínio.” dispensa de adoçar a boca depois da O cuscuz do Nordeste é árabe e refeição. “Onde estiver o mouro, o árabe, aí também o arroz-doce. estará, infalivelmente, a doçaria” sentencia O mouro do Algarve em Portugal o mestre inigualável do folclore brasileiro.Ocidente X Oriente viajou para o Brasil na memória do Os mouros plantaram canaviais no sul da colonizador. A memória moura ficou sendo Espanha, século 15. A cana-de-açúcar foi Estamos ferrados neste mundo a marca essencial da cultura popular nosso primeiro sabor de engenho: “canaregido pela dialética yanque de jogar míssil brasileira. para mastigação e não para o sorvo”. Queme cesta básica. Falam por nós os Brasis Nós somos das Arábias e o nome chupa cana tem bons dentes ? dirá omouros e yslâmicos diante dos ataques da preferido é o do mouro no adágio brasileiro. esculápio Silva Mello antes da voga domídia. Bresill, Brasilly, Braxilis, Brasilium, Força de mouro. Cara de mouro. Trabalho smile roliudiano no cinema e TV! Sorria,Presill, Pressilli. de mouro. meu bem. Lastimável cobertura facciosa da O auto-popular Chegança. MourosTV sobre o atentado à ilha de Manhatan. É e Cristãos. Vestido azul. Duelos de espadas.deplorável a vídeo-demonização racista da É “o está escrito” no Alcorão. O fanatismocultura árabe-muçulmana-islâmica- religioso do destino no jogo do bicho. Asarracena. mouromania. A ciganada. A parlenda para Nossos autores clássicos já as crianças: bão-balalão, senhor capitão, emsublinharam os traços culturais islâmicos, a terras de mouro, morreu seu irmão.exemplo de Casa Grande & Senzala de A mulher botando pano na cabeçaGilberto Freyre evocando as mães-d´água e é costume mouro. Idem, a usança dea moura encantada no Nordeste. turbante nos penteados femininos. Também O processo da miscigenação foi os pés dos brasileiros com alpercata derealizado entre nós pelo amoroso método rabicho. Escreve Dom Cascudo: “Lembro aárabe, fato esse que deixou deveras alparcata, alpargat, como escrevia o padre Não vamos esquecer que azeite eimpressionado o antropólogo alemão Franz Antônio Vieira, alpercata, apragata, para o azeitona são vocábulos árabes. De origemBoas radicado nos Estados Unidos: ele nordestino, do árabe al-parcat, o mais árabe é o hábito de beijar o pão quando esteficou atônito perante a cópula metarracial. antigo calçado dos climas tropicais”. cai no chão antes de apanhá-lo. Na arquitetura, o xará de Apipucos O mouro mágico, sabedor das Leitor do Alcorão, Cascudo citafoi entusiasta do pátio mourisco, esplêndido manhas e segredos, “seduz para o amor e a Allah-U-Akbar, ou seja, o “Deus é grande”recurso ecológico adaptado aos trópicos. vida farta e feliz”. que está na boca do povo e escrito nos pára- Sobre as influências muçulmanas Foram os mouros que construíram choques dos caminhões “ só Deus sabe ouna arquitetura brasileira, Luís da Câmara a igreja de Notre-Dame em Paris. O sabe Deus...Cascudo, como sempre, dá um banho de folclorista Francisco Vasconça aponta as Digo e aviso que é mouro nossoinformação e sabedoria: “Reixas, semelhanças entre Afeganistão e Canudos costume de rogar praga a torto e a direito.muxarabiês, torres de igrejas, dentéis, de Antônio Conselheiro e Deus e o Diabo Imprecação. Peste. Desgraceira. Maldição.molduras de janelas e portas interiores. na Terra do Sol de Glauber Rocha. O sertão Sobretudo nas horas abertas. Praga aoRecordo, na mobília tradicional, os sofás árabe. Afeganisertão. meio-dia esquenta água fria.amplos e baixos, escabelos, estrados, Não espanta se por lá aparecer o Homem de Deus. Criatura depalanques”. mote do Bom Jesus Antônio Conselheiro: Deus. Filho de Deus. Embora Alá não No sul do país, Manoelito Ornellas “O Afeganisertão vai virar mar”. pudesse ter filhos. Na África, o negropublicou o magnífico Gaúchos e Beduínos, Herdamos da mouraria o jeito de mandingueiro já estava islamizado antes delivro no qual mostra o quanto a cultura do comer refeição no chão limpo, os pratos no vir para o Brasil com seus orixás trazidosRio Grande do Sul é devedora da influência solo, a toalha de algodão, assim como o pelas vozes dos canaviais.árabe: o gaúcho é o beduíno dos verdes beber depois de comer e não durante a Outra permanência moura: apampas. Que se alimenta, tal qual última refeição. Fala Cascudo: humilhação que é apanhar de chinela. Háárvore em montanha, do orvalho da noite” “Sentar-se sobre as pernas dobradas era também a evocação paradisíaca,no dizer do tarimbado campeador Leonel jeito mouro. De cócoras era indígena. encontradiça no Alcorão e no dia-a-dia.Brizola. Pernas cruzadas, mulher fazendo renda, é Lembro minha mãe, dona Adelaide Outro autor clássico da modo japonês e chino.” Felisberto, professora primária em Santaextremidade sulina, Rubens de Barcellos, Adélia, minha primeira professora, interior 2
  3. 3. folhetim do estudante outubro/2012de São Paulo: “Esse menino quer é sombra civilização da biomassa úmida das RIOe água fresca!” florestas. Os usos e costumes brasileiros Hasta cuando? O Filme retrata as tristesrevelados pela etnografia cascudiana realidades brasileiras tais como:atestam a presença do Oriente no cotidiano. Gilberto Felisberto Vasconcellos contrabando de animais silvestres,Dançamos a alegoria moura com lundum ebatukada, pedimos bênção com a mão na abandono infantil, crianças usadas pelocabeça, respeitando o cadáver, temendo luanova, relâmpago, trovão, estrela cadente, RESENHAS crime, pobreza e uma visão deturpada que os estrangeiros tem do Brasil alémanjo mau, água parada. de também mostrar as diferenças sociais e o preconceito. Nesse caso o preconceito fica aparente na cena em que o garoto negro oferece ajuda ao cientista e à estrangeira, a desconfiança do cientista surge pelo fato do garoto ser pobre e não ter família. O filme mostra a ideia que os estrangeiros tem RIO do país e que eles podem fazer o que quiserem por aqui. O grande mistério, posto em O filme RIO conta a estória deevidência pelo mestre Câmara Cascudo em Blue, um filhote de Arara Azul, queseu Geografia do Brasil Holandês, é que o vivia na floresta e que foibatavo esteve no Nordeste décadas e nãodeixou no vocabulário popular brasileiro contrabandeado para o exterior. Ele foisenão o pão “brote”. Exceto o nome folk- criado por uma menina nos Estadoslore, criado por arqueólogo inglês, pouca Unidos com hábitos e costumes de lá.coisa ficou no espírito popular brasileiro da Para salvar sua espécie que estava eminglesia colonialis que nos vampirizou extinção precisava vir ao Brasil sedesde o Tratado de Methuem até 1930. encontrar com uma fêmea da mesmaGilberto Freyre gostava do anglo, fazia espécie.elogios ao terno branco legado pelos Esse filme apresenta que Blueingleses no Brasil. Eu, por mim, passo a era muito diferente dos pássaros de suabola. Fui conhecer a Inglaterra, passei lá Por outro lado retrata também espécie que viviam no Brasil, ele eradois dias e saí correndo. um pássaro domesticado com uma a importância da liberdade do animais Da influência norte-americana nocotidiano do povo brasileiro o que ficou “ cultura diferente, Blue não sabia voar, e dos pássaros, mostra também apelo menos até a década de 1960, era um pássaro criado dentro de uma beleza do Brasil e a felicidade do povoregistrado cientificamante pelo folclore “ gaiola. A fêmea da mesma espécie, no carnaval. Mostra ainda que existemfoi apenas o gesto do sinal positivo dado Jade, era uma ave livre. Quando Blue pessoas que se importam com acom o dedão erguido da mão, aprendido chegou ao Brasil para conhecer sua natureza e com os animais.pela caboclada em Panamerim Fields, espécie ocorreram muitos problemas edurante a Segunda Guerra, assistindo ao eles foram capturados por um Patrick Ferreira – 8ªDmovimento dos aviões no aeroporto de contrabandista de aves.Natal. Esse filme aponta uma crítica Resenhas do filme “RIO” sobre a desigualdade social já que em Direção: Carlos Saldanha uma parte do filme mostra-se um Brasil -2011 menino tentando ajudar, mas por sua posição social de morar na favela, um menino que não tem família, acaba ocorrendo uma certa desconfiança da sociedade em geral em relação a isso. No Rio de Janeiro há muita pobreza, desigualdade, crimes, isso O Alá pós-petróleo muda a leitura tudo é muito comum por lá. Em minhae o significado do Alcorão, que descreve o opinião o filme mostrou umaparaíso como sendo formado por uma série representação da realidade que existede jardins dos trópicos onde correm muitos no Rio de Janeiro.rios e água cristalina. O problema é que Maomé aboliu a Poliana Batista – 8ªDbirita. E o Brasil ainda não acordou para a 3
  4. 4. folhetim do estudante outubro/2012 concluir que essa vida não lhe trazia tempestade e o corpo de Quincas cai RESENHAS nenhuma felicidade, já sua vida de do barco e fica no mar para sempre “vagabundo” lhe rendeu muitos como um espírito livre, a última A morte e a morte de Quincas amigos e muita alegria, ou seja, ele Berro D´água realmente começou a viver quando vontade de Quincas. Por isso ele morreu para essa sociedade de largou a vida como Joaquim, o aparências. comendador, jogou-se no mar para Se você reprime seus desejos não ficar preso a sete palmos abaixo carnais, você nega a própria da terra para sempre. humanidade. O instinto é mais O filme é uma paródia da confiável do que a razão. obra literária. Ele possui alguns elementos do livro, mas não é fiel, já que cortaram passagens e adicionaram outras situações que não A obra literária convertida aparecem no livro. Uma das partesem filme transmite uma ideia de que Romário Oliveira – 2ºF cortadas é a briga pelas roupas dea vida monótona baseada em um ______________________________ Quincas e se ele vai ser enterrado oucotidiano que a sociedade impõe, não com roupas novas além depressiona tanto o ser humano que El A morte de uma adicionarem uma situação sobre ocomeça a ter a necessidade de uma suposto filho bastardo de Quincasválvula de escape, o que é bem Bahiano que eu não observei em minha leituranormal já que todos que levam uma da obra.vida assim tem um “happy hour”, Logo no início do filme já Quincas Berro D´Água é umentretanto no caso de Quincas, em aparece o protagonista contando suas ótimo livro e o filme é muitoum dia de estresse, ele decide mortes, ai começa contando sobre a engraçado. Quando foi sugerida aabandonar a vida de cidadão casado primeira morte que seria a “morte leitura fiquei com o “pé atrás”, mase respeitável na sociedade para se social” de Joaquim, o Comendador, quando você começa a ler vocêentregar a uma vida de “vagabundo”, que era um pessoa bem sucedida na percebe o quanto essa estória érealizando seus desejos carnais e se vida, tinha mulher, uma filha e de empolgante e engraçada, mas comoapegando aos vícios. uma hora para outra ele decide largar sempre o livro é melhor, acredito, eu. Mesmo a família de Quincas tudo o que ele conquistou ao longo Vou explicar!já o tendo como morto, para seus dos anos de trabalho e vira um Pelo fato de ter lido primeiroamigos de farra Quincas estava vivo, vagabundo, cachaceiro que seria e depois ter visto o filme acho quee não compartilhando com a conhecido como Quincas Berro seu tivesse visto o filme primeiroperspectiva da família, durante o D´Água. Quincas foi tentar ser dar minha opinião seria diferente da quevelório, pegaram o corpo de Quincas bem mas não deu certo. Ao ver uma tenho hoje, já que o filme sugeree partiram para uma noite de garrafa cristalina e achou que era Quincas como um “modelo” de vida,aventuras bem ao estilo do notório cachaça mas quando bebeu ele pois quando ele vira cachaceiro, ele“vagabundo”. percebeu que era água e gritou – aparenta ter se tornado mais humano Após algumas aventuras com Águaaaaaaaa. Quincas morreu do ajudando outras pessoas. Já no livroo defunto pela noite baiana, seus jeito que ele gostava, bebendo e é ressaltado o valor da amizade e queamigos junto como o corpo de festejando com seus amigos mesmo morto, ele e os amigos vãoQuincas, saíram a navegar e já com o inseparáveis e ao verem que ele tomar umas e a vida segue. Isso ébarco em alto mar se depararam com estava morto, mas não acreditando Quincas Berro D´Água.uma tempestade e ali testemunharam nisso, conseguem “dar um perdido”a partida de Quincas quando o corpo, nos familiares e como era dia de seu Matheus Nascimento – 2ºFem função da violência das ondas, aniversário decidem festejar indo acai no mar e logo assumiram que ele vários lugares com o defunto.decidiu tirar a própria vida por não Resenhas do filme “A morte e a Vão ao candomblé, aoquerer ser enterrado em um caixão, morte de Quincas Berro Cabaré, tudo para dar a Quincas umasendo essa sua segunda morte pois a demonstração de amizade e que eles d´água” adaptação da obra defamília já o tinha considerado morto. eram realmente amigos e a morte não Jorge Amado Observando como Quincas mudaria isso. Direção: Sérgio Machadoviveu após ter abandonado sai vida Decidem ir ao porto e num Brasil -2010de cidadão respeitável, pode-se barco vão para o mar, enfrentam uma 4
  5. 5. folhetim do estudante outubro/2012 continuidade a outras seis crônicas, todas sobre uma terra mágica chamada Nárnia. PROVOCAÇÕES “O Sobrinho do Mago” se resume na criação de Nárnia, Descobrindo a Cultura criada por um enorme leão que tem poderes mágicos, Árabe aparentemente sua magia vem através de sua voz, já que Nárnia Aos que querem se surge com uma linda canção que informar, pesquisem, pois a vinha da grande boca do leão, cultura árabe é maravilhosa. E aos criando o céu, o mar, as estrelas, o que teimam, ainda, em não sol, os animais e até os seres acreditar eu rezo, para que um dia mágicos. possam se emancipar. O leão então, pede para o garoto Digory(que chegou a Nárnia através da magia dos anéis que seu tio possuía) em um lugar Luiz Henrique – 3ºG além de Nárnia que vá atrás do Ao visitar a Mesquita fruto da vida, e o garoto oIslâmica em Santo Amaro comum dos grupos de alunos do VARIEDADES encontra (um fruto proibido que lembra vagamente o mito de AdãoPLCA – Programa de Língua e e Eva, o que faz sentido já que oCultura Árabe, fiquei maravilhado leão chama os humanos de filhoscom à diversidade cultural que me de Adão) e entrega paradeparei. Ao contrário do que diz à Aslam(como era conhecido omídia os mulçumanos não se leão) e assim foi plantado o frutorestringem apenas a "homens na margem do rio de Nárnia. Abombas", Denominação pejorativa árvore que cresceu ali nasceu paraàqueles que criticam por proteger Nárnia do mau que láconhecimento limitado. habitava, o mau descrito por No dia, 18/08/2012, foi Aslam nessa crônica.minha primeira visita, tive a É um outro ponto de vista,oportunidade de ver o desjejum para quem gosta de estórias dedo Hamadam, onde os magia e ficção e gostaria de termulçumanos ficam 30 dias sem uma outra opinião, de como ocomer enquanto há sol; e também mundo foi criado. Eu recomendoos visitei no dia 26/08 quando me e acredito que vão adorar estemaravilhei com a diversidade livro cheio de aventuras e muitacultural. Havia homens e magia.mulheres dançando, "churrascada"para todos, esporte para a As Crônicas de Nárnia: Michael David Rocha – 1ºJgarotada, músicas típicas entre O Sobrinho do Magooutras. Assim podemos ver que Autor : C. S. Lewisnão podemos nos adentrar naalienação dada pela televisão, e, As crônicas de Nárnia sãosim, procurar por onde uma série de sete livros criadosargumentar sobre um assunto, pelo autor irlandês C. S. Lewis,assim você poderá discutir por que começou escrevendo auma determinada cultura. crônica “O Leão, a feiticeira e o guarda-roupa”, depois dando 5
  6. 6. folhetim do estudante outubro/2012 trabalhismo o leva a estudar as POÉTICAS ESPECIAL revoluções burguesas do século XIX. Nascia a preciosa série dividida em ROJO (homenagem a Eric Hobsbawm) O fim de uma era eras: Revoluções (1789-1948), Capital (1848-1975), Impérios Morre o historiador Eric (1875-1914). Bibliografia obrigatóriaOh vieja España Hobsbawm, aos 95 anos, em dos cursos de História de todoCuando en su conciencia Londres. Autor de ‘Era das mundo, seus trabalhos sobre oQuisera olvidar Revoluções’ e ‘Era dos extremos’ período ainda foram acrescidos de deixa mulher, filhos, netos, bisnetos dois livros fundamentais sobreDe la poesia de Lorca e milhares de leitores e admiradores.De las pinturas de Dali História Moderna: A Invenção dasy Picasso por supuesto Morreu na manhã desta Tradições (1983) e Nações eDe los fotogramas de Buñuel segunda (1) o historiador marxista Nacionalismo desde 1780 (1991). Eric Hobsbawm, britânico de origem Seu trabalho mais marcante,De la violetera judaica, em Londres, aos 95 anos. no entanto, viria com “A Era dosDe las paellas valencianas Hobsbawm estava com pneumonia e Extremos” de 1991. CoincidindoDe la guitarra de Paco não resistiu ao tratamento. com boa parte do seu tempo de vida,y de las toradas en Madrid De acordo com comunicado o historiador se coloca no papel de divulgado por sua família, testemunha do mais interessante eTerra del sangre rojo Hobsbawm deixa "não só sua mulher sangrento século da história, comoDe los Quixotes de CervantesDerrotados en la guerra civil dos últimos 50 anos, Marlene, seus costumava dizer. Ele divide o três filhos, sete netos e um bisneto, período em três eras. A primeira, aAdaptação incidental da canção “Velha mas também seus milhares de da catástrofe, marca as duas grandesEspanha” de Sérgio Lara e Tio Santos, leitores e pesquisadores no mundo guerra, o surgimento da Uniãoinspiradora de um artigo que escrevi com todo". Autor de Era dos Impérios,forte influência de Hobsbawm e que retorna Soviética, a crise econômica de 1929nesse momento de grande pesar... Era das Revoluções, Era dos e o aparecimento dos fascismos. A Prof. Valter Gomes Extremos e Globalização, Democra- segunda, nas décadas de 50 e 60, cia e Terrorismo – entre muitos chamada de anos dourados, período outros –Hobsbawm revolucionou – de grande expansão econômica do AGENDA de fato – a historiografia e a interpretação da História sobre o capitalismo. Por fim, entre 1970 e 1991, o desmoronamento final,Cine-Pipoca: “O Caçador de Pipas” nosso tempo. quando os sistemas ideológicos e11/10/2012, sala 17- noturno Relevante e fundamental institucionais caem por terra. Poucos historiadores tiveram Hobsbawm viveu muito, mas o privilégio e a lucidez de refletir parece pouco frente à magnitude de sobre sua própria época. Britânico, sua obra. Foram mais de 30 livros, nascido em Alexandria, no Egito em alguns sobre paixões pessoais, como 1917, Hobsbawm passou seus “A História Social do Jazz” (1989), primeiros anos em Viena, nas ruínas outros como reafirmação de sua do último grande império europeu, o coerência ideológica, como seu Habsburgo. Ainda criança se muda último, “Como mudar o mundo: para Berlim, onde permanece até Marx e o Marxismo” (2011). Nos vitória do partido nazista em 1933. últimos anos, permaneceu ativo e Quando a Segunda Guerra Mundial publicando muito. Em 2002 lançou teve inicio - já historiador e membro sua autobiografia, “Tempos do Partido Comunista Britânico - Interessantes”. Cinco anos depois, colaborou com os serviços de alguns ensaios que incluíam análises inteligência e integrou o Royal Army pontuais sobre o mundo pós 11 de Educational Corps, uma divisão setembro. Sua morte, aos 95 anos, responsável pela instrução e deixa gerações de historiadores órfãs educação dentro do exército. de um dos historiadores mais lidos e Na década de 60, se influentes do último século. relaciona com a privilegiada geração Bruno Garcia – Revista de de historiadores marxistas ingleses, História como Christopher Hill e Edward 1/10/2012 Thompson. Seu interesse pelo 6

×